Blog do Eliomar

Últimos posts

TSE vai definir primeiras cidades que vão emitir o Documento Nacional de Identificação

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deve definir em novembro deste ano as cidades que vão participar do projeto-piloto para as primeiras emissões do Documento Nacional de Identificação (DNI), documento digital que reunirá informações da identidade (RG), CPF, título de eleitor e carteira nacional de habilitação dos cidadãos.

De acordo com o tribunal, responsável pela gestão do programa, técnicos trabalham na identificação das localidades que apresentam condições técnicas para iniciar a emissão do DNI. Cidades com maior número de pessoas cadastradas no sistema biométrico de votação das urnas eletrônicas devem participar do projeto inicial.

Segundo a Justiça Eleitoral, mais de 100 milhões de pessoas já foram cadastradas pela biometria em todo o país.

Em 2018, o projeto-piloto do documento único foi lançado pelo governo federal e pelo TSE, que fornecerá a base de dados da biometria dos eleitores para compor o banco de informações. No início de janeiro, o governo federal retomou iniciativas passadas para criar a base digital que unifique diversos documentos.

(Agência Brasil)

TRT do Ceará – Solicitar certidão de antecedentes criminais de servente na contratação não é ato discriminatório

O Tribunal Regional do Trabalho do Ceará, por meio de sua Segunda Turma, negou recurso de um homem que pedia indenização por assédio moral contra empresa do ramo da construção civil, em Pacatuba (Região Metropolitana de Fortaleza). O empregador havia exigido certidão de antecedentes criminais no ato da contratação trabalhista, o que não foi configurado ato discriminatório. A decisão da segunda instância foi publicada em 24 de junho, informa a assessoria de imprens do TRT do Estado.

O homem havia sido contratado para desempenhar função de servente. “A situação revelada nos autos não é suficiente para a configuração do dano moral. Embora possam causar desconforto ou aborrecimento de acordo com a sensibilidade da vítima, não são consideradas pela média da sociedade brasileira como desonra ou humilhação, razão pela qual indefiro o pleito”, determina o desembargador Francisco José Gomes da Silva, relator do acórdão.

Acórdão

Segundo fundamentação do acórdão, é de conhecimento geral que serventes têm acesso a diversas ferramentas, inclusive perfurocortantes, e manuseiam enxadas, pregos, martelos, pás, barras de ferro, por exemplo. Situação que justifica o cuidado na contratação de pessoas com histórico de violência e possibilita as empresas solicitarem certidão de antecedentes criminais ao seu respectivo quadro de funcionários. Neste caso, a exigência do documento comprobatório é legítima e não caracteriza lesão moral, pois justificada em razão das atividades desempenhadas. Quanto ao enquadramento jurídico, a questão resta pacificada pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST).

Em análise do recurso, o relator, desembargador Franscisco José Gomes da Silva, destacou que a Subseção I Especializada em Dissídios Individuais (SDI-1), órgão responsável pela uniformização da jurisprudência do TST, em outro julgamento, tratou exatamente sobre o tema. Na decisão, a SDI-1 firmou a tese jurídica de que a exigência de certidão de antecedentes criminais de candidato a emprego é legítima e não caracteriza lesão moral quando amparada em expressa previsão legal ou justificar-se em razão da natureza do ofício ou do grau especial de atividade desempenhada, como cuidadores de menores, idosos ou deficientes, motoristas rodoviários de carga, empregados que laboram no setor da agroindústria no manejo de ferramentas de trabalho perfurocortantes, bancários e afins, trabalhadores que atuam com substâncias tóxicas, entorpecentes e armas, além de trabalhadores que atuam com informações sigilosas.

A decisão mantém entendimento da sentença do primeiro grau, publicado pela 2ª Vara do Trabalho de Maracanaú. O servente foi condenado a pagar honorários sucumbenciais em favor dos advogados da empresa no valor de R$ 402, o que representa 7% do valor da causa.

Procon da Assembleia Legislativa realizou 6.869 atendimentos no primeiro semestre deste ano

De janeiro a junho deste ano, o Procon da Assembleia Legislativa, vinculado à Comissão de Defesa do Consumidor, realizou 6.869 atendimentos. Esse número ficou assim distribuído: 2926 Reclamações Abertas; 2293 Audiências de Conciliação; 1076 Audiências de Retorno de CIP com o consumidor; 336 Atendimentos Call Center e 238 Atendimentos de Cálculos Revisionais.

