Blog do Eliomar

Últimos posts

USP terá o primeiro centro de pesquisas em canabidiol do Brasil

A Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) na cidade de Ribeirão Preto terá o primeiro centro do Brasil de pesquisas em canabidiol, uma substância derivada da maconha. O centro vai funcionar numa ampliação do prédio de saúde mental da universidade e deve estar pronto no segundo semestre deste ano.

Há décadas, os cientistas vêm obtendo bons resultados no uso do canabidiol para tratar pacientes com esquizofrenia, doença de Parkinson e epilepsia. Em estudos clínicos, o canabidiol se mostrou eficaz na redução de sintomas psicóticos em pacientes com doenças mentais.

Antonio Waldo Zuardi, professor USP e coordenador do novo centro, conta que começou a estudar a substância em 1976, durante o doutorado que fez na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Em 1982, Zuardi passou a realizar as pesquisas na USP.

O estudo na USP vai analisar a resposta do canabidiol em mais de 120 crianças e adolescentes que sofrem com epilepsia refratária, ou seja, quando medicamentos tradicionais não fazem efeitos. Nessa pesquisa, o novo centro terá uma ala destinada à pesquisa básica de laboratórios e outra voltada à pesquisa clínica com os pacientes e voluntários.

Antes proibido, o canabidiol recebeu autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em março do ano passado. Foi permitida a prescrição médica e a importação, por pessoa física, de medicamentos e produtos com canabidiol e tetrahidrocannabinol (THC) em sua formulação para uso próprio e tratamento de saúde.

O canabidiol, no entanto, ainda não está registrado no país, pois não teve a sua segurança e eficácia comprovadas pela vigilância sanitária brasileira. Para isso, os pesquisadores da USP vão usar o centro para testar a substância e, futuramente, disponibilizá-la para a população.

(Agência Brasil)

Camilo inaugura trecho da CE-040 entre Fortim e Aracati

16387255_240324193092480_3695348505963140378_n

O governador Camilo Santana (PT) inaugurou, neste sábado, a duplicação do trecho da CE-040, de 25 km, entre o distrito de Guajiru (Fortim) e Aracati (Litoral Leste), investimento de R$ 48,5 milhões. Camilo destacou que o prefeito Bismarck Maia (PTB) foi “o grande responsável pela obra da duplicação” e que fazia justiça em inaugurar ao seu lado.

O prefeito Bismarck, ao lado da vice-prefeita Denise Meneses, assegurou ao governador e a todos que sua gestão “irá mudar a história do Aracati dentro do conceito ético e eficiente” e ressaltou a importância da obra para o desenvolvimento do Aracati, sobretudo em relação turismo.

Camilo atendeu ao pedido do prefeito e assegurou uma “Areninha” para o bairro Pedregal. Também confirmou uma delegacia 24 horas e, em breve, o Batalhão do Raio permanente em Aracati. Ainda assinou a ordem de serviço para as obras do trecho de 11,7km entre Paripueira e Guajiru. Em breve, toda a CE-040 estará duplicada.

Eleições 2018 – Ciro Gomes vai aparecer nas inserções estaduais do PDT

foto ciro gomes pdt

Com objetivo de emplacar o nome do ex-ministro Ciro Gomes (PDT) na disputa pela presidência em 2018, o PDT vai inserir o pré-candidato nas propagandas eleitorais regionais da legenda, que devem ir ao ar em março. A informação é da Coluna Expresso, da revista Época.

As inserções de rádio e TV começaram a ser gravadas na última quinta-feira (2), com críticas de Ciro às medidas econômicas adotadas pelo presidente Michel Temer (PMDB).

A veiculação terá início a partir de março.

Lula cobra dos “fascínoras” de Marisa Letícia humildade para pedir desculpas

quero-que-os-facnoras-que-fizeram-isso-com-ela-tenham-humildade-de-pedir-desculpas-diz-lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez neste sábado, 4, um discurso emocionado, chorando em vários momentos, no fim do velório da ex-primeira-dama e sua esposa, Marisa Letícia, na sede do Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo.

