Blog do Eliomar

Últimos posts

A remissão pelo trabalho

Editorial do O POVO deste domingo (5) aponta que torna-se urgente buscar saídas de possibilitem uma nova oportunidade a quem se encontra encarcerado, principalmente pelo trabalho e pelo estudo. Confira:

A população carcerária vem crescendo no Brasil nos últimos anos, com os presídios brasileiros abrigando mais de 700 mil presos. Dos detentos, as mulheres representam mais de 42 mil dos encarcerados, com o seguinte perfil: 62% são negras, 74% são mães e apenas 11% delas completou o ensino médio. A metade dos encarcerados, computando-se homens e mulheres, é constituída por jovens entre 18 e 29 anos de idade. Os dados são do Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias (Infopen), pesquisados (junho 2016).

Tendo em vista essa situação dramática, torna-se urgente buscar saídas de possibilitem uma nova oportunidade a quem se encontra encarcerado. Já existem bons exemplos de que é possível, principalmente pelo trabalho e pelo estudo, recuperar e reintegrar à sociedade pessoas que tenham cometido algum tipo de delito.

Assim, são sempre bem-vindas iniciativas que deem alguma perspectiva para quem se encontra privado da liberdade. Esse é o caso do projeto piloto “Cadeias Produtivas”, que está sendo implementado pelo governo do Estado do Ceará no Instituto Penal Feminino Desembargadora Auri Moura (IPF). É o primeiro programa do gênero, após a aprovação da lei estadual que concede benefícios fiscais a empresas que instalarem linhas de produção dentro de presídios.

Já estão atuando no IPF as empresas Mallory, produzindo ventiladores e a Ypióca, com a confecção de embalagens para bebidas. Conforme previsto na Lei de Execuções Penais, as internas receberão 75% do salário mínimo, além da remissão de pena de um dia a cada três dias trabalhados. A Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece) diz que trabalha para atrair novas empresas para o projeto.

No entanto, apesar de a Mallory e a Ypióca já terem iniciado o processo de produção no IPF, o projeto ainda depende de regulamentação. O que se espera é que a burocracia não venha a ser um obstáculo a dificultar que internos do sistema penitenciário tenham a oportunidade de obterem alguma renda, ao mesmo tempo em que ganham o benefício da redução da pena a que foram condenados.

Maestro cearense faz campanha para lançar CD no sul do país

Com mais de meio século de carreira, o maestro cearense Luciano Franco iniciou campanha de financiamento coletivo para o lançamento de seu novo disco, “Sonho ou Canção”, por meio de shows no Rio de Janeiro e em São Paulo, com a participação de músicos como Roberto Menescal, mestre da bossa nova, e Arismar do Espírito Santo, um dos maiores nomes da música instrumental.

As contribuições para a campanha podem ser feitas por meio do site benfeitoria.com/sonhooucancao, quando a pessoa poderá receber CD autografado, posters, partituras, arranjos para músicas de autoria do participante até shows.

Luciano Franco tem toda uma vida dedicada à música, tendo acompanhado nomes como Dominguinhos, Clara Nunes, Cauby Peixoto e Doris Monteiro.

(Foto: Arquivo)

O BNB nas mãos de um desestatizador

Da Coluna Guálter George, no O POVO deste domingo (5):

O ofício com timbre do ministério da Economia apresentado como um troféu há alguns dias pelo deputado federal e coordenador da bancada cearense no Congresso, Domingos Neto (PSD), pode não ser assim tão poderoso como parecia, inicialmente, na condição de instrumento capaz de tranquilizar quem anda perdendo o sono em relação ao futuro do Banco do Nordeste (BNB). De fato, ali está o autógrafo do prestigiado Paulo Guedes e está dito que não há planos de privatizar a instituição. E pronto. E só.

O entusiasmo com a situação é, por enquanto, muito particular do coordenador da bancada. Nenhuma outra voz de parlamentar apresentou-se para se dizer despreocupado agora que o documento apareceu, a despeito de ser a primeira manifestação oficial onde se demonstra possível posicionar, com alguma informação mais concreta, Paulo Guedes e BNB dentro de uma mesma frase. O maior problema é que de viva voz, de público mesmo, mantém-se o silêncio que predomina desde quando a era Bolsonaro se iniciou, em meio a muitas dúvidas e incertezas acerca de como a região é pensada pela turma nova que passou a tocar a economia. Este é o grande problema que inibe maiores comemorações pelo episódio.

