Blog do Eliomar

Últimos posts

Ex-superintende da Polícia Civil lamenta a “banalização do Raio”

O ex-superintendente da Polícia Civil, delegado César Wagner, lamentou nesse sábado (23), durante entrevista à rádio Cauipe, em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza, a banalização do Raio.

Segundo o delegado, o Raio estaria correndo o risco de perder sua identidade, assim como teria ocorrido com o Ronda do Quarteirão,

César Wagner criticou o que chamou de abandono da polícia investigativa, no caso a Polícia Civil.

O ex-superintendente, pré-candidato à Assembleia Legislativa, participa do programa Contexto Geral, na noite deste domingo (24), a partir das 22 horas, na TV União.

(Foto: Reprodução)

A LDO e o golpe do neoliberalismo

258 2

Em artigo sobre a economia do País, a deputada federal Luizianne Lins aponta que o governo Temer alega redução da inflação, enquanto as famílias brasileiras estão endividadas. Confira:

A apresentação da Lei de Diretrizes Orçamentárias realizada pelo ilegítimo governo Temer, no início do mês de junho, parece uma peça de ficção, uma tentativa de carregar as tintas e demonstrar números falsos da economia brasileira os últimos dois anos. Os esforços foram em vão, porque são incompatíveis com os mandamentos de Wall Street. Por isso, Meirelles tem menos popularidade que Temer. Afinal o que se fez qualquer ortodoxo faria, cortar gastos e entregar a soberania é o trivial para a nova internacionalização do capital.

A apresentação começa afirmando que a economia saiu da recessão em 2017. O governo não parece entender que em todas as regiões metropolitanas do Brasil a renda caiu e o desemprego aumentou e que o PIB, frágil indicador de desenvolvimento, somente subiu pelas safras recordes e incentivadas de soja e milho.

Outra glória supostamente alcançada e evidenciada na apresentação é a baixa taxa de inflação. Mas, a que custo? Redução do consumo? Cortes nos gastos de saúde e educação? Entrega do patrimônio nacional? Para que serve inflação baixa se as famílias estão em débito, já são 60,5 milhões de trabalhadores endividados e o desemprego batendo a casa dos 14 milhões.

A queda na taxa de juros também é comemorada como um grande feito da administração eficiente da Fazenda. Na realidade, a queda dos juros não representa nada em termos comparativos, continuamos com a sexta maior taxa do mundo e o maior juros do cartão de crédito. Essa aparente queda é uma permuta pela flexibilização do trabalho e pelo fim da proteção social e a suspensa privatização da previdência. Afinal, quem lucraria com a previdência complementar?

Por que o governo não colocou em sua apresentação um demonstrativo dos lucros dos maiores bancos brasileiros? Aqueles que financiam a política através de títulos muito bem remunerados. Não seria por isso que o endividamento do governo brasileiro em percentual do PIB estaria aumentando? Aliás, dobrando em relação ao período Lula. E o déficit projetado para 2019: R$ 254 bilhões? O dobro de 2017? E o silêncio da mídia sobre isso? Se fosse Dilma ou Lula não sobraria capa de revista, editorial e nem notícia em horário nobre. A nova internacionalização do capital se associa as grandes mídias para se apropriar cada vez mais do estado, livre de gastos essenciais, mas comprometido com o capital e o poder.

Na realidade, a tentativa do governo de afirmar que a vida melhorou ou que vai melhorar desafina no tom e na métrica. Ao manter essa política que atende aos interesses internacionais e sem projeto de Nação nos leva ao abismo, sim, o golpe está nos levando ao abismo e somente um governo democrático – somente eleições livres, com LULA LIVRE – poderá restabelecer pactos com sociedade e a esperança de um Brasil novo e possível, democrático, participativo, inclusivo, preservando as identidades e com projeto de reconstrução nacional.

Luizianne Lins
Deputada Federal PT/CE

Camilo e Eunício jogam juntos em inauguração de areninha

O governador Camilo Santana, acompanhado do presidente do Congresso, Eunício Oliveira, e do prefeito de Limoeiro do Norte, José Maria Lucena, entregou nesse sábado (23), em Limoeiro do Norte, no Baixo Jaguaribe, a 198 quilômetros de Fortaleza, a Areninha do conjunto habitacional Estrada das Flores.

