Blog do Eliomar

Últimos posts

Rodoviários reclamam do ‘congelamento’ do vale refeição e do não cumprimento da data base

Profissionais rodoviários intermunicipais paralisam as atividades as atividades na noite dessa sexta-feira (1º), por duas horas, em protesto contra o ‘congelamento’ do vale refeição e do não cumprimento da data base. Os atos ocorreram nas rodoviárias de Fortaleza, Sobral e Juazeiro do Norte.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Transporte Rodoviário de Passageiros Interestadual e Intermunicipal do Estado do Ceará (Sinteti), desde maio que não há reajuste salarial, diante do não cumprimento da data base. As negociações foram iniciadas há quatro meses, mas a disparidade entre as propostas sindical e patronal impede o avanço. Enquanto o Sinteti sugere 14% (no início a proposta era de 18%), o Sinteronibus fixou em 3,38%.

Outro impasse na negociação é o vele refeição, quando o Sinteronibus já anunciou o congelamento no valor da alimentação dos funcionários.

Justiça concede prisão domiciliar a Cachoeira e outros presos em operação da PF

O desembargador Antonio Ivan Athié, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, concedeu prisão domiciliar para Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, Adir Assad, Marcelo Abbud, Cláudio Abreu e Fernando Cavendish. Este, não foi preso ainda, pois está no exterior. Os demais foram presos na quinta-feira (30) pela Operação Saqueador, da Polícia Federal (PF).

A decisão do magistrado foi tomada em segunda instância nessa sexta-feira (1º) e reverteu a prisão preventiva, determinada pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

Athié acolheu pedido de habeas corpus da defesa de Cavendish, ex-dono da Construtora Delta. Ele está no exterior e deverá voltar ao Rio, segundo nota divulgada por sua defesa. “A decisão do magistrado reverte a prisão preventiva em prisão domiciliar até que seja comprovada ocupação regular. A defesa reitera ainda que, consciente da legalidade dos seus atos, Fernando Cavendish sempre atendeu às solicitações da autoridade policial e assim continuará a fazer no âmbito do inquérito policial”.

(Agência Brasil)

Tese de doutorado aborda as crianças do Pirambu

Da Coluna Vertical, no O POVO deste sábado (2):

O que pensam, o que sonham e o que querem as crianças do bairro Pirambu, um dos pontos de Fortaleza colocados à margem de políticas públicas e foco de violência?

Uma tese de doutorado da professora Hilda Coutinho de Oliveira tentou captar esse cenário. Na terça-feira (5), a partir das 19 horas, na Adufc (Benfica), ela vai expor o tema e, principalmente, lançar o livro “O Grupo como Estratégia de Sobrevivência para Crianças da Favela”.

A obra nasceu de pesquisa realizada pela autora durante a elaboração da sua tese de doutorado em Ciências Médicas, na área de Saúde Mental, pela Unicamp (SP). A pesquisadora observou que na favela, onde quase tudo contribui para o aniquilamento, o grupo ressurge como estratégia de sobrevivência psíquica quando as crianças usam os recursos da vincularidade para gerar solidariedade e pertinência.

“Por meio de práticas lúdicas e interativas, as crianças se transformaram em heróis fortes e corajosos que enfrentam as ameaças da negligência, abandono, exclusão, violência e morte”, diz a autora.

O Projeto 4 Varas ajudou na construção do livro.

É hoje o Arraiá das Cumadis!

foto arraiá das cumadis

Barracas com comidas típicas, bebidas, brincadeiras, muito forró e uma quadrilha infantil e outra de jovens animarão a tradicional festa do “Arraiá das Cumadis”, neste sábado (2), a partir das 20 horas, na Rua Amadeu Furtado, entre as ruas Azevedo Bolão e Dom Manoel de Medeiros, no bairro Parquelândia, ao lado do Bar Besouro Verde. Será  oitava edição de uma festa organizada só por mulheres que moram nessa rua.

A atração musical ficará por conta da banda “Asa Noturna”, que apresentará um repertório repleto de canções juninas, além dos clássicos do forró das antigas e de músicas de outros estilos, tocadas, é claro, ao som da sanfona.

Haverá pula-pula de graça e segurança, além de banheiros químicos.

