Blog do Eliomar

Últimos posts

Paim pede diálogo para resolver questão dos ‘rolezinhos’

O senador Paulo Paim (PT-RS) pede diálogo para garantir aos jovens o direito de participar dos chamados “rolezinhos” e, ao mesmo tempo, preservar a segurança da população em locais públicos e privados. Para o parlamentar, a polêmica é um sinal de amadurecimento da democracia.

O termo surgiu da expressão “dar um rolé”, ou seja, dar uma volta. Popularizou-se recentemente por designar o encontro de grupos de jovens em locais de livre circulação, como shopping centers. Os encontros são marcados pela internet e podem chegar a ter centenas de participantes, em geral jovens da periferia das grandes cidades.

A polêmica surgiu quando os shopping centers, temendo prejuízos ou insegurança, recorreram à Justiça para impedir os rolezinhos e barrar a entrada de jovens dentro dos centros comerciais. Entidades de direitos humanos alegam se tratar de discriminação contra rapazes e moças pobres e uma violação do direito constitucional de ir e vir.

O senador Paulo Paim, do PT do Rio Grande do Sul e relator do Estatuto da Juventude, afirma que o diálogo deve prevalecer nesses momentos.

– Com a democracia e a liberdade plena que a gente tem esses temas acabam surgindo e vão ter que ser debatidos. Para mim o que vale aí é o diálogo, é a conversa e não simplesmente a proibição de que meninos e meninas pobres possam entrar no shopping, mas a conversa e o diálogo dentro dos limites da lei – avaliou o senador.

Para Paim, o tumulto precisa ser evitado, mas sem discriminação.

– A preocupação que se está tendo é que as pessoas olham para a aparência de alguns e já saem batendo, prendendo, ofendendo. Então o momento é de bom senso e cuidar para que não haja conflito e confusão para que traga prejuízos para outros setores da população – afirmou o senador em entrevista à Rádio Senado.

O Estatuto da Juventude, aprovado pelo Senado em abril e sancionado em agosto de 2013, prevê uma série de direitos para pessoas com idade de 15 a 29 anos. O estatuto determina, por exemplo, que o jovem tem direito à diversidade e à igualdade de oportunidades e não será discriminado por causa da cor da pele, cultura, origem e condição social ou econômica.

(Agência Senado)

Medida de Obama sobre espionagem é “primeiro passo”, diz governo brasileiro

O governo brasileiro considerou “um primeiro passo” a decisão do governo norte-americano de promover mudanças na Agência de Segurança Nacional (NSA) dos Estados Unidos. Em nota divulgada nesse domingo (19) no Blog do Planalto, o porta-voz da Presidência da República, Thomas Traumann, disse que o governo “irá acompanhar com extrema atenção os desdobramentos práticos do discurso” do presidente Barack Obama.

Obama anunciou as mudanças na atuação da NSA na sexta-feira (17). Em discurso, ele disse que o país não irá mais espionar rotineiramente as nações aliadas e as comunicações de seus líderes. O presidente americano disse ainda já ter repassado a ordem aos serviços de informação para que isso não volte a ocorrer “a menos que a segurança nacional esteja ameaçada”.

Por vários momentos no discurso, Obama disse que os países amigos podem confiar. Porém, disse que o paíse não irá se desculpar por fazer “o que serviços de inteligência de qualquer outra nação faz”. “Nós não vamos nos desculpar simplesmente porque nossos serviços podem ser mais eficazes. Mas chefes de Estado e governo com quem trabalhamos, e de cuja cooperação dependemos, podem se sentir confiantes de que estamos tratando-os como verdadeiros parceiros”.

Os Estados Unidos enfrentaram uma crise diplomática com diversos países aliados depois que o ex-técnico de informática da NSA Edward Snowden vazou documentos sobre a espionagem norte-americana. Os documentos apontaram que líderes mundiais foram monitorados, como a presidenta Dilma Rousseff e a chanceler alemã Angela Merkel.

Depois do escândalo, Brasil e Alemanha cobraram explicações de Obama e apresentaram, em conjunto, um projeto de resolução na Organização das Nações Unidas (ONU) chamado O Direito à Privacidade na Era Digital. A Assembleia Geral da ONU aprovou a resolução em dezembro.

