Blog do Eliomar

Últimos posts

Desafios para tornar o Brasil uma pátria educadora

Em artigo no O POVO deste sábado (10), a coordenadora do curso de Pedagogia da Uece, Margarete Sampaio, diz que o primeiro desafio da “pátria educadora” passa pela conquista da credibilidade das intenções governamentais e do diálogo com os professores. Confira:

Falo do lugar de quem considera que a educação pelo exemplo, como a política de combate à corrupção, ao patrimonialismo e a posturas intolerantes agrega valor ao conceito de pátria educadora. Alguém que acredita que a escolarização contribui com a legitimação para a convivência social, o trabalho e a arte de viver humanamente. Escolarização entendida como o acesso, a permanência e a conclusão, da creche à universidade, e compreende a formação humana, científica, cultural e política.

A decisão expressa formal e verbalmente pela presidenta Dilma, de tornar o Brasil uma pátria educadora, se articulada a atos de deliberação, execução, acompanhamento e avaliação, denotará a existência de vontade política. Vontade política, entendida como a intenção configurada na ação. O primeiro desafio passa, então, pela conquista da credibilidade das intenções governamentais, que pressupõe materializar o diálogo com os professores, anunciado pelo ministro da Educação, Cid Gomes, em discurso de posse.

Numa pátria educadora, as ações das pessoas precisam vincular-se a uma lógica de implicação e pertença. Para tanto, faz-se necessário ampliar e fortalecer os espaços de participação popular, em que a população tome consciência das adversidades a enfrentar, participe na definição de prioridades e das consequências decorrentes.

O direito à educação, que se materializa com a aprendizagem dos/as estudantes, tem como desafio dar vida ao discurso da valorização dos profissionais do magistério, notadamente no seu reconhecimento social e na criação de condições objetivas de trabalho, como a redução do número de alunos por sala de aula.

O desafio da formação inicial e permanente dos educadores passa pela definição de uma política nacional de formação em todos os níveis de ensino. Uma formação calcada nas incertezas constituídas no chão da sala de aula e respaldadas em experiências bem sucedidas, nacional e internacionalmente. Uma formação que conjugue conhecimentos da base geral com os conhecimentos pedagógicos, científicos e tecnológicos, em articulação como mundo do trabalho.

A continuidade e estabilidade nas orientações de políticas como o Enem e a política de quotas, em associação com outras políticas, como o universal acesso a novas tecnologias, a reestruturação curricular do ensino médio e a criação de condições arquitetônicas e pedagógicas para pessoas com necessidades especiais são desafios de grande monta.

A extensão do analfabetismo absoluto e funcional e sua desigual distribuição se constitui como desafio à implementação do Plano Nacional de Educação (PNE), sancionado em 2014. O quadro justifica iniciativas de reversão dos elevados índices de analfabetismo e de evasão escolar, no âmbito da Educação de Jovens e Adultos.

O cumprimento da meta do PNE de atingir o percentual de 50% de escolas de tempo integral traça como desafios a ampliação de recursos para a reestruturação física e a discussão acerca da concepção de escola de tempo integral. A mobilização de pessoas e instituições em torno da criação de um conjunto de ações e relações voltadas para uma ampla formação cultural e a constituição de uma cultura letrada são elementos anunciadores de uma pátria verdadeiramente educadora.

Petrobras pressiona empreiteiras por confissão e ressarcimento

A Petrobras pressiona as 23 empresas do cartel delatadas na Operação Lava Jato a confessarem sua culpa e ressarcirem a companhia dos prejuízos causados inclusive à sua imagem. Reportagem do jornal O Estado de S. Paulo deste sábado (10) mostra que a estatal enviou um ofício, no último dia 29, às empreiteiras condicionando o fim do bloqueio administrativo imposto a essas empresas à assinatura de acordos de leniência – espécie de delação premiada para pessoas jurídicas.