“A areninha envolve toda a comunidade com atividades, movimenta a economia no seu entorno, aumenta a convivência. Este espaço vai funcionar o dia todo. Aqui, teremos monitores pagos pelo Estado para desenvolver projetos com a população. É um espaço de convivência, de lazer, esporte e cidadania”, disse Camilo.

Durante a solenidade, Camilo participou de uma partida de futebol ao lado de Eunício. Entre torcedores, a vontade que a parceria em campo se prolongue por mais tempo.

O Governo do Ceará já entregou 49 areninhas, em um investimento de cerca de 72 milhões de dólares – sendo 50 milhões de dólares de empréstimo do BID e 21,9 milhões de contrapartida do Estado. Mais 160 areninhas, tipo 2, com estrutura menor, ainda serão construídas, sendo 20 somente na Capital, em parceria com a Prefeitura de Fortaleza.

Jungmann defende distinção entre traficante e usuário de drogas

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, defende a distinção entre usuário e traficante, bem como a descriminalização do porte de drogas para reduzir o número de mortes violentas de jovens no país e desafogar o sistema penitenciário brasileiro. A Lei Antidrogas prevê tratamento diferenciado para usuários e traficantes, mas não estabelece a quantidade de droga que caracterizaria o porte. “A lei diz que usuário, desde que tenha bons antecedentes, é um caso de saúde e assistência social, não de reclusão. Só que, ao não estabelecer o limite entre um e outro, permite a interpretação, dada majoritariamente pela primeira instância da Justiça, do encarceramento”, explica o ministro.

O assunto está sob análise do Supremo Tribunal Federal (STF). Enquanto a decisão não sai, jovens continuam alimentando as estatísticas de violência no país. Segundo o Atlas da Violência 2018, 33.590 jovens foram assassinados em 2016, sendo 94,6% do sexo masculino. O estudo desenvolvido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, com base em dados de mortalidade do Ministério da Saúde, mostra que os homicídios respondem por 56,5% das mortes de brasileiros entre 15 e 19 anos.

Segundo o Ministério da Segurança Pública, cerca de 74% da população carcerária brasileira são formados por pessoas que praticaram crimes de baixa periculosidade, entre eles, pequenos traficantes e usuários de drogas. “Então o que você vê é uma grande quantidade de jovens que vai para a prisão. Lá, para sobreviver, eles têm que fazer o juramento e passam a integrar uma gangue. Então, ou morre dentro ou morre fora. Geralmente é isso que acontece. Por isso, na faixa de 15 a 24 anos, o índice de mortalidade é praticamente três vezes o índice de mortalidade do Brasil. É isso que está acontecendo. Estamos fazendo um massacre com certos segmentos da população”, argumenta Jungmann.

Para o ministro, é “fundamental” que o STF julgue o processo que trata da descriminalização do porte de drogas. O caso começou a ser analisado em 2015, mas foi suspenso por um pedido de vista do ministro Teori Zavascki. Ainda não há uma data prevista para a retomada do julgamento. Com a morte de Teori, em janeiro de 2017, o processo está no gabinete do ministro Alexandre de Moraes. O resultado é aguardado por especialistas da área da segurança pública, que acreditam que a mudança diminuirá o número de prisões, e, consequentemente, a superlotação dos presídios.

Até o momento, três ministros votaram pela descriminalização do porte, mas somente da maconha, por tratar-se do caso concreto que motiva o julgamento. Já votaram nesse sentido o relator, Gilmar Mendes, Edson Fachin e Luís Roberto Barroso – que foi além da descriminalização e propôs como referência o porte da quantidade de 25 gramas de maconha para definir um cidadão como usuário.

(Agência Brasil)

Não tem graça, é misoginia e nos envergonha

Em artigo no O POVO deste domingo (24), a jornalista Lucinthya Gomes avalia a postura de torcedores brasileiros, na Copa da Rússia, diante do constrangimento imposto a cidadãs russas. Confira:

O vídeo em que torcedores brasileiros, na Copa do Mundo da Rússia, cercam uma mulher e se referem à cor de sua genitália viralizou nas redes sociais porque o momento é outro. Por mais velhas que sejam a atitude machista e a naturalização da “brincadeira de homens de bem que não tiveram a intenção de ofender”, a repercussão do lamentável episódio deixou clara a mensagem: a cena não tem graça, é misoginia e nos envergonha.

