Blog do Eliomar

Últimos posts

Dilma envia mensagem de apoio à seleção inspirada em Gonzaguinha

Na torcida pela vitória da seleção brasileira diante da Colômbia, que se enfrentam nesta sexta-feira (4), a partir das 17 horas, na Arena Castelão, em Fortaleza, a presidente Dilma Rousseff tuitou mensagem de incentivo aos jogadores inspirada na canção E Vamos à Luta, do cantor e compositor Gonzaguinha.

“Como na música do Gonzaguinha, eu acredito é na rapaziada, que segue em frente e segura o rojão. Eu ponho fé é na fé da moçada, que não foge da fera e enfrenta o leão. #VaiBrasil”, disse a presidente na rede social.

Pela manhã, durante cerimônia de inauguração de um hospital no sul de Porto Alegre (RS), a presidente disse que, assim como todos os brasileiros, estava ansiosa para a partida. Segundo ela, as ruas do país vão, novamente, ficar vazias porque todos os brasileiros vão estar torcendo pela seleção.

(Agência Brasil)

Brasil chega à Arena Castelão

A Seleção Brasileira acaba de chegar à Arena Castelão, em Fortaleza, onde às 17 horas enfrenta a Colômbia por uma vaga nas semifinais da Copa do Mundo. O vencedor da partida enfrentará a Alemanha, que mais cedo derrotou a França, por 1 a 0, no Maracanã. O jogo será realizado no Mineirão, na terça-feira (8), a partir das 17 horas.

A partida entre brasileiros e colombianos também marca o encerramento de Fortaleza como cidade-sede da Copa.

Eleição Frankenstein

86 1

Em artigo enviado ao Blog, o jornalista Francisco Bezerra, o Bezerrinha, lamenta os remendos nas alianças partidárias nas eleições deste ano. Confira:

“Se o desonesto soubesse a vantagem de ser honesto, ele seria honesto ao menos por desonestidade”. Sócrates, filósofo grego.

Os partidos brasileiros são realmente autistas. Ou surdos, para ficar no mínimo. Eles não conseguiram ouvir as vozes roucas das ruas, nem tampouco entenderam as questões de fundo nas manifestações de junho de 2013. Os manifestantes não tinham como alvo ninguém em particular, mas o repúdio era para todos os políticos e partidos de um modo generalizado.

Em todos os logradouros, praças e locais públicos, havia uma voz uníssona: partidos e políticos, não. As agremiações foram escorraçadas dos protestos como cães sarnentos. Não escapou nenhum da sanha dos que estiveram fazendo, de forma ordeira, o que é legítimo numa democracia: protestar contra o que não concordam. Mas, mesmo nos movimentos espontâneos, há sempre os oportunistas de plantão que se aproveitam das circunstâncias para se apropriarem de bandeiras alheias. As manifestações foram perdendo fôlego na medida em que grupos fundamentalistas se misturaram aos populares que pediam mais saúde, educação e ética na política.

Pois bem, nem o recado dado no ano passado fez com que os políticos que comandam os partidos fizessem um mea culpa ou uma autocrítica. A prova é o processo eleitoral em curso. Sem nenhum pejo, os políticos brasileiros fizeram, usando os partidos como biombo, todo tipo de negociata para a formação das alianças em todos os níveis.

As coligações armadas lembram o personagem Frankenstein ou o Moderno Prometeu (Frankenstein: ortheModernPrometheus, no original em inglês), mais conhecido simplesmente por Frankenstein. Ele é protagonista daquele romance de terror gótico com inspirações do movimento romântico, de autoria de Mary Shelley, escritora britânica que ganhou as telas de cinema em várias versões. O romance relata a história de Victor Frankenstein, um estudante de ciências naturais que constrói um monstro em seu laboratório.

Os péssimos exemplos emanaram de Brasília. Os partidos viraram, assim, apenas uma sopinha de letras que isoladas não tem nenhum valor. Num cenário eleitoral sem verticalização, quando ninguém é obrigado a seguir diretriz nacional, nos corredores obnubilados dos poderes, os líderes partidários negociaram apoios desavergonhados, onde, como na lei de Gerson, o melhor é levar vantagem em tudo. Não importando a que custo. As histórias cabeludas são de fazer corar um frade de pedra.