Essa é uma das três exigências feitas pela companhia para que gigantes como a OAS, a Odebrecht, a Camargo Corrêa e a Andrade Gutierrez voltem a poder participar de licitações ou serem contratadas pela Petrobras.

Segundo a reportagem, a petrolífera impõe cinco exigências no acordo de leniência. “A empresa reconheça sua culpa, comprometa-se a ressarcir a Petrobrás dos prejuízos causados, inclusive à sua imagem, repactue os contratos vigentes, adote medidas adequadas de compliance e atenda eventual outra condição imposta pelas autoridades (de investigação).”

O bloqueio dos contratos foi feito após o depoimento de quatro delatores da Lava Jato, inclusive do ex-diretor Paulo Roberto Costa e do doleiro Alberto Youssef. No documento em que explica a decisão, o diretor de Engenharia da Petrobras, José Antônio de Figueiredo, diz que a medida estava sendo tomada por causa da gravidade dos fatos apontados e pelo “perigo iminente” de novos dados à empresa.

Além do acordo de leniência, a estatal condiciona a retomada dos negócios com as empreiteiras citadas à “eventual aplicação de sanção administrativa pela Petrobras” ou “decisão em sentido contrário baseada na instrução” a partir das defesas das acusadas. A Petrobras deu prazo de 15 dias para que as empresas apresentem seus esclarecimentos.

De acordo com o Estadão, 25 executivos e funcionários de seis das 23 empresas do “cartel” foram denunciados à Justiça pela força-tarefa da Lava Jato por crimes como formação de cartel e quadrilha, lavagem de dinheiro e corrupção.

Em nota divulgada no dia 30, a Petrobras afirmou que tomou a medida em caráter preventivo para “resguardar a companhia e suas parceiras de danos de difícil reparação financeira e de prejuízos à sua imagem”.

(Congresso em Foco)

Menina bomba de 10 anos mata pelo menos 20 na Nigéria

Pelo menos 20 pessoas morreram e 18 ficaram feridas, neste sábado (10), quando uma bomba presa ao corpo de uma menina de 10 anos explodiu em um mercado de Maiduguri, na Nigéria. A explosão ocorreu quando o mercado estava cheio de pessoas. Até agora nenhuma organização terrorista reivindicou o atentado, mas os militantes do grupo Boko Haram têm usado mulheres e meninas como bombas humanas para impor um estado islâmico na maior economia africana.

“Ela tinha mais ou menos 10 anos e duvido muito que ela soubesse o que levava amarrado ao corpo”, disse o vigilante civil, Ashiru Mustapha. Segundo ele, o artefato detonou quando os vigilantes faziam o controle de entrada no mercado.

“O detector de metais assinalou a presença de algo suspeito quando a menina foi revistada, mas, infelizmente, a explosão deu-se antes que ela pudesse ser isolada”, acrescentou, considerando ter “quase a certeza de que a bomba foi detonada por meio de um controle remoto”.

Em dezembro, em outro ataque no mesmo mercado, 10 pessoas morreram, e na semana anterior mais de 45 pessoas foram mortas no mesmo local.

(Agência Lusa)

Após diálogo com policiais, Camilo Santana inicia pacificação com professores universitários

Camilo-Santana2-300x303

Da Coluna Política, no O POVO deste sábado (10), pelo jornalista Érico Firmo:

Os primeiros dias do governo Camilo Santana (PT) foram dedicados, em boa medida, à pacificação de setores e categorias que estavam em pé de guerra com o governo Cid Gomes (Pros). Depois de apostar em reatar os laços com a tropa da Polícia Militar, começa a tentar cicatrizar as feridas do relacionamento com os professores das universidades estaduais. Em oito anos de gestão, é natural que haja desgaste, mas com esses dois setores o problema foi absolutamente crônico. No caso dos policiais, houve uma paralisação curta, mas que provocou profundo dano no governo. Em relação aos professores, o embate se arrastou e fez a greve contabilizar incríveis sete dos últimos 15 meses. O prejuízo do impasse para os estudantes é inestimável.

O fim da greve na Universidade Estadual do Ceará (Uece) é fruto de alguns gestos e, principalmente, do crédito que os professores dão ao governador que, afinal de contas, acabou de assumir o cargo.

Desde a campanha e nos primeiros dias após a posse, Camilo tenta firmar o diálogo como marca – além dos setores do funcionalismo, também com o meio político, inclusive os deputados de oposição. Para o governante, estar aberto a ouvir não é favor. Quem ocupa função estatal é um servidor público, tem de estar aberto a críticas, receber cobranças, dar satisfação ao povo que paga seu salário e de onde se origina o poder que exerce.

Para além de dever do cargo, a postura de Camilo embute bastante de estratégia. É obviamente melhor ter canais de interlocução abertos que viver em confronto. Quando recebe o diálogo obstruído como herança de seu antecessor, o governador tratou, evidentemente, de tentar zerar a relação deteriorada.

Mas, permanece a desconfiança. O novo governador ganhou crédito, mas a linha de confronto ou de harmonia será determinada pelos gestos futuros de um lado e outro.

Fios na rua

388 10

Em artigo no O POVO deste sábado (10), o médico, antropólogo e professor universitário Antonio Mourão Cavalcante chama a atenção para a poluição visual dos fios dos postes. Confira:

Quando o Poder Público não assume sua competência, acaba se instalando o caos. Torna-se um “salve-se quem puder” e o interesse popular vai para a lata de lixo. Essa reflexão vem a propósito de um tema que a mídia começa a se interessar: a ocupação do espaço aéreo das calçadas. Isto é, o sistema de postes e fios que ficam acima de nossas cabeças.

Em poucos anos, sobretudo com o advento das telecomunicações (TVs e telefones a cabo), os postes foram ocupados por fios de todas as naturezas e em grande quantidade, levando a uma situação absolutamente caótica. Com frequência, fios arrastando pelo chão ou amontoados aos pés ou nos altos de postes. Fora os acidentes com caminhões baús que os arrancam e arrastam por estarem muito baixos. Uma zorra e tome risco!

Em matéria muito bem conduzida pela jornalista Tereza Fernandes (O POVO 4.1.15, Caderno DOM) -, fica muito claro que esse espaço virou terra de ninguém. Vamos por etapas: quem manda nas calçadas da cidade? Quem tem direito a fincar postes ao longo das calçadas? Pela utilização do espaço e dos postes, pagam alguma taxa ao Poder Público? Como é isso? Existe contrato? Quanto se arrecada com isso? Continuando: mesmo tendo a autorização do Poder Público, não dever-se-ia obedecer normas de segurança, preservando a estética do local? Sendo a companhia de eletricidade – Coelce – concessionária do serviço público, ela pode “sublocar” esses postes para que as companhias de telecomunicação também espalhem seus fios e equipamentos? Como é esse acordo entre estas partes privadas? Em caso de acidentes decorrentes dessa situação, quem é o culpado?

As respostas a estas perguntas não estão muito claras, nem tão simples de formular. Quem pode explicar?

A administração municipal dorme em berço esplêndido. A cabeça parece virada para o chão: o tempo todo pintando as ciclovias, espaço para as bicicletas. Não levanta a cabeça. Nem olha para os postes…

Enquanto isso a Câmara de Vereadores de Fortaleza discute e resiste a reduzir cargos e sinecuras instaladas, denunciados há anos, naquela casa. Tentam resolver problemas deles mesmos. De seus protegidos. A cidade que se dane. Esse é mais um exemplo de como uma Câmara de Vereadores atuante faz tanta falta à cidade de Fortaleza.

Pedestres reclamam que não há mais espaço nas calçadas da José Bastos

foto trânsito 150110 estacionamento

Caminhar ao longo da avenida José Bastos, em Fortaleza, tornou-se um desafio para pessoas idosas e com necessidades especiais. É que as calçadas quase sempre são inclinadas, diante do grande número de revendedoras de veículos usados.

