Blog do Eliomar

Últimos posts

Ciro diz que demitiria e prenderia o General Villas Boas

455 4

O presidenciável Ciro Gomes (PDT) afirmou nesta quarta-feira (12) que em seu governo o chefe das Forçar Armadas, o general Eduardo Villas Bôas, teria sido demitido por sua fala pública sobre a instabilidade política no Brasil, e “provavelmente pegaria uma cana”.

“No meu governo, militar não fala em política. Ele estaria demitido e provavelmente pegaria uma cana. Eu conheço bem o general Villas Bôas. Ele está fazendo isso para tentar calar as vozes das cadelas no cio que estão se animando, o lado fascista da sociedade brasileira”, afirmou Ciro em sabatina do jornal O Globo.

Ao jornal O Estado de S. Paulo, Villas Bôas afirmou que “a legitimidade do novo governo” poderia ser questionada se o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fosse candidato ao Palácio do Planalto.

O candidato do PDT também criticou o general Hamilton Mourão (PRTB), vice do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL). “O general Mourão (vice de Bolsonaro) é um jumento de carga, que tem entrada no Exército. Quem manda nesse País é nosso povo. Tutela, sargentão dizendo que vai fazer isso e aquilo, comigo não acontecerá. Sob a ordem da Constituição, eu mando e eles obedecem. Quero as Força Armadas poderosas, modernas, altivas. Não quero envolvidas no enfrentamento do narcotráfico, isso é papo de americano”, disparou Ciro.

Mourão defendeu a possibilidade de, em caso de assumir o governo, o presidente da República poderá fazer um “autogolpe” com o apoio das Forças Armadas para conter uma “anarquia”. “O próprio presidente é o comandante-chefe das Forças Armadas, ele pode decidir isso. Ele pode decidir empregar as Forças Armadas. Aí você pode dizer: “mas isso é um autogolpe”, disse Mourão à Globonews nesta sexta-feira (7).

O militar também chamou de “herói” o coronel Brilhante Ustra, falecido e apontado como torturador durante a Ditadura Militar (1964-1985).

De acordo com Ciro, o eleitor que “vota em (Jair) Bolsonaro quer matar” o Brasil. “Bolsonaro, uma aberração, sofre um atentado. Aí vai o Magno Malta, o Silas Malafaia… O filho dele diz ‘vamos ganhar essa bagaça no primeiro turno’. Estão insultando a inteligência da população. Estou tentando propor um caminho mais racional”, acrescentou.

(Brasil 247)

Governo vai criar banco de horas e sobreaviso para servidores públicos

O governo federal vai estabelecer banco de horas e normatizar a utilização do sobreaviso para servidores públicos federais. A medida vale para mais de 200 órgãos e entidades – incluindo empresas estatais, autarquias, fundações e empresas de economia mista – e tem por objetivo aumentar a eficiência no serviço público. O Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão deve publicar ainda esta semana uma instrução normativa estabelecendo os critérios e procedimentos em relação à jornada de trabalho dos servidores.

A adoção do banco de horas será feita pelos dirigentes dos órgão e entidades, caso seja do interesse da administração federal. As horas extras para o banco deverão ser autorizadas pela chefia, para a execução de tarefas, projetos e programas de relevância para o serviço público. Por meio de um sistema eletrônico de frequência, as horas excedentes, além da jornada regular do servidor, serão computadas como crédito e as horas não trabalhadas, como débito.

A instrução normativa também trará orientações para a utilização do sobreaviso, ou seja, o período em que o servidor público permanece à disposição do órgão aguardando chamado para ir trabalhar. O servidor deve permanecer em regime de prontidão, ainda que durante seus períodos de descanso, fora de seu horário e local de trabalho.

Nesses casos, somente as horas efetivamente trabalhadas poderão ser contabilizadas no banco de horas. Para utilização desse regime, o ministério vai recomendar que os órgãos estabeleçam as escalas de sobreaviso com antecedência.

Para otimizar a força de trabalho no serviço público, em julho, o governo federal também criou o Banco de Talentos, uma plataforma digital para facilitar a realocação de servidores e empregados públicos entre órgãos federais. Agora, cabe ao próprio ministério o poder de gerenciar e autorizar os processos de transferência de funcionários.

Isso também permite ao ministério centralizar operações de concessões e pagamentos de aposentadorias e pensões. Decreto publicado ontem (11) no Diário Oficial da União normatiza essa gestão. O processo de centralização será iniciado ainda este ano nos ministérios das Relações Exteriores, da Cultura, do Esporte, da Integração Nacional, da Transparência e Controladoria-Geral da União, além da Imprensa Nacional, ligada à Casa Civil da Presidência da República.

