Blog do Eliomar

Últimos posts

Presidente do BNB vai apresentar o FNE 2019 para o setor produtivo

O presidente do Banco do Nordeste, Romildo Rolim, vai apresentar, a partir das 9 horas desta segunda-feira, a pauta do FNE 2019, que é o fundo constitucional do Nordeste. A apresentação ocorre na sede da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado (Faec), no Centro de Fortaleza.

A informação é do presidente da Faec, Flávio Saboya, adiantando que a apresentação será dirigida não só ao setor agropecuária, mas às demais entidades produtivas.

Segundo a Faec, esse encontro integra o conjunto de ações do BNB para a elaboração da Programação Anual do FNE, em consonância com as diretrizes e orientações gerais do Ministério da Integração Nacional e do Conselho Deliberativo da Sudene, bem como as prioridades dos governos estaduais e setores produtivos”.

(Foto – Divulgação)

Receita abre consulta ao 4º lote do IR nesta segunda-feira

A Receita Federal vai liberar, a partir das 9 horas desta segunda-feira (10), a consulta ao quarto lote de restituição do Imposto de Renda 2018. O lote também inclui restituições residuais de 2008 a 2017. Nessa etapa, 2.646.626 contribuintes recebem o pagamento, totalizando o valor de 3,3 bilhões de reais. Por lei, pessoas com idade acima de 60 anos ou com alguma deficiência física, deficiência mental ou moléstia grave estão incluídas nesse lote.

O dinheiro da restituição fica disponível no banco durante um ano. Quem não fizer o resgate nesse prazo terá que solicitá-lo novamente no site da Receita, por meio do Formulário Eletrônico – Pedido de Pagamento de Restituição, ou diretamente no portal e-CAC, no serviço Extrato do Processamento da DIRPF.

Se o contribuinte foi contemplado no quarto lote, mas não recebeu o pagamento nesta quarta, deve contatar pessoalmente qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para a Central de Atendimento, por meio dos telefones 4004-0001 (nas capitais), 0800-729-0001 (nas demais localidades) e 0800-729-0088 (exclusivo para deficientes auditivos). Nesse caso, o contribuinte poderá agendar o crédito em conta-corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer banco.

Tribunal de Justiça do Ceará estima R$ 1,2 bi de orçamento para 2019

O Tribunal de Justiça do Ceará já fechou sua pedida orçamentária em termos de 2019. Prevê R$ 1,2 bilhão de recursos oriundos do tesouro estadual, que compreendem as despesas com pessoal e encargos sociais, custeio e investimentos.

A assessoria de imprensa do Poder garante que o valor segue critérios estabelecidos pela Emenda Constitucional nº 88/2016, que fixa limites para despesas primárias correntes e que a proposta mantém as despesas com pessoal no patamar de 5,58%, respeitando o limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal.

O Poder destaca que o valor pedido é praticamente o mesmo que está sendo aplicado no atual exercício. Será, portanto, o bolo financeiro a ser gerido pelo futuro presidente do TJCE, a ser eleito no dia 27 deste mês. O desembargador Washington Luís deverá substituir o desembargador Gladyson Pontes na presidência do Poder.

Tem gente da Seplag olhando com jeitão sisudo o valor da proposta do TJCE, assegurando que tudo, no âmbito do Executivo e Legislativo, será bem analisado, pois 2019 pode ser de arrocho.

(Foto – Arquivo)

Lições que se podem extrair das tragédias

Com o título “Lições que se podem extrair das tragédias”, eis o Editorial do O POVO desta segunda-feira:

Na semana em que o assassinato da vereadora Marielle Franco (Psol) completa seis meses, ainda sem qualquer solução, o País procura extrair lições de dois episódios mais recentes, ambos também violentos, mas sob perspectivas diferentes.

O primeiro, o incêndio do Museu Nacional, impôs um tópico obrigatório nas discussões entre os presidenciáveis a menos de um mês das eleições: a guarda da memória coletiva e as políticas públicas para a preservação do patrimônio nacional.

O segundo, o atentado contra o deputado federal e candidato ao Palácio do Planalto Jair Bolsonaro (PSL), na última quinta-feira, fez chegar a extremo o clima de intolerância que se observa no ambiente político-partidário.

Dos três eventos, todos potencialmente traumáticos para o País, é preciso extrair algum ensinamento para que não se repitam. Nem agora, às vésperas de uma eleição tão acirrada, nem depois, quando uma fração das promessas dos candidatos tende a cair no esquecimento.

Alvo de emboscada, a parlamentar carioca do Psol foi morta a tiros no Rio de Janeiro em 14 de março deste ano. Passado um semestre, cujo marco é a próxima sexta-feira, o crime permanece envolto em mistério, sem autoria definida e punição aos autores.

Marielle foi executada em razão da atividade que exercia: era representante eleita pelos cidadãos cariocas. Não se trata de crime comum, portanto, mas de ofensiva à democracia, com recado expresso aos demais integrantes da Câmara do Rio e ao Legislativo brasileiro.

Sem a tragicidade do homicídio, o ataque a Bolsonaro equivale a golpe contra o sistema democrático. Até que se apurem as motivações e o estado de saúde do responsável, preso poucas horas depois na cidade de Juiz de Fora (MG), palco do atentado, resta o temor de que incidentes desse tipo se espalhem na esteira dos discursos de radicalização.

Estas são eleições atípicas, atravessadas pelo imponderável, principalmente no que diz respeito ao desenrolar do processo decisório. Em muitos estados, foi solicitado o reforço das tropas federais para garantir uma votação tranquila.

Nesse cenário, é fundamental que o País examine com rigor cada um desses episódios, não somente a fim de cobrar presteza no cumprimento da lei – no caso do Museu Nacional, caberia inclusive responsabilização criminal das autoridades direta e indiretamente responsáveis pelo equipamento.

Mas para que não venhamos a sofrer agressões físicas, coletivas e individuais, tampouco o apagamento da história do País.

Valentim lembra que há quase 40 anos Maranguape não elege um deputado estadual

O ex-prefeito de Maranguape, George Valentim, disse neste fim de semana, no município da Região Metropolitana de Fortaleza, que há quase quatro décadas não há maranguapense eleito à Assembleia Legislativa.

Ele esteve acompanhado do candidato a deputado federal Denis Bezerra, em caminhada pelas avenidas e ruas de Maranguape.

Valentim lembrou que questões importantes para a cidade, como turismo, geração de emprego e estradas, são prejudicadas pela falta da representatividade política de Maranguape.

(Foto: Divulgação)

General fala sobre eleições; PT reage

O comandante do Exército, general Eduardo Villas Boas, disse que o ataque a Jair Bolsonaro (PSL) pode provocar futuramente questionamentos à legitimidade do novo governo. “Por exemplo, em relação a Bolsonaro, em ele não sendo eleito, ele pode dizer que prejudicaram a campanha dele. E, sendo eleito, provavelmente será dito que ele foi beneficiado pelo atentado, porque gerou comoção”, afirmou. “Daí altera o ritmo geral das coisas e é muito preocupante”, completou.

As declarações do general foram dadas em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo. Villas Boas avaliou que a violência contra Bolsonaro “confirma que estamos construindo dificuldades para que o novo governo tenha estabilidade para sua governabilidade”. Segundo ele, o ataque confirma ainda “a intolerância generalizada e a falta de capacidade” de se colocar os interesses do país “acima das questões políticas, ideológicas e pessoais”.

O chefe do Exército negou que Jair Bolsonaro seja o candidato das Forças Armadas e que o seu eventual governo venha a ser “militar”. Ele destacou que as Forças Armadas são “apolíticas e apartidárias” e têm compromisso com a estabilidade, qualquer que seja o governo eleito pelo povo. “A instabilidade é que mobiliza nossa atuação”, disse, citando como exemplo a greve dos caminhoneiros.

O general Villas Boas defendeu ainda que os candidatos preguem a harmonia em seus discursos. Ele apelou para que controvérsias jurídicas não tirem a tranquilidade do processo eleitoral.