Por outro lado, assusta que esse tipo de “brincadeira” tenha sido praticado por outros grupos, de outros países, com tantas outras vítimas. Algo tão trivial, que chegou a ser filmado e, como num gesto que parece de orgulho e digno de aplauso, vem sendo compartilhado por seus próprios autores em suas redes. Tão banal, quanto espantoso.

Até que os autores começaram a ser identificados e, depois de tamanha pressão social, começou-se a falar em responsabilização. Como disse antes, o momento é outro. As empresas e instituições já começam a entender que não compensa estarem vinculadas a tais atitudes. Que bom.

Contudo, como se estivéssemos sempre no movimento de um passo para frente e outro para trás, surgem as tentativas de justificar o que não se aceita mais. Com o risco de serem punidos, os responsáveis tentam inverter a situação e se colocar como vítimas. Não são. E é neste basta que espero que o pêndulo descanse. Não dá mais para tratar como atos inocentes a humilhação e o constrangimento de mulheres.

Portabilidade de crédito cresce quase 100% em 2017

A transferência de um empréstimo de um banco para outro, chamada de portabilidade, cresceu quase 100% em 2017 comparado ao ano anterior. Segundo dados do Banco Central (BC), foram feitas 2,1 milhões de portabilidade no ano passado, alta de 93,7% em relação a 2016. O valor movimentado chegou a R$16,9 bilhões, um aumento de 122,2%.

Neste ano, nos dados até maio, a portabilidade segue em expansão. Nos cinco meses de 2018, já foram realizadas 1,3 milhão de transferências, com crescimento de 59,5% em relação ao mesmo período de 2017. O volume chegou a R$ 990,5 milhões, alta de 71% em relação ao período de janeiro a maio do ano passado.

Segundo o Relatório de Econômica Bancária, divulgado neste mês pelo BC, a maior parte dos empréstimos transferidos é do tipo crédito consignado, que respondeu por 99,9% dos pedidos de portabilidade e 99,5% do valor portado. Segundo o BC, a portabilidade do crédito consignado é mais fácil por não ter vinculação com um carro ou uma casa, por exemplo.

De acordo com o BC, o valor acumulado (R$16,9 bilhões) dos contratos de consignado portados em 2017 correspondeu a 10,9% do total de concessões dessa modalidade (R$ 155 bilhões). “Apesar do expressivo volume portado, a portabilidade não consegue alterar o comportamento geral do mercado em relação às taxas praticadas: a grande maioria das operações de consignado continua ocorrendo próximo às máximas permitidas em cada convênio”, diz o BC.

A taxa máxima dos empréstimos para aposentados e pensionistas é definida pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). O governo também define as taxas máxima para servidores públicos federais. Com a redução da taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 6,5% ao ano, essas taxas máximas definidas pelo governo foram reduzidas.

No início de 2015, os juros máximos definidos pelo INSS eram de 28,9% ao ano. Essa taxa subiu para 32% ao ano no final de outubro de 2015, voltou a 28,9% ao ano no final de março de 2017 e caiu novamente para 28% ao ano em setembro do ano passado. Nesses mesmos períodos, o teto para servidores públicos federais caiu de 34,5% ao ano para 29,8% ao ano e 27,6% ao ano.

Para fazer a portabilidade, é necessário que o cliente obtenha informações sobre a sua dívida. As instituições financeiras devem fornecer aos clientes em até um dia útil, contado a partir da data da solicitação, as informações relativas às suas operações de crédito: número do contrato; saldo devedor atualizado; demonstrativo da evolução do saldo devedor; modalidade; taxa de juros anual, nominal e efetiva; prazo total e remanescente; sistema de pagamento; valor de cada prestação, especificando o valor do principal e dos encargos; e data do último vencimento da operação. Caso a instituição não forneça as informações, é possível recorrer à ouvidoria, e depois ao Procon e ao BC, se o problema não tiver sido resolvido.

Depois de ter as informações do empréstimo, o cliente pode pesquisar condições melhores em outras instituições. O banco escolhido para migrar a dívida quita antecipadamente o saldo devedor da operação original. Segundo o BC, os custos relacionados à transferência de recursos para a quitação da operação não podem ser repassados ao cliente.

(Agência Brasil)

Bolsonaro impõe ritmo militar em pré-campanha

O presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) deixou o quartel há 30 anos, mas a caserna não saiu dele.

