Blog do Eliomar

Últimos posts

Prefeito vai inaugurar escola com nome de Humberto Teixeira

evaldo lima

Na próxima sexta-feira, o prefeito Roberto Cláudio (Pros) vai inaugurar o Centro de Educação Infantil Humberto Teixeira (Bairro Jangurussu). A nova unidade educacional recebe o nome do advogado e compositor cearense, uma iniciativa do vereador Evaldo Lima (PCdoB), autor de projeto nesse sentido.

Evaldo conta que seu objetivo foi lembrar o Centenário de Teixeira, a ser comemorado em 5 de janeiro de 2015, ele foi que o maior parceiro nas composições de Luiz Gonzaga, o “Rei do baião”.

Com o pernambucano Luiz Gonzaga, o cearense natural de Iguatu compôs o grande sucesso “Asa Branca”, de 1947. As letras do compositor marcaram pelo teor crítico e de imensa preocupação com o sofrimento do povo sertanejo no Nordeste. A seca, os flagelos sociais e as migrações de conterrâneos sempre foram destaque na sua produção artística.

Assembleia Legislativa suspenderá atividades para instalação de sessões eleitorais

A Assembleia Legislativa vai suspender suas atividades nesta quinta e sexta-feira. A mesa diretora da Casa atende a um pedido formulado pelo Tribunal Regional Eleitoral.

O TRE quer preparar a Casa para a recepção dos eleitores que votarão no Parlamento no próximo domingo, quando acontece o segundo turno das eleições para presidente da República e governador.

Arquiteto Marcos Maia lança primeiro livro de poesias

marcsmaia

O arquiteto, músico, escritor e produtor cultural cearense Marcos Maia lançará seu primeiro livro de poesias nesta quinta-eira, a partir das 19 horas, no Espaço O POVO de Cultural e Arte. O título é “Estradas” e traz um conjunto de 49 poemas escritos entre os anos de 1990 e 2003. O livro tem prefácio do escritor e músico potiguar Reynaldo Bessa (Prêmio Jabuti em 2009 na categoria poesia com o livro “Outros Barulhos”) e ilustrações do arquiteto e músico cearense Alexandre Vital.

A obra foi viabilizada de forma independente e contou com a ajuda de alguns parceiros: a cervejaria-escola Sinnatrah, a produtora cinematográfica Kinema e a produtora cultural Coletivo Supernova, esta última responsável pela operacionalização de todas as fases (impressão, divulgação e distribuição). Em 2012, o autor lançou seu primeiro livro de contos, intitulado “Do escuro e depois”.

“Estradas” foi lançado em São Paulo, na Tenda Cultural Ortega y Gasset, na USP, em maio de 2014, com sessão de autógrafos, apresentação de um vídeo doc e pocket show.

Campanha Amigos em Ação será lançada no próximo dia 29

A campanha Amigos em Ação 2014 chega à sua 23ª edição, de forma ininterrupta, unindo empresários e apoiadores em prol de entidades filantrópicas. Neste ano, o lançamento oficial da campanha ocorrerá no próximo dia 29, às 11 horas, no auditório da sede da Alessandro Belchior Imóveis (Avenida Senador Virgílio Távora, 150, Meireles).

Diferente dos anos anteriores, nesta edição, cinco instituições serão beneficiadas com as doações: Casa de Nazaré, Instituto dos Cegos do Ceará, Lar Torres de Melo, Oficina do Senhor e Santa Casa de Misericórdia de Fortaleza. Elas foram criteriosamente avaliadas e selecionadas pelos 40 conselheiros e diretores do Amigos em Ação, entre as 49 entidades indicadas este ano.

Como de costume, todos os anos, um artista plástico doa o direito do uso de imagem de uma obra de arte para a identidade visual da campanha. Neste ano, a obra tema “As Meninas” do artista plástico Maurício Cals ilustrará todas as peças de divulgação, cartazes, camisas e convites da campanha.

Eleições 2014 – Aécio Neves ganha apoio dos agentes comunitários de saúde

raimddd

Raimundo Gomes – Um dos homens fortes de Aécio no Ceará.

O candidato a presidente da República pelo PSDB, Aécio Neves, recebeu, em Goiânia (GO), a Carta de Compromissos da Confederação Nacional dos Agentes Comunitários de Saúde (CONACS).