Ao se referir à investigação contra eles no âmbito da operação Lava Jato, da Polícia Federal, Lula se disse inocente e afirmou que ambos foram vítimas de injustiça. “Marisa morreu triste com a maldade que fizeram com ela. Quero que os facínoras que fizeram isso com ela tenham um dia a humildade de pedir desculpas.”

Ainda sobre a investigação, Lula afirmou que não tem medo de ser preso. “Se alguém tem medo de ser preso, este que está aqui, enterrando sua mulher hoje, não tem. Não tenho que provar que sou inocente. Eles que precisam dizer que as mentiras que estão contando são verdadeiras”, afirmou.

Lula começou agradecendo aos presentes, muitos deles antigos companheiros. “Neste sindicato pensamos em criar a CUT e o PT. Sou resultado da consciência política dos trabalhadores brasileiros.”

Relembrou diversos momentos de seu casamento de mais de quatro décadas com Marisa Leticia, como quando se conheceram na sede do Sindicato, onde hoje acontece o velório. “Marisa foi mãe, foi pai, foi tia, foi tudo; eu e ela nunca brigamos.”

(Agência Estado)

Delton Dallagnol – Delações devem revelar corrupção em vários Estados

2 (2)
Os acordos de delação premiada da Odebrecht devem revelar casos de corrupção em vários Estados do país, afirmou o coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato, o procurador federal Deltan Dallagnol, em entrevista ao UOL.

“É natural que aconteça um desdobramento da Lava Jato com ‘filhotes’ da operação por todo o país”, disse. Ele explicou que decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) geraram desdobramentos em São Paulo, no Rio e outras operações. “O STF, em dois precedentes, entendeu que fatos que não estejam relacionados a algo próximo à Petrobras não devem tramitar em Curitiba, mas em seus Estados”, disse. “Há acordos de colaboração [premiada] que estão sendo objeto de decisão o STF”, indicou.

O procurador afirmou que a Operação está num “movimento de expansão”, com novos fatos vindo à tona, em decorrência de acordo de colaboração com indivíduos e de leniência com empresas. “Uma das áreas para qual a Lava Jato tende a se expandir é o marketing da Petrobras”, afirmou durante a entrevista concedida na semana passada. “Outra área que estamos estudando é a das instituições financeiras. Não exatamente porque não existe um controle, mas porque várias delas violaram regras para praticar atos que acabaram favorecendo a realização de crimes graves contra a sociedade”, acrescentou.

Dallagnol minimizou críticas de que a Lava Jato teria efeito negativo para a economia, ao ressaltar que o fator prejudicial é a corrupção. “Vários dos problemas que surgiram em decorrência da Lava Jato não estão ligados à atuação do Estado, mas sim às práticas dos crimes pelas pessoas que os cometeram anos atrás. Vemos ainda que corrupção e ineficiência econômica estão muitas vezes relacionadas”, disse.

Na entrevista, também evitou “polemizar” declarações de que haveria interesses estrangeiros e partidaristas na Operação. Ele não comentou “casos específicos”, como um possível pedido de prisão do ex-presidente Lula, nem sobre afastamento da PF das delações da Lava Jato.

“Existe essa crítica de que a Lava Jato é partidária porque atingiria só membros do PP, PT e PMDB. Mas existe uma razão para que isso tenha ocorrido. Essa razão é a forma como os crimes se desenvolveram”, afirmou. Dallagnol ressaltou que a investigação se debruçou por um largo momento sobre os crimes praticados na Petrobras e quem estava à frente da estatal eram pessoas indicadas pelo “partido no poder”.

“A investigação continua evoluindo e é possível e até provável que as outras frentes que estão se desenvolvendo revelem crimes praticados por uma série de outros partidos que até então não estavam implicados”, disse. “Se o STF decidir que esses casos devam ser investigados aqui em Curitiba, o tratamento que vamos dar será idêntico ao dado aos outros casos”, acrescentou.