Segundo a Veja, hiperativo, ele dorme apenas quatro horas e, quando acorda, bem antes do sol raiar, vai nos quartos do pessoal da campanha e grita em tom bem-humorado: “Levanta, vagabundo”.

Aliás, Bolsonaro cumprirá agenda de pré-campanha em Fortaleza no próximo dia 28.

(Foto – Marcelo Camargo, da Agência Brasil)

Seminário debaterá combate e prevenção à tortura

O Tribunal de Justiça do Ceará é um dos apoiadores do I Seminário de Prevenção e Combate à Tortura, que começa na próxima terça-feira (26/06), às 18 horas, e será realizado no Auditório Deputado Murilo Aguiar da Assembleia Legislativa do Ceará e Universidade do Parlamento Cearense (Unipace). A informação é da assessoria de imprensa do TJCE.

O seminário debaterá temas como “Contextualização sobre a tortura no Brasil e no Ceará”; “Privação de liberdade nos sistemas socioeducativo e prisional”; “Tortura e saúde mental”, entre outros. Além disso, oferecerá minicursos sobre “O papel do agente de segurança no trato com a diversidade humana e a prevenção da tortura na contemporaneidade”; “Condições de tortura no sistema socioeducativo”; “Condições de tortura no sistema prisional” e “Privação de liberdade e saúde mental”. “As Mulheres negras e privação de liberdade” e “Protocolo de Istambul: investigação e documentação eficazes a serviço da prevenção e da eliminação da tortura”, serão outros temas dos minicursos.

Além do TJCE, apoiam a iniciativa o Governo do Estado, Assembleia Legislativa do Ceará, Associação Cearense de Magistrados (ACM), Ministério Público do Ceará (MPCE), Ministério Público Federal, Pastoral Carcerária, Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Ceará (OAB-CE), Defensoria Pública, Centro de Defesa da Criança e do Adolescente do Ceará (Cedeca), Conselho Regional de Psicologia, Associação dos Defensores Públicos do Ceará, Perícia Forense e Associação 64/68 Anistia, entre outros.

SERVIÇO

Para fazer a inscrição clique aqui.

Humor cearense será “vendido” como produto no Rio

O Teatro Oi Casagrande, do Rio, receberá temporada de show de humoristas cearenses, de setembro a novembro próximos.

A ação, da Secretaria do Turismo do Estado, objetiva atrair, para as férias de fim de ano e janeiro de 2019, com esse projeto, os turistas do Sudeste principalmente.

No grupo, coordenado por Lailtinh Brega, que preside a Associação dos Humoristas do Ceará, estão nomes como Ciro Santos, Luana do Crato e Madame Mastrogilda.

(Foto – Divulgação)

A culpa é do seu veículo

Em artigo sobre mobilidade urbana, o jornalista Nicolau Araújo expõe caso das faixas exclusivas. Confira:

Fim de tarde de sexta-feira e uma mulher reclama, na fila de uma farmácia, da lentidão no trânsito na avenida Bezerra de Menezes, no sentido Centro/Caucaia. De acordo com o testemunho da própria mulher, já seria a terceira vez que ela entrava na fila para “dar um tempo” ao intenso tráfego de veículos. A mulher ainda retornaria à fila em mais uma oportunidade.

Naquela terceira vez, eu estava na fila para pagar por uma latinha de energético, produto facilmente encontrado em qualquer mercadinho ou lojinha de conveniência. Curioso com tamanha indignação, não contive em perguntar à mulher de quem seria a responsabilidade pelo trânsito lento nas duas faixas destinadas a veículos de passeio.

“Da prefeitura, sei lá! Do Roberto Cláudio, que colocou essas faixas exclusivas para ônibus”, disse.

“Não, senhora”, rebati. “A culpa é do seu veículo, que faz número no tráfego”.

Indiferente ao argumento que a política e as ações de um gestor público devem ser voltadas para a coletividade – e não para a individualidade -, a mulher alegou que teria o direito, como cidadã e pagadora de impostos, de também trafegar pela avenida Bezerra de Menezes.

“Claro, senhora! Tanto que há duas faixas na avenida para que o seu veículo trafegue pela Bezerra de Menezes. O trânsito mais lento ou mais rápido depende do horário que a senhora decida trafegar, assim como os usuários dos ônibus estão atentos aos horários nas paradas”.