(Agência Brasil)

Com shopping fechado no Rio, grupo faz ato contra preconceito

Apesar de o Shopping Leblon estar fechado, algumas pessoas apareceram para o rolezinho marcado para este domingo (19) no local. O número de participantes, no entanto, é inferior ao de jornalistas. Mas a presença do pequeno grupo chama atenção dos moradores do bairro e dos clientes desavisados que foram às compras. O shopping não abriu para evitar o rolezinho.

Do lado de fora, cerca de 30 pessoas fizeram perfomances, ao som de funk, contra o racismo e a exclusão social no país. Fantasiado de Batman, Heron Morais Melo criticou a falta de igualdade de oportunidades entre “ricos e brancos” e “negros e pobres”.

“Essa porta fechada [do shopping] é o melhor símbolo da desigualdade no nosso país. Quem não é da parte da elite, só encontra isso”, disse Heron, morador de Marechal Hermes, na zona norte.

Em uma performance para satirizar “madames que frequentam o shopping com menor número de pobres da cidade”, um participante, que não quis se identificar, disse: “Não vim para protesto, vim às compras! Pobre já aguento lá em casa, lavando, passando, levando meus filhos na escola”, como crítica ao preconceito.

Para o estudante de letras e integrante da Assembleia Nacional dos Estudantes Livres (Anel), Gabriel Melo, o rolezinho é derivado das manifestações de junho de 2013. “Quando um grupo de estudantes de universidades e escolas privadas vai para a praça de alimentação e bota música alta é uma coisa, mas quando esse grupo é de jovens negros o tratamento dado pelo shopping, lojistas e segurança é outro: fecham as portas e põem para fora”, disse.

Apesar de a Secretaria de Segurança Pública ter informado que não reforçaria o policiamento, dezenas de policiais estão próximos ao shopping. Seguranças particulares não identificados também estão no local.

O Shopping Leblon cercou, com tapumes, toda a entrada de vidro localizada na Avenida Afrânio de Melo Franco. Foram colocados cartazes avisando os clientes de que o centro comercial foi fechado para “garantir a segurança”. O Shopping Rio Design Leblon, que fica do outro lado da rua, também fechou as portas, para evitar o rolezinho. Cerca de 9 mil pessoas haviam confirmado presença no ato por meio da redes sociais.

Do lado de fora, trabalhadores e lojistas criticaram o rolezinho. Para a dona de uma loja, que preferiu não se identificar, o shopping “é um espaço de lazer privado”. “Manifestação tem que ser na porta da prefeitura, não aqui”.

(Agência Brasil)

Resultado da primeira chamada do Prouni sai nesta segunda-feira

Os estudantes que se inscreveram no Programa Universidade Para Todos (ProUni) devem conferir a partir desta segunda-feira (20) o resultado da primeira chamada pelo site do Ministério da Educação (MEC), pelo número 0800 616161 ou nas instituições participantes.

Se aprovado, o candidato deverá comparecer à instituição onde se candidatou com a documentação necessária para a comprovação das informações prestadas na ficha de inscrição até o dia 24 de janeiro. Os candidatos que não conseguirem apresentar a documentação exigida ou perderem o prazo serão reprovados.

Aqueles que não tiverem o nome na lista de aprovados em primeira chamada terão oportunidade na segunda chamada, que será divulgada no dia 3 de fevereiro. Para eles, o prazo de comprovação das informações prestadas na ficha de inscrição será até 6 de fevereiro.

Os candidatos que não tiverem sido aprovados em nenhuma das duas chamadas poderão manifestar interesse em aguardar por uma vaga na lista de espera nos dias 13 e 14 de fevereiro. As bolsas remanescentes serão distribuídas para esses candidatos conforme as notas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Caso seja chamado na lista de espera, o candidato terá os dias 19 e 20 de fevereiro para comparecer à instituição com a comprovação dos dados da ficha de inscrição.

A documentação necessária para a comprovação das informações está descrita no site do MEC e inclui, além dos documentos de identificação pessoal como carteira de identidade e comprovante de reservista, comprovantes de rendimento e residência, comprovante de conclusão do ensino médio, de pagamento de pensão alimentícia e de deficiência, se for o caso. Professores deverão comprovar que exercem o magistério na educação básica e que são do quadro permanente de escola pública.

Podem se candidatar a uma bolsa integral ou parcial no ProUni os professores de ensino fundamental público que queiram cursar licenciatura, ex-estudantes de escola pública ou de escola particular que tenham utilizado bolsa integral e estudantes com deficiência.

Eles precisam comprovar renda bruta familiar de até um salário mínimo e meio por pessoa, para quem quiser bolsa integral, de até três salários mínimos por pessoa em caso de disputa por bolsa parcial de 50%. É necessário ainda ter participado do Enem e ter alcançado nota mínima de 450 pontos, além de não ter tirado zero na prova de redação.

(Agência Brasil)

Mudanças em faixas de ônibus começam nesta segunda-feira

Mudanças nas faixas para transporte público na avenida Bezerra de Menezes passam a valer a partir desta segunda-feira (20). As faixas azuis, antes prioritárias, agora serão exclusivas para ônibus, vans, táxis e transportes escolares regulamentados. A nova medida deve valer nos dias úteis, de 5h às 21 horas, e aos sábados, de 5h às 16 horas. O sistema, chamado de BRS (Bus Rapid Service) ou Serviço Rápido de Ônibus, foi implantado em agosto de 2012, em uma tentativa de dar maior fluidez ao trânsito.

Quem passa pela via já percebe mudanças. As sinalizações vertical e horizontal foram reforçadas na avenida. Ao longo da via, placas indicativas e de advertência foram instaladas para mostrar o que é e o que não é permitido, além dos acessos às ruas transversais.

A medida divide a opinião de usuários do transporte público e motoristas. O contator Manuel Vicente de Paula, 70, é direto: “ninguém vai respeitar”. Com endereço na Bezerra de Menezes, Manuel diz observar diariamente motoristas de carros e vans desrespeitando as delimitações dos corredores. Para ele, a medida ideal seria transferir as faixas para o outro lado da via, onde os ônibus parassem no canteiro central e não próximo às calçadas, como ocorre.

Esmeralda Fidelis, 50 anos, pensa diferente. Diariamente, a cuidadora toma a linha Antônio Bezerra/Papicu e acredita que, desde a implantação do sistema prioritário, a fluidez melhorou. “A gente que anda de ônibus nunca tem prioridade. Isso é bom pra gente”, diz

Inicialmente, oito equipamentos instalados ao longo da via, quatro em cada sentido, farão a leitura das placas dos veículos que estiverem irregulares no corredor exclusivo. Quem desrespeitar as regras de circulação receberá uma notificação educativa. Após 30 dias, multas passarão a ser aplicadas. As regras são baseadas no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), que estipula o valor da multa por transitar em faixa exclusiva no valor de R$ 53,20 e implica em três pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

(O POVO)

Eunício age para não ser atropelado

foto eunício 140117 pedra branca

Da coluna Política, no O POVO, pelo jornalista Érico Firmo:

Das artes da política, talvez nenhuma o governador Cid Gomes (Pros) goste tanto de manejar quanto o tempo. Essa tem sido sua arma mais eficaz. Em 2006, alimentou até o limite do prazo de desincompatibilização as esperanças de Lúcio Alcântara ter seu apoio à reeleição. Em 2008, venceu Luizianne Lins (PT) pelo cansaço para fazer do primo Tin Gomes (PHS) vice-prefeito de Fortaleza. Em 2010, Tasso Jereissati (PSDB) cansou de esperar que o governador optasse entre ele e José Pimentel (PT) e tomou a iniciativa de romper – o que o levou à derrota.

Eunício Oliveira (PMDB) viu de perto todos esses episódios e age como quem não tem a menor intenção de ser o próximo da lista. Seu método se aproxima um pouco daquilo que o próprio Cid fez em 2012. Quase um ano antes de a decisão do então PSB lançar candidato próprio ser oficializada, o partido dos Ferreira Gomes já se preparava como se candidato fosse ter. Estaria pronto para qualquer cenário. É o que faz Eunício Oliveira.

Todos os interlocutores locais e nacionais do peemedebista asseveram: o senador será candidato ao Palácio da Abolição doa em quem doer, custe o que custar – e ninguém imagine que será barato –, por cima de pau e pedra. Bem, ele nunca foi de dar ponto sem nó ou murro em ponta de faca. Não é dado a aventuras e costuma navegar com razoável segurança. Verdade que, em 2010, ao disputar o Senado com Tasso e Pimentel, assumiu muito mais riscos do que sempre esteve acostumado. Recordista de votos, deve ter ganho segurança para saltos mais altos.

