Blog do Eliomar

Últimos posts

Fortaleza é sede de Seminário Internacional Mais Infância

Começa nesta quinta-feira (30), a partir das 8 horas, e segue até sexta, 31, o Seminário Internacional Mais Infância Ceará: Criança é Prioridade.

O encontro, que ocorrerá no Centro de Eventos, tem por objetivo de fortalecer a infância e garantir os direitos da criança, o evento reunirá prefeitos, primeiras-damas e secretários da Educação, da Saúde e da Assistência Social do Estado e dos municípios, além de profissionais e entidades que realizam trabalhos em prol da infância.

O evento é realizado pelo Governo do Estado, através do Programa Mais Infância Ceará e tem à frente a primeira-dama do Ceará, Onélia Leite.

Palestrantes internacionais

A palestra magna do seminário será ministrada pela doutora em Medicina, doutora em Saúde Pública e pediatra Mary Young. Atualmente, ela é diretora do Centro de Desenvolvimento Infantil da Fundação de Pesquisa de Desenvolvimento da China e conselheira sênior do Centro de Desenvolvimento da Criança da Universidade de Harvard.

Outra referência é o professor de Economia da Universidade Rice, em Houston, nos Estados Unidos, Flávio Cunha, que fará exposição dialogada sobre a importância do monitoramento e avaliação dos programas e políticas públicas. Ao lado do Nobel James Heckman e de Susanne Schennach, o economista brasileiro é um dos ganhadores da Medalha Frisch de 2014, distinção concedida a cada dois anos pela Sociedade Econométrica – um dos três prêmios mais importantes em economia do mundo.

Já a PhD em Demografia (Princeton University) e professora associada da Harvard T.H. School of Public Health, Márcia Castro, participará de exposição dialogada sobre o desenvolvimento da primeira infância na diversidade e em contextos de vulnerabilidade. As áreas de pesquisa de Márcia Castro incluem os temas como doenças infecciosas; fatores de risco de doenças transmitidas por mosquito (malária, dengue e zika); mortalidade infantil; e desenvolvimento na primeira infância, entre outros.

Experiências da América Latina

A coordenadora nacional do Programa Chile Crece Contigo, a assistente social Jeanet Leguas; a economista e diretora executiva do Programa Cuna Más, do Ministério do Desenvolvimento e Inclusão Social do Peru, Beatriz Salazar, e a economista sênior do Banco Mundial, Rita Almeida, participarão de mesa-redonda com as experiências internacionais de políticas públicas de desenvolvimento infantil na América Latina e a interface com o Programa de Apoio ao Desenvolvimento Infantil (Padin). Jeanet realiza assessoria técnica em trabalho intersetorial em países como Colômbia, Equador, El Salvador, Honduras, Palestina e África do Sul. Já Beatriz é cofundadora do programa Enseña Peru e trabalhou no Banco Interamericano de Desenvolvimento.

Leitor cobra medicamentos para pessoas com diabetes

De Júnior Bastos, leitor do Blog, recebemos nota em que ele denuncia falta de insulina no Centro de Diabetes e Hipertensão do Estado e nos postos de saúde do municípios. Confira:

Caro Eliomar de Lima,

Venho pedir encarecidamente que o Sr. faça um pedido de explicação ao prefeito Roberto Claudio ou ao governador Camilo Santana. Cito os dois, pois eles sempre alegam que o problema é da responsabilidade de um ou do outro. E o problema?

1º A FALTA DE INSULINA CANETA INJETORA NO CENTRO DIABÉTICO E NOS POSTO DE SAÚDE QUE ENTREGAM ESSE MATERIAL;

2º A ENTREGA DAS AGULHAS PARA AS INSULINAS TIPO CANETAS TAMBÉM ESTÃO EM FALTA.

3º E POR QUE ELES ESTÃO INDO CONTRA A JUSTIÇA, JÁ QUE ELA AUTORIZOU A ENTREGA DO MEDICAMENTO?

DETALHE – Há um Ação Civil Pública ajuizada pelo Ministério Público Federal do Ceará (MPF-CE) e julgada pela Justiça Federal garantindo às crianças e adolescentes portadores de diabetes mellitus tipo 1 tratamento pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e o direito aos medicamentos gratuitos como insulinas Glargina (Lantus), Determir (Levemir), Lispro (Humalog) e Aspart (Novorapid). Também a distribuição de canetas aplicadoras de insulina e de agulhas de cinco milímetros de cumprimento.