Como nas últimas cinco eleições presidenciais, a não ser que haja uma grande zebra, tucanos e petistas vão polarizar mais uma vez a disputa. O noviço em disputas nacionais, Eduardo Campos, não deve empolgar o eleitorado. Como o povo não e besta fica fácil perceber o tamanho do arrivismo do ex-governador pernambucano que até ontem era um intransigente defensor do modo petista de governar a nação. Quando governador, Pernambuco foi o estado que mais carreou verbas para obras estruturantes. Assim como num passe de mágica o neto de Miguel Arraes se transformou no mais virulento crítico do governo Dilma. A sua candidatura, pasmem os senhores, virou linha auxiliar dos tucanos. Miguel Arraes deve estar estremecendo no caixão, posto que foi um dos mais destacados líderes da esquerda no século passado.

Destarte, o tempo é do liberou geral. Nos estados, as coligações são as mais esdrúxulas. Tem PT com PSDB, PSDB com PC do B, DEM com comunistas, progressistas com reacionários, verde com vermelho, e por aí vai. São alianças sem nenhuma coerência. O objetivo para os donos dos partidos é se dar bem.

Em tempo: o caso mais escancarado de fisiologismo foi o do PV do Ceará. O presidente estadual da sigla, Marcelo Silva, é acusado pelos próprios colegas de partido de ter se vendido ao Pros. Poucos dias depois de ter declarado apoio ao candidato de situação, a cara metade dele ganhou secretaria estadual do Meio Ambiente. Pegou muito mal para os verdes.

Sindicato da Polícia Civil diz que categoria foi enganada por titular da SSPDS

Em nota enviada ao Blog, o Sindicato dos Policiais Civis do Ceará (Sinpol/CE) se diz enganado pelo secretário da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), Servilho Paiva, no trâmite governamental para o reajuste nos vencimentos dos policiais civis. À véspera para o fim do prazo para a liberação do reajuste no serviço público estadual, que se encerra neste sábado (5), a diretoria do Sinpol/CE aponta um “jogo de empurra” entre as secretarias estaduais para que o processo ficasse inviável.

Segundo a nota, após readequar a margem de reajuste solicitada pelo sindicato, a SSPDS enviou de forma “oficiosa” a proposta para a Secretaria do Planejamento e Gestão do Estado do Ceará (Seplag), que repassou a solicitação à Procuradoria Geral do Estado (PGE). Segundo ainda a nota, a PGE constatou atecnias, o que gerou o retorno do processo e perda do prazo.

Novas empresas devem chegar ao Ceará, diz presidente do SindMóveis

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=EogRnuT4bMA[/youtube]

Terceira feira mais importante do país, a Top Móvel 2014 deverá reunir em Fortaleza mais de 80 participantes de todo o país, em evento a ser realizado logo após a Copa do Mundo. A informação é do presidente do SindMóveis, Júnior Osterno, que informou ainda que novas empresas deverão estar se instalando no Ceará, nos próximos meses, principalmente em São Gonçalo do Amarante, na Região Metropolitana de Fortaleza.

O movimento das pesquisas, para além do diagnóstico

foto eunício propaganda eleitoral

Da Coluna Política, no O POVO desta sexta-feira (4), pelo jornalista Érico Firmo:

Nas pesquisas pré-eleitorais sobre a sucessão no Ceará, as simulações nas quais Camilo Santana (PT) aparecia como candidato não eram muito diferentes da maioria dos demais. Eunício Oliveira (PMDB) passava da casa dos 40%, contra 6% do petista. As projeções de um ou dois meses atrás eram diferentes do cenário que se confirmou, mas a opção governista larga em desvantagem. Camilo vai evidentemente crescer. A Eunício, cabe evitar que sua trajetória vire sangria desatada. Se possível, precisa avançar ainda mais.

Eunício formou sua aliança com forças de oposição, mas a hegemonia quase total na política do Estado é governista. O senador tem simpatia de prefeitos e parlamentares que são filiados a partidos da coligação adversária. Caso consiga sustentar razoável vantagem, fatalmente aprofundará a fissura na base palaciana e conseguirá as inestimáveis adesões no Legislativo e nas prefeituras. Essa trajetória das pesquisas, para além do diagnóstico, desenhará muito do rumo político da campanha.

