Blog do Eliomar

Últimos posts

Cine Ceará 2018 – Tonico Pereira convida para a exibição do curta “O Vestido de Myriam”

Será exibido nesta quarta-feira, na Mostra Competitiva Brasileira de Curta-Metragem, dentro do Cine Ceará 2018, o filme “O Vestido de Myriam”. A exibição ocorrerá a partir das 19h30min, no Cineteatro São Luiz.

O curta-metragem, do jovem cineasta piracicabano Lucas Henrique Rossi, 23 anos de idade, marca sua estreia enquanto roteirista e diretor. Conta a história de um casal de idosos (Myriam e Divaldo, interpretados pelos atores Camilla Amado e Tonico Pereira) que, numa pacata casa interiorana, compartilham a solidão e vivem uma relação de contrastes.

O ator Tonico Pereira, inclusive, mandou para o Blog um vídeo onde convida os apaixonados pelo cinema para conferirem “O Vestido de Myriam”.

SERVIÇO

*Entrada gratuita

 

Avante do Ceará reafirma apoio a Bolsonaro, apesar do acordo nacional pró-Ciro Gomes

O deputado federal Cabo Sabino (Avante) reafirmou, nesta terça-feira, que apoiará o candidato Jair Bolsonaro (PSL) a presidente da República, apesar de o partido ter fechado apoio ao candidato Ciro Gomes.

“Nós somos Bolsonaro. O estado do Ceará tem autonomia para votar em quem quiser e, por conta disso, somos Bolsonaro”, avisou o dirigente partidário.

O Avante , segundo Cabo Sabino, espera eleger um deputado federal e um deputado estadual na coligação que fechou com MDB, PSC, PHS, Podemos e Solidariedade.

“Feminismos Plurais” – Segundo livro da coleção será lançado nesta terça-feira em Fortaleza

Será lançado em Fortaleza, nesta terça-feira, às 19 horas, o livro “O que é Encarceramento em Massa?”.

De autoria da pesquisadora Juliana Borges, é o segundo da coleção “Feminismos Plurais”, organizada por Djamila Ribeiro e que tem como editora o Grupo Editorial Letramento, além do selo do Justificando.

O ato de lançamento acontecerá no auditório da ADUFC Sindicato, no bairro Benfica.

Eleições: A Reconquista da Democracia

Com o título “Eleições: A Reconquista da Democracia”, eis artigo de Martônio Mont’Alverne, jurista e professor da Unifor. Ele aborda o cenário da disputa presidencial e cutuca a mídia com relação a Lula. Confira:

Quando no final de 2014 associaram-se Aécio Neves e a imprensa mainstream, e mais tarde confirmou-se a parcialidade e tibieza de STF e MPF, a democracia brasileira que “pode com a enchente e com a peste; com a lei não pode não: sucumbiu”. Passadas as convenções partidárias para a escolha de seus candidatos, o panorama dos que não apoiaram o golpe de 2016 e sua ação política realista podem ser favoráveis ao retorno da democracia. PT e PCdoB estarão unidos, numa correta estratégia: basta ver a profunda irritação da quase totalidade da imprensa mainstream com a centralidade de Lula nas eleições. Ler jornalistas de grandes veículos sugerirem que Lula deveria logo desistir de sua candidatura e apoiar um nome único de centro-esquerda, chega a ser comovente: o objetivo real é ajudar Alckmin a se tornar um candidato minimamente viável. Este, sim, é o candidato do golpe e de seus sequazes.

O PDT escolheu Ciro Gomes; o Psol, Boulos. Claro que a união de todos já no primeiro turno seria o cenário perfeito para a retomada da democracia. A ação política de fazer com que o Judiciário tenha aposição sobre o registro de Lula como candidato é correta.

Saberemos se Lula será tratado diferentemente ou não, num ambiente onde o presidente do TSE antecipa seu voto, todo dia, contra Lula. Pelo cenário atual, haverá segundo turno. Neste momento, estas forças democráticas poderão dar uma lição histórica de união pela reconquista do Estado Democrático. Até aqui, todas têm dado sinal de maturidade política ao procurar seu espaço e mobilizar militância em seu favor: associações, intelectuais, sindicatos. Como não se deve ter a ilusão de uma disputa fácil, a experiência política deste espectro democrático será determinante para sentir, já no primeiro turno, quem terá mais força contra os golpistas e seu projeto subalterno de País, e direcionar seu apoio àquele com maior chance. É bom não esquecer que não somente o futuro de cada uma destas lideranças está em jogo.

