Blog do Eliomar

Últimos posts

Fim de semana trágico para o futebol cearense

Em três jogos disputados neste fim de semana, no Campeonato Brasileiro, o futebol cearense somou apenas um ponto. Nesse sábado (25), o Ceará foi surpreendido pelo Mogi Mirim, em plena Arena Castelão, por 3 a 2, em partida direta contra o rebaixamento. O resultado manteve o Ceará na lanterna da Série B, com 8 pontos, metade da soma do primeiro time fora da zona de rebaixamento, o ABC, adversário de terça-feira (28), pela 15ª rodada da competição.

Ainda nesse sábado, o Fortaleza cedeu o empate ao Águia de Marabá, no estádio Zinho Oliveira, nos minutos finais da partida, após estar vencendo por 2 a 0. Apesar do resultado, o Fortaleza manteve a liderança do Grupo A da Série C, com 20 pontos, um a mais que o segundo colocado, o Vila Nova.

Neste domingo (26), o Icasa foi goleado pelo Cuiabá, no estádio Romeirão, por 4 a 1. A equipe de Juazeiro do Norte segue na lanterna do Grupo A da Série C, com três pontos em nove partidas, seis atrás do primeiro clube fora da zona de rebaixamento, o Botafogo da Paraíba, que joga ainda nesta noite contra o América/RN, em João Pessoa. No próximo sábado (1º), Fortaleza e Icasa se enfrentam na Arena Castelão, a partir das 16 horas.

Pela Série D, o Guarani de Juazeiro entrou em campo, neste momento, diante do Ríver, em Teresina.

Deputados do PP são os mais infiéis ao governo, revela Planalto

O governo concluiu levantamento de todas as votações que ocorreram na Câmara dos Deputados e no Senado Federal no primeiro semestre deste ano. Com isso, analisou como vêm se comportando os nove partidos que integraram a chapa de reeleição da presidente Dilma Rousseff: PT, PMDB, PCdoB, PDT, PP, PSD, PR, PRB e PROS. O resultado revelou um alto índice de infidelidade dos aliados. As informações são do jornal O Globo.

Os deputados do PP são os que menos votaram a favor do governo, se opondo aos interesses de Dilma em 56,5% dos casos. No pacote do ajuste fiscal e depois de negociações de cargos entre executivos e aliados, o índice ficou menos pior, com 55,6%. Contudo, segundo a reportagem, o percentual ainda é considerado um desastre por integrantes do governo.

No Senado, o PRB se mostrou o mais contrariado. O único senador do PRB, Crivella (RJ) votou contra o governo em 78,1% dos projetos. Nas medidas de ajuste, traiu em 66,67%, levando o PRB a ter o maior índice de traição entre os partidos aliados.

De acordo com a publicação, o ex-ministro e candidato ao governo do Rio no ano passado, Crivella teve o apoio de Dilma na eleição. Mas a posição do senador fluminense não deverá levar ao rompimento com Dilma ou eventual saída do governo. Um senador próximo a ele disse que Crivella mudou de postura por orientação de seu eleitorado, considerado “conservador”. “O eleitor do Crivella é contra o governo, mas ele não deverá romper porque tem uma ótima relação com a presidente”, disse a fonte.

O comprometimento do PMDB com o governo não apresentou os laços mais fortes. Os deputados peemedebistas são os terceiros mais infiéis, atrás do PP e do PDT. Partido do vice, Michel Temer, e com sete ministros, os senadores peemedebistas traíram o Planalto em mais da metade das votações: 52,33%. Os deputados foram levemente mais fiéis. Opuseram-se em 43,88% das votações.

(Congresso em Foco)

Análise de contas de governos deve ser prioridade em retorno do Congresso

Na volta do recesso parlamentar, em agosto, um dos desafios de deputados e senadores será colocar em dia a apreciação das contas de presidentes da República. Há 11 anos consecutivos, o trabalho, que deveria ser anual, não é feito. No que depender da disposição dos presidentes da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), essa pauta será prioridade na volta do recesso branco, que termina no dia 2. O compromisso foi feito, na última semana, com o ministro Augusto Nardes, do Tribunal de Contas da União (TCU).

Mesmo sem poder para aprovar ou reprovar definitivamente as contas do Executivo, por ser um órgão de fiscalização auxiliar do Congresso, o TCU tem o dever enviar anualmente um parecer ao Parlamento com a análise da atuação e do cumprimento de regras e leis pelo presidente e seus ministros. A partir daí, deputados e senadores ficam responsáveis pelo julgamento.

