Blog do Eliomar

Últimos posts

Grupo Fraport, que arrematou o aeroporto, é aguardado em Fortaleza

Camilo no dia do leilão, em São Paulo.

O prefeito Roberto Cláudio (PDT) e o governador Camilo Santana (PT) vão receber, nesta segunda-feira, em Fortaleza, a visita de diretores do Grupo Fraport. Esse grupo alemão arrematou, em leilão, o Aeroporto Internacional Pinto Martins.

Ganhou uma concessão de 30 anos, prorrogáveis por mais cinco, por R$ 1,5 bilhão em leilão realizado no dia 16 de março último, na Bolsa de São Paulo. O início da sua operação no Pinto Martins será em 28 de julho, mas as obras previstas em contrato só devem acontecer em 2018.  Isso porque, em julho deste ano, começa uma operação compartilhada por seis meses.

Nos três primeiros, a Infraero seguirá à frente da gestão, com participação da Fraport. Nos três meses seguintes, a Fraport assume o comando, mas ainda com auxílio da Infraero.

(Foto – Divulgação)

Temer diz em artigo que confiança na economia voltou

O presidente Michel Temer afirmou hoje (22), em artigo publicado no jornal espanhol El País, que a confiança na economia brasileira voltou. Ele pediu ainda que os empresários espanhóis aproveitem oportunidades de investimento no Brasil.

O artigo foi publicado às vésperas da visita do primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, ao Brasil. Rajoy estará em Brasília na segunda-feira (24) “A confiança [na economia] voltou. Queremos, como em outras ocasiões, que a Espanha se una ao Brasil nesse momento de recuperação e aproveite as muitas oportunidades que se apresentam”, escreveu Temer.

Temer destacou a grande presença de investidores espanhóis no Brasil e afirmou que a visita de Rajoy ajudará a estreitar as relações entre os dois países.“Este é o momento de renovar essa colaboração. É o que faremos na próxima segunda-feira.O primeiro-ministro Rajoy irá encontrar um Brasil em transformação. Um Brasil que enfrenta seus desafios com seriedade e com energia”, acrescentou o presidente.

Durante a visita de Estado também estão previstos encontros com empresários espanhóis, nos quais o governo apresentará oportunidades de investimento no Brasil. Segundo informações do Blog do Planalto, em 2016 o fluxo de comércio do Brasil com a Espanha somou US$ 5,2 bilhões.

Reformular o país

Já em entrevista a agência EFE, Temer disse que quer ser lembrado como “alguém que reformulou o país” após a crise e “permitiu que os novos governos encontrem um país mais tranquilizado”.

O presidente disse ainda que seu principal objetivo é tirar a economia brasileira do grave quadro de recessão em que se encontra há dois anos, com medidas que exigem “duras”, “profundas” e impopulares reformas.

Fortaleza será a capital de eventos dos auditores fiscais federais da agricultura

Fortaleza será sede do VIII Congresso Latino-Americano e do XIV Congresso Brasileiro de Higienistas de Alimentos. Ou seja, do encontro dos auditores fiscais federais da agricultura.

Esses eventos acontecerão no Hotel Praia Centro, de terça a sexta-feira e debaterão o tema “O Uso da educação Alimentar e Nutricional como Estratégia para Redução do Desperdício.

DETALHE – Ao final do evento, deverá sair a Carta de Fortaleza e nota de protesto contra as reformas do, governo Michel Temer.

Serra quer Lula disputando em 2018

Uma cena ocorrida durante um jantar oferecido pelo senador Eunício Oliveira, há cerca de dez dias, revela como a delação da Odebrecht uniu PT, PSDB e PMDB na esquina do desespero.

Na ocasião, tucanos e petistas defendiam abertamente a aprovação do projeto da lei do abuso de autoridade, que endurece punições a procuradores e juízes.

Depois de ouvir elogios dos colegas à proposta, Jorge Viana (PT) alertou sobre a situação de quem lhe interessa. Disse que a iniciativa, embora bem-vinda, não altera em nada a situação de Lula, ameaçado de ser preso.

Eis que a frase de consolo partiu de José Serra, deixando claro que o medo hoje é pluripartidário em Brasília. “Não. Lula tem que ser candidato em 2018. Tem legitimidade”.