Atenciosamente,
Junior Bastos

Chico Lopes joga a toalha e diz que Temer cumpre o mandato até o fim

“Podem fazer de tudo, mas o Temer vai ficar no governo até o fim”, afirma o deputado federal Chico Lopes (PCdoB), ao ser indagado sobre possível cassação da chapa Dilma-Temer.

Ele diz que Temer permanecerá no Planalto, porque conta com o apoio da elite e da grande mídia. As reformas que ele quer tocar à frente do governo são, segundo Lopes, do interesse do grande capital.

IJF – 2 – Obras estão dentro do cronograma, garante Prefeitura

800 1

A Secretaria Municipal de Infraestrutura iniciou as obras de concretagem do subsolo 1 do novo IJF 2. As obras de fundação já estão 95% concluídas e a concretagem do subsolo 2 também já está em fase de conclusão, informa a assessoria do órgão. Os subsolos abrigarão os estacionamentos da nova parte do Instituto Dr. José Frota.

“Depois da fundação, as pessoas vão ver efetivamente o prédio saindo do térreo e terão a sensação real do andamento da obra”, avisa a secretaria Manuela Nogueira, adiantando que as obras do IJF2 estão dentro do cronograma inicial, com previsão de entrega no primeiro semestre de 2018. Tudo começou em abril de 2016.

Quando concluída a intervenção, o novo prédio aumentará em 50% a capacidade de internamento. O investimento gira em torno de R$ 74 milhões em equipamentos e na construção, além dos recursos envolvidos na manutenção.

(Foto – Divulgação)

 

Ministério da Fazenda diz que não há como cumprir metal fiscal sem aumentar impostos

Sem aumentar impostos, o governo terminaria 2017 com despesas na área de saúde e educação comprometidas para conseguir cumprir a meta fiscal. A avaliação é da Secretaria de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda. Na última semana, o governo informou que o rombo no orçamento para conseguir cumprir a meta fiscal deste ano é R$ 58,1 bilhões. A meta é de déficit primário (despesas maiores que as receitas, sem considerar os juros) de R$ 139 bilhões.

No relatório, a secretaria explica que não é possível fazer o corte do tamanho do rombo. “Primeiro, a despesa passível de contingenciamento [bloqueio das dotações orçamentárias] é apenas a chamada despesa discricionária. As despesas obrigatórias (pagamento de pessoal ativo e inativo, despesas previdenciárias, entre outras) não são passiveis de corte”, diz o relatório.

Acrescenta que as despesas discricionárias também não são totalmente contingenciáveis, “pois, mais da metade delas é executada com as funções saúde e educação, sujeitas ao mínimo constitucional”.

“Em alguns casos, como o ocorrido no início de 2016, um contingenciamento muito grande não é possível, sob pena de levar a atrasos de pagamentos e/ou afetar a qualidade de oferta dos serviços públicos. É justamente por isso que o governo federal vem se empenhando em reformas constitucionais, como a do teto do gasto e a da Previdência, para viabilizar a redução permanente de despesas obrigatórias ao longo dos próximos anos”, acrescentou a Secretaria de Acompanhamento Econômico.

ebc 

Insuficiência orçamentária

Ela informou, também, que, se o corte de despesas for feito do tamanho da insuficiência orçamentária, seriam eliminados 61% dos gastos discricionários. “Na prática, esse montante significaria a impossibilidade de o governo federal terminar o ano fiscal de 2017 sem comprometer despesas importantes nas áreas de saúde e educação”.

No relatório, a secretaria cita despesas com controle de fluxo e algumas obrigatórias como o Programa Bolsa Família, cujo pagamento não pode ser interrompido, e outras discricionárias, como os investimentos e pagamento das despesas com água e luz de hospitais e universidades.

“No orçamento de 2017, as despesas com controle de fluxo somavam R$ 274,4 bilhões, sendo que R$ 126,4 bilhões não são passíveis de contingenciamento por envolverem recursos obrigatórios para áreas de saúde e educação. Nas despesas discricionárias, estão os gastos passíveis de avaliação para contingenciamento, que totalizam R$ 147,9 bilhões, incluindo despesas de custeio e de investimento”, diz o documento.

No entanto, nem todos os gastos discricionários contidos nos R$ 147,9 bilhões podem ser contingenciados, diz a secretaria. Isso acontece porque a Emenda Constitucional nº 86/2015 obrigou que as despesas discricionárias decorrentes de Emenda Individual dos parlamentares sejam executadas no limite de 1,2% da Receita Corrente Líquida (RLC).