Peritos da Comissão do Impeachment dizem não julgar se houve dolo de Dilma

Em um documento de 125 páginas, peritos da Comissão Processante do Impeachment, no Senado, responderam nessa sexta-feira (1º), os 76 questionamentos a respeito do relatório sobre os atos da Presidência da República que embasaram o pedido de impedimento da presidente afastada Dilma Rousseff. O documento mantém inalterada a íntegra do laudo pericial.

Entre as respostas apresentadas, a junta aponta que não cabe aos peritos o julgamento se a presidente agiu com dolo ao assinar decretos de crédito complementares, ponto questionado aos peritos. De acordo a legislação vigente, o crime de responsabilidade deve ser motivado por dolo específico de seu agente, neste caso, de Dilma Rousseff.

“Foge ao objeto da perícia e à competência desta Junta a avaliação acerca da existência de dolo da presidente da República na edição dos decretos ora periciados. Ademais, esse juízo significaria adentrar no próprio mérito da causa, o que compete, no atual estágio do processo, exclusivamente aos senadores”, diz o documento.

De acordo com o laudo pericial, tais decretos tiveram impacto negativo no cumprimento da meta fiscal aprovada em janeiro de 2015 e que se encontrava vigente no momento da assinatura dos atos, em julho e agosto.

Em questionamento sobre a nulidade das operações de crédito relativas ao Plano Safra, a junta descarta posicionamento sobre o assunto. “A perícia afirma a manifestação sobre eventual nulidade das operações e sobre os efeitos dessa nulidade é matéria que ultrapassa as competências desta Junta Pericial”.

Após a apresentação das repostas pelos peritos, os auxiliares técnicos designados por defesa e acusação terão até as 18h da segunda-feira (4) para analisá-las.

(Agência Brasil)

Sérgio Machado informa ao STF que apresentará novas provas na Lava Jato

sérgio machado

A defesa do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado informou nessa sexta-feira (1º) ao Supremo Tribunal Federal (STF) que vai apresentar novas provas para serem anexadas aos depoimentos de delação premiada prestados por ele na Operação Lava Jato.

Na petição, a defesa informa que Machado está levantando dados complementares aos depoimentos prestados e pede mais 20 dias para finalizar o trabalho.

O acordo assinado por Machado com a Procuradoria-Geral da República diz que novas informações podem ser apresentadas pelo delator em 60 dias, mas não especifica o período inicial da contagem do prazo. Por esse motivo, os advogados pediram autorização do ministro Teori Zavascki, responsável pelos processos da Lava Jato no STF, para anexar novas provas.

Machado ficou no comando da subsidiária da Petrobras de 2003 a novembro de 2014. Ele disse que políticos indicavam aliados para cargos em empresas estatais para conseguir “o maior volume possível de recursos ilícitos tanto para campanhas eleitorais quanto para outras finalidades”. Segundo Machado, a função dos diretores indicados era administrar as empresas e “arrecadar propina para os políticos que os indicaram”.

Nos depoimentos, o ex-presidente da Transpetro disse que repassou propina para mais de 20 políticos de vários partidos. Em outro depoimento, ele afirmou que foram repassados ao PMDB “pouco mais de R$ 100 milhões”, que tiveram origem em propinas pegas pelas empresas que tinham contratos com a Transpetro.

De acordo com os termos do acordo de delação, divulgados hoje, após decisão de Zavascki, Sérgio Machado vai devolver R$ 75 milhões. Desse total, R$ 10 milhões deverão ser pagos 30 dias após a homologação, que ocorreu no mês passado, e R$ 65 milhões parcelados em 18 meses. Por ter delatado os supostos repasses de recursos da Transpetro para políticos, Machado vai cumprir pena em regime domiciliar diferenciado.

(Agência Brasil)

“Não recebi vantagens indevidas”, diz Cunha sobre suposto pagamento de propina

sjio

Após a divulgação de informações de que teria recebido pagamento de propina em um esquema envolvendo empresas interessadas na liberação de recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FI-FGTS), o presidente afastado da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ) divulgou nota negando o recebimento de “vantagens indevidas”.

