Blog do Eliomar

Últimos posts

Cauby Peixoto morre em São Paulo aos 85 anos

75 1

cauby

Morreu por volta das 23h50min desse domingo, 15, em São Paulo, o cantor Cauby Peixoto. Ele estava internado no Hospital Sancta Maggiore, no Itaim Bibi. A assessoria de imprensa do cantor confirmou a informação ao band.com.br no começo da madrugada desta segunda-feira,16: “É verdade, ainda não sabemos a causa, mandaremos um comunicado em breve”.

Na companhia de Angela Maria, Cauby estava em turnê pelo Brasil com o espetáculo120 anos de Música. O repertório do show era baseado no disco Reencontro, mas também contemplava faixas de outras parcerias dos dois.

Em setembro do ano passado, o cantor chegou a cancelar uma apresentação por conta de uma gripe. Em março de 2015, ele chegou a ser internado em estado grave no hospital Santa Isabel em São Paulo, mas o motivo da internação foi mantido em sigilo pela família.

(Com Agências)

Temer já fala como presidente e garante: se for efetivado, não disputará reeleição

temers

“Os votos que a senhora presidente recebeu, eu também os recebi”, disse, nesta noite de domingo, em entrevista exclusiva à jornalista Sônia Bridi, do Programa Fantástico (Globo), o presidente em exercício Michel Temer (PMDB). Ele lembrou que,  na urna eletrônica, apareciam as fotos de Dilma e dele, destacando que havia uma aliança politica, no caso do PT com o PMDB,

Temer quis rebater assim a crítica de que não teria legitimidade para estar como presidente da República.

Michel reafirmou que vai priorizar a política de crescimento do País e da pacificação. Assegurou também que não vai mexer nos avanços sociais como o Bolsa Família.

Prometeu fazer uma União entre os Estados no âmbito da segurança pública e que vai convocar os secretários estaduais da área para discutir ações. Temer lembrou que também já foi secretário da Segurança Pública de São Paulo.

Reiterou o presidente em exercício que vai enfrentar o problema da Previdência Social. Sobre crítica de ter feito um ministério só de homens, explicou ter sido inevitável fazer uma composição política, o que se exige numa democracia. Os partidos trouxeram vários nomes, mas observou estar convicto de que escolheu os melhores. A resposta foi à indagação de que prometeu uma equipe de notáveis.

Sobre ausência de mulheres em seu ministério, disse que a chefia de seu gabinete é ocupada por uma mulher. Garantiu que os ministérios da Cultura e o da Ciência e Tecnologia serão ocupadas por mulher. Sem status de ministro, indagou-se, no que disse que não é rótulo que vai provar quem trabalha e age bem.

E o senador Romero Jucá, investigado na Lava Jato, será afastado se virar réu? Temer elogiou Jucá, sua competência e disse que, sob o foco econômico, ninguém conhece o orçamento como ele, destacando que foi líder de três Governos e hoje quer ajudá-lo a governar o País. Caso vire réu, disse : “Vou examinar!’

Temer garantiu que pretende manter a cúpula da Polícia Federal, hoje investigando a Lava Jato. Sobre seu nome citado como patrocinador de um diretor na Petrobras, no caso Jorge Zelada – denúncia feita pelo senador cassado Delício do Amaral – garantiu que competia à bancada peemedebista

Sobre o possível recebimento de R$ 5 milhões para sua campanha, que teria vindo de uma empreiteira, Temer descartou irregularidade.

O presidente em exercício, indagado se a renúncia de Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara, facilitaria as coisas, disse: “Tanto faz. Pra mim, não altera nada!”  O TSE investiga a chapa Dilma-Temer por doações ilícitas, Michel reiterou que a irregularidade envolveria a campanha da presidente afastada e não a dele.

Que legado gostaria de deixar caso se confirme no cargo? “Diminuir o desemprego e pacificar o País”. Garantiu Temer que, cumprindo essa tarefa, não postulará reeleição: “Estaria satisfeito”, enfatizou.

DETALHE – O presidente em exercício deu entrevista lembrando que “ainda” não é o titular do Palácio do Planalto.