Villas Boas classificou como “invasão à soberania nacional” o parecer da Comissao de Direitos Humanos da ONU em favor da candidatura de Lula (PT), que teve seu registro negado pela Justiça Eleitoral. Afirmou, por fim, que a Constituição e a Lei da Ficha Limpa valem para todos.

Em nota divulgada nesse domingo (9), o PT repudiou a entrevista do general Villas Boas, classificando-a como “grave episódio de insubordinação de um comandante das Forças Armadas ao papel que lhe foi delimitado” pela Constituição.

Para o PT, a manifestação do general tem caráter político e visa “tutelar as instituições republicanas”, mais especificamente o Judiciário, “que ainda examina recursos processuais legítimos em relação ao ex-presidente Lula”. Na nota, o partido convoca “as forças democráticas do país” a condenar as declarações de Villas Boas.

(Agência Brasil)

Audic Mota inaugura comitê em Morada Nova

Para marcar a inauguração de seu comitê eleitoral em Morada Nova, o deputado Auydic Mota (PSB) realizou um ato no Centro desse município do Vale Jaguaribano. Localizado na Avenida das Pizzarias, a ”Central 40000”, como definiu o parlamentar, recebeu animado grupo de eleitores que ouviram Audic apresentar suas propostas para um novo mandato.

Audic conta com o apoio no Vale do Jaguaribe de lideranças como o ex- deputado Francine Girão, os vereadores Hilmar Sérgio, Marcos Aurélio Lopes e Rosy Mayre Monteiro e o presidente do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae)) de Morada Nova, Edgar Amaral.

(Foto – Divulgação)

Morre o cantor de funk Mr. Catra

Vítima de câncer no estômago, morreu, neste domingo, o cantor de funk Wagner Domingues Costa, o Mr. Catra, de 49 anos. Ele estava internado no Hospital do Coração (HCor), na capital paulista. Catra deixou três esposas e 32 filhos.

A assessoria de imprensa do cantor disse que “com enorme pesar”, comunica o falecimento de Catra, “em decorrência de um câncer gástrico”. O funkeiro emagreceu mais de 30 kg nos últimos meses.

O corpo do cantor chega ao Rio de Janeiro nesta segunda-feira (10). Ele havia declarado ser doador de órgãos, mas como faleceu por falência múltipla de órgãos, não será possível. Os médicos ainda avaliam a possibilidade da doação apenas das córneas.

(Com Portal G1/Foto – Reprodução de Facebook)

Ministro do TSE proíbe PT de apresentar Lula como candidato

O ministro Luís Roberto Barroso, vice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), reforçou, hoje (9), a proibição do uso do nome de Luiz Inácio Lula da Silva como candidato ao cargo de presidente da República.

Segundo o magistrado, se a coligação “O povo feliz de novo” – que reúne PT, PCdoB e Pros – insistir na veiculação de propagandas com o ex-presidente encabeçando a chapa pode ter o tempo no rádio e na televisão suspensos.

“Determino à Coligação “O Povo Feliz de Novo” e a Luiz Inácio Lula da Silva que se abstenham, em qualquer meio ou peça de propaganda eleitoral, de apresentar Luiz Inácio Lula da Silva como candidato ao cargo de Presidente da República e apoiá-lo na condição de candidato, sob pena de, em caso de novo descumprimento, ser suspensa a propaganda eleitoral da coligação no rádio e na televisão”, decidiu.

Segundo o ministro, a decisão pode ser implementada, a partir de agora, diretamente por juízes auxiliares.

A determinação de Barroso foi uma resposta ao Ministério Público Eleitoral que acusou o PT de descumprir a decisão proferida pelo TSE no último dia 31, quando a Corte negou o pedido de registro de candidatura de Lula.

Nos dias seguintes, ainda foram veiculadas propagandas com a formação original da chapa.

A área jurídica do PT, responsável pela campanha, negou que tenha sido uma afronta à Justiça eleitoral.