Sobre as dez medidas contra corrupção propostas pelo MPF e rejeitadas no Congresso Nacional, Dallagnol disse que, caso voltem à Câmara, acredita-se “que as medidas poderão ser reavaliadas com mais calma e profundidade. Sobretudo considerando que quando elas tramitaram na comissão especial, elas foram aprovadas na sua maior parte”.

*Com O POVO Online aqui.

ONG latino-americana reprova declarações de titular da SSPDS

187 1

Fortaleza, 28 de janeiro de 2017. Coletiva de apresentaçã dos acusados da morte do cabo da policia militar Francisco Arlindo da Silva Viena Filho. na foto: Andre Costa, secretário de segurança

Secretário André Costa

O Instituto Latino-Americano sobre Direito, Política e Democracia manda para o Blog nota onde traz críticas à recente declaração do secretário da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará, André Costa. Durante coletiva sobre a prisão de dois suspeitos da morte do policial Francisco Arlindo, o titular da SSPDS chegou dizer que dava duas opções para bandido armado: Justiça ou cemitério. Confira:

O Instituto Latino-Americano de Direito, Política e Democracia vem a público manifestar sua inteira divergência com as palavras do Secretário de Segurança Pública, André Costa, divulgadas pelos meios de comunicação do Estado do Ceará, desde sua posse no cargo de titular da Segurança Pública estadual. Causa surpresa e necessária indignação que servidor do sistema de segurança pública expresse tão obtusa visão sobre combate à criminalidade, suas raízes e formas de enfrentamento.

O Agente Público, ao invés de explicar uma eventual descontextualização de sua fala ou pedir desculpas por um mal entendido, ficou silente após as diversas críticas apresentadas, e procurou apenas divulgar outro foco de autuação da segurança pública, a apresentar à sociedade outros argumentos que legitimam a atividade policial no Estado, o que deixa claro a manutenção de seu controvertido posicionamento.

As palavras do Sr. André Costa provocam desesperança em todos que esperam ver os conflitos característicos da democracia resolvidos no âmbito da institucionalidade democrática. Causam desesperança porque se assiste que a concepção do Estado em responder à criminalidade com a mesma intolerância e violência parece ter-se instalado na administração da segurança pública estadual.

Preservar a democracia e os direitos humanos não significa defender criminosos, tampouco o crime: traduz a visão civilizatória de que problemas da violência podem e devem ser resolvidos a partir de ações conjuntas do mesmo Estado, na qual a política de segurança pública dotada de noções democráticas deve ser o norte desta mesma ação estatal. Esquece o Secretário da Segurança Pública a advertência da história de que miséria e pobreza jamais foram escolas da razão.

O Instituto Latino-Americano de Estudos sobre Direito, Política e Democracia possui em seus quadros advogadas e advogados, filósofas e filósofos, jornalistas, médicas e médicos, sociólogas e sociólogos, pesquisadoras e pesquisadores, estudantes a dedicarem-se em suas atribuições profissionais a estudos de democracia e violência. As falas públicas do Sr. Secretário da Segurança Pública revestem-se de especial afronta à democracia e aos direitos humanos num momento em que a intolerância, em todas as suas formas, avança no Brasil e em outros países. Também por esta razão, merecem reprovação dos que procuram, com suas atividades, construir espaços sociais sobretudos justos e tolerantes.

Fortaleza, fevereiro de 2017.

Prefeito Roberto Cláudio e Águeda Muniz vão à Jucec

FORTALEZA, CE, BRASIL, 30-10-2015: Roberto Cláudio, prefeito de Fortaleza. Prefeito Roberto Cláudio, se reúne com corretores da Construção Civil, promovido pela Lopes Immobilis, para discutir o Plano Diretor da Cidade. (Foto: Mauri Melo/O POVO) *** Local Caption *** Publicada em 31/12/2015 - CD 02

Com o tema ‘O papel da Administração Municipal no Processo de Registro Mercantil”, a Junta Comercial do Ceará realizará, na próxima terça-feira, a partir das 9 horas, no auditório da Sefaz (Centro), o IV Ciclo de Conversas Café de Negócios.