No mesmo período de 2018, o número de consumidores atendidos foi de 6.913, com 2447 reclamações abertas, ao passo que neste primeiro semestre foram 2926 reclamações abertas, adianta a assessoria de imprensa do Poder.

“Esses números ratificam a credibilidade do Procon Assembleia na garantia dos direitos do cidadão. Neste ano visando assegurar a qualidade do atendimento ao público, foi iniciada a implantação do sistema de gestão da qualidade no Procon ISO 9001, e isso vai impactar em uma maior eficiência do atendimento”, afirma Valéria Cavalcante, coordenadora-geral do Procon do legislativo estadual.

Um convite: “Precisamos ver as flores”

Com o título “Precisamos ver as flores”, eis artigo de Sofia Lerche Vieira, da pós-graduação em educação da Uece e consultora da FGV-RJ. la nos faz um convite neste clima em que predomina muita intolerância e, em especial, nas redes sociais. Confira:

Tempos sombrios induzem à reflexão. O que fizemos para chegar onde chegamos? Haverá limites para os problemas que vivemos? A capacidade humana há de superar a adversidade? São muitas as questões que afloram e tiram o sono. Na educação, como na vida em geral, olhar em torno pode ser inspirador, até porque… precisamos ver as flores.

Quando as redes sociais são pródigas à divulgação de más notícias e as fake news ameaçam a integridade da informação, exemplos positivos merecem atenção particular. Assim se passa com comovente vídeo (¿Que3 deseospidenlosninõsenEspaña y Uganda? Experimento social # QuieroQuieroYQuiero) que focaliza desejos de meninos e meninas da Espanha e de Uganda. Indagados sobre o que gostariam de ter, as crianças respondem em consonância com seus respectivos contextos de vida. Os espanhóis, se centram em bens de consumo supérfluos. Os ugandenses, por sua vez, revelam na simplicidade de seus sonhos algo que parece óbvio, mas nem sempre é evidente: bens essenciais à vida são abundantes a uns e escassos a outros. Do mesmo modo, a felicidade pode estar no acesso às coisas mais simples: o alimento, o vestuário, a profissão.

O surpreendente do vídeo, porém, não está na diferença entre os extremos e, sim, no que se vê como sequência da informação transmitida. Ao serem expostas às respostas das crianças ugandenses, as espanholas são capazes de rever suas próprias expectativas – todas, sem exceção, percebem que os sonhos dos meninos e meninas africanos servem como advertência à sua própria condição de privilegiados em uma sociedade onde não faltam bens essenciais à sobrevivência. Com tal perspectiva em mente, os estudantes da Espanha afirmam que reveriam seus sonhos. É bonito perceber a espontaneidade com que são capazes de cair em si, dar-se conta de que o muito que lhes sobra, falta a uma outra infância.

Para quem ainda não viu, sugiro apreciar esse delicado registro infantil. A capacidade de colocar-se no lugar do outro e de exercer a alteridade dos meninos e meninas espanhóis sugere uma lição a aprender: só a empatia pode nos salvar.

*Sofia Lerche Vieira,

Consultora da FGV-RJ e professora da Pós-Graduação em Educação da Uece.

(Foto – Arquivo)

Museu da Fotografia de Fortaleza é sede de feira literária

O clube de assinatura de livros Pacote de Textos, surgido em Fortaleza em 2016, comemora três anos de atividades neste mês de julho. Para celebrar a data, realizará a I Festa Literária do Pacote de Textos – a FLIPACOTE. O evento, aberto ao público, ocupará espaços  no Museu da Fotografia de Fortaleza, no próximo dia 20 de julho, das 14 às 18 horas, e contará com espaços para editoras e duas mesas de conversas sobre literatura.

A primeira mesa, com o tema “Ler não é um ato solitário”, contará com a participação da escritora Dauana Vale Cavalcante (do projeto “Entrelinhas”), da jornalista e blogueira Isabel Costa (@leiturasdabel) e da historiadora e bookstagrammer Charlene Ximenes (@livrosdacha). A conversa será mediada pela psicóloga, com ênfase em Biblioterapia, Nara Barreto.

Já a segunda mesa será uma conversa entre a escritora Socorro Acioli, cearense premiada com o Jabuti em 2013, e o escritor Rafael Caneca, idealizador e responsável pelo Pacote de Textos. O tema desta conversa será “Do Ceará para o mundo: a produção literária contemporânea em destaque”.