Emendas de Bancada

“Adicionalmente, a partir da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2016, foram estabelecidas obrigatoriedades para a execução também das Emendas de Bancada, o que limitou ainda mais o já reduzido espaço para cortes da despesa. No orçamento de 2017, as bancadas estaduais, representadas no Congresso Nacional, puderam apresentar emendas impositivas no valor de R$ 225 milhões por Estado, que correspondeu a 0,8% da RCL”, diz.

“Assim, se excluirmos das despesas discricionárias as despesas do PAC [Programa de Aceleração do Crescimento], as emendas individuais e as de bancadas de execução obrigatória, o conjunto de despesas passíveis de contingenciamento se reduz para R$ 96 bilhões. Em outras palavras, apenas 7% da despesa primária aprovada na LOA [Lei Orçamentária Anual] 2017 podem ser contingenciados”.

No documento, a Secretaria de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda calcula que, ao se retirar as funções saúde e educação, restam apenas R$ 36 bilhões de despesas de custeio passíveis de contingenciamento, abaixo do valor necessário.

“Assim, não há como o governo federal cortar R$ 58,1 bilhões de sua despesa em 2017 sem prejudicar despesas importantes para o funcionamento do Estado brasileiro, a exemplo do investimento em penitenciárias e de gastos para o funcionamento da Polícia Federal e para o combate à seca”, argumenta.

Carga tributária é alta

A secretaria reconhece que a carga tributária no Brasil é alta, “muito acima da média da América Latina”. Mas o governo explica que perdeu 1,9% das receitas, entre 2011 e 2016, com desonerações, expansão de regimes especiais de tributação e recessão econômica, cálculo feito sem considerar os recursos vindos da regularização de recursos no exterior (Lei da Repatriação).

“Além do controle da despesa, o governo federal está submetido também a metas de resultado primário, e não há como cumprir essa meta este ano apenas pelo corte de despesas discricionárias. Como já destacado, 93% da despesa primária aprovada neste ano não são passíveis de corte. Assim, o cumprimento da meta de déficit primário de R$ 139 bilhões este ano exigirá medidas de aumento da receita”, finalizou.

(Agência Brasil)

“Por menores” – Erick Bruno comenta expectativas da rodada final do Campeonato Cearense

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=JhhjHiK8rQQ[/embedyt]

O jornalista Erick Bruno espera bons jogos nas últimas rodadas do Campeonato Cearense de Futebol.

Ele faz uma avaliação do desempenho dos quatro sem-finalistas (Ceará, Fortaleza, Ferroviário e Guarani de Juazeiro), projeções e, principalmente, torce para que ressuscite um detalhe fundamental que faltou nos últimos jogos:  bom público.

Há vagões de trem abandonadas à beira da CE – 240. Transnordestina promete solução

Quem passa pela CE-240, entre Sobral e Miraíma, vislumbra cenário nada compatível com o meio ambiente: vagões de trem da Companhia Ferroviária Nacional (CFN) abandonados à beira da estrada.

Um absurdo que isso ocorra com aquilo que foi um dia um patrimônio caro e que tinha serventia.

Sobre o caso, a Ferrovia Transnordestina Logística, hoje respondendo pelo setor, informa que esses vagões permaneceram no local devido a uma ocorrência ferroviária com um trem de cargas da FTL no início do mês.

Adianta que, na ocasião, foi necessário realizar o transbordo da carga (cimento ensacado) e que não houve danos, exceto aos próprios vagões. Informa que a retirada ocorrerá até o próximo dia 31, quando haverá possibilidade de realizar essa operação sem impacto na circulação da ferrovia.

Após serviços de manutenção, os vagões voltarão a circular normalmente com os produtos transportados pela FTL, promete a empresa.

(Foto – Facebook)

MEC libera verba do Fundeb para o Ceará

O Ministério da Educação (MEC) está repassado R$ 918,97 milhões referentes à parcela de março da complementação ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). De acordo com a pasta, desse total, R$ 91,89 milhões serão usados para completar o piso dos professores.

Neste ano, o piso nacional foi reajustado em 7,64% em relação a 2016. Hoje o piso nacional do magistério é R$ 2.298,80, para os que cumprem carga horária mínima de 40 horas semanais e que tenham formação em nível médio (modalidade curso normal). Segundo o MEC, o dinheiro, repassado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), estará nas contas correntes dos estados e municípios beneficiários.