Para piorar a situação, os proprietários das revendas decidiram usar as calçadas como espaço de venda de carros. Os pedestres agora contam somente com a pista e a sorte para caminhar, pois o trânsito é intenso o dia todo.

(Foto: Leitor do Blog)

Seara da Ciência inscreve alunos e professores para curso de férias

A Seara da Ciência, espaço de divulgação científica da Universidade Federal do Ceará, está com inscrições abertas até a sexta-feira (16) para o curso de férias de ciências intitulado Luz, Cores, Razão. O curso é voltado para alunos (40 vagas) e professores (20 vagas) da rede pública de ensino. Os interessados devem fazer a inscrição no site da Seara (www.seara.ufc.br). As aulas serão nas salas e laboratórios da Seara da Ciência (Rua Abdênago Rocha Lima, s/n – Campus do Pici). Para os estudantes, o curso ocorrerá no período de 2 a 6 de fevereiro e para os professores de 26 de janeiro a 6 de fevereiro.

Realizado semestralmente, o curso objetiva aprimorar a metodologia do ensino de ciências como a Química, a Física, a Matemática e a Biologia nas escolas públicas do Estado. Os professores participam de atividades práticas e são capacitados a utilizar a informática e outras linguagens para facilitar o aprendizado. Já os alunos são beneficiados pela metodologia empregada pela Seara, que inclui criatividade e ludicidade, tornando o ensino das ciências mais atrativo.

Para participar, os interessados precisam obedecer alguns critérios como ter disponibilidade de tempo integral no período do curso. Além disso, no caso dos professores, devem estar ministrando aulas de ciências em escolas públicas de ensino médio ou médio e fundamental. E os estudantes precisam estar regularmente matriculados em escola pública de ensino médio.

(Seara da Ciência)

Servidores da saúde de Caucaia serão pagos com recursos da Prefeitura

O pagamento aos servidores da saúde, referentes à atenção básica e de média complexidade, atrasaram, não só em Caucaia, mas em vários municípios do Brasil porque o Ministério da Saúde e da Secretaria de Saúde do Ceará não efetuaram atempadamente os devidos repasses.

No entanto, desde que soube do problema, o prefeito Washington Gois e a Secretaria de Finanças trabalharam para solucionar o problema com recursos próprios do município. Na terça-feira (13), os salários devidos já devem estar nas contas dos servidores da saúde. Os recursos próprios do município a serem utilizados para o pagamento da folha correspondem a 65% do total da folha, que corresponde atualmente a mais de R$ 3 milhões.

Quanto às demissões, a secretaria de saúde garante que não há nenhuma comunicação por meio Whatsapp. Há casos de demissões por conta de término de contrato. No entanto, a Secretaria de Saúde estuda uma solução.

(Prefeitura de Caucaia)

Chega a 34 o número de deputados que assumem o mandato por um mês

138 1

O número de suplentes que assumiu o mandato de deputado federal do dia 30 de dezembro até essa sexta-feira (9) para ficar no cargo por um mês, em um período de recesso parlamentar, soma 34. A maior parte desses novos parlamentares (27) permanecerá no cargo apenas até o dia 31 deste mês. Os outros sete serão, novamente, empossados em 1º de fevereiro quando começa a nova legislatura. Isso, porque eles foram eleitos para um mandato de quatro anos no último dia 5 de outubro.

Esses 34 deputados que assumiram o mandato no final de dezembro e no início de janeiro e que não precisarão ficar no Congresso, uma vez que desde o dia 22 de dezembro a Casa encontra-se em recesso parlamentar e sem atividades legislativas, poderão receber no total algo em torno de R$ 150 mil cada um.

