Blog do Eliomar

Últimos posts

Prefeito do Rio promete entregar uma cidade muito melhor

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, disse hoje (24) que entregará uma cidade “muito melhor” e com “finanças arrumadas” para o seu sucessor, Marcelo Crivella. O prefeito, que se despede da administração da cidade no próximo dia 1º, depois de oito anos, participou da inauguração da última etapa da expansão do Parque de Madureira, na zona norte da cidade.

“A gente vai entregar uma cidade arrumada, com finanças arrumadas e com a quase totalidade das obras entregues. As obras que eventualmente existam estão com recursos garantidos do BNDES [Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico Social] ou da Caixa Econômica Federal. E estamos entregando uma cidade muito diferente. Ainda cheia de desafios, mas uma cidade muito melhor”, disse Paes.

O prefeito disse, por exemplo, que as verbas para a conclusão do corredor exclusivo de ônibus (BRT) Transbrasil estão garantidas. O BRT Transbrasil é um dos quatro BRTs da cidade, três dos quais foram inaugurados para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.

Com 50% do projeto concluído, as obras do Transbrasil estão paralisadas desde antes dos Jogos, devido a uma demanda das empreiteiras Odebrecht, OAS e Queiroz Galvão, por uma revisão do contrato.

“Há o pleito deles para o reajuste de alguns aditivos que a minha administração discorda. É óbvio que você vai chegando no fim do governo, as negociações são sempre mais difíceis. Fica um clima de desconfiança sobre o que o próximo prefeito vai fazer. Já conversei com o prefeito eleito [Marcelo Crivella] e acho que ele vai sentar na mesa com muito mais força, muito mais possibilidade do que eu para negociar”, disse Paes.

Segundo ele, a obra tem financiamento do governo federal e as verbas estão garantidas. “Os recursos estão à disposição. Não tem a menor dificuldade. Dá para encerrar. O prefeito eleito se comprometeu com isso durante a campanha”, disse Paes.

Ele disse também que, antes de deixar a prefeitura, autorizará o reajuste das tarifas de ônibus e fará mais algumas inaugurações, entre elas a de uma escola e de um novo equipamento na Praça Mauá.

Com lágrimas nos olhos, Paes disse que os únicos planos para o futuro envolvem dedicar-se à sua família e que não está pensando em política, por enquanto.

(Agência Brasil)

Moroni Torgan – Depois de emplacar a mulher na atual gestão, ele agora bota o filho

814 2

moroni

Da Coluna Política de Érico Firmo, no O POVO deste sábado:

Uma das marcas mais negativas do primeiro mandato de Roberto Cláudio foi a presença da equipe de muitos, muitos familiares de políticos nas funções mais diversas. Independentemente da aptidão para as funções ou não, é um traço de atraso na nossa cultura política. Claro que tais pessoas estão nos cargos pelos parentescos. E essa característica permanece no primeiro escalão. O irmão do prefeito deixa a administração, mas o filho do vice-prefeito Moroni Torgan (DEM) ganha espaço. Não conheço Mosiah Torgan, mas, pelo amor de Deus, será que não havia outra pessoa para a tarefa? Alguém ligado ao vice-prefeito, que fosse.

Mas precisa ser o filho? Lembra coisa do arco da velha, do mais provinciano rincão. No primeiro mandato, a propósito, a mulher de Moroni, Rosa Torgan, já teve cargo no segundo escalão. Um horror.

Natal: convite à boa vontade

Editorial do O POVO neste sábado (23) avalia o sentimento do Natal e aponta que mão se deve esquecer a solidariedade para com os excluídos. Confira:

O Natal chegou, trazendo a sensação (sempre recorrente nessa época) de se roçar o Eterno. É consoladora a ideia de que o “Incorpóreo” e “Ilimitado” entrou no Tempo e tomou um corpo e assumiu a condição limitada para, assim, compartilhar de nossa vida atribulada, num ato de pura gratuidade amorosa. Isso quer dizer, no mínimo, que esta vida vale a pena ser vivida, pois há um significado embutido nela. E datas, como a de hoje, ajudam-nos a encontrá-lo.