Os convidados são o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, e a secretaria municipal do Meio Ambiente e Urbanismo, Águeda Muniz. O encontro é aberto ao público, direcionado aos gestores e secretários municipais, servidores, empresários e categoria contábil.

O Ciclo de Conversas Café de Negócios objetiva promover a interação entre a Junta Comercial e as entidades e/ou profissionais envolvidos com a atividade empresarial. Nessa edição, as mudanças e cenários na relação do empreendedor com o sistema de registro mercantil, trará também as novidades relacionadas à integração da Seuma à RedeSimples, recentemente.

Corregedoria de Presídios do Ceará arquiva 1.930 processos em um ano

prisao_intra

Durante o período de janeiro de 2016 a janeiro deste ano, a Corregedoria de Presídios de Fortaleza arquivou 1.930 processos administrativos, informa a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça do Ceará. Esses processos são referentes a pedidos de ingressos de presos de delegacias em presídios, de presos do Interior do Estado para o Hospital de Custódia, permissão de saída para tirar documentos e atendimento médico, além de pedido de escolta de presos para oitiva em delegacias. Quando o juiz Cézar Belmino assumiu o órgão, no início do ano passado, haviam cerca de 347 processos a serem analisados. Atualmente, o acervo está em apenas 20.

Neste mesmo período, foram distribuídos 1.950 processos. Além disso, foram proferidos 1.535 despachos e 1.646 decisões interlocutórias. Também foram expedidas 11 portarias acerca de fluxo de presos dentro do sistema prisional, interdição de unidades (em face do excedente dos apenados ou em decorrência da estrutura física), determinação de reformas e regulação da realização de exames médicos e psicossocial nos presídios.

Durante a sua gestão, o magistrado afirmou que houve uma integração com instituições que compõem o sistema de Justiça, dentre as quais o Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Prisional, os Juízos de Execução Penal de Fortaleza, Ministério Público, Defensoria Pública, Ordem dos Advogados do Brasil e Poder Executivo estadual.

Segundo o juiz “a integração das instituições que compõem o sistema de Justiça é de fundamental importância para a solução da questão carcerária, pois em conjunto encontramos soluções para a pacificação do sistema prisional por meio de mecanismos socializadores e, em consequência, contribuímos para com a segurança pública”.

O corregedor ressaltou ainda que durante a sua atuação houve uma diminuição significativa do número de presos em delegacias. Em maio de 2016, 1.600 pessoas se encontravam nessa situação. Atualmente, o número está em cerca de 90 presos, com exceção dos que ainda passarão por audiência de custódia.

“Não compete à autoridade policial a custódia permanente do preso, mas sim a um sistema prisional, composto por um quadro administrativo e operacional formado por agentes prisionais concursados. Além disso, a transferência de presos de delegacias de polícia para um sistema prisional possibilita, ao preso, o recebimento de visita e alimentação regular, dentre outros direitos previstos na Lei de Execução Penal”, afirmou o juiz.

O magistrado destacou também a importância da Polícia Militar e do Grupo de Apoio Especial (Gape) durante as rebeliões em maio do passado, “pois, contiveram a tensão dentro das unidades prisionais com profissionalismo e responsabilidade, preservando a integridade física dos agentes prisionais, dos presos e de seus familiares”.

TCM precisou acabar para começar de fato

Em artigo no O POVO deste sábado (4), o jornalista Carlos Mazza aponta a “surpreendente eficiência” do TCM, após a PEC que chegou a extinguir o órgão. Confira:

Mantido hoje à base de liminar da Justiça, o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) teve atuação exemplar em janeiro. Nas últimas semanas, o órgão apertou cerco contra prefeitos irregulares, abriu fiscalizações especiais sobre o Carnaval e anunciou dado alarmante, cravando irregularidades em até 72% das licitações de 2016.

É digno de nota empenho da nova gestão, tocada pelo conselheiro Domingos Filho, nas medidas. Uma pena, no entanto, que precisou de uma PEC extinguindo a Corte para que ela se reencontrasse. Se a polêmica segue, o desfecho, infelizmente, é previsível: se governo e deputados querem, não há quem impeça o fim da Corte. Entre novas PECs e advogados caros, o arsenal disponível é inesgotável.

