Blog do Eliomar

Últimos posts

CPI dos Crimes Cibernéticos discutirá em audiência venda de abortivos pela internet

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Crimes Cibernéticos promove mais uma audiência pública para debater a venda de medicamentos abortivos pela internet. O debate, marcado para a tarde da terça-feira (22), contará com a presença de Marcos Ângelo Grimone, promotor de Justiça e coordenador da área criminal da Procuradoria da República em São Paulo; e José Augusto Versiani, delegado da Polícia Federal. A CPI já ouviu em audiência representantes da Anvisa sobre o assunto.

O deputado Flavinho (PSB-SP), que solicitou o debate, assinalou que há na internet sites que promovem a venda irrestrita de medicamentos abortivos, além, de promover e divulgar informações de incentivo ao aborto, “colocando em risco a saúde de mulheres, nascituros e famílias”.

O parlamentar acrescenta que se constata, no mínimo, uma falha no sistema de segurança e alfandegário, assim como no sistema de fiscalização sanitária e nos critérios de registro de encomendas do serviço postal.

“Parece-nos prudente ouvir os especialistas para melhor compreender o problema, encontrar soluções e, eventualmente, identificar responsáveis pelas condutas, em tese, criminosas”, afirmou.

(Agência Câmara Notícias)

De volta ao grampo

Em artigo no O POVO deste domingo (20), o psiquiatra Cleto Brasileiro Pontes comenta das manifestações contra a corrupção e dos grampos telefônicos. Confira:

Desde a colonização, eventos curiosos acontecem no Brasil. De chegada, o escrivão-
mor, Pero Vaz Caminha, descreveu a nova colônia como um paraíso, um jardim do Éden,
e pediu emprego ao rei para um parente. O escritor maranhense antiescravagista
Aluísio de Azevedo, na abolição dos escravos, na capital do Império, disse que a
cena se assemelhava a uma festa simplória do interior. O piadista cearense Paula
Ney no dia da Proclamação da República, etilicamente tocado, cambaleante, quase vai
ao chão, mas em tempo segurado por um guarda, quando questionado sobre a marcante
data, disse que a República apoiada por militar era importante.

O último dia 13, domingo passado, foi ímpar; no País nunca tinha havido uma festa
tão comemorada em torno da democracia. Sem briga nem baderna como diriam os
militares, milhões nas ruas clamavam temas recorrentes: mudança na forma de fazer
política, fim da corrupção e apoio ao juiz Sérgio Moro que há dois anos conduz com
firmeza a operação Lava Jato, colocando corruptos na cadeia.

Somente um vendedor ambulante conseguiu vender mil bonecos inflados do Lula,
vestidos de presidiário com um 171 próximo ao pescoço, no valor de R$ 10 cada. Na
calada da noite, dois dias depois da manifestação, a sra. presidente da República
nomea o seu padrinho para ser ministro da Casa Civil, a fim de evitar que o mesmo
fosse em cana.

Curiosamente, muitos daqueles que idolatram o Lula condenaram o fato de o juiz Moro
ter revelado à imprensa as conversas criminosas colhidas por meio do grampo no
celular, como se o mesmo estivesse cometendo um ato ilícito. Em primeiro lugar, o
uso do grampo não é um ato ilegal; há anos foi legalizado no País. Em segundo
lugar, a delação premiada do senador Delcídio Amaral serviu para confirmar aquilo
que todos já imaginavam: a roubalheira no País é grande.

Sabíamos que havia uma quadrilha perigosa atuando no Brasil, haja vista o desastre
político e econômico no qual vive a nação. Até as carmelitas descalças que vivem
reclusas em oração já deviam desconfiar do chefe da quadrilha.

Antes da lei do grampo, após a publicação de um artigo neste jornal cujo título foi
“A justiça injusta”, fui processado e condenado aqui em Fortaleza e em Recife por
unanimidade, apenas por ter me indignado com a postura de um juiz federal que
mandara soltar criminosos perigosos internacionais e mantido preso apenas o
motorista que carregava no caminhão toneladas de cocaína em inhames falsos. Foi em
1991. Nem o grande jurista dr. Jurandir Porto teve argumento para provar que não
havia má intenção da minha parte, embora não houvesse denominado a justiça de
ilegal e nem que o juiz recebera propina. Somente ressaltei que a justiça foi
injusta, tanto verdade que agora sofremos as consequências: o Brasil é medalha de
ouro mundial no consumo de cocaína e crack. Antes só havia maconha e “aranha”.
Vamos aos detalhes.