*Martonio Mont’Alverne Barreto Lima

barreto@unifor.br

professor doutor da Unifor.

Seminário debaterá flexibilização do uso dos agrotóxicos

Aprovado por uma comissão especial da Câmara dos Deputados, no fim de junho, o Projeto de Lei 6299/02 muda as regras para o uso de agrotóxicos no Brasil. O PL prevê desde a mudança do nome para “fitossanitários” até a exclusão da Anvisa no registro de produtos, além de flexibilizar o sistema de controle e fiscalização dos agrotóxicos. O novo texto ainda precisa passar pelo plenário, o que deve acontecer agora em agosto. Apelidado de “Pacote do Veneno”, a reativação do projeto preocupa os agricultores, os ambientalistas e os profissionais de saúde.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), as intoxicações por agrotóxicos afetam principalmente trabalhadores rurais, que são expostos todos os dias a esses produtos durante a sua aplicação. As consequências vão de uma irritação nos olhos à uma desregularização hormonal grave, dentre outras.

O tema será alvo das palestras e discussões sobre políticas públicas durante a 3ª etapa do Ciclo de Seminários “Cenários para o Fortalecimento da Agricultura Familiar”, que acontecerá nesta sexta-feira, das 8 às 16 horas, no auditório do Colégio Marista, em Aracati (Litoral Leste). No encontro, representantes de municípios como Beberibe, Fortim, Itaiçaba, Icapuí, Jaguaruana e Palhano. O seminário é uma realização do Instituto Social de Arte e Cultura do Ceará (ISACC) e patrocínio do Instituto Agropolos.

É do caju

Dentre as atividades programadas para o Ciclo de Seminários, estão a apresentação de ações exitosas do cultivo agroecológico na cajucultura como alternativa viável e segura aos agrotóxicos. De acordo com levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Ceará é o maior produtor de castanhas de caju do Brasil, com 69,4 mil toneladas, sendo, no momento, responsável por 52,1% do total a ser colhido em 2018 no País.

Além da castanha, o chamado “caju de mesa” também produz números de encher os olhos. Resultado da produção orgânica e da agricultura familiar, predominante nos municípios do Litoral Leste do Estado, o fruto abastece o mercado local e regional.

“A cajucultura é muito forte no Aracati e municípios vizinhos. Tanto do ponto de vista do plantio quanto da venda do caju e da castanha. A maioria dos agricultores tem pelo menos um cajueiro no quintal. Perceber a oportunidade de agregar valor a esse produto e o aproveitamento para consumo próprio são fundamentais para o fortalecimento da agricultura familiar”, pontua José Magela da Silva, articulador do Ciclo de Seminários no Litoral Leste.

Bodega 

Outro destaque da programação é a Bodega Nordeste Vivo e Solidário de Aracati, que iniciou as atividades em 2004 e dois anos depois já havia montado filial na Prainha do Canto Verde, no município próximo de Beberibe. Os dois espaços são utilizados para a comercialização coletiva e autogestionária de produtos artesanais e agroecológicos. A motivação vem dos princípios da economia de base, popular e solidária.

A Rede de Bodegas (são cinco no estado) privilegia a comercialização de produtos in natura ou beneficiados com base em práticas agroecológicas, garantindo a sustentabilidade ambiental. O escoamento da produção é realizado de forma coletiva, inclusive com a colaboração na venda, com a distribuição das mercadorias para serem vendidas nos outros estabelecimentos.

SERVIÇO

*Colégio Marista – Praça São Marcelino Champagnat, Centro – Aracati.

(Foto – Divulgação)

Eleições 2018 – Candidata ao Senado pelo PSDB receberá a Medalha Boticário Ferreira

A candidata ao senado pelo PSDB, Mayra Pinheiro, receberá, às 19 horas desta terça-feira, durante sessão da Câmara Municipal, a Medalha Boticário Ferreira. A iniciativa é do vereador Márcio Martins (Pros). O ato ganhará contornos de campanha eleitoral pró-tucana.

Mayra Pinheiro é médica, formada pela UFC, mestre em Ciências com Área de Concentração em Neonatologia pela USP (2002). Também especialista em Medicina do Trabalho pela Universidade Estácio de Sá, doutoranda em Bioética pela Universidade do Porto e professora do curso de Medicina do Centro Universitário Christus.

(Foto – Arquivo)

STF deve aumentar salário dos juízes nesta quarta-feira

881 3

Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) vão decidir, nesta quarta-feira (8), se aprovam um aumento de 12% em seus próprios salários. Se aprovarem, este reajuste teria efeito cascata e impacto estimado em R$ 3 bilhões no orçamento público.

O STF deverá aprovar o reajuste num momento de grave crise sobre a população do País. Os juízes estão divididos apenas sobre como fazer a majoração.

ZPE do Ceará apresenta seu potencial nesta quarta-feira para investidores

Da Coluna O POVO Economia, da jornalista Neila Fontenele, no O POVO desta terça-feira:

O plano de negócios das ZPE’s no Brasil e a estratégia de promoção dos seus incentivos para a atração de investimentos será apresentado amanhã, em Brasília, durante VI Reunião das Administradoras de ZPE. O evento será realizado no Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

O Ceará é modelo nesse processo e apresentará as etapas desenvolvidas para a sua estruturação. O presidente da ZPE Ceará, Mário Lima, e os diretores Andréa Freitas (Técnica) e Miderval Bezerra (Engenharia/TI) farão palestras no encontro e abordarão os aspectos operacionais da ZPE local e o funcionamento do Sistema Integrado de Controle Aduaneiro (Sica).

Já o contrato entre a ZPE Ceará e o Banco do Brasil para o financiamento da expansão da área alfandegada deve ser assinado nas próximas semanas. Mário Lima Júnior informa que o empréstimo é de R$ 32 milhões e representa uma margem de consignação para garantia de recursos.

Copom não indica rumos da taxa básica de juros, mesmo com inflação em baixa

Caso não ocorram mais choques na economia brasileira – como a paralisação dos caminhoneiros no mês de maio – o cenário da inflação deve manter-se em baixa. Mesmo assim, diante das incertezas da economia brasileira, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) preferiu não fornecer indicações sobre suas próximas definições em relação à taxa básica de juros, a Selic.

“Todos avaliaram que, na ausência de choques adicionais, o cenário inflacionário deve revelar-se confortável. Entretanto, o maior nível de incerteza da atual conjuntura gera necessidade de maior flexibilidade para condução da política monetária. Os próximos passos da política monetária continuarão dependendo da evolução da atividade econômica, do balanço de riscos e das projeções e expectativas de inflação”, diz a ata da reunião divulgada hoje (7) pelo BC. “Os próximos passos da política monetária continuarão dependendo da evolução da atividade econômica, do balanço de riscos e das projeções e expectativas de inflação.”

Na última semana, o comitê decidiu manter a Selic em 6,5% ao ano, o menor nível desde o início da série histórica do Banco Central, em 1986. A redução da taxa Selic estimula a economia porque juros menores barateiam o crédito e incentivam a produção e o consumo em um cenário de baixa atividade econômica.

O Copom enfatizou, entretanto, que a necessidade de reformas e ajustes na economia brasileira para a “manutenção da inflação baixa no médio e longo prazos, para a queda da taxa de juros estrutural e para a recuperação sustentável da economia”. “A percepção de continuidade da agenda de reformas afeta as expectativas e projeções macroeconômicas correntes”, diz a ata.

Na reunião, o Copom avaliou os efeitos da paralisação dos caminhoneiros na economia, indicando que devem ser temporários. O cenário é de continuidade do processo de recuperação econômica, embora em ritmo mais gradual do que o esperado antes da paralisação. Embora a inflação de junho tenha refletido os efeitos do movimento dos caminhoneiros, com alta de 1,26%, as “projeções de inflação para julho e agosto corroboram a visão de que os efeitos desses choques devem ser temporários”.