No Congresso, o parecer do TCU vai direto para a Comissão Mista de Orçamento (CMO), onde o relator designado tem até 40 dias para entregar o parecer. A partir daí, os congressistas têm 15 dias para apresentar emendas e o relator, mais 15 para elaborar o texto final de um projeto de decreto legislativo. Em seguida, o projeto passa por dois turnos de votação nos plenários da Câmara e do Senado, que revezam o início da análise dos pareceres.

(Agência Brasil)

As filhas do traficante e o Estatuto da Criança e do Adolescente

Da Coluna Menu Político, no O POVO deste domingo (26), pelo jornalista Plínio Bortolotti:

Ainda pouco popular no Brasil e caracterizado por ser um misto de tênis e vôlei de praia jogado com uma peteca e uma raquete, o badminton tem sua origem indefinida, mas a modalidade que se conhece hoje teve início na Índia. Nascido sob o nome de poona, o esporte ganhou força quando, ainda no século 19, oficiais britânicos em missões na Índia, após terem entrado em contato com o poona e gostado da prática, resolveram levar o esporte para a Europa.

Pouco afeito a esportes, não tinha a mínima ideia do que seria “badminton”, jogo no qual o Brasil destacou-se nos jogos Pan-Americanos, com duas medalhas de prata, uma delas garantida pela dupla de irmãs, Lohaynny (19 anos) e Luana Vicente (21 anos). As duas levaram o Brasil pela primeira vez ao pódio em Jogos Pan-Americanos na modalidade feminina do esporte.

Resolvi pesquisar para saber que tipo de jogo era esse, quando li a história de Lohanny e Luana, criadas em favelas do Rio de Janeiro, e sobre dificuldades que encontraram até subir no pódio, em Toronto, no Canadá.

Filhas de um traficante que mandava no Chapadão, favela da zona norte do Rio de Janeiro, as meninas, acostumaram-se a acordar em meio a tiroteios e a uma vida nômade: em um ano, trocaram de casa 15 vezes, acompanhando as fugas do pai.

Quando Luana tinha oito anos, o pai foi morto em um confronto com a polícia. A mãe pegou as crianças e mudou-se para outra favela, a Chacrinha, onde conheceu um novo companheiro, e as meninas aproximaram-se do projeto Miratus, entidade criada por Sebastião Dias de Oliveira, que ensinava a modalidade esportiva a jovens da favela. Funcionário público na época (1998), Sebastião era egresso da Funabem, entidade predecessora da Febem, fundações criadas para cuidar do “bem estar” do menor, isto é, locais de internação de crianças pobres.

“Eu acho que o badminton foi a porta, a nossa única chance, eu não sei o que seria da gente se não fosse o badminton (…) Eu me sinto uma vitoriosa, se não fosse pelo badminton, eu não seria o que sou”, disse Luana em uma de suas entrevistas.

No entanto, pela história delas, não seria difícil ver qual seria o “lado B” da vida das irmãs se elas, em vez de encontrarem o esporte, tivessem topado com as alternativas nocivas mais comuns no mundo em que elas cresceram, como aquele seguida pelo pai.

Se assim fosse, se tivessem trilhado o caminho para o qual milhares de crianças pobres são empurradas – graças a todos os deuses que assim não foi – muita gente que hoje aplaude as irmãs talvez estivesse pedindo penas mais duras para elas e maldizendo o Estatuto da Criança e do Adolescente.

Um documento vilipendiado e pouco conhecido. A maioria dos que atacam o Estatuto da Criança e do Adolescente nunca o leu. Se o lessem, em vez de estarem vociferando contra o estatuto, talvez estivessem pedindo que fosse cumprido na íntegra. Se isso fosse feito, isto é, se todas as cláusulas do estatuto fossem respeitadas, talvez víssemos surgir mais Lohaynnys e mais Luanas, em todas as áreas do esporte e do conhecimento humano.

O que posso sugerir ao leitor é que leia o documento e faça uma análise do que ali está inscrito. Creio que, pelo menos um, há de mudar de opinião e, em vez de exigir a redução da maioridade penal, passará a defender que o Estatuto da Criança e do Adolescente seja aplicado em sua íntegra.