Imprensa internacional destaca desabamento de viaduto em Belo Horizonte

foto acidente viaduto queda BH

O desabamento de um viaduto, que deixou dois mortos e 22 feridos em Belo Horizonte, repercutiu na mídia internacional. A proximidade do local da tragédia com o Mineirão, sede de seis partidas da Copa do Mundo, inclusive uma das semifinais, e o fato de algumas seleções terem percorrido o trajeto tornaram o assunto destaque na imprensa estrangeira.

Na Argentina, o jornal esportivo Olé chamou o desastre de “colapso mundial” e destacou a proximidade do viaduto com a Cidade do Galo, centro de treinamento do Clube Atlético Mineiro que serve de concentração para a seleção argentina na Copa do Mundo. O ponto do acidente fica a 10 quilômetros do local de treinamento. A seleção do país vizinho chegou a passar por baixo do viaduto no último dia 21, antes da partida com o Irã.

O jornal argentino Clarín classificou de “dantesca” a imagem do desastre, com a parte dianteira do ônibus destruída pelo viaduto. A publicação também citou o fato de a seleção argentina estar concentrada na cidade. Diversos canais de televisão do país vizinho transmitiram ao vivo imagens de Belo Horizonte.

Em outros países, a mídia destacou o fato de a tragédia ter acontecido em uma cidade que recebe jogos do Mundial. A rede de televisão norte-americana CNN também exibiu imagens ao vivo do desastre. O assunto está na capa do site do veículo desde a tarde dessa quinta-feira (3). A CNN lembrou que a preparação para a Copa nas cidades-sede foi cercada de controvérsias e atrasos, como o do viaduto, que deveria ter ficado pronto para a competição.

Ao noticiar a retirada do segundo corpo dos escombros, a agência de notícias Associated Press informou que o acidente é embaraçoso para o país, que até agora recebia elogios pela organização do Mundial. Na página da BBC na internet, a tragédia continua entre os principais assuntos do dia. O veículo também mencionou o atraso nas obras de mobilidade urbana para a Copa e lembrou a morte de um trabalhador nas obras do monotrilho de São Paulo no mês passado, embora esse projeto não esteja associado ao torneio.

(Agência Brasil)

Mais médicos. De preferência, mais humanos

Em artigo enviado ao Blog, o jornalista e sociólogo Demétrio Andrade comenta da qualidade dos profissionais do programa Mais Médicos. Confira:

Calma. Não vou entrar na polêmica do programa Mais Médicos. Até porque acho que o governo Dilma acertou em cheio, resolvendo um problema evidente de demanda em todo o território nacional. Mas isso não vem ao caso agora. Quero falar de outra coisa. Quero reclamar da qualidade – e não da quantidade – dos atendimentos dos nossos irmãos médicos.

Neles, um sem número de vezes, depositamos a única ou última esperança. Neles, a possibilidade de resolução de um problema que diz respeito a um quesito básico da nossa vida: a saúde. Sem estar com ela 100%, fica comprometido, em maior ou menor grau, o nosso bem estar neste mundo. Ser médico não é uma profissão comum. E acho que todos os clamores por valorização da categoria devem ser levados em conta. Porque o exercício da Medicina é um sacerdócio. Um compromisso de quem abraçou uma carreira pela humanidade. Não tem feriado ou dia santo. Não tem noite nem dia. Ninguém escolhe onde e como vai ficar doente.

Acho que bem poucos médicos têm esta consciência do seu dever para com o outro. Do nível de desespero de um pai ou mãe que leva o seu filho até o doutor, acompanhando tudo atentamente, ouvindo o diagnóstico como uma bênção final, uma sentença inquestionável, definidora de o seu sono ser tranquilo – ou não – naquela noite. Basta ver a rapidez e a frieza com que somos tratados em qualquer emergência, onde a palavra “virose” é resultado mais repetido que figurinha em álbum de Copa do Mundo.

Não falo de perder uma hora com cada paciente. Sabemos das condições ruins enfrentadas pela categoria em diversos locais. Mas esta realidade é encontrada em espaços públicos e privados, nos hospitais de luxo e nos postos de saúde da periferia. Quem está doente quer carinho e atenção. Quer ser ouvido e examinado. Caso haja 200 pessoas na fila, teimo em acreditar que cabe ao médico fazer com que cinco ou dez minutos sejam sentidos como devidamente valorizados.