Durante a reunião, o Copom avaliou que a economia segue operando com alto nível de ociosidade dos fatores de produção, refletido nos baixos índices de utilização da capacidade da indústria e, principalmente, na taxa de desemprego.

Em relação à economia internacional, o comitê ressaltou que, mesmo com certa acomodação recente do mercado, os riscos de elevação dos juros em países avançados, com retirada de investimentos de países emergentes, e incertezas sobre o comércio global continuam.

Entretanto, o Copom voltou a destacar a capacidade da economia brasileira de absorver “revés no cenário internacional, devido à situação robusta de seu balanço de pagamentos e ao ambiente com inflação baixa no passado recente, expectativas de inflação ancoradas e perspectiva de recuperação econômica”.

A Selic é o principal instrumento do BC para manter sob controle a inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Ao definir a taxa Selic, o BC está mirando na meta de inflação, que é de 4,5% este ano, com limite inferior de 3% e superior de 6%. Para 2019, a meta é 4,25% com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%.

(Agência Brasil)

O apoio de Camilo a Eunício e a reação dos Ferreira Gomes

Com o título “Os Ferreira Gomes e Eunício”, eis artigo do historiador Airton de Farias, que pode ser conferido também no O POVO desta terça-feira. Ele aponta contradições envolvendo os Ferreira Gomes e o MDB, quando Ciro Gomes buscou apoio do Centrão. Confira:

Questionam o porquê da relutância dos Ferreiras Gomes (FG) a uma aliança com Eunício Oliveira. Rusgas da campanha de 2014? Pode ser que restem algumas sequelas, mas os FG já se reaproximaram de inimigos fidagais, como no caso de Domingos Filho.

Talvez uma forma de não agastar a imagem de Ciro na campanha presidencial, com seu discurso de moralização da coisa pública e de aproximação com as esquerdas? Existe entre pessoas e imprensa de outros locais do País uma curiosa representação de Ciro como um político de esquerda ou de centro-esquerda. E uma visão negativa sobre os chefes da República, como Eunício, presidente do Senado e alvo de várias acusações, que, verdadeiras ou não, o associam à política tradicional. Além disso, Eunício apoiou o impeachment/golpe de 2016.

Isso, porém, não explica tudo, porque o mesmo Ciro buscou apoiou do “centrão” para sua campanha presidencial…

Ao nosso ver, razão principal está no fato de Eunício ser um político por demais independente e que não se submete aos desígnios do grupo familiar (algo parecido com as ressalvas dos FG a Luizianne Lins). Como um grupo político tradicional, dentro da cultura política local, uma coisa demais prezada pelos FG é a subordinação dos aliados aos seus interesses e estratégias políticas. Eunício tem capital político e uma rede de aliados em prefeituras e parlamentos.

Não se curva por completo (o que não impede de compor ou negociar, visto que durante anos foi aliado dos FG). Não foi à toa que concorreu ao governo em 2014, pondo em risco a eleição de Camilo e a manutenção do grupo de Sobral à frente do Estado.

A ojeriza à autonomias de aliados explica igualmente descontentamento dos FG com a insistência de Camilo em fazer a aliança informal com Eunício na eleição senatorial. O governador, embora aliado fiel dos FG, tem também seus interesses. Compor com Eunício é forma de enfraquecer ainda mais a débil oposição local e facilitar a continuação no Palácio da Abolição.

*Airton de Farias

opovo@opovo.com.br

Professor e historiador.

Audic Mota comemora fim de inadimplências em Tauá

O deputado estadual Audic Mota (PSB) está comemorando o fato de o prefeito de Tauá, Carlos Windson, ter resolvido as últimas pendências deixadas pela gestão passada na prestação de contas dos recursos destinados ao transporte escolar.

Isso significa, conforme o parlamentar que, a partir de agora, livre das questões de inadimplência referentes aos exercícios administrativos de 2015 e 2016, a Prefeitura volta a poder celebrar convênios com o Governo do Estado.

“Sem dúvida, uma nova fase que se estabelece no sentido, por exemplo, de tornar o município apto a acompanhar os êxitos das políticas públicas do setor de ensino na era Camilo Santana”, destaca o também primeiro-secretário da Assembleia Legislativa.