De acordo com o Ministério do Planejamento, atualmente, os processos de aposentadorias e pensões são realizados por aproximadamente 1,1 mil unidades de pagamento descentralizadas em todos os órgãos federais, onde cerca de 20 mil servidores executam atividades de gestão de pessoas voltadas tanto para os servidores ativos quanto para os inativos. A centralização das atividades pode resultar na realocação de cerca de 10 mil servidores para as áreas finalísticas dos órgãos.

(Agência Brasil)

Dnocs pode ter menos da metade do orçamento deste ano em 2019

O Dnocs vive seca financeira há anos e, pelo visto, vai continuar assim.

Se neste exercício opera com orçamento de R$ 1,7 bilhões, vem coisa pior. Segundo o diretor-geral do órgão, Ângelo Guerra, a previsão oficial é de contar, em 2019, com apenas R$ 600 milhões. É menos da metade para tocar empreendimentos importantes para o Nordeste.

Esse quadro precisa ser revertido, o que exigirá ação da bancada federal nordestina em Brasília. Por aqui, quem ainda se manifesta e se mexe em favor do Dnocs é o deputado federal Raimundo Gomes de Matos (PSDB). Ele, no entanto, alerta ser fundamental um trabalho conjunto de pressão, o que precisa vir depois da campanha eleitoral.

(Foto – Paulo MOska)

Preço da gasolina nas refinarias da Petrobras sobe 1,02% a partir desta quinta-feira

A Petrobras anunciou hoje (12) aumento de 1,02% no preço do combustível comercializado em suas refinarias. Isso depois de uma semana sem reajustes no preço da gasolina.

A partir de amanhã (13), o litro da gasolina passará a custar R$ 2,2294, dois centavos a mais do que os R$ 2,2069 cobrados desde 5 de setembro.

No mês, o litro do combustível já subiu nove centavos, ou seja, 4,3% a mais do que custava no fim de agosto (R$ 2,1375).

(Agência Brasil)

CDL Jovem conhece avanços tecnológicos e de gestão de grandes grupos empresariais do País

Um grupo formado por 27 membros da CDL Jovem de Fortaleza conhece, em São Paulo, como operam a Globo, Google, Arezzo e a área de tecnologia de Magazine Luíza.

Segundo Tiago Façanha, um dos diretores, o objetivo é ver de perto avanços no plano não só tecnológico, mas também de gestão.

A visita vai se estender até sábado.

(Foto – Paulo MOska)

Dólar abre em queda de 0,30% e cotado a R$ 4,1419

A cotação da moeda norte-americana abriu o pregão de hoje (12) em queda de 0,30%, cotada a R$ 4,1419 para venda depois de ultrapassar ontem (11) a barreira de R$ 4,15, com uma alta de 1,48%. O Banco Central mantém sua política tradicional de oferta de swaps cambial, sem anunciar leilões extraordinários de venda futura da moeda.

O Ibovespa, índice da B3, começou o dia revertendo a tendência de baixa de ontem (11), registrando alta de 0,6% na abertura do pregão com 75.105 pontos.

As ações das grandes companhias, chamadas de blue chip, apresentam valorização como os papéis da Petrobras em alta de 1,78%, Itau com 0,96% e Eletrobras subindo 3,44%.

(Agência Brasil)

Eleição não vai rimar com renovação

Com o título “Eleição sem renovação”, eis artigo de Cleyton Monte, cientista político. Ele bate na tecla do cenário eleitoral de apatia que se registra no País e critica o fundo eleitoral, com perspectiva de assegurar a manutenção da mesmice política. Confira:

Um dos princípios básicos da democracia é a renovação de suas lideranças. A manutenção de velhas figuras facilita a reprodução de privilégios, dificulta a canalização de demandas, trava o diálogo e engessa as estruturas de poder.

Assistindo a propaganda eleitoral é possível observar uma eleição sem renovação. Os mesmos nomes e vícios duelam por cadeiras no Legislativo e no Executivo. Políticos que ocupam cargos desde a década de 1980. As figuras que se dizem novas na verdade reciclam velhos discursos ou radicalizam pautas recentes. Essa percepção contraria as expectativas dos que acreditavam na crise política como grande oportunidade para oxigenar as instituições e reformular o debate. O que isso revela?

A corrida presidencial de 2018 começou cedo. Logo após o impeachment de Dilma Rousseff (2016), a imprensa e alguns partidos tentaram emplacar rostos famosos. Celebridades do porte de Joaquim Barbosa, Luciano Huck e Datena entraram nesse time. Apesar de serem vendidos como novos e outsiders, não conseguiram se movimentar pelas infindáveis articulações partidárias. É bem verdade que não traziam bases sociais consistentes. Entretanto, não deixa de ser um sinal claro do travamento do sistema político brasileiro. A reprodução de lideranças tradicionais não foi interrompida pelas operações contra corrupção. A aprovação e uso do Fundo Eleitoral simbolizam esse esforço para beneficiar parlamentares e governantes que estão no poder, fortalecendo, principalmente, os líderes partidários. Para comprovar essa questão, basta checar as candidaturas homologadas.

O resultado mais imediato desse panorama é a visão de que tudo continua do mesmo jeito. A apatia ganha terreno e reforça a perspectiva de distanciamento social. Vota-se com frequência no “menos pior”. O problema não é só de liderança. Vivemos um apagão de novas ideias. Parece-me que a política brasileira tem sérias dificuldades para se conectar com a realidade complexa do século XXI. Reconhecendo as raras e prestigiosas exceções, candidatos ao Governo e ao Legislativo desfilam com propostas irrealizáveis, ultrapassadas ou simplórias. Assim, as crises se aprofundam e o potencial de transformação da democracia recebe uma forte punhalada!

*Cleyton Monte

cleytonufc@hotmail.com

Cientista político, pesquisador do Laboratório de Estudos sobre Política, Eleições e Mídia (Lepem) e membro do Conselho de Leitores do O POVO.

Camilo faz campanha no Planalto Airton Sena

299 1

Nesta manhã de quarta-feira, o governador Camilo Santana fez campanha pelas ruas do Planalto Airton Sena. Ele conversou com populares, expôs metas de uma nova gestão e, principalmente, posou em selfies com grupo de eleitores.

Com ele, estava o seu fiel escudeiro, o vereador Acrísio Sena, candidato a deputado estadual pelo PT.

Para não sair do roteiro, Camilo exercitou o paladar. Provou, no meio do percurso, um gostoso sorvete de açaí.

(Foto – Facebook de Acrísio)

Hélio Góis sugere construir presídio em local onde celular não pega para barrar ação da bandidagem

Proposta do candidato a governador pelo PSL, Hélio Goís, para driblar a comunicação entre presos via celular nas unidades prisionais:

“Eu tenho viajado pouco, mas eu viajo pelo Ceará. Tem área que o celular não pega. Então, por que não instalar presídio lá?”

A fala surgiu durante a sabatina que a Rádio O POVO/CBN promoveu nessa terça-feira com o bolsonarista.

General Theophilo – Na agenda, entrevistas ao vivo a emissoras de TV e carreata em Pajuçara

O General Theophilo, candidato a governador pelo PSDB, dará entrevista ao vivo, a partir das 11h45min, ao CE TV  1ª Ediçãoo, da TV Verdes Mares, dentro de um ciclo de conversas que a emissora trava com os principais postulantes ao Palácio da Abolição.

Em seguida, ele repetirá a dose na TV Diário.

O próximo compromisso de campanha do General será a partir das 18 horas, numa carreata pelas ruas de Pajuçara, no município de Maracanaú (Região Metropolitana de Fortaleza).

(Foto – Divulgação)

Raquel Dodge pede arquivamento de inquérito contra Aécio Neves no Supremo

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu o arquivamento de um inquérito contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG) no Supremo Tribunal Federal (STF). O senador é investigado por supostamente ter atuado para fraudar registros do Banco Rural remetidos à CPMI dos Correios, que investigou o escândalo do mensalão, em 2005. A decisão sobre arquivar ou não a investigação caberá ao relator do caso do STF, ministro Gilmar Mendes.

O inquérito teve como base a delação premiada do ex-senador Delcídio do Amaral, que presidiu a CPMI. Ele afirmou que foi procurado por Eduardo Paes, então deputado pelo PSDB, que lhe teria pedido, em nome de Aécio, para adiar o prazo dado ao Banco Rural para o envio dos documentos, de modo a haver tempo para a fraude.

O objetivo, segundo Delcídio, era maquiar dados que pudessem revelar esquema semelhante ao mensalão sendo operado pelo publicitário Marcos Valério na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, em benefício do então governador Aécio Neves e de seu vice, Clésio de Andrade.

