Blog do Eliomar

Últimos posts

Luizianne Lins pode apresentar programa de TV no Ceará

A ex-prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT), pode se tornar a nova apresentadora de TV no Ceará. A informação é do colunista Felipe Patury, do site da revista Época, divulgada nesse domingo (19). Luizianne deve estrear um programa semanal na emissora local, Rede União, do empresário Alberto Bardawil.

Segundo a assessoria de comunicação da Rede União, a ida da petista para a TV está sendo negociada diretamente entre o dono da emissora e a ex-prefeita. Ainda não há detalhes sobre o programa.

De acordo com o colunista, Luizianne adiantou que o horário será usado para entrevistas sobre temas ligados a direitos humanos e cidadania.

A Loura, como é chamada no Ceará, é formada em Jornalismo pela Universidade Federal do Ceará, onde também é professora, atualmente licenciada do cargo. Em dezembro, ela foi aprovada no mestrado de Comunicação Social da Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio de Janeiro.

Política

Apesar de afastada da política cearense desde que deixou a prefeitura em 2012 e a presidência estadual do PT em 2013, Luizianne é um dos nomes influentes do partido no Ceará. Ela é cotada por correligionários para disputar a sucessão de Cid Gomes – de quem é desafeto político – no Governo do Estado.

(O POVO Online)

Oposição se une para lançar candidato contra indicado de Cid Gomes

A semana será determinante para os arranjos políticos que antecedem a eleição estadual no Ceará. Opositores do governador Cid Gomes (Pros) definem os últimos detalhes sobre pesquisas que serão encomendadas para ajudar a definir quem enfrentará o candidato do governador. Enquanto isso, Tasso Jereissati (PSDB) deverá ter encontro com Aécio Neves – que será o candidato do PSDB a presidente – para discutir se o ex-governador cearense concorrerá ou não a senador.

A oposição decidiu fechar três alternativas de candidatura ao Governo: Nicole Barbosa (PSB), empresária e presidente do Centro Industrial do Ceará (CIC), o ex-prefeito de Maracanaú, Roberto Pessoa, e o vereador de Fortaleza Capitão Wagner, ambos do PR. “Entre esses três deverá surgir o nome do candidato da oposição”, afirma Sérgio Novais, presidente estadual do PSB.

A definição tem peso crucial uma vez que Cid Gomes já deu declarações de que esperará a oposição escolher o candidato e definir a estratégia antes de anunciar quem irá apoiar na disputa.

Até agora, o senador Eunício Oliveira (PMDB) é quem tem se movido com mais intensidade para ser candidato, embora negue a pecha de opositor e trabalhe pelo apoio de Cid. Além disso, como afirma Roberto Pessoa, Eunício só decidirá em abril se concorre ou não, e por isso o grupo opositor resolveu pensar logo em nomes. “Nós todos achamos muito tarde uma decisão em abril”.

O plano da aliança anti-Cid saiu de reunião na última quinta-feira ( 16), com presença de Novais, o presidente do PSDB estadual, Luiz Pontes, Roberto Pessoa, Capitão Wagner, o psiquiatra Antonio Mourão (PR), Euler Barbosa, secretário-geral do PRB, o suplente de deputado dr. Francisco Guimarães e, também, Elmano de Freitas – presidente do PT de Fortaleza, legenda que integra a base de Cid.

Além das pesquisas, o grupo pretende realizar seminários que esboçarão um plano de governo. “Serão convidados especialistas em áreas como saúde, mobilidade, convivência com a seca, segurança e, ao fim, formular um documento que serviria de programa para a oposição”, diz Wagner.

Para o ex-prefeito de Maracanaú, a possível candidatura de Eunício Oliveira mais uma do Psol e outra do quarteto garantiria segundo turno com o candidato de Cid Gomes. “E em segundo turno zera tudo”.

Quem são as alternativas da oposição

Roberto Pessoa

O ex-prefeito de Maranacaú e presidente de honra do PR é notório adversário de Cid

Nicole Barbosa

Presidente do CIC, assumiu o PSB de Fortaleza após saída do grupo de Cid para o Pros

Capitão Wagner

O vereador é um dos principais líderes dos policiais militares no Ceará

Saiba mais

Cid Gomes (Pros) costuma dizer, quando perguntado sobre nomes de possíveis candidatos seus para a sucessão estadual, que o politicamente inteligente é esperar a oposição dar o primeiro passo e apresentar suas caras para a disputa.

Agora que os adversários esboçam a chapa para outubro de 2014, o governador dispõe, conforme sua tese, de mais elementos para avaliar a melhor opção entre os cotados no Pros: José Albuquerque, presidente da Assembleia Legislativa e aquele que mais tem se movimentado publicamente; Leônidas Cristino, ex-ministro da Secretaria Especial dos Portos; Domingos Filho, vice-governador, Izolda Cela, secretária da Educação, e Mauro Filho, deputado estadual e ex-secretário da Fazenda do Ceará.

(O POVO)

Confiança do consumidor na economia cai ao menor nível dos últimos quatro anos

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC), medido pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), caiu 3,5% em comparação a dezembro último e 17,9% sobre janeiro de 2013, atingindo a marca de 131,7 pontos. O resultado foi o mais baixo desde março de 2009, quando o indicador ficou em 128,95 pontos. A escala que mede o ICC vai de zero a 200 pontos e quanto mais alto o resultado, maior a confiança do consumidor na economia.

Em dezembro de 2013, a confiança chegou a 136,6 pontos e em janeiro do ano passado 156,1 pontos. O ICC é formado por outros dois índices: o Índice de Expectativa do Consumidor que recuou 2% sobre o mês passado (132,8 pontos) e 18,8% na comparação com janeiro de 2013 (163,5 pontos) e o Índice das Condições Econômicas Atuais – que registrou queda de 17,3% em relação a dezembro de 2013 para as faixas de renda inferior a dez salários mínimos.

Na avaliação dos economistas da FecomercioSP, o resultado reflete a expectativa de um ano difícil com pouca expansão da economia e da renda e orçamento familiar mais comprometido, diante de uma inflação em alta, elevação de impostos e reajuste dos combustíveis.

(Agência Brasil)

Na Copa, Aeroporto Pinto Martins poderá ter terminal de lona

162 14

O ministro da Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República, Moreira Franco, assegura que o Aeroporto Internacional Pinto Martins não tem condições de entregar suas obras, antes do início da Copa do Mundo.

“Visivelmente não tem condições (…) Constatei um atraso excessivo. A opção agora é construir alternativas (…) O status das obras é crítico”, lamenta o ministro em entrevista à Folha de S.Paulo, na edição destra segunda-feira (20).

Para o ministro, o Governo do Ceará terá que recorrer a um “plano B”, que seria erguer um terminal provisório com forro de lona.

A menos de cinco meses do início da Copa, o Pinto Martins é tido como o caso mais grave, dentre todos os aeroportos da Copa, com menos de 30% das obras concluídas.

O ministro visita o Ceará, nesta segunda-feira, e se diz constrangido com o atraso às vésperas do início da Copa. O Pinto Martins tem capacidade para 6,2 milhões de passageiros por ano. As obras elevariam este número para 8,6 milhões.

O Aeroporto Internacional Pinto Martins foi construído em 1998, na gestão do então governador Tasso Jereissati.

(com informações da Folha de S.Paulo)

Decon de Sobral autua sete lojas por descumprirem o CDC

O Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Decon) de Sobral autuou sete lojas do North Shopping por descumprirem o Código de Defesa do Consumidor e não se adequarem ao Decreto 5903/2006, que trata da precificação dos produtos. São elas: Ortobom, Arrazando, Casa das Redes, Santo Presente, Pensar, Melo Import e Sonobom Colchões.

Segundo a promotora de Justiça Juliana Cronemberguer, coordenadora do Decon na região, foram detectadas nas lojas do North Shopping Sobral as seguintes irregularidades: não colocação dos preços dos produtos de forma visível nas vitrines; ausência de um exemplar do Código de Defesa do Consumidor acessível para os clientes; e não diferenciação de preço entre o pagamento feito à vista e com cartão.

Os estabelecimentos autuados têm até o início desta semana para recorrer da autuação.

(PGJ)

Início das obras no Campo do América deve ser comemorado

150 1

A prefeitura de Fortaleza anuncia para hoje o início das obras de urbanização da área do Campo do América. A ordem de serviço foi assinada no último sábado (18), com previsão de conclusão das intervenções no prazo de 120 dias. O projeto, orçado em R$ 998,2 mil, será composto de campo de futebol com grama sintética, arquibancada, vestiários, iluminação, bem como pavimentação, piso podotátil e lixeiras. Ao final da obra também deverão ser instalados um pequeno playground e academia de ginástica para os moradores. O anúncio do começo das obras deve ser comemorado, pois trata-se de importante passo no sentido da revitalização daquele espaço da cidade, marcado por ligações de gerações com aquela área.