Antes que tivesse de justificar que não há mais espaço no atual modelo social da “melhor política para mim”, outras pessoas na fila afirmaram que reconhecem a boa medida das faixas exclusivas, apesar de também se estressarem com momentos de trânsito mais lento.

Uma outra senhora declarou que, após as faixas exclusivas, deixou de pegar a filha na Unifor, diante do rápido deslocamento da linha 74 (Antonio Bezerra/Unifor) pela rua Padre Valdevino. Segundo a mãe da estudante universitária, moradora de condomínio nas proximidades do Liceu da Jacarecanga, seu veículo é um a menos no trânsito, diante do ganho de tempo do ônibus.

Agarrada à sua individualidade, a mulher pagou algumas barrinhas de cereal e ensaiou deixar a farmácia. Apesar do tráfego mais rápido, a mulher retornou ao interior do estabelecimento e se dirigiu ao setor de higiene, indiferente ao debate que prosseguia na fila.

Durante meu atendimento, percebi o retorno da mulher à fila, agora com um creme de pentear e sabonetes. Tivesse ela passado todos os produtos em uma única fila, certamente o atendimento teria sido mais rápido para todos. Assim como se eu tivesse me dirigido a um mercadinho ou lojinha de conveniência, ao invés de integrar uma fila com pessoas apressadas com medicamentos, leite para crianças e outros produtos de maior necessidade.

No entanto, fiz valer a minha individualidade no conforto de um ar condicionado e maior segurança de um estabelecimento fechado. O atendimento é mais lento e o preço é maior. Mas a opção foi minha. Sem reclamar…

Camilo vai entregar Areninha na terra dos Ferreira Gomes

O governador Camilo Santana (PT) vai estar neste domingo, 24, em Sobral (Zona Norte), terra dos Ferreira Gomes. Ali, vai entregar uma areninha, ao lado do prefeito Ivo Gomes (PDT), e com direito a vestir a camisa de atleta.

A areninha está localizada ao lado da Escola Raul Monte.

Antes desse compromisso, Camilo entregará em Marco a Escola de Ensino Fundamental Manuel Jaime Neves Osterno.

(Foto – Divulgação)

Loteria faz 10 novos milionários; Cearense entre os sortudos

Quatro ganhadores da Mega-Sena e seis acertadores da Quina de São João são os mais novos milionários no Brasil, após os sorteios na noite desse sábado (23), em Campina Grande, na Paraíba.

Entre os apostadores da Mega-Sena, um cearense de Maranguape, na Região Metropolitana de Fortaleza, que ganhou R$ 9,6 milhões.

Os números sorteados foram: 5051565758 e 59.

Já a Quina de São João pagará R$ 20,8 milhões a cada um dos seis acertadores, que apostaram os números 03 – 29 – 33 – 53 e 69.

Perícia Forense do Ceará vai fazer concurso ainda neste ano

831 1

Izolda Cela, coordenadora do Pacto Por um Ceará Pacífico e Ricardo Macedo.

A Perícia Forense fará concurso público ainda neste ano. O pedido já é apreciado pelo Palácio da Abolição, informa o perito-geral, Ricardo Macedo.

O edital vai sair no começo de julho, mas as nomeações ficarão para 2019.

Ricardo Macedo não precisou número de vagas, adiantando que isso está sendo negociado com o governador Camilo Santana, que vem investindo em modernização no órgão.

(Foto – Divulgação)

Entrega despudorada do petróleo

Da Coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (24):

Enquanto as atenções do País estavam voltadas para a Copa do Mundo e os principais meios de comunicação social davam destaque ao vergonhoso espetáculo de machismo, traduzido na “curra virtual” de mulheres russas, por manifestoches brasileiros, o Brasil registrava a maior investida de corsários estrangeiros contra o principal ativo nacional: o petróleo do pré-sal.

O seu filé mignon – a área da Concessão Onerosa – foi entregue, traiçoeiramente, às petrolíferas multinacionais, na sessão de quarta-feira à noite da Câmara dos Deputados.

Na ocasião, uma maioria de 217 votos a 57 e 4 abstenções, aprovou o PL 8.939/17, do deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA), com substitutivo global do deputado Fernando Coelho Filho (DEM-PE) derrubando a legislação que proibia a Petrobras de repassar às petroleiras estrangeiras um patrimônio (correspondente a 650 bilhões de reais) que lhe fora cedido onerosamente pela União para ser revertido, exclusivamente, em recursos para a Saúde e a Educação.