Na época, como professor de epidemiologia da Faculdade de Medicina da UFC, fiz um
estudo de todos os processos existente na 1ª Vara de Tóxico do Ceará, criada em
1980. O estudo abrangeu oito anos e 1.375 processos. Sabia nome, CPF, endereço de
todos os traficantes e usuários de drogas ilícitas de Fortaleza. O trabalho foi
laureado em SP, na Escola Paulista de Medicina. Logo após, por meio da Fundação
Demócrito Rocha e em parceria com o professor Antonio Mourão, realizamos o curso a
distância para rádio e jornal “Droga – saber e agir”. Nossa intérprete na rádio foi
a Rossicléa.

Nos estudos, prevíamos que Fortaleza entraria na rota internacional das drogas,
como de fato entrou. Nada foi feito a tempo e agora fica mais difícil acabar.
Esperamos sequiosos um Brasil melhor, após tantas denúncias ao nosso alcance e
ouvidos. Não deixemos passar a oportunidade de abrir novos rumos com melhores
horizontes para o nosso povo, filhos de uma pátria mãe que não foge à luta.

Rádio Progresso de Juazeiro do Norte é a primeira AM do Ceará a migrar para FM

andre-figueiredo-antonio-firmino

Do Blog do Farias Júnior (Cariri Oriental)

O futuro já chegou para a Rádio Progresso de Juazeiro do Norte.  A emissora entrou para a história como a primeira rádio AM a migrar para o FM (97,9).

O feito foi marcado por evento que contou com a presença do ministro das Comunicações, André Figueiredo, integrantes da Associação Cearense de Emissoras de Rádio e Televisão (Acert) e da ABERT. Além de shows com a dupla Ítalo e Reno, Flávio Carneirinho e Luiz Fidéliz.

Dilma lamenta morte do presidente da Vale e de familiares

“A presidente Dilma Rousseff divulgou hoje (20) nota de pesar pelo falecimento do empresário Roger Agnelli, ex-presidente da Mineradora Vale. “Foi com grande pesar que recebi a notícia do falecimento do empresário Roger Agnelli, sua mulher, filhos, genro e nora, em acidente aéreo”, diz a nota.

A presidenta lembra que o empresário “dedicou sua carreira a grandes empresas brasileiras” e sempre esteve “comprometido com o desenvolvimento do país”.

Saiba Mais
Queda de avião mata ex-presidente da Vale e mais seis pessoas em São Paulo
“Perdemos um brasileiro de extraordinária visão empreendedora. Neste momento, manifestamos nossa solidariedade a seus parentes e amigos”, conclui a nota da presidente.

O avião monomotor de Roger Agnelli caiu ontem em uma área residencial de São Paulo. Além do executivo, morreram sua mulher, Andrea, e os filhos Anna Carolina e João. E ainda o genro de Agnelli, Parris Bittencourt, a nora Gabriela, e o piloto do avião, Paulo Roberto Simões. Ainda não se sabe as causas do acidente e nem as informações sobre velório.

Rogera Agnelli foi presidente da Mineradora Vale por dez anos, entre 2001 e 2010, período de grande crescimento da companhia. Ele também atuou na diretoria do Bradesco e vinha atuando na sua própria empresa desde que deixou a Vale.”

(Agência Brasil)

Papa Francisco lamenta falta de apoio a refugiados

papa-missa-galo-alessandro-di-meo

“O Papa Francisco lamentou hoje (20) que exista tanta gente que não queira “assumir a responsabilidade” do destino dos refugiados, durante a homilia que pronunciou na Praça de São Pedro, no Vaticano, na celebração do Domingo de Ramos.

Na homilia, Francisco recordou que, a caminho da cruz, Jesus de Nazaré “também experimentou na sua própria pele a indiferença, pois ninguém quis assumir a responsabilidade do seu destino”.

“Penso em tantos marginalizados, em tantos refugiados e também penso em tantos que não querem assumir a responsabilidade do seu destino”, disse Francisco.”