Para quem acompanha a Corte há algum tempo, no entanto, a eficiência é surpreendente. Nos últimos anos, o TCM tem sido associado a questões mais “controversas”. Em 2014, o Tribunal adotou a prescrição de contas. Até julho passado, mais de 1,8 mil processos prescreveram.

Em muitos dos processos extintos, havia previsão de prejuízo ao erário – o que tornaria as contas, segundo a Constituição, imprescritíveis. Tal ponto foi inúmeras vezes apontado por técnicos, Ministério Público de Contas e pelo conselheiro Pedro Ângelo, sem adesão do pleno. Em milhares de casos, prevaleceu uma inexplicável negligência com potenciais desviadores e desvios.

Já em 2015, passou a vigorar nova estratégia para “limpar” fichas de prefeitos. Dessa vez, o TCM passou a rever antigos pareceres enviados a Câmaras Municipais. Aceitando recursos mesmo depois que o parlamento já havia condenado o prefeito, o Tribunal, na prática, livrou gestores da condenação.

Mais uma vez, Pedro Ângelo apontou inconstitucionalidade. Ironicamente, os dois expedientes acima são questionados na Justiça por Heitor Férrer, autor da emenda que extingue o TCM. Já conselheiros que hoje surgem aliados do controle rígido, por outro lado, fizeram vista grossa.

A extinção do TCM é um absurdo. Tudo por conta do corpo técnico competentíssimo e pela forma em que se deu – eivada da mesma politicagem que compromete o órgão. Iniciativa de Heitor até agora tem sido produtiva. Da forma incansável com que a Corte vem trabalhando desde o início do impasse, era o caso de se perguntar por que alguém não apresentou essa PEC antes.

PEC da Previdência – Câmara dos Deputados priorizará a matéria neste começo de ano

A primeira semana de trabalhos legislativos da Câmara neste ano terá como ponto central a criação e instalação da comissão especial destinada a analisar o mérito da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287, que trata da reforma da Previdência Social. O ato de criação da comissão deverá ser lido em sessão plenária da Casa na segunda-feira (5) ou na terça-feira (6). A partir daí, os líderes partidários farão a indicação dos deputados para compor a comissão, que deverá ser instalada na quarta-feira (7) ou na quinta-feira(8).

A comissão especial será composta, de acordo com a regra da proporcionalidade das bancadas ou blocos, por 36 deputados. Com isso, a maioria dos integrantes será de aliados do governo. A comissão terá até 40 sessões plenárias da Câmara para debater a matéria, de modo que ela seja levada para votação, em dois turnos, no plenário da Casa.

Aprovada, será imediatamente encaminhada à apreciação do Senado. No entanto, o relator da PEC poderá apresentar parecer à matéria na décima primeira reunião, a fim de que ela seja aprovada e levada a plenário.

Mesmo com a possibilidade da votação ocorrer a partir da décima primeira sessão, o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), garantiu que não haverá prejuízo dos debates e da transparência. O relator da PEC será o deputado Arthur de Oliveira Maia (PPS-BA). O deputado Sérgio Zveiter (PMDB-RJ) já foi escolhido para presidir a comissão.

Além da comissão especial da Previdência, a Câmara terá sessões deliberativas a partir de terça-feira (6). A pauta prevê a apreciação de 15 requerimentos – a maioria para votação de projetos em regime de urgência – 11 projetos de lei e duas PECs.

Entre os requerimentos, um é para votação em regime de urgência do projeto 442/1991, que dispõe sobre a legalização do jogo do bicho (Marco Regulatório dos Jogos no Brasil). Outro é para votação em regime de urgência do Projeto de Lei 2.289, de 2015, do Senado Federal, que prorroga o prazo para disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos de que trata a Lei 12.305/2010.