Ao pedir o arquivamento do inquérito, Raquel Dodge argumenta que “a autoridade policial não recolheu provas ou elementos de convicção suficientes para corroborar as declarações do colaborador e permitir a instauração da ação penal”.

“Além disso, ante o tempo decorrido desde o ano 2005, quando os fatos teriam ocorrido, a autoridade policial não vislumbra outras diligências que lhe permitam elucidar os fatos e sua autoria, além das diversas medidas já adotadas, que eram potencialmente úteis ao avanço da apuração, mas não desvendaram os fatos em sua inteireza”, acrescentou a PGR.

(Veja Online/Foto – Agência Brasil)

Supremo arquiva denúncia contra candidata a vice de Ciro Gomes

A 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal, por maioria, arquivou denúncia contra a senadora e candidata à vice-Presidência da República, Katia Abreu, por falta de elementos concretos criminatórios declarados em colaboração premiada da operação “lava-jato”. Os ministros entenderam que as apurações se baseavam apenas em relatos de colaboradores, sem provas após 15 meses. O relator, ministro Gilmar Mendes, votou pelo imediato arquivamento da denúncia. Segundo o ministro, os depoimentos de colaboração premiada não frágeis e não oferecem suporte a investigação. A informação é do site Consultor Jurídico

“Neste tempo todo não se conseguiu reunir elementos mínimos de provas. É mais um caso de delação premiada em que não há provas concretas. Isso quase virou um balcão de negócios. Essa montanha de delatores da Odebrecht são testemunhas de “ouvi dizer”. Isso não vale nada. Temos que ter um posicionamento muito claro”, criticou.

O ministro Dias Toffoli seguiu o entendimento ao afirmar que é uma colaboração que mostra que Kátia Abreu é isenta. “Isso não podia nem ter chegado aqui. Tinha que ter arquivado”, afirmou. O presidente da Turma, ministro Ricardo Lewandowski, afirmou estar espantado. “O que se espanta nesse caso, em mais de um ano, é que nunca se encontrou nada contra a senadora. Não pode esse constrangimento ilegal e psicológico”, disse.

Divergiu

O ministro Edson Fachin foi o único a divergir ao afirmar que os fatos eram verídicos. “As declarações também mostraram prova documental, dinheiro ilícito no período da campanha eleitoral”, disse.

As colaborações apontaram que, em 2014, a então senadora, por intermédio de Moises Pinto, seu marido, teria recebido dinheiro ilícito no período da campanha eleitoral para o Senado.

O representante do Ministério Público Federal, Juliano Baiocchi, pediu o não arquivamento da denúncia. Para ele, é preciso manter a unicidade da investigação desses fatos, já que as condutas dos investigados estão intrinsecamente relacionadas, a ponto de uma eventual cisão resultar, neste momento, em prejuízo para a persecução criminal.

(Foto -Divulgação)

Turma do Colégio da Polícia Militar visita O POVO

A redação do O POVO recebeu, nesta manhã de quarta-feira, a visita de alunos do Colégio da Polícia Militar, tuma 2º Ano-E, tendo á frente a professora Rose Albuquerque, da disciplina de Redação.

Hora de todos conhecerem a loucura de uma redação de jornal, que briga com o tempo para informar, prestar serviços e ajudar o leitor a refletir sobre a realidade.

Todos ouviram explanações sobre o Portal POVO Online, o jornal, a rádio O POVO/CBN, onde estava no ar o jornalista Luiz Viana, e ainda bateram papo com a reportagem deste Blog. Uma troca de informações e muita simpatia.

(Foto – Paulo MOska)

Vem aí o Centro de Memória Frei Tito de Alencar

O prefeito Roberto Cláudio (PDT) anuncia: vai instalar o Centro de Memória Frei Tito de Alencar Lima no imóvel em que o frade dominicano viveu em Fortaleza, junto com outros dez irmãos. Foi o que ele informou durante audiência, nessa terça-feira,no Paço Municipal, da qual participaram o secretário da Cultura de Fortaleza, Gilvan Paiva, instituições municipais e estaduais e familiares e membros do Instituto Frei Tito de Alencar.

Na ocasião, foram estabelecidas as diretrizes necessárias ao desenvolvimento do projeto. De acordo com o cronograma de execuções, já nos próximos dias, será assinado o decreto de interesse público do Município para a desapropriação do imóvel que abrigará o Centro de Memória. Em seguida, serão promovidas negociações voltadas à efetiva desapropriação do imóvel, instalado no Centro da Capital. Paralelamente, a partir da formação de um comitê intersetorial, será conceitualmente definida a natureza das atividades que serão desenvolvidas no espaço, como exposições e debates.