O encontro foi articulado pelo deputado federal Raimundo Matos, nessa terça-feira, ocasião em que Ruth Brilhante e Ilda Angélica, respectivamente presidente e vice-presidente da entidade, entregaram ao candidato um documento com os pleitos da categoria incluindo a continuidade do Programa de Formação.

(Foto – Divulgação)

Programa de Dilma Rousseff na tevê é melhor do que o de Aécio Neves

62 1

dilmms

“O Datafolha de hoje é a comprovação do protagonismo de João Santana nesta eleição presidencial. A pesquisa revela que o otimismo do brasileiro com a economia, melhorou.

Em relação à inflação, por exemplo, o dado é impressionante: desde 2007, nunca tantos brasileiros acharam que a inflação vai parar de subir ou mesmo cair.

Não resta dúvida de que foram os programas criados por João Santana para Dilma Rousseff que (douraram a pílula e) levaram tal otimismo ao eleitor.

Os programas de Dilma na TV e no rádio são superiores aos feitos pela equipe de Aécio Neves. No primeiro turno, muita gente ainda queria tapar o sol com a peneira, argumentando que Aécio tinha menos da metade do tempo destinado ao PT.

Os programas e comerciais de Santana são mais eficientes não só para desconstruir, como já se viu, mas também para construir – isso é pouco ressaltado.

Essa batalha a Dilma já ganhou: a da comunicação na TV e no rádio.

Aécio Neves pode vencer a eleição. Mas se o conseguir terá sido apesar do seu programa de rádio e TV.

(Coluna Radar, da Veja Online)

CNA promoverá encontro em Fortaleza para definir a agenda do agronegócio nordestino

flaviosaboya

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) através da Federação da Agricultura do Ceará (Faec), promoverá, nos dias 27 e 28 deste mês, na sede do Sebrae, encontro com lideranças do setor, governo e outras entidades ligadas ao agronegócio, bem como sindicatos rurais. O objetivo é definir uma agenda estratégica para o agronegócio do Nordeste.

A informação é do presidente da Faec, Flávio Saboya , explicando que esse estudo vem sendo feito pela CNA em todos os estados do Nordeste, através da metodologia de oficinas de trabalho. Nesse processo, são identificados pontos críticos ao desenvolvimento do setor. Há, também, a elaboração de propostas dentro de três grandes blocos: Sistema CNAFederações/Sindicatos, ambiente organizacional e institucional e sistema de produção e produtores rurais.

O encontro reunirá ainda representantes do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-Ce), da Secretaria e Desenvolvimento Agrário, da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Ceará (Adagri), EMATERCE, BNB, BB, UFC, EMBRAPA, superintendência do MAPA/CE, Agência de Desenvolvimento do Estado (Adece) e do Instituto de Desenvolvimento Agrário do Ceará (Idace).

 

Horário eleitoral custará R$ 839,5 milhões aos cofres públicos

“A propaganda eleitoral obrigatória no rádio e na televisão, que termina na sexta-feira (24), deverá custar neste ano R$ 839,5 milhões aos cofres públicos, de acordo com estimativa da Receita Federal. O governo deveria arrecadar esse valor das emissoras em impostos, mas o montante é convertido em renúncia fiscal para que a propaganda eleitoral ocupe a grade de programação das rádios e das TVs.

O custo deste ano representa um aumento de quase 39% em relação aos R$ 604,2 milhões que deixaram de ser recolhidos aos cofres públicos em 2010, quando também foram eleitos presidente, governadores, senadores, deputados federais e estaduais. O cálculo não leva em conta a inflação do período.

Em 2008, quando a eleição limitou-se a prefeitos e vereadores, as concessionárias autorizadas a explorar os serviços de radiodifusão descontaram, a título de ressarcimento pela divulgação do horário eleitoral, R$ 420,3 milhões dos impostos devidos.

O valor da restituição às empresas é calculado a partir de uma fórmula complexa, cuja aferição depende do acesso às tabelas de preços de mercado cobrados pela exibição publicitária. Valores que variam conforme a audiência do veículo, o horário de exibição, a região e a época. As variáveis estão detalhadas no Decreto 7.791/12, que regulamenta o assunto. Os preços cobrados pelos veículos de comunicação devem ser públicos e previamente fixados.”