Pacote de Textos

O Pacote de Textos é um clube de assinatura de livros idealizado pelo escritor cearense Rafael Caneca. Tendo como propósito, inicialmente, levar literatura de qualidade a seus amigos, logo Rafael expandiu a ideia e passou a enviar seus kits para todo o País, estando atualmente em todos os estados brasileiros.

Os kits contêm uma obra surpresa, um marca-páginas relacionado a esta obra, uma carta personalizada e, em edições especiais, brindes especiais.

A escolha das obras segue uma criteriosa curadoria, que avalia dados do mercado literário, opiniões de autores e dos leitores. Não importa o gênero literário, a época em que ela foi escrita ou a nacionalidade do autor: o principal é a qualidade do texto, seja em prosa ou poesia, de autor nacional ou estrangeiro, clássico ou contemporâneo.

O clube segue o formato das “mystery boxes”, ou seja, os associados não sabem qual é o livro do mês até o momento de abrir o Pacote. Podem até ter suas suspeitas (já que, “para atiçar a curiosidade de seus leitores”, revela Rafael, o clube divulga algumas dicas da obra), mas estas só são confirmadas ou negadas ao receber o Pacote.

SERVIÇO

*Os planos custam a partir de R$ 26,90 por mês, já com o frete incluso. Para se cadastrar e ver maiores informações, é só acessar o site www.pacotedetextos.com.

(Foto -Arquivo)

Ceará enfrenta Fluminense buscando quebrar jejum de vitórias

Zagueiro Luiz Otávio é desfalque na equipe alvinegra.

O time do Ceará volta a jogar pela Série A, do Brasileirão, nesta noite de segunda-feira. O adversário é o Fluminense, que pegará o alvinegro no estádio do Maracanã, no Rio. A partida fecha a 10ª rodada do certame e marca a retomada do campeonato com o fim da Copa América.

O alvinegro precisa reagir, pois vem de três jogos sem vitória — duas derrotas e um empate — e tem que pontuar para se distanciar da zona de rebaixamento. A equipe entrará em campo sem o atacante Bergson, contundido, e sem o zagueiro Luiz Otávio, que pegou o terceiro cartão amarelo. O meia Baixola e o volante William Oliveira se recuperaram de contusão e estão à disposição do técnico Henderson Moreira.

Já o Fluminense, não vence há quatro jogos e entra em campo no Z-4, com dois pontos a menos que o time cearense.

(Foto – Ceará Sporting Club)

TST vai reajustar valor dos limites de depósito recursal a partir de agosto

O Tribunal Superior do Trabalho vai reajustar, a partir de 1º de agosto, os valores referentes aos limites de depósito recursal. A informação é do site do Poder.

Pela nova tabela, o limite do depósito para a interposição de recurso ordinário passa a ser de R$ 9.828,51. Nos casos de recurso de revista, embargos, recurso extraordinário e recurso em ação rescisória, o valor será de R$ 19.657,02.

Os valores foram regulamentados pelo Ato 247/2019 e reajustados com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

(Foto – TST)

XXV Fórum BNB de Desenvolvimento começa nesta quinta-feira no Passaré

O presidente do Banco do Nordeste, Romildo Rolim, vai abrir, na próxima quinta-feira, na sede da Instituição, no Passaré, o XXV Fórum BNB de Desenvolvimento  e o XXIV Encontro Regional de Economia.

Esses encontros se estenderão ao longo da sexta-feira, debatendo temas em torno do mote “Possibilidades de Desenvolvimento para o Nordeste”. Cerca de 400 profissionais e pesquisadores participarão dos debates.

Na ocasião, haverá também a entrega da Comenda Banco do Nordeste de Desenvolvimento Regional e a divulgação dos vencedores do Prêmio BNB de Jornalismo.

Esses eventos marcam ainda os 67 anos de criação do BNB.

SERVIÇO

*Confira a toda a programação do fórum aqui.

(Foto – Fábio Lima)

Reforma da Previdência já tem maioria de votos no Senado, diz Estadão

A maioria dos senadores se posiciona favoravelmente à proposta que muda as regras para se aposentar no Brasil. É o que revela o jornal O Estado de S.Paulo nesta segunda-feira. O Placar da Previdência, elaborado pela publicação aponta 42 votos “sim” ao texto, antes mesmo de ele chegar ao Senado. O número representa mais do que a metade dos senadores, mas ainda está sete votos aquém do mínimo necessário para a aprovação de uma Proposta de Emenda à Constituição na Casa, de 49 senadores.

