Blog do Eliomar

Últimos posts

PSB promove debate sobre cultura em Fortaleza nesta segunda-feira

A gestão cultural e as políticas de fortalecimento e incentivo no setor estarão no centro das discussões na edição do Dialoga Fortaleza, nesta segunda-feira (15), a partir das 19 horas, na sede do Partido Socialista Brasileiro (PSB-CE), em Fortaleza (rua Deputado João Pontes, 765 – Bairro de Fátima).

O Dialoga Fortaleza é um encontro semanal para discussão dos principais temas que abrangem a capital cearense. Na segunda edição, o diretor do Museu Indústria e integrante do Conselho Estadual de Política Cultura, Luis Carlos Sabadia, apresentará sua análise acerca das propostas do campo cultural tomando por base a realidade desta política nos últimos anos.

(PSB-CE)

Zika não compromete Olimpíada no Rio, diz Dilma

136 1

A presidente Dilma Rousseff disse que o grande número de casos de zika no país não compromete a realização dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, marcados para agosto deste ano. A afirmação foi feita durante visita ao bairro de Santa Cruz, na zona oeste do Rio, para participar do mutirão de combate a focos do mosquito Aedes aegypti, vetor da dengue, chikungunya e zika.

“Nós conseguiremos, até a Olimpíada, ter um sucesso bastante considerável nesse extermínio dos mosquitos. Agora, precisamos de vocês [da população]. Essa é uma obrigação do prefeito, do governador e minha. Agora, nós também apelamos para a consciência de cada um dos cariocas, homens, mulheres, crianças, para que nos ajudem nessa função”, disse Dilma.

(Agência Brasil)

Francisco e Kiril: encontro de patriarcas

Editorial do O POVO neste domingo (14) avalia o encontro entre os dois maiores representantes das igrejas Católica e Ortodoxa. Confira:

O encontro, na última sexta-feira (12), em Havana, Cuba, entre o antigo Patriarca do Ocidente (e papa de Roma) Francisco e o Patriarca de Moscou e Todas as Rússias, Kiril, reunindo as duas maiores igrejas do mundo – a Católica Romana e a Ortodoxa Russa – tem uma importância fundamental para o futuro do mundo cristão – muito além dos aspectos geopolíticos. Ambas as igrejas sabem que, para ser uma instância de credibilidade moral perante uma humanidade pouco propensa a ultrapassar as fronteiras do individualismo e do indiferentismo, precisam, elas próprias, primeiro, terem comunhão entre si, mais do que simples unidade de ação.

Poucas coisas as separam: têm sacramentos, hierarquias, doutrinas e fundamentos teológicos tão assemelhados que salta aos olhos. Basta dizer que ambas participaram dos sete concílios ecumênicos responsáveis pelo delineamento institucional do cristianismo apostólico. Uma precisa da outra para se complementar: a Romana sofre de um centralismo excessivo que sufocou praticamente a vitalidade do “pneuma” (espírito) estreitando as brechas para o carisma e a mística se expressarem. A Ortodoxa deixa-se minar por um particularismo excessivo que dificulta a expressão do universalismo (catolicidade) que lhe é inerente por essência faltando-lhe um centro referencial histórico que permita expressar de forma mais explícita a unidade ontológica da identidade cristã, por temor exagerado à camisa de força da uniformização romana.

Os ortodoxos tiveram uma grande influência no giro de 180° sofrido pela Igreja Romana, a partir do Concílio Vaticano II. A colegialidade dos bispos, o Sínodo, o uso do vernáculo na missa e nas celebrações litúrgicas, a comunhão na forma de duas espécies (pão e vinho) foram restauradas (ainda que parcialmente) no catolicismo romano graças à influência dos ortodoxos.

Falta chegar a um acordo em algumas poucas questões, tais como: que tipo de primado (precedência) deve ser exercido pelo papa de Roma no contexto da Igreja universal. Suspeita-se que Francisco aceitaria de bom grado renunciar à ideia de autoridade jurídica eclesial universal – quem sabe, preferindo que cada igreja particular permanecesse autônoma e com sua própria tradição, sem proselitismos recíprocos.

Meninas começam a fazer bonito no xadrez cearense

foto xadrez 160214

Elas ainda surgem em número reduzido, mas agora disputam a ponta nos torneios de xadrez realizados no Ceará. Neste fim de semana, quatro meninas fazem bonito no III Torneio Schoonenborch, disputado no IFCE, no Benfica. Enquanto Camila de Souza disputa as primeiras colocações, Amanda Lima e Laura Nunes surpreendem adversários experientes.