(Agência Câmara)

A Dívida Política do Lulismo

49 7

lullalala

Com o título “A Dívida Política do Lulismo”, eis artigo do publicitário e escritor Ricardo Alcântara.  Confira:

2002. ‘Agora’ – era dito, prenunciando a vitória – ‘É Lula lá’. ‘Lá’, no imaginário dos eleitores, era uma cidadela blindada onde representantes das elites econômicas em nome exclusivo de seus interesses tomavam as decisões que ferravam a plebe. Pois bem. Era o ano de 2002 e Lula chegou lá. E, chegando lá, fez o diabo para que pudesse fazer também um pouco pelos mais pobres. Se não vendeu a mãe, passou perto. Abriu mão de muito do vinha prometendo há mais de vinte anos.

Quando ele chegou lá, a Reforma Política já estava em pauta. Muitos esperavam que Lula fosse buscar nas ruas a força necessária para fazê-la por compreender a Democracia como a principal causa popular: afinal, para mudar, é preciso ter voz. Tratava-se de dotar a democracia brasileira de uma representatividade efetiva: submeter os partidos a ritos de decisão coletiva e, a seus membros eleitos, fidelidade programática. E conter a força do interesse privado em suas posições.

Somente assim a cultura patrimonialista cederia espaço à imposição do interesse comum. Sem isso, a manifestação da vontade popular só seria percebida quando não ferisse os privilégios dos donos do poder no Brasil. Raras oportunidades. Tratava-se e se trata ainda, como afirma o programa da Rede Sustentabilidade, de ‘democratizar a democracia’. Tirar do conceito nobre de representação popular o constrangimentos das aspas que colocamos no termo ‘democracia’ brasileira.

Mas a realidade tem pouco apreço pelas boas intenções. Para vencer uma herança pesada, Lula adotou medidas conservadoras e, por maioria parlamentar, curvou-se aos maus costumes. Caso contrário, dizia, a menor vítima seria ele e a maior, o país. Quando saiu do governo, oito anos depois, a Reforma Política continuava ‘lá’, sempre muita discutida e nunca votada. Era como uma mulher ao mesmo tempo bela e problemática: todos gostavam dela, mas ninguém queria levar para casa.

Pois saindo do governo, e compreendendo o preço de sua omissão, Lula disse que, já então livre das imposições pragmáticas da presidência, se dedicaria a mobilizar a sociedade por ela. Bem Lula: disse-o logo que saiu e nunca mais tocou no assunto. A fatura veio pelas ruas, no ano passado. O governo, ao perceber a mensagem subjacente às queixas por um Brasil ‘padrão FIFA’, propôs a Constituinte exclusiva sob o correto saber de que o poder (o congresso, no caso) não muda o poder.

Mas se haveria que mudar a Constituição e a matilha logo percebeu no refluxo das ruas, agora ocupadas pelo ‘vandalismo’, a boa ocasião para a presidente lembrar quem é que realmente manda. Como surgiu, a proposta evaporou e aqui estamos. Domingo, saberemos se ainda terá o Lulismo uma nova oportunidade para reparar sua primeira dívida com o país (o aprimoramento da representatividade popular), já que a segunda dívida (a adesão faminta à corrupção) está na casa do sem jeito.

Unimed Fortaleza é condenada a ressarcir cliente que bancou custos de cirurgia

“A Unimed de Fortaleza foi condenada a ressarcir em R$ 62.580,00 cliente que pagou com recursos próprios cirurgia realizada em São Paulo. Além disso, terá de pagar indenização moral R$ 2 mil. A decisão foi proferida pela 7ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE). De acordo com os autos, em abril de 2013, o paciente recebeu diagnóstico de meningoencefalocele e mastoidite aguda. Em virtude da doença, o médico indicou tratamento cirúrgico chamado timpanomastoidectomia. O segurado alegou que em Fortaleza não havia profissionais aptos para realizar o procedimento, por isso foi indicado médico em São Paulo.