Na última quarta-feira (5), o advogado Eugênio Aragão explicou que as mídias foram refeitas, mas que não foi possível trocar em todas as emissoras em tempo hábil.

Segundo ele, a legenda foi notificada quanto ao problema, mas não recebeu qualquer multa.

O partido ainda não foi oficialmente informado sobre a decisão de Barroso e não se pronunciou.

(Agência Brasil)

Para Tasso, crise na saúde e na segurança aponta que a política no Ceará precisa mudar

O senador Tasso Jereissati (PSDB/CE) voltou a criticar a atuação do governo cearense no âmbito da saúde, segurança e da gestão. Após participar de uma carreata no município de Acaraú – ao lado do candidato a governador do Ceará, General Theophilo (PSDB), e da candidata ao Senado, Dra. Mayra (PSDB), neste sábado (8), o senador declarou que “o Ceará precisa mudar. Diante dessa situação de insegurança, de caos na segurança, da perca de controle, de incompetência – jogando dinheiro público fora através de obras imensas que não funcionam, com a saúde em descaso, é preciso mudar na política”.

Para Tasso, as candidaturas do General Theophilo ao Governo e Dra. Mayra ao Senado são demonstrações do compromisso com a renovação na política: “o General Theophilo tem autoridade, experiência e competência para mudar esse estado de coisas. É preciso de autoridade no Ceará neste momento. E a Dra. Mayra é nossa candidata para trazer mudança, juventude e idealismo para o Senado Federal”.

Ao lado de Tasso Jereissati e de lideranças regionais, o General Theophilo enfatizou suas críticas ao governador Camilo Santana na condução da segurança pública no Ceará e detalhou suas ideias para o setor: “Temos duas políticas: a de segurança pública e a dos presídios. Nesses, vamos colocar os bloqueadores de celulares que até hoje, depois do segundo prazo determinado pela Justiça, não foram colocados pelo governador. Na segurança pública vamos agir no tripé: fiscalização nos portos e aeroportos, inteligência coordenada por todos os estados que estão na rota do tráfico e tecnologia de ponta para mapear os delitos em todo o Estado”.

Agenda – Nesta segunda-feira (10) o General Theophilo apresentará seu Plano de Governo durante almoço-palestra na Federação das Câmaras dos Diretores Lojistas do Ceará – FCDL (Rua 25 de Março, 988 – Centro de Fortaleza), a partir do meio-dia.

(Foto: Divulgação)

Vozão arranca empate no Independência e pode deixar zona na próxima rodada

Uma bola na trave do América Mineiro e um gol anulado por impedimento do Ceará. Essas foram as duas emoções no empate sem gols entre as duas equipes, na tarde deste domingo (9), no estádio Independência, pela 24ª rodada do Brasileirão.

Apesar de não repetir as boas atuações diante do Corinthians e do Flamengo, o Vozão poderá, enfim, deixar a zona de rebaixamento no sábado (15), na Arena Castelão, diante do Vitória da Bahia.

(Foto: Reprodução)

Ciro ganha duas frentes de adesivaço neste domingo em Fortaleza

O candidato do PDT à Presidência da República, Ciro Gomes, ganhou neste domingo (9), em Fortalezam duas frentes de adesivaço, uma na Praia do Futuro e outra no bairro Edson Queiroz. O adesivaço também pediu votos para Camilo Santana, candidato à reeleição ao governo do Ceará, e Cid Gomes, candidato ao Senado.

No cruzamento das avenidas Washington Soares e Oliveira Paiva, no bairro Edson Queiroz, as atividades tiveram à frente o prefeito Roberto Cláudio, que esteve acompanhado da primeira-dama Carol Bezerra.

“Temos absoluta certeza de que as propostas do Ciro são as melhores para o País. A sua trajetória de vida marca um compromisso absoluto com os mais relevantes interesses da nossa gente. O Ceará precisa dar uma forte demonstração de apoio a este que é, seguramente, o mais qualificado quadro da política nacional na atualidade”, afirmou Roberto Claudio.