Um aspecto que chama a atenção é que quem envia o ofício à Câmara, mesmo que no papel também conste a assinatura de Guedes, é o secretário especial de Desestatização e Desinvestimento, Salim Mattar. Exatamente o único integrante da equipe do ministro da Economia com quem o presidente do BNB, Romildo Rolim, se encontrou desde quando o governo Bolsonaro começou. Para ser mais exato, foram seis reuniões agendadas até o momento entre os dois.

Fica a dúvida: por que Guedes escalou como seu interlocutor para as conversas com o BNB o assessor direto que cuida do que precisa ser desestatizado ou desinvestido dentro da máquina federal? Este mesmo Mattar, deve-se relembrar, outro dia falou nos planos da equipe econômica de manter distante das privatizações apenas a Petrobras, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. “E só”, disparou, numa manifestação que, na nossa mania de absorver determinadas informações de uma forma nordestinamente própria, soou como uma ameaça ao futuro do BNB como instância pública. Ao contrário do que manifesta o governo no tal documento de aparente natureza tranquilizadora direcionado aos deputados nordestinos, através dos seus representantes que o assinam. É por isso que faz muito sentido que a dúvida continue a tirar o sono de muita gente.

Inscrições para o Enem 2019 começam nesta segunda-feira

As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 começam amanhã (6), às 10h (no horário de Brasília), e podem ser feitas até o dia 17, exclusivamente pela internet, por meio da Página do Participante. As provas estão marcadas para os dias 3 e 10 de novembro (dois domingos consecutivos).

A taxa de inscrição custa R$ 85 e deve ser paga até o dia 23 de maio, de acordo com o cronograma do exame.

O participante terá até o dia 17 de maio para atualizar dados de contato, escolher outro município de provas, mudar a opção de língua estrangeira e alterar atendimento especializado e/ou específico. Depois dessa data, nenhuma informação poderá ser alterada.

O candidato que precisar de atendimento especializado e específico deve fazer a solicitação durante a inscrição. O prazo para pedidos de atendimento por nome social vai de 20 a 24 de maio.

Quem já concluiu o ensino médio ou vai concluir ainda este ano pode utilizar as notas no Enem, por exemplo, em programas de acesso à educação superior, de bolsas de estudo ou de financiamento estudantil.

A prova também pode ser feita pelos chamados treineiros – estudantes que vão concluir o ensino médio depois de 2019. Neste caso, os resultados servem somente para autoavaliação, sem possibilidade de concorrer efetivamente às vagas na educação superior ou para bolsas de estudo. Esses participantes devem declarar ter ciência disso já no ato da inscrição.

Isenção

Mesmo quem solicitou a isenção da taxa precisa se inscrever. Estudantes que entraram com recurso relacionado ao pedido de isenção já podem verificar o resultado. As informações foram divulgadas na quinta-feira (2) no Sistema Enem. É necessário fazer login para acessar o resultado.

Estudo

Para reforçar o conhecimento dos candidatos, a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) oferece várias estratégias gratuitas, como o Questões Enem, no qual os estudantes têm acesso a um atualizado banco de dados que reúne provas de 2009 até 2018. O site permite a resolução das questões online, com o recebimento do gabarito.

Já pelo perfil EBC na Rede, é possível acompanhar a série Caiu no Enem. O desafio é responder no fim de semana à questão publicada na sexta-feira. Na segunda-feira, um professor responde ao questionamento. A série fica até a semana que antecede ao exame de 2019. Para ter acesso aos vídeos com as respostas, basta se inscrever no canal youtube.com/ebcnarede.

(Agência Brasil)

Banco Central define na quarta-feira se mantém Selic em 6,5%

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) faz na próxima terça-feira (7) a terceira reunião de 2019 para definir a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 6,5% ao ano. Na quarta-feira (8), após a segunda parte da reunião, será anunciada a taxa.

Instituições financeiras consultadas pelo BC preveem que a Selic deve permanecer este ano no atual patamar. LINK

O Copom reúne-se a cada 45 dias. No primeiro dia da reunião, são feitas apresentações técnicas sobre a evolução e as perspectivas das economias brasileira e mundial e o comportamento do mercado financeiro. No segundo dia, os membros do Copom, formado pela diretoria do BC, analisam as possibilidades e definem a Selic.

O Banco Central atua diariamente por meio de operações de mercado aberto – comprando e vendendo títulos públicos federais – para manter a taxa de juros próxima ao valor definido na reunião.

A Selic, que serve de referência para os demais juros da economia, é a taxa média cobrada em negociações com títulos emitidos pelo Tesouro Nacional, registradas diariamente no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic).

A manutenção da Selic no atual patamar, como prevê o mercado financeiro, indica que o Copom considera as alterações anteriores nos juros básicos suficientes para chegar à meta de inflação, objetivo que deve ser perseguido pelo BC.