A verba total a que cada deputado terá direito é composta de salário (R$ 26,7 mil) e verbas parlamentares como auxílio moradia (R$ 3,8 mil), cotão (verba paga para ressarcir despesas que variam de R$ 27,9 mil a R$ 41,6 mil) e verba de gabinete para pagamento de funcionários (R$ 78 mil).

(Agência Brasil)

Assembleia doa 29 toneladas de materiais

foto assembleia doações

A Assembleia Legislativa, por meio da coordenadoria do Programa Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P) – AL Sustentável, encerrou 2014 com a doação de 29 toneladas de resíduos para cinco entidades cadastradas. Entre os materiais doados estão papel, papelão, plásticos, ferro, alumínio e outros.

As entidades beneficiadas foram a Associação dos Catadores do Jangurussu (Ascajan); Sociedade Comunitária de Reciclagem de Lixo do Pirambu (Socrelp); Associação dos Catadores de Resíduos da Serrinha (Acores); Reto à Esperança – Cuidados e Recuperação de Usuários de Drogas e Reciclando Vidas – Recuperação de Moradores de Rua e Catadores em Situação de Risco.

“Os números alcançados em 2014 excederam as nossas expectativas, pois sabemos que boa parte dos materiais recicláveis doados se transformou em renda para diversas comunidades carentes”, assinalou o coordenador da A3P na Assembleia Legislativa, Joscely Tabosa.

Ele destacou também a conquista do Selo Verde do Ministério do Meio Ambiente, um certificado reconhecendo que as metas e propostas apontadas para a sustentabilidade foram contempladas na A3P. “Somos o único Parlamento do Brasil a ter o Selo Verde, atestado pelo Ministério do Meio Ambiente”, observou.

Também foram citadas a reutilização e reaproveitamento de papel na confecção de 3.500 blocos, em parceria com o Instituto de Estudos e Pesquisas sobre o Desenvolvimento do Estado do Ceará (Inesp) e a confecção artesanal de 200 catapilhas para os setores da Casa.

(AL-CE / Foto: divulgação/arquivo)

Praça José de Alencar precisa urgente voltar a ser do povo

No Editorial do O POVO deste sábado (10), a praça José de Alencar corre o risco de ser transformada em cracolândia. Confira:

Assim como na canção Um frevo novo, de 1972, o baiano Caetano Veloso preconizava para Salvador que “A praça Castro Alves é do povo”, um dos logradouros mais famosos de Fortaleza merece também a homenagem. Na matéria “José de Alencar. Praça é moradia de pessoas em situação de rua no Centro”, da repórter Mariana Freire (Editoria Cotidiano, página 3), na edição de ontem do O POVO, o desvirtuamento daquele quadrilátero se confunde com as exclusões e desigualdades na faixa populacional de última renda.

Talvez a José de Alencar seja mais encruzilhada de pessoas na capital cearense do que o logradouro de maior celebridade, a praça do Ferreira. Por coincidência, o literato-mor do Ceará está homenageado no local, tanto no Theatro José de Alencar quanto no monumento no centro do local. Assim como na capital baiana, o poeta dos escravos ganhou escultura na praça Castro Alves, além de ter sido sepultado no pedestal da estátua. Mas, o povo e a cultura, de maneira nenhuma, precisam ficar divorciados.

A tradição popular da praça José de Alencar é tão remota que o local já sediou provisoriamente, na década de 1950, desde o Parque Shangai, com seu carrossel e roda-gigante, além de outros atrativos itinerantes, até o Circo Garcia, na época o mais conhecido no Brasil. Na ocasião, funcionou na lateral da rua General Sampaio até o Cine Toaçu que, apesar de modesto, exibiu filmes clássicos. No decênio de 1960, quando se converteu em principal terminal de transportes coletivos na cidade, a popularização do local foi ampliada. Nas campanhas políticas, primordialmente as de 1958 a 1962, era endereço prioritário para comícios, primordialmente na frente da sede antiga da Rádio Iracema.