(Foto – ALCE)

Setur precisa olhar com carinho as belezas do Maciço de Baturité

Vans de cooperativas que fazem o trajeto Fortaleza-Maciço de Baturité estão circulando com excesso de passageiros. Isso ocorre durante o percurso. E ainda passam pelo posto de fiscalização.

Por falar nisso, o acesso ao famosos Pico Alto, ponto turístico de Guaramiranga, está intransitável. Há trechos onde o asfalto sumiu, proporcionando verdadeiro rally para se aventura.

(Foto – Reprodução de Youtube)

Empresa em recuperação judicial pode participar de licitação, decide STJ

Empresas em recuperação judicial podem participar de licitações, decidiu a 1ª Turma do Superior Tribunal de Justiça. No entanto, as companhais devem demonstrar sua viabilidade econômica e capacidade de executar o contrato. De acordo com a decisão, não pode haver esse tipo de restrição por parte da administração pública porque não existe lei que a faça. A informação é do site do STJ.

Segundo o relator, ministro Gurgel de Faria, mesmo que a Lei da Recuperação Judicial tenha substituído a concordata pelos institutos da recuperação judicial e extrajudicial, o artigo 31 da Lei 8.666/1993 não teve o texto alterado para se amoldar à nova sistemática. “Mesmo para empresas em recuperação judicial, existe a previsão de possibilidade de contratação com o poder público, o que, como regra geral, pressupõe a participação prévia em processos licitatórios”, explica.

Segundo o ministro, o objetivo principal da legislação é viabilizar a superação da situação de crise econômico-financeira do devedor, a fim de permitir a manutenção da fonte produtora, do emprego dos trabalhadores e dos interesses dos credores, promovendo, assim, a preservação da empresa, sua função social e o estímulo à atividade econômica.

“Além disso, a jurisprudência do STJ tem se orientado no sentido de que a Administração não pode realizar interpretação extensiva ou restritiva de direitos quando a lei assim não dispuser de forma expressa”, afirma.

PSB do Rio indica vice do PDT para beneficiar Ciro

548 1

Os diretórios fluminenses do PSB e PDT fecharam uma aliança para beneficiar o candidato a presidente Ciro Gomes no Rio de Janeiro. O PSB indicou o deputado estadual Dr. Julianelli para ser o vice do pedetista Pedro Fernandes ao Governo do Estado. A informação é do jornalista Lauro Jardim, do O Globo.

Ao apoiar o PDT, a estratégia do PSB fluminense — que não aderiu a estratégia de neutralidade da executiva nacional — é conseguir que Ciro tenha mais inserções no Rio de Janeiro e, assim, drible o pouco tempo que terá no horário eleitoral na campanha à Presidência.

O objetivo da coligação é que Ciro seja inserido nas campanhas de TV e rádio dos candidatos ao governo do estado, Senado e de deputados.

(Foto – Gustavo Simão)

Já conferiu o resultado da seleção do P-Fies?

O resultado do P-Fies, modalidade do Programa de Financiamento Estudantil, foi divulgado ontem (6) à noite pelo Ministério da Educação e está disponível na página do programa. O P-Fies atende estudantes com renda familiar entre três e cinco salários mínimos e tem o financiamento feito por bancos privados ou fundos constitucionais e de desenvolvimento.

O candidato pré-selecionado no P-Fies deverá comparecer à Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) da instituição de ensino para validar suas informações em até cinco dias, contados a partir do dia imediatamente subsequente ao da sua pré-seleção na modalidade do P-Fies.

Deverá então comparecer a um agente financeiro em até dez dias, contados a partir do terceiro dia útil imediatamente subsequente à data da validação da inscrição pela CPSA, com a documentação exigida e especificada para fins de contratação e, uma vez aprovada pelo agente financeiro, formalizar a contratação do financiamento.

O Fies concede financiamento a estudantes em cursos superiores de instituições privadas com avaliação positiva pelo Ministério da Educação. Nesta edição do programa são ofertadas pelo menos 155 mil vagas, das quais 50 mil com juro zero.