Ao reduzir os juros básicos, a tendência é diminuir os custos do crédito e incentivar a produção e o consumo. Entretanto, as taxas de juros do crédito não caem na mesma proporção da Selic. Segundo o BC, isso acontece porque a Selic é apenas uma parte do custo do crédito.

Para cortar a Selic, a autoridade monetária precisa estar segura de que os preços estão sob controle e não correm risco de ficar acima da meta de inflação. Quando o Copom aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

A meta de inflação, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é 4,25%, com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%, neste ano.

Histórico

De outubro de 2012 a abril de 2013, a taxa Selic foi mantida em 7,25% ao ano e passou a ser reajustada gradualmente até alcançar 14,25% em julho de 2015. Nas reuniões seguintes, a taxa foi mantida nesse patamar.

Em outubro de 2016, foi iniciado um longo ciclo de cortes na Selic, quando a taxa caiu 0,25 ponto percentual para 14% ao ano. Esse processo durou até março de 2018, quando a Selic chegou ao seu mínimo histórico, 6,5% ao ano, e depois disso foi mantida pelo Copom nas reuniões seguintes.

(Agência Brasil)

Quem quiser vir aqui fazer sexo com uma mulher, fique à vontade

1638 51

Em artigo que ganhou as redes sociais, a psicóloga Mônica Raouf El Bayeh critica o que considera um incentivo à prostituição e ao turismo sexual, após declaração do presidente Bolsonaro. Confira:

Quem quiser vir aqui fazer sexo com uma mulher, fique à vontade, disse Bolsonaro, o presidente. A princípio pensei ser fake. Não era. Com a alma enojada preciso desabafar.

Sr Presidente,

Não sei se é do seu conhecimento, mas ser mulher, no Brasil, já era difícil o suficiente sem a sua ajuda.

Somos o quinto país em mortes violentas de mulheres no mundo. A cada duas horas, uma mulher é assassinada. Fora o crescimento da quantidade de casos de estupro.

Um total de onze mil novecentos e cinquenta casos por ano. Pelo menos trinta e dois casos de estupro por dia, fora as mulheres que, por vergonha, não procuram a delegacia.

A gente tem medo. Medo de não voltar. Medo de andar na rua. Medo dos transportes lotados. Medo dos olhares invasivos e das atitudes abusivas dos homens sem noção.

Já somos olhadas como objeto. Como seres inferiores com a única função de servir. Simples objeto de prazer deles. Somos vistas como corpos sem dono. Eles acham que podem falar o que quiserem, apalpar o que decidirem, gozar se tiverem vontade. Sem nosso consentimento.

Agora, como se a realidade já não fosse perigosa o suficiente, para piorar, vem o presidente do país convidando os homens a virem se aproveitar da gente?

– Quem quiser vir aqui fazer sexo com uma mulher, fique à vontade.

Fique à vontade? Que isso? O país foi transformado num imenso puteiro? É um claro incentivo à prostituição. A gente é o que para ser oferecida dessa forma? Sua fala é nojenta. É constrangedora. Apesar desse tipo de declaração sua não me surpreender, sinto vergonha alheia da sua pessoa.

Sou mulher. Sou brasileira. Estudei. Trabalhei e trabalho pelo meu sustento. Eduquei meus filhos para que sejam honestos e sem preconceitos. Não estou à disposição de homem nenhum que queira fazer sexo. A não ser que eu assim decida e escolha.

Meu corpo, meu desejo, meus direitos. Fique à vontade? Fique à vontade uma pinoia. Fique à vontade coisa nenhuma. Não sei com que tipo de mulheres o senhor convive, mas certamente, não faço parte desse cardápio. Como mulher e como ser humano, exijo respeito.

O Brasil não pode ser conhecido como turismo gay? E como país de prostituição pode? Está nos oferecendo em troca de que? Quando foi que meu corpo virou moeda de troca?

Turismo gay, presidente, é dinheiro garantido entrando no país. Gays são criativos, divertidos, animados . Qual é o seu problema?

Não quer turismo gay porque” temos famílias”? Só para esclarecer, rapidinho, todo mundo tem família. Homens, mulheres, gays, trans, ricos e pobres, de toda cor. Ninguém nasceu de chocadeira. Família todo mundo tem.

Falando sobre famílias, olhe bem para a sua antes de julgar a dos outros. Quantas mulheres já teve? Quantos filhos de cada casamento? Brigas, traições, processos, fraquejada. Só porque é sua, serve? Isso é a família tradicional? Seu histórico depõe contra sua pessoa.

Família é ninho. É quem acolhe. Onde se chega quando a asa cansa. Onde se chora e recebe abraço para confortar. Família é isso. Como é formada? Como puder. Como cada um quiser. Duas mães, dois pais, uma mãe solo, uma mãe e uma avó. Sei lá. Não importa e não é da sua conta.