A população de baixa renda tem o direito de frequentar a praça José de Alencar. Contudo, se há pessoas destituídas de teto permanente morando no local, as entidades de assistência social precisam garantir para elas domicílios dignos. Entrementes, o que agrava mais a situação é o perigo de a praça se tornar uma cracolândia, de acordo com texto anexo à matéria. Daí, haver a necessidade de uma intervenção.

Por apoio a projetos em Brasília, Camilo quer conversar com Tasso e Eunício

Da Coluna Vertical, no O POVO deste sábado (11):

O governador Camilo Santana (PT), que vai concluir, na terça-feira (13), a série de encontros que vem mantendo com os parlamentares estaduais, decidiu: vai também apresentar seus pleitos e projetos para a bancada federal.

Ele avalia, segundo assessores, ser fundamental o engajamento dos parlamentares federais em Brasília para uma série de projetos que necessitará do apoio financeiro da União e, claro, de emendas dos senhores parlamentares federais.

Camilo, que promete uma gestão do diálogo, mandará convite até para os senadores Tasso Jereissati, do PSDB, que se opõe ao Governo Dilma, e Eunício Oliveira (PMDB), derrotado por ele na disputa pelo Abolição. É esperar para conferir.

Aumentos das tarifas de transporte voltam a provocar manifestações nas ruas

Com a promessa de levar a discussão para a periferia, o Movimento Passe Livre anuncia novos protestos, semelhantes aos que aconteceram em junho de 2013 sob o lema “não é apenas por 20 centavos”, para questionar os novos aumentos na tarifa de transporte público em diversas cidades brasileiras.

Manifestações contra o reajuste já começam a agitar o país. Nessa sexta-feira (9), ocorreram protestos nas ruas de São Paulo e do Rio de Janeiro. Outros atos também estão sendo organizados por entidades da sociedade civil que defendem o fim da cobrança de tarifas nos transportes públicos para os estudantes.

Na capital paulista, a nova tarifa aumentou de R$ 3 para R$ 3,50. O reajuste entrou em vigor na terça-feira (6). No Rio de Janeiro, o reajuste foi de 13,3%, a partir de 3 de janeiro. Com o aumento, o usuário começou a desembolsar R$ 0,40 a mais pela passagem de ônibus, que custa agora R$ 3,40.

Outras cidades estão praticando novos valores, entre elas Belo Horizonte (MG), Rio Branco (AC) e Florianópolis (SC). Atos contra os aumentos também já aconteceram em Joinville (SC) e em Salvador (BA).

(Agência Câmara Notícias)

Programa Saúde do Povo completa 20 anos neste sábado

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=W_jHC2dWCNY&list=UU3PLF5T6g3ddE4BpeF0EhZg[/youtube]

Uma edição especial marca neste sábado (10) os 20 anos do programa Saúde do Povo, na rádio O POVO/CBN, das 9h às 11 horas. Segundo o apresentador Evaristo Nogueira, o programa é de grande utilidade pública. Neste sábado, estarão ao vivo os médicos Lineu Jucá, Ariel Scafuri, Bruno Nogueira e Alequy Vasconcelos.

Defesa de farmacêutica tem acesso a inquérito 11 dias após prisão preventiva

No dia 29 de dezembro, a farmacêutica Mirian França, 31, foi presa, no Ceará, por suspeita de participação no homicídio da italiana Gaia Molinari, 29, no último dia 25 de dezembro. Nessa sexta-feira (9), 11 dias depois, os defensores públicos que a assistem tiveram acesso aos autos do processo.

Segundo a Polícia Civil, a solicitação de cópia do inquérito foi feita, via ofício, na última quarta-feira (7), tendo sido entregue nessa sexta-feira. A defensora Gina Moura confirmou o recebimento das informações.

Agora, a defensoria terá mais elementos para analisar o caso, pois até agora a defesa tinha apenas a documentação que foi utilizada para efetivar o decreto prisional, no dia 29 de dezembro. Isso compreende o pedido da delegada Patrícia Bezerra, os documentos que ela utilizou para efetivá-lo e a decisão judicial.