(Agência Lusa)

Táxi roda mais caro em Fortaleza

Táxi na ChuvaNa foto: Frota de TáxisFoto: Deivyson Teixeira, em 25/01/2011

O preço da bandeirada está mais caro desde as primeiras horas deste domingo, em Fortaleza. O reajuste foi 11,74%, percentual superior à inflação de todo o ano de 2015, que ficou em 10,71%. Confira o que saiu no Diário Oficial do Município:

 

PREÇO DO TÁXI EM FORTALEZA
Serviço Preço atual
(R$)
Preço
reajustado (R$)
Partida 4,26 4,76
Km rodado na bandeira 1 2,13 2,38
Km rodado na bandeira 2 3 3,57
Hora parada 21 23,80

Na Capital cearense rodam hoje 4.882 táxis. O último reajuste das tarifas de táxi, em Fortaleza, ocorreu em junho de 2015, num percentual de 6,5%.

Fortaleza teve carreata pró-impeachment neste domingo

149 9

carreaa

Nesta manhã de domingo, teve carreata pelo impeachment da presidente Dilma. Saiu da avenida Sebastião e Abreu, próximo ao Shopping Iguatemi, e se deslocou por vários pontos da cidade. Foi encerrada na Seis Bocas.

Quem estava na carreata, dizia que aquela mobilização era espontânea e feita sem participação de partidos ou políticos.

Ninguém precisou número de participantes ou carros mobilizados.

(Foto – Tadashi Enomoto)

Barack Obama terá encontro histórico com Raul Castro nesta segunda-feira em Havana

obbbb

“O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, inicia hoje (20) viagem histórica para Cuba. A agenda do presidente norte-americano inclui, após o desembarque na capital cubana, visita cultural a Havana Velha e um encontro com o cardeal Jaime Ortega, líder católico que trabalhou com o papa Francisco no esforço para trazer os dois países à mesa de negociações visando ao restabelecimento das relações diplomáticas.

A viagem do presidente Obama é uma “boa notícia” porque encerra, no âmbito das Américas, o último capítulo da guerra fria na política externa dos Estados Unidos, disse à Agência Brasil o diretor do Instituto Brasil, Paulo Sotero. O Instituto Brasil é ligado ao Centro Internacional de Woodrow Wilson, sediado em Washington, entidade que realiza estudos sobre a democracia e o desenvolvimento econômico em vários países.

Segundo Paulo Sotero, a viagem do presidente Barack Obama desafia as forças norte-americanas que ainda se opõem à suspensão do embargo econômico, comercial e financeiro imposto pelos Estados Unidos, em 1962, com o objetivo de isolar Cuba do mundo. “No lugar de isolar Cuba, a política isolou os Estados Unidos na região”, disse Sotero.

De acordo com Sotero, a aproximação norte-americana com Havana (capital cubana) pode também trazer benefícios para o Brasil, que sempre teve uma política externa de normalidade com Cuba.”

(Agência Brasil)

Roberto Cláudio vai disputar prêmio nacional de ‘Prefeito Empreendedor’

foto RC prefeito

Vencedor da etapa estadual da IX Edição do Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor, o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), se prepara agora para disputar a etapa nacional da disputa, que ocorre ainda este ano. Roberto Cláudio conquistou o primeiro lugar geral com o “Programa Empreendedorismo Sustentável”.

O Programa de Empreendedorismo Sustentável é uma iniciativa da Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SDE), que busca promover ações de apoio aos pequenos empreendedores, oferecendo capacitação gerencial, acesso ao microcrédito, formalização, consultoria dos negócios e espaço para comercialização de produtos e serviços.

Além de vencer no projeto de empreendedorismo, Roberto Cláudio também conquistou o primeiro lugar na categoria “Compras Governamentais”, com o projeto “Uso do poder
de compras do município de Fortaleza junto aos pequenos negócios para indução do
desenvolvimento local”.

Dragão do Mar encerra inscrições de projetos inéditos na Maloca Dragão 2016 neste domingo

No dia 28 de abril, o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura completará 17 anos a serviço da arte e da cultura. Para celebrar a data, o CDMAC iniciou há 3 anos a Maloca Dragão, um festival artístico com quatro dias de duração que enaltece a força e a criatividade dos artistas e grupos cearenses.