A massa quer uma tendência tradicional, o senhor diz. Grande engano. A massa está se lixando para isso. A massa quer trabalho digno. Quer ser respeitada em seus direitos. Quer comer sem ser envenenada com agrotóxicos.

A massa quer segurança. Quer o direito de pensar, questionar. Quer saúde. A massa quer respeito. Que não metam a mão ao dinheiro dos seus impostos. Que parem de usar laranjas, funcionários fantasmas e empregar amigos e parentes.

A massa está de saco cheio da destruição da educação pública. Dessa corrupção que corre solta e dessa justiça injusta na qual ela já não acredita mais. Das ameaças de acabar com faculdades importantíssimas como filosofia e sociologia. Do descaso com tudo o que é público.

Sem falar no fim do EJA (educação para jovens adultos que trabalham durante o dia e só podem estudar de noite). A massa enxerga essa tentativa de emburrecimento da população. A massa está calejada de só perder direitos.

Fiquem à vontade? Incentivar, de cara limpa, o turismo sexual no país é de uma falta de ética, de moral e de senso sem tamanho.

Não é à toa que as taxas de criminalidade com a mulher aumentaram este ano. Parece haver um certo ar de agora pode tudo. Não pode, não. Não estamos à disposição de quem quiser vir. E merecemos, sim, desculpas.

Porque um presidente tem que ter postura e respeito à TODA a população. Tem que saber o que fala. E as consequências que isso pode causar. O povo espera desculpas. É o mínimo que pode acontecer.

Mônica Raouf El Bayeh

Professora e psicóloga clínica. Especialista em atendimento a crianças, adolescentes, adultos, casais e famílias. Perita judicial

Usuários denunciam pane nos horários da Linha Sul do Metrofor

Usuários do Metrofor reclamam das panes que têm ocorrido na Linha Sul. Segundo o jornalista Haroldo Barbosa, na sexta-feira (3), o atendimento parou por quase uma hora.

De acordo ainda com o jornalista, as estações não oferecem nenhuma condição de conforto aos usuários.

“É um desrespeito aos usuários. A estação é subterrânea e tem péssima ventilação. Calor e desconforto”, lamentou Haroldo Barbosa, na estão José de Alencar, no Centro.

(Foto: Leitor do Blog)

“Valentões não aguentam um soco”, diz prefeito de Nova York sobre viagem cancelada por Bolsonaro

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, comemorou pelo Twitter o cancelamento da viagem do presidente Jair Bolsonaro à cidade, onde ele receberia o prêmio Pessoa do Ano, organizado pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos.

“Jair Bolsonaro aprendeu do jeito difícil que nova-iorquinos não fecham os olhos para a opressão. Nós expusemos sua intolerância. Ele correu. Não fiquei surpreso – valentões geralmente não aguentam um soco”, escreveu ele, que completou o tweet da seguinte maneira: “Seu ódio não é bem-vindo aqui”. Em um segundo tweet, de Blasio continuou a crítica: “O ataque de Jair Bolsonaro a direitos LGBTQ e seus planos destrutivos para o nosso planeta se refletem em líderes demais – incluindo no nosso país. TODOS devem se levantar, falar e lutar contra esse ódio temerário”.

Na última sexta-feira, o porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros, disse em nota que Bolsonaro cancelou a ida aos EUA por causa de protestos: “Em face da resistência e dos ataques deliberados do prefeito de Nova York e da pressão de grupos de interesses sobre as instituições que organizam, patrocinam e acolhem em suas instalações o evento anualmente, ficou caracterizada a ideologização da atividade”, disse.

O Museu de História Natural de Nova York havia se recusado a sediar o evento. Além disso, ao longo da semana, algumas empresas retiraram o patrocínio à premiação após pressão de ativistas.

(O POVO Online com Agência Estado)

Audiência com Sérgio Moro debate esta semana decreto sobre armas

A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados vai debater, na quarta-feira (8), o decreto que trata do registro, posse e comercialização de armas de fogo (Decreto 9.685/19) e o pacote anticrime (Projeto de Lei 882/19). O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, foi convidado para a discussão.

O deputado Marcelo Freixo (Psol-RJ), que solicitou a audiência, disse que são necessários esclarecimentos sobre todos os pontos do pacote. “O pacote anticrime tem uma complexidade enorme e, pela valorização da importância desta comissão, o debate deve ser feito aqui. Esta comissão é múltipla e tem uma possibilidade de contribuição muito ampla”, afirmou.