Ações do governo Temer estarão baseadas no documento Uma Ponte para o Futuro

As primeiras entrevistas dos novos ministros sinalizam que o governo do presidente interino Michel Temer deve seguir algumas das ações elencadas no documento Uma Ponte para o Futuro, lançado pelo PMDB, partido de Temer, em outubro de 2015, para o país superar a crise econômica. E, mais recentemente, em abril, o partido lançou outro documento, A Travessia Social.

O documento Uma Ponte para o Futuro dá ênfase à necessidade de ajuste fiscal e de flexibilização do Orçamento. O texto afirma que a solução do problema fiscal “será muito dura para o conjunto da população” e que, se as ações para saná-lo não incluírem medidas estruturais, “a crise fiscal voltará sempre”. Segundo a proposta, houve elevação dos encargos do Estado e, com isso, alta de despesas.

“Muitos deles [encargos], [são] positivos e virtuosos, na área da saúde, da educação e na assistência social (…) Mas esta mesma Constituição [1988] e legislações posteriores criaram dispositivos que tornaram muito difícil a administração do Orçamento”, diz o documento, que defende o fim das vinculações constitucionais e indexações obrigatórias de valores.

“Diferentemente de quase todos os demais países, nós tornamos norma constitucional a maioria das regras de acesso e gozo dos benefícios previdenciários, tornando muito difícil a sua adaptação às mudanças demográficas”, exemplifica a proposta econômica. O PMDB defende, ainda, a desvinculação dos benefícios da Previdência do método de reajuste do salário mínimo.

O Uma ponte para o futuro propõe também um “Orçamento com base zero”, o que significa que, a cada ano, os programas de Estado seriam avaliados por um comitê independente, que poderia sugerir sua continuação ou extinção.

A proposta fala também na introdução de uma idade mínima para a aposentadoria, não inferior a 65 anos para os homens e 60 anos para as mulheres. Segundo o programa, a instituição da idade mínima poderá ocorrer de forma progressiva.

Em A Travessia Social, os peemedebistas falam sobre necessidade de revisão dos programas do governo da presidenta afastada Dilma Rousseff. O documento diz que o ponto fraco dos programas atuais é a falta de uma cultura de avaliação que produza consequências. “O importante é que os benefícios precisam chegar aos destinatários e os custos de administração devem ser os mais baixos possíveis”, diz o texto.

O documento defende proximidade entre governo e setor privado, com transferência de atribuições. “O Estado deve transferir para o setor privado tudo o que for possível em matéria de infraestrutura”, afirma o programa. As privatizações são citadas ainda como sugestão para melhorias nos serviços de saúde. O PMDB defende uma nova lei de licitações e mudanças em outras normas sobre o tema.

(Agência Brasil)

Bolsonaro grava vídeo em apoio a estudante hostilizado na UFC

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) gravou um vídeo em apoio ao estudante de Letras e policial civil, Jorge Fontenele, hostilizado por outros universitários na Universidade Federal do Ceará, na última segunda-feira, 9. Na gravação, o parlamentar se diz chateado com o episódio, fala sobre intolerância e promete fazer grande evento em Fortaleza.

“Fiquei muito chateado com o que aconteceu, a intolerância por parte dessas pessoas que pregam o ódio de verdade. Deveriam buscar o diálogo contigo, e não na agressão, na cusparada, que parece que virou moda da esquerda derrotada do nosso país”, disse Bolsonaro em vídeo gravado em Israel, onde o parlamentar realizada uma visita de ‘instrução’. O deputado diz ainda que se Jorge lhe permitir, ele fará um “grande evento” na Capital cearense.

“Comemorar não só o afastamento do comunismo do nosso poder, como novos ares para 2018. Parabéns pela sua atitude, você teve nervos de aço”, completou Bolsonaro.

Procurado pelo O POVO Online, Jorge Fontenele disse que já assistiu ao vídeo e acredita que episódio vivido por ele possa virar exemplo. “Recebi com imensa alegria. Talvez, sirva para ajudar a acabar com esse tipo de perseguição dentro das universidades por causa de política, religião”, comentou o estudante de Letras da UFC.

Jorge contou que, apesar de Bolsonaro falar em vídeo sobre um evento em Fortaleza, não houve contato direto entre eles.