Este ano, parte da programação, que acontecerá de 28 de abril a 1º de maio, será composta por projetos inéditos de artistas cearenses no festival, previamente inscritos e posteriormente selecionados pela direção do Dragão do Mar, nas categorias Teatro, Circo, Dança, Literatura, Música e Culturas Populares. As inscrições devem ser feitas até este domingo (20), exclusivamente através do endereço virtual (www.malocadragao.org.br).

Para inscrever um ou mais projetos, o proponente deve, inicialmente, criar um perfil pessoal ou coletivo, numa plataforma livre e gratuita que integrará uma rede de agentes culturais do Ceará. A inscrição é simples e gratuita e traz uma série de benefícios para quem participa. Além de habilitar o inscrito para participar da Maloca Dragão e outros projetos e editais realizados pela Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, o inscrito passa a integrar uma rede social da cultura, facilitando a construção do seu próprio networking na área, além de ter à mão uma rede para divulgação dos seus próprios eventos.

Segundo o presidente do Instituto Dragão do Mar, Paulo Linhares, “a ideia é mapear o que vem acontecendo na cultura cearense, ampliando o raio de conhecimento sobre novos artistas, coletivos e trabalhos de criativos já conhecidos. O Ceará tem se mostrado uma grande potência artística e fica cada vez mais difícil dar conta de todo esse caldeirão cultural”.

(Governo do Ceará / Secult)

Salmito destaca investimentos em saúde na gestão Roberto Cláudio

99 1

foto salmito rádio quixadá

Vinte e cinco postos de saúde inaugurados em três anos anos de gestão. A observação
é do presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Salmito Filho (PDT), durante
entrevista, nesse sábado (19), ao programa Sertão Cidadão, transmitido pelas rádios
Liderança FM e Monólitos AM, em Quixadá, nos Sertões Cearenses, a 167 quilômetros
de Fortaleza.

Salmito também falou da sua experiência de dois dois anos à frente da Secretaria de
Turismo de Fortaleza (Setfor) e ressaltou a vocação natural do Ceará para o
turismo, por meio de suas praias, serras, rede hoteleira e povo hospitaleiro. O
presidente do Legislativo de Fortaleza lamentou a queda no turismo de Quixadá, que
poderia usufruir melhor o seu potencial. “A indústria do turismo já foi montada por
Deus em Quixadá. Falta gestão”, avaliou.

O médico Ricardo Silveira, que também participou do programa, concordou com o ex-secretário de Turismo de Fortaleza. Pré-candidato à Prefeitura de Quixadá, Ricardo Silveira sugeriu uma parceria para atrair visitantes chineses a Quixadá, por meio de um projeto com o Banco Mundial. Com o maior mercado emergente nas últimas duas décadas, os chineses agora procuram conhecer o mundo.

“Se há dez, quinze ou vinte anos os gestores de Quixadá tivessem começado a
planejar e a investir no turismo, hoje esta seria uma cidade diferente, muito mais
desenvolvida. O turismo é uma grande indústria, ele injeta dinheiro na veia do
município”, observou Silveira.

Presidência diz que declarações de Delcídio são “estratégia de vingança”

A Presidência da República divulgou nota afirmando que o senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS) segue “sua estratégia de vingança contra todos os que não agiram para evitar que fosse mantido preso pela revelação de que tentava obstruir investigações que poderiam prejudicá-lo”. A nota foi uma reação à entrevista do ex-líder do governo no Senado à revista Veja, publicada na edição deste fim de semana.

Segundo a revista, Delcídio disse que “tanto Lula quanto Dilma tinham pleno conhecimento da corrupção na Petrobras e, juntos, tramaram para sabotar as investigações [da Operação Lava Jato], inclusive vazando informações sigilosas para os investigados”.

Para a Presidência, o senador repete as “inverdades e absurdos declarados na sua delação premiada” e “volta a fazer ataques mentirosos e sem qualquer base de realidade contra o governo da presidente Dilma Rousseff”. “Inventa estórias mirabolantes, busca vitimizar-se e atribui a outros condutas ilícitas e imorais de sua exclusiva autoria”, diz a nota.