Não existe Natal sem a referência aos elementos simbólicos do ouro, incenso e mirra, ofertados ao “divino Infante” que habita em nós, como a dizer que meios materiais são também dignos de usufruto, sempre quando utilizados em favor do crescimento do ser, e não para abafá-lo. Pois, o ter deve servir ao ser. Talvez seja essa uma das mais fortes mensagens do Natal.

A dimensão transcendental desta noite sagrada vem acompanhada da sede de partilha, conviviabilidade e comunhão. Um Natal desprovido desses elementos transforma-se na mais solitária das noites. Na verdade, além de suscitar em alguém a necessidade de aconchego, de estar junto aos seus, o Natal costuma provocar, no próprio indivíduo, a nostalgia de si mesmo, isto é, da outra banda (eterna e infinita) de nós mesmos, quando eventualmente desgarrada, para que possamos nos reunificar, voltando a ser um com o “Um”. Quando isso falta, há incompletude no ser.

Nesta noite, até ausências definitivas tornam-se presenciais ao serem tocadas pela dimensão não espacial dos afetos. Basta estar unido ao ausente pelo mesmo diapasão vibratório amoroso. Pelo menos, é consolador imaginar isso. Afinal, no Natal, devem ser suspensas quaisquer restrições à imaginação.

Sobretudo, não se deve esquecer a solidariedade para com os excluídos, de toda ordem, já que o Cristianismo é uma fé encarnada, e o cristão não pode deixar de ter compromisso com as dimensões humana e social.

Não é preciso, contudo, ser crente para se deixar tocar pela magia do Natal. Basta ter o coração aberto. A simbologia do nascimento do “Príncipe da Paz” é um convite à humanidade para deixar nascer em si mesma um mundo justo e pacífico. Em favor disso, deve concorrer o estreitamento dos laços entre os homens de boa vontade, sob as asas do Eterno. Essa foi a concitação do coro angélico que maravilhou os pastores nas cercanias de Belém: “Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens de boa vontade”. Feliz Natal.

Abstenção – Com gesto histórico dos EUA, ONU condena colônias de Israel

Em um gesto histórico, os Estados Unidos se abstiveram de votar uma resolução no Conselho de Segurança das Nações Unidas sobre os assentamentos israelenses na Cisjordânia e não usaram seu poder de veto para evitar uma condenação de Israel.

Com a abstenção norte-americana, o Conselho aprovou a resolução que condena Israel por suas colônias por 14 votos a favor. As informações são da Agência Ansa.

“As colônias não têm validade legal”, diz o documento, que exige que Israel pare com os assentamentos. A posição adotada pela representação diplomática de Washington no Conselho de Segurança foi solicitada pelo presidente Barack Obama, que deixará o cargo em 20 de janeiro para que o recém-eleito mandatário, o republicano Donald Trump, assuma a Casa Branca.

O governo israelense tinha pedido ajuda a Trump para que os EUA usassem seu poder de veto para barrar a aprovação da resolução.

De acordo com fontes locais, caso concretizada, seria uma interferência sem precedentes da parte de um presidente eleito. A resolução foi apresentada pela Malásia, Nova Zelândia, Senegal e Venezuela, com o apoio do Egito.

A embaixadora norte-americana na ONU, Samantha Power, disse nessa sexta-feira (23) que os EUA não podem apoiar a construção das colônias israelenses uma vez que defende e a solução de “dois Estados” entre Israel e Palestina.

(Agência Brasil)

Prisco recebe homenagem em despedida de função na Prefeitura

foto-salmito-e-prisco-e-rc-161223

O administrador de empresas Prisco Bezerra foi homenageado nessa sexta-feira (23), no Palácio do Bispo, por relevantes serviços prestados a Fortaleza, nos últimos quatro anos, quando na função de secretário de Governo da administração municipal.

Irmão do prefeito Roberto Claudio (PDT), Prisco pediu para deixar a gestão para cuidar da Unip, uma das maiores universidades virtuais do País, com sede em São Paulo.

Pelo trabalho exercido em prol da cidade e da cidadania, Prisco Bezerra foi agraciado com a Medalha Boticário Ferreira, maior comenda da Câmara Municipal de Fortaleza, por meio de requerimento do próprio presidente do Legislativo de Fortaleza, Salmito Filho (PDT).