(Veja Online)

Empresário cearense adquire empresa de transportes em Lisboa

O empresário cearense Francisco Feitosa comprou a Vimeca, empresa de transportes que opera na região da Grande Lisboa, em Portugal, informa um aviso publicado, na última quinta-feira, 20 de Abril, pela Autoridade da Concorrência.

Chiquinho Feitos, como é conhecido, é dono do Grupo Vega, fundado em fevereiro de 2002, em Fortaleza. Também é o primeiro suplente do senador tucano Tasso Jereissati.

A Vimeca foi criada em 1931 e em 1995 comprou a Rodoviária de Lisboa, atuando na Grande Lisboa. Integra o Grupo Imorey, do qual fazem parte os hotéis Fénix. O valor da operação não foi divulgado.

O aviso da Autoridade da Concorrência serve para alertar os interessados de que têm 10 dias úteis para se pronunciar sobre esta operação, informa a imprensa portuguesa.

Camilo prestigia Festa de Marrecas em Tauá

O governador Camilo Santana (PT) encontra-se, neste domingo, em Tauá (Região dos Inhamuns). Ali, ele confere a celebração da tradicional festa de Jesus, Maria e José no dstrito de Marrecas. O evento atrai milhares de caravanas de vários pontos da região e também muitos políticos.

Gente da oposição ao governador, como Domingos Filho, presidente do TCM, e o deputado federal Domingos Neto (PSD), já passaram pela festa nesse sábado.

Ao meio-dia e meio, o governador assinará o decreto de desapropriação de áreas públicas da Fazenda Uruanan, dessa vez em Chorozinho, na Região Metropolitana de Fortaleza.

Chove em mais de 40 municípios cearenses

Choveu, ate as 10 horas deste domingo, em 49 municípios cearenses, de acordo com boletim divulgado pela Funceme. Confira as 10 maiores:

Granja (Posto: Adrianopolis) : 83.0 mm

Brejo Santo (Posto: Poco Do Pau) : 67.0 mm

Groaíras (Posto: Capim 1) : 56.0 mm

Granja (Posto: Pessoa Anta) : 50.0 mm

Alto Santo (Posto: Alto Santo) : 48.4 mm

Iracema (Posto: Sao Jose Do Fama) : 44.0 mm

Tamboril (Posto: Oliveira) : 43.0 mm

Caririaçu (Posto: Vila Feitosa) : 39.0 mm

Tamboril (Posto: Tamboril) : 30.8 mm

Abaiara (Posto: Abaiara) : 30.0 mm

DETALHE – Em Fortaleza, chove, o que faz com que motoristas dirijam com maior cautela.

Após atentado, França caminha para uma eleição cada vez mais imprevisível neste domingo

O ataque em Paris na noite da quinta-feira (20), deixando um policial morto e três feridos, adicionou tensão ao contexto da eleição para presidente, que acontece neste domingo (23). Apesar de pesquisas mostrarem que os eleitores estão mais preocupados com desemprego e a situação econômica do país, terrorismo e segurança, assim como a questão migratória, fizeram parte da agenda de campanha. Mais de 230 pessoas já morreram em ataques terroristas desde janeiro de 2015 e o país continua sob estado de emergência.

A candidata da Frente Nacional, Marine Le Pen, aproveitou para reforçar sua visão dura sobre segurança e migração. Segundo ela, o controle das fronteiras nacionais precisa ser restabelecido imediatamente. Com sua plataforma nacionalista, anti-imigração, anti-globalização e anti-União Europeia, ela deve ir para o segundo turno. Se isso ocorrer, será o melhor desempenho da história do partido de extrema-direita.

Quem disputa com Le Pen a liderança do pleito deste domingo é o candidato de centro Emmanuel Macron, forte defensor da permanência da França no bloco europeu. Mais jovem na disputa, com 39 anos, ele teve uma ascensão meteórica na campanha presidencial, apesar de nunca ter concorrido a uma eleição.

Macron chegou a ser ministro da Economia do atual presidente, François Hollande, mas deixou o Partido Socialista. Agora, concorre de forma independente, com uma visão liberal da economia e progressiva em assuntos sociais.