Mais importante que qualquer declaração de que será candidato são os gestos de Eunício: faz tempo que ele se prepara para ser. Na prática, está em pré-campanha e arregimenta os aliados que consegue. Como o PSB fez com Roberto Cláudio, faz tudo como quem vai ser.

Claro que ele sabe que Cid não assistirá a isso parado. Tentará alguma jogada para amarrá-lo. Buscará construir alguma condição que se mostre tanto vantajosa para ele se desistir de ser candidato, quanto arriscada no caso de insistir na empreitada. Afinal, nessa negociação será decidido muito do destino da eleição: se será competitiva ou se revelará outro passeio. O governador não pode ser olhado como peça nula nesse tabuleiro. E ele ainda nem começou a jogar.

Eunício pode até vir a ser convencido, de um jeito ou de outro, a não ser candidato. Mas busca garantir condições para que não seja atropelado caso a decisão que o governador venha a tomar não o contemple. Não está disposto a ficar a reboque, nem a correr o risco de ser deixado na chuva. Está longe de ser o tipo de postura que ajude a conseguir a adesão de Cid. O governador faz questão de controlar o tempo das decisões e gosta de sinais de obediência. Mas também não sei se Eunício ainda nutre esperanças ou ilusões de vir a ter apoio palaciano.

Venha a se concretizar o rompimento ou não, o primeiro embate já é travado, pelo controle da agenda e pelo protagonismo do processo eleitoral.

“Dê um rolê”

66 1

Em artigo enviado ao Blog, o jornalista e sociólogo Demétrio Andrade comenta o fenômeno do “rolezinho”. Confira:

O título da música dos Novos Baianos soa mais atual do que nunca. A banda, ícone dos anos 1970 no Brasil, cantava à época: “enquanto eles se batem, dê um rolê, e você vai ouvir/Apenas quem já dizia/Eu não tenho nada/Antes de você ser eu sou/Eu sou amor da cabeça aos pés”. Profética, nestes tempos de “rolezinho” – pra quem não sabe, a nova moda que jovens, geralmente de classes sociais menos favorecidas, inventaram: usar redes sociais para marcar encontros em massa em shoppings de grandes cidades.

A questão é bem complexa. A reação dos habituais usuários de shoppings às dezenas ou centenas de jovens passeando em grupo naquele ambiente foi de medo e preconceito. De repente, quebrou-se o mito do shopping como o “ambiente seguro das classes média e alta onde se pode passear com a família”.

O capitalismo é pródigo em oferecer soluções excludentes para escamotear problemas sociais. O shopping sempre passou a ilusão de “ilha de prosperidade” em meio à violência e à desigualdade das grandes urbes. Funcionam quase como um entorpecente social, onde o dinheiro determina até que ponto se pode cultivar a indiferença com “o mundo lá fora”. Pois é, só que “o mundo” agora está lá dentro.

Lembro de quando era assessor do Sindicato dos Comerciários de Fortaleza, nos anos 1990. Como era quase impossível fazer qualquer manifestação no shopping (vou usar o termo de forma genérica), mesmo uma convocação para uma simples assembleia. Lembro também do livro do geógrafo José Borzacchiello da Silva, de 1992, de título também profético: “Os incomodados não se retiram”, falando sobre as dificuldades dos movimentos sociais afirmarem suas posições no processo de ocupação urbana em nossa Fortaleza de tantos contrastes.

Por centenas de anos, as classes menos favorecidas ajudaram a perpetuar uma visão hegemônica de “respeito a certos ambientes”. O apartheid social conduziu à naturalização do pensamento torpe de que “o pobre tem de ficar no seu lugar”. Os espaços privados se segregam pelo preço cobrado. Mas o shopping guarda em sua constituição uma contradição evidente: são espaços privados que se propõem a funcionar como públicos.

Ora, num país onde as classes C e D continuam em processo de ascensão econômica, é natural que os jovens da periferia uma hora se perguntassem: e por que não? Organizam turmas porque precisam da força do coletivo para afirmar seu direito constitucional de ir e vir e seu poder de criticar e, claro, testar seus limites, inclusive os de consumo.

Isso não é novo. Lembro de diversas matérias falando sobre o “caos nos aeroportos” sem focar na essência do problema: mais pessoas estavam tendo condição de voar e as companhias aéreas e estruturas aeroportuárias não estavam preparados para absorver milhões de novos consumidores.

Principalmente a classe média, que um dia desses perdeu suas empregadas domésticas, terá de se adaptar a dividir mais este espaço. Torço que isso signifique também um movimento de retorno dos mais favorecidos aos parques, praças e demais equipamentos públicos. Torço para isso se dê sem violência – injustificável em qualquer aspecto – e que aponte para um futuro de convivência social mais equilibrada, na qual “dar um rolê” seja um ato tranquilo para quem tem tudo e quem não tem nada.

Demétrio Andrade, jornalista e sociólogo

AMC faz levantamento de motoristas cadeirantes ou idosos na Beira Mar

foto amc cadeirantes e idosos

Leitor Tadashi Enomoto, coordenador dos Amigos da Beira Mar, lembra que até o fim do mês a AMC está cadastrando motoristas cadeirantes ou idosos que frequentam a orla marítima mais movimentada da cidade para a expedição de vagas em estacionamentos.

Os motoristas devem ir à Praça dos Estressados, com a CNH e comprovante de residência.

Garantia Safra deverá beneficiar mais de 335 mil agricultores

Mais de 335 mil agricultores cearenses deverão ser beneficiados este ano com o programa Garantia Safra, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA), que prevê um benefício de R$ 850, em parcelas mensais de R$ 170, para o agricultor com perda igual ou superior a 50% da safra.

Prefeitos de 181 municípios do Estado deverão assinar nesta segunda-feira (20), na SDA, o termo de adesão ao programa do Governo Federal. Segundo a secretaria, somente 11 municípios ainda não regularizaram a situação.

“O prazo final para adesão dos agricultores, que é 31 de janeiro, é improrrogável. Pedimos que todos os envolvidos na implementação do programa (Ematerce, movimentos sociais e secretarias municipais de Agricultura) se empenhem em viabilizar o maior número possível de adesões”, disse Arimateia Gonçalves, coordenador da COCRED (Coordenadoria de Crédito Rural e Políticas Afins).

O agricultor contribui com apenas com a quantia de R$ 12,75 que pode ser paga em qualquer agência da Caixa Econômica Federal ou casas lotéricas e cada município contribui com R$ 38,25 por agricultor cadastrado. O Governo do Estado vai investir cerca de R$ 26 milhões para que os trabalhadores recebam o benefício.

Na safra 2012/2013, mais de 302 mil agricultores foram beneficiados com o garantia safra em 178 municípios cearenses.

(com informações da SDA)

PCdoB quer Inácio reeleito, dois deputados federais e seis estaduais

56 3

O PCdoB decidiu neste fim de semana, durante plenária no Marina Park, que o senador Inácio Arruda será candidato à reeleição. O partido ainda espera eleger dois deputados federais (Chico Lopes e João Ananias), além de triplicar a bancada na Assembleia Legislativa, atualmente com dois parlamentares.

Para o vice-presidente do PCdoB no Ceará, Benedito Bizerril, “a reeleição de Inácio é uma bandeira importante a ser abraçada por todas as forças progressistas do Ceará”.

.“Vamos mobilizar a sociedade e enfrentar essa batalha política. Estamos convencidos da importância de garantirmos a nossa conquista no Senado”, ressaltou Inácio Arruda ao destacar que “a batalha eleitoral é também a batalha da luta de classe do Brasil”.

Cidades-sede aproveitarão a Copa para consolidar turismo

O turismo e a capacitação profissional foram apontados por pessoas envolvidas com a Copa do Mundo, nas cidades-sede, como os grandes benefícios que o evento proporcionará. A maioria delas citou um dos dois ou até ambos os pontos como melhorias significativas em seus respectivos estados.

O incremento turístico foi um dos principais legados em cidades como Brasília, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Rio de Janeiro, São Paulo e Fortaleza. “O turismo também se desenvolve muito [com a Copa]. Fortaleza já é um destino consolidado no Brasil. A nossa meta é aproveitar a exposição para reforçar o nosso perfil em escala mundial”, explicou o secretário especial da Copa 2014 no Ceará, Ferruccio Feitosa.