(Foto: Divulgação)

Conselho aprova nova modalidade de seguro de vida para o Brasil

A partir do fim de abril de 2017, o consumidor poderá adquirir uma nova modalidade de seguro de vida em que recebe parte do prêmio se não morrer até o fim da apólice. O Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP) aprovou resolução que autoriza as seguradoras a operarem no Brasil o seguro de vida universal.

Modalidade comum em outros países, com várias versões comercializadas, o seguro de vida universal difere dos seguros de vida tradicionais por que as parcelas pagas pelo consumidor vão para dois tipos de capital segurado: capital segurado de risco e capital segurado de acumulação. O primeiro tipo de capital cobre o risco de morte (sinistro) e o segundo tipo é devolvido ao consumidor no fim da apólice. As apólices são de longo prazo.

De acordo com a resolução do CNSP, as apólices do seguro de vida universal terão vigência mínima de cinco anos. O órgão só autorizou a comercialização de dois tipos de apólice no país: uma com capital segurado constante e outra com capital segurado variável. A resolução entrará em vigor daqui a 120 dias, no fim de abril. Em nota, o Ministério da Fazenda informou que a nova modalidade representa uma grande inovação no seguro de vida no Brasil.

Órgão responsável pela regulação dos seguros privados no país, o CNSP é composto por representantes do Ministério da Fazenda, do Ministério da Justiça, da Superintendência de Seguros Privados (Susep), do Banco Central do Brasil e da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

(Agência Brasil)

Ex-presidente do STF estuda ação contra extinção do TCM

ayress

Da Coluna Vertical, no O POVO deste sábado (24):

A Associação dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon) já encaminhou ao advogado Carlos Ayres Britto, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), toda a documentação relacionada ao caso da extinção do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). A decisão do fim do TCM foi sacramentada nesta semana pela Assembleia Legislativa, sob o manto de economia aos cofres do Estado.

Caberá a Ayres Britto estudar toda a matéria para ingressar com Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin). Entre as questões passivas do debate jurídico, há o fato de servidores terem concurso público para um órgão, no caso o TCM, e, com a extinção, serem colocados à disposição de outro órgão – o Tribunal de Contas do Estado (TCE), sem previsão de cargo para fins de lotação.

Trata-se de um direito adquirido desses servidores desrespeitado pela emenda do deputado estadual Heitor Férrer (PSB), apoiada pelo Governo numa ofensiva aos conselheiros Chico Aguiar e Domingos Filho – que tentaram eleger Sérgio Aguiar (PDT) contra o atual presidente da Assembleia, Zezinho Albuquerque (PDT).

A expectativa é de que a Adin entre no início de janeiro, durante o plantão forense.

Defesa do consumidor recomenda atenção aos que ainda não foram às compras

A comemoração do Natal e a troca de presentes ocorrem no sábado (24) e no domingo (25), mas nem todos compraram as lembranças com antecedência. Muitos consumidores deixaram para ir aos shoppings no último momento, seja por falta de tempo, algum presente esquecido ou desejo de aproveitar as promoções para os itens que sobraram no estoque. Para quem foi ou ainda irá às compras, entidades de defesa do consumidor recomendam atenção.

“Quem não comprou ainda, o bom é sair com lista, saber o que vai comprar”, recomendou a advogada Maria Inês Dolci, coordenadora da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste). Segundo ela, é preciso calma para enfrentar a demora das filas normal no período.

Ela aconselha ainda que, mesmo com pressa, os consumidores não deixem de observar detalhes sobre o produto. É importante, por exemplo, saber se a loja aceita fazer trocas. “A troca não é obrigatória, quando o produto não tem defeito. É uma liberalidade da loja. Por isso é importante perguntar, guardar a nota fiscal. Muitos lojistas já entregam uma nota autorizando a troca”, disse.

A advogada lembrou ainda que, por não ser uma obrigação, o lojista pode estabelecer o prazo que preferir para as trocas. “É preciso ficar atento, pois ele pode limitar para um período específico”.

A orientação aos consumidores que tiverem alguma reclamação sobre o produto é, no primeiro momento, procurar o vendedor ou o fabricante, pois os dois são responsáveis pelo item. Caso o problema não seja resolvido, é possível procurar os postos de atendimento do Procon.

(Agência Brasil)

Seguridade Social aprova política nacional de erradicação da fome

daniloforte

A Comissão de Seguridade Social e Família aprovou o Projeto de Lei 6867/13, do deputado Arnaldo Jardim (PPS-SP), que cria a Política Nacional de Erradicação da Fome e de Promoção da Função Social dos Alimentos (PEFSA). Segundo o autor, a política estabelece mecanismos para evitar desperdícios em toda a cadeia produtiva de alimentos, que os levam a deixar de cumprir a função social de nutrir a população.

A política de erradicação da fome estabelece que a função social dos alimentos é cumprida quando os processos de produção, beneficiamento, transporte, distribuição, armazenamento, comercialização, exportação, importação ou transformação industrial tenham como resultado o consumo humano de forma justa e solidária.

Entre os objetivos da PEFSA estão o combate ao desperdício, o estímulo a processos e tecnologias que contribuam para o alcance da função social dos alimentos e o incentivo à pesquisa e desenvolvimento em segurança alimentar.

O parecer do relator, deputado Danilo Forte (PSB-CE), foi favorável à proposta. Segundo ele, a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios mostrou, em 2013, que ainda existem mais de 50 milhões de brasileiros vulneráveis na questão alimentar.

“Dentre estes, mais de sete milhões foram classificados na categoria grave, que se aplica a situação de fome e falta de alimentos entre adultos e crianças”, ressaltou o deputado cearense.

(Agência Câmara Notícias)

CGU: 13% das ambulâncias do Samu no país não têm condições de funcionamento

Levantamento feito pelo Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU) constatou que 13% das ambulâncias e 46% das motolâncias integrantes da frota das Unidades Móveis de Saúde (Samu) estavam sem condições de funcionamento entre os anos de 2013 e 2015 nas capitais dos 26 estados e no Distrito Federal.

A auditoria do ministério identificou também que houve um prejuízo de R$ 922 mil pela não comprovação da execução dos serviços de manutenção das ambulâncias pagas pelo Ministério da Saúde.

“À época dos exames, foram identificadas falhas nos controles internos administrativos do Ministério da Saúde que resultaram em casos de concessão de incentivos financeiros para habilitação e qualificação de unidades do Samu 192 sem comprovação do atendimento a todos os requisitos expressos na legislação vigente”, diz trecho do relatório.

Segundo o Ministério da Saúde, atualmente, o Samu tem 185 centrais de Regulação das Urgências, que atendem aproximadamente 2.944 municípios. O serviço é disponibilizado para cerca de 150 milhões de habitantes, o que corresponde a 74,59% da população brasileira.

Em 2015, conforme dados do Ministério da Saúde, o montante de recursos empenhados no Samu foi R$ 1,01 bilhão 4.338.455,10. O valor corresponde a recursos transferidos pela União aos estados e municípios a título de custeio das Unidades Móveis de Saúde habilitadas.

A auditoria apontou a necessidade de aprimoramento dos controles internos administrativos relativos ao cálculo dos valores a serem transferidos para custeio do Samu.

De acordo com a auditoria da CGU nos Serviços de Atendimento Móvel, foi possível atestar o funcionamento ininterrupto de todas as centrais de regulação, embora tenham sido identificadas deficiências em relação à estrutura mínima para funcionamento do serviço conforme as normas do Ministério da Saúde em oito estados e déficit de profissionais em 14 (51%) delas.

“Foi constatado, ainda, que 151 [18,73%] das 806 unidades móveis de Saúde terrestres habilitadas e custeadas pelo Ministério da Saúde estavam fora de funcionamento, assim como 3 das 7 embarcações habilitadas; e que a estrutura das Bases Descentralizadas estava inadequada em 21 dos 27 municípios fiscalizados, o que impacta negativamente a execução da ação de governo e acarreta dano ao erário em função dos valores repassados mensalmente para custeio dessas unidades, no montante de R$ 2,3 milhões”, diz trecho do relatório.

Já entre as motolâncias, foi identificado o maior percentual de veículos habilitados e fora de funcionamento, chegando a 46,15 % do total, o que demonstra a baixa efetividade desse tipo de Unidade Móvel no âmbito do Samu 192.