O Estadão ouviu os senadores na última semana, quando os deputados ainda analisavam os chamados destaques (sugestões de mudanças ao texto-base). Do total, 15 senadores pediram para se manifestar apenas quando o texto chegar ao Senado, e 11 se disseram contrários à reforma da Previdência da forma como foi aprovada na Câmara. Sete não foram encontrados, um se declarou indeciso e quatro não quiseram responder.

Entre os 42 senadores que se manifestaram favoravelmente ao texto, é comum a defesa da inclusão dos Estados e municípios nas novas regras. Da forma como está o texto, a reforma fixa uma nova idade mínima para se aposentar – 65 anos para homens e 62 anos para mulheres – que vai valer para quem entrar no mercado de trabalho.

A nova idade valerá tanto para trabalhadores da iniciativa privada como para servidores públicos da União. No entanto, depois de modificações na Câmara, o funcionalismo público estadual e municipal ficou de fora.

Tasso e a PEC paralela

Se os senadores alterarem o texto, a proposta precisa voltar à Câmara – o que atrapalharia o desejo do governo de vê-la promulgada na semana da Pátria, em setembro. Para evitar o atraso, está sendo gestado um acordo para que a inclusão de Estados e municípios e eventuais mudanças sejam feitas em proposta paralela, que, depois do Senado, voltaria para a análise dos deputados.

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), cotado para ser relator da reforma na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, diz que a PEC paralela seria uma saída para atender ao desejo da maioria dos senadores pela reinclusão de Estados e municípios na reforma. Segundo ele, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), está de acordo com a ideia.

Jereissati é relator de uma comissão montada no Senado para acompanhar o trâmite da reforma na Câmara. Na última semana, enquanto os deputados discutiam a proposta, o grupo recebeu governadores para debater as mudanças nas regras de aposentadoria.

Para o líder do PSL no Senado, Major Olímpio (SP), é um “absurdo” que Estados e municípios não estejam contemplados no texto. “Dessa forma, o Brasil vai continuar limpando o chão com a torneira aberta”, diz.

Para o líder do PP no Senado, Espiridão Amin (SC), há duas opções: incluir Estados e municípios de forma impositiva ou permitir a adesão por projeto de lei enviado por governadores e prefeitos a assembleias e Câmaras. A segunda opção poderia ter mais receptividade, disse Simone Tebet (MDB-MS), presidente da CCJ no Senado.

(Agência Estado)

Ecos 2020 – Samuel Dias e a hora de sair do gabinete

356 7

O secretário municipal de Governo, Samuel Dias, mudou sua agenda.

Saiu do jeitão discreto e de gabinete para circular em eventos e, claro, abrir aquele largo sorriso. Ele jura não mostrar os dentes de pré-candidato a prefeito de Fortaleza.

Mas, nos bastidores, o fato dele ter sido o responsável pelo lançamento de pacotaço de obras da gestão Roberto Claudio, no dia 1º de julho último, no Teatro São José, deu mostra de que Samuel poderá, no futuro, viver dias decisivos em sua trajetória política.

Dentro da estratégia para evitar queimações, Samuel jura não ser candidato a nada.

(Foto – Arquivo)

China registra crescimento econômico de 6,2% no segundo trimestre

A China registrou o crescimento econômico mais baixo desde que o país passou a divulgar dados trimestrais de seu PIB em 1992. O Escritório Nacional de Estatísticas informou, na segunda-feira, que o PIB do país cresceu 6,2% no período de abril a junho em relação a um ano atrás.

Isso representa uma queda de 0,2 ponto percentual em relação aos 3 meses anteriores. E também marca a primeira queda desde o quarto trimestre do ano passado. Economistas dizem que os governos regionais estão cortando gastos em infraestrutura devido às dificuldades financeiras.

Eles apontam que uma queda acentuada nas exportações para os Estados Unidos enfraqueceu a produção industrial e os investimentos em equipamentos e instalações. Afirmam, ainda, que o gasto dos consumidores também permanece baixo em alguns setores, o que inclui a compra de carros novos.

A China estabeleceu uma meta de crescimento de 6 a 6,5% para este ano. Os especialistas afirmam que o país provavelmente deve tomar medidas adicionais de estímulo se sua economia permanecer desacelerada.