As acusações contra Cunha constam do depoimento de delação premiada do ex-vice-presidente de Fundos de Governo e Loterias da Caixa Econômica Federal Fábio Cleto, que afirmou que o deputado recebia 80% da propina arrecadada entre empresas. O trecho do depoimento que traz a acusação foi divulgado após decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki.

Na nota, Cunha ressalta que não conhece o teor da delação, desmente “com veemência os supostos fatos divulgados” e diz que não recebeu, nem combinou “com quem quer que seja qualquer vantagem indevida de nenhuma natureza”.

Além disso, o deputado põe em dúvida o teor do depoimento de Fábio Cleto e diz que este é ”réu confesso de práticas irregulares” pelas quais cabe responder.

Na delação, Fábio Cleto diz que, do valor total cobrado no pagamento da propina, 80% ficavam com Eduardo Cunha, 20% com o doleiro Lúcio Bolonha Funaro. De acordo com o depoimento do ex-diretor da Caixa, dos 20% destinados a Funaro, 40% cabiam a Cleto, que, por vontade própria, repassava metade do valor para Alexandre Margotto (apontado como assessor de Funaro).

Segundo a Procuradoria-Geral da República e delatores ouvidos pela Operação Lava Jato, o doleiro Lúcio Funaro é ligado a Eduardo Cunha.

No texto divulgado nesta sexta-feira (1º), Eduardo Cunha diz ainda que não tem operador, “gestor financeiro, ou qualquer coisa do gênero” e que não autorizou ninguém a tratar de qualquer coisa em seu nome. O deputado também lamenta que as denúncias contra ele sejam “baseadas em palavras de delator, com histórias fantasiosas”, onde não teve “nem o direito de ser ouvido em sede de inquérito para estabelecer o contraditório”.

(Agência Brasil)

Polícia do Rio recupera equipamento de TV alemã que atuará nos Jogos Olímpicos

A Polícia Militar (PM) localizou em Magé, na Baixada Fluminense, os dois contêineres com equipamentos de duas emissoras de televisão alemã roubados na madrugada de hoje (1º) com a carreta que os transportava, na Avenida Brasil, principal ligação do centro com as zonas norte e oeste do Rio de Janeiro, na altura do Mercado São Sebastião, na Penha.

Os criminosos ocupavam dois carros e interceptaram a carreta, que seguia para o Centro de Mídia, no Parque Olímpico da Barra da Tijuca, na zona oeste, onde seriam montados os estúdios das emissoras alemãs ARD e GDF para a transmissão dos Jogos Olímpicos Rio 2016.

O motorista foi feito refém e obrigado a desviar o trajeto. O material roubado foi localizado em um galpão, na Baixada Fluminense e a carreta que fazia o transporte também já foi encontrada pela Polícia Civil na Baixada Fluminense, mas no Parque Anhangá, em Duque de Caxias. A 66ª delegacia policial (Magé)está investigando o caso.

(Agência Brasil)

Energia – Consumo cresceu 0,8% em maio

O consumo nacional de energia elétrica subiu 0,8% em maio, na comparação ao mesmo mês do ano passado, segundo dados divulgados hoje (1º) pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE), vinculada ao Ministério de Minas e Energia. No entanto, no acumulado do ano, de janeiro a maio, o consumo de energia registrou queda de 2%.

De acordo com a EPE, o resultado de maio foi influenciado pelo crescimento de 3,5% do consumo residencial, atribuído ao efeito das baixas temperaturas em grande parte do país. A Região Sul, onde o consumo das residências mostrou a maior alta (7,4%) e que representa 15% do mercado residencial, respondeu sozinha por 30% do aumento mensal do consumo dessa classe de consumidores.

Já o consumo de eletricidade do comércio e serviços teve aumento moderado em maio, de 0,6%, enquanto o consumo industrial caiu 3,2%, acumulando queda de 5,7% nos cinco primeiros meses deste ano. As maiores baixas no consumo de energia da indústria foram observadas no Nordeste do país (-5,1%) e no Sudeste (-4,3%).

O relatório da EPE mostra também que dos 14 setores industriais que mais consomem energia, correspondendo a 89,7% da demanda industrial, apenas quatro tiveram aumento do consumo em maio: bebidas, com alta de 3,9%; metalurgia (+2,9%); papel e celulose (+2,8%); e produtos alimentícios (+1,9%).