(O POVO Online)

Danos morais – Sinpol entra no caso da agressão contra policial que promovia Bolsonaro

510 6

foto policial jorge fontenele ufc bolsonaro

Em nota enviada ao Blog, o Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Ceará informa que acionará criminalmente os supostos agressores do estudante de Letras (UFC) e policial civil Jorge Fontenele, que, na segunda-feira (9), teria sido agredido por um professor e alunos por estar vestido com uma camisa com a foto do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC/RJ). Confira:

O Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Ceará (SINPOL/CE) vem a público firmar posição com relação ao lamentável episódio ocorrido nas dependências da Universidade Federal do Ceará, na tarde do dia 9 de maio do ano corrente.

Primeiramente, cumpre asseverar que esta entidade representativa de classe não adota nenhum posicionamento político-partidário. Porém, por entendermos que o estado democrático de direito e a liberdade de pensamento devem nortear as relações sociais, vimos manifestar o nosso profundo pesar pela atitude de alguns alunos do Centro de Ciências Humanas da UFC, que ameaçaram, injuriaram, caluniaram e agrediram com empurrões e cusparadas, um aluno do curso de letras (italiano), que, por acaso, é inspetor de polícia civil.

Causou-nos espanto que justamente em um ambiente acadêmico, onde a pluralidade de ideologias deve ser defendida e, mais que tudo, respeitada, tenhamos visto ocorrer tamanha manifestação de ataque à democracia e ao livre pensar.

Informamos que o corpo jurídico do sindicato está tomando todas as providências cabíveis, face à situação de constrangimento e prejuízo moral a que foi submetido o referido policial. Serão ajuizadas ações criminais e de reparação de danos morais contra supostos os autores (já identificados) das agressões perpetradas, inclusive acompanhamos o filiado em audiência na sede da 3ª Delegacia de Polícia, responsável pela circunscrição do local do fato.

No atual momento político vivenciado em nosso país, com clara polarização de ideias, asseveramos que, independente da tendência seguida, seja de direita, centro ou esquerda, defenderemos com afinco e de forma incansável, o sagrado direito à liberdade de pensamento e de expressão do cidadão de bem. Pois, para um povo livre governar a si mesmo, deve ser livre para se exprimir, aberta e publicamente, seja qual for a orientação adotada.

Investidores estrangeiros apostam na recuperação do Brasil

Com a recessão e a desvalorização do real, as companhias brasileiras nunca estiveram tão baratas. Muitas delas, afetadas pela crise e pelo escândalo de corrupção na Petrobras, estão vendendo boa parte de seus ativos. A própria Petrobras, com uma dívida que supera os US$ 130 bilhões, também planeja vender US$ 15 bilhões em ativos até o fim do ano. A moeda brasileira se desvalorizou de forma significativa em relação ao dólar em 2015 e apesar da recuperação vista nos primeiros meses deste ano ainda está no menor valor desde 2003.

Geert Aalbers, diretor sênior e chefe da Control Risks no Brasil, vive no país há 18 anos e diz que há duas maneiras de olhar para o Brasil. “O primeiro é com euforia, como vimos durante o boom do país. O segundo, é com realismo. Os riscos e custos de fazer negócios no Brasil são altos e continuarão sendo pelo menos por um tempo. Os investidores que estiverem preparados para entender o cenário e absorver esses custos, terão sucesso”, afirmou.

Robert Abad, fundador da consultoria em mercados emergentes EM+BRACE, baseada na Califórnia, diz que o Brasil ainda é uma das nações mais promissoras da América Latina. “Há uma filosofia que todo investidor em mercados emergentes precisa ter. Se o país tem uma boa base, se houve progresso ao longo dos anos, então quando uma crise dessas acontece é o momento certo para investir”, disse.

Caio Mesquita, fundador da consultoria independente de investimentos Empiricus, diz que o mercado deve continuar a reagir positivamente à mudança de governo. “O que vai acontecer daqui pra frente depende muito do tipo de governo que será formado, mas, de qualquer forma, se você tem uma visão de longo prazo, é um bom momento para investir no Brasil”.

(Agência Brasil)

‘Emprego vai voltar’, diz empresário Beto Studart pelo otimismo com Temer

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=aypcFk0bySM[/youtube]

“Nós, sociedade, esperamos tudo. Acho que vai melhorar tudo”! O otimismo é do empresário Beto Studart, diante do Governo em exercício de Temer. Para o empresário, o emprego vai voltar e a atividade econômica vai ser retomada, mas é preciso que o Governo em exercício tenha tempo.