Como leigo, e ainda aproveitando o clima de Copa, fica a impressão, nestas consultas a jato, que os homens e mulheres de jaleco branco chutam. E chutam muito. Não sei se assisti “House” mais vezes do que deveria, mas acho improvável se acertar um diagnóstico de alguém que você nunca viu na vida – às vezes, aliás, sem mal levantar os olhos – em poucos minutos. Peço aos amigos médicos que leiam o texto não como uma crítica, mas como alguém que espera de vocês uma palavra tranquila, um sorriso, um gesto que demonstre real preocupação com a vida do próximo.

Presidente da Colômbia chega a Fortaleza para jogo na Arena Castelão

foto colômbia presidente

O presidente colombiano Juan Manuel Santos deverá assistir ao jogo entre Brasil e Colômbia, na tarde desta sexta-feira (4), na Arena Castelão, em Fortaleza, pelas quartas de final da Copa do Mundo.

Ele deverá desembarcar na Base Aérea de Fortaleza, a partir das 15 horas, e seguirá direto para o local da partida. O presidente deverá ser recebido pelo governador do Ceará, Cid Gomes.

Carga tributária aumentou 10 pontos percentuais após criação do real

A estabilidade da moeda trouxe custos para o contribuinte. Necessário para derrubar a inflação, o ajuste fiscal resultou em aumento de impostos. De acordo com a Receita Federal, a carga tributária – peso dos tributos sobre a economia – saltou mais de dez pontos percentuais depois do Plano Real. De 25,72% do Produto Interno Bruto (PIB) em 1993, ano anterior ao plano, o indicador subiu para 35,85% em 2012, dado mais recente.

Para equilibrar as contas públicas, o governo federal criou e aumentou tributos nos anos seguintes à criação do real. O destaque foram as contribuições sociais, cujas receitas ficam todas com a União. As principais são a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (Cofins), o PIS, o Pasep e a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), que taxou as transações financeiras até 2007. A voracidade sobre os contribuintes, no entanto, destacam especialistas, puniu as camadas mais pobres da população e não resultou em melhoria de serviços públicos.

Presidente do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), João Eloi Olenike diz que o real acentuou uma tendência iniciada com a Constituição de 1988, que permitiu aos governos (federal, estadual e municipal) obter cada vez mais recursos por meio do aumento de tributos. Para ele, o maior problema é que a tributação, no Brasil, concentra-se no consumo e nos salários.

Com caráter regressivo, a tributação sobre o consumo pune os mais pobres porque as alíquotas incidem sobre o preço final dos produtos. Para uma mercadoria que custa R$ 5 e tem alíquota de 20%, o consumidor pagará R$ 1 de tributo, independentemente da classe social. Proporcionalmente, a quantia pesa mais no bolso dos mais pobres. Com desconto direto na folha de pagamento, a tributação sobre os salários taxa os trabalhadores, não os empresários.

(Agência Brasil)

Estudo mostra desafio de fazer políticas públicas eficientes

O amadurecimento democrático tem levado o Estado a ser mais questionado acerca do desempenho e da efetividade das ações. A exigência dos cidadãos para um uso mais adequado dos recursos públicos e a busca pela eficiência nas atividades administrativas são assuntos tratados num estudo dos consultores do Senado Fernando Boarato Meneguin e Pedro Felipe de Oliveira Santos.

No artigo “Há incompatibilidade entre eficiência e legalidade?”, eles discorrem sobre os dois conceitos e analisam casos práticos, apresentando soluções para mais eficiência nas atividades administrativas.

Legalidade, de acordo com o texto, significa a submissão do Estado à lei, sujeitando os agentes públicos a obedecer normas que impedem desvios de finalidades, favoritismos, improbidades, abusos de poder e desmandos. Quanto à eficiência, o texto afirma que os estudos são pouco aprofundados. Especialistas definem o tema como “de difícil controle” e chegam a criticar a inclusão do princípio da eficiência na Constituição, devido à imprecisão do termo.

Segundo o estudo, os contribuintes têm cobrado mais do poder público, requerendo que a prestação de serviços tenha qualidade e que o Estado aja com diligência para atender as demandas. No entanto, é comum ouvir no meio político discursos argumentando a dificuldade de conseguir eficiência devido às leis vigentes, que engessariam o administrador.