(Agência Brasil)

Aílton Lopes divulga a agenda semanal da campanha

O candidato a governador pelo PSOL, Aílton Lopes, divulgou, nesta terça-feira, toda a sua agenda da semana que inclui, nesta manhã, um ato em defesa das dunas, no Passeio Público. Confira demais programação:.

Terça-feira (07/08):

12h – Olho no Olho: Flertaço com as candidaturas do PSOL (Fortaleza – Praça do Ferreira)

Quarta-feira (08/08):

Manhã e tarde – Reuniões internas

18h – Assembleia do Sindicato dos Bancários (Fortaleza – Sindicato dos Bancários)

20h – Plenária da candidata à deputada estadual Louise Santana (Fortaleza – Sede do PSOL)

Quinta-feira (09/08):

8h30 – Solenidade de Abertura das comemorações da Casa do Estudante (Fortaleza – Casa do Estudante, Centro)

15h – Roda de Conversa sobre a situação das Universidades Estaduais (Fortaleza – UECE Itaperi)

18h30 – Apresentação do Programa de Governo (Fortaleza – Sede do PSOL)

20h30 – Forró do Trabalhador (Fortaleza – Sede do PSOL)

Sexta-feira (10/08):

8h – Dia Nacional de Lutas (Fortaleza – Concentração na Praça da Bandeira, Centro)

19h – Lançamento da candidatura da deputada federal professora Maria do Céu (Fortaleza – Sede do PSOL)

Sábado (11/08):

9h – Encontro de resistências: plenária do deputado Renato Roseno (Fortaleza – Sede do PSOL)

11h30 – Feira Agroecológica do MST (Fortaleza – Centro de Formação Capacitação e Pesquisa Frei Humberto)

14h – Plenária de campanha do candidato a deputado federal Alexandre Costa (Fortaleza – Sede do PSOL)

15h – Aula Pública da candidatura do candidato a deputado federal Rodrigo Santaella: História e Atualidade das Lutas do Centro da Cidade (Fortaleza – Passeio Público).

ONU elogia decisão do STF de manter aberta fronteira com a Venezuela

A Agência das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) elogiou, hoje, a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de rejeitar uma decisão judicial prévia de fechar a fronteira do Brasil com a Venezuela para evitar a entrada de refugiados e imigrantes ao país.

Um juiz federal do estado de Roraima ordenou no domingo a suspensão temporária da entrada de venezuelanos por terra até que houvesse um
equilíbrio entre o número de imigrantes que chegam desde o país vizinho com os que saem para outras cidades brasileiras. A decisão foi cancelada pelo STF no dia seguinte, algo que foi aplaudido hoje pela Acnur.

“Aplaudimos a decisão do Supremo. O Governo brasileiro, até agora, assegurou o acesso ao território a refugiados venezuelanos e imigrantes que necessitam de proteção e lhes proporcionou acesso aos serviços básicos”, destacou em entrevista coletiva William Spindler, porta-voz da Acnur.

Spindler lembrou que a Acnur ajudou as autoridades a registrar os recém-chegados e proporcionar os serviços necessários Até o momento, foram encaminhados de Roraima para outros estados 800 venezuelanos, especificou o porta-voz.

(Agência Brasil com EFE)

Vice de Bolsonaro diz que Brasil herdou “indolência” do índio e “malandragem” do africano

615 2

Candidato a vice de Jair Bolsonaro, o general Hamilton Mourão (PRTB) afirmou, durante evento nessa segunda-feira (6), que o Brasil herdou “indolência” da cultura indígena e “malandragem” do africano. Ele esteve em uma reunião-almoço da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul, na Serra do Rio Grande do Sul, quando deu a declaração. A informação é do Portal G1.

“Essa herança do privilégio é uma herança ibérica. Temos uma certa herança da indolência, que vem da cultura indígena. Eu sou indígena, minha gente. Meu pai é amazonense. E a malandragem, Edson Rosa (vereador de Caxias do Sul), nada contra, mas a malandragem é oriunda do africano. Então, essa é o nosso cadinho cultural. Infelizmente, gostamos de mártires, líderes populistas e dos macunaímas”, afirmou Mourão, em trecho gravado pelo jornal Pioneiro.

(Foto – Arquivo)