Sobre a possibilidade do retorno da CPMF, Beto Studart afirma que é necessário um projeto.

OAB critica nomeação e defende saída de ministros investigados na Lava Jato

80 1

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, criticou a nomeação de ministros investigados ou citados na Operação Lava Jato pelo presidente em exercício Michel Temer e disse que poderá avaliar o uso de instrumentos jurídicos para pedir o afastamento de ministros que venham a se tornar réus.

“Quem é investigado pela Operação Lava Jato não pode ser ministro de Estado, sob o risco de ameaçar a chance que o Brasil tem de trilhar melhores rumos. Faço o alerta de que a nomeação de investigados contraria os anseios da sociedade e não deveria ser feita”, disse Lamachia em nota.

“No futuro, se necessário, a Ordem avaliará o uso dos instrumentos jurídicos cabíveis para requerer o afastamento das funções públicas dos ministros que se tornarem réus. Foi com base nesse entendimento que a OAB pediu o afastamento do deputado Eduardo Cunha e do então senador Delcídio do Amaral”, completou.

Na equipe ministerial de Temer, o único investigado na operação é Romero Jucá (Planejamento), mas outros dois ministros foram citados na Lava Jato: Henrique Eduardo Alves (Turismo) e Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo). Além de Jucá que é senador, os dois últimos passam a ter foro privilegiado e, a partir de agora, podem ser investigados apenas pelo Supremo Tribunal Federal.

No documento, Lamachia observa ainda que o novo governo, alçado ao poder pela via constitucional e não pela via eleitoral, “precisa ser um exemplo ético para poder atender aos anseios da sociedade e validar sua legitimidade”. E acrescenta que a OAB acredita no sucesso do Brasil, por isso, “cobrará que, diferentemente do anunciado, o novo ministério não seja composto por pessoas sobre as quais pesem dúvidas”.

Ainda na nota, Lamachia defende que todos os cidadãos têm direito à ampla defesa e ao devido processo legal, mas acredita que a equipe de ministros precisa estar acima de qualquer suspeita.

(Agência Brasil)

Cunha acusa Dilma de lhe oferecer ajuda no Supremo

101 2

eliomar charge 150718 dilma e cunha

“Ela me convocou para falar de medidas e sei lá o quê e disse que tinha cinco ministros do Supremo para me ajudar”.

A denúncia é do presidente afastado da Câmara Federal, Eduardo Cunha (PMDB), de um possível tráfico de influência da presidente afastada Dilma Rousseff (PT), junto ao Supremo Tribunal Federal (STF), para ajudá-lo no processo da Lava Jato sobre corrupção.

“Concretamente, ela não disse o que ia fazer. (…) Considerei uma bravata”, completou Cunha, em entrevista publicada neste domingo (15) na Folha de S.Paulo.

O advogado José Eduardo Cardozo, que no Governo Dilma exerceu o cargo de advogado-geral da União, disse que Eduardo Cunha não merece nenhuma credibilidade.

Projetos do Governo Temer só serão enviados à Câmara após estudos da área econômica

O presidente  em exercício Michel Temer (PMDB) disse que vai contar com o Congresso para fazer ajustes na economia. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, adiantou que a meta precisa ser estudada antes para que não precise ser modificada depois. Para o novo ministro da Fazenda, esse foi um dos maiores problemas para a perda de confiança no Brasil – a incerteza quanto aos números. O Congresso já analisa alterar a meta fiscal de 2016 para um déficit primário de até R$ 96,7 bilhões (PLN 1/16), mas os ministros acreditam que esse valor pode aumentar.

Para Meirelles, há duas medidas a serem implementadas – uma em relação à sustentação futura da dívida pública, que está crescente, e outra em relação à diminuição de gastos. Embora admita que são medidas de médio e longo prazo, Meirelles acredita que a sinalização do governo de que elas serão tomadas é efetiva para melhorar o cenário de confiança, tanto externa quando do empresariado brasileiro.

O novo ministro da Fazenda não afastou a possibilidade da volta da CPMF, mas disse que seria uma medida temporária. “Nós já temos uma carga tributária elevada, das maiores entre os países emergentes, e qualquer aumento de imposto tem de ser muito estudado e apenas temporário, para não impactar nos nossos custos”, disse.