Projeções

A EPE reviu as projeções de demanda de eletricidade para os próximos dez anos. O crescimento médio estimado pela empresa para o consumo nacional de energia é de 3,8% ao ano até 2025, com destaque para a Região Norte, onde é prevista expansão de 5% ao ano.

Em relação ao consumo de eletricidade por classes, a projeção é que o consumo comercial crescerá 4,5% ao ano na próxima década; o residencial, 4% ao ano; e o industrial tenha aumento de 3,2% ao ano. De acordo com análise da EPE, o consumo da indústria crescerá menos nos primeiros cinco anos em função da “conjuntura desfavorável, perdendo participação devido ao baixo desempenho das indústrias de transformação e construção civil”

(Agência Brasil)

“Cunha tinha longa e íntima relação com delator”, diz Rodrigo Janot

janot

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, informou ao Supremo Tribunal Federal (STF) que o doleiro Lúcio Funaro, preso na Operação Sépsis, tem “longa e íntima relação” com Eduardo Cunha, presidente afastado da Câmara dos Deputados. A conclusão de Janot consta do pedido de prisão de Funaro, autorizado hoje (1°) pelo ministro Teori Zavascki.

De acordo com as investigações, Funaro atuava como operador financeiro de Cunha no recebimento de propina de empresas interessadas na liberação de verbas do Fundo de Investimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FI-FGTS). O suposto esquema de desvios foi delatado pelo ex-vice-presidente de Fundos de Governo e Loterias da Caixa, Fábio Cleto, que também é investigado.

Para indicar a suposta atuação de Funaro, Janot também citou a delação premiada de Nelson José de Mello, ex-diretor da Hypermarcas, sobre outro suposto esquema. O delator relatou repasse de propina a Funaro e Eduardo Cunha por meio de contratos fictícios.

Segundo o procurador, Nelson Mello informou ao Ministério Público que foi procurado por Cunha e Funaro em março de 2016, após ter assinado acordo de delação premiada.

Mello destacou que o doleiro mantinha com ele conversas em tom de ameaça. “Também chama a atenção a agressividade de Funaro no trato com o colaborador, manifestada por termos como ‘você não sabe com quem está se metendo’ e ‘está querendo me… [palavrão]?”, disse Janot.

Mensalão

No pedido de prisão, Janot citou outras investigações em que Lúcio Funaro esteve envolvido, como o caso da Ação Penal 470, o processo do mensalão, Operação Satiagraha e o Caso Banestado. No mensalão, Funaro fez acordo de delação premiada e foi absolvido posteriormente pela Justiça.

“Funaro foi diretamente envolvido no Caso Mensalão, responsável por repassar valores da SMP&B (empresa de Marcos Valério) ao antigo Partido Liberal, em especial a Waldemar  Costa Neto (SP), por intermédio de sua corretora Guaranhus. Na época, apurou-se que a Garanhuns repassou a quantia de R$ 6,5 milhões ao então líder do Partido Liberal, Valdemar Costa Neto”, lembrou o procurador.

Defesa

O advogado Daniel Gerber, representante de Funaro, afirmou à Agência Brasil que o doleiro não tem participação nos fatos. “Lúcio Funaro é inocente das acusações que o delator lhe imputa e irá provar inocência no curso do processo. Assim que tivermos acesso aos autos, esperamos demonstrar este equívoco ao ministro e ao Supremo Tribunal Federal”, acrescentou.

Em nota, Cunha negou as acusações de recebimento de propina e desafiou Fábio Cleto a provar as acusações.

(Agência Brasil)

Fortaleza recebe show do ABBA Mamma Mia

abbba

Fortaleza receberá nesta sexta-feira, a partir das 21 horas, no Teatro RioMar, um show que promete ser uma volta ao tempo das discotecas: “ABBA Mamma Mia – The Tibute”.

Criado há seis anos, em Buenos Aires, o grupo ABBA Mamma Mia levará ao palco sucessos como Dancing Queen e Waterloo, garantindo reprodução com fidelidade do grupo sueco ABBA até nos figurinos.