O pacote anticrime aguarda análise em um grupo de trabalho criado pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia. O deputado Capitão Augusto (PR-SP), que é o relator do grupo de trabalho, defendeu o debate amplo sobre a proposta. “Queremos esclarecer o máximo possível os parlamentares para que eles não tenham dúvida na hora de votar em Plenário”, declarou.

Ação policial

Uma das medidas previstas no projeto de lei anticrime é que, em caso de excesso da ação policial por “medo, surpresa ou violenta emoção”, o juiz poderá reduzir a pena pela metade ou deixar de aplicá-la.

Em audiência pública na Câmara, a defensora do estado do Rio de Janeiro Livia Casseres disse que a medida legaliza a prática de pena de morte extrajudicial. Já o delegado da Polícia Federal Carlos Eduardo Magro defendeu a introdução do conceito de medo na legislação.

(Agência Câmara Notícias)

Comida regional atrai fortalezense para o RioMar Kennedy

463 1

Fortaleza passou a contar com mais um empreendimento voltado à comida regional. Depois dos famosos pratos regionais do Mercado São Sebastião, do Centro de Turismo e da Varjota, agora a cidade ganhou o Kina do Feijão Verde 2, que inova em levar a típica culinária para um shopping, o RioMar Kennedy.

Para o proprietário do restaurante, Adriano Costa, o segredo, além dos temperos e do modo de preparo, é o preço. Tão atrativo como o cheiro da comida.

(Foto: Divulgação)

Campanha tenta conscientizar motoristas sobre cuidados no trânsito

A sexta edição da Campanha Maio Amarelo tem como tema “No trânsito, o sentido é a vida”. Assim como em 2018, o assunto escolhido propõe o envolvimento direto da sociedade nas ações e uma reflexão sobre uma nova forma de encarar a mobilidade.

O movimento é internacional e pretende ser um estímulo a todos os condutores – de caminhões, ônibus, vans, automóveis, motocicletas ou bicicletas, e aos pedestres e passageiros – a optarem por um trânsito mais seguro e chamar a atenção para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo. O laço amarelo é o símbolo do movimento.

O Observatório Nacional de Segurança Viária desenvolveu o mote com uma proposta para que os adultos ouçam o conselho dado por uma criança, que, com sua ingenuidade e inexperiência, tem uma percepção do que é certo e errado com mais eficácia, sem filtros.

“Estamos usando a hastag me ouça e o slogan “No trânsito o sentido é a vida”, onde entendemos que, por meio das crianças e dos jovens sendo protagonistas dessa conscientização, fazemos com que se crie uma percepção de risco, se crie uma atenção maior por parte dos pais, ouvindo aqueles que são os mais frágeis em termos sociais”, disse o Coordenador de Desenvolvimento Institucional do Observatório Nacional de Segurança Viária, Alex Casimiro.

A campanha teve inspiração nos cinco sentidos humanos, numa alusão à sinalização de trânsito. Ou seja, o trânsito é feito de sentidos.

Para utilizá-lo, é preciso entender todos eles. Uma seta no carro da frente indica para onde ele vai virar. Um pedestre com a mão estirada na faixa transmite o sentido de que ele quer efetuar a travessia.

“Só que, de sentido em sentido, fomos ficando egoístas e causando acidentes. Acabamos esquecendo um sentido muito importante: a audição. Precisamos voltar ao começo e ouvir os conselhos de quem não sabe mentir e conhece muito bem o que é certo e o que não é: as crianças. Mas qual é o sentido de ouvir o conselho de uma criança? A resposta é pura e simples: o sentido é a vida”.

É o que enfatiza a campanha. Os vídeos do movimento podem ser acessados aqui.

Para Alex Casimiro, o que mais dificulta a paz no trânsito é o egoísmo dos condutores.

“A visão egoísta no trânsito e na vida como um todo; a pessoa no seu veículo se esquece do seu entorno, e passa a não enxergar o outro; há falta de empatia, então este é o grande problema, a pessoa precisa entender que não é apenas a questão da segurança veicular, não é somente a questão da infraestrutura, enquanto o fator humano não começar a mudar, a gente nunca vai conseguir construir um trânsito mais seguro”, opina.

A abertura oficial da Campanha Maio Amarelo 2019 foi no dia 24 último, em Vitória (ES). O vídeo oficial foi apresentado e distribuído a todas as entidades públicas e privadas para uso irrestrito e gratuito em suas comunidades.

Já o encerramento será no dia 28 de junho, em Natal. Lá, serão condecoradas as iniciativas e ações de empresas, entidades do setor público e sociedade civil organizada, que mais se destacaram no movimento, que tem ações coordenadas em todo o país.