Não há perspectiva de conclusão para a disputa comercial entre os Estados Unidos e a China.

(Agência Brasil)

O que é economia da cultura?

Com o título “A economia da cultura”, eis artigo de Lauro Chaves, professor universitário e membro do Conselho Federal de Economia, que é veiculado também no O POVO desta segunda-feira. Ele aborda o crescimento da chama indústria criativa. Confira:

Os dados que existem sobre a Economia da Cultura no Brasil são imprecisos e, muitas vezes, incompletos e até contraditórios. Talvez reflexo da falta de políticas públicas estáveis sobre o tema, o País ainda não entende a importância da arte para a Economia e assim nunca possuiu, de fato, uma estratégia para desenvolver a Cultura e sem continuidade fica quase impossível o gigantesco potencial e diversidade cultural brasileiro se transformar em um eixo significativo do nosso desenvolvimento.

Segundo a Firjan,a Indústria Criativa foi responsável por 2,6% do PIB em 2017,com significativo impacto na geração de emprego e renda. Existe, no entanto, uma lacuna em dados oficiais consolidados sobre a dimensão desse mercado e o seu impacto nos demais setores da economia.

Uma extensa cadeia de valor se beneficia social e economicamente da atividade cultural. O Brasil, nessa área, possui um conjunto de vantagens competitivas, que, se bem aproveitadas, poderão torná-lo um dos mais importantes players internacionais.

Formar um público consumidor para a cultura constitui-se em um dos maiores desafios para o país, se superado, poderá contemplar o desenvolvimento de produtos culturais, privilegiando, principalmente, crianças e adolescentes e criando, desse modo, o hábito do consumo cultural desde cedo.

A Unesco destaca que as cidades criativas sempre devem ter a cultura como destaque nos seus planos de desenvolvimento. A competitividade e a própria identidade dos territórios são fortemente impactadas pelo grau de relevância assumido pela cultura no processo de transformação urbana e empoderamento popular.

Mecanismos de incentivo à cultura, como a lei Rouanet, por exemplo, sempre serão necessários, principalmente para o surgimento de novos talentos, porém os protagonistas desse mercado devem buscar técnicas de gestão que lhes permitam ganhos de eficiência e maior produtividade, sem representar uma perda na criatividade e na inovação.

*Lauro Chaves Neto

Professor universitário e membro do Conbselho Federal de Economia.

CBF triplica prêmio da Seleção Feminina

Em reconhecimento ao empenho demonstrado pela seleção feminina da Rainha Marta na Copa da França, o presidente da CBF, Rogério Caboclo, adotou uma medida

Segundo da Coluna Radar, da Veja Online, ele triplicou o valor da premiação a que as jogadoras teriam direito pela classificação até as oitavas de final do torneio.

Foi como se elas chegassem às semis.

(Foto – Reprodução de TV)

Casa Amarela inscreve para cursos básicos de Fotografia, Cinema e Cinema de Animação

A Casa Amarela Eusélio Oliveira está com inscrições abertas para os cursos básicos de Cinema, Fotografia e Cinema de Animação. De caráter extensionista, as formações abordam aspectos teóricos e técnicos do processo fotográfico e de realização audiovisual, informa a assessoria de imprensa da Universidade Federal do Ceará.

Os interessados devem comparecer à secretaria da Casa Amarela (Avenida da Universidade, 2591, Benfica), das 8h às 18h, portando originais e cópias do RG, CPF, além de uma fotografia 3×4. A idade mínima para os cursos de Fotografia e de Cinema é 16 anos. Já para o curso de Cinema de Animação é 12 anos.

Cronograma dos cursos

As aulas do curso básico de Cinema (https://bit.ly/2XAhMvC) começarão no dia 2 de setembro e serão ministradas de segunda a quinta-feira, das 19h às 21h, totalizando a carga de 150 horas-aula.

As aulas do curso básico de Cinema de Animação (https://bit.ly/2XGbKJZ) terão início também no dia 2 de setembro, ocorrendo de segunda a quarta-feira, das 14h às 16h, totalizando 60 horas-aula.

O curso básico de Fotografia (https://bit.ly/2zJWYIN) terá aulas iniciadas nos dias 2 (noite) e 3 de setembro (manhã e tarde). A duração do curso é de 60 horas-aula e os horários das turmas são os seguintes:

‒ manhã: terça, quarta e quinta-feira, das 10h às 12h;
‒ tarde: terça, quarta e quinta-feira, das 14h às 16h;
‒ noite: segunda, quarta e quinta-feira, das 19h às 21h.