Oss projetos da pauta da próxima tratam da criação do Fundo Nacional de Enfrentamento à Violência Contra as Mulheres (PL º7.371/14 do Senado), estabelece o sistema de garantia de direitos de crianças e adolescentes vítimas e testemunhas de violência (PL 3.792/15) e dispõe sobre a proibição da eliminação de cães e gatos pelos órgãos de controle de zoonoses, canis públicos e estabelecimentos oficiais congêneres (PL 3.490-C/12)

As PEC que estão na pauta e podem ser votadas são a 209- C/12, em segundo turno, que atribui requisito de admissibilidade ao recurso especial no âmbito do STJ (PEC da relevância das questões de direito infraconstitucional) e primeiro turno de votação da PEC 504-A/10, que inclui o Cerrado e a Caatinga entre os biomas considerados patrimônio nacional.

(Agência Brasil)

Ato ecumênico lembra dona Marisa Letícia

 

luiz2

A Frente Brasil Popular, o Movimento Mulheres com Dilma e o PT realizaram, nesta manhã de sábado, no Passeio Público, um ato ecumênico em memória da ex-primeira-dama do País, dona Marisa Letícia. Ela teve a morte confirmada na última sexta-feira, 3, em decorrência de um Acidente Vascular Cerebral.

O padre Ermano Allegri e um pastor evangélico comandaram o ato  e lamentaram a “onda de ódio” que se alastra pelo País nas redes sociais desde a notícia do AVC sofrido pela esposa do ex-presidente Lula e que se intensificou após a confirmação da morte.

A deputada federal Luizianne Lins (PT) ocupou o microfone no ato, ao lado do presidente estadual do PT, De Assis Diniz. Também compareceu o ex-vereador Ronivaldo Maia (PT).  Gritos de “Marisa presente!” e orações em torno do nome da ex-primeira-dama marcaram o encontro.

luizz

(Fotos – Divulgação)

Novo patamar da disputa pelo poder

Da Coluna Política, no O POVO deste sábado (4), pelo jornalista Érico Firmo:

A briga por poder no Ceará a cada dia alcança novos patamares. A extinção do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) foi aprovada, em dezembro, como sinalização da hegemonia total do grupo Ferreira Gomes sobre o Ceará. Incomodados com o ex-aliado que os confrontou, eles partiram para a retaliação. Controlam o Executivo e o Legislativo do Estado. Quiseram mostrar que, dentro das divisas cearenses, mandam eles e obedece quem tem juízo. Como têm maioria para tal, atropelaram qualquer resistência e tomaram medida extrema. Sem hesitar, extinguiram o órgão que se tornara bastião de um poderoso opositor.

Ocorre que hoje, no Brasil, o PMDB pode mais. Camilo Santana (PT) e os Ferreira Gomes controlam o Ceará, mas em Brasília quem manda são os peemedebistas. E o líder opositor cearense, Eunício Oliveira (PMDB), jamais pôde tanto em Brasília.

Nem bem tomou posse como presidente do Senado, executou gesto voltado para a disputa de poder local. O primeiro projeto de que se tomou notícia do agora presidente do Senado no cargo voltou-se à disputa política no Ceará. Busca justamente impedir a articulação de deputados cearenses para acabar com o TCM. Os aliados dos Ferreira Gomes decidiram levar adiante uma briga de poder que talvez não tenham cacife para ganhar.

Os atos dos dois grupos políticos são distorções. União entre casuísmo e demonstrações do poder de que dispõem. As forças que governam o Ceará não aprovaram o fim do TCM por acreditarem que o melhor é unificar os tribunais de contas. Em nenhum momento a economia e a melhor forma de controle das contas públicas lhes passou pela cabeça. Aprovaram a emenda à Constituição porque têm maioria e poder para tal. E tiveram objetivo unicamente de tirar o instrumento de poder do aliado. Simples assim.