No ano passado, mais de quatro mil ações que levaram à população a mensagem do Maio Amarelo foram realizadas através da página da campanha na internet.

Tanto no Brasil como em outros países, diversas cidades aderiram ao Maio Amarelo, propondo atividades que despertem a conscientização da sociedade por mais paz no trânsito. O tema foi abordado em 27 nações em 2017.

(Agência Brasil)

Domingo de manifestações em defesa do meio ambiente nas praias de Fortaleza e Caucaia

Duas manifestações em defesa do meio ambiente marcam este domingo (5) em Fortaleza e Caucaia. O primeiro ocorre na Praia de Iracema, por volta das 9 horas, no espigão do Náutico, na Beira Mar, quando ambientalistas apontam risco para a fauna marinha local, diante do projeto de construção do novo espigão da Praia de Iracema. Já o segundo movimento, no mesmo horário, acontece na Praia do Icaraí, na avenida principal, com saída do condomínio Sollar, nas proximidades do supermercado Líder. O protesto é contra o descaso das autoridades locais, diante do avanço contínuo do mar, que já destruiu residências, barracas de comidas, trechos de ruas e avenidas e agora ameaçam condomínios.

Em Fortaleza, a Doutora em Ciências Marinhas e bióloga Liana Queiroz, ativista do Instituto Verdeluz, afirma que o aterro pode trazer uma perda irreparável da biodiversidade local, expandindo esses impactos para a população de boto-cinza que habita a orla da capital cearense e para as tartarugas marinhas. “É imensurável a real magnitude do impacto em toda biodiversidade e na pesca artesanal, inclusive”, alerta.

A programação do manifesto contará com limpeza da praia e subaquática, exposição de fotos e vídeos da fauna local, música com a Brigada da Natureza, debates, exposição itinerante do Grupo de Estudos e Articulações Sobre Tartarugas Marinhas (Gtar Verdeluz) e aulas de surf. Na ocasião, 10 mergulhadores voluntários farão a limpeza subaquática e haverá aluguel de equipamentos de mergulho para aqueles que desejarem colaborar com a ação.

A iniciativa é uma parceria entre a Aquasis, Instituto Verdeluz, Mar do Ceará, Maloca- Centro Acadêmico de Ciências Ambientais da Universidade Federal do Ceará, Aldeia Surf Escola, G.I.A- Grupo de Interesse Ambiental,Limpando o Mundo, Associação Brasileira de Combate ao Lixo no Mar, Centro Acadêmico de Oceanografia da Universidade Federal do Ceará e Associação de Stand Up Paddle do Ceará.

Novo aterro da Praia de Iracema

O projeto do novo aterro prevê um avanço de 80 metros mar adentro, com extensão de 1,2 mil metros, totalizando uma área de 96 mil metros quadrados. A engorda da faixa de areia será entre os espigões das avenidas Desembargador Moreira e Rui Barbosa. A obra é orçada em R$ 70 milhões e deverá trazer para a orla arborização e equipamentos como ciclovias, pistas para corrida, brinquedos e quiosques.

(Foto: Arquivo)

Latam vai incorporar na sua frota aviões que eram da Avianca

A Latam vai incorporar dez aviões que operavam pela Avianca. A medida ocorre após a Avianca, companhia aérea que passa por processo de recuperação judicial, cancelar mais de 1.400 voos devido a perda de aeronaves arrendadas.

Atualmente, a Avianca opera apenas entre quatro aeroportos: Congonhas, em São Paulo; Santos Dumont, no Rio, Brasília e Salvador. Na terça-feira (7), haverá um leilão para a venda dos ativos da empresa que já foi a quarta maior companhia aérea do país.

As aeronaves que serão arrendadas pela Latam são do modelo Airbus 320-200 de propriedade da Air Castle, uma das maiores empresas de leasing de aeronaves do mundo.

Em nota, a Latam disse as negociações para o arrendamento dos aviões começaram no início do ano e que algumas delas já se encontram no centro de manutenção (MRO) da empresa, em São Carlos (SP).

“As aeronaves serão operadas em mercados domésticos do Grupo Latam Airlines, principalmente no Brasil, considerando a eventual aquisição dos ativos pela Latam Airlines Brasil”, informou a empresa.

(Agência Brasil)

Mega-sena volta a acumular e prêmio sobe para R$ 170 milhões

146 1

A Mega Sena voltou a acumular e a estimativa é de que pague R$ 170 milhões no próximo sorteio. Ninguém acertou as seis dezenas do Concurso 2148, realizado na noite deste sábado, 04 de maio (04/05), pela Caixa Econômica Federal.

O próximo sorteio da Mega Sena, concurso 2149, será na quarta-feira, 08 de maio (08/05).