SERVIÇO

*Os programas dos cursos, bem como informações sobre processo de inscrição e taxas, estão disponíveis no site da Casa Amarela (http://www.caeo.ufc.br/pagina-cursos/).

(Foto – Divulgação)

Presidente eleito da Fiec já prepara solenidade de posse

Em Brasília, na última semana, o presidente eleito da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), Ricardo Cavalcante, aproveitou não só para audiência com o ministro Bento Albuquerque (Minas e Energia) sobre o setor da mineração.

Ele também circulou na Confederação Nacional da Indústria (CNI) e outros polos, onde fez convites para sua posse, já marcada para 19 de setembro.

Ricardo, que substituirá Beto Studart à frente da Fiec, é também dirigente do SindMinerais do Estado.

(Foto – Fiec)

Atividade econômica registrou crescimento de 0,5% em maio

Após queda nos quatro primeiros meses do ano, a economia brasileira registrou aumento em maio. O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) dessazonalizado (ajustado para o período) subiu 0,54%, em maio, em relação a abril deste ano, segundo dados divulgados hoje (15) pelo Banco Central (BC).

Na comparação com maio de 2018, o aumento chegou a 4,40% (sem ajuste para o período, já que a comparação é entre meses iguais). Em maio do ano passado, entretanto, a atividade econômica foi fortemente prejudicada pela paralisação dos caminhoneiros.

Em 12 meses encerrados em maio, o indicador teve crescimento de 1,31%. No ano, o IBC-Br teve expansão de 0,94%.

O IBC-Br é uma forma de avaliar a evolução da atividade econômica brasileira e ajuda o BC a tomar suas decisões sobre a taxa básica de juros, a Selic. O índice incorpora informações sobre o nível de atividade dos três setores da economia: indústria, comércio, serviços e agropecuária, além do volume de impostos.

O indicador foi criado pelo BC para tentar antecipar, por aproximação, a evolução da atividade econômica. O indicador oficial, entretanto, é o Produto Interno Bruto (PIB), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

(Agência Brasil)

Federação Nacional de Jornalistas em clima de eleições

Salomão de Cstro, presidente da ACI, disputa vaga para o Conselho Nacional de Ética.

Jornalistas brasileiros vão às urnas para eleger a nova diretoria executiva, vice-presidências regionais e departamentos da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e os cinco novos integrantes da Comissão Nacional de Ética (CNE). A eleição ocorrerá a partir desta terça-feira e vai se estender até quinta-feira. A nova diretoria será eleita por meio de chapa e, para a CNE, por meio de candidaturas individuais.

As votações são organizadas pelos sindicatos, que devem divulgar horários e locais de onde as urnas estarão disponíveis para a categoria. Todos os jornalistas em dia com os sindicatos têm direito a voto. A Federação Nacional dos Jornalistas é a única federação sindical a realizar eleições diretas para escolher sua diretoria e a comissão.

Chapa única

Depois de sete eleições com disputa, uma única chapa foi registrada para disputar a direção da FENAJ. A chapa “Audálio Dantas – FENAJ em defesa dos jornalistas, do jornalismo e da democracia” é encabeçada pela atual presidenta, Maria José Braga, de Goiás, e tem como vice-presidente Paulo Zocchi, de São Paulo. Os demais cargos da Diretoria são ocupados por jornalistas de todas as regiões do país e da maioria dos Estados.

A chapa única lançada representa a unidade entre situação e oposição, reunindo 12 componentes do grupo “Luta Fenaj!”. Dentre os candidatos à Comissão Nacional de Ética, está o jornalista Salomão de Castro, do Ceará, atual presidente da Comissão Estadual de Ética dos Jornalistas e presidente reeleito da Associação Cearense de Imprensa (ACI). As demais candidaturas são as de Cláudia de Abreu, do Rio de Janeiro; Kardé Mourão, da Bahia; Osnaldo Moraes, de Pernambuco; e Pinheiro Sales, de Goiás. Os jornalistas poderão votar em até cinco nomes para CNE.