A competição será encerrada no fim da tarde deste domingo (14) e conta com a participação de 33 enxadristas. O torneio é uma homenagem ao Forte Nossa Senhora da Assunção, que se chamava Schoonenborch, quando ainda em poder dos holandeses.

(Foto: Licinio Corrêa)

Na ‘esquina’ do prédio da Polícia Civil, atestado médico falso pode ser comprado a R$ 30

O repórter Cláudio Ribeiro, do O POVO, comprou este mês um falso atestado médico a um quarteirão do prédio da Polícia Civil, na rua do Rosário, no Centro. Em matéria publicada na edição deste domingo (14), O POVO mostra a facilidade na aquisição de atestados médicos, apesar de uma prescrição suspeita, mesmo no caso de um médico a assinar o atestado.

A “virose” atestada no documento teve o carimbo de uma pediatra, apesar do repórter possuir mais de 40 anos de idade. Por dois dias, R$ 60, sem direito a “pechinchar”. Procurada pela reportagem, a médica, atualmente é professora universitária, se mostrou assustada com o envolvimento do seu nome nas mãos de criminosos.

Para o secretário geral do Conselho Regional de Medicina (Cremec), Lino Holanda, a atuação dos criminosos não é surpresa, pois há anos o crime impera nas ruas do Centro de Fortaleza. “E já informamos à Polícia a respeito”, comentou Holanda, sem saber que a fraude agora montou “barraquinha” na esquina do prédio da Polícia Civil.

Aedes aegypti já se tornou mosquito doméstico, alerta epidemiologista e professor da UFC

foto luciano pamplona biólogo

Há cerca de 50 anos, o Aedes aegypti iniciava um processo de transição de mosquito selvagem para urbano. Originário do Egito, o mosquito se dispersou pelo mundo a partir da África: primeiro para as Américas e, em seguida, para a Ásia.

As teorias mais aceitas indicam que o Aedes tenha se disseminado para o continente americano por meio de embarcações que aportaram no Brasil para o tráfico de negros escravizados. Registros apontam a presença do vetor em Curitiba, no final do século 19, e em Niterói (RJ), no início do século 20.

O epidemiologista e secretário-geral da Sociedade Brasileira de Dengue e Arbovirose, Luciano Pamplona, disse que o Aedes aegypti já pode ser considerado um mosquito doméstico. “Ele é praticamente um bichinho de estimação”, disse Pamplona, que também é professor da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Dados do Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa), do Ministério da Saúde, apontam que, no Nordeste, o principal tipo de criadouro do mosquito são tonéis e caixas d’água. Nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, o depósito domiciliar, categoria em que se enquadram vasos de plantas e garrafas, predomina como criadouro do vetor. No Norte e no Sul, a maior parte dos criadouros do mosquito está no lixo.

(Agência Brasil)

Por “moral e bons costumes”, há 70 anos Dutra decretava fim dos cassinos no Brasil; Dilma avalia reabri-los

Nas décadas de 1930 e 1940, o Brasil viveu a era de ouro dos cassinos. No auge, funcionavam mais de 70 casas de apostas no país — do Rio, capital da República, à minúscula São Lourenço, no sul de Minas. Nos salões, homens de terno e mulheres de longo apostavam dinheiro nas roletas e nas cartas de baralho.

O fervilhante negócio dos cassinos ruiu repentinamente. Em 30 de abril de 1946, três meses depois de assumir a Presidência da República, o general Eurico Gaspar Dutra pegou o país de surpresa e, com um decreto-lei, ordenou o fim dos jogos de azar.

Às vésperas de completar 70 anos, a proibição pode ser derrubada. Diante das contas públicas no vermelho, o governo Dilma Rousseff trabalha para reabrir os cassinos e contar com os impostos incidentes sobre os jogos.

Em outubro, o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, defendeu a ideia. Em dezembro, a Comissão Especial do Desenvolvimento Nacional do Senado aprovou um projeto de lei que cria regras para a exploração dos jogos. O PLS 186/2014, do senador Ciro Nogueira (PP-PI), será analisado agora pelo Plenário e, se aprovado, vai à Câmara.

Dutra argumentou que a “tradição moral, jurídica e religiosa” do brasileiro é incompatível com os jogos, que eles são “nocivos à moral e aos bons costumes”, que os “povos cultos” não os toleram e que reprimi-los é um “imperativo da consciência universal”.

(Agência Senado)

CPI do BNDES pode votar relatório final na terça-feira

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do BNDES se reúne na terça-feira (16) para analisar e votar o relatório final, que será apresentado pelo deputado José Rocha (PR-BA). A comissão foi criada em agosto para investigar supostas irregularidades em empréstimos concedidos pelo banco entre 2003 e 2015.

Ao longo dos trabalhos, a CPI ouviu 23 pessoas, entre as quais o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, Luciano Coutinho; diretores do banco; donos de empresas beneficiadas com empréstimos, como o empresário Eike Batista; e pessoas investigadas pela Operação Lava Jato, como o ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco e o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto.

Antes do recesso do Carnaval, os quatro sub-relatores da CPI apresentaram relatórios setoriais, que podem ou não ser aproveitados pelo relator.

Um deles, do deputado Alexandre Baldy (PSDB-GO), pede o indiciamento do presidente do BNDES e da empresária Carolina Pimentel, mulher do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, o que gerou críticas de deputados aliados ao governo. Eles alegaram que não há provas de irregularidades nos empréstimos e que a CPI não investigou a empresária, que é alvo da Operação Acrônimo, da Polícia Federal.

Outro sub-relator, o deputado Andre Moura (PSC-SE) apontou irregularidades na concessão de financiamentos do banco e criticou a política de formação de empresas “campeãs nacionais”, que beneficiou grandes companhias.

(Agência Câmara Notícias)

Lula, a maior liderança popular do País, só deveria exposto com provas concretas; E não em despacho de Carnaval

137 8

Da Coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (14):

Em plena terça-feira do Carnaval, quando todas as atenções estavam voltadas para a folia – e não era dia de trabalho para a Justiça -, o infatigável juiz Sérgio Moro autorizou a abertura de um inquérito específico para que a Polícia Federal investigue o Sítio Santa Bárbara, em Atibaia (SP), usado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O pedido foi da Polícia Federal, a pretexto de examinar supostas irregularidades da empresa OAS S.A. Mas, todo mundo sabe que o investigado mesmo é Lula. A exposição do despacho que apareceu na mídia teria sido feita “inadvertidamente”, por um descuido, já que deveria estar sob sigilo de justiça, justificou Moro, candidamente.

Estão chamando Lula para tudo o que é depoimento. Ainda que não como acusado, é a forma de ir erodindo sua imagem num jogo diabólico, sem peias.

A sistemática é a mesma, com tons caboclos mais fortes, da operação “Mani Puliti”, estudada e comentada, com tanta admiração, por Sérgio Moro, que quer repeti-la aqui no Brasil (lá, na Itália, terminou entregando o poder ao impoluto Berlusconi).

No seu texto sobre ela, não se disfarça o entusiasmo com a estratégia dos vazamentos seletivos como método eficiente para triturar antecipadamente a imagem dos suspeitos, de modo que, ao chegar ao cadafalso, a execução penal é apenas mera formalidade. Isso compreenderia criar também uma avalanche de pressão midiática sobre quem atravessa o caminho dos “expurgadores”? Ai daqueles que imaginam ser seu dever zelar pelas garantias do Estado Democrático de Direito.

A indignação de certos meios jurídicos democráticos cresce por enxergar na iniciativa “extra momina” mais uma investida desproporcional contra Luís Inácio Lula da Silva, a maior liderança popular do País, respeitado internacionalmente e que, no mínimo, deveria ser resguardado e só exposto com provas concretas.

Independentemente do verniz formal desses tipos de atos, a aparência mais se assemelha a de um espetáculo oferecido às feras da arena política para que, sentindo o cheiro de sangue novo, mais extravasem seu desejo de estraçalhar os lastros que ainda impedem a barca da democracia de naufragar.

EUA defendem manutenção das sanções à Rússia ‘enquanto necessário’

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, declarou nesse sábado (13) que as sanções impostas à Rússia pela crise ucraniana devem manter-se pelo tempo necessário, enquanto alguns países europeus defendem o seu fim.

“Estou confiante em que a Europa e os Estados Unidos continuem unidos tanto para a manutenção das sanções enquanto for necessário como para conceder a assistência necessária à Ucrânia”, disse Kerry na Conferência sobre Segurança em Munique, no sul da Alemanha.