Os números sorteados foram neste sábado no concurso 2148, foram: 08 – 15 – 32 – 33 -58 e 59.

(Com Agências)

Mulher desiste de doar R$ 30 mil para menina com câncer: “Descobri que é filha de lésbicas”

As mães de uma menina de quase 2 anos, dignosticada com câncer há cinco meses, denunciaram, no início de abril, um episódio de homofobia que revoltou sua família. Tiffany e Albree Shaffer, moradoras de Ohio, nos Estados Unidos, receberam uma mensagem de uma pessoa que disse ter se sensibilizado com a história da criança, mas que deixaria de doar um valor equivalente a R$ 30 mil para o tratamento porque ela é filha de duas lésbicas.

Em dezembro de 2018, foi descoberto que a pequena Callie estava com neuroblastoma avançado, um tipo de câncer que ataca glândulas acima dos rins. Na semana seguinte, saiu o prognóstico: a doença estava no estágio quatro e a paciente precisaria de 18 meses de quimioterapia e radiação. Mas o custo para tal seria alto. Um parente dela teve a ideia de criar uma campanha de financiamento coletivo com o objetivo de ajudar nas despesas médicas.

Tiffany e Albree relataram em um post no Facebook terem ficado “chocadas e enojadas” a mensagem enviada por uma mulher identificada como Bren Marie. O desabafo alcançou, até o momento, 12 mil compartilhamentos.

“Minhas orações estão com a Callie. Eu ia doar US$ 7,6 mil (cerca de R$ 30 mil) para ela, mas descobri que ela é filha de lésbicas. Eu escolhi fazer uma doação para St. Jude (hospital infantil) devido a esse fato”, afirmou a usuária da rede social. “Desculpe, ainda vou rezar por ela, mas talvez seja a maneira de Deus de chamar sua atenção que ela precisa de uma mamãe e um papai, não duas mamães”.

Segundo a emissora americana “NBC News”, o perfil dela foi excluído ou teve seu nome alterado após o caso repercutir na web.

Callie, no hospital em Olhio, antes de perder os fios Callie, no hospital em Olhio, antes de perder os fios Foto: Facebook / Reprodução
“Tentamos não ficar chateadas, mas foi difícil”, disse Albree, de 26 anos. “Eu não podia acreditar que ela nos procurou para nos dizer isso diretamente. Ela poderia simplesmente não ter doado e ignorado a página”.

Apesar disso, ela contou que acabou recebendo doações de estranhos após a mensagem de Bren Marie ter viralizado e enxergou nessa gentileza algo positivo em meio a tudo que aconteceu. A vaquinha online já arrecadou cerca de US $ 80 mil (aproximadamente R$ 315 mil).

(Com Jornal Extra)

Vozão leva gol da virada nos acréscimos e perde a primeira em casa

184 1

O Ceará foi derrotado pelo Atlético Mineiro, na noite deste sábado (4), no Castelão, por 2 a 1, após sair na frente do placar, na abertura da terceira rodada do Brasileirão. Ricardo Bueno, aos 24 minutos do primeiro tempo, marcou para o Vozão. Nathan, dois minutos depois, empatou para o Atlético. E Jair, nos acréscimos da segunda etapa, virou para o time mineiro.

Com o resultado, o Vozão poderá perder até cinco posições ao final da rodada. No próximo sábado (11), o Ceará vai a Goiânia para enfrentar o Goiás. Nos outros jogos da abertura da rodada: Palmeiras 1×0 Internacional e Vasco 1×1 Corinthians.

(Foto: Reprodução)

Informação nunca é excessiva, diz sociólogo italiano

Nenhum momento histórico nos oferece mais liberdade e mais possibilidades de realização do que o momento atual, mas ainda assim permanecemos leais a estilos de vida do passado. Essa é a visão do sociólogo italiano Domenico De Masi, que há mais de duas décadas vem observando que a tecnologia oferece às sociedades humanas a oportunidade de promover uma redução na obsessão pelo trabalho e uma recuperação da capacidade de contemplação, ócio e divertimento.

Nesta semana, De Masi falou com a Agência Brasil, pouco antes de lançar seu novo livro no Rio de Janeiro, durante um evento na Casa Firjan. Intitulada Uma simples revolução, a obra apresenta um panorama histórico da evolução do conceito de trabalho e propõe que nos reorientemos em direção a uma civilização menos ocupada em busca do dinheiro e do poder e mais ociosa, voltada à introspecção, à criatividade e à convivência. Trata-se de uma continuidade de suas reflexões sobre o “ócio criativo”, conceito que ganhou centralidade em um best-seller que Domenico De Masi lançou em 2000.