No Ceará

Na eleição para a Diretoria Executiva, Conselho Fiscal, Delegados Representantes Junto à Fenaj, seção regional do Cariri do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Ceará (Sindjorce) e à Comissão Estadual de Ética, apresenta-se a chapa “Ousar e Lutar – Sindjorce de Todes”. Encabeçada pelo atual secretário-geral da entidade, Rafael Mesquita, jornalista da Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal no Estado do Ceará (Fetamce), a chapa “Ousar e Lutar” é composta por 20 integrantes e cinco candidatos à Comissão Estadual de Ética.

Também para a eleição da Comissão Estadual de Ética, existem quatro candidaturas. São elas as de Ana Alice Nogueira, Anderson Sandes, Angela Marinho e Rita Silveira, que integram o coletivo Resistência!. As candidaturas do coletivo Resistência! à Comissão Estadual de Ética representam a luta por uma entidade combativa, que atenda as demandas da categoria contra os ataques às liberdades e aos direitos historicamente conquistados.

DETALHE – Na eleição para a Comissão Estadual de Ética, cada eleitor poderá escolher até cinco candidatos e candidatas ao votar.

(Foto – Divulgação)

Encceja para pessoas privadas de liberdade abre inscrições

As inscrições para o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos para detentos e jovens sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade (Encceja Nacional PPL) começam nesta segunda-feira (15) e vão até o dia 26 de julho, de acordo com edital de 27 de junho do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), publicado na edição de 28 de junho do Diário Oficial da União.

O exame, aplicado pelo Inep, é destinado àqueles que não concluíram os estudos na idade adequada e serve como oportunidade de obter os certificados do ensino fundamental e médio. O participante deve ter, no mínimo, 15 anos de idade para certificação do fundamental e, pelo menos, 18 anos, para o ensino médio, na data da aplicação das provas nos dias em 8 e 9 de outubro.

O Encceja Nacional PPL é dividido em quatro provas objetivas por nível de ensino e uma redação. Cada prova objetiva tem 30 questões de múltipla escolha. Os que buscam a certificação do ensino fundamental serão avaliados nas seguintes áreas do conhecimento: ciências naturais; história e geografia; língua portuguesa, língua estrangeira, artes, educação física e redação; e matemática. Para o ensino médio, será exigido conhecimento nas áreas de ciências da natureza; ciências humanas; linguagens e códigos e redação; e matemática.

As unidades prisionais e socioeducativas interessadas em aplicar o Encceja Nacional PPL deverão ser indicadas pelos órgãos de administração prisional e socioeducativa. É obrigatório firmar termo de adesão, responsabilidades e compromissos com o Inep entre 8 e 19 de julho de 2019, exclusivamente pela internet, por meio do Sistema de Adesão e Inscrição PPL. Cada unidade prisional ou socioeducativa indicada terá um responsável pedagógico que, além das inscrições dos participantes, ficará encarregado de acessar os resultados e pleitear a certificação.

(Agência Brasil)

Mercado reduz estimativa de crescimento da economia para 0,81%

100 2

A estimativa do mercado financeiro para o crescimento da economia este ano continua em queda. De acordo com o boletim Focus, pesquisa semanal do Banco Central (BC) com instituições financeiras, a projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – desta vez foi reduzida de 0,82% para 0,81%. Essa foi a 20ª redução consecutiva.

Para 2020, a expectativa é que a economia tenha crescimento maior, de 2,10%, na semana passada, a estimativa era de 2,20%. A previsão para 2021 e 2022 permanece em 2,50%.

Inflação

A estimativa de inflação, calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), subiu de 3,80% para 3,82% este ano. A meta de inflação de 2019, definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), é 4,25%, com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%.

A projeção do mercado financeiro para a inflação em 2020 é 3,90%. A meta para o próximo ano é 4%, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Para 2021, o centro da meta de inflação é 3,75% e para 2022, 3,5%, também com intervalos de tolerância de 1,5 ponto percentual. A previsão do mercado financeiro para a inflação em 2021 e 2022 permanece em 3,75%.

Taxa básica de juros

Para alcançar a meta de inflação, o BC usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, mantida em 6,5% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom).

Ao final de 2019, as instituições financeiras esperam que a Selic esteja em 5,50% ao ano, mesma projeção da semana passada. Para o fim de 2020, a expectativa é que a taxa básica baixe para 6% ao ano e, no fim de 2021 e 2022, chegue a 7% e 7,5% ao ano, respectivamente.

Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica. Quando o comitê aumenta a Selic, a finalidade é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

A manutenção da Selic indica que o Copom considera as alterações anteriores suficientes para chegar à meta de inflação.

(Agência Barsil)