Para quem vem acompanhando a situação de perto, não há surpresas (a não ser com o cinismo despudorado), já que esse era o desfecho previsível de um roteiro de destruição nacional que começou a ganhar corpo com o esdrúxulo julgamento do Mensalão, prosseguiu com a demolição da economia nacional por uma Lava Jato descomprometida com os interesses estratégicos do Estado brasileiro, e teleguiada de fora, e teve seus últimos lances traduzidos no golpe que destituiu o governo nacionalista de Dilma Rousseff e tenta impedir previamente a eleição do líder desejado pela maioria dos entrevistados nas pesquisas pré-eleitorais.

A corrupção na Petrobrás (que já proliferava antes da ditadura) é um traque diante do rombo abissal causado pela bomba-atômica do entreguismo sabujo, que afundou a economia nacional e pôs o Brasil de joelhos diante de Tio Sam, numa prestação escandalosa de vassalagem.

Os últimos detalhes da pesquisa DataFolha, publicados na última sexta feira, apontam os caminhos para a reversão desse quadro tétrico: a eleição de um governo legítimo, acatado por uma maioria explícita, sem casuísmos, conforme intui a sabedoria popular.

Na pesquisa, o ex-presidente Lula foi considerado por 32% dos entrevistados, o pré-candidato ao Planalto mais preparado para acelerar o crescimento da economia do país. Contudo, vem sendo mantido como preso político há mais de dois meses justamente para não disputar as eleições presidenciais de 2018, cujos prognósticos lhe são totalmente favoráveis.

Festival Vida & Arte – Confira a programação infantil neste último dia do evento

A programação infantil do Festival Vida&Arte deste domingo, 24, último dia do evento, terá diversas atrações para a criançada.
O Sesc tem um espaço infantil que recebe apresentações artísticas, oficina Brincar de Pintar, brincadeiras populares, pintura facial e esculturas de balão. Atividades de yoga, musicoterapia e psicopedagógicas também farão parte da agenda.

Essa é apenas uma pequena amostra da vasta programação do Festival Vida&Arte, o maior evento multicultural do Brasil. Para conferir a programação completa, acesse o site do Festival.

Programação
Oficinas

Oficina de Ballet Contemporâneo para Crianças
Quando: domingo, 24, às 10 horas
Onde: Circo do Palhaço Trepinha

Oficina: Musicoterapia na primeira infância – jogos e práticas musicais
Quando: domingo, 24, às 11h30min
Onde:Ateliê Leonilson

Oficina de Ballet Contemporâneo para crianças
Quando: domingo, 24, às 11h30min
Onde:Oca Aldemir Martins

Oficina de teatro para crianças: Entra no jogo: o lúdico teatral
Quando: domingo, 24, às 11h30min
Onde: Circo do Palhaço Trepinha

Brincadeiras de circo: oficinas de circo para crianças
Quando: domingo, 24, às 13 horas
Onde: Circo do Palhaço Trepinha

Oficina de teatro infantil – Ser O Que Quiser, Eis a Questão
Quando: domingo, 24, às 13 horas
Onde: Oca Aldemir Martins

Oficina de Circo: Brincadeiras e práticas circenses
Quando: domingo, 24, às 14h30min
Onde: Circo do Palhaço Trepinha

Circo

Intervenções, invenções e contações circenses
Quando: domingo, 24, às 20h30min
Onde: Circo do Palhaço Trepinha

Espetáculos

Musical “Galinha pintadinha”
Quando: domingo, 24, às 10 horas
Onde: Palco Rachel de Queiroz

Lady bug e CatNoir
Quando: domingo, 24, às 11 horas
Onde: Palco Rachel de Queiroz

Teatro Frozen Aventura Congelante
Quando: domingo, 24, às 18 horas
Onde: Espaço Bárbara de Alencar

Atividades

Atividades psicopedagógicas para crianças através do corpo e movimento
Quando: domingo, 24, às 10 horas
Onde: Oca Aldemir Martins

Aula de Yoga para crianças
Quando: domingo, 24, às 13 horas
Espaço Bárbara de Alencar