SERVIÇO

Plateia (Alto) – R$ 100,00

Plateia (Baixa) B – R$ 120,00

Plateia (Baixa) A – R$ 120,00 (Valores de inteira)

Mais Informações – 4003 1212.

Ministra Rosa Weber suspende enxurrada de ações contra jornalistas da Gazeta do Povo

“A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Rosa Weber suspendeu a tramitação de mais de 40 processos abertos por juízes do Paraná contra o jornal Gazeta do Povo e cinco de seus jornalistas, que, em fevereiro, publicaram reportagem sobre os supersalários recebidos pelos magistrados.

A liminar suspende também os efeitos de qualquer decisão que ordene o pagamento de indenizações a magistrados do Paraná, até que a matéria seja julgada pelo plenário do STF. Rosa Weber reconsiderou sua própria decisão anterior, tomada em 24 de maio, na qual havia negado o pedido de liminar protocolado pelos advogados da Gazeta do Povo, Alexandre Kruel Jobim e Marcelo Augusto Chaves.

“Concedo a medida acauteladora para o fim suspender os efeitos da decisão reclamada, bem como o trâmite das ações de indenizações propostas em decorrência da matéria jornalística e coluna opinativa apontadas pelos reclamantes, até o julgamento do mérito desta reclamação”, escreveu a ministra.

Reportagem

No dia 15 de fevereiro, o jornal a Gazeta do Povo publicou uma reportagem na qual revelava o recebimento, por juízes do Paraná, de remunerações que, após a soma de salário com benefícios e outras verbas, com frequência superavam os R$ 100 mil, bem acima do teto constitucional estipulado para o salário de servidores públicos. Os dados foram compilados a partir de informações públicas.

Por causa da publicação, juízes do Paraná abriram uma enxurrada de processos em juizados especiais cíveis espalhados por todo o estado, obrigando os cinco autores da reportagem a percorrerem mais de 9.000 km de carro para comparecer às audiências, o que, na prática, os impediu de continuar trabalhando.

Em um dos processos, os jornalistas foram condenados a pagar R$ 20 mil em indenização a um dos juízes. No total, foram pedidos mais de R$ 1,3 milhão em indenizações. O juízes alegam que a reportagem teve cunho difamatório, pois os provimentos recebidos dizem respeito a direitos adquiridos e estão de acordo com a lei.

A Gazeta do Povo afirma que o objetivo da reportagem foi “expor e debater o sentido do teto constitucional”. Em sua reclamação ao STF, o jornal acusou os magistrados paranaenses de uma ação coordenada, cujo objetivo seria o de cercear a liberdade de expressão e constranger a publicação de futuras reportagens sobre o assunto.

Como prova, foi apresentada uma gravação em que o presidente da Associação de Magistrados do Estado do Paraná (Amapar) diz ter disponível uma “ação padrão” a ser utilizada pelos juízes que se sentiram ofendidos.

Em nota, a Amapar negou qualquer ação coordenada entre os juízes, acrescentando que os magistrados que se sentiram prejudicados possuem o direito constitucional de acionar a Justiça. Para a entidade, “a imprensa deve ser livre, mas, se abuso houver, ele deve ser reparado”. O texto diz que o jornal prestou um “desserviço” à sociedade e “extrapolou o direito à liberdade de expressão”.

Em meados de junho, a Associação Nacional de Jornais (ANJ) repudiou a postura dos magistrados, e disse, em nota, que a abertura de processos em diferentes locais do Paraná “tem o claro objetivo de intimidar, retaliar e constranger o livre exercício do jornalismo”.

(Agência Brasil)

Vem aí o V Congresso de Escritores, Poetas e Leitores do Ceará

127 1

chocalho

Estão abertas as inscrições para o V Congresso de Escritores, Poetas e Leitores do Ceará. A promoção é do Grupo Chocalho, que tem à frente o poeta e professor Auriberto Cavalcante.

Os interessados podem se inscrever pelo site grupochocalho.blogspot.com. O evento acontecerá de 24 a 26 deste mês, na Casa José de Alencar, com homenagens a vários escritores. O tema do congresso é “Liberdade de expressão: “O pensamento e a dialética na ação poética do escritor, formando leitores conscientes e críticos”.