A farmacêutica poderá ser liberada na segunda-feira (12), quando o juiz da Comarca de Jijoca de Jericoacoara, José Arnaldo dos Santos Soares, deve responder ao pedido de revogação da prisão e soltura imediata da suspeita, que foi ajuizado pela defesa.

(Agência Brasil)

Governos repassam percentual de multas a empresas que instalam equipamentos eletrônicos

A divisão dos valores arrecadados em cada multa de trânsito, entre as empresas que instalam os “pardais” e os governos, pode estar com os dias contados. O Projeto de Lei do Senado (PLS) 373/2014, que proíbe essa prática, foi apresentado pelo senador Lobão Filho (PMDB-MA).

Atualmente, os governos têm realizado contratos em que cada multa emitida por um “pardal” eletrônico gera um percentual que é repassado à empresa que o instalou.

Segundo o senador Hélio José (PSD-DF), o valor arrecadado pelas multas não segue as determinações legais do orçamento dos Estados, municípios ou da União. “Ninguém nem sabe que destinação estão tendo esses recursos, que são vultosos”, comentou o senador. “As pessoas nem sabem porque estão sendo multadas”, completou.

(com a Rádio Senado)

Cid Gomes diz que cortes no Orçamento não afetarão programas do MEC

235 1

O ministro da Educação, Cid Gomes, disse nessa sexta-feira (9), no Recife, que nenhum programa da pasta será afetado com o corte orçamentário de R$ 7 bilhões no setor.

Ele disse concordar com o esforço do governo federal em reduzir gastos públicos. “Os gastos de custeio no funcionamento da máquina precisam ser reduzidos”, ressaltou Cid Gomes. “É um esforço válido para o Brasil”.

Por meio de decreto, a presidenta Dilma Rousseff bloqueou R$ 1,9 bilhão ao mês nos gastos do Executivo até aprovação, pelo Congresso Nacional, da Lei Orçamentária de 2015. Trata-se de um bloqueio provisório de um terço dos gastos administrativos, que se estenderá a todos os ministérios. O corte no MEC corresponde ao volume maior do montante afetado, que, no valor anual, chegará a R$ 7 bilhões.

O ministro visitou Pernambuco para conhecer experiências que levaram o ensino médio do estado a registrar crescimento de 16% — o maior do país — conforme o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2013.

Segundo Cid Gomes, o objetivo é expandir experiências bem-sucedidas para todo o Brasil e buscar a melhoria da qualidade da educação básica. Entre 2011 e 2013, o estado subiu 17 posições no ranking desta etapa do ensino.

(Agência Brasil)

Cid Gomes quer discutir novo modelo para o Enem

154 1

“O ministro da Educação, Cid Gomes, pretende discutir a possibilidade de tornar públicas as questões do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), liberando ao público um banco de dados com mais de 70 mil questões de todas as áreas. Com isso, a prova poderia ser feita por computador, aplicada em terminais em todo o país.

NACIONAL

Hoje (9), em Recife, ele comentou a proposta, uma alternativa que simplificaria e manteria a confiabilidade do exame. De acordo com o ministro, tornar público não faria o exame mais fácil. Seria necessário ser “um gênio para memorizar todas as questões”. A prática, segundo o Ministério da Educação (MEC), já ocorre em outros países.

“Existe um esforço violento para fazer com que 7 milhões de pessoas sentem para fazer uma prova e isso, naturalmente, gera uma série de complicações”, disse. A intenção é que o exame não ocorra apenas uma vez por ano, mas que o candidato possa se inscrever e tenha um tempo para ir ao local de prova e fazê-la.

Não há prazo para colocar em prática o novo modelo. Cid Gomes ainda vai debater a proposta com técnicos e acadêmicos e com a sociedade, antes de apresentá-la para análise da presidenta Dilma Rousseff.”

(Agência Brasil)