SERVIÇO
*Centro de Eventos do Ceará (Avenida Washington Soares, 999)
*Ingressos – R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia) — válido para toda a programação do dia no evento (o acesso às atrações está sujeito à lotação dos espaços onde elas se apresentarão)
*Ingressos à venda no site: www.festivalvidaearte.com.br, na portaria do Jornal O POVO (Av. Aguanambi, 282 – José Bonifácio) e nas lojas JEF (shoppings RioMar e Iguatemi)
*Programação completa: www.festivalvidaearte.com.br

Eleitores do Tocantins elegem novo governador neste domingo

Eleitores do Tocantins voltam neste domingo (24) às urnas para eleger um novo governador. O segundo turno das eleições suplementares ocorrem após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cassar, em março, os mandatos de Marcelo Miranda (MDB), e de sua vice, Cláudia Lélis (PV), por arrecadação ilícita de recursos para a campanha de 2014. A votação ocorrerá de 8h às 17h. De acordo com a Justiça Eleitoral, cerca 1,5 milhão de pessoas estão aptas a votar.

O candidato Mauro Carlese (PHS) vai disputar a cadeira de governador com Vicentinho Alves (PR). No primeiro turno, realizado no dia 3 de junho, Carlese obteve 30,3% dos votos, enquanto Vicentinho ficou com 22,2%. Entre os demais candidatos, Carlos Amastha (PSB) alcançou 21,4%, Kátia Abreu (PDT) 15,6% e Márlon Reis (Rede), chegou a 9,9%.

Mauro Carlesse disputou o pleito representando uma coalizão formada pelo PHS, DEM, PRB, PP, PPS, PMN e PTC. Paranaense, fez carreira como empresário no ramo agropecuário no Tocantins. Em 2014, foi eleito deputado estadual pelo PTB.

Vicentinho representa chapa formada pelo PR, PPL, PROS, Solidariedade e PMB. Ele é senador pelo estado desde 2011. O político ficou em terceiro lugar nas eleições de 2010, mas assumiu uma cadeira no Senado com a cassação de Marcelo Miranda (MDB) naquele pleito. Ele foi prefeito de Porto Nacional, deputado estadual, governador e deputado federal.

Mais sete municípios realizarão eleições suplementares neste domingo. Os eleitores de Santa Luzia (MG), Itanhomi (MG), Timoteo (MG), Cabo Frio (RJ), Rio das Ostras (RJ), Moju (PA) e Santa Cruz das Palmeiras (SP) voltarão às urnas, mas para eleger prefeitos e vice-prefeitos em substituição aos que foram cassados.

(Agência Brasil)

Oeste volta a assombrar a torcida tricolor e mostra que o Fortaleza também “sangra” em casa

Pior que perder a invencibilidade no Castelão para uma equipe que até então não havia vencido nenhuma partida fora de casa, a derrota do Fortaleza para o Oeste – que se encontrava na zona de rebaixamento -, na noite desse sábado (23), por 2 a 1, mostrou que o líder da Série B é tão vulnerável quanto qualquer outra equipe na competição. A derrota também resgatou o “fantasma” da decepção da torcida tricolor com a equipe, que em 2012 deixou de subir à Série B na derrota de 3 a 1 para o mesmo Oeste.

A equipe paulista abriu o placar com Leandro Amaro, logo aos 10 minutos do primeiro tempo. O Fortaleza empatou com um golaço de Felipe, aos 18 minutos da segunda etapa, em um chute de longa distância. Mas o Oeste voltou a marcar, a três minutos para o final da partida, com Pedro Gabriel.

Apesar da derrota, o Fortaleza ainda lidera a competição, com 26 pontos, seguido por Avaí (22 pontos), Figueirense e CSA, ambos com 21 pontos, e Vila Nova e Coritiba, ambos com 19 pontos.

O Fortaleza volta a campo no sábado (30), diante do Paysandu, em Belém.

Ferrão classificado

Enquanto o Fortaleza decepcionava a sua torcida, o Ferroviário buscou a classificação às quartas de final da Série D, na tarde desse sábado, no Piauí, na vitória por 4 a 2 sobre o Altos. O Ferrão chegou a abrir 2 a 0, mas o time da casa buscou o empate. A vitória coral ocorreu nos minutos finais de partida. O destaque do jogo foi Edson Cariús, autor de três gols.

(Fotos: Reprodução)