(Agência Brasil)

Delcídio: Dilma sacrificaria Lula para virar “defensora intransigente do combate à corrupção'”

foto delcídio

“O Lula tinha a certeza de que a Dilma e o José Eduardo Cardozo (ex-ministro da
Justiça, o atual titular da Advocacia-Geral da União) tinham um acordo cujo
objetivo era blindá-la contra as investigações. A condenação dele seria a redenção
dela, que poderia, então, posar de defensora intransigente do combate à corrupção.
O governo poderia não ir bem em outras frentes, mas ela seria lembrada como a
presidente que lutou contra a corrupção”.

A declaração é do senador Delcídio do Amaral, em reportagem neste fim de semana na
revista Veja. Segundo Delcídio, Lula agiu com pragmatismo e zombou do ministro
Aloízio Mercadante, que convencia a presidente Dilma Rousseff que ela nada teria a
ver com o “petrolão” e que somente o governo anterior seria atingido.

“O Lula me disse uma vez bem assim: ‘Esse Mercadante… Ele não sabe o que eu fiz
para salvar a pele dele'”, ressaltou Delcídio, ao revelar que Lula se referia ao
“caso dos aloprados”, quando assessores de Mercadante, então candidato ao governo
de São Paulo, nas eleições de 2006, teriam tentado comprar um falso dossiê contra o
então candidato do PSDB, José Serra.

Delator na Operação Lava Jato, o senador afirmou na reportagem que a solidariedade
de Lula aos “companheiros” presos na operação da Polícia Federal na verdade era um
cuidado com o seu próprio futuro.

“Eu errei ao participar de uma operação destinada a calar uma testemunha, mas errei a mando do Lula. (…) O Lula queria parecer solidário, mas estava mesmo era cuidando dos próprios interesses. Tanto que me pediu que eu procurasse e acalmasse o Nestor Cerveró, o José Carlos Bumlai e o Renato Duque. (…) Errei, mas não roubei nem sou corrupto. Posso não ser santo, mas não sou bandido”, disse Delcídio.

(Com Agências)

O futuro exigirá suor e lágrimas

127 1

Da Coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo (20):

Os contornos da crise política de 2015-16 foram delineados pelas manifestações de junho de 2013. A sucessão de acontecimentos é tão avassaladora que aquelas jornadas com multidões nas ruas já são pouco lembradas. Foi praticamente um mês inteiro de mobilização. Sem líderes, sem partidos, sem convicções organizadas. Não havia uma pauta só, mas o fundamento era a aposta de que a corrupção era o mal a ser combatido.

As grandes manifestações de 2013 refluíram no mesmo silêncio e na mesma velocidade com que começaram. De uma hora para outra. Isso se deu no contexto em que os manifestantes ordeiros e pacíficos, a esmagadora maioria, não aceitaram que suas atitudes de protesto fossem identificadas com os grupos mascarados que optaram pelo quebra-quebra, violência e confrontos.

A insatisfação se recolheu, mas ficou latente. Os mesmos problemas que levaram os manifestantes para as ruas de 2013 permaneceram e até se aprofundaram. No ínterim entre aquele e o atual momento, uma eleição presidencial. O grande vencedor naquela disputa foi o “não” a um e a outro. Milhões de votos se consolidaram na base da negação a um ou ao outro concorrente e não por convencimento pela proposta oferecida por eles.

Na sequência, se estabeleceu uma das mais graves crises econômicas de nossa História. Uma recessão em 2015 de quase 4% na sequência de um 2014 praticamente sem crescimento. No ano seguinte, o aprofundamento da queda da atividade econômica. Ou seja, uma recessão em cima de outra recessão. Não é pouco. Com ela, um processo inflacionário que sempre faz dos mais pobres as maiores vítimas.

Junte-se a esse fator, a Operação Lava Jato, iniciada no segundo semestre de 2014, que concedeu materialidade ao espírito das ruas de 2013. Em poucos meses, as investigações conseguiram expor as entranhas da promiscuidade entre público e privado, mostrando, de forma didática, como o dinheiro público financiava a política e as riquezas, deixando de chegar a quem mais importa.

Notem que o desenvolvimento dessa Operação só foi possível por causa de uma lei aprovada no Congresso Nacional e sancionada pela presidente da República na esteira das respostas institucionais aos anseios das manifestações de 2013. Sim, a lei da chamada “delação premiada” foi fruto dos protestos daquele ano. Sem ela, jamais a Lava Jato chegaria aonde chegou.

