Blog do Eliomar

Últimos posts

Comissão analisa direito de greve do servidor público

A Comissão de Consolidação da Legislação Federal e Regulamentação de Dispositivos da Constituição (CMCLF) deve analisar na quarta-feira (11) o relatório do senador Romero Jucá (PMDB-RR) sobre a regulamentação do direito de greve do servidor público. O texto seria votado na reunião do dia 27 de novembro, mas a votação foi adiada em razão de novas negociações com as centrais sindicais.

Apesar de previsto na Constituição, o direito de greve do funcionalismo público nunca foi regulamentado. Entre os pontos mais polêmicos da discussão está o quantitativo mínimo de servidores que deverão atuar durante a paralisação; a definição quais são os serviços essenciais; a antecedência do aviso para a deflagração da greve; e a substituição de grevistas após decisão judicial, que, na avaliação de representantes da categoria, invalidam o direito dos servidores públicos na prática.

Em encontro com sindicalistas, no final de novembro, Jucá admitiu mudar pontos do projeto e disse que preferia fechar um acordo para assegurar aprovação do texto.

(Agência Senado)

Papa é perseguido por críticas ao capitalismo

122 3

Da coluna Valdemar Menezes, no O POVO desde domingo (8):

O papa Francisco começa a ser desqualificado, violentamente, pela sua denúncia frontal do capitalismo como uma “nova tirania” e como produtor de desigualdades, exclusão e violência.

A CNN en español não hesitou em abrir suas baterias contra o destemido pastor (http://bit.ly/1hB3qU7). O presidente Barack Obama ainda tentou vir em socorro do papa, apoiando sua defesa de maior proteção social aos mais pobres.

Obama tenta tê-lo como aliado na hora em que está sendo atacado internamente pela extrema direita americana por tentar emplacar um seguro público de saúde (o SUS de lá), considerado “comunista” por essa ala. Nem mesmo os presidentes americanos conseguem peitar impunemente o poderio dos grupos econômicos.

Prefeito garante que não haverá reajuste nas passagens, mas empresas batem à porta

Da coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo (8):

Depois das manifestações de junho, os prefeitos das capitais e grandes cidades se pelam de medo das reações e seguram na unha os reajustes nas passagens de ônibus urbano. Do prefeito Roberto Cláudio: “Não haverá reajuste. Será mantido o preço da passagem”. Se a regra estabelecida entre Prefeitura e empresas fosse respeitada, o reajuste já deveria ter acontecido. Não duvidem se o sindicato das empresas apelar para o Judiciário.

Para manter a passagem no preço de hoje a Prefeitura tem duas saídas. A primeira: pedir ajuda ao Governo para baixar o ICMS do diesel usado nos ônibus. A segunda: a Prefeitura subsidiar as gratuidades (estudantes, idosos e outros). Sendo uma ou as duas as opções assumidas, servirá apenas para manter o preço da passagem de hoje. Não vai dar para exigir que os empresários invistam nas melhorias do serviço prestado. Ar-condicionado, por exemplo.

Quebra do recorde de turistas estrangeiros indica importância dos grandes eventos, avalia Embratur

O recorde de 6 milhões de turistas estrangeiros em um único ano, atingido pelo Brasil na quinta-feira (5), é a confirmação de que os investimentos em eventos globais produzem efeitos positivos no turismo. A avaliação é do presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), Flávio Dino. Segundo ele, o resultado está diretamente relacionado com a Copa das Confederações e com a Jornada Mundial da Juventude, que ocorreram este ano e atraíram cerca de 200 mil estrangeiros ao Brasil, no total.

“Esse número ajuda nessa fase de preparação da Copa do Mundo, para mostrar que é possível obter retorno econômico direto advindo desses eventos globais, e ajuda para que outros eventos sejam feitos no Brasil”, disse Dino à Agência Brasil. Para 2014, a expectativa da Embratur é chegar perto da marca de 7 milhões de turistas estrangeiros, com a meta de 600 mil visitantes de outros países na Copa do Mundo.

De janeiro a outubro, os brasileiros gastaram US$ 21,251 bilhões em viagens internacionais, enquanto os estrangeiros deixaram no país US$ 5,575 bilhões, apesar de haver um equilíbrio entre o número de turistas que entram e saem do país. Para Dino, o número se explica pelo perfil de gasto dos turistas. Enquanto os estrangeiros têm gastos tipicamente com turismo – restaurantes, shows, bares, hotéis, lembrancinhas, souvenirs – os brasileiros vão ao exterior fazer compras.

“O brasileiro gasta muito lá fora porque faz muita compra de roupa, enxoval de bebê, de casamento, objetos de casa. