Blog do Eliomar

Últimos posts

Reforma da Previdência – Bolsonaro receberá presidentes de seis partidos nesta quarta-feira

O presidente Jair Bolsonaro iniciará, nesta quinta-feira (4), a rodada de reuniões com dirigentes de partidos. Entre os temas que serão discutidos, está a busca de apoio para aprovação da reforma da Previdência no Congresso Nacional, informa o Portal G1.

A Casa Civil adiantou que as reuniões terão a presença do ministro Onyx Lorenzoni, já que ele responde pela articulação política do governo. De acordo com a agenda oficial, Bolsonaro receberá nesta quinta os presidentes de seis partidos:

Marcos Pereira, presidente do PRB

Gilberto Kassab, presidente do PSD

Geraldo Alckmin, presidente do PSDB

Ciro Nogueira, presidente do PP

ACM Neto, presidente do DEM

Romero Jucá, presidente do MDB

As conversas com dirigentes partidários continuarão na semana que vem, com a previsão de audiências com outras cinco siglas, entre as quais o PSL, legenda do próprio Bolsonaro.

(Foto – Agência Brasil)

Editorial do O POVO – “Sertão: reportagens etnográficas”

Com o título “Sertão: reportagens etnográficas”, eis o Editorial do O POVO, que aborda sobre o primeiro livro-reportagem do O POVO, a ser lançado nesta quinta-feira. Confira:

Hoje, às 19 horas, no Espaço O POVO de Cultura & Arte será lançado o livro “A Peleja da Água – Reportagens Etnográficas” com a condensação de 15 cadernos especiais publicados pelo jornal, entre 2000 e 2019, enfocando a temática do semiárido, a partir de uma elaboração jornalística compromissada com a expressão da realidade em suas várias facetas: econômica, social, cultural e idiossincrática, que expõe falas, pessoas, lugares e possibilidades do sertão, através das lentes da grande reportagem, filha de um jornalismo encarnado, que também se deixa transpassar pela literatura e a poesia.

Será a primeira experiência do O POVO, em seus 91 anos de existência, no campo do livro-reportagem, expondo um tipo de cobertura que vai além da factualidade da pauta e adentra dimensões que se sintonizam não apenas com o intelecto do leitor, mas com sua alma. Nesse elaborar, dá-se uma costura entre a perspectiva histórica e a jornalística.

Assim, vemos desfilar nas páginas 20 anos de destrinchamento dos sertões pelas lentes de um jornalismo instigante, que não se detém no invólucro aparente da realidade, mas mergulha em seus meandros mais abscônditos. Neles, se deparam, não muito raramente, com o intricado de interesses que conspiram para tornar opacas aos olhos do conjunto da sociedade as causas reais que impedem o povo sertanejo de fazer uso de seu potencial criativo e empreendedor para escapar das malhas do atraso, da sujeição política e da condicionalidade climática.

E o mais surpreendente e comovedor para os repórteres: descobrir, no meio disso tudo, um povo generoso, hospedeiro, cativante e cheio de vida, que faz uso da poesia e da arte – e de uma sabedoria incontrastável, tanto quanto de habilidades atávicas – como instrumentos para superar desafios monumentais, sem abrir mão da esperança, da poesia e da alegria de viver.

A evolução da cobertura sobre os sertões testemunha mudanças sutis, mas profundas, na relação humana, da sociedade e do poder público com os fenômenos ambientais. Não se trata mais de enfrentar a condição climática como uma fatalidade incontornável, mas de conviver com ela e dela tirar dividendos. O sol forte não traz só secas, mas, também, turismo e safras multiplicadas num mesmo ano (graças à irrigação), energia solar e outras vantagens.

O próprio jornalismo, ao fazer parceria com a literatura na investigação etnográfica, possibilita explorar novos processos narrativos. O que é ampliado com a utilização de webdocs e webséries, dando ensejo a conteúdos específicos, tanto no audiovisual, como no impresso ou no hotsite, mas que alimentam um diálogo com a autonomia e complementariedade de cada um desses meios. Vale à pena constatá-lo.

(Editorial do O POVO)

Fortaleza amanhece sob forte chuva

Em ruas de bairros como o Parque Araxá, alagamentos voltam a reinar

Fortaleza registra chuva forte neste começo de manhã de quinta-feira. Em vários pontos da cidade, reapareceram velhos alagamentos, o que exige cautela por parte dos motoristas.

Além da pista molhada, que faz o trânsito ficar mais lento, há buracos encobertos pelas águas, um risco para acidentes.

A previsão da Funceme para esta quinta é de céu nublado, na maioria das cidades, com eventos de chuva em todo o Estado.

Cena inusitada: às 5h40min, esta jovem pendurada numa bicicleta, sob guarda-chuva, transitou pela avenida Domingos Olímpio.

(Fotos – Paulo Moska)

Senado aprova PEC do Orçamento Impositivo; texto volta para Câmara

O Senado aprovou em plenário, na noite dessa quarta-feira (3), a chamada PEC do Orçamento Impositivo (PEC 34/2019). A proposta prevê que o governo federal seja obrigado a liberar a verba de emendas parlamentares de bancada para ações previstas no Orçamento. As chamadas emendas de bancada são as apresentadas por deputados e senadores de cada estado para ações específicas naquela unidade da Federação.

Os senadores conseguiram a aprovação em dois turnos consecutivos, com placar de 58 a 6 no primeiro turno e 59 a 5 no segundo. O tema já havia passado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), quando foi aprovado em sessão realizada na manhã de hoje.

A aprovação em dois turnos realizados em sequência só foi possível graças a um acordo de quebra de interstício, firmado na terça-feira (2) entre as lideranças para acelerar a tramitação do projeto. Agora, a proposta volta para a Câmara. Os deputados precisam aprovar o texto alterado pelo Senado.

O acordo também assegurou a aprovação de mudanças em relação ao texto aprovado na Câmara dos Deputados, na semana passada. Após entendimentos com o ministro da Economia, Paulo Guedes, ficou acertado que será aplicado percentual de 0,8% da receita corrente líquida (RCL) em 2020, ao em vez de 1%, como aprovado pela Câmara. E somente a partir do segundo ano, após a promulgação da norma, será de 1% da RCL em 2021.

Os senadores também incluíram um dispositivo no qual a destinação dos recursos de uma mesma emenda de bancada só poder ser alterada a partir da conclusão de um determinado projeto. O objetivo é evitar obras inacabadas.

Caso a Câmara corrobore o texto vindo do Senado, os estados terão R$ 1 bilhão cada, em um prazo de três anos. Isso resultará em mais de R$ 300 milhões por ano para cada estado, apenas com verbas de emendas de bancada.

O relator da proposta do Senado, Espiridião Amin (PP-SC), destacou que a proposta enfraquece a barganha de votos usando verbas de emendas parlamentares e afirmou que o Congresso está tratando de “pequenas cifras”. “Estamos discutindo pequenas cifras. As grandes cifras do Orçamento, [como] juros e renúncias fiscais, focalizaremos doravante para avaliar o custo e benefício. [Com a aprovação da PEC,] o país ganha em democracia representativa.”

Para o senador Randolphe Rodrigues (Rede-AP), a proposta traz o fim do chamado “toma lá, dá cá”, que é a liberação de verba de emendas parlamentares pelo governo em troca de votos no plenário. “Estamos sepultando o ‘toma lá, dá cá’ com essa matéria. Nós estamos atualizando a democracia brasileira com essa emenda. Não é a solução para todos os problemas das federações, mas é um fôlego de investimentos nos estados”.

Álvaro Dias (Pode-PR) foi contra a matéria. Para ele, a PEC pode provocar desperdício de recursos públicos, em um período de crise econômica do país. “Nós temos que levar em conta a eventualidade do desperdício dos recursos públicos. E não creio que essa seja a forma mais adequada de uso do dinheiro público”. O senador defendeu revisão das desonerações, isenção de tributos para setores da economia.

(Agência Brasil)

Mega-Sena – Ninguém acerta e prêmio pode chegar a R$ 32 milhões

Nenhuma aposta acertou as seis dezenas do concurso 2.139 da Mega-Sena. O sorteio foi realizado na noite dessa quarta-feira (3), no Espaço Loterias Caixa, em São Paulo.

O prêmio acumulou e a estimativa para o próximo concurso, no sábado (6), é R$ 32 milhões. Foram sorteadas as seguintes dezenas: 14 – 23 – 29 – 41 – 57 – 58.

Mega-Sena, loterias, lotéricas
Mega-Sena, loterias, lotéricas – Marcello Casal Jr./Agência Brasil
Os 65 ganhadores da quina vão receber cada um a quantia de R$ 34.758,78. A quadra teve 3.441 apostas vencedoras. Cada uma pagará o valor de R$ 937,98.

As apostas para o concurso 1.140 podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) de sábado, em qualquer uma das casas lotéricas credenciadas pela Caixa em todo o país. A aposta simples, com seis dezenas, custa R$ 3,50.

(Agência Brasil)

Ex-presidente da Renault é preso novamente no Japão

Os promotores de Tóquio, no Japão, determinaram, nessa quarta-feira, pela quarta vez, a prisão do executivo franco-brasileiro Carlos Ghosn, de 64 anos, ex-presidente da Renault. O empresário foi solto, no mês passado, sob fiança, após 108 dias de custódia. Nesta quarta-feira, Ghosn foi preso na casa dele.

De acordo com a emissora estatal japonesa, NHK, é raro no Japão que alguém libertado sob fiança seja preso novamente.

Os investigadores apuram informações sobre o desvio de US$ 34 milhões pagos a uma concessionária da Nissan em Omã, operada por um dos conhecidos de Ghosn, ao longo de sete anos.

Há informações que parte do dinheiro foi para comprar um iate de Ghosn. Segundo apurações, o dinheiro veio de um fundo de reserva da Nissan que o executivo foi autorizado a usar a seu critério.

Ghosn foi indiciado sob acusação de violação agravada de confiança e subnotificação de sua indenização. Ele nega essas acusações.

(Agência Brasil/Foto – Reuters)

Sabotage – Um bom lugar

Homenagem do Blog ao rapper e ator paulista Mauro Mateus dos Santos Filho, o Sabotage, que nesta quarta-feira (3) faria 46 anos. Ele foi assassinado em janeiro de 2003, aos 29 anos. Condenado a 14 anos de prisão, o assassino disse que o crime foi encomendado pelo PCC, diante do envolvimento de Sabotage com assaltos e tráfico de drogas, antes da fama. A participação da facção criminosa paulista não foi comprovada.

Copa do Brasil – Vozão dá show em Itaquera, vence Corinthians, mas é eliminado

O Ceará chegou bem próximo de fazer história em Itaquera, ao derrotar o Corinthians, na noite desta quarta-feira (3), pela Copa do Brasil, por 1 a 0, mas acabou eliminado pelo Timão, que venceu a partida no Castelão, na primeiro confronto, por 3 a 1. Roger, aos 42 minutos do segundo tempo, marcou o gol da vitória do Vozão, que encerrou a série de 13 jogos de invencibilidade do Corinthians, diante de quase 40 mil torcedores.

Precisando da vitória por dois gols, o Ceará encarou o Corinthians por igual e teve as melhores chances de gol. O Vozão pressionou mais, após a expulsão do goleiro Cássio, que teve que pegar a bola com a mão, fora da área, após um mau recuo da zaga.

(Foto: Reprodução)

Fortaleza é o primeiro finalista do Estadual 2019

187 1

O Fortaleza voltou a vencer o Guarany de Sobral, pelas semifinais do Campeonato Estadual de Futebol, na noite desta quarta-feira (3), por 1 a 0, no Castelão, e assegurou participação na decisão pelo título da temporada. Osvaldo, aos 39 minutos do primeiro tempo, marcou o único gol da partida. No jogo de ida, o Leão derrotou o Guarany, no Junco, em Sobral, pelo mesmo placar.

O Fortaleza agora aguarda o resultado da partida entre Ceará e Floresta, na próxima quarta-feira (10), no Castelão. Na primeira partida, as duas equipes empataram em 2 a 2, no estádio Domingão, em Horizonte, na Região Metropolitana de Fortaleza.

(Foto: Reprodução)

Chamado de “Tchutchuca” por filho de Dirceu, Guedes reage: “É sua mãe”; sessão é encerrada

274 2

A quente reunião da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) da Câmara, com participação do ministro da Fazenda Paulo Guedes, terminou em confusão. O desfecho foi em momento de provocação feita pelo deputado federal Zeca Dirceu (PT), filho do ex-ministro José Dirceu (PT).

“O senhor é tigrão com aposentados e trabalhadores, mas é Tchutchuca quando mexe com a turma mais privilegiada desse país”, disse o deputado.

“Tchutchuca é sua mãe e sua avó”, respondeu Guedes.

(O POVO Online / Foto: Reprodução))

Reforma da Previdência terá impacto 14 vezes maior para servidores

O impacto da reforma da Previdência será cerca de 14 vezes maior para os servidores públicos do que para os trabalhadores da iniciativa privada, disse hoje (3) o ministro da Economia, Paulo Guedes. Em audiência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, ele apresentou uma estimativa de economia proporcionada pela proposta por tipo de contribuinte.

“Nós temos um cálculo. São 71 milhões de pessoas no regime geral [que paga aposentadorias do setor privado e das estatais]. A contribuição de cada um em dez anos é de R$ 9 mil. Na hora que pega o servidor, cada um contribuiu com R$ 140 mil”, disse.

Em relação aos militares, o ministro disse que cada um contribuirá com R$ 181 mil por pessoa nos próximos dez anos. A conta, o entanto, considera apenas a economia de R$ 97,3 bilhões da reforma das aposentadorias dos militares, não levando em conta o impacto de R$ 86,9 bilhões com a reestruturação da carreira da categoria.

A versão original da proposta enviada ao Congresso prevê economia de R$ 1,17 trilhão em dez anos. O ministro da Economia classificou de “fábrica de desigualdades” o atual sistema previdenciário, citando que a aposentadoria média de servidores e parlamentares na Câmara dos Deputados é 20 vezes maior que a do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), enquanto 83% dos brasileiros se aposentam com até dois salários mínimos.

Investimentos

Em relação à economia de recursos com a reforma da Previdência, Guedes disse que boa parte do dinheiro será usado em investimentos, que impulsionarão o crescimento da economia brasileira nos próximos anos, e não irá para bancos.

“É uma ilusão achar que esse dinheiro [R$ 1 trilhão de economia] some. Esses recursos são injetados na economia em forma de investimentos. Não tem trilhão nenhum que vai para banco nenhum”, declarou. Ele reiterou que a proposta do sistema de capitalização não prevê que bancos gerenciem a poupança dos trabalhadores, mas entidades autônomas, que funcionam como fundos de pensão.

(Agência Brasil)

TRF5 – Izolda participa da posse de desembargadores federais

O desembargador federal Vladimir Carvalho foi empossado nesta quarta-feira (3), em Recife, à frente do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5). A vice-governadora Izolda Cela prestigiou a solenidade.

Os desembargadores Rubens Canuto e Carlos Rebêlo também foram empossados, hoje, para os cargos de vice-presidente e corregedor-regional, respectivamente, para o biênio 2019-2021.

(Foto: Divulgação)

Multas – Decisão sobre radares será debatida com critério técnico, diz ministro

O ministro de Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, defendeu hoje (3) a decisão do governo federal de suspender um contrato para a instalação de radares em rodovias federais. O ministro foi questionado sobre a determinação durante audiência pública na Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados. De acordo com Freitas, o debate sobre a instalação de radares será feito com base em critérios técnicos.

“As vezes as decisões de onde colocar radar são tomadas de forma pouco técnica, o que a gente está trazendo é uma certa racionalidade para isso. Para que a gente chegue em um [resultado] ótimo em termos de investimento e manutenção. Isso tem que ser reequilibrado e [é] isso que estamos fazendo no momento”, disse o ministro.

A suspensão recai sobre um contrato do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) que previa a instalação de 8.015 radares em cinco anos. A medida foi anunciada no domingo (31) pelo presidente Jair Bolsonaro, por uma rede social, com o argumento de que objetivo principal da instalação seria arrecadar recursos para os estados.

De acordo com o ministro, o governo quer colocar os radares em lugares onde são “necessários” e que o contrato do Dnit previa a instalação excessiva de radares e que o custo chegaria a R$ 1 bilhão. “São vários motivos que levam a acidentes e um deles é o excesso de velocidade. A falta de manutenção, de sinalização e o sono também causam acidentes. A gente começa a perceber que é preciso colocar radar nos locais onde o excesso de velocidade está conectado com acidentes”, disse.

Ontem (2), o diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Mario Rodrigues Junior, disse que a agência também vai reavaliar os pedidos de instalação de novos radares nas rodovias que foram concedidas. De acordo com Rodrigues, muitas vezes a instalação de radares é determinada pela geometria da rodovia para se evitar acidentes. Ele disse que nos cerca de 9,7 mil quilômetros de rodovias concedidas à iniciativa privada estão instalados 633 radares.

Carteira de motoristas

O ministro também disse que o governo vai tomar medidas para diminuir o custo para a obtenção da carteira de motorista. De acordo com o ministro, que criticou a exigência do uso de simuladores, há um excesso de burocracia voltado para encarecer o procedimento. Uma delas seria o aumento no prazo para renovação da carteira.

Freitas foi questionado pelo deputado Hugo Mota (PRB-PB) se o afrouxamento das regras para a obtenção da habilitação, em vez de reduzir, poderia aumentar o número de acidentes. “O Brasil não tem uma infraestrutura adequada de trânsito e os dados mostram que a maioria das mortes se dá por excesso de velocidade. Baixar o custo da carteira é importante, mas isso vai acarretar no aumento dos custos da saúde pública”.

O ministro defendeu a redução dos procedimentos e disse que as decisões serão tomadas tecnicamente, ouvindo os diferentes setores. “A desburocratização não vai significar a precarização da formação do condutor. Meu pai morreu atropelado, não vamos brincar com a segurança de trânsito, mas não dá pra ficar com a burocracia estéril”, disse.

(Agência Brasil)

Comissão de Reforma do Regimento Interno da Assembleia Legislativa faz seu primeiro encontro

Sob o comando de Audic Mota (PSB), a Comissão Especial de Reforma e Atualização do Regimento Interno da Assembleia Legislativa realizou, nesta quarta-feira, seu primeiro encontro de trabalho. Na ocasião, uma mesa plural, composta por especialistas da área do Direito e no âmbito dos processos legislativos marcou presença. A Comissão tem como relator o deputado Daniel Oliveira (MDB).

O grupo fez reunião no Complexo de Comissões, quando tirou indicativos sobre o organograma das atividades.

Os membros da Comissão levaram em conta, nesse organograma, aspectos temáticos e adiantaram detalhes acerca do que deva nortear a elaboração do novo código.

Participaram ainda do encontro os titulares da Comissão: Leonardo Araújo (MDB), Elmano Freitas (PT) Sérgio Aguiar (PDT) e Antônio Granja (PDT).

(Foto – ALCE)

Estudantes poderão renegociar dívida do Fies a partir de 29 de abril

Estudantes que têm dívidas com o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) poderão solicitar a renegociação dos valores devidos entre os dias 29 de abril a 29 de julho. O prazo foi divulgado hoje (3), em portaria do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), autarquia do Ministério da Educação (MEC) responsável pel execução do programa.

As regras para a renegociação foram divulgadas no ano passado. Podem ser renegociados os contratos com atraso no pagamento de pelo menos 90 dias e que ainda estiverem no período de amortização e não tenham sido alvo de ação judicial pelo agente financeiro. A medida vale para os contratos de financiamentos concedidos até o segundo semestre de 2017.

Os contratantes do Fies terão duas opções: o reparcelamento, que permite estender o prazo de pagamento da dívida para até 48 parcelas mensais, além de incluir os estudantes com contratos mais antigos na campanha de renegociação; e o reescalonamento, que possibilita diluir os valores em atraso nas parcelas a vencer.

Para isso, deverá ser paga uma parcela de entrada, em espécie, correspondente ao maior valor entre 10% do valor consolidado da dívida vencida e R$ 1 mil. O valor da parcela mensal de amortização resultante da renegociação não poderá ser inferior a R$ 200, mesmo que implique a redução do prazo remanescente contratual.

O estudante financiado interessado em renegociar a dívida com o Fies deverá apresentar-se na agência bancária onde firmou o contrato, com um ou mais fiadores, cuja renda não poderá ser menor do que o dobro do valor da nova prestação calculada, respeitando o tipo de garantia contratada.

Fies

O Fies oferece financiamento para cobrir os custos das mensalidades de instituições privadas de ensino superior. O programa foi reformulado em 2017 e, a partir de 2018, passou a ofertar financiamentos em duas modalidades. A primeira é financiamento com juro zero para os estudantes que tiverem renda per capita mensal familiar até três salários mínimos. Nessa modalidade, o aluno começará a pagar as prestações respeitando o limite de renda.

A segunda é a denominada P-Fies, destinada aos estudantes com renda per capita mensal familiar até cinco salários mínimos. A modalidade funciona com recursos dos fundos constitucionais e de Desenvolvimento e com recursos dos bancos privados participantes.

Neste ano, o Fies oferece 100 mil vagas na modalidade juro zero e 450 mil na modalidade P-Fies, de acordo com o MEC.

(Agência Brasil)

Pela Valorização da Polícia Judiciária

Com, o título “Valorização da Polícia Judiciária”, eis artigo de Irapuan Diniz de Aguiar, advogado e professor. Ele bate na tecla na necessidade de o Estado dar condições de trabalho para esse segmento Confira:

Uma das causas mais diretamente ligadas à problemática da criminalidade e violência é, indubitavelmente, a impunidade. Por outro lado, a lei constitui-se no instrumento mais poderoso de que dispõe o Estado democrático para regular as relações entre seus cidadãos e, por meio dela, coibir os excessos praticados. Quando, no entanto, a legislação se apresenta disforme ou arcaica, torna-se fonte de abusos e arbitrariedades traduzindo a certeza, hoje tão forte, da impunidade. Não se há de negar um esforço do Poder Judiciário em se modernizar e se adequar aos novos tempos, consciente de que a Justiça, além de rápida, tem que estar próxima do povo.

A introdução de mecanismos tecnológicos de acesso é uma tentativa nessa direção. Há, contudo, a necessidade de o Poder Executivo vir a se somar a esse esforço. Contudo, o que se observa é um completo alheamento da Polícia Judiciária no processo, à falta de estrutura material e humana que lhe permita dar respostas rápidas às demandas da comunidade especialmente no que diz respeito à investigação dos delitos e a consequente diminuição dos homicídios de autoria desconhecida. A despeito da Polícia Civil ser instituição pública da maior relevância para a promoção de uma boa Justiça, eis que essencial à função jurisdicional do Estado, inexiste política governamental de valorização dos profissionais que integram seus quadros. Alçada ao patamar constitucional tem sido, desde então, relegada a plano inferior na estrutura estatal. Por mais paradoxal que pareça, à medida que o crime se sofisticou e que a sociedade evoluiu cultural, técnica e educacionalmente, a instituição policial regrediu. Retiraram de sua estrutura organizacional os órgãos técnico-científicos (IML, II, IC) que passaram a compor um outro órgão autônomo e corporativista denominado Perícia Forense.

A capacitação de seus quadros em áreas específicas nos cursos promovidos pela AESP, tais como técnica de interrogatório, prática cartorária, criminalística, criminologia, legislação processual penal, organização e administração policiais, parece não terem o mesmo conteúdo e relevância quando da existência da extinta Academia de Polícia Civil – APOC.

O Delegado de Polícia, a quem cabe a direção do órgão e a presidência dos inquéritos policiais, necessita para a elucidação das mais diversas modalidades delituosas da existência, não apenas de uma instituição alicerçada numa base técnico-científica, mas principalmente numa política de pessoal que prestigie aqueles que compõem esta importante e complexa área da administração pública.

De resto, é procurar estreitar, cada vez mais, as ações dos órgãos envolvidos na cadeia institucional de realização da justiça, cujos procedimentos se iniciam com o inquérito policial, passando pela denúncia do MP e o julgamento dos feitos pela Justiça, sem esquecer a assistência, sempre presente, da advocacia estatal. Não basta, por conseguinte, a modernização do Judiciário se a ela não se seguir à modernização dos organismos que lhe dão suporte.

*Irapuan Aguiar,

Advogado e professor.

Presidente nacional do PDT cumprirá maratona de encontros no Ceará

Lupi e Ciro Gomes.

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, cumprirá maratona de contatos no Ceará. A informação é do presidente regional pedetista, o deputado federal André Figueiredo.

Nesta quinta e sexta-feira, ele terá reunião com parlamentares na Assembleia Legislativa, quando o mote vai ser a organização dos diretórios municipais de olho em 2020.

Também está previsto um almoço de Lupi, no Restaurante Pipo, na sexta-feira, com a direção estadual, palestra para a Juventude do PDT, na sede da legenda, e ainda participação na convenção municipal de Baturité (Maciço de Baturité) e um debate sobre Reforma da Previdência em São Gonçalo do Amarante (Região Metropolitana de Fortaleza).

(Foto – Paulo MOska)

Governo pode oferecer cargos para aliados, diz Mourão

O presidente em exercício, Hamilton Mourão, disse hoje (3) que o governo pode oferecer aos partidos políticos cargos em órgãos federais nos estados ou nos ministérios para manter sua base aliada no Congresso Nacional e garantir apoio nas votações de projetos governistas, entre eles a reforma da Previdência. A decisão, segundo ele, cabe ao presidente Jair Bolsonaro.

Para Mourão, o governo deve construir sua base a partir da apresentação clara e transparente de suas propostas.

“Primeiro lugar, o governo tem que ter clareza em apresentar suas propostas, de modo que traga os partidos em torno dessas propostas. Esse é o ponto focal. A partir daí, no momento em que esses partidos estejam concordando com o que o governo pretende fazer, é obvio que terão algum tipo de participação, seja cargos nos estados ou em algum ministério, isso é decisão do presidente”, disse ao deixar o gabinete da Vice-Presidência, em Brasília.

Na manhã de hoje, Mourão recebeu parlamentares do PRB em seu gabinete, mas disse que foi uma visita de cortesia, ressaltando que os ministros da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e da Secretaria de Governo, Alberto Santos Cruz, são os articuladores do Palácio do Planalto com o Congresso Nacional.

Audiências

Após reunião no Senado, hoje, o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse que Bolsonaro vai receber presidentes de partidos para uma primeira rodada de diálogos em busca de apoio à aprovação da reforma da Previdência. Segundo ele, para que o governo tenha uma base constituída, é preciso “dialogar, convidar e abrir a porta” aos partidos políticos. A reunião está agendada para amanhã (4).

De acordo com o líder do PRB na Câmara, deputado Jhonatan de Jesus (PRB-RR), a formação da base depende do relacionamento que o governo quer criar com o Parlamento e que as conversas sobre indicações políticas só aconteceram com os líderes das bancadas estaduais, não com as bancadas partidárias. O deputado federal Marcos Pereira (ES), presidente do PRB, será um dos participantes da reunião com Bolsonaro.

“Não estamos atrás dos cargos hoje, foi o governo que chamou as bancadas estaduais para dialogar sobre esses cargos. Cada bancada estadual esta cuidando dos cargos nos estados e até agora nenhum partido foi chamado para discutir cargos de segundo ou terceiro escalão”, disse Jesus, após conversa nesta manhã com o vice-presidente Mourão.

Assim como o PRB, amanhã, reúnem-se com Bolsonaro os presidentes do PSD, PSDB, MDB e PP, além do presidente do DEM, ACM Neto, durante o almoço.

Na próxima semana a articulação política pela reforma previdenciária continua com mais cinco legendas, entre elas, PSL, SD, PR e Podemos.

(Agência Brasil)