Da mesma maneira, o PMDB cearense reagiu em Brasília porque não tem como se contrapor à supremacia do grupo governista no Ceará. Levaram a briga, então, ao espaço que controlam. As decisões federais se sobrepõem a locais. E lá o partido de Eunício Oliveira dá as cartas. Ele assumiu a presidência do Congresso Nacional, seu partido tem maioria nas duas casas, tem a presidência da República, o controle da agenda legislativa. Em suma, os Ferreira Gomes compraram briga com alguém que, hoje, pode muito mais que eles. O grupo que comanda o Ceará pode dar com os burros n’água na batalha que encampou.

Para o interesse público, tudo isso é lamentável. Os dois grupos dão mostras de não conhecerem limites, de estarem dispostos a qualquer coisa na luta por poder. Mexem de todo jeito na Constituição Estadual e também na Federal, unicamente pautados pelos mais rasteiros interesses de ocasião. Papelão de parte a parte. Quem perde, com qualquer desfecho, é a fiscalização das contas públicas.

Dilma, governadores e ex-ministros participam do velório de dona Marisa Letícia

foto-lula-e-dilma-velorio-170204

A ex-presidenta da República, Dilma Rousseff, se despediu da ex-primeira dama Marisa Letícia Lula da Silva neste sábado (4). Dilma chegou ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo Campo, onde ocorre o velório de dona Marisa, por volta das 11h30. Ela cumprimentou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e permaneceu ao lado do caixão recebendo abraços de populares.

Também estiveram no velório para se solidarizar com o ex-presidente Lula e manifestar pesar à família os governadores do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, e de Minas Gerias, Fernando Pimentel, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), além de ex-ministros da gestão de Lula na Presidência da República, como Luiz Dulci, Luiz Marinho, Gilberto Carvalho e Paulo Vannuchi. O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, e os ex-ministros da gestão de Dilma Rousseff, Juca Ferreira e Aloizio Mercadante também prestaram solidariedade ao ex-presidente.

Iniciado às 9h apenas para familiares, o velório foi aberto ao público por volta das 10h20. Ao meio dia, uma fila de mais de 700 pessoas esperava para se despedir de dona Marisa Letícia e cumprimentar Lula. O ex-presidente permaneceu até por volta das 12h40 ao lado do caixão recebendo abraços dos populares que vieram ao velório. Depois disso, foi descansar em uma sala reservada.

Para Lindbergh Farias, a enfermidade que acabou por matar Marisa Letícia tem ligação com a “campanha” negativa contra a família do ex-presidente.

(Agência Brasil)

Vem aí o filme “Assalto ao Banco Central – II”

assalotto

Ator Tonico Pereira.

Sucesso de bilheteria em 2011, “Assalto ao Banco Central” finalmente vai ganhar a prometida sequência. A continuação será filmada no Brasil e na Argentina.

*Mais sobre o primeiro filme aqui.

DETALHE – O filme foi baseado na série de reportagens feitas por O POVO e que deu aos jornalistas Cláudio Ribeiro, Demitri Túlio e Flávio Pinto (com participação de repórteres, entre os quais este do Blog), o Prêmio Esso de Jornalismo.

José Pimentel deve uma a Eunício Oliveira

unnamed-21-625x414

Eunício, Tasso e Pimentel. Juntos chegaram lá…

Na véspera da eleição da Mesa Diretora do Senado, as excelências andavam desconfiadas até da própria sombra. Embora um acordo assegurasse a primeira secretaria a José Pimentel, nada o convencia de que deveria relaxar. E tinha razão, segundo informa a Coluna Radar, da Veja Online.

Ele ligou para os colegas pedindo apoio e, numa dessas conversas, descobriu que o alagoano Benedito de Lira iria espanar o que estava acertado e disputar a cadeira. Por pouco, o caldo não entornou e encharcou as pretensões do PT de ocupar uma vaguinha na Mesa.

A pendenga só foi resolvida depois que o agora presidente, Eunício Oliveira, entrou o circuito e garantiu o espaço ao petista.

Ceará X Ferroviário – Juizado do Torcedor está escalado

mota2

Mota, ex-Ceará, pega seu ex-clube pela primeira vez.