Na Praia do Futuro, a primeira-dama do Estado, Onélia Santana, puxou o adesivaço. Ela esteve acompanhada de Mônica Paes de Andrade, esposa do senador Eunício Oliveira. Camilo Santana e Eunício Oliveira estiveram neste domingo em Crateús. As atividades na Praia do Futuro receberam o apoio dos colaboradores de Salmito (PDT), candidato à Assembleia Legislativa.

Todos os gostos

Também na Praia do Futuro, os petistas Acrísio Sena, candidato à Assembleia Legislativa, e Luizianne Lins, candidata à reeleição a deputada federal. Os dois realizaram manifestação em favor do ex-presidente Lula.

(Fotos: Divulgação)

Voto: exercício da cidadania

Em artigo sobre o período eleitoral, o advogado Irapuan Diniz de Aguiar destaca a importância do voto. Confira:

Neste período que antecede as eleições cumpre alertar para a importância e significação do voto porquanto, como o instrumento mais democrático posto à disposição do cidadão, necessita ser bem utilizado. Votar não é um ato qualquer. Não é só comparecer a uma secção eleitoral e se sentir desobrigado deste dever da cidadania. É grave a responsabilidade de escolher alguém com ideias e programas viáveis, com competência e coragem de implementá-los e dos quais, como decorrência, reduzam a miséria do nosso povo e as desigualdades sociais. É, por conseguinte, o tipo de escolha que vai afetar toda uma coletividade, que vai definir seu destino num mundo cada vez mais globalizado, mais exigente e mais competitivo por isso que uma escolha errada guiada pelo equívoco ou pela insensatez, em vez de soluções, trará mais problemas e dificuldades.

Nesse sentido, cabe ao eleitor bem avaliar os valores reais dos candidatos, suas verdades e/ou suas mentiras, suas propostas, a partir dos debates públicos travados, do contato pessoal, do conhecimento de suas histórias de vida e das razões que os animam à disputa eleitoral. Estas são apenas algumas referências para à formação de sua convicção e a definição propriamente dita do seu voto. Não se deixe seduzir pelas aparências. O cidadão responsável sabe que não há soluções fáceis para problemas complexos e nem mágica para mudanças. A despeito da vigente legislação eleitoral já ter melhor disciplinado a utilização da propaganda com a proibição da poluição visual na paisagem de nossas ruas e avenidas, ainda persiste o abuso de algumas práticas na mesma direção. O eleitor deve observar e identificar, pelo volume e ostentação, quais os candidatos que abusam do poder econômico nas campanhas eleitorais. Muitos deles colocam seus objetivos eleitoreiros acima da responsabilidade social. É, justamente aí, que os candidatos vão se desnudando e se mostrando ao eleitor como verdadeiramente são.

Quanto as suas propostas e planos de governo, procure o eleitor examinar se os temas abordados, especialmente em relação à segurança pública, a educação e a saúde, não são tratados superficialmente nos seus aspectos mais gerais e óbvios. Tem-se observado, nas campanhas passadas, que a discussão entre os candidatos não envolve itens relevantes e contemporâneos, como currículo escolar, a sedução das drogas e como lidar com elas, – e não, apenas, o redundante combate ao narcotráfico -, a situação do negro na sociedade, o avassalador apelo ao sexo nos programas de TV e tantos outros que interessam de perto à família.

Com o surgimento, nos últimos tempos, das ONGs, passa-se a falsa noção de que estes assuntos não mais integram a órbita de atuação do governo, inserindo-se na jurisdição destas entidades. Ou, ainda: que tais questões se circunscrevem ao foro íntimo de cada um ou, no máximo, ao âmbito familiar. O que se precisa, e com urgência, é a discussão sobre a infância (meninos na rua), mal criados, sem escola, sem teto e, o que é pior, sem perspectiva de futuro.

Irapuan Diniz de Aguiar, advogado

Governo elabora primeiro protocolo para tratamento de obesidade

O Ministério da Saúde abriu uma enquete pública para elaborar o primeiro Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT) para tratamento de casos de obesidade e sobrepeso. O documento poderá receber contribuições de representantes da sociedade civil e profissionais de saúde até o próximo dia 11 de setembro.