Agora, essa conjunção de fatores concede tons finais ao quadro que começou a ser desenhado em 2013. Como a política fracassou, milhões voltam às ruas. É provável que grande parte dos manifestantes daquele ano componha agora o grupo de milhões que se mostram profundamente impacientes. Com uma grande e decisiva diferença: seus protestos deixaram de ser difusos e passaram a ter alvos muito claros.

O quadro não terminou, mas o processo político tende a avançar com velocidade. Não convém à análise política fazer avaliações que se pretendam definitivas. Hoje, em nossa política, nada é definitivo. A crise é gravíssima. Não há soluções fáceis. O que quer que venha a seguir exigirá de todos, inclusive dos cidadãos, imensos esforços.

Especialistas temem pelo crescimento da intolerância em manifestações

Além da incerteza sobre o futuro cenário político do país, o acirramento das manifestações nas ruas têm elevado o nível de apreensão de especialistas que acompanham manifestações políticas e populares. Presidente do Instituto de Pesquisa Social DataPopular, criado em 2001, o pesquisador Renato Meirelles alertou que todo movimento fascista registrado no mundo foi iniciado com o aumento da intolerância.

“A intolerância está crescendo em uma velocidade muito maior do que qualquer democrata pode querer. Quando você fala e não ouve, quando agride, começamos a nos questionar se é possível sair deste momento politico que estamos. Não dá para agredir alguém pela cor da camisa, pela cor da bicicleta que usa”, afirmou Meirelles, ao apontar que parte da população começou a questionar se a Operação Lava Jato está sendo conduzida de forma isenta.

Doutor em ciências politicas e professor da PUC-MG, Malco Camargos compartilha da mesma preocupação. “Não tenho nenhuma dúvida de que os excessos dele [juiz Sergio Moro] nos últimos dias podem colocar por terra todo o ganho de capital que ele conseguiu ao longo dos anos com a Lava Jato.” Segundo Camargos, as últimas medidas adotadas por Moro foram parcialmente responsáveis por reforçar o movimento a favor do governo da presidente Dilma.

(Agência Brasil)

Quem não foi às manifestações critica corrupção e espera renovação na política

Manifestações a favor do impeachment e contra o governo levaram muitas pessoas às ruas no domingo passado (13) . Outros protestos a favor da democracia e do Estado de Direito e contra o impeachment levaram muitos outros às ruas nessa sexta-feira (18). Apesar da polarização existente no país, com manifestantes dos dois lados ocupando as ruas em diferentes cidades, muita gente não se sentiu motivada a aderir a nenhum dos protestos.

É possível notar o acirramento das opiniões durante a entrevista com o vigilante Francisco Manuel. Apesar de não participar de nenhuma das manifestações, ele explicava que defende a saída da presidenta Dilma Rousseff da presidência, quando foi interrompido por um grito de “Dilma fica, Cunha sai!” (em referência à presidenta e ao presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha) . O diálogo aconteceu na Rodoviária do Plano Piloto de Brasília, a poucos metros do Museu da República, onde os manifestantes a favor do governo se concentravam na noite de ontem.

O fato de a corrupção ser um problema histórico no Brasil também foi citado por quem não aderiu a nenhum dos lados de protesto. A melhora da economia e da situação do desemprego no país é uma das principais expectativas. Há uma insatisfação com o atual governo, mas muitos acham que uma troca não resolveria o problema e se preocupam com o nível de desemprego.

Além da dificuldade de votar e do entendimento de que a corrupção é histórica no Brasil e está em diversos partidos, aqueles que não optaram por nenhum dos lados citam a necessidade refundar a política para que não haja mais desvios.

(Agência Brasil)

‘Golpe em curso’ – Advogados cearenses divulgam nota pela democracia

198 4

Advogados do Ceará divulgaram nas redes sociais uma nota contra ao que classificam de “uma afronta às instituições democráticas do país”. Segundo a nota, há uma “tentativa de aliança institucional com o golpe à democracia que está em curso o Brasil”. O grupo se reúne virtualmente no endereço eletrônico http://migre.me/th07y. Confira a nota:

foto carta advogados ceará