O artigo define que a lei é eficiente se os benefícios compensam seus custos. A eficiência será um dos maiores desafios para os três Poderes no tocante à criação e ao controle das políticas de melhoria da realidade socioeconômica. Os consultores consideram fundamental que, na discussão dos projetos, avaliem-se os impactos decorrentes da aplicação de uma nova lei.

(Agência Senado)

MEC divulga hoje resultado da segunda chamada do ProUni

O Ministério da Educação divulga nesta sexta-feira (4), na internet, o resultado da segunda chamada do Programa Universidade para Todos (ProUni). Após a divulgação do resultado, os estudantes pré-selecionados têm até o dia 11 para comprovar as informações prestadas na hora da inscrição.

O candidato deve verificar o horário e o local no qual deve comparecer para a apresentação das informações. Caso perca o prazo, o candidato é automaticamente retirado do processo.

Na página do ProUni está disponível uma lista com a documentação necessária. Entre os itens solicitados estão documento de identificação, comprovante de residência, de rendimento e de conclusão do ensino médio.

O ProUni oferece bolsa de estudo integral ou parcial (50% da mensalidade) em instituições particulares de educação superior. O estudante precisa comprovar renda familiar, por pessoa, de até um salário mínimo e meio para a bolsa integral e de até três salários mínimos para bolsa parcial.

Esta edição do programa ofereceu 115.101 bolsas e teve 653.992 inscritos. Quem não foi selecionado poderá participar da lista de espera nos dias 21 e 22.

(Agência Brasil)

Sindgráfica empossa nova diretoria

124 1

O Sindicato da Indústria Gráfica do Estado do Ceará (Sindgráfica) empossa sua nova diretoria, eleita para o período 2014-2016, na segunda-feira (7), durante a reunião da diretoria plena da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), a partir das 18h30, na Casa da Indústria. Luiz Francisco Juaçaba Esteves, da Gráfica Tiprogresso, será o novo presidente, sucedendo o empresário Eulálio Costa, da Expressão Gráfica.

Um dos desafios para os próximos dois anos, segundo Luiz Francisco Esteves, é aumentar o número de associados ao sindicato. Hoje, existem cerca de 500 empresas do setor no estado, sendo grande parte delas de pequeno porte atuando no segmento de gráfica rápida. Atualmente, são filiadas ao Sindgráfica 96 indústrias.

Diretoria Sindgráfica 2014-2016

Presidente – Luiz Francisco Juaçaba Esteves (Tiprogresso); Vice-presidente -Vivian Nicolle Barbosa de Alcântara (Fort  Gráfica); Vice-presidente de EPP – Tales Vinicius Ximenes Carvalho (Fastprint); Vice-presidente de Gráficas Rápidas – Felipe Cardoso Esteves (Gráfica Prints); Vice-presidente Regionais – Manoel Magalhães Neto (ME); Vice-presidente Flexografia – Luciano Faria Bezerra (Aaron); Vice-presidente Rel. Inter Sindical – Frederico Ricardo Costa Fernandes (Gráfica Color 4); Diretor Administrativo – José Mozart Martins da Silva (Gráfica Cearense); Diretor Administrativo Adjunto  – Ivan Alexandre de Almeida (Gráfica Ronda); Diretor Financeiro – Vicente de Paulo Vale Mota (Arte Visual); Diretor Financeiro Adjunto – Raul Eduardo Fontenelle Filho (Grafam); Diretor Suplente – Fernando Hélio Martins Brito(Sobral Gráfica); Diretor Suplente – Fernando Antônio de Assis Esteves (Tiprogresso); Diretor Suplente – Victor Higino Simões (Qualigraf); Diretor Suplente – Rochelle Filomeno Pouchain Ramos Holanda (Pouchain Ramos); Diretor Suplente – Josmário Nogueria Cordeiro (Tecnograf).

Conselho Fiscal

Efetivos: Pedro Jorge Joffily Bezerra (Gráfica Minerva), Fábio Gomes Brasil (Gráfica LCR), Francisco Eulálio Santiago Costa (Expressão Gráfica). Suplentes : Francisco de Assis Almeida Filho (Assis Almeida), Francisco Alberto Bezerra (Gráfica Mascote), Miguel Jaime Guiter (Gráfica OCHO).