Para o secretário de Estado norte-americano, “as sanções não são um fim em si mesmas”. Contudo, ele lembrou que foram impostas “em primeiro lugar para defender os direitos fundamentais da Ucrânia – a sua soberania e integridade territorial”.

A França manifestou, no final de janeiro, que pretende o levantamento, “no próximo verão”, das sanções impostas pelo Ocidente à Rússia devido à crise ucraniana.

A União Europeia decretou sanções econômicas contra a Rússia devido à anexação da Crimeia, em março de 2014, e ao seu presumível papel no conflito com os separatistas do Leste da Ucrânia, que levou à morte de mais de 9 mil pessoas.

(Agência Brasil)

Cuba devolve míssil enviado ‘por engano’ pelos Estados Unidos

Cuba devolveu nesse sábado (13) aos Estados Unidos um míssil norte-americano que foi recebido “por engano” na ilha, em 2014, anunciou em comunicado o Ministério dos Negócios Estrangeiros cubano.

De acordo com as autoridades cubanas, o míssil norte-americano tipo AGM 114 Hellfire chegou à ilha em junho de 2014, proveniente de Paris, “por engano ou manipulação incorreta do país de procedência”.

Segundo o texto oficial, “Cuba atuou com seriedade e transparência, e cooperou para encontrar uma solução satisfatória neste caso”. As autoridades cubanas informam ainda que o governo dos Estados Unidos comunicou oficialmente a Havana o interesse em recuperar o míssil.

Depois do assentimento do governo cubano, foram iniciados os procedimentos da devolução, tendo o míssil regressado aos Estados Unidos.

(Agência Brasil)

Corrida de Rua vai reunir atletas em Maranguape

Chega à sua 4ª edição a Corrida de Rua São Sebastião, no município de Maranguape, na Região Metropolitana de Fortaleza, com uma estimativa de 600 competidores e público de cinco mil pessoas. A disputa acontece neste domingo (14), com largada às 7 da manhã na Praça Capistrano de Abreu, no Centro, e término do evento previsto para as 9 horas, no mesmo local. A corrida tem total de 6 km passando por ruas de bairros próximos ao Centro, que ficarão bloqueadas para a execução da prova.

A Corrida é organizada pela Prefeitura de Maranguape e Fitec (Fundação Viva Maranguape de Turismo, Esporte e Cultura) com o objetivo de revelar novos talentos no esporte. Participam, anualmente, competidores de Maranguape, Maracanaú, Pacajus, Sobral e até do Rio de Janeiro e de São Paulo.

“Hoje, em Maranguape já são sete corridas de rua por ano e nós revelamos uma corredora maranguapense, a Pedrina Silva Vieira, considerada umas das melhores do Ceará”, disse Márcio Machado, Gerente de Esportes da Fitec.

(Prefeitura de Maranguape)

Governo poderá remanejar recursos para combater Aedes, diz Berzoini

Apesar da crise financeira, o governo federal poderá remanejar recursos para combater o mosquito Aedes aegypti, se for necessário. A informação é do titular da Secretaria de Governo da Presidência da República, ministro Ricardo Berzoini, que esteve neste sábado (13) em Manaus, no Amazonas, para participar das ações do Dia Nacional de Mobilização contra o Mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e do vírus Zika.

“A presidente Dilma já anunciou que não faltarão recursos, mesmo nesse ambiente de difícil gestão orçamentária. Se necessário, vamos remanejar orçamento para assegurar que não faltem recursos [no combate ao mosquito]”, afirmou Berzoini.

O ministro pediu ainda a participação da população. “A ação do governo é fundamental, mas a ação da sociedade é decisiva. Se não houver uma mobilização em cada casa, em cada propriedade comercial, em cada local que possa haver criadouro, todo o esforço governamental e daqueles que estão mobilizados pode ser colocada em risco pela omissão de uma parcela minoritária, que não se mobiliza”, disse.

(Agência Brasil)

Aquiraz festeja 317 anos com shows musicais e ‘panicat’ como atração

A Prefeitura de Aquiraz comemorou nessa sexta-feira (12) os 317 anos da cidade com shows da cantora Rafaella Manville e das bandas Forró dos Amigos e Forró Bota pra Moer.