O Juizado do Torcedor atuará neste sábado (04/02), durante o jogo entre Ceará e Ferroviário, pela 1ª fase do Campeonato Cearense. A partida está marcada para 21h, na Arena Castelão. O plantão ficará a cargo do juiz Edison Feitosa dos Santos Filho, juiz do 6º Juizado auxiliar de Fortaleza.

O atendimento durante o plantão é voltado para casos de menor potencial ofensivo e menos complexos, previstos no Estatuto do Torcedor e na Lei dos Juizados Especiais. O Juizado do Torcedor foi instituído pela Diretoria do Fórum Clóvis Beviláqua (Portaria nº 01/2012), que levou em consideração os vários conflitos entre torcidas e clubes, antes, durante e depois das atividades esportivas.

(Site do TJ/CE)

“Médicos Pela Democracia” Grupo repudia ato de colegas de São Paulo no caso Marisa Letícia

200 1

O Movimento “Médicos Pela Democracia” manda nota para o Blog em defesa da ética e humanismo na Medicina e m repúdio “a atitudes intolerantes e agressivas de colegas médicos relativas ao padecimento, agonia e morte de Dona Marisa Letícia Lula da Silva”. Confira:

NOTA OFICIAL

Nós, Médicos pela Democracia, defendemos que a Medicina seja exercida com ética, humanismo e compaixão ativa no cuidado com o ser humano. Para isto é preciso observar quatro princípios da Bioética: a autonomia, respeitando as escolhas do paciente, sempre que possível, ou da família, quando de sua incapacidade de decidir; beneficência, que se refere à obrigação ética de maximizar o benefício do ato médico e minimizar o prejuízo; não-maleficência, que proíbe infringir dano deliberado, evitando agravos à saúde do paciente; justiça, que é a obrigação ética de tratar cada indivíduo conforme o que é correto e adequado e dar a cada um o que lhe é devido. Temos que observar um quinto princípio fundamental, previsto no Código de Ética Médica-2009: “o médico guardará sigilo a respeito das informações que tenha conhecimento no desempenho de suas funções, com exceção dos casos previstos em Lei”.

Defendemos, portanto, que o exercício da Medicina seja uma celebração à vida, às relações humanas solidárias, numa prática amorosa da compaixão ativa, na busca da superação do sofrimento físico e psíquico das pessoas que suportam agravos à sua saúde.

Por defendermos estes princípios é que, nós Médicos pela Democracia repudiamos veementemente a postura de intolerância, desprezo pela vida e injúria moral por parte de alguns colegas médicos, feitas publicamente em Redes Sociais, ao debochar da cidadã brasileira Marisa Letícia Lula da Silva, esposa do ex-presidente Lula, quando do seu adoecimento grave, agonia e morte. Estes colegas, lamentavelmente, expuseram ideias fascistas, zombaram de uma pessoa em grave sofrimento, sendo que um deles propôs omissão de socorro e conduta lesiva que causaria a morte. Que mal Dona Marisa causou a estes raivosos, desumanos e intolerantes médicos?

Nossa indignação e repúdio às atitudes destes colegas nos faz pedir formalmente ao Conselho Regional de Medicina de São Paulo para iniciar imediatamente processo ético contra estes colegas, por infração ao Código de Ética Médica, assegurando o direito de ampla defesa:

1 – G.A.M. – Reumatologista do H. Sírio Libanês – por divulgar dados sigilosos
2 – P.P.S.F – por repercutir informações de G.A.M. e divulgar Tomografia comentada que seria de Dona Marisa
3 – R.F.H. – Neurocirurgião que propôs “romper o procedimento. Daí já abre a pupila. E o capeta abraça ela”.
Omitimos os seus nomes por exigência do Código de Ética Médica, que recomenda discrição para que a denúncia seja cabalmente aceita e examinada, mas os três são facilmente identificáveis pelas noticias dos jornais de São Paulo.

Em defesa da Ética, do Humanismo e da Compaixão ativa no exercício da Arte da Medicina
Em defesa de uma sociedade justa, fraterna e de paz!

#SomosTodosPelaVida
#MenosÓdioMaisAmor

*Movimento “Médicos pela Democracia”