Na ocasião, o Grupo Chocalho vai comemorar 33 anos de fundação, registrará também o Dia do Escritor e oferecerá palestra do professor Pedro Lira, da UFRJ, que falará sobre “A Poesia e a Música no Cyberespaço”.

Psol questiona no STF benefícios fiscais para agrotóxicos

O Psol deu entrada numa Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIN), junto ao Supremo Tribunal Federal, questionando os benefícios fiscais concedidos à produção e comercialização de agrotóxicos no País. O documento, que será apreciado pelo ministro Luiz Edson Fachin, pede a declaração de inconstitucionalidade pelo STF de partes do Convênio nº 100/97 do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) e do Decreto no 7.660, que reduzem o ICMS e o IPI para os venenos agrícolas.

O texto do Convênio no 100/97, firmado pelo Confaz em 23 de dezembro de 2011, reduz o ICMS para diversos produtos. Entre as concessões está a diminuição em 60% da base de cálculo do ICMS nas saídas interestaduais de produtos como inseticidas, fungicidas, formicidas, herbicidas, parasiticidas, desfolhantes, dessecantes e estimuladores, com autorização para que os Estados concedam isenção total do imposto.

A ADIN do PSOL questiona a constitucionalidade de parte do Convênio, no trecho em que se refere aos produtos genericamente identificados como “agrotóxicos”. Na mesma data também foi publicado o Decreto no 7.660, que institui a Tabela de Impostos sobre Produtos Industrializados (TIPI), onde consta a isenção total do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para as substâncias que compõem os venenos agrícolas.

A iniciativa da contestação ao STF dos benefícios fiscais partiu da Rede de Advogados Populares do Ceará (Renap-CE).

Netflix traz 50 novidades para estas férias de julho

piratas-do-caribe

A Netflix traz novidades, neste mês de julho, em sua programação. São mais de 50 filmes e séries que prometem animar as férias de seu público. Na lista, as sete temporadas de Gilmore Girls, a quarta temporada de American Horror Story: Freak Show e as continuações de The Blacklist, Orphan Black e Modern Family.

Produções originais também serão sequenciadas, como Marco Polo e BoJack Horseman.

Em termos de filmes, entram no catálogo Os Oito Odiados, Piratas do Caribe: Navegando em Águas Misteriosas e Alvo Duplo.

  • Confira a lista completa aqui.

Cobertura esportiva será mote de debate na UFC

alemdojogo

A cobertura jornalística de eventos esportivos como os Jogos Olímpicos e a relação de profissionais da área com a mídia serão temas de um bate-papo com nomes do esporte e da mídia cearense. Falo do evento “Além do Jogo: Faces da Cobertura Esportiva no Ceará”, a se realizar segunda (4) e terça-feira (5), a partir das 18 horas, no Auditório José Albano (área 1 do Centro de Humanidades – Avenida da Universidade, 2683, Benfica). É aberto ao público.

Em pauta, os bastidores do jornalismo cearense sob o tema “As grandes coberturas esportivas”, na segunda-feira (4). Os jornalistas Ana Flávia Gomes, editora de Esportes do jornal O POVO; Fábio Pizzato, apresentador do Globo Esporte, da TV Verdes Mares; e Thaís Jorge, repórter do site GloboEsporte.com, falarão sobre o “modo de fazer” notícia em ocasiões como os Jogos Olímpicos e a Copa do Mundo, além dos efeitos dessas coberturas para quem vive no Ceará.

A mesa “E os profissionais do esporte, como veem a mídia?”, a ser realizada na terça-feira (5), já tem o cearense e ex-atleta olímpico de vôlei de praia Márcio Araújo, o jogador do basquete cearense Davi Rossetto e a “bandeirinha” Carolina Romanholi como presenças confirmadas. O público vai conhecer a visão deles em relação às grandes coberturas e como a mídia modifica suas rotinas.

“Além do Jogo: Faces da Cobertura Esportiva no Ceará” é uma realização dos estudantes da disciplina Jornalismo Esportivo, do Curso de Jornalismo da UFC. A atividade sobre a relação entre mídia e esportes busca, portanto, valorizar essa temática no Estado.

(Com Blog Gente de Mídia)