Além disso, faz-se necessário ressaltar, toda a relação de pertença das famílias humildes que ali residem com o chamado Campo do América, esteve ameaçada com a possibilidade da venda do terreno, que invariavelmente, acabaria virando mais um condomínio de luxo. O fato foi tornado público pelo

O POVO em novembro de 2010, ao alertar que no mês seguinte a área iria à leilão. A notícia, de imediato, repercutiu, o que fez a Prefeitura pedir a suspensão do leilão e anunciar a pretensão de pagar o lance inicial pedido pelo INSS, a quem pertencia o terreno. Surgia a esperança da manutenção do espaço, mas não diminuiram as dificuldades em torno desse objetivo.

Aprimeira delas se deu com a reavaliação do preço pela Caixa Econômica Federal. Depois disso, o Governo do Estado sinalizou com o interesse em ser parceiro na aquisição. Apesar dessa convergência de interesses, as negociações emperraram e somente em 2013 a atual gestão assumiu efetivamente o compromisso da compra, aprovando na Câmara Municipal a autorização para esse fim. Agora, depois de três anos, finalmente teremos o início das obras, o que deve ser ressaltado como respeito para com a história daquela comunidade, que não se resume apenas ao campo, mas a toda uma vida.

(O POVO/Editorial)

Pé de guerra

foto tasso cascavel proteção ambiental

Da Coluna Vertical, no O POVO desta segunda-feira (20):

A comunidade da praia de Balbino está em pé de guerra com a Prefeitura de Cascavel (64 km de Fortaleza). É que a prefeita Francisca Ivonete enviou um projeto de lei à Câmara Municipal propondo a redefinição da “Área de Proteção Ambiental do Balbino”.

O objetivo, segundo a mensagem, é refazer os limites para “permitir a implantação do Condomínio Sustentável”. Um empreendimento que pertenceria a um grupo de empresários portugueses.

De acordo com Nazareno Almeida, presidente da Associação do Povoado, a primeira vez que a mensagem foi ao parlamento houve protesto e a discussão foi suspensa. A proposta voltará à pauta.

Além de estar organizando manifestação, a Associação faz denúncia contra a prefeita na Procuradoria da República no Ceará.

Para quem não lembra, em 1996, após 10 anos de polêmica, o povo do Balbino recebeu de Tasso Jereissati, então governador, a posse de 180 hectares para moradia. Além disso, 19 hectares de mangue foram protegidos definitivamente.

A mensagem 099/2013 da prefeita Francisca Ivonete transforma uma parte da Apa do Balbino em Zona de Interesse Turístico (ZIT), o que legalizaria a construção do Condomínio Urbanístico na Área de Proteção Ambiental.

Agindo assim, a prefeita Francisca Ivonete espera “impulsionar o desenvolvimento de forma sustentável” de Cascavel, diz a mensagem. O procurador-chefe da República no Ceará, Alessander Sales, precisa tomar pé do caso. Urgente.

Projeção da inflação anual medida pelo IPCA fica em 6,01%

A projeção de instituições financeiras para a inflação em 2014, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), passou de 6% para 6,01%. Para 2015, a estimativa subiu de 5,50% para 5,60%, de acordo com a pesquisa semanal do Banco Central (BC), divulgada às segundas-feiras.

As projeções estão distantes do centro da meta de inflação, de 4,5%, e abaixo do limite superior de 6,5%. Cabe ao BC fazer com que a inflação convirja para o centro da meta.

Um dos instrumentos usados pelo BC para influenciar a atividade econômica e, por consequência, a inflação, é a taxa básica de juros, a Selic. Para as instituições financeiras, a taxa – que começou 2014 em 10% – deve fechar o ano em 10,75%. No último dia 15, o Comitê de Política Monetária (Copom) elevou a Selic em 0,5 ponto percentual para 10,5% ao ano.

Para 2015, as instituições financeiras acreditam que a Selic voltará a subir. A previsão para o final de 2015 é 11,5% ao ano.

A pesquisa do BC também traz a mediana das expectativas para a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe), que foi mantida em 5,45%, este ano, e em 5%, em 2015.

A projeção para o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) foi alterada de 5,92% para 5,90% este ano, e mantida em 5,50% em 2015. Para o Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M), as projeções foram ajustadas de 6% para 5,96%, em 2014, e seguem em 5,50% no próximo ano.

A estimativa para o crescimento da economia (Produto Interno Bruto – PIB) foi ajustada de 1,99% para 2%, em 2014, e de 2,48% para 2,50%, em 2015.

Quanto à cotação do dólar, a expectativa das instituições consultadas pelo BC segue em R$ 2,45, ao final de 2014, e passou de R$ 2,47 para R$ 2,50, no fim do próximo ano.

(Agência Brasil)

A saga dos professores em Fortaleza

205 3

Em artigo enviado ao Blog, o professor Djacyr de Souza avalia a queda no ensino público de Fortaleza, diante da pressão aos professores. Confira:

A vida dos professores da rede municipal de Fortaleza não tem sido fácil e a forma como vem sendo tratadas pelos governos dos últimos anos está provocando males à educação e por consequência tirando qualquer desejo de uma boa ação no fazer pedagógico. Greves sucessivas, perda de direitos e a falta de democracia nas escolas têm se tornado comum nos últimos anos e a consequência imediata disso é falha na qualidade de ensino, fazendo com que a capital seja sempre muito mal avaliada.

Hoje está aí um novo poder e a pasta da educação capitaneada pelo senhor Ivo Ferreira Gomes vem promovendo grandes desmandos, que acabam gerando caos e promovendo perdas para a população que procura o ensino público. No primeiro momento a atual administração destrói dois projetos que davam suporte pedagógico às escolas: Os Laboratórios de Informática Educativa e as Salas de Leitura nas quais professores foram selecionados e treinados para tal e mesmo apresentando projetos e ações não foram reconhecidos pelo gestor da educação municipal. Infelizmente essas salas foram transformadas em depósitos de alunos, enrolação na falta de professores e muitos hoje estão completamente obsoletos e sucateados (os laboratórios).

Além disso, vários problemas foram gerados como o não cumprimento da carga horária do aluno, fechamento de creches de ensino infantil e, pasmem, um tal reordenamento que mexeu na vida dos professores e dos alunos que fizeram história de vida nas escolas e hoje terão que deixá-las por um mero capricho do gestor, que até ouve a classe para dar uma de democrata, mas acaba fazendo o que quer para mostrar que quem manda é ele.

Há também o sucateamento proposital das turmas de Educação de Jovem e Adultos, retiradas dos professores de educação física das séries iniciais, transformando a recreação – que é prática pedagógica dos educadores físicos – em objeto de experiências.

Muitas mudanças estão sendo feitas à revelia da lei e até as licenças para cursos de pós-graduação vêm sendo negadas em sua íntegra. Existe ainda a retirada de matérias da grade curricular e alguns professores estão dando aulas que não são de sua formação específica, o que denota que não há compromisso real com a educação.

Paulatinamente a educação está sendo destruída de forma vil e com mensagens mentirosas de meritocracia que não foram obedecidas em nenhuma das seleções promovidas, pois, ao final, há sempre uma entrevista que acaba ditando as cartas do certame. E aí o que fazer? Na realidade é preciso que os órgãos relacionados à educação, como sindicatos, Conselho de Educação, Ministério Público, comissões de Educação da Assembleia Legislativa e Câmara Municipal, façam alguma coisa ou inquiram o senhor Secretário a explicar o impacto destas mudanças na vida administrativa da cidade, embora saibamos que o mesmo não é muito afeito a dar explicações dos seus atos, preferindo agir de forma grosseira e arrogante contra os que lhe contestam e proferindo palavrões aos que se insurgem contra seu modo nefasto de gerir a educação da cidade.

Se não houver ação do povo, se não houver união dos grupos de defesa dos direitos populares, nossa educação vai sim sucumbir diante de um modelo administrativo perverso, sem cara e cruel em todos os sentidos.

Djacyr de Souza, professor

Paim pede diálogo para resolver questão dos ‘rolezinhos’

O senador Paulo Paim (PT-RS) pede diálogo para garantir aos jovens o direito de participar dos chamados “rolezinhos” e, ao mesmo tempo, preservar a segurança da população em locais públicos e privados. Para o parlamentar, a polêmica é um sinal de amadurecimento da democracia.

O termo surgiu da expressão “dar um rolé”, ou seja, dar uma volta. Popularizou-se recentemente por designar o encontro de grupos de jovens em locais de livre circulação, como shopping centers. Os encontros são marcados pela internet e podem chegar a ter centenas de participantes, em geral jovens da periferia das grandes cidades.

A polêmica surgiu quando os shopping centers, temendo prejuízos ou insegurança, recorreram à Justiça para impedir os rolezinhos e barrar a entrada de jovens dentro dos centros comerciais. Entidades de direitos humanos alegam se tratar de discriminação contra rapazes e moças pobres e uma violação do direito constitucional de ir e vir.

O senador Paulo Paim, do PT do Rio Grande do Sul e relator do Estatuto da Juventude, afirma que o diálogo deve prevalecer nesses momentos.

– Com a democracia e a liberdade plena que a gente tem esses temas acabam surgindo e vão ter que ser debatidos. Para mim o que vale aí é o diálogo, é a conversa e não simplesmente a proibição de que meninos e meninas pobres possam entrar no shopping, mas a conversa e o diálogo dentro dos limites da lei – avaliou o senador.

Para Paim, o tumulto precisa ser evitado, mas sem discriminação.

– A preocupação que se está tendo é que as pessoas olham para a aparência de alguns e já saem batendo, prendendo, ofendendo. Então o momento é de bom senso e cuidar para que não haja conflito e confusão para que traga prejuízos para outros setores da população – afirmou o senador em entrevista à Rádio Senado.

O Estatuto da Juventude, aprovado pelo Senado em abril e sancionado em agosto de 2013, prevê uma série de direitos para pessoas com idade de 15 a 29 anos. O estatuto determina, por exemplo, que o jovem tem direito à diversidade e à igualdade de oportunidades e não será discriminado por causa da cor da pele, cultura, origem e condição social ou econômica.

(Agência Senado)

Medida de Obama sobre espionagem é “primeiro passo”, diz governo brasileiro

O governo brasileiro considerou “um primeiro passo” a decisão do governo norte-americano de promover mudanças na Agência de Segurança Nacional (NSA) dos Estados Unidos. Em nota divulgada nesse domingo (19) no Blog do Planalto, o porta-voz da Presidência da República, Thomas Traumann, disse que o governo “irá acompanhar com extrema atenção os desdobramentos práticos do discurso” do presidente Barack Obama.

Obama anunciou as mudanças na atuação da NSA na sexta-feira (17). Em discurso, ele disse que o país não irá mais espionar rotineiramente as nações aliadas e as comunicações de seus líderes. O presidente americano disse ainda já ter repassado a ordem aos serviços de informação para que isso não volte a ocorrer “a menos que a segurança nacional esteja ameaçada”.

Por vários momentos no discurso, Obama disse que os países amigos podem confiar. Porém, disse que o paíse não irá se desculpar por fazer “o que serviços de inteligência de qualquer outra nação faz”. “Nós não vamos nos desculpar simplesmente porque nossos serviços podem ser mais eficazes. Mas chefes de Estado e governo com quem trabalhamos, e de cuja cooperação dependemos, podem se sentir confiantes de que estamos tratando-os como verdadeiros parceiros”.

Os Estados Unidos enfrentaram uma crise diplomática com diversos países aliados depois que o ex-técnico de informática da NSA Edward Snowden vazou documentos sobre a espionagem norte-americana. Os documentos apontaram que líderes mundiais foram monitorados, como a presidenta Dilma Rousseff e a chanceler alemã Angela Merkel.

Depois do escândalo, Brasil e Alemanha cobraram explicações de Obama e apresentaram, em conjunto, um projeto de resolução na Organização das Nações Unidas (ONU) chamado O Direito à Privacidade na Era Digital. A Assembleia Geral da ONU aprovou a resolução em dezembro.

(Agência Brasil)

Com shopping fechado no Rio, grupo faz ato contra preconceito

Apesar de o Shopping Leblon estar fechado, algumas pessoas apareceram para o rolezinho marcado para este domingo (19) no local. O número de participantes, no entanto, é inferior ao de jornalistas. Mas a presença do pequeno grupo chama atenção dos moradores do bairro e dos clientes desavisados que foram às compras. O shopping não abriu para evitar o rolezinho.

Do lado de fora, cerca de 30 pessoas fizeram perfomances, ao som de funk, contra o racismo e a exclusão social no país. Fantasiado de Batman, Heron Morais Melo criticou a falta de igualdade de oportunidades entre “ricos e brancos” e “negros e pobres”.

“Essa porta fechada [do shopping] é o melhor símbolo da desigualdade no nosso país. Quem não é da parte da elite, só encontra isso”, disse Heron, morador de Marechal Hermes, na zona norte.

Em uma performance para satirizar “madames que frequentam o shopping com menor número de pobres da cidade”, um participante, que não quis se identificar, disse: “Não vim para protesto, vim às compras! Pobre já aguento lá em casa, lavando, passando, levando meus filhos na escola”, como crítica ao preconceito.

Para o estudante de letras e integrante da Assembleia Nacional dos Estudantes Livres (Anel), Gabriel Melo, o rolezinho é derivado das manifestações de junho de 2013. “Quando um grupo de estudantes de universidades e escolas privadas vai para a praça de alimentação e bota música alta é uma coisa, mas quando esse grupo é de jovens negros o tratamento dado pelo shopping, lojistas e segurança é outro: fecham as portas e põem para fora”, disse.

Apesar de a Secretaria de Segurança Pública ter informado que não reforçaria o policiamento, dezenas de policiais estão próximos ao shopping. Seguranças particulares não identificados também estão no local.

O Shopping Leblon cercou, com tapumes, toda a entrada de vidro localizada na Avenida Afrânio de Melo Franco. Foram colocados cartazes avisando os clientes de que o centro comercial foi fechado para “garantir a segurança”. O Shopping Rio Design Leblon, que fica do outro lado da rua, também fechou as portas, para evitar o rolezinho. Cerca de 9 mil pessoas haviam confirmado presença no ato por meio da redes sociais.

Do lado de fora, trabalhadores e lojistas criticaram o rolezinho. Para a dona de uma loja, que preferiu não se identificar, o shopping “é um espaço de lazer privado”. “Manifestação tem que ser na porta da prefeitura, não aqui”.

(Agência Brasil)

Resultado da primeira chamada do Prouni sai nesta segunda-feira

Os estudantes que se inscreveram no Programa Universidade Para Todos (ProUni) devem conferir a partir desta segunda-feira (20) o resultado da primeira chamada pelo site do Ministério da Educação (MEC), pelo número 0800 616161 ou nas instituições participantes.

Se aprovado, o candidato deverá comparecer à instituição onde se candidatou com a documentação necessária para a comprovação das informações prestadas na ficha de inscrição até o dia 24 de janeiro. Os candidatos que não conseguirem apresentar a documentação exigida ou perderem o prazo serão reprovados.

Aqueles que não tiverem o nome na lista de aprovados em primeira chamada terão oportunidade na segunda chamada, que será divulgada no dia 3 de fevereiro. Para eles, o prazo de comprovação das informações prestadas na ficha de inscrição será até 6 de fevereiro.

Os candidatos que não tiverem sido aprovados em nenhuma das duas chamadas poderão manifestar interesse em aguardar por uma vaga na lista de espera nos dias 13 e 14 de fevereiro. As bolsas remanescentes serão distribuídas para esses candidatos conforme as notas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Caso seja chamado na lista de espera, o candidato terá os dias 19 e 20 de fevereiro para comparecer à instituição com a comprovação dos dados da ficha de inscrição.

A documentação necessária para a comprovação das informações está descrita no site do MEC e inclui, além dos documentos de identificação pessoal como carteira de identidade e comprovante de reservista, comprovantes de rendimento e residência, comprovante de conclusão do ensino médio, de pagamento de pensão alimentícia e de deficiência, se for o caso. Professores deverão comprovar que exercem o magistério na educação básica e que são do quadro permanente de escola pública.

Podem se candidatar a uma bolsa integral ou parcial no ProUni os professores de ensino fundamental público que queiram cursar licenciatura, ex-estudantes de escola pública ou de escola particular que tenham utilizado bolsa integral e estudantes com deficiência.

Eles precisam comprovar renda bruta familiar de até um salário mínimo e meio por pessoa, para quem quiser bolsa integral, de até três salários mínimos por pessoa em caso de disputa por bolsa parcial de 50%. É necessário ainda ter participado do Enem e ter alcançado nota mínima de 450 pontos, além de não ter tirado zero na prova de redação.

(Agência Brasil)

Mudanças em faixas de ônibus começam nesta segunda-feira

Mudanças nas faixas para transporte público na avenida Bezerra de Menezes passam a valer a partir desta segunda-feira (20). As faixas azuis, antes prioritárias, agora serão exclusivas para ônibus, vans, táxis e transportes escolares regulamentados. A nova medida deve valer nos dias úteis, de 5h às 21 horas, e aos sábados, de 5h às 16 horas. O sistema, chamado de BRS (Bus Rapid Service) ou Serviço Rápido de Ônibus, foi implantado em agosto de 2012, em uma tentativa de dar maior fluidez ao trânsito.

Quem passa pela via já percebe mudanças. As sinalizações vertical e horizontal foram reforçadas na avenida. Ao longo da via, placas indicativas e de advertência foram instaladas para mostrar o que é e o que não é permitido, além dos acessos às ruas transversais.

A medida divide a opinião de usuários do transporte público e motoristas. O contator Manuel Vicente de Paula, 70, é direto: “ninguém vai respeitar”. Com endereço na Bezerra de Menezes, Manuel diz observar diariamente motoristas de carros e vans desrespeitando as delimitações dos corredores. Para ele, a medida ideal seria transferir as faixas para o outro lado da via, onde os ônibus parassem no canteiro central e não próximo às calçadas, como ocorre.

Esmeralda Fidelis, 50 anos, pensa diferente. Diariamente, a cuidadora toma a linha Antônio Bezerra/Papicu e acredita que, desde a implantação do sistema prioritário, a fluidez melhorou. “A gente que anda de ônibus nunca tem prioridade. Isso é bom pra gente”, diz

Inicialmente, oito equipamentos instalados ao longo da via, quatro em cada sentido, farão a leitura das placas dos veículos que estiverem irregulares no corredor exclusivo. Quem desrespeitar as regras de circulação receberá uma notificação educativa. Após 30 dias, multas passarão a ser aplicadas. As regras são baseadas no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), que estipula o valor da multa por transitar em faixa exclusiva no valor de R$ 53,20 e implica em três pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

(O POVO)

Eunício age para não ser atropelado

foto eunício 140117 pedra branca

Da coluna Política, no O POVO, pelo jornalista Érico Firmo:

Das artes da política, talvez nenhuma o governador Cid Gomes (Pros) goste tanto de manejar quanto o tempo. Essa tem sido sua arma mais eficaz. Em 2006, alimentou até o limite do prazo de desincompatibilização as esperanças de Lúcio Alcântara ter seu apoio à reeleição. Em 2008, venceu Luizianne Lins (PT) pelo cansaço para fazer do primo Tin Gomes (PHS) vice-prefeito de Fortaleza. Em 2010, Tasso Jereissati (PSDB) cansou de esperar que o governador optasse entre ele e José Pimentel (PT) e tomou a iniciativa de romper – o que o levou à derrota.

Eunício Oliveira (PMDB) viu de perto todos esses episódios e age como quem não tem a menor intenção de ser o próximo da lista. Seu método se aproxima um pouco daquilo que o próprio Cid fez em 2012. Quase um ano antes de a decisão do então PSB lançar candidato próprio ser oficializada, o partido dos Ferreira Gomes já se preparava como se candidato fosse ter. Estaria pronto para qualquer cenário. É o que faz Eunício Oliveira.

Todos os interlocutores locais e nacionais do peemedebista asseveram: o senador será candidato ao Palácio da Abolição doa em quem doer, custe o que custar – e ninguém imagine que será barato –, por cima de pau e pedra. Bem, ele nunca foi de dar ponto sem nó ou murro em ponta de faca. Não é dado a aventuras e costuma navegar com razoável segurança. Verdade que, em 2010, ao disputar o Senado com Tasso e Pimentel, assumiu muito mais riscos do que sempre esteve acostumado. Recordista de votos, deve ter ganho segurança para saltos mais altos.

Mais importante que qualquer declaração de que será candidato são os gestos de Eunício: faz tempo que ele se prepara para ser. Na prática, está em pré-campanha e arregimenta os aliados que consegue. Como o PSB fez com Roberto Cláudio, faz tudo como quem vai ser.

Claro que ele sabe que Cid não assistirá a isso parado. Tentará alguma jogada para amarrá-lo. Buscará construir alguma condição que se mostre tanto vantajosa para ele se desistir de ser candidato, quanto arriscada no caso de insistir na empreitada. Afinal, nessa negociação será decidido muito do destino da eleição: se será competitiva ou se revelará outro passeio. O governador não pode ser olhado como peça nula nesse tabuleiro. E ele ainda nem começou a jogar.

Eunício pode até vir a ser convencido, de um jeito ou de outro, a não ser candidato. Mas busca garantir condições para que não seja atropelado caso a decisão que o governador venha a tomar não o contemple. Não está disposto a ficar a reboque, nem a correr o risco de ser deixado na chuva. Está longe de ser o tipo de postura que ajude a conseguir a adesão de Cid. O governador faz questão de controlar o tempo das decisões e gosta de sinais de obediência. Mas também não sei se Eunício ainda nutre esperanças ou ilusões de vir a ter apoio palaciano.

Venha a se concretizar o rompimento ou não, o primeiro embate já é travado, pelo controle da agenda e pelo protagonismo do processo eleitoral.

“Dê um rolê”

108 1

Em artigo enviado ao Blog, o jornalista e sociólogo Demétrio Andrade comenta o fenômeno do “rolezinho”. Confira:

O título da música dos Novos Baianos soa mais atual do que nunca. A banda, ícone dos anos 1970 no Brasil, cantava à época: “enquanto eles se batem, dê um rolê, e você vai ouvir/Apenas quem já dizia/Eu não tenho nada/Antes de você ser eu sou/Eu sou amor da cabeça aos pés”. Profética, nestes tempos de “rolezinho” – pra quem não sabe, a nova moda que jovens, geralmente de classes sociais menos favorecidas, inventaram: usar redes sociais para marcar encontros em massa em shoppings de grandes cidades.

A questão é bem complexa. A reação dos habituais usuários de shoppings às dezenas ou centenas de jovens passeando em grupo naquele ambiente foi de medo e preconceito. De repente, quebrou-se o mito do shopping como o “ambiente seguro das classes média e alta onde se pode passear com a família”.

O capitalismo é pródigo em oferecer soluções excludentes para escamotear problemas sociais. O shopping sempre passou a ilusão de “ilha de prosperidade” em meio à violência e à desigualdade das grandes urbes. Funcionam quase como um entorpecente social, onde o dinheiro determina até que ponto se pode cultivar a indiferença com “o mundo lá fora”. Pois é, só que “o mundo” agora está lá dentro.

Lembro de quando era assessor do Sindicato dos Comerciários de Fortaleza, nos anos 1990. Como era quase impossível fazer qualquer manifestação no shopping (vou usar o termo de forma genérica), mesmo uma convocação para uma simples assembleia. Lembro também do livro do geógrafo José Borzacchiello da Silva, de 1992, de título também profético: “Os incomodados não se retiram”, falando sobre as dificuldades dos movimentos sociais afirmarem suas posições no processo de ocupação urbana em nossa Fortaleza de tantos contrastes.

Por centenas de anos, as classes menos favorecidas ajudaram a perpetuar uma visão hegemônica de “respeito a certos ambientes”. O apartheid social conduziu à naturalização do pensamento torpe de que “o pobre tem de ficar no seu lugar”. Os espaços privados se segregam pelo preço cobrado. Mas o shopping guarda em sua constituição uma contradição evidente: são espaços privados que se propõem a funcionar como públicos.

Ora, num país onde as classes C e D continuam em processo de ascensão econômica, é natural que os jovens da periferia uma hora se perguntassem: e por que não? Organizam turmas porque precisam da força do coletivo para afirmar seu direito constitucional de ir e vir e seu poder de criticar e, claro, testar seus limites, inclusive os de consumo.

Isso não é novo. Lembro de diversas matérias falando sobre o “caos nos aeroportos” sem focar na essência do problema: mais pessoas estavam tendo condição de voar e as companhias aéreas e estruturas aeroportuárias não estavam preparados para absorver milhões de novos consumidores.

Principalmente a classe média, que um dia desses perdeu suas empregadas domésticas, terá de se adaptar a dividir mais este espaço. Torço que isso signifique também um movimento de retorno dos mais favorecidos aos parques, praças e demais equipamentos públicos. Torço para isso se dê sem violência – injustificável em qualquer aspecto – e que aponte para um futuro de convivência social mais equilibrada, na qual “dar um rolê” seja um ato tranquilo para quem tem tudo e quem não tem nada.

Demétrio Andrade, jornalista e sociólogo

AMC faz levantamento de motoristas cadeirantes ou idosos na Beira Mar

foto amc cadeirantes e idosos

Leitor Tadashi Enomoto, coordenador dos Amigos da Beira Mar, lembra que até o fim do mês a AMC está cadastrando motoristas cadeirantes ou idosos que frequentam a orla marítima mais movimentada da cidade para a expedição de vagas em estacionamentos.

Os motoristas devem ir à Praça dos Estressados, com a CNH e comprovante de residência.