Delegado Representante na FIEC: Efetivo – Frederico Ricardo Costa Fernandes (Gráfica Color 4). Suplente: Vivian Nicolle Barbosa de Alcântara (Fort  Gráfica).

(Sindgráfica)

IFCE divulga resultados de concursos para docentes e administrativos

O Instituto Federal do Ceará (IFCE) divulgou no portal da instituição os resultados finais dos concursos públicos para professor efetivo de ensino básico, técnico e tecnológico e para técnico administrativo da instituição. A homologação dos certames será publicada nesta sexta-feira (4), no Diário Oficial da União.

De acordo com a Pró-reitoria de Gestão de Pessoas (Progep), o concurso para técnicos administrativos preencherá 192 vagas para cargos de nível C e E, destinados a candidatos com graduação de ensinos fundamental e superior, respectivamente. Já o de docente vai preencher 94 vagas para professores.

Cerca de 26 mil candidatos participaram do concurso para técnicos administrativos nos níveis C e E, ao passo que 4.205 se inscreveram para disputar as vagas oferecidas para docentes.

Os interessados em conferir o resultado para o concurso de docentes devem acessar o link http://qselecao.ifce.edu.br/concurso.aspx?cod_concurso=2510. Já para o resultado da seleção de técnicos administrativos, o endereço é http://qselecao.ifce.edu.br/concurso.aspx?cod_concurso=2550.

(IFCE)

TCE-CE encaminha lista de gestores com contas desaprovadas à Justiça Eleitoral

O presidente do Tribunal de Contas do Estado do Ceará (TCE-CE), conselheiro Valdomiro Távora, encaminhou nessa quinta-feira (3), ao Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE), a relação dos gestores públicos que tiveram as contas rejeitadas ou julgadas irregulares. A lista da Corte de Contas estadual apresenta o nome de 25 gestores, um quantitativo 56% maior que a relação elaborada em 2012. A relação também está disponível para consulta no Portal do TCE, Menu Jurisdicionado / Contas Irregulares.

De acordo com Valdomiro Távora, caberá à Justiça Eleitoral decretar a inelegibilidade dos gestores incluídos na lista. “A atuação dos Tribunais de Contas é imprescindível para a consolidação da democracia, e contribui para afastar os maus gestores da vida pública. Mas a decisão sobre a inexigibilidade do gestor cabe somente à Justiça”, disse. “Cumprimos o que determina a lei, julgando com isenção os processos a fim de garantir a boa aplicação dos recursos públicos”.

Segundo a Lei Federal nº 9.504/97, as Cortes de Contas têm até este sábado (5) para disponibilizar à Justiça Eleitoral a relação dos gestores que tiverem suas contas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas rejeitadas por irregularidade insanável e por decisão irrecorrível do órgão competente.

(TCE)

Copa 2014 – Brasil busca vaga às semifinais em Fortaleza

O Brasil decide uma vaga para as semifinais da Copa, nesta sexta-feira (4), a partir das 17 horas, na Arena Castelão, em Fortaleza, diante da Colômbia. No primeiro confronto por uma das quatro vagas às semifinais, a Alemanha enfrenta a França, a partir das 13 horas, no Maracanã.

Ainda devendo uma apresentação digna de uma seleção favorita ao título, o Brasil tem pela frente a 100% Colômbia, que pela primeira vez chega tão longe em uma Copa. Paulinho foi confirmado no lugar de Luiz Gustavo, suspenso pelo segundo cartão amarelo.

(com agências)

O saldo positivo da Copa do Mundo

79 1

Fortaleza fecha hoje o seu ciclo como cidade-sede de seis jogos da Copa do Mundo 2014. Coroada com duas partidas da seleção brasileira, a Capital do Ceará foi um dos principais palcos do evento de maior audiência do planeta. A expectativa é por uma vitória hoje contra a surpreendente Colômbia, mas, seja qual for o resultado, a cidade desde já pode se declarar como vencedora.

Há um ponto que salta aos olhos: o Castelão foi a obra da Copa melhor conduzida em todo o Brasil. Todos os prazos previstos para o estádio foram cumpridos. Não foi à toa o reconhecimento da Fifa, que destinou seis partidas para o Castelão, incluindo uma das quartas de final.