(Agência Brasil)

Polícia do Equador faz busca e apreensão em escritório da Odebrecht

A Procuradoria do Equador e a Polícia Nacional do país fizeram uma operação de busca e apreensão nesta sexta-feira (23) no escritório da Odebrecht em Guayaquil. A medida foi realizada após a confirmação de autoridades norte-americanas de que a empreiteira brasileira pagou mais de US$ 1 bilhão, cerca de R$ 3,3 bilhões, em propina a funcionários de governos em 12 países, entre eles o Equador.

De acordo com informações repassadas pelo procurador-geral Galo Chiriboga Zambrano, foram apreendidos documentos e arquivos de computadores que poderiam estar relacionados com os supostos pagamentos indevidos. Zambrano também disse que o país fará pedidos de cooperação internacional com o Brasil, Estados Unidos e Suíça em busca de provas para auxiliar as investigações das autoridades equatorianas.

Nessa quinta-feira (22), o governo do Equador anunciou que pediu ao Ministério Público que investigue supostos pagamentos de propina pela Odebrecht no país. Uma das principais obras feitas pela empreiteira foi a construção do metrô da capital, Quito.

(Agência Brasil)

BNDEs devolve R$ 100 bi ao Tesouro Nacional e reduz dívida bruta do governo

Um mês depois de o Tribunal de Contas da União (TCU) autorizar a operação, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) devolveu R$ 100 bilhões ao Tesouro Nacional. A quantia faz parte dos R$ 532 bilhões que o banco deve à União referente aos empréstimos que recebeu de 2008 a 2014.

Em nota, o Ministério da Fazenda informou que a antecipação reduzirá a Dívida Bruta do Governo Geral em 1,6 ponto percentual do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos no país). Em outubro, segundo os dados mais recentes do Banco Central, o indicador estava em 70,3% do PIB.

A devolução também permitirá ao Tesouro economizar R$ 37,3 bilhões em subsídios que deixarão de ser pagos ao BNDES nos próximos anos para cobrir a diferença entre a taxa Selic (juros básicos da economia) e os juros inferiores às taxas de mercado cobrados nos financiamentos concedidos pelo BNDES. Apenas em 2017, a economia deverá ficar em torno de R$ 7 bilhões.

Dos R$ 100 bilhões, o banco pagou R$ 40 bilhões em títulos públicos e R$ 60 bilhões em dinheiro. Os títulos foram imediatamente cancelados, e os recursos financeiros serão utilizados exclusivamente para o pagamento de dívida pública em mercado.

“A operação é importante componente do programa de ajuste fiscal do Governo Federal e resulta em melhora substancial e imediata no nível de endividamento”, informou o Ministério da Fazenda em nota.

Dívida bruta

De 2008 a 2014, o Tesouro Nacional aportou cerca de R$ 500 bilhões em títulos públicos ao BNDES para ampliar a capacidade do banco de emprestar recursos para sustentar o investimento e estimular a economia. O Tesouro emitiu títulos públicos ao banco, que vendia os papéis no mercado para ampliar o capital e poder emprestar mais recursos.

Os aportes do Tesouro ao BNDES não tiveram impacto sobre a dívida líquida do governo (diferença entre o que o governo deve e o que tem a receber), isso porque o que o BNDES devia ao Tesouro era anulado pelo que o Tesouro tinha direito a receber. As transações, no entanto, ampliaram a dívida bruta nos últimos anos.

Em maio, o BNDES tinha anunciado a intenção de devolver ao Tesouro R$ 100 bilhões que ainda não tinham sido usados pela instituição. A antecipação do pagamento precisou de aval do Tribunal de Contas da União (TCU), que só liberou a operação no fim de novembro.

Petrobras

No mesmo dia em que pagou R$ 100 bilhões ao Tesouro, o BNDES recebeu R$ 16,7 bilhões da Petrobras, que liquidou dívidas com o banco. Desse total, R$ 16,7 bilhões referem-se a três financiamentos do BNDES à própria Petrobras e à Transportadora Associada de Gás (TAG), subsidiária da petroleira. Em 28 de novembro, a Petrobras havia antecipado o pagamento de R$ 3,3 bilhões de outro financiamento firmado com a TAG. Os dois pagamentos equivalem a R$ 20 bilhões.