De acordo com pesquisa da TV Francesa, divulgada antes do ataque, Le Pen tem 22% das intenções de voto e Macron aparece logo à frente, com 25%. Se os dois chegarem ao segundo turno, a previsão é de que o centrista será eleito presidente.

(Agência Brasil)

Confissão tardia

271 3

Da Coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (23):

Um ano depois do golpe promovido pela aliança entre o capital financeiro (interessado na mudança do modelo sociodesenvolvimentista e nacional) e segmentos políticos golpistas, interessados em barrar a Operação Lava Jato para se livrarem da cadeia, o País assiste à confissão pública do principal beneficiário da armação: Michel Temer.

Ele confirmou o que já se sabia: o impeachment foi pura obra de vingança do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, irritado com o fracasso da chantagem sobre Dilma para que ela obtivesse do PT os três votos necessários para livrá-lo da condenação no Conselho de Ética. A entrevista de Temer foi dada ao SBT, no último dia 15. Ou seja: toda aquela conversa fiada de “pedaladas fiscais” foi um engodo para justificar o assalto ao poder, de forma fraudulenta.

A defesa de Dilma já entrou com recurso no STF para anular o impeachment farsesco. O senso de justiça exige não só que o impeachment seja desfeito, mas, os autores da fraude processados.

As principais forças interessadas na derrubada do governo brasileiro – Departamento de Estado americano; capital financeiro e rentistas brasileiros – agiam há muito tempo. Os EUA, movidos por razões geopolíticas, estavam interessados em fragilizar o Brics (do qual fazem parte Brasil, Rússia, China, Índia e África do Sul) para isolar a Rússia.

Ora, desestabilizar o Brasil – aliado russo nesse projeto – era essencial. O País, por seu grande potencial econômico e sua política externa independente (desenvolvida por Lula e fortalecida pelo pré-sal) contrariava os americanos, em termos de mercado e de protagonismo diplomático (remember acordo atômico com a Turquia). Sobretudo, na América Latina, África e países árabes (indústria de armas).

Urgia aos americanos, também, desbancar os governos progressistas (e insubmissos) do continente. Nessa brecha entrou o capital financeiro, articulado mundialmente, para impor o modelo neoliberal, favorecer o rentismo e a especulação, em detrimento da produção. Sempre em aliança com segmentos rentistas brasileiros, que nunca se interessaram por um projeto de nação para o Brasil. Querem apenas ganhar dinheiro: essa questão de “pátria”, “nação” é considerada por eles “atraso”. Pouco se lixam para isso.

Os grandes financistas nativos sempre foram contra a Petrobras, a formação de empresas estratégicas nacionais e o fortalecimento do mercado interno – elementos essenciais para garantir a soberania nacional e espaço próprio no cenário internacional. Querem um País “cucaracha”, como o desenhado pelas elites do México (não por seu bravo povo). Isto é: submisso a Washington.

Paróquia Cristo Rei realiza Festa da Divina Misericórdia neste domingo

A Paróquia Cristo Rei, na Aldeota, realiza neste domingo (23), a partir das 15 horas, a Festa da Divina Misericórdia. Esse é o terceiro ano consecutivo que a Paróquia Jesuíta inclui a festa no calendário litúrgico local, umas das maiores celebrações da Igreja Católica no mundo. A programação terá início com o Terço da Misericórdia e adoração ao Santíssimo, seguida da Santa Missa, celebrada às 17h. A Paróquia pede que fiéis levem quadros e imagens de Jesus Misericordioso para receber uma benção especial, chamada de entronização dos quadros, mesmo aqueles que já foram abençoados.

O pároco Igreja Cristo Rei, padre Resende (S.J.), lembra que este ano a Igreja Católica também celebra o Ano Mariano. “Vamos celebrar a Festa da Misericórdia, relembrando a mãe da misericórdia, que é a mãe de Jesus”.

A devoção à Divina Misericórdia teve origem a partir das aparições e revelações de Jesus à Santa Polonesa, Irmã Faustina Kowalska, que viveu entre 1905 e 1938, em Cracóvia, na Polônia, a mesma cidade natal do Papa São João Paulo II, que instituiu a Festa em seu pontificado.

O cantor e paroquiano Mota Filho receberá os fiéis com cantos e louvores da divina misericórdia.

Caixa 2 generalizado é “opinião” da Odebrecht, diz Temer

O presidente da República, Michel Temer, disse nesse sábado (22) que um suposto uso universal da prática conhecida como caixa 2 nas eleições brasileiras é “uma opinião” da empreiteira Odebrecht. O ex-presidente da empresa, Marcelo Odebrecht, afirmou em depoimento à Polícia Federal que não existe, no Brasil, nenhum político eleito para cargo público sem o uso dessa prática.

“Acho que é uma opinião. A Odebrecht é que acha que todos os políticos se serviram do caixa 2. Aliás, ao assim se manifestarem, dizem que eles são os produtores do caixa 2. Eu conheço muitos políticos que não se serviam do caixa 2 para se eleger. Eu fui presidente de um partido [PMDB], o maior partido do país durante 15 anos, e as contribuições chegavam oficialmente pelo partido”.

Temer descartou ainda que a delação da Odebrecht vá atrapalhar a aprovação das reformas trabalhista e da Previdência no Congresso Nacional. Após a delação, foi pedida a abertura de inquéritos para investigar ministros do seu governo, além de deputados e senadores da oposição e da base aliada.

“Quando um delator fala, há o início de um processo que nem ainda é um processo judicial. Muitas vezes é um inquérito de natureza administrativa. Depois pode dar-se a hipótese do inquérito judicial, e depois é que o Ministério Público vai verificar se denuncia ou não. E o Judiciário vai dizer se recebe ou não a denúncia”, enumerou Temer, que reafirmou ter estabelecido uma “linha de corte”. “Quando alguém é denunciado pelo Ministério Público eu afasto provisoriamente o ministro. Se depois a denúncia for aceita [pelo Judiciário] eu afasto definitivamente”, acrescentou.

(Agência Brasil)

Cerca de 70% dos inquéritos abertos por Fachin envolvem pagamento de caixa 2

Dos 81 inquéritos abertos pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, 71%, ou 58 inquéritos, tratam de acusações de pagamento de caixa 2, recursos não contabilizados pela Justiça e pagos a partidos e políticos a pretexto de campanhas eleitorais.

Já os 29% restantes (23 inquéritos) envolvem acusações de pagamento de propina para facilitar contratos e licitações da empreiteira Odebrecht com o Poder Público ou para aprovar medidas em tramitação no Congresso Nacional que beneficiariam a construtura.

Em parte dos inquéritos que tratam de caixa 2, os delatores especificam que os recursos estavam de alguma forma ligados a uma contrapartida, como futuros contratos com o Poder Público. Na maioria dos casos, a empreiteira esperava conseguir obras de saneamento básico.

O ex-diretor da empreiteira Alexandrino de Alencar afirmou, em delação, que o objetivo com os pagamentos de caixa 2 e também com doações oficiais era o crescimento do grupo Odebrecht.

“Na minha atividade o relacionamento político era fundamental para o desenvolvimento desse trabalho que visava o crescimento das empresas do grupo bem como trazer benefícios. E meu público-alvo nisso eram partidos políticos, políticos, agentes públicos. Sempre alinhado com a sistemática de contribuições financeiras e eleitorais”, explicou o ex-executivo.

Também em delação, o ex-presidente do grupo e herdeiro da empresa, Marcelo Odebrecht, explicou que muitas vezes o caixa 2 tinha como objetivo esconder de outros políticos o repasse de recursos para determinados candidatos.

“Eu estimo que três quartos (75%) das campanhas do Brasil eram [financiadas por] caixa 2. Às vezes você gostaria, para facilitar, de doar mais oficial, daria menos problema. Mas e a referência que você cria? Imagine a gente doar 2 milhões de reais para uma candidatura ao governo do Acre. Imagine quanto é que criaria de expectativa para um candidato a governador de São Paulo. Então, a questão do caixa dois virou um ciclo vicioso”, explicou o ex-presidente da Empreiteira, hoje preso pela Lava Jato.

Além das investigações sobre caixa 2, os inquéritos investigam também o pagamento de propinas para manter ou conseguir contratos com o Poder Público. Em 18 inquéritos, os pagamentos não eram associados às campanhas, mas eram ligados diretamente a licitações, como as obras de hidrelétricas no Rio Madeira, na região amazônica.