Na Capital paulista, em 29 de julho de 2013, foi encaminhado para cirurgia no Hospital Sírio Libanês. Ao solicitar autorização, não obteve resposta do plano de saúde. Diante da urgência do quadro, a família pagou a intervenção, no valor de R$ 62.580,00. Para receber o ressarcimento da seguradora, o cliente ajuizou ação requerendo também indenização por danos morais. Na contestação, o plano de saúde alegou não ter negado o procedimento cirúrgico. Sustentou ter autorizado imediatamente a solicitação e requereu a improcedência da ação.

Em fevereiro deste ano, o Juízo da 22ª Vara Cível de Fortaleza concedeu o pedido conforme requerido, por entender ter havido omissão do plano de saúde, apesar do contrato firmado entre as partes. Para reformar a sentença, a operadora de saúde interpôs apelação (nº 0186770-08.2013.8.06.0001) no TJCE. Pleiteou que, em caso de eventual manutenção da condenação, seja o valor limitado aos constantes da Tabela de Honorários utilizada pela Unimed de Fortaleza.

Ao julgar o caso, a 7ª Câmara Cível manteve a sentença, acompanhando o voto do relator do processo, desembargador Francisco Bezerra Cavalcante. “Em nenhum momento da demanda de primeiro grau fora questionado pela promovida a referida limitação de custeio. Desta forma, trazendo à baila questão não discutida em primeiro grau, a promovida [Unimed] inovou em sede recursal, o que não pode ser admitido”.

(Site do TJ-CE)

O voto no candidato do continuísmo: consentido ou não consentido

Com o título “O meu voto é duas opções: consentido (Camilo) ou não consentido (Eunício)?”, eis artigo de Luis Cláudio Ferreira Barbosa, sociólogo e consultor político. Ele analisa um cenário “confuso”, envolvendo dois candidatos que são ou saíram do mesmo condomínio político de Cid Gomes. De quebra, resta certa apatia no eleitorado. Confira:

O segundo turno no pleito eleitoral do Ceará já começa a chegar aos seus últimos dias, com a certeza da incerteza de quem será o futuro governador: Eunício Oliveira (PMDB) ou Camilo Santana (PT)? O único vencedor até esse momento no requisito ressurgimento político-eleitoral foi o ex-governador Tasso Jereissati (PSDB), com a sua belíssima votação para o cargo de senador da República na única vaga disputada na bancada cearense.

Nesta segunda vez que temos o segundo turno para governador do Estado do Ceará, a competição está confusa. Na primeira vez que houve esse expediente eleitoral, nós tivemos dois candidatos de grupos antagônicos da política local, com a eleição do ex-senador Lúcio Alcântara (PSDB) sobre o ex-prefeito de Icapui, José Airton (PT), por uma diferença mínima de cinco mil votos, no ano de 2002.

O atual segundo turno em terras cearenses é o inverso do pleito eleitoral de 2002, desta vez temos dois candidatos que pertenceram ao condomínio político administrativo do governador Cid Gomes (PROS) nos últimos oito anos. Não temos um confronto entre um candidato de situação e um candidato de oposição, mas apenas duas candidaturas oriundas do mesmo grupo dominante da política cearense. Ambas as postulações apoiam a reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT).

A pauta da mudança da gestão pública é tratada como peça publicitaria nas campanhas eleitorais dos candidatos, pois ambos não reproduzem esse sentimento na sociedade civil, por isso da apatia do cidadão-eleitor, em relação a discussão de propostas das coligações partidárias no segundo turno. A candidatura do peemedebista Eunício Oliveira reuniu os setores oposicionistas da política cearense, já a candidatura petista de Camilo Santana, por si só, apenas representa o desejo da manutenção do poder do novo bloco dominante da política do Estado. A opção do cidadão-eleitor é votar num candidato do continuísmo: consentido (Camilo) ou não consentido (Eunício).

* Luiz Cláudio Ferreira Barbosa,

Sociólogo e consultor político.

José Guimarães puxará o “Agitaço do PT” pró-Dilma e Camilo

camildilma

Sob comando do deputado federal José Nobre Guimarães (PT), ocorrerá, a partir das 16 horas desta quarta-feira, o “Agitaço PT”. Segundo o parlamentar, uma grande panfletagem pró-Dilma Rousseff e Camilo Santana, que sairá da pracinha da Igreja de Fátima com destino à reitoria da UFC.

