Blog do Eliomar

Últimos posts

Decreto das Armas – Bolsonaro pode sofrer derrota no Senado

O presidente Jair Bolsonaro pode sofrer, nesta terça-feira, uma dura derrota na cruzada armamentista do governo. Isso a julgar pelo clima em determinadas bancadas dosenado, segundo informa a Veja OInline.

Responsável pela articulação política, o chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, que se prepare para ter uma “DR” com o amigo e presidente da Casa, senador Davi Alcolumbre, ironiza um senador do Sul.

O plenário da Casa deve analisar os decretos presidenciais sobre o tema e nada indica que a base terá votos para evitar que o revés ocorrido na CCJ, na semana passada, se repita.

(Foto – Agênia Brasil)

Senador Eduardo Girão vende empresa de segurança

O cearense Eduardo Girão (Podemos) é um dos senadores que defende a derrubada do decreto do presidente Jair Bolsonaro (PSL) que facilita o acesso a armas de fogo. Empresário do ramo de segurança privada, ele é alvo de questionamentos por essa contradição aparente. O senador, então, decidiu se desfazer da participação em algumas de suas empresas.

Girão concluiu recentemente a venda da Servis Segurança, empresa que trabalha com segurança armada. Ele também negocia a venda da Life, outra empresa do mesmo ramo. O senador mantém participação na Servis Eletrônica, que trabalha com inteligência na área de segurança, sem uso de armamentos.

O argumento do senador para se desligar das empresas de segurança armada é para preservar a independência do mandato e defender suas bandeiras sem atrelamento.

Girão integra o grupo de senadores que relata ser alvo de ameaças por votar a favor do decreto sobre as armas.

A suspensão do decreto está prevista para ser votada hoje. É o primeiro item da ordem do dia do plenário do Senado.

*Da Coluna Política do O POVO desta terça-feira, assinada pelo jornalista Érico Firmo/Foto – Agência Senado.

CCJ do Senado pode adotar voto aberto nas eleições das mesas do Congresso

O eleitorado sempre cobra esse tipo de mudança nos legislativos.

O voto aberto nas eleições das mesas no Congresso Nacional, Câmara dos Deputados e Senado pode passar a ser expresso na Constituição. A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 1/2019, que traz essa regra, está na pauta da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). A reunião está marcada para esta terça-feira, a partir das 10 horas.

Atualmente a Constituição prevê alguns casos em que a votação deve ser aberta, mas não trata das eleições para as mesas.

O alcance da PEC 1/2019, de autoria da senadora Rose de Freitas (Podemos-ES), não se restringe à escolha dos integrantes das Mesas da Câmara e do Senado. Por extensão e analogia, o voto aberto deverá ser aplicado, também, nas eleições para o comando das Assembleias Legislativas Estaduais; das Câmaras Municipais e da Câmara Legislativa do Distrito Federal.

(Foto -Divulgação)

TCE inicia investigação sobre repasse s milionários para consórcios de saúde

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) instaurou ontem apuração de possíveis irregularidades nos contratos de três dos 21 consórcios de saúde no Ceará. A etapa inicial do processo mira em entidades nos municípios de Camocim e Iguatu e nos da região do Vale do Curu, que receberam R$ 20,5 milhões em repasses do Governo apenas no ano passado.

Em parceria com a Controladoria-Geral do Estado (CGE), o órgão criou força-tarefa composta por seis auditores fiscais que vão se encarregar de passar um pente fino nas contas dessas autarquias, que administram policlínicas e Centros de Especialidades Odontológicas.

De acordo com o TCE, a investigação abrange os exercícios financeiros de 2014 até 2017, período no qual o tribunal identificou indícios de malfeitos nas prestações de contas avaliadas.

Em 2018, o Estado transferiu R$ 6,3 milhões para o consórcio de saúde de Camocim. O de Iguatu recebeu R$ 4,6 milhões em repasses do tesouro e o do Vale do Curu, outros R$ 9,6 milhões. Somados também os recursos diretamente aportados pelas prefeituras, os valores chegam a R$ 40,1 milhões.

Secretário de Controle Externo da Corte de contas, Raimir Holanda explica que a fase aberta ontem, de planejamento das ações de cooperação entre TCE e CGE, deve se estender até o fim do mês, quando então se iniciam as diligências e visitas aos consórcios. “O trabalho se divide em três fases: planejamento, execução e elaboração do relatório”, conta Holanda, que coordena as ações de fiscalização no TCE.