“Após decretarmos a utilidade pública do imóvel, em até 60 dias, será aberto o ato de desapropriação para, até o final do ano, estarmos com tudo isso encaminhado. Será realizada uma avaliação oficial da Prefeitura em relação ao valor atual do imóvel e haverá a tentativa de negociação administrativa com o proprietário”, prometeu o prefeito Roberto Claudio, acrescentando que, posteriormente, serão elaborados e divulgados os prazos relativos aos projetos de arquitetura e engenharia.

Presente na ocasião, a professora Nildes Alencar, irmã de Tito, celebrou a conquista. “Estou muito emocionada. Tito resgata a história das lutas democráticas do povo brasileiro. É um resgate à memória histórica neste momento de angústias políticas nacionais. É como acordar, alertar aos brasileiros para que cuidem da nossa democracia”, disse.

(Foto – Aurélio Alves)

Sobral vai promover a III Caminhada com Maria

Em 2017, o evento atraiu milhares de fiéis.

A Diocese de Sobral vai comemorar o dia de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil – 12 de outubro, com a edição da Caminhada com Maria. A programação terá início às 16 horas, na Paróquia de Fátima, no bairro Sinhá Sabóia, com o Ofício da Imaculada Conceição e acolhida das paróquias e comunidades. Às 17 horas, haverá a Santa Missa presidida presidida pelo bispo da diocese, Dom José Vasconcelos.

O tema da III Caminhada com Maria da Diocese de Sobral é “Maria, mãe da Vida e da Paz”. “O objetivo é homenagear Nossa Senhora Aparecida e fortalecer nossa identidade católica. Maria é rainha, padroeira do Brasil, mãe da Igreja e protetora milagrosa. A devoção a Nossa Senhora Aparecida é mais intensa no Sul e Sudeste e ainda não chegou forte no Nordeste”, explica o bispo, Dom Vasconcelos.

Ciro Gomes ganha apoio de centrais sindicais

O candidato a presidente da República pelo PDT, Ciro Gomes, prevendo a batalha pelo voto da esquerda, acaba de conseguir o apoio de quatro das cinco maiores centrais sindicais: Força, UGT, CSB e Nova Central.

A informação é da Coluna Painel, da Folha de S.Paulo desta quarta-feira.

As entidades fecharam documento intitulado “Trabalhadores com Ciro” e anunciaram que vão fazer um ato em São Paulo para o pedetista.

(Foto – Facebook)

Em Cruz, ex-prefeito petista só apoia pedetista. E abertamente

O Partido dos Trabalhadores não está gostando nada do apoio que o ex-prefeito de Cruz, Adauto Mendes, está dando a candidatos que não integram a legenda.

Neste cartaz, por exemplo, que convida para a inauguração de um comitê do PT nesse município, nada de postulantes petistas, mas apoio a Robério Monteiro (PDT) para a Câmara dos Deputados, e à reeleição de Sergio Aguiar (PDT) para a Assembleia Legislativa.

Tem gente que quer acionar o Conselho de Ética do PT, mas, ao mesmo tempo, fica na dúvida: tem liderança grande do partido nessa mesma situação, embora de um jeito informal.

(Cartaz no Facebook de Adauto Mendes)

Federação da Agricultura vai ouvir propostas dos candidatos ao Governo

Flávio Saboya, que preside a entidade, vai entregar propostas do setor a cada posulante.

Da Coluna do Eliomar de Lima, do O POVO nesta quarta-feira:

Os quatro candidatos mais bem posicionados nas pesquisas para o Governo do Ceará vão ser ouvidos pela Federação da Agricultura do Estado. Anuncia o presidente da entidade, Flávio Saboya, que marcou o encontro para o próximo dia 19. Será na sede da Faec (Avenida Eduardo Girão, 317), a partir das 12 horas. Estarão presentes os representantes dos 50 sindicatos filiados à Federação.

O governador Camilo Santana (PT) será o primeiro convidado a expor seus planos para a agricultura. Depois, às 13 horas, a vez do General Theophilo (PSDB), seguindo-se Hélio Gois (PSL), às 14 horas e, por último, Aílton Lopes (Psol). Todos receberão um documento prévio da entidade onde estão expostas as reivindicações do setor agrícola que, de acordo com Flávio Saboya, nem seria muita coisa. Resume-se em mais crédito e segurança no campo.

Um detalhe curioso: a Faec incluiu Aílton Lopes, aquele que nunca foi convidado a falar na Federação das Indústrias do Ceará (Fiec).