Já na sexta-feira, a partir as 18 horas, haverá o “Bandeiraço da Vitoria”

A ordem, segundo a direção partidária, é convocar a militância para ir às ruas em favor da reeleição da presidente Dilma Rousseff e do candidato a governador Camilo Santana.

O ato se concentrará na avenida Dom Luís com Virgílio Távora, no bairro Aldeota.

(Foto – Divulgação)

Produção agropecuária do País cresceu 1% em setembro

“Usado como estimativa sobre geração de renda no meio rural, o Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) de 2014 deve ficar em R$ 438 bilhões, segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O resultado é 1% maior que o registrado no mesmo mês, em 2013 (R$ 433,54 bilhões) e tem por base informações de setembro. O VBP é calculado com base no volume da produção e nos preços médios praticados no mercado.

Dos R$ 438 bilhões relativos a 2014, R$282 bilhões têm como origem as lavouras, o que representa aumento de 0,3% na mesma base de comparação. A pecuária somou R$ 155 bilhões – aumento de 2,5% na comparação com setembro de 2013.

Os produtos da lavoura que apresentaram melhor desempenho foram: algodão, aumento de 51,9%; cacau (26,2%); laranja (25,9 %); pimenta do reino (25,4%); trigo (14,6%); banana (13,9%); café (13,6%); batata inglesa (11,1%); maçã (9,4 %) e soja (4,1%). Já o destaque na pecuária ficou com a carne bovina, que somou 19,3% mais que no mesmo período do ano anterior. A carne suína registrou crescimento de 11,6%.

As regiões Centro-Oeste e a Sudeste lideram tanto a produção de grãos como a de carnes no país, com VBPs totalizados em R$ 109,53 bilhões e R$ 107,8 bilhões, respectivamente. Isso corresponde a 49,6% de todo o valor da produção agropecuária. Já o VBP da Região Sul ficou em R$ 107,6 bilhões; o do Nordeste, R$ 40,43 bilhões; e o da Região Norte, R$ 17,83 bilhões.”

(Agência Brasil)

Procon quer gratuidade de produto com preços diferenciados

86 1

claudia santos 22

Cláudia Santos comanda o Procon.

O Procon Fortaleza vai reunir, a partir as 14 horas desta quarta-feira, em sua sede, representantes dos direitos do consumidor para uma proposta de acordo com a Associação Cearense de Supermercados (Acesu). O objetivo é garantir ao consumidor o direito de levar, gratuitamente, o produto que tiver diferença entre o preço anunciado na prateleira e o registrado no caixa.

No acordo proposto pelo Procon, para ter direito a receber o produto gratuitamente, o consumidor deve observar se o preço exposto nas gôndolas, vitrines, cartazes, encartes ou em propagandas veiculadas dentro do supermercado é diferente do apresentado no caixa. Caso o consumidor queira comprar mais de uma unidade, a primeira sairá de graça e as demais terão valor cobrado de acordo com o menor preço verificado.

Tramita no Congresso Nacional Projeto de Lei nº 7391/14, que garante a gratuidade do produto com diferença entre o preço da gôndola ou prateleira e o do caixa. O estabelecimento reincidente na prática de preços diferentes deverá pagar multa de R$ 1 mil por cada produto com erro.

Outubro Rosa – Passeio Ciclístico lembrará sobre prevenção do câncer de mama

A Rede Mama, em parceria com a Casablanca Turismo, promoverá, dia 28 próximo, o primeiro passeio ciclístico para conscientizar as pessoas sobre a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de mama, além de incentivar a prática do esporte aeróbico.

Para participar dessa atividade, que integra o Outubro Rosa, não é preciso fazer inscrição. É só doar duas latas de leite e comparecer ao ponto de encontro na Avenida Washington Soares, no Shopping Buena Vista, a partir das 7 horas. Ao doar as duas latas de leite, o participante receberá uma camisa da campanha.

Todo o leite arrecadado será doado para a Associação dos Amigos do Crio (ASSOCRIO).