Fundeb

O Fundeb é a principal fonte de financiamento da educação básica pública no país, formado por percentuais de diversos tributos e transferências constitucionais. São exemplos, os impostos sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA).

Pela Lei 11.494/2007, que regulamenta o fundo, a União deve repassar a complementação aos entes federados que não alcançam com a própria arrecadação o valor mínimo nacional por aluno, estabelecido anualmente. Atualmente, ele é R$ 2.875,03. Entre os estados, são nove os atendidos: Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco e Piauí.

Edição: Valéria Aguiar

Temer já admite negociar pontos da Reforma da Previdência

O presidente Michel Temer disse hoje (29) que questões como a dos trabalhadores rurais e de pessoas com deficiência podem ainda ser negociadas para a aprovação da reforma da Previdência. Em discurso na abertura da 10ª conferência do Bank of America Merrill Lynch, em São Paulo, ele afirmou que se a reforma não for feita agora, terá de ser feita daqui a três anos. Caso contrário, acrescentou, “em sete anos paralisamos o Brasil”.

“Precisamos aproveitar este momento de apoio do Congresso Nacional para fazer essa reforma. A reforma não prejudicará ninguém. A questão dos trabalhadores rurais, a questão dos deficientes, eu compreendo, e nós podemos ainda negociar, de modo a aprovar a reforma”, disse Temer.

Segundo ele, todos os estudos estatísticos mostram que se não houver reformulação previdenciária, em 2024 o país só terá verbas para pagar servidores públicos. “Estamos fazendo regras de transição que permitam que, muito brevemente, as finanças públicas possam estar mais equilibradas e que não possam gerar o que ocorreu na Grécia, em Portugal, na Espanha e na França, que tiveram de reduzir valores de aposentadorias e de salários de servidores”.

O presidente disse ainda que, nesse contexto, a “interlocução plena” que seu governo tem com o Congresso Nacional será fundamental para a aprovação da matéria.

(Agência Brasil)

As Águas de Março e a Fortaleza despreparada

Com o título “Águas de março”, eis artigo de José Borzacchiello, geógrafo e professor emérito da Universidade Federal do Ceará. Ele comemora a maravilha das chuvas, mas lamenta tantos problemas recorrentes em Fortaleza. Confira:

Águas de março são sempre bem-vindas. Embebem o solo, devolvem a fertilidade e deixam-nos radiantes diante do verde exuberante compondo a paisagem urbana. Benditas as águas que lavam as folhas das árvores tornando-as reluzentes e cintilantes, limpam as telhas e formam uma cortina d’água, convite permanente para um “banho de bica”, relembrando passagens da infância. As chuvas trazem alegria, matam a sede. As plantas vicejam e florescem e formam canteiros em lugares inusitados. Como num passe de mágica, o que parecia sucumbido sob aridez da seca retorna e brota com força recobrindo areais com mantos verdes de vegetação.

Voltam as borboletas, os pássaros, tudo pulsa. Bem-vindas as “Águas de março” do relicário de Tom Jobim, trazendo “promessas de vida”. “Planeta Água”, de Guilherme Arantes, empresta um tom de correnteza tranquila, desfazendo e fazendo a natureza em seu movimento. Essas águas ansiosamente aguardadas, saudadas quando chegam revivem os riachos, correm pelos cantos das vias. Quando o céu acinzentado prenuncia sua chegada, o fim de um longo período seco é festejado.

Fortaleza fica mais bonita quando das primeiras chuvas. Água fonte de festa e alegria também gera o medo, provoca temor. Rapidamente os rios da Cidade se avolumam e devolvem as áreas de risco, há muito ausentes da mídia. Inundações, asfalto destruído, congestionamentos, prejuízos. Fortaleza mostra-se despreparada para essa fonte de encantamento de seu povo. As obras viárias pretensamente construídas para resolver problemas não atendem as expectativas. Túneis inundados, veículos carregados pela força das águas. Na periferia, o lixo acumulado é carregado pelas torrentes, convertendo-se em vetores de doenças.