O sociólogo classifica a atual sociedade como pós-industrial e faz a defesa da adoção do home office e da diluição das fronteiras entre o lazer e um trabalho mais prazeroso e produtivo, com maiores intervalos de descanso. Além promover mais qualidade de vida, a tecnologia carrega, em sua visão, potencial para fortalecer a democracia. Para De Masi, a intensa circulação de fake news revela uma democratização do uso da mentira ao mesmo tempo que nos coloca o desafio de aumentar a capacidade humana para decodificar as informações.

Agência Brasil – O senhor tem defendido que a tecnologia nos permite reduzir o tempo dedicado ao trabalho, mantendo ou até aumentando a produtividade. Trata-se de um exemplo de uso positivo da tecnologia, nos fazendo mais felizes e aumentando nossa qualidade de vida. Ao mesmo tempo, o senhor aponta que, quanto mais próximo da pré-história, mais distante estamos da violência, sinalizando que o avanço da tecnologia também nos leva a viver conflitos sobre novos prismas. Temos visto recentemente o aumento dos discursos de ódio nas redes sociais. O futuro da sociedade tecnológica concretamente está nos apontando para qual direção?

Domenico De Masi – Quando nos referimos ao trabalho, podemos notar que a tecnologia avança geralmente de forma mais benéfica. As sociedades humanas sempre estiveram muito ligadas à tecnologia. Começamos com aparatos tecnológicos bastante simples. Por exemplo, os martelos, a serra. Depois, descobrimos a tecnologia mecânica. Depois, a eletromecânica que já nos permitiu produzir os automóveis, a energia elétrica. E também começa a substituir determinadas funções desempenhadas por humanos. Mais tarde, chegaram as tecnologias digitais e, com isso, substituímos muitos empregados. De outro lado, cria-se novas áreas para trabalhadores intelectuais de nível superior que serão responsáveis por desenvolver a inteligência artificial. Então, a tecnologia tem assumido, em nosso lugar, atividades pesadas, barulhentas, incômodas e perigosas. O acesso à tecnologia traz ainda outros efeitos positivos. No emprego da farmacologia, por exemplo, permite a possibilidade de curar muitas doenças. Aplicado à cirurgia, também se mostrou muito útil. Mas infelizmente, pode ser aplicada também à violência, com o uso das armas e a promoção das guerras. Nós usamos a tecnologia seja para o bem, seja para o mal. E, quanto mais potente é a tecnologia, mais ela serve tanto para promover o amor como o ódio. A questão é que as tecnologias são guiadas pelos cérebros das pobres pessoas, que precisam usar a racionalidade e a emoção de modo a evitar que causem danos.

Agência Brasil – O Brasil aprovou em 2017 um projeto de reforma trabalhista amplo, no qual se regulamentou pela primeira vez o home office no país.

De Masi – Já era hora. Para chegar do Leblon até aqui, gastei uma hora. Para voltar, outra hora. Gastei duas horas com o tráfego urbano. O tráfego no Brasil, no Rio e ainda mais em São Paulo, é absurdo. Não é possível viver em uma cidade onde se gasta uma hora para se mover de uma parte para outra. A única solução é o teletrabalho (home office). Não há outra solução.

Agência Brasil – A crítica que sua obra direciona a estilos de vida que já poderiam ter sido superados se baseia no escasso tempo que eles deixam para o lazer, a reflexão e a contemplação. Ao mesmo tempo, há teóricos que relacionam, em alguma medida, nossas vidas aceleradas e sem tempo com o intenso fluxo de informação do mundo globalizado. O excesso de informação não traz desafios para nossa capacidade de reflexão e contemplação?

De Masi – A informação nunca é excessiva. Quanto mais melhor. É melhor haver excesso de informação do que uma carência de informação. Durante períodos ditatoriais, as informações se reduzem, não aumentam. Durante períodos de democracia, a informação aumenta. Hoje, graças ao social network, graças à internet, a informação é democratizada. Todos podem dizer a todos a realidade. Curiosamente, também todos podem dizer mentiras a todos. E esta é a verdadeira democracia. Antes, as mentiras só podiam ser ditas por diretores de jornais e pessoas importantes. Na democracia, todos podem dizer mentiras.

Agência Brasil – Há pesquisadores se indagando se o excesso de informação tem gerado apatia. Você não concorda com essa premissa?

De Masi – O excesso de informação pode criar convulsão, desorientação. Mas é excesso em relação a quê? Excesso em relação à capacidade de filtrar a informação, de decodificar a informação. Não devemos reduzir nenhum tipo de informação. Devemos aumentar a capacidade humana de analisar a informação e decodificá-la.

(Agência Brasil)