A ex-estrela do programa Pânico, da TV Bandeirantes, a “panicat” Carol Dias, foi uma das atrações da festa. A cantora Rafaella Manville, que tem o “axé” como ritmo das suas apresentações, encerrou a festa.

Lula está sendo objeto de grande injustiça, afirma Dilma

95 1

A presidente Dilma Rousseff disse neste sábado (13) que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está sendo objeto de “grande injustiça”. Ela defendeu seu antecessor durante o mutirão de combate a focos do mosquito Aedes aegypti, vetor da zika, dengue e chikungunya, na zona oeste do Rio de Janeiro.

“Acho que o presidente Lula está sendo objeto de grande injustiça. Respeito muito a história do presidente Lula. Tenho certeza de que esse é um processo que será superado, porque acredito que o país, a América Latina e o mundo precisam de uma liderança com as características do presidente Lula”, afirmou Dilma.

(Agência Brasil)

Você sabe por onde andou seu vereador?

Em artigo no O POVO deste sábado (13), o jornalista Carlos Mazza faz uma reflexão do voto do eleitor. Confira:

Sepultada nesta semana a única cláusula pétrea da brasilidade – a de deixar tudo para depois do Carnaval –, será dada a largada da eleição das mais irrelevantes entre o grande eleitorado. Não me refiro à concessão (ou não) de novo mandato a Roberto Cláudio. Nesta disputa, difícil achar quem não esboce interesse, nem que só pela definição do próximo alvo de impropérios nos engarrafamentos e vias esburacadas da vida.

É sobre as eleições para vereador a que me refiro. Para o eleitor médio, difícil achar questão menos interessante do que a escolha de seu legislador municipal. A votação talvez só não seja mais tediosa que a de deputados, aquelas legendas chatas e de muitos números que vêm antes do governador e do presidente da República.

A lógica, por óbvio falsa, se repete todos os anos. Não é difícil encontrar, mesmo entre os mais esclarecidos, quem votou em algum parente ou “amigo de amigo”, ou naquele sujeito boa-praça de terno bem alinhado. Às vezes, uma identificação com a imagem do candidato já cria uma admiração sem fundamento e que leva ao voto errado. Em uma Câmara envolta em investigações por desvios, a pouca atenção dada à disputa ganha contornos nocivos.

Encarregado de criar leis municipais e fiscalizar o Executivo, o vereador cumpre – em tese – função entre as mais importantes da democracia. Nos gabinetes da Câmara, repousa a influência política que coordena e altera todas as questões de regramento da cidade. Bons vereadores e candidatos existem, sim.

Resta ao eleitor, antes de tudo, fazer uma reflexão profunda: por onde anda quem levou meu voto na última eleição? Ele merece novo voto de confiança? Votei por oposição em quem acabou na base? Meu candidato é o mesmo de quatro anos atrás, ou deu uma guinada brusca sobre sua história e valores? Com a internet e sua sanha inventiva, é importante se informar direito. E informar.

Se o candidato do amigo renunciou ao mandato para escapar de cassação, dê aquela cutucada. Com limite de gastos menores para a campanha deste ano, estranhe se um candidato da Messejana aparecer em cavaletes da Aldeota ao Conjunto Palmeiras. E denuncie. Na última eleição, votei em quem não soube honrar a confiança e me arrependi. Agora, estou obcecado por fazer a coisa certa. E espero que você também.

Secretário faz críticas o corte de recursos do Carnaval pelo próprio governo

Da Coluna Política, no O POVO deste sábado (13):

A provocação feita pelo secretário do Turismo, Arialdo Pinho, sobre o Carnaval lança expectativa sobre a postura do governo Camilo Santana (PT) a esse respeito para a segunda metade do mandato. O secretário apontou a necessidade de mais investimentos e programação mais estruturada para o Carnaval se tornar atração turística.

A manifestação tem como bom reflexo a pressão para a festa se tornar melhor e maior e superar alguns gargalos que O POVO tem apontado. Mas, sobretudo, pressiona a administração estadual a agir. Nos dois anos de gestão Camilo Santana, o governo cortou os recursos para o Carnaval.

Como um dos mais proeminentes secretários vem a público cobrar investimentos e que a festa tenha um “corpo forte”, há de se presumir que no próximo ano as coisas poderão e deverão ser diferentes. Que o governo irá assumir seu papel. Pelo menos, há indícios de pressão interna para isso.