Segundo o Ministério, o objetivo é aprimorar e qualificar o atendimento e a conduta terapêutica de pacientes na atenção básica e especializada no Sistema Único de Saúde (SUS). A pasta alerta que a adoção do protocolo pode contribuir para prevenir e controlar a obesidade e o sobrepeso no país, além de garantir mais segurança e efetividade clínica e científica aos profissionais de saúde.

A obesidade é uma das doenças que mais tem crescido nos últimos anos em nível global. Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que os índices de obesidade e sobrepeso quase triplicaram desde 1975. Em todo o mundo, existem pelo menos 650 milhões de obesos. No Brasil, um em cada cinco pessoas estão obesas e mais da metade da população das capitais estão com excesso de peso, segundo a Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel).

O impacto sobre o Sus também tem crescido. Em 2012, a rede pública realizou pouco mais de mil cirurgias bariátricas e reparadoras de pacientes obesos. O número de intervenções subiu para 8,1 mil, em 2016, segundo o Ministério da Saúde.

A Sociedade Brasileira de Endocrinologia convocou a participação de endocrinologistas na elaboração do protocolo. A Associação Brasileira de Nutrologia (Abran) também se manifestou favorável à contribuição dos nutrólogos para elaborar o protocolo, devido à preocupação com a gravidade e o aumento da doença na população.

“A obesidade é uma doença crônica e multifatorial, que vai desde meio ambiente até condição de alimentação, meios de saúde e até genética. Por ser considerada uma doença crônica, infelizmente, se você para de tratar, ela volta. Ela é responsável por mais de 30 patologias, desde a hipertensão, diabetes, colesterol elevado, infarto, acidente vascular cerebral e até câncer”, alertou Dimitri Homar, representante da regional da Abran, em Brasília.

Uma das demandas que o especialista coloca é a volta de medicamentos de baixo custo que auxiliavam no tratamento da obesidade e foram retirados do mercado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O Ministério da Saúde explicou que a enquete garante a participação popular desde a primeira etapa do processo de elaboração do protocolo, que ainda deve passar por consulta pública para deliberação final.

(Agência Brasil)

Prisão não tem relação com Pague Menos, diz nota da rede

A rede de farmácias Pague Menos divulgou nota oficial sobre a prisão do seu fundador, Deusmar Queirós. A nota deixa claro não haver nenhuma relação entre a prisão e a empresa. Leia a íntegra abaixo:

“A Rede de Farmácias Pague Menos esclarece que o processo judicial ao qual o fundador da companhia, Deusmar Queirós, responde não possui qualquer relação com a rede. Todas as informações sobre o processo foram prestadas de maneira transparente pela Pague Menos em seus formulários de referência. A companhia reitera ainda que a decisão judicial em nada afeta as operações da empresa e informa a nomeação de Mário Henrique Alves de Queirós, atual diretor presidente, para o cargo de presidente do Conselho de Administração no lugar de Deusmar Queirós”.

Deusmar se apresentou à Polícia Federal no sábado (8) e ficou preso por conta de condenação por conta de crime contra o sistema financeiro. A condenação de 2010.

A Pague Menos é uma das principais redes de farmácias do Pais e nasceu em Fortaleza.

Em larga medida, o sucesso da companhia, em preparação para abrir o capital já há algum tempo, se deve a Deusmar.

Polícia Federal investiga se há mais envolvidos em agressão a Bolsonaro

A Polícia Federal (PF) está investigando se Adélio recebeu ajuda para praticar o ato. Mais duas pessoas, sendo que uma está internada após se envolver em uma briga durante a agressão, são suspeitas de participação no ataque ao candidato.

A investigação vai levantar se Adélio agiu sozinho e como se mantinha na cidade, onde estava hospedado em uma pensão. Ele pagou adiantado R$ 400 pelo maior quarto da hospedagem. A PF poderá rastrear a movimentação de Adélio a partir da quebra de seu sigilo telefônico, autorizada pela juíza Patrícia Alencar Teixeira de Carvalho, da 2ª Vara Federal de Juiz de Fora.