As águas de março criam paisagens desoladoras. Nesse período cenas reveladoras da injustiça social e ambiental mostram uma cidade que ultrapassa os limites dos cartões-postais. A cidade sofisticada da publicidade não dá as caras para aquelas bandas onde reside a maioria da população. As águas de março chegam e contraditoriamente trazem desespero para os adultos das áreas desprovidas de infraestrutura e oferecem opção de lazer para a criançada carente. Desconhecendo os efeitos maléficos das águas misturadas ao lixo e às valas e aos esgotos a céu aberto, elas fazem a festa. Nos noticiários relatos de residências inundadas, móveis perdidos, colchões e sofás molhados, comprometimento das instalações elétricas, um drama que parece não mais sensibilizar as autoridades.

As cheias e inundações foram naturalizadas. Tem-se a impressão de que a mídia passa para a sociedade a ideia de que cheias, inundações, perdas e prejuízos se inseriram no calendário de eventos da Cidade. É um absurdo!

As águas de março chegam sempre. Já era tempo de aprender com elas. Não adianta mais “vaiar o sol”. As chuvas do começo do ano trazem uma pedagogia. As águas desenham caminhos e percursos, acumulam-se em determinados locais. Na medida em que a Cidade despreza os mapas traçados pelas águas, maior o sofrimento de seu povo.

José Borzacchiello da Silva

borzajose@gmail.com

Geógrafo e professor emérito da Universidade Federal do Ceará.

Vai pro Currículo – Como prefeito em exercício, Moroni vai entregar uma quadra esportiva na Paupina

190 1

O prefeito em exercício Moroni Torgan (DEM) não vai ficar esquentando a poltrona do titular. Nesta quinta-feira, às 16 horas, ele vai entregar, com a secretária da Educação de Fortaleza, Dalila Saldanha, a nova quadra poliesportiva da Escola Municipal Cônego Francisco Pereira da Silva, no bairro Paupina. Será a 15ª quadra entregue na gestão Roberto Cláudio.

O equipamento, que faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), recebeu investimento total de R$ 707.315,57, oriundos de recursos federal e municipal. Possui área de 980,4m² e irá dispor de coberta, dois vestiários, depósito, arquibancada e iluminação adequada.

Moroni, segundo seus assessores, já vive fortes emoções.

Ovos de Páscoa – Procon Fortaleza divulga pesquisa de preços nos supermercados

O Procon alerta que sejam observadas a data de validade e as embalagens sem amassos ou furos e produtos lacrados. Já os ovos de chocolate acompanhados de brinquedos infantis, devem conter indicação de idade para uso e a certificação dos selos de qualidade.

O Procon Fortaleza divulga nesta quarta-feira (29/3), a pesquisa com preços dos ovos de chocolate nos supermercados da Capital. A diferença no preço no ovo de chocolate da mesma marca e com o mesmo peso pode chegar a 107,44% entre o estabelecimento mais caro e o mais barato. Na pesquisa, o Procon trouxe uma novidade: ingredientes para fabricação caseira dos ovos de páscoa. O levantamento foi realizado no dia 24 de março em 10 supermercados. À pedido do Procon, a Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis) iniciou, ontem (28/3), a fiscalização nos estabelecimentos que comercializam produtos temáticos da páscoa, como ovos de chocolate, vinhos e peixes.

A pesquisa está dividida em ovos de chocolate convencionais e infantis, de três grandes marcas nacionais (Nestlé, Garoto e Lacta). Os produtos podem variar de preços devido a fatores como peso, marca, público alvo e especificações diversas. Os preços foram coletados, presencialmente, nas gôndolas dos estabelecimentos.

Os chocolates convencionais (voltados ao público adulto) apresentaram as maiores variações. O ovo de chocolate de 375g (Garoto), pode variar 107,44%, indo de R$ 33,59 a R$ 69,68 entre os supermercados visitados. Os ovos de chocolates infantis são os itens que aparecem em segundo lugar com maiores variações. Dois produtos, de 170g (Lacta) apresentaram variação igual, sendo encontrados de R$ 24,29 a R$ 46,99, uma diferença que chega a 93,45%.

SERVIÇO

*Confira a pesquisa completa aqui.

Camilo é anfitrião do Fórum dos Governadores do Nordeste

Seis governadores e o vice-governador de Sergipe vão participar, dentro de instantes, no Palácio da Abolição, da primeira reunião do Fórum dos Governadores do Nordeste.

O encontro discutirá a proposta da reforma da Previdência do governo Temer, que dará seis meses para que todos os Estados adequem seu sistema previdenciário.

Os governadores da Bahia e do Maranhão não apareceram ainda no encontro, que também discutirá a situação hídrica da região e, em especial, a morosidade das obras da transposição das águas do rio São Francisco no Eixo Norte que beneficiará o Ceará.