Aílton Lopes anuncia voto em Dilma Rousseff

67 4

tvop debate ailton lopes

Candidato derrotado ao Governo do Ceará pelo PSOL, o bancário Aílton Lopes, em seu Facebook, anuncia: vai votar na reeleição da presidente Dilma Rousseff. Confira:

Não voto mais nulo. Meu voto agora é em Dilma, como expressão de meu veto a Aécio. Peço atenção para este excelente texto de Atilio Borón. Este texto é o que fundamenta minha posição e merece/deve ser lido na sua totalidade. Sigo respeitando posições diversas da minha.

Mas estou convencido da necessidade de engajar-me na derrota do PSDB pelo que de pior representa na sociedade brasileira, sem nenhuma ilusão com o petismo.

Nação não se torna civilizada por decreto

Com o título Brasil em transe”, eis artigo de Silvia Helena, professor de Filosofia e Ética da Universidade de Fortaleza. Ela analisa esse tempo de eleições, onde todos parecem viver dois brasis e de gente que se horroriza com baixas eleitorais, mas não reage contra abusos, por exemplo, de programas policiais e outros preconceitos. Confira:

Não se fala de outra coisa. Nas escolas, nas ruas, campos, construções é o Brasil em pauta, ‘brasis’ que se disputam. Ainda não ‘somos todos iguais, braços dados ou não’; ‘somos todos soldados, armados ou não’. Faz parte.

Houve quem dissesse que nem haveria Copa. Depois do pânico geral fizemos uma Copa memorável e…acabou. Quantas páginas de jornais e debates sobre a influência da Copa nas eleições? Quem ganharia, quem perderia, com a pane de infraestrutura (não houve), com a derrota da seleção (houve)? Quase nada disso se fala nos acalorados debates que ora travamos em todos os fronts, especialmente nas já mal faladas ‘redes sociais’, sobretudo nesse segundo turno das eleições. E, sim, isso é sinal de inequívoco amadurecimento político. Mas nem tudo são flores, como sabia o poeta.

O gigante que acordou na Copa das Confederações parece ter voltado para a ‘militância de sofá’ bem mais frenético (lembremos que um dos cartazes mais frequentes das jornadas de junho era ‘saímos do facebook’) o que acaba conferindo à presente eleição um caráter plebiscitário típico de democracias longevas. Brasil, esse desafio pra cuca.

Não me surpreendo ou horrorizo com ‘baixarias’ que abundam nas redes e já começam a retomar as ruas, beirando às agressões físicas. Lamentavelmente, isso continua dentro das expectativas mais realistas: o clima de desprezo pela política é cuidadosamente urdido pelos silêncios, criminalização, recalcamentos de nossa ainda profunda desigualdade, quase ausência de educação política e debates com contraditório. Não costumo ver os enojados com a sujeira das ruas, barulho, programas eleitorais de TV e rádio (em eleições bienais), também revoltados com a sordidez dos programas policiais, a violência contra negros, homossexuais e mulheres, o extermínio da juventude das periferias urbanas, diuturnamente e sem folgas.

Política é ‘guerra’ por ‘outros meios’; às vezes mais guerra, sem dúvida. Os outros meios envolvem persuasão, trapaça mas também convencimento, civilidade de considerar adversários, e não inimigos, os que pensam econômica e politicamente diferente de nós, conquista árdua, nunca levada a termo de modo exaustivo nem nos países mais avançados do mundo. A dissensão está sempre à espreita, nos calcanhares dos mais ou menos precários consensos.

Nosso Brasil vai trilhando seu caminho. Sem vergonha, pessoal, é assim mesmo. Nenhuma grande nação do mundo tornou-se civilizada por decreto: há sempre andrajos da barbárie fundadora. Ainda temos uma transição a completar.

Há quem, a um só tempo, reclame de apatia nas eleições e festeje as abstenções. Vá entender. O ‘pathos’ político agonístico se manifesta em seu elemento próprio, ruidoso e violento. O que nos faz tremer não é o medo da derrota, mas de não ter feito nada para evitá-la. Cada qual com suas armas acredita saber qual o melhor Brasil. Podemos pensar em terminar ‘iguais, braços dados ou não’. Não dá pra saber. Apenas acreditar. E lutar. Muito.

Sandra Helena de Souza

souza.sandraelena@gmail.com

Professora de Filosofia e Ética da Unifor.