A execução da obra que promoveu uma radical modernização do Castelão, dotando o estádio de um padrão internacional, acabou por oferecer a novidade que precisa ser referência para o País: os serviços foram finalizados dentro do valor previsto e contratado. Sem os famosos e suspeitos aditivos. Uma raríssima exceção em termos de obras públicas no Brasil.

Fora do estádio, o período da Copa foi como um alento para a cidade, que vivia um clima opressivo em função da insegurança pública com seus índices escandalosos. Milhares de estrangeiros de várias partes do mundo tomaram as ruas e estimularam os moradores a fazerem o mesmo.

A babel das ruas, praças, calçadas mostraram às autoridades e, no fim das contas, ao próprio povo, o quanto uma cidade, que se sentia doente, pode se revigorar com uma receita muito simples e já clássica em todo o mundo: quanto mais gente nas ruas, mais saudável é a urbe. Esperemos que a lição tenha sido aprendida.

De resto, é preciso racionalidade e bom senso na hora de medir o saldo deixado pela Copa. Há dois pontos claramente positivos. O primeiro: um conjunto de obras públicas viárias, financiadas pelo Governo Federal, que, sem a Copa, levariam talvez duas décadas para saírem. É certo que a maior parte delas ainda precisa ser finalizada. O segundo: a exposição planetária da cidade que, sem dúvida, proporcionará aumento do fluxo de turistas para o Ceará. Que assim seja.

(O POVO / Editorial)

Copa do barulho

69 1

Da Coluna Vertical, no O POVO desta sexta-feira (4):

Saiu o balanço da fiscalização do quesito poluição sonora, que a Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma) realizou, nos finais de semana, nestes tempos de jogos da Copa do Mundo. Segundo a titular do órgão, Águeda Muniz, foram registradas 54 notificações e 32 apreensões de equipamentos sonoros em vários pontos da Capital.

O maior número de casos é nas Regionais II e VI. A ação poderá gerar multa para os notificados, variando de R$ 962,25 a R$ 9.622,50. De acordo com a secretária, os responsáveis poderão ainda responder administrativamente e até criminalmente se não firmarem termo se comprometendo a não voltar à prática ilegal.

A ação tem surtido efeito, mas, segundo a secretária, precisa continuar tendo o apoio da população. A ordem é mandar pro chuveiro a seleção do barulho.

MPF vai à Justiça contra emissoras de TV do Ceará acusadas de violar direitos

53 1

O Ministério Público Federal no Ceará (MPF-CE) ajuizou ação civil pública contra duas emissoras de televisão do estado, acusadas de exibir cenas impróprias e violar direitos. Fruto de mais de um ano de investigação, as ações voltam-se contra os chamados programas policiais veiculados pela TV Jangadeiro e pela TV Diário, que também teve conteúdos humorísticos apontados como irregulares pelo MPF. Em caso de descumprimento das sanções, o MPF pede que sejam canceladas as concessões de serviço de radiodifusão das emissoras.

Pela exibição de corpos esquartejados, ferimentos em destaque, imagens de adolescentes em situação de vulnerabilidade, entrevistas com pessoas detidas e sem julgamento, cenas de exploração sexual, agressão à honra, dentre outras, o MPF pede a condenação da TV Diário ao pagamento de indenização por dano moral coletivo no valor de R$ 1 milhão, e da TV Jangadeiro ao pagamento de R$ 500 mil. Valores que devem ser revertidos ao Fundo Municipal de Defesa da Criança e do Adolescente. As ações devem agora ser objeto de análise da Justiça Federal. As empresas podem recorrer.

O procurador Alexandre Meireles Marques relata que foram recebidas “várias representações de pessoas da comunidade cearense reclamando dos programas policiais e também de programas humorísticos produzidos pelas TVs Diário, Jangadeiro e Cidade”. Esta não foi citada nas ações por ter assinado Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), após audiência pública com o MPF e pressão da sociedade civil, que condenou a exibição de cenas de estupro de uma criança em um programa policial, no início do ano.

A Agência Brasil procurou a TV Jangadeiro e a TV Diário, mas as duas emissoras não estão se pronunciando sobre o assunto.

(Agência Brasil)