No coração de Fortaleza

Editorial do O POVO, deste domingo (26), avalia os problemas do Centro e destaca seus 60 mil empregos. Confira:

Conforme mostra a matéria publicada na edição de sexta-feira – resumo do programa Debates do Povo, da rádio O POVO/CBN -, os problemas do Centro de Fortaleza parecem não ter fim. E o que piora o estado das coisas é que os administradores – os vários que já passaram pelo Paço Municipal, das mais diversas ideologias e partidos – não demonstram ter a exata noção do que fazer para transformar o bairro em um lugar que possa oferecer uma convivência equilibrada para os que lá moram e trabalham; e, ao mesmo tempo, possibilite a todos os fortalezenses o usufruto tranquilo de suas ruas, praças, comércio e equipamentos culturais, que se espalham pelo quadrilátero central.

“Ordenamento” dos vendedores ambulantes, construção de shoppings populares, incentivo ao seu uso residencial, e encontrar solução para os sem-teto, muitos deles literalmente morando na Praça do Ferreira, são algumas propostas repetidas quando o assunto vem à tona.

A respeito da verdadeira invasão de “ambulantes”, que tomam conta de quase toda a região, o secretário da Regional do Centro, Ricardo Sales, disse que não pode simplesmente “botar para correr” as pessoas que praticam o comércio irregular. Parece óbvio que não, mas o que se pergunta aos responsáveis – não necessariamente o secretário atual – é por que as coisas chegaram a esse ponto de difícil retorno. Talvez por uma mistura de descaso e corrupção, que fecha os olhos para a primeira irregularidade, abrindo espaço para que atrás dela venha outra e mais outra.

Mutatis mutandis, é o mesmo caso de obras públicas, como praças, por exemplo, inauguradas com pomposidade, porém, deixadas ao abandono, sem maiores cuidados, até que o desmantelo completo exija uma reforma, que onera mais os cofres públicos, comparando-se com a manutenção preventiva, porém rende a publicidade de uma “reinauguração”.

De qualquer forma, mesmo padecendo de graves problemas, o Centro resiste como um dos sítios mais importantes de Fortaleza, oferecendo mais de 60 mil empregos em suas quase oito mil empresas ali instaladas.

Veja diz que Lula “está assustado” com delação premiada de operador de empreiteira

439 8

foto lula 150726 revista veja capa

Para a revista Veja, o ex-presidente Lula estaria “assustado” com o operador da empreiteira OAS, que atuou no governo Lula, com depoimento programado para esses dias no Ministério Público Federal. Léo Pinheiro, segundo a Veja, seria amigo e confidente de Lula. A expectativa é que o operador forneça provas que apontem o ex-presidente como patrocinador de um esquema de corrupção na Petrobras.

Léo Pinheiro, inclusive, já teria autorizado seus advogados a negociar com o Ministério Público Federal um acordo de delação premiada, como forma de não retornar à cadeia. Ele chegou a estar preso em uma penitenciária em Curitiba, mas no momento cumpre prisão domiciliar.

Advogado e médica são detidos por “furto” de cones de sinalização

175 9

Policiais militares e agentes da AMC realizaram uma perseguição na madrugada deste domingo (26), no bairro Dunas, contra ocupantes de um veículo suspeito de furtar cones de sinalização no evento Fortal.

Na abordagem, os policiais se depararam com uma médica e com um advogado, filho de policial. O casal de namorados foi encaminhado ao 2º Distrito, no bairro Meireles, para o registro da ocorrência.

A Polícia não divulgou as identidades dos suspeitos.

Cirurgias de catarata resgatam qualidade de vida de pacientes em Aquiraz

foto aquiraz saúde

Três médicos realizam cirurgias de catarata no Hospital Municipal de Aquiraz, em 60 pacientes selecionados pelo Programa Saúde da Família (PSF). Para o prefeito Antonio Guimarães, as cirurgias irão devolver aos pacientes a qualidade de vida comprometida com a perda parcial da visão.

“As cirurgias resgatam algo precioso, que é a saúde da visão”, comentou o prefeito, ao destacar o trabalho dos médicos Francisco Callou, Davi Almeida e Anita Vasconcelos.

Comissão rejeita emenda a projeto sobre controle de natalidade de cães e gatos

69 1

A Comissão de Finanças e Tributação rejeitou emenda do Senado ao Projeto de Lei 1376/03, que cria a política de controle de natalidade de cães e gatos, mediante o emprego de esterilização cirúrgica. Apresentado pelo ex-deputado Affonso Camargo, o projeto já foi aprovado pela Câmara e foi enviado ao Senado, onde recebeu duas emendas, que agora estão sendo analisadas pelos deputados.

A emenda rejeitada estabelece que as despesas decorrentes da implementação do programa correrão à conta de recursos provenientes do orçamento da Seguridade Social da União e serão administradas pelo Ministério da Saúde, por meio do Fundo Nacional de Saúde. Pelo texto aprovado pela Câmara, os recursos para implementação do programa seriam provenientes da Seguridade Social com contrapartida dos municípios de pelo menos 10% dos custos.

O parecer do relator, deputado Bruno Covas (PSDB-SP), foi pela incompatibilidade e inadequação orçamentária e financeira da emenda. De acordo com ele, a emenda desatende a Lei de Responsabilidade Fiscal (Lei Complementar 101/00), ao não apresentar a estimativa do impacto orçamentário-financeiro e ao não demonstrar a origem dos recursos para o seu custeio.

(Agência Câmara Notícias)

Banco Central – Casa da 25 de Março nunca mais foi alugada

foto opovo 150726 BC casa 25 março

Quem podia dar informações, morreu. O herdeiro casou e passou a morar em Manaus. Vizinhos dão com a porta na cara. A corrente e o cadeado no portão tentam esconder o fantasma das escavações do maior assalto a banco da história do Brasil.

A casa 1071 na rua 25 de Março, no Centro, é o ponto de partida da história do furto milionário de R$ 164 milhões do cofre do Banco Central de Fortaleza. Cerca de 30 homens cavaram um túnel de 80 metros, que ligava a residência alugada para uma empresa de fachada ao cofre do Banco Central.

Dez anos depois, a casa nunca mais foi alugada. Maldição? Objeto de investigação? Especulação? É o que esperam descobrir os jornalistas do O POVO, Demitri Túlio e Cláudio Ribeiro, na segunda reportagem da série “Banco Central: o furto que não acabou”, no O POVO deste domingo (26).

O cearense é dono de quatro tatuzões

229 5

Da Coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo (26):

A paralisação das obras da linha leste do metrô de Fortaleza chamou a atenção para a inusitada compra das tuneladoras, o equipamento de fazer túneis que o Brasil batizou de “tatuzões”. Por R$ 128 milhões, o Governo do Ceará comprou quatro tuneladoras da empresa norte-americana The Robbins Company. Não é usual que o Governo faça a compra. Geralmente, esta é uma responsabilidade dos consórcios responsáveis pela obra.

Duas tuneladoras já chegaram à cidade. O porto do Pecém foi a porta de entrada após uma longa viagem a partir da China. Os equipamentos estão armazenados à espera da montagem e do uso, que pressupõe um conjunto de estruturas de engenharia civil para recebê-los no canteiro de obras. Essas estruturas ainda não existem.

Há no Brasil pelo menos seis tatuzões trabalhando na construção de metrôs subterrâneos. Cinco deles estão em funcionamento em São Paulo. O sexto, no Rio de Janeiro. Ao contrário do Ceará, foram comprados pelos consórcios privados que constroem novos trechos dos metrôs nas duas metrópoles.

As tuneladoras são equipamentos imensos e muito sofisticados. Ao mesmo tempo em que perfuram o solo, instalam o revestimento estrutural do túnel, com anéis de concreto e fibras de aço.

Os que trabalham na linha lilás do metrô de São Paulo pesam 1.500 toneladas. Isso, sem considerar os vários compartimentos ao longo da sua extensão que supera 120 metros: câmara de compressão; motores hidráulicos; parafuso sem fim (que faz a retirada do material escavado); esteira para o transporte do solo; eretor (equipamento que faz a montagem dos anéis de concreto) e o backup (cabine de comando, painéis de controle, transformador de energia, tanque hidráulico, sanitários, refeitório, além de trailers para o movimento de materiais).

A operação do equipamento de São Paulo (fabricado na Alemanha) necessita de 180 pessoas. São 50 profissionais em cada turno, além de 30 operários de apoio. Com a produção diária (24 horas), o equipamento gera 154 metros cúbicos de terra por hora. A remoção desse material exige um caminhão basculante a cada 4 minutos.

O relato serve para apresentar ao distinto contribuinte cearense o equipamento que lhe pertence.

Temer defende Cunha e diz que relação entre PMDB e governo é institucional

O vice-presidente Michel Temer usou nesse sábado (25) o Twitter para dizer que não participa de “movimento contra o presidente da Câmara”, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O parlamentar foi citado no depoimento de um dos delatores do esquema de corrupção investigado pela Operação Lava Jato, Júlio Camargo, que o acusa de ter recebido R$ 5 milhões em propina.

Cunha nega a acusação, mas pode vir a ser denunciado pela Procuradoria-Geral da República ao Supremo Tribunal Federal.

“Não participo de movimento contra o presidente da Câmara. As relações entre governo, Câmara dos Deputados e PMDB devem ser institucionais, tendo em vista os interesses do país”, escreveu Temer na rede social. A mensagem foi compartilhada por Cunha minutos depois, também pelo Twitter.

A bancada do PMDB na Câmara dos Deputados também saiu em defesa de Cunha e informou que não aceitará “especulações que visem a enfraquecer a autoridade institucional do presidente da Câmara”, segundo nota divulgada na noite da sexta-feira (24).

No texto, os deputados peemedebistas argumentam que a democracia prevê o direito à ampla defesa e criticam a especulação sobre a participação de Cunha no esquema baseada apenas nas informações do delator. “Na democracia, diferentemente das ditaduras, todos os cidadãos, sem exceção, estão sujeitos a investigação, não importa quanto poder ou riqueza possuam. É isso o que ora assistimos no país. Mas a democracia prevê também o direito à ampla defesa. Não existe julgamento sumário”.

(Agência Brasil)

Ceará dá vexame e perde em casa para o Mogi Mirim

116 1

foto série b anos anteriores 14 rodadas

O Ceará segue na lanterna da Série B do Campeonato Brasileiro, após ser derrotado pelo então penúltimo colocado na tabela de classificação, o Mogi Mirim, na noite desse sábado (25), em plena Arena Castelão, por 3 a 2. Rivaldo Júnior, filho do atacante Rivaldo, marcou dois gols na vitória do time paulista. Rivaldo também joga na equipe do interior de São Paulo.

Com o resultado, o Ceará continua como única equipe a não chegar aos 10 pontos, apesar de 14 rodadas já completadas do total de 38. O Mogi Mirim ainda segue na zona de rebaixamento, mas agora na 17ª colocação. Atlético Goianiense e Boa Esporte completam a chamada zona do desespero.

O Ceará volta a campo na terça-feira (28), diante do ABC, em Natal.

Mulheres negras enfrentam problemas semelhantes na América Latina

Cerca de 200 milhões de pessoas que se identificam como afrodescendentes vivem na América Latina e no Caribe, o que corresponde a 30% da população dessas regiões, conforme estimativa da Associação Rede de Mulheres Afro-Latinas, Afro-Caribenhas e da Diáspora (Mujeres Afro). Apesar do número, os negros são os mais afetados pela pobreza, marginalização e pelo racismo, em especial as mulheres.

No Dia da Mulher Afro-Latino-Americana e Caribenha, celebrado neste sábado (25), e no primeiro ano da Década Internacional dos Afrodescendentes, instituída pelas Nações Unidas, os problemas enfrentados pelas mulheres negras ganham visibilidade.

Levantamentos de alguns países mostram essa situação. Em Porto Rico, por exemplo, estudo mostra que um homem branco com ensino superior tem 89% mais chances de entrar no mercado de trabalho. No caso das mulheres negras, o percentual é menor: 60%. No Uruguai, a taxa de desemprego chega a 7%, mas entre as mulheres negras sobe para 14,3%.

Para a representante da Organização das Nações Unidas (ONU) Mulheres no Brasil, Nadine Gasman, o Brasil se destaca na América Latina por ter políticas públicas e instituições oficiais de combate às desigualdades, como a Secretaria de Política para as Mulheres (SPM) e a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir).

No entanto, a representante reconhece que as mulheres negras estão atrás nos indicadores sociais e econômicos do país. “Por exemplo, em termos de pobreza, a população negra é mais vulnerável, sete em cada dez casas que recebem o Bolsa Família são chefiadas por negros, sendo que 37% das casas são chefiadas por mulheres. Temos entre mulheres brancas um desemprego de cerca de 9%, entre as mulheres negras ultrapassa 12%. Outra área que vale a pena ressaltar é o tema da renda. As mulheres negras recebem 42% do salário dos homens brancos. É muito chocante elas receberem menos da metade do salário dos homens brancos”.

A situação das mulheres negras foi discutida entre os dias 26 e 28 de junho em Manágua, na Nicarágua, durante a 1ª Cúpula de Lideranças Femininas Afrodescendentes das Américas.

(Agência Brasil)

Ceará quer entrar na casa decimal na tabela de classificação e deixar lanterna

68 1

Único time da Série B a não conseguiu atingir os 10 pontos, mesmo após 13 rodadas na competição, o Ceará tem a chance de deixar a lanterna na noite deste sábado (25), a partir das 21 horas, na Arena Castelão, em jogo contra o vice-lanterna Mogi Mirim.

A campanha do time cearense é a pior da história do clube em comptições nacionais. Em treze jogos, o Vozão conseguiu somente uma vitória e cinco empates. A situação é tão dramática, ao ponto do Ceará ter quase a metade dos pontos do primeiro time fora da zone de rebaixamento, no caso do CRB, com 15 pontos conquistados.

A rodada teve início na terça-feira (21), com empate sem gols entre Macaé e Paraná Clube. Nessa sexta-feira (24), o América Mineiro venceu o Boa Esporte, por 2 a 0, enquanto o Atlético Goianiense surpreendeu o Bragantino, em Bragança Paulista, por 1 a 0. Mesmo com a vitória, o Atlético segue na zona de rebaixamento, agora com 12 pontos.

Caro amigo

58 2

Em artigo no O POVO deste sábado (25), o médico, antropólogo e professor universitário Antônio Mourão Cavalcante relata a situação do Brasil e do Ceará. Confira:

Amigo, você pede – insistentemente – que eu lhe mande notícias do Brasil. E ainda insinua que a situação da Europa é desesperadora. Informa que todos os dias chegam embarcações, navios e paquetes com milhares de migrantes da África. Desespero. E, em terra firme, a Grécia mergulha no fundo do poço. Você faz um resumo triste e sincero: “A Europa vai mal! Tem nada a ver com o tempo que aqui você morou. Beiramos a miséria… E aí, como vai?” Insiste você.

Ora, aqui vai tudo bem. Enquanto vocês por aí recebem migrantes, nós queremos acolher turistas. Por isso, resolvemos construir um acquário (escreve-se assim mesmo!). Eles vão vir com milhares de dólares e euros!

Parece que vamos ter uma boa safra de caju. E, óbvio, de castanhas. Assim não faltará tira-gosto. Os vendedores nos semáforos começaram a oferecer uns vermelhinhos… São todos iguais e parece que com o mesmo gosto. São frutos de enxertos ou clonados. As bananas também mudaram de gosto. Isto é, ficaram sem gosto. Parece que a gente come uma espécie de isopor. Será por causa da água represada do Castanhão? Outro dia morreram milhares de peixes do tal reservatório. Ainda aguardamos o laudo… (E vai demorar tanto que esqueceremos a tragédia!)

Futebol? Nem me fale nisso. Perdemos a Copa América. Fomos eliminados pelo Paraguai, em pênaltis. Graças a Deus, a Argentina também perdeu. Jogaram dólares falsos na cabeça do Blatter. Achei uma ideia legal. Falta a gente fazer isso aqui.

Da próxima vez que você vier ao Brasil, talvez possa vir direto. Fortaleza será a sede de hub da TAM. Você não sabe o que é isso? Mais ou menos assim: tudo sai daqui. Tudo vem para cá. O Carrefour – encruzilhada da maior empresa de aviação nacional. Quem garante? Os que sempre prometem essas mesmas mágicas…

Sim! Ia esquecendo. Agora temos duas grandes festas. O Carnaval e as Festas Juninas que vão até fins de julho… E, cada vez mais, os saltos, passes e músicas se assemelham. O mesmo barulho com o patrocínio do governo. Isto é, grana da gente!

As oligarquias estão brigando: Cunha versus PT. E, quando elas brigam, sempre sobra algo de bom para o povo. Sinal que agosto vem quente. Sempre foi assim. Ainda estamos solidários com o lema do Movimento Antropofágico de Oswald de Andrade: “Nunca fomos catequizados. Fizemos foi Carnaval.” Um abraço e tchau!

Caratecas têm como maior adversário a falta de patrocínio

foto karatê apoio

Caratecas cearenses buscam em semáforos de Fortaleza apoio para o Campeonato Sul-Americano na Bolívia. Na manhã deste sábado (25), um grupo de atletas buscava trocados no cruzamento das avenidas Dom Luís com Virgílio Távora, na Aldeota, para parte do custeio da competição.

Quem vê atletas brasileiros com suas medalhas do judô, caratê, taekwondo e outras modalidades do tatame, não imagina que o maior adversário é a falta de patrocínio.

(Foto: Paulo MOska)