(Agência Câmara Notícias)

A melhor política social

Da Coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo (15):

Pelo 15º mês consecutivo, a economia do Brasil andou para trás. No primeiro trimestre de 2016, a contração da atividade econômica foi de 1,44%. Os números parecem frios, mas os efeitos na realidade cotidiana das pessoas são dramáticos. É este o quadro a ser enfrentado. Pelo que se assistiu desde a posse do presidente interino, há sinais de que, enfim, o País terá uma política econômica. Que assim seja.

Não há saídas para a crise econômica sem que a iniciativa privada assuma o protagonismo. Governos não produzem riqueza. O papel do Estado é facilitar o surgimento de um ambiente que estimule os investimentos privados. Estes sim geram empregos, renda e receitas para o setor público bancar suas atividades fins, como saúde, educação e segurança.

Há alguns sinais de que o comando interino do País começa a percorrer essa linha. Pelo menos no discurso. Na prática, ainda muito pouco ou quase nada. Não poderia ser diferente. Atenção: em um de seus primeiros atos, o presidente em exercício, Michel Temer, criou, através de Medida Provisória, o Programa de Parcerias de Investimentos (PPI).

Objetivo do PPI: “ampliar e fortalecer a interação entre o Estado e a iniciativa privada por meio da celebração de contratos de parceria para a execução de empreendimentos públicos de infraestrutura e de outras medidas de desestatização”. O programa é, por enquanto, um bom e necessário indicativo das intenções.

O Brasil já passou por um importante processo de privatizações. Foi há 20 anos, na década de 1990. De lá para cá, os tentáculos do Estado na economia só cresceram. É um desvirtuamento. O País tem hoje outra oportunidade histórica de mudar esse rumo. Vai mudar? Veremos. Bom, é clássico: a melhor política social é aquela que gera desenvolvimento econômico.

Governo Temer – Como brasileiro, Roberto Cláudio diz que torce para que ‘as coisas deem certo’

63 2

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=OKpf3B2UQtA[/youtube]

Apesar de se valer do espírito brasileiro para que as “coisas deem certo”, o prefeito Roberto Cláudio disse, neste domingo (15), durante a entrega da nova praça Doutor Carlos Alberto Studart Gomes, no bairro Aldeota, que os primeiros sinais do Governo Temer geram preocupação.

A reação dele ocorre diante de fatos como a extinção dos ministérios da Cultura e da Ciência e Tecnologia. “Mas vamos dar um tempo”, ponderou o prefeito.

No ato da entrega da nova praça, Roberto Cláudio foi prestigiado pelo governador Camilo Santana (PDT)  e bom grupo de vereadores liderados pelo presidente da Câmara, Salmito Filho (PDT).

Roberto Cláudio destaca que entregou 150 praças novas ou reformadas

foto salmito e camilo e rc 160515 praça

O prefeito Roberto Cláudio (PDT) afirmou neste domingo (15), durante a entrega da nova praça Doutor Carlos Alberto Studart Gomes, na Aldeota, que o fortalezense já recebeu em sua gestão 150 praças, novas ou reformadas. Já o presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Salmito Filho (PDT), destacou a ocupação dos espaços públicos por parte da população. Em mais um evento ao lado do prefeito, o governador Camilo Santana ressaltou a preocupação de Roberto Cláudio com o meio ambiente e com a prática de atividades saudáveis da população.

Em um evento dos mais concorridos, a entrega da praça contou com a presença de parlamentares da Câmara Municipal e da Assembleia Legislativa, além de deputados federais e secretários municipais e estaduais. O deputado Ely Aguiar (PSDC) aproveitou o momento para a prática do ciclismo, enquanto o economista Cláudio Ferreira Lima se mostrou adepto ao cooper. O radialista Paulo Oliveira passeou com a esposa Joana.

(Fotos: Paulo MOska)

Camilo lamenta ausência do Ceará no primeiro escalão do Governo Michel Temer e cutuca Eunício

95 11

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=Ja8lYfkrSxo[/youtube]

O governador Camilo Santana (PT) lamentou, na manhã deste domingo, (15) a ausência de representante cearense no Governo Temer. Apesar do aparente prestígio do senador peemedebista Eunício Oliveira, o Ceará não possui nenhum ministro no governo em exercício.

Camilo Santana, no entanto, evitou confrontos e desconversou sobre a inoperância do PMDB cearense junto a Michel Temer.