Há ainda cinco inquéritos que investigam o suposto pagamento de propina para editar medidas e projetos que beneficiariam a Odebrecht e aprová-los no Congresso Nacional. Como exemplo, a Medida Provisória 613, de 2013, que reduziu o pagamento de impostos do setor químico e da produção de etanol, trazendo ganhos ao grupo empresarial.

Os inquéritos abertos no Supremo Tribunal Federal investigam 108 pessoas, entre elas, oito ministros do governo, 24 senadores, 39 deputados federais e três governadores.

(Agência Brasil)

Ceará vence Guarani e encara Ferroviário na final do Estadual

O Ceará vai disputar a final do Campeonato Cearense diante do Ferroviário. O Vozão confirmou a classificação neste sábado (22), no Castelão, ao derrotar o Guarani, por 1 a 0, gol marcado na segunda etapa por Alex Amado, que entrou aos 21 minutos do primeiro tempo no lugar de Maxi Biancucchi. O argentino sentiu dores na coxa esquerda e não conseguiu permanecer.

Na próxima semana, a Federação Cearense de Futebol divulga as datas da final do campeonato.

(com O POVO)

Temer descarta risco de perder mandato

O presidente Michel Temer (PMDB) refutou em entrevista à agência de notícias Efe, publicada neste sábado, a possibilidade de perder o mandato no processo que corre na Justiça Eleitoral contra a chapa vencedora das eleições de 2014, formada por ele e a ex-presidente Dilma Rousseff.

Ao salientar que todas as doações recebidas por sua campanha foram legais, Temer disse esperar que o caso seja julgado como improcedente e, a menos de dois anos de encerrar o mandato, assinalou que recursos devem prolongar o processo até a decisão final.

“Não sei qual será a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mas ela vai demandar recursos, tanto internamente no tribunal como seguramente para o Supremo Tribunal Federal (STF)”, disse o peemedebista. “Ou seja, há ainda um longo percurso processual a percorrer. Então, na pior das hipóteses, se houver, digamos assim, a anulação da chapa, a cassação da chapa, haverá recurso”, acrescentou.

Ele rebateu ainda durante a entrevista as declarações dadas na delação premiada do ex-presidente da Odebrecht Marcelo Odebrecht de que todos políticos eleitos a cargo público no Brasil foram financiados com dinheiro de caixa 2. “É uma opinião da Odebrecht. A Odebrecht é que acha que todos os políticos se serviram do caixa 2. Aliás, ao assim se manifestarem, dizem que eles são os produtores do caixa 2”, comentou Temer, que disse conhecer “muitos” políticos que não utilizaram tais métodos.

(Agência Estado)

Inspeção Especial não teria partido da Dirfi, aponta documento

453 2

Em resposta ao presidente do TCM, Domingos Filho, o leitor do Blog e estudante universitário Rodrigo Santos Almeida apresenta documento assinado pela presidência do órgão. Confira:

Prezado Eliomar,

Como um cearense preocupado com a total veracidade dos fatos, somente me resta lamentar a atitude do atual presidente do TCM, Domingos Filho. Em nome da minha honra, em respeito ao meu nome e em defesa de valores éticos e de espírito público, não me resta outra alternativa senão demonstrar novos equívocos de potencial ilegalidade que o presidente insistiria em incorrer.

Primeiramente gostaria de ressaltar que são documentos do próprio TCM que comprovam que não foi erro de nenhuma diretoria, como a Dirfi, que teria cometido o ato ilegal. O documento foi assinado de próprio punho pelo presidente Domingos Filho que, se preparado for como o mesmo se diz ser, deve saber muito bem que nunca se interpelaria uma Prefeitura, especialmente do porte de Fortaleza, com tamanha ilegalidade ou temerário “equívoco meramente redacional”.

Aproveito neste momento para me solidarizar com os demais membros da Diretoria de Fiscalização – Dirfi, que além de não ter cometido o absurdo ato, ainda estariam a ver sua reputação ser potencialmente manchada de forma tão absurda pelo seu próprio presidente.

Esclarecida a questão de que meu artigo não contém nenhum equívoco de fundamentação, tendo sido de fato redigido com o total respeito com a verdade dos fatos, aproveito para esclarecer mais uma potencial ilegalidade que tomamos conhecimento agora pela própria nota do presidente do TCM.

Ao que se bem sabe, somente quem poderia encaminhar “Inspeção Ordinária” seria o Relator do TCM, e nunca o Presidente. Ou seja, nos parece correto afirmar que, caso o presidente tenha assinado determinação de “Inspeção Ordinária”, estaria a incorrer em novo ato a ser considerado uma ilegalidade. E se assim tiver sido feito, a fiscalização deverá ser nula de direito, havendo sim, revogação da mesma.

Aproveito para reiterar novamente o que disse anteriormente: “a sociedade cearense e a população brasileira exigem, a cada dia, mais respeito no âmbito pessoal e das instituições, além de atitudes verdadeiramente morais e éticas dos gestores e representantes públicos, especialmente daqueles que fazem parte dos órgãos que deveriam, acima de tudo, proteger as leis e a devida aplicação dos recursos públicos”.

A Praia do Futuro e suas barracas

Em artigo no O POVO deste sábado (22), a Doutora em Geografia Ambiental pela Universidade Sorbonne e pós-Doutora em Geomorfologia Costeira pela Universidade da Flórida, Vanda de Claudino Sales, observa que são décadas de convívio com as barracas da Praia do Futuro, quando poucas praias no mundo oferecem a segurança, o lazer e os serviços à beira do mar. Confira:

As praias e áreas adjacentes que perfazem os chamados terrenos de marinha são de propriedade da união, sendo, portanto, de uso comum. Nesse sentido, não podem ser objeto de ocupação para usufruto privado, exceto nos casos em que a União faz cessão e autoriza a ocupação. Na Praia do Futuro, litoral leste de Fortaleza, um certo número de equipamentos, as denominadas “barracas de praia”, receberam autorização por parte do Serviço de Patrimônio da União para instalação e funcionamento. No entanto, com frequência, os que receberam a outorga ampliaram a área de ocupação da faixa de praia para além do permitido. Outros tantos ocuparam a área sem a devida autorização. Assim fazendo, os proprietários das barracas destruíram as dunas frontais e privatizaram a praia, além de produzirem poluição (por meio de esgotos e acúmulo de resíduos sólidos), impedirem o livre acesso à área de uso comum e destruírem a paisagem natural e o horizonte marinho.

Mas essa realidade pode também ser vista sob outro ângulo: as barracas de praia, apesar desses problemas, são hoje parte da cultura do fortalezense. São décadas de convívio com essas estruturas, de forma tal que o domingo na Praia do Futuro saboreando frutos do mar com os pés brincando na areia solta faz parte das atividades de número bastante significativo de pessoas, tanto habitantes da Cidade quanto turistas eventuais. Poucas praias no mundo – talvez nenhuma! – oferecem o prazer, a tranquilidade, a segurança, o lazer, a recreação, os serviços e o aconchego à beira do mar como o faz a Praia do Futuro.

Assim, não parece sensato a investida legal que ora se organiza, visando à retirada das barracas. Cabe coibir os inúmeros e abusivos excessos, fazer valerem as outorgas tal qual elas são liberadas, definir impostos e taxas de uso, organizar plano de manejo de resíduos sólidos, providenciar instalações sanitárias adequadas, criar condutas de uso do espaço pelo conjunto da população e pelos proprietários das barracas e definir corredores para reconstrução de dunas fixas e visualização do horizonte marinho. As barracas de praia são parte da cultura da Cidade e representam uma cadeia econômica, social e turística importante. A Cidade sem elas ficará, com certeza, mais pobre, triste e descaracterizada.

Juiz cearense aposentado é um dos homenageados com a Medalha da Inconfidência

O juiz aposentado Inocêncio Uchoa, da Justiça do Trabalho do Ceará, foi um dos homenageados, nessa sexta-feira (21), com a Medalha da Inconfidência, a maior comenda concedida pelo Estado de Minas Gerais a personalidades que contribuíram para o desenvolvimento de Minas Gerais e do Brasil.

A homenagem ocorreu em Ouro Preto, que, a cada 21 de abril, vira capital mineira por um dia. O juiz esteve acompanhado do filho e advogado Marcelo Uchoa, também professor universitário.

(Fotos – Facebook da família)