(Agência Brasil)

Câmara Municipal de Fortaleza terá escritório jurídico de apoio a famílias carentes

omaloisio

A Câmara Municipal de Fortaleza conta agora com o Escritório de Direitos Humanos e Assessoria Popular Dom Aloísio Lorscheider.

A iniciativa, é do vereador João Alfredo (Psol), e atenderá a famílias carentes em questões jurídicas.

Ficará, portanto, esse legado de João Alfredo para a cidade. Ele, aliás, disputou a Prefeitura de Fortaleza.

Sergio Moro tem aprovação de 66% dos brasileiros

SÈrgio Fernando Moro

O juiz federal Sergio Moro atingiu a maior aprovação de sua história. Pelo menos é o que indica uma pesquisa do Instituto Ipsos.

O magistrado é aprovado por 66% dos brasileiros, contra 22% que são contrários às atitude do juiz.

Em setembro de 2015, quando a pesquisa começou a circular, Moro era desconhecido por 56% das pessoas e tinha só 10% de aprovação.

(Veja Online)

Procon Fortaleza divulga última pesquisa sobre produtos de Natal e Ano Novo

163 1

NEGOCIOS

O Procon Fortaleza divulgou, nesta sexta-feira (23/12), a última pesquisa do ano com preços de alimentos e produtos nos supermercados da capital. O levantamento traz ainda um “box” com itens da ceia de natal e das festas de fim de ano como pernil, bacalhau, vinhos e espumantes. Ao todo, foram pesquisados 63 produtos entre os dias 21 e 23 de dezembro. A maior diferença foi encontrada no preço do quilo da uva, que pode chegar a 330% de variação. Já o quilo do pernil desossado pode variar até 160%.

Entre os produtos da pesquisa mensal em supermercados, o Procon encontrou variação acima de cem por cento em cinco alimentos. A batata, por exemplo, pode ser encontrada de R$ 1,69 a R$ 6,39, ou seja, uma variação de 278,11%. Outros itens como alho, cenoura, tomate e cebolo também estão entre os produtos que mais variaram no preço. Verificou-se ainda que dos 47 itens mensais pesquisados, 28 apresentaram aumento no preço médio e em 19 houve redução.

Segundo a diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, essa é a hora de buscar preços menores e evitar endividamento. “O consumidor precisa ficar atento e não comprometer o orçamento com despesas de fim de ano, tendo em vista que outras despesas de início de ano já se aproximam”, alertou.

Ceia e festas

Para quem deixou as compras da ceia de natal e ano novo para a última hora, o Procon Fortaleza preparou um box com 16 produtos mais comuns para o período. Confira as variações:

Uva R$ 3,59 R$ 15,44 330,08%
Pernil R$ 9,98 R$ 25,98 160,32%
Vinho 1 R$ 31,99 R$ 50,59 58,14%
Azeite R$ 17,99 R$ 27,90 55,09%
Espumante 1 R$ 30,90 R$ 45,90 48,54%
Figo Enlatado R$ 7,69 R$ 10,99 42,91%
Ave Chester R$ 12,18 R$ 16,38 34,48%
Azeitonas R$ 5,79 R$ 7,69 32,82%
Espumante 2 R$ 54,90 R$ 71,90 30,97%
Queijo Coalho R$ 29,99 R$ 39,19 30,68%
Tipo Bacalhau R$ 32,98 R$ 42,99 30,35%
Farofa Pronta R$ 4,85 R$ 5,84 20,41%
Vinho 2 R$ 12,90 R$ 14,15 9,69%
Peru R$ 13,35 R$ 14,28 6,97%
Chocotone R$ 12,72 R$ 12,99 2,12%
Panetone R$ 12,98 R$ 12,99 0,08%

Dicas

– Faça uma lista do que realmente precisa comprar;
– Avalia e faça as contas com as despesas de início de ano como matrículas escolares, impostos de veículos, viagens e taxas tributárias;
– Pesquise os preços em encartes distribuídos em jornais, bancas, locais de circulação de pessoas ou no próprio estabelecimento;
– Compare preços e marcas, lendo rótulos dos alimentos e verificando a data de validade;
– Evite ir às compras com fome e acompanhado de crianças;
– Opte por preços de marcas mais em conta;
– Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho.