Blog do Eliomar

Últimos posts

Clima de caos nos cinemas do Iguatemi

47 1
De Lúcia Estrela, leitora do Blog, recebemos a seguinte nota:
Caro Eliomar de Lima,

Agora para entrar nos cinemas no Iguatemi, os pais que levarem crianças devem apresentar a identidade ou certidão de nascimento dos filhos. Isso está gerando um caos nessa área de cinema, especialmente nestas férias, porque não houve aviso prévio.

O gerente informou que há essa informação no site do shopping, mas não está visível, porque não dá para encontrar.

Os pais estão revoltados porque enfrentam uma fila enorme e, só no final, quando vão comprar o ingresso, recebem essa informação. Resultad: crianças chorando e pais desesperados.
Sem mais,
Lucia Damasceno Estrela,
Jornalista.

Copa do Mundo – Hora do brasileiro pensar grande

73 1

Com o título “2014: uma Copa e uma Nação”, eis artigo do jornalista e sociólogo Demétrio Andrade. Ele aborda o certame mundial que terá Fortaleza entre subsedes e lamenta tantos que torcem contra o sucesso da Canarinho ou pelo fracasso da Copa. Confira:

Bem antes de nos tornarmos campeões mundiais pela primeira vez, após os fracassos das Copas de 1950 – quando o Brasil perdeu em casa com um Maracanã lotado – e 1954, a imprensa esportiva da época tinha como hobby desqualificar a seleção. Mais que isso, adotando o que o jornalista e teatrólogo Nélson Rodrigues costumava chamar de “complexo de vira-latas”, era comum ler matérias e opiniões falando sobre a plena incapacidade do nosso país de ganhar uma competição daquele porte. O comum era dizer que o que era bom vinha de fora. Não tínhamos organização. Não tínhamos time nem futebol. Não tínhamos povo. Não tínhamos nada que pudesse rivalizar com a “elevada capacidade” dos europeus.

Voz quase única a destoar do coro dos descontentes, Nélson Rodrigues, ao contrário, nunca teve dúvidas do sucesso do time de 1958, que tinha – dentre outros – Didi, Pelé e Garrinha. O que hoje é tida como uma das maiores seleções do mundo não convencia quase ninguém. Mas quando o capitão Bellini ergueu a taça, confirmou-se a tese do torcedor fanático do tricolor carioca: o Brasil superou a todos, sendo o primeiro país a tornar-se campeão fora de seu continente de origem.

Os tempos hoje são bem outros. O futebol mudou e os esquemas táticos e físicos tornaram o esporte um jogo de mais força e correria. O mapa político e econômico do mundo está alterado e fica difícil saber, inclusive, o que Nélson Rodrigues diria sobre as sucessivas viradas de mesa que mantiveram seu time do coração na série A. Mas numa coisa, aquela época guarda semelhanças com 2014. Mesmo vindo de uma conquista respeitável, a Copa das Confederações, o escrete ainda não convenceu plenamente. Os jornalistas, mesmo reconhecendo progressos, não colocam a mão no fogo pelos canarinhos. A própria FIFA criou um ranking no qual a nossa seleção figura num modesto 10º lugar, atrás de Colômbia, Suíça e Portugal. No meio dos clubes, o Atlético Mineiro, campeão da Taça Libertadores, sequer chegou à final com Bayern.

Inicio o ano de 2014 preocupado. Sempre achei a entidade “futebol brasileiro” incomparável. A mística da nossa formação quase ininterrupta de grandes jogadores, o medo imposto pela camisa amarela, a molecagem sadia que não teme ninguém parece perdida em meio a cobranças de maior organização e profissionalismo. Tais cobranças extrapolam os limites do campo. Muitos apostam no fracasso do evento e vêem os aportes financeiros como desnecessários. Alguns torcem contra. Paciência.

A realização da Copa no Brasil é uma vitória, assim como as Olimpíadas no Rio. O patrimônio material e imaterial derivados desta Copa é imensurável. Por mais que se apontem erros grotescos que resultaram em somas aviltantes e a vilania canhesta da FIFA que manda no que não é seu, não tenho dúvida que será um acontecimento memorável, que entrará para a história. Quem diz o inverso não sabe diferenciar gasto de investimento.

O Brasil mudou, e radicalmente, para melhor. Nossa vocação turística está o auge. As opções ofertadas pelo crescimento econômico experimentado nos últimos dez anos são muito maiores. Há uma ascensão evidente no crescimento de emprego e renda. A Copa será um exemplo de organização simplesmente porque grandes eventos já fazem parte do cotidiano do brasileiro. Há dez anos, quem falasse em shows de Paul McCartney, Beyoncé e Elton John, e apostassem num réveillon de mais de um milhão de pessoas seria motivo de chacota. E estes megaeventos ocorreram aqui, em Fortaleza.

Claro que vários ovos foram quebrados para que o omelete acontecesse. E claro que ainda falta arroz com feijão pra muita gente. Mas ninguém pode impedir a força dos grandes pensamentos e ideias. O Brasil é grande. O brasileiro é grande e que temos que nos acostumar a pensar grande também. Não só como país, mas como NAÇÃO. Prefiro crer que 2014 será um grande ano. Que faremos a maior Copa de todos os tempos. Quanto ao time, bem, o velho Nélson, mesmo triste, sempre apostou na alegria. É esse o segredo. Feliz Ano Novo, Brasil!

* Demétrio Andrade,

Jornalista e sociólogo.

Habemus ombudsman 2014!

86 1

Daniela Nogueira Foto: Fco Fontenele, em 08/10/2010

A jornalista Daniela Nogueira será Ombudsman do O POVO no mandato 2014/2015. Atual editora de Opinião, ela substituirá o jornalista Erivaldo Carvalho, a partir de 7 de janeiro.

Nessa data, O POVO estará completando 86 anos.

Documentos perdidos no Aterro da Praia de Iracema se encontram na PM

A assessoria de comunicação da Polícia Militar já está disponibilizando documentos perdidos no Aterro da Praia de Iracema, durante o Réveillon. Segundo a tenente Elisângela Feitosa, títulos de eleitor, RGs, CPFs e cartões de crédito lideram a documentação encontrada pelo pessoal da limpeza da Prefeitura de Fortaleza.

De acordo ainda com a tenente, os documentos podem ser resgatados no Quartel do Comando Geral da PMCE (QCG), localizado na avenida Aguanambi, 2280, no bairro de Fátima. Antes, a pessoa poderá se informar no site http://www.pm.ce.gov.br ou pelos números 3101.3569 / 3101.3546.

Prefeito RC agenda viagem ao Exterior

60 2

roberto cláudio

O prefeito Roberto Cláudio (PROS) deve viajar para o exterior neste mês. Foi o que ele revelou durante o Réveillon para amigos próximos.

Deve estar à frente de uma missão que tratará de parcerias para a instalação de um parque tecnológico. No roteiro, China. Há grupos desse País investindo nessa área no Brasil.

Com ou sem aval

foto eunício 140103 raupp

Da coluna Panorama Político, no O Globo desta sexta-feira, pelo jornalista Ilimar Franco:

O presidente do PMDB, Valdir Raupp, diz que o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) vai concorrer ao governo, mesmo que não tenha apoio do Planalto: “Seja com Cid Gomes, Ciro Gomes, ou seja, com o apoio de outras forças políticas, ele vai concorrer.”

Lira Neto fecha 2013 como maior vendedor de livros no Ceará

liraneto

O jornalista e escritor Lira Neto, que já foi ombudsman do O POVO,  foi o cearense campeão de vendas de livros em 2013 no Ceará.

A informação é do presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Livros do Estado (Sindilivros), Mileide Flores, em entrevista ontem ao programa O POVO Economia, da Rádio O POVO CBN (FM 95.5).

Lira vem obtendo sucesso com a venda de livro sobre Getúlio Vargas. Tata-se de uma trilogia que terá seu último livro lançado em 2015.

Servidores municipais retomam campanha salarial neste 2014

Os servidores e empregados públicos municipais estão retomando, neste mês, a campanha salarial. A Prefeitura conseguiu aprovar 5,7% de reajuste para a categoria que, no entanto, conta com outros itens de pauta ainda por serem acertados.

O líder do prefeito na Câmara Municipal, Evaldo Lima,  assumiu compromisso com os servidores de que, ainda neste mês, haveria reunião com a área financeira do município.

Paralelo a esse encontro, o Sindiforf e demais entidades do Fórum Unificado do servidores de Fortaleza marcaram para o dia 23 uma assembleia geral em frente ao Paço Municipal.

Prefeitura nuncia pacotes ambientais. Na lista, despoluição da Beira Mar

60 1
aguedamuniz
Águeda Muniz é titular da Seuma.
A Prefeitura de Fortaleza promete para esse início de ano o lançamento de pacotes ambientais. Os primeiros começarão pelos parques da cidade (Rio Branco, Raquel de Queiroz e Guararapes). As ações serão voltadas para revitalização e transformação das áreas. Os projetos contarão com o apoio da iniciativa privada e de associações, seguindo os modelos de ações consorciadas que já ocorrem nas praças e do projeto de construção do Shopping Rio Mar, onde várias intervenções urbanas estão sendo realizadas.

O prefeito Roberto Cláudio pretende estimular a iniciativa privada a participar dos projetos de preservação dos espaços (com ações ambientais). As ações consorciadas devem passar por incorporação de áreas que precisam ser preservadas e funcionar como contrapartida de projetos. A Secretaria de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma) encabeçará as ações.

Dentro desses pacotes ambientais também está a limpeza da orla de Fortaleza. Ou seja: deixar toda a Beira-Mar em condição própria para banho até o final de 2014. Os trabalhos estão sob o comando da Seuma (em parceria com a Cagece) para identificar todas as ligações clandestinas de esgoto. Os assessores da Prefeitura acreditam que, se a cantora Jennifer Lopez retornar a Fortaleza em 2015, poderá tomar um banho na orla sem susto…

O projeto está incluído no orçamento de reforma da Beira-Mar. Pelo cronograma, até março será concluído o Mercado do Peixe; em seguida, ficará pronto o espigão em frente ao Náutico. Já o aterro (com 1,3 km de extensão, e que ficará na mesma linha do aterro da Praia de Iracema) deve ficar pronto antes da Copa. A reforma completa será concluída em 2015.

(Coluna O POVO Economia, do O POVO)

Balança comercial brasileira fecha 2013 com pior resultado desde 2001

“A balança comercial brasileira encerrou  o ano com superávit (exportações maiores que importações) de US$ 2,561 bilhões. Trata-se do pior resultado desde 2001, quando houve saldo positivo de US$ 2,684 bilhões.  Os dados foram divulgados hoje (2) pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Os números estão de acordo com a expectativa do governo, que vinha anunciando estimativa de superávit pequeno, em função da queda das exportações de petróleo.

O saldo positivo anual foi resultado de US$ 242,1 bilhões em exportações e US$ 239,6 bilhões em importações. A média diária das vendas externas, que corresponde ao volume financeiro vendido por dia útil, fechou o ano em US$ 957,2 milhões, patamar 1% inferior aos US$ 966,4 milhões registrados em 2012. As importações cresceram 6,5% segundo o critério da média diária, de US$ 889,2 milhões por dia útil em 2012 para US$ 947,1 milhões em 2013.

Em 2013, cresceram as vendas externas de produtos manufaturados (1,8%), enquanto caíram as de produtos semimanufaturados (-8,3%) e de básicos (-1,2%) na comparação com 2012. Nas importações, houve crescimento nos gastos com combustíveis e lubrificantes (+13,8%), matérias-primas e intermediários (+5,8%), bens de capital (+5,4%) e bens de consumo (+ 3,4%).”

(Agência Brasil)

Promotor de justiça de Quixeramobim sai da função para atuar nas eleições

igor pinheiro

O promotor de justiça Igor Pinheiro foi designado pela Procuradoria Geral de Justiça do Estado para integrar, em nome do MP, grupo que acompanhará e fiscalizará todo o processo eleitoral deste ano.

Ele deixará a função de promotor de Quixeramobim e um substituto deve ser designado pelo procurador-geral de Justiça, Ricardo Machado, nos próximos dias. Igor Pinheiro permanecerá nessa equipe até 31 de dezembro.

Igor é o mesmo promotor que, quando esteve em Tianguá, pediu a prisão de mais de 20 gestores públicos. Em Quixeramobim, em operações do MP e Polícia Civil, também fez parte da equipe que prendeu mais de 20 gestores públicos, entre os quais o prefeito Cirilo Pimenta.

Ocupando essa função, por onde passou, é tido como linha dura. A PGJ garante que a mudança não teve nenhum tipo de interferência política.

Acusado de fabricar armas é posto em liberdade por ordem judicial

60 1

“Um marceneiro de 45 anos, acusado de fabricar armas de grosso calibre para abastecer quadrilhas de assalto a banco, foi preso pela Polícia Civil e solto pelo Poder Judiciário, no intervalo de três dias. Francival Avelino da Silva havia sido capturado na manhã do último dia 27 de dezembro, no município de Ocara, a 95 km de Fortaleza. Três dias depois, foi solto mediante ordem judicial expedida pela Comarca de Acarape, durante o plantão judiciário.

Responsável pela prisão, o titular da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), delegado George Monteiro, informou que Francival havia sido preso em flagrante após investigação que durou cerca de dois meses. O acusado teria confessado que trabalhava como “armeiro” para uma quadrilha. Francival foi preso sob a acusação de porte, posse e comércio ilegal de arma de fogo. Mesmo assim, teve a soltura decretada pela juíza substituta Juliana Sampaio.

Desde setembro último, quando o Tribunal de Justiça do Ceará aprovou novas regras do plantão Judiciário, não podem mais ser apreciados pedidos de habeas corpus, liberdade provisória e relaxamento de prisão que tenham como fundamento excesso de prazo da prisão, devendo tais pedidos serem analisados no expediente regular pelo Juízo competente. (Thiago Paiva)”

(O POVO)

O mundo e o viveiro

Em conto enviado ao Blog, o jornalista Nicolau Araújo nos faz refletir sobre os nossos ideais para 2014. Afinal, você habita o mundo ou um viveiro? Confira:

No alto de um vale, havia um grande viveiro com inúmeras espécies de pássaros. Todas as aves nasceram e cresceram sob os cuidados de um velho e solitário fazendeiro. O orgulho do cativeiro, porém, era um novo e avermelhado canário, que se destacava dos demais, por causa de seu belo e forte canto.

Um dia, o velho fazendeiro, seduzido pelo canto de um selvagem pássaro azul, resolveu armar um alçapão para capturar a livre ave do vale. Horas depois, o passarinho azul fora atraído pela estranha armadilha e ficou preso no alçapão.

Ao observar a agitação da selvagem ave azul na armadilha, o velho ainda hesitou em colocá-la no viveiro, junto aos domesticados e cantadores pássaros. Mas a sedução pelo canto do vale foi mais forte e o viveiro recebeu o seu primeiro morador não nascido no cativeiro.

Porém, triste com a perda da liberdade, o pássaro azul nunca chegou a soltar sequer um pio, diante dos vários estrilos do grande viveiro. Após observar o silêncio do novo morador, já há alguns dias, o orgulhoso canário avermelhado se aproximou e, com uma irônica melodia, perguntou-o:

– Você não sabe cantar?

– Sei… Respondeu o pássaro azul, em um único suspiro.

– Então, por que nunca ouvimos o teu canto? Pois, se tu não sabes, o canto é a maior qualidade de nós, os pássaros! Intrigou-se o canário.

– Não! Manifestou-se a selvagem ave. A maior qualidade dos pássaros é voar!

– E os pássaros voam?! Agitaram-se os demais pássaros do cativeiro, acostumados apenas a saltar diante dos poleiros, devido ao pouco espaço do viveiro para tantas aves.

– É claro que voamos, é da nossa natureza. Ressaltou o pássaro azul, tentando encontrar espaço, para uma demonstração.

– É mentira! Interrompeu o canário. Os pássaros cantam, não voam. E começou a estrilar.

Mas o pássaro azul insistiu no voo das aves e começou a contar suas aventuras de quando era livre, com a tristeza da saudade. Mesmo com a implicância do canário, muitos pássaros se sensibilizam com as histórias da selvagem ave e começaram a parar de cantar, um a um.

Assustado com o silêncio no viveiro, pois somente o canário insistia em manter o canto, o velho fazendeiro imaginou que, talvez, o pássaro azul tivesse levado alguma desconhecida doença para as outras aves. E resolveu se livrar da ave do vale, libertando-a do cativeiro.

Para a surpresa do viveiro, o pássaro selvagem voou, cantou e prometeu retornar para libertar a todos.

– Ele não vai voltar. Não mantenham a esperança, vamos voltar a cantar. Gritou o canário, tentando disfarçar a sua surpresa com o que acabara de presenciar.

No entanto, três dias depois, ao final de uma tarde silenciosa, o pássaro azul retornou ao viveiro na companhia de um amigo pica-pau para cumprir a sua promessa.

Rapidamente o pica-pau começou a bicar a madeira que sustentava as grades do viveiro. Bicou, bicou, até provocar uma abertura no cativeiro.

– Vamos, meus amigos. Chamou o pássaro azul. Venham conhecer a liberdade.

Mas, timidamente, os pássaros chegavam até a abertura do cativeiro e recuavam.

– Estamos com medo, disseram. Nós não sabemos voar. Voar não é para nós, pois nunca fomos livres. Vamos cair.

– É claro que vocês sabem voar, insistiu a selvagem ave. É da nossa natureza, apenas sigam os seus instintos.

– Vocês vão cair! Vocês vão morrer! Agitou-se o canário cantador.

– Ninguém vai cair, garantiu o pássaro azul. Nós temos asas e uma natureza, libertem o desejo de voar.

Encorajada por um sentimento de liberdade, a primeira ave do cativeiro bateu suas asas, se desequilibrou, quase caiu, mas conseguiu recuperar a confiança e voou. Voou, voou e cantou como nunca antes.

– É verdade! Os pássaros voam, que delícia é a liberdade! Gritou do alto, encorajando outras aves.

Uma a uma foi deixando o cativeiro, com a mesma alegria de liberdade. Até restar somente o canário.

– Você não vem? Perguntou o pássaro azul.

– Não, vou ficar. Já tenho o meu belo canto, não preciso voar para me sentir livre. Respondeu o orgulhoso canário.

– O seu canto é belo, é verdade. Mas tenho certeza que, se você for livre, ficará ainda mais belo. Insistiu a ave do vale.

– Sou o melhor de todos no canto, mas não tenha certeza se serei tão bom no voar. Deixe-me em paz, você já me trouxe muitos problemas. Esquivou-se o canário.

E o pássaro azul partiu de volta para o alto do vale, onde todos os dias viveu intensamente a liberdade, na companhia dos novos amigos.

Ao final de todas as tardes, quando o vale então silenciava, de muito longe os pássaros ouviam o triste canto de um solitário canário, o canto de quem não teve a humildade e a coragem de seguir a sua natureza.

Nicolau Araújo, jornalista

Ministério nega uso de artifício para elevar balança comercial

O secretário de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Daniel Godinho, defendeu nessa quinta-feira (2) as operações envolvendo plataformas de petróleo nas quais as unidades não deixam o país, mas que são computadas como exportações. Em 2013, a venda de sete plataformas somou US$ 7,7 bilhões, montante superior ao apurado com transações semelhantes em 2012, que foi US$ 1,5 bilhão. Segundo Godinho, o aumento das operações reflete o desenvolvimento da indústria naval brasileira e não constitui um artifício para elevar o saldo da balança comercial.

O secretário de Comércio Exterior reafirmou a legalidade do registro das operações como exportações. “Existem registros de exportações de plataformas desde 2004. Com exceção de 2006 e 2009, essas operações aconteceram todos os anos. É algo que faz parte do comércio exterior brasileiro. O nome dessa operação, de acordo com todos os critérios internacionais, é troca de titularidade entre vendedor nacional e comprador estrangeiro. Para todos os efeitos fiscais e contábeis é uma exportação”, declarou.

As operações envolvendo plataformas são exportações fictas, nome dado à prática comercial que produz os efeitos cambiais e fiscais de uma exportação, sem que o produto deixe o país. Na prática, as plataformas são repassadas a pessoas jurídicas domiciliadas no exterior e, posteriormente, alugadas para operar no Brasil sem jamais deixar o território nacional. Dessa forma, a empresa brasileira pode se beneficiar do Regime Aduaneiro de Exportação e Impostação de Bens Destinados à Produção e à Exploração de Petróleo e Gás (Repetro).

De acordo com Godinho, em alguns casos a aquisição no exterior se deu por subsidiárias da própria Petrobras e, em outros, por um comprador distinto. Segundo o secretário de Comércio Exterior, a entrada em operação das sete novas plataformas está entre os fatores que contribuirão para uma elevação na produção nacional de petróleo este ano.

(Agência Brasil)

Pessoas com deficiência podem ter cota em candidaturas ao Legislativo

Projeto que reserva para pessoas com deficiência pelo menos 5% do número de candidatos apresentados por partido ou coligação a vagas de vereador e de deputado federal, distrital e estadual pode ser votado Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa em 2014. De autoria do senador Pedro Taques (PDT-MT), o PLS 553/2013 aguarda recebimento de emendas e, depois de votado na CDH, seguirá para a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), para votação em decisão terminativa.

O senador lembrou que a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, da qual o Brasil é signatário, determina que seja assegurada às pessoas com deficiência a participação plena na vida política, por meio da candidatura e ocupação de cargos eletivos. Para ele, a aprovação da proposta fará com que ações relevantes para as pessoas com deficiência ganhem espaço na agenda política nacional.

Pedro Taques destacou que a expansão, no Brasil, de políticas que concedem benefícios a grupos desprivilegiados responde ao reconhecimento crescente da importância de a igualdade de oportunidades atingir a totalidade dos cidadãos.

(Agência Senado)