Segundo ele, é na segunda fase do trabalho, prevista para o começo de julho, que os auditores devem inspecionar os consórcios presencialmente. “Vamos fiscalizar a parte orçamentária, contábil, financeira e patrimonial das entidades”, relata. “Além da parte de aquisições e de gestão de pessoas, também vamos avaliar a transparência dos consórcios.”

Cumpridas essas duas etapas, um conselheiro, ainda não designado, avalia os resultados colhidos por auditores e elabora um parecer, que depois será submetido ao plenário do tribunal. Antes disso, porém, abre-se prazo para apresentação de contraditório dos gestores, caso haja irregularidades detectadas pela equipe técnica.

Holanda estima que essa força-tarefa formada por TCE e CGE leve até três meses para concluir as apurações. O secretário não descarta que as auditorias se estendam aos demais consórcios.

“Os três iniciais são para tirar uma fotografia da situação dos consórcios”, diz. “Vamos avaliar ainda para saber se esse trabalho tem que ser expandido ou não. É possível que seja expandido para os demais consórcios.”

Desde abril, denúncias de uso político feitas por deputados estaduais na Assembleia Legislativa (AL-CE) expuseram as disputas entre aliados e adversários no Interior pelo controle dos consórcios. Antes livres para nomeação por gestores, cargos de direção e secretarias-executivas nas entidades passaram a ser preenchidos sem observância a critérios técnicos.

Em muitos deles, como mostrou O POVO em série de reportagens desde abril, prevalecia a indicação de aliados de parlamentares, despertando intrigas dentro da própria base parlamentar do governador Camilo Santana (PT). Noutros, diretoras e secretárias haviam sido destituídas por prefeitos.

Naquele mesmo mês, porém, a Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) elaborou conjunto de regras para endurecer os processos de escolha para os postos de chefia nos consórcios. As medidas foram publicadas em decreto.

Consórcios receberam R$ 205 milhões só em 2018

Ao todo, os 21 consórcios de saúde existentes no Ceará foram beneficiados com repasses do Governo que somam R$ 108 milhões em 2018. Da parte dos municípios, houve aporte de outros R$ 97 milhões no mesmo período. O total é de R$ 205 milhões, considerados as duas fontes que alimentam as entidades.

Em abril passado, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) admitiu ao O POVO que havia identificado indícios de irregularidades nas prestações de contas apresentadas pelos gestores dos consórcios em 2017. Naquele ano, o Governo transferiu R$ 91,3 milhões para as entidades, quantia inferior aos R$ 98,5 milhões do ano anterior.

Uma operação conjunta agora faz varredura nos exercícios financeiros das entidades de saúde entre 2014 e 2017. No Ceará, os consócios administram policlínicas e Centros de Especialidades Odontológicas.

Secretário de Controle Externo da Corte, Raimir Holanda afirma que, apenas depois de comprovados os eventuais danos, o pleno do TCE poderá determinar a punição aos gestores responsáveis.

“A dosimetria dessa sanção depende da irregularidade: pode ser imputação de multa até a inelegibilidade do gestor”, diz Holanda, que cuida das fiscalizações do órgão. Segundo ele, os trabalhos iniciais, que envolvem planejamento, execução e relatório, devem levar três meses.

A partir daí, o relator designado abre consulta ao Ministério Público, que emite parecer. Só então o relatório é encaminhado aos demais conselheiros do TCE.

Como O POVO mostrou, o MPCE também instaurou procedimento preliminar em 17 de abril para apurar possíveis malfeitos nos contratos e dano ao erário. A investigação é conduzida pela Procuradoria dos Crimes contra a Administração Pública (Procap).

Em maio passado, o titular da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho (Cabeto), então sob pressão de prefeitos, garantiu que os critérios técnicos adotados pelo Governo são inegociáveis. As medidas foram adotadas como resposta às denúncias de uso político nas autarquias. Feitas por deputados, elas foram o estopim das investigações nas entidades de saúde.

( POVO – Repórter Henrique Araújo/Foto – TCE)

Bolsonaro ainda não decidiu sobre privatização dos Correios, diz porta-voz

Nessa segunda, Bolsonaro recebeu a visita do ex-jogador Ronaldinho Gaúcho.

O porta-voz da Presidência da República, Otávio Rego Barros, avisa: o presidente Jair Bolsonaro ainda não decidiu o momento adequado de realizar a troca do presidente dos Correios, general Juarez Cunha. Na semana passada, o presidente afirmou que vai trocar o comando da empresa devido ao fato de Cunha agir como “sindicalista”.

“Ele [Bolsonaro] ainda não decidiu com relação ao momento da efetivação e, tampouco, por consequência, possui um nome já avaliado e acordado por ele e o Ministério da Ciência, Tecnologia, disse Rego Barros, durante entrevista coletiva no Palácio do Planalto.

A demissão do presidente dos Correios foi anunciada pelo presidente na última sexta-feira (14), durante um café com jornalistas. Em abril, Bolsonaro já havia autorizado estudos para a desestatização da companhia e, em uma publicação no Twitter no início do mês, disse que o tema tinha voltado a ganhar força.

Com 356 anos de existência, a empresa é subordinada hoje ao Ministério das Comunicações, Ciência, Tecnologia e Inovação. Após prejuízos registrados entre 2013 e 2016, a estatal registrou lucro de R$ 161 milhões em 2018 e de R$ 667,3 milhões em 2017.

DETALHE – O presidente Jair Bolsonaro recebeu o ex-jogador de futebol Ronaldinho Gaúcho. Segundo o porta-voz, o ex-atleta é amigo de Bolsonaro e, durante o encontro, demonstrou sua disponibilidade para ajudar a formar opinião e “mostrar o Brasil em âmbito internacional por meio de suas mídias sociais.

(Com Agência Brasil/Foto – PR)

Heitor Férrer apresenta projeto para dar freio na farra de títulos de cidadania

257 1

Um projeto de lei de autoria do deputado Heitor Férrer (SD) quer acabar com o festival de entrega de títulos de cidadania que vem marcando a atuação dos senhores parlamentares e causando, inclusive, verdadeira briga ideológica.

Ele deu entrada num projeto que endurece critérios para a concessão da honraria. Entre exigências: o autor da proposta terá que expor quais os relevantes serviços prestados ao Estado pelo homenageado; cada deputado terá direito a apresentar um título por legislatura; o número de títulos fica limitado a 12 por ano.

Para Heitor Férrer, é hora de barrar “o uso de títulos de cidadania por caráter ideológico, o que vem desestabilizando a relação entre os pares, ou aquele dado só para agradar”.

Ele lamenta pelejas envolvendo títulos para Damares Alves, João Pedro Stédile e até Bolsonaro. A matéria já entrou em tramitação.

VAMOS NÓS – Bem que a Câmara Municipal de Fortaleza poderia também dar um basta no festival de entrega da Medalha Boticário Ferreira, que, nos últimos anos, virou arroz de festa para muita gente.

(Foto – ALCE)

Governo vai implantar cisternas a partir de julho em Goiás e no semiárido nordestino

As instalações do Programa Cisternas, que visam garantir o armazenamento de água em comunidades carentes, vão começar em julho deste ano. As primeiras 140 moradias atendidas são da comunidade quilombola Kalunga, em Goiás, e 3.704 domicílios do semiárido nordestino devem receber as cisternas até fevereiro de 2020. O anúncio foi feito nesta segunda-feira pela titular da Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), Sandra Terena.

Segundo a secretária, o Ministério está trabalhando “em pleno vapor para que as comunidades que sofrem com a seca no Brasil possam vivenciar uma realidade transformada.” As cisternas são sistemas de armazenamento de água que garantem o abastecimento em épocas de seca.

Oficinas

Sandra Terena participa nesta segunda, em Recife, de uma oficina sobre o programa com representantes de empresas que irão executar a construção das cisternas nas comunidades. Para a coordenadora de Difusão e Promoção de Políticas para as Comunidades Quilombolas, Arlene de Morais, que participa da Oficina na capital pernambucana, o objetivo é sensibilizar as empresas com informações qualificadas sobre as comunidades com as quais vão trabalhar. “A partir das apresentações institucionais que trouxeram os aspectos conceituais do que é ser quilombola, bem como a construção de parceria efetivada para a execução de políticas públicas, as entidades possam cumprir os requisitos de execução do programa, respeitando as especificidades e modo de vida das comunidades”.

(Agência Brasil)

Porto do Pecém registra o melhor resultado do mês de maio dos últimos cinco anos

O Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP) atingiu a marca de 1.541.285 toneladas de mercadorias movimentadas no mês passado. Foi o melhor resultado para maio nos últimos cinco anos. Os embarques de cargas para fora do Estado e do País impulsionaram a alta nos resultados. Se comparado as toneladas, a movimentação de cargas em contêineres teve um aumento (57%).

Na comparação para o mesmo período, houve uma alta (4%), um resultado impulsionado pelo embarque de cargas com um crescimento (29%) registrado em um total de 480.018 toneladas. No resultado acumulado do ano, a movimentação foi de 7.082.419 toneladas. Em relação ao ano passado, houve um incremento (15%) com um total de 1.958.905 toneladas de mercadorias enviadas para fora do Estado. Além disso, somando a navegação de longo curso (para fora do país) e cabotagem (movimentação entre portos brasileiros).

Conforme afirma do presidente do Complexo Portuário do Pecém, Danilo Serpa, existe um leque extenso de produtos movimentados através do Porto cearense. “E um trabalho de prospecção continua sendo realizado para conquistar mais clientes. Nosso objetivo é manter a linha de crescimento dos últimos anos. Então, estamos realizando melhorias no complexo, reuniões e divulgando a nossa capacidade de operação”, diz. O presidente dá ênfase ainda na estrutura do CIPP, que é pronta para receber empresas que possam produzir aqui, movimentar através do porto e gerar emprego e renda para o estado”.

Cargas e mercadorias

Os granéis sólidos representam mais da metade (53%) do que foi transportado entre as cargas, um total de 3.771.369 toneladas. O material é usado na produção da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) e das Termelétricas. Já a carga em contêineres registrou um saldo de 78.275 unidades (122.293 teus), um crescimento (28%) em relação ao mesmo período em 2018. Os principais destaques são carvão mineral, minério de ferro, placas de aço, adubos e fertilizantes, arroz, sal, farinha de trigo e frutas.

Se comparado as toneladas, houve um aumento (57%) na movimentação de cargas em contêineres.

(O POVO)

Polícia apreende espingarda calibre 12, coletes e munição na Comunidade do Gengibre

Uma espingarda calibre 12, dois coletes balísticos e munições foram apreendidas na comunidade do Gengibre, no bairro Manoel Dias Branco, em Fortaleza, nesta segunda-feira, 17. Ação foi realizada pelo Batalhão Cotam, que corresponde ao Comando Tático Motorizado.

De acordo com uma fonte da Polícia Militar, houve uma denúncia anônima que apontava um terreno na comunidade do Gengibre que servia como um espaço utilizado para armazenar drogas e armas. Após os militares entrarem no matagal, eles encontraram um homem, que se movimentou e fez barulho, fazendo com que o grupo criminoso fugisse, segundo a Polícia.

Durante as buscas, os policias encontraram o material. O “olheiro” que facilitou a fuga do grupo também conseguiu fugir.

(O POVO Online -Rrepórter Jéssika Sisnando/Foto – Reprodução)

Webinário Mobilidade Urbana debate nas rede sociais do O POVO uma Fortaleza Inclusiva

O Webinário Mobilidade Urbana, uma promoção do O POVO e Rádio O POVO/CBN, debateu nessa segunda-feira os setores que estão além do fluxo de veículos.

Nesta terça-feira, a partir das 19 horas, nas redes sociais do O POVO, serão tratadas as ações de desenho urbano para tornar Fortaleza mais inclusiva.

(Foto-0 O POVO)

Gustavo Montezano será o novo presidente do BNDES

O secretário adjunto de Desestatização e Desinvestimento, Gustavo Montezano, será o novo presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O nome foi anunciado há pouco pelo Ministério da Economia, em nota oficial.

Auxiliar direto do secretário especial de Desestatização, Salim Mattar, Montezano precisará ter a indicação aprovada pelo Conselho de Administração do BNDES.

Graduado em engenharia pelo Instituto Militar de Engenharia (IME) e Mestre em Finanças pelo Ibmec, Montezano tem 17 anos de carreira no mercado financeiro. Sócio do Banco Pactual, atuou como responsável pela área de crédito, resseguros e project finance (financiamento de projetos) e foi diretor-executivo da área de commodities do banco em Londres. Monezano tem 38 anos.

O porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, informou que o presidente Jair Bolsonaro reuniu-se com o ministro da Economia, Paulo Guedes, por duas vezes hoje. Segundo o porta-voz, a substituição de um titular é considerada uma situação normal em função do interesse público e capacidade de colocar os projetos em andamento com vistas a tingir os resultados estabelecidos anteriormente.

“Uma das medidas que se deseja é a devolução dos recursos do banco para o Tesouro Nacional. Além disso, deve aumentar investimentos em infraestrutura e saneamento e ajudar a reestruturar, ‘abrir a caixa-preta do passado’, apontando para onde foram investidos em Cuba e na Venezuela, por exemplo”, disse Rêgo Barros. Por meio da rede social Twitter, Bolsonaro também anunciou o novo presidente do BNDES, publicando uma foto de Montezano, com o currículo dele.

No comunicado, o Ministério da Economia informou que agradece a Joaquim Levy pela dedicação demonstrada no comando do BNDES desde janeiro. Levy renunciou à presidência da instituição financeira ontem (16). No sábado (15), o presidente Jair Bolsonaro disse que Levy estava “com a cabeça a prêmio há algum tempo”, em frente ao Palácio da Alvorada, pouco antes de embarcar para um evento no Rio Grande do Sul .

A comissão parlamentar de inquérito (CPI) da Câmara dos Deputados que investiga supostas irregularidades no BNDES ouvirá Levy no dia 26. Segundo o presidente da CPI, deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP), o requerimento para convocação de Levy havia sido aprovado pela comissão em abril. Dessa forma, mesmo após ter se demitido do cargo, Joaquim Levy é obrigado a comparecer à comissão.

(Agência Brasil)

Reforma da Previdência pode ser aprovada em comissão na próxima semana, diz Maia

Maia não vem ao Ceará nesta terça-feira, como ele informou na Jovem Pan.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse hoje (17) que a reforma da Previdência pode ser aprovada pela comissão especial que analisa o tema até o próximo dia 26. O parecer do relator da proposta de emenda à Constituição (PEC) na comissão especial da Câmara, Samuel Moreira (PSDB-SP), foi lido na última quinta-feira (13).

O texto foi criticado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, segundo o qual, as alterações feitas na proposta inicial enviada pelo governo podem “abortar” a reforma. Para o ministro, entre os principais problemas, estão as mudanças nas regras de transição que reduziram substancialmente a economia projetada.

Rodrigo Maia disse que o posicionamento de Guedes teve efeito positivo. “A fala uniu o Parlamento, nos deu chance de estar mais próximos dos governadores e prefeitos. Tem crises ou críticas que vêm para bem. Essa é uma delas. Fortaleceu a certeza [de] que a Câmara e o Senado podem ter neste momento o papel [de] protagonista que nunca tiveram nos últimos 20 anos”, afirmou o presidente da Câmara depois de participar de um evento sobre transparências promovido pelo Grupo Bandeirantes.

Joaquim Levy

Maia comentou a demissão do presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy. Ele pediu para deixar o cargo ontem (16) após ser criticado pelo presidente Jair Bolsonaro. Segundo Bolsonaro, o motivo do descontentamento com Levy foi a nomeação do advogado Marcos Barbosa Pinto para o cargo de diretor de Mercado de Capitais do BNDES.

O presidente da Câmara defendeu Levy e Barbosa. “Queria que o Marcos Pinto pudesse ser aproveitado em uma área de um debate importante sobre economia com viés social. Ele é um dos melhores do Brasil nessa área. Demitir faz parte da vida, é um direito do governo, mas da forma como foi feito, criou suspeição sobre o Marcos Pinto. Esse advogado que foi demitido do BNDES é um dos quadros que mais entendem de política econômica do ponto de vista social no Brasil”, ressaltou Maia, que elogiou a trajetória de ambos e os serviços que prestaram ao país.

(Agência Brasil)

Série D – Floresta empata com Moto Club em jogo de seis gols

Com um gols aos 6 minutos dos acréscimos do segundo tempo, o Moto Club arrancou o empate, em 3 a 3, diante do Floresta, na tarde desta segunda-feira (17), no estádio Presidente Vargas, no primeiro jogo entre as duas equipes pelo mata-mata da Série D do Campeonato Brasileiro. Renê, duas vezes, e Zé Aquiraz marcaram para o time cearense, enquanto Wallace, Victor Salvador e Márcio Diogo descontaram para a equipe maranhense. As duas equipes voltam a campo no domingo (23), em São Luís.