O coordenador do Laboratório de Gestão do Esporte, da Universidade de Brasília (UnB), Paulo Henrique Azevedo, acredita nos benefícios do turismo com a Copa Mundo. Para ele, o Brasil pode implantar uma agenda turística mais consistente. “O turismo vai ser implantado de maneira definitiva, o que não ocorre se você parar para pensar. Só a cidade de Paris recebe muito mais turistas, por ano, do que todo o Brasil. Com a Copa, poderemos atrair mais negócios”.

Já a capacitação profissional foi apontada por especialistas de Fortaleza, Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Manaus e Salvador, como outro importante benefício para a Copa. As opiniões, em geral, se baseiam nos vários programas de ensino de idiomas e ofícios relacionados ao atendimento a turistas, como recepcionista, garçom e organizador de eventos, entre outros. Profissionais que acompanham os legados das obras da Copa em Natal, em Curitiba e em Cuiabá, também foram contatados pela reportagem, mas não responderam.

Entre os outros benefícios lembrados estão as obras no sistema de mobilidade urbana, o contato com culturas de outros países e a visibilidade internacional que o evento proporcionará.

(Agência Brasil)

Sindicalistas querem abertura da indústria e do comércio em dias de jogos da Copa

foto darlan leite

Uma enquete no O POVO deste domingo (19) mostra que sindicalistas da indústria e do comércio querem o funcionamento do setor nos dias de jogos da Copa do Mundo em Fortaleza. Enquanto alguns alegam o encarecimento de produtos, diante do pagamento de horas extras para compensar os seis feriados, outros criticam que os governantes puniram o setor pela falta de solução na mobilidade urbana.

Somente o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Ceará (ABIH-CE), Darlan Leite, e o presidente do Sindicato das Indústrias de Confecções de Roupas e Chapéus de Senhoras no Estado do Ceará (Sindconfecções), Marcus Rocha, defendem a abertura do setor por meio período. Além dos dois dirigentes, O POVO também ouviu a opinião de Assis Cavalcante, presidente da Ação Novo Centro da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL); Germano Maia, presidente do Sindicato da Indústria de Fiação e Tecelagem do Ceará (Sinditêxtil); Geraldo Osterno, presidente do Sindicato das Indústrias do Mobiliário do Estado do Ceará (Sindmóveis); e Cid Alves, presidente do Sindicato do Comércio Varejista e Lojista de Fortaleza (Sindlojas).

Confira a argumentação de Darlan Leite:

É inquestionável o ganho para qualquer cidade-sede de Copa do Mundo os dias em que os jogos são realizados. Fortaleza estará na vitrine do mundo em seis dias da competição, entre os quais uma participação da Seleção Brasileira e três outras seleções cujos países representam uma significativa parcela do turismo internacional em solo brasileiro: Alemanha, México e Grécia.

Nesses seis dias, não somente a Arena Castelão será avaliada, mas também a nossa bela Beira Mar, a grade extensão da Praia do Futuro, nossa gastronomia e a hospitalidade de nossa gente. E por que não também o nosso artesanato? Por isso, defendo a abertura do comércio, por meio expediente, como forma do torcedor estrangeiro conhecer nossos produtos na avenida Monsenhor Tabosa, no Mercado Central e no Centro de Turismo. Afinal, futebol é a nossa arte, mas o turismo é a nossa vocação.

Chapa PMDB/PSDB/PR

Da coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo (19):

É fato: o senador Eunício Oliveira está tentando convencer o tucano Tasso Jereissati a se candidatar ao Senado montado numa aliança entre PMDB e PSDB. O PR, de Lúcio Alcântara e Roberto Pessoa, também está sendo convidado a compor a mesma chapa, que teria Eunício para o Governo. Até agora, Tasso tem mantido seu estilo esfinge. O PR topa a parada. Uma aliança entre os três partidos garantiria o maior tempo no horário gratuito e uma boa estrutura de campanha no Interior.

Enquanto o governador Cid Gomes continua dizendo que é cedo para tratar de eleições, Eunício Oliveira claramente azeita uma agenda de candidato a governador. Do jeito que o senador age, chegará rapidamente ao ponto em que sua candidatura ao Governo será fato consumado, com grandes dificuldades para organizar recuos. No mercado político, as apostas estão divididas. Uma parte acredita que o senador prosseguirá firme nos planos de ser candidato. Outra parte avalia que o peemedebista faz jogo de cena para aumentar seu cacife político.

“Rolezinho” que ocorreria nesse sábado esbarra em liminar com multa de R$ 10 mil

O “rolezinho” que estava agendado para esse sábado (18), em Fortaleza, foi remarcado para o próximo domingo (26). O evento ocorreria ao meia-dia, no Shopping Iguatemi, organizado pela Liga Bolchevique Internacionalista (LBI).

“A coordenação unificada da manifestação política contra a discriminação racial e xenofobia das elites capitalistas, que ocorreria no sábado (18 de janeiro) no Shopping Iguatemi de Fortaleza, resolveu unificar a atividade com outros movimentos sociais remarcando o evento para a nova data, 26 de janeiro (domingo) as 15 horas”, anunciou o grupo em suas redes sociais.

A reportagem do O POVO esteve na tarde desse sábado, de 12h às 15 horas, no Shopping Iguatemi, onde não presenciou nenhuma manifestação do grupo. O POVO Online entrou em contato com a assessoria de comunicação do Shopping Iguatemi, que explicou que o estabelecimento vai agir de acordo com o que a justiça permitir, mas que não haverá proibição na entrada.

Em contato com O POVO Online, um dos organizadores do protesto afirmou: “Será um protesto político que visa expressar a solidariedade da juventude do Ceará para com os jovens da periferia paulista, vítimas de discriminação racial e social. Será um movimento pacífico”, explicou Marco Queiroz.

“Rolezinhos” estão previstos para ocorrer, no dia 26 de janeiro e 9 de fevereiro, no Shopping Iguatemi.

Liminar da Justiça

O shopping Iguatemi, em Fortaleza, obteve nesse sábado uma liminar na Justiça que autoriza a proibição de tumultos em “rolezinhos”, convocados pelo movimento Liga Bolchevique Internacionalista (LBI), Rolezinho Fortaleza e Partiu Rolezinho Iguatemi Fortaleza, além de outros que possam surgir com o mesmo objetivo.

Na liminar, o Juiz José Edmilson de Oliveira determina que ”os movimentos LBI, Rolezinho Fortaleza e Partiu Rolezinho Iguatemi Fortaleza, bem como outros que surgirem com o mesmo objetivo, que se abstenham de praticar quaisquer atos tendentes à turbação ou esbulho da posse mansa e pacífica do Shopping autor, em sua área interna, externa, estacionamento e entorno sob sua responsabilidade”.

No caso de descumprimento da liminar, será aplicada multa no valor de R$10 mil para cada manifestante identificado.

(O POVO Online)

Com manifestação a favor de “rolezinho”, shopping fecha em São Paulo

O Shopping JK Iguatemi, na zona sul de São Paulo, fechou as portas, no fim da tarde desse sábado (18), para evitar o acesso de manifestantes que participavam de um ato a favor dos “rolezinhos” e contra o racismo. O shopping funcionava normalmente até o momento em que os manifestantes chegaram em frente ao estabelecimento.

Apesar do fechamento, quem está no prédio pode sair. Não é autorizada a entrada de clientes, lojistas e funcionários. Não há presença da polícia, apenas do corpo de seguranças do estabelecimento.

Alguns manifestantes, que não portavam bandeiras e instrumentos musicais, chegaram a pedir aos seguranças autorização para entrar no prédio, o que foi negado.

Um grupo de advogados das entidades que participa do ato foi à delegacia policial mais próxima para fazer um boletim de ocorrência. Eles alegam que as pessoas passaram por constrangimento ilegal e que o shopping cometeu crime de racismo.

“Qual o crime que essas pessoas cometeram, o crime de vir ao shopping? Para mim está caracterizado o crime de racismo”, disse o advogado Eliseu Soares Lopez.

“Os shoppings agora se equiparam as universidades, porque a universidade seleciona que o branco entra e o preto não. Os shoppings se equiparam a polícia, porque ela age de uma forma com o branco e de outra com o negro”, acrescentou.

Na porta do estabelecimento, os manifestantes permanecem reunidos. Eles falam palavras de ordem como “racistas, não passarão”, e “abaixo o apartheid”.

(Agência Brasil)