“Tem que perguntar a ele (Eunício), não é a mim não”, afirmou Camilo sobre a não participação do Ceará no governo, ao ressaltar, no entanto, que Pernambuco possui quatro ministérios.

O governador prestigiou o prefeito Roberto Cláudio (PDT) no ato de reinauguração da Praça Doutor Carlos Alberto Studart Gomes, no bairro Aldeota.

O ato foi concorrido e contou com a presença de parlamentares federais como Leônidas Cristino e André Figueiredo – ambos do PDT, além do presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Salmito Filho (PDT), demais vereadores, secretários estaduais e municipais e frequentadores do local.

Ordem e Progresso – Lema de Temer traz de volta o velho ufanismo da ditadura

128 3

Da Coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (15):

O Brasil vive, desde a última quinta-feira, sob um governo sem legitimidade, e em uma situação política que nega o princípio básico da democracia: o respeito à decisão majoritária dos cidadãos eleitores.

Embora a fonte da legitimidade do poder político seja o povo, isso é considerado por grande parte da elite brasileira apenas uma frase retórica para ilustrar discursos. Bem apropriado ao propósito de restaurar a velha ordem, contudo, é o lema (desprovido de criatividade) escolhido para o governo, que traz de volta o velho ufanismo da ditadura: “Ordem e Progresso” (tradução: “cada um no seu quadrado”, ou, “ponha-se no seu lugar”), que denotaria a ideia de conservadorismo na ordem cultural e política e repressão, na ordem social. Slogan provavelmente saído da cabeça de um militar.

O 1º suspeito é o general Sérgio Etchegoyen, da direita militar, chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), que terá grande ascendência sobre o governo e, segundo os comentários circulantes, pretenderia restaurar um aparato equivalente ao antigo e sinistro SNI.

Quais as conclusões serão tiradas disso pela resistência democrática? Só o tempo dirá.

Antiga Praça das Flores – Prefeitura entrega neste domingo a praça Doutor Carlos Alberto Studart Gomes

Com uma academia ao ar livre, playground, nova iluminação, espaço de artes, padronização dos 34 boxes de venda de flores, 11 mil metros quadrados de piso intertravado, banheiros, banca de revista; maior acessibilidade, novo mobiliário urbano e quadra poliesportiva, o prefeito Roberto Cláudio entrega neste domingo (15), a partir das 9 horas, os 22 mil metros quadrados da nova Praça Doutor Carlos Alberto Studart Gomes (antiga Praça das Flores), no quadrado avenida Desembargador Moreira/rua Barbosa de Freitas e avenida Padre Antônio Tomás/rua Eduardo Garcia, no bairro Aldeota. Por solicitação da comunidade, a Prefeitura construiu ainda um oratório.

A manutenção da praça será feita por parceria entre a Prefeitura e o Grupo BSPAR. Toda a arborização original da praça foi mantida e ampliada. No total, a praça possui 70% de cobertura vegetal, que recebeu ainda mais dez palmeiras imperiais e cerca de oito mil metros de grama, além da vegetação de pequeno porte.

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=ce2sRwYnc1c[/youtube]

Regras para transparência nos gastos com cartão corporativo do governo serão votadas

A Comissão de Transparência e Governança Pública pode votar na terça-feira (17) o projeto do senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) que determina a publicação na internet dos gastos pessoais da Presidência da República e de sua família e do governo federal feitos com o uso do cartão corporativo. O PLS 62/2016 proíbe a classificação de parte desses gastos como sigilosos.

O senador Caiado justificou que essas despesas são até tornadas públicas, mas sem o detalhamento necessário.

— Observa-se que muitos gastos com esse cartão, especialmente no caso da Presidência da República, são classificados como sigilosos – argumentou Ronaldo Caiado.

O relator da proposta, Antonio Anastasia (PSDB-MG), elogiou a iniciativa, mas mudou o texto para regulamentar com mais detalhes esse instrumento de pagamento de contas. Uma das regras previstas é a proibição de saques em dinheiro com o cartão de pagamentos a não ser com prévia autorização.

Anastasia afirma, no projeto, que “somente 9% das despesas realizadas no exercício de 2015, de um total de aproximadamente R$ 6 milhões, foram divulgadas no Portal Transparência do governo federal, sendo os 91% restantes classificados como “informações protegidas por sigilo”.

(Agência Senado)