A magistrada converteu a prisão em flagrante de Adélio em prisão preventiva, sem prazo determinado. O agressor foi transferido para o presídio federal de segurança máxima de Campo Grande (MS), onde está em uma cela individual, para resguardar sua integridade física.

A defesa de Adélio descarta a participação de outras pessoas no ataque a Bolsonaro, inclusive de um mentor intelectual. Os advogados disseram que ele agiu sozinho e de rompante. A ideia de atacar o candidato, segundo a defesa, surgiu três dias antes, e Adélio foi estimulado pelo discurso de Bolsonaro sobre quilombolas.

Mas a familia de Jair Bolsonaro tem falado, sem apontar indícios, em “crime premeditado”.

(Agência Brasil)

Presídio para onde Deusmar Queirós foi transferido não tem celas individuais

Após se apresentar na sede da Polícia Federal, no bairro Aeroporto, entre o fim da noite de ontem e a madrugada deste domingo, 9, o empresário cearense Francisco Deusmar de Queirós, fundador do Grupo Pague Menos, foi transferido para a Unidade Prisional Irmã Imelda, em Aquiraz, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). O POVO apurou que a transferência ocorreu por volta das 3 horas da manhã.

A unidade é a mesma onde está preso, desde fevereiro deste ano, o empresário José Newton Lopes de Freitas, proprietário das empresas do Grupo Oboé. Newton foi condenado, em primeira instância, a 32 anos, 7 meses e 15 dias de prisão, em regime fechado, também por crimes contra o sistema financeiro do Brasil.

Não há xadrezes individuais no presídio. Todas as celas são coletivas e mantém o mesmo padrão, com piso e camas de cimento batido, com colchões de espuma, e banheiro com latrina rente ao chão. O prédio é considerado, contudo, um dos menos insalubres do Estado.

Inaugurado em julho de 2016, com capacidade para 200 internos. O perfil dos presos mantidos no local inclui gays, travestis, bissexuais, idosos, cadeirantes, estrangeiros e aqueles que respondem à Lei Maria da Penha.

Aos detentos, é oferecido atendimento multidisciplinar diário, com psicólogos, assistentes sociais, psiquiatras e serviço de clínica médica e nutrição, além de atividades, como oficinas e palestras de conscientização, tendo como foco a ressocialização.

Deusmar Queirós foi condenado a 9 anos e dois meses de prisão. Ele e mais três pessoas – Ielton Barreto de Oliveira, Geraldo de Lima Gadelha Filho e Jerônimo Alves Bezerra, que também estão na prisão – foram condenados pela Justiça Federal por crime contra o sistema financeiro. Eles teriam lucrado pelo menos R$ 2,8 milhões com compras de ações sem autorização do Banco Central.

O POVO entrou em contato com a assessoria de imprensa do Grupo Pague Menos, que se manifestará, por meio de nota, no decorrer do dia.

(O POVO Online)

Terceiro debate com presidenciáveis será neste domingo

O terceiro debate entre os presidenciáveis será promovido neste domingo (9) pela TV Gazeta, O Estado de S. Paulo, Rádio Jovem Pan e Twitter, a partir das 18 horas.

Bolsonaro não vai participar do debate. O ataque sofrido pelo candidato pode fazer com que o tom hostil que vinha norteando a campanha seja deixado de lado. Os rivais devem evitar ataques diretos ao presidenciável do PSL e serem cautelosos ao abordar o episódio do atentado.

Sem Bolsonaro, vão participar do debate Marina Silva (Rede), Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB), Álvaro Dias (Podemos), Henrique Meirelles (MDB), Cabo Daciolo (Patriota) e Guilherme Boulos (Psol).

Fernando Haddad (PT) não vai participar do evento porque, oficialmente, ele ainda é candidato a vice-presidente na chapa de Luiz Inácio Lula da Silva.

(Agência Estado)