O Floresta sempre esteve à frente no placar, mas o Moto Club empatava. O time cearense reclamou bastante do último gol maranhense, pois já havia pedido o final da partida minutos antes.

(Foto: Divulgação)

Sesi do Ceará quer difundir ações em favor da saúde do trabalhador da construção pesada

O Sesi do Ceará, em parceria com o Sindicato da Indústria da Construção Pesada (Sinconpe), vai promover um café da manhã no próximo dia 24, na sede da Federação das Indústrias do Estado (Fiec).

O objetivo é difundir a importância e o cuidado com a segurança do trabalho no setor industrial, com foco nas ações que podem ser melhorar a saúde do trabalhador.

Participarão nesse encontro diretores e coordenadores da área de saúde e segurança das empresas de construção pesada.

(Foto – Ilustrativa)

Produtividade do trabalho no Pais recua 1,1% no primeiro trimestre deste ano

A produtividade por hora trabalhada no país, calculada pela Fundação Getulio Vargas (FGV), recuou 1,1% no primeiro trimestre deste ano, na comparação com o primeiro trimestre de 2018. O dado é calculado com base nas Contras Trimestrais e na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad), divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No trimestre anterior, a produtividade havia crescido 0,1%. Considerando-se os grandes setores da economia, apenas a agropecuária teve alta na produtividade do trabalho na comparação do primeiro trimestre do ano com o mesmo período de 2018 (0,4%). Na indústria e nos serviços, houve recuo de 1,2% no período.

No acumulado de quatro trimestres, a produtividade no trabalho recuou 0,3%. Entre os setores, apenas os serviços tiveram queda nesse tipo de comparação (-0,8%). Na indústria, houve crescimento de 0,6% e, na agropecuária, 1,5%.

(Agência Brasil)

“Terça de Graça” – Projeto estreará em Maranguape com o show “Elas Cansam Roberto”

O humorista e empreendedor Bené Barbosa (Papudim) leva seu projeto “Terça de Graça” para além de Fortaleza.

O projeto estreará nesta terça-feira, às 18h30min, no Teatro da Sociedade Artística de Maranguape, a terra de Chico Anysio, com o espetáculo “Elas cansam Roberto”.

Trata-se de uma sátira aos especiais de fim de ano do cantor Roberto Carlos,a Globo, que terá em cena os atores Edson Santos e Juan Bustamante, que imitam várias divas da MPB como “Maria Beiçona”, “Wandervéia” e “Fafá Despeitada de Belém”.

(Foto – Divulgação)

Odebrecht entra com pedido de recuperação judicial; é o maior da história do Brasil

99 1

A  Odebrecht entrou, nesta segunda-feira, 17, com um pedido de recuperação judicial. É o maior da história no Brasil. O grupo tem uma dívida estimada em R$ 80 bilhões, superando assim o processo do grupo de telefonia Oi, que ostentava débitos de R$ 64 bilhões quando entrou com a medida em 2016. A informação é da Veja Online.

Na última semana, a Caixa, uma das credoras da companhia, iniciou processo de execução das dívidas da empresa, aumentando a pressão do banco estatal sobre a Odebrecht que já vinha desde o pedido de recuperação judicial da Atvos, braço de açúcar e álcool da holding, no fim de maio. A Atvos, que tem dívida de quase R$ 12 bilhões, foi a primeira empresa do grupo a recorrer à proteção da Justiça para renegociar seus débitos.

Até a semana passada, os grandes bancos brasileiros negociavam em conjunto uma recuperação extrajudicial do grupo Odebrecht. Caso o pedido de recuperação judicial seja aceito pela Justiça, as instituições financeiras entrarão numa fila para receber os empréstimos, ao lado de funcionários, governo, fornecedores e outros. Além disso, o desconto sobre a dívida tende a ser bem maior.

DETALHE – A Odebrecht, que enfrenta grave crise financeira desde que foi atingida em cheio pela Operação Lava Jato, acumula execuções judiciais em andamento e informa estar sem alternativas para resolver seu problema de liquidez financeira.

(Foto – Arquivo)