(Foto – Divulgação)

Deputado cearense viaja para seminário sobre pesca da República Dominicana

Embarca nesta quarta-feira para a República Dominicana o deputado federal José Airton (PT). Na agenda dele, ao lado de um grupo de parlamentares, terá participação num encontro internacional na área da pesca e aquicultura.

José Airton viaja engajado na Frente Parlamentar em Defesa da Pesca.

Boa viagem!

(Foto – Paulo MOska)

Centenário de nascimento de Otacílio Correa será celebrado em Várzea Alegre

A cidade de Várzea Alegre prestará homenagem, nesta quarta-feira (29), à memória do filho ilustre Luiz Otacílio Correia pelo seu centenário de nascimento, que, em vida, foi deputado estadual com atuação voltada para sua cidade e região.

Na vida pública, Otacílio Correia começou como vereador de sua terra natal, cumprindo quatro mandatos que transcorreram de 1947 a 1959. Foram 12 anos como vereador atuante em defesa do desenvolvimento de Várzea Alegre.

Otacílio Correia, que era o presidente da Câmara de Vereadores, chegou a assumir a Prefeitura por dois anos. Depois, conquistou vaga de deputado estadual, assumindo a legislatura por dois mandatos nos períodos de 1978 a 1982 e de 1983 a 1987.

Programação do Centenário 

12 horas – Mesa Redonda na Rádio Cultura de Várzea Alegre
Participantes:
Tibúrcio Bezerra, Luiz Carlos, Dr. Pedro Sátiro, Maria Élia, Luiz Correia, Joaquim Honório, Zé Helder, Carlos Kleber.

16 horas – Sessão Solene de Homenagem na Câmara Municipal de Várzea Alegre

18h30min – Missa em Ação de Graça – Igreja Matriz de São Raimundo Nonato.

CSP quer botar Tasso, Ciro, Cid, Lúcio, Gonzaga Mota, Adauto e Camilo no mesmo vergalhão festivo

Em algum lugar do passado.

A Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) , que opera no Complexo Industrial e Potuário do Pecém, em São Gonçalo do Amarante (Região Metropolitana de Fortaleza), vai promover festa de arromba no próximo dia 4. Hora de mostrar que está operando e exportando bem seu aço para o Exterior.

Mas a direção da CSP resolveu também fazer um ato político: homenageará os ex-governadores Adauto Bezerra, Gonzaga Mota, Tasso Jereissati, Ciro Gomes, Lúcio Alcântara, Cid Gomes e o governador Camilo Santana pela luta em favor da implantação do empreendimento.

Na lista, no entanto, faltou Virgílio Távora (in memorian), que também sonhou com a siderúrgica, lacuna registrada pela jornalista Neila Fontenele em sua coluna O POVO Economia desta quarta-feira.

VAMOS NÓS – Vai ser um verdadeiro milagre se a CSP reunir, neste mesmo ambiente, Tasso Jereissati e os Ferreira Gomes. Mas como a política é a arte de engolir sapos…

Camilo só quer conversa “republicana” com Eunício Oliveira

O governador Camilo Santana (PT) rebateu ontem tese de que estaria se aproximando do senador Eunício Oliveira (PMDB) de olho em um acordo para as eleições de 2018. Na última segunda-feira, reportagem do O Estado de S. Paulo apontou que o petista e o peemedebista estariam costurando apoio de olho na reeleição de Eunício para o Senado Federal. O acordo teria como pano de fundo a desistência do peemedebista da disputa pelo governo do Ceará em busca de garantia de foro privilegiado no Congresso.

“Eu soube disso pela imprensa”, brincou Camilo sobre o assunto. Ele reafirmou relação de oposição com o senador do PMDB, afirmando que sua relação com Eunício se dá no campo do “republicanismo”.

“Quem for necessário para conseguir melhorias para o Ceará eu vou atrás. Vou conversar com qualquer um que consiga apoio para questões como combate à seca, ou do financiamento do Metrofor”, disse Camilo, que destaca ainda o fato de Eunício ser do PMDB, partido do presidente Michel Temer.

Assim como o governador do Ceará, o presidente do Senado tem rejeitado qualquer aproximação com a base do governo. Ele, no entanto, não nega ter desistido da disputa pelo governo em 2018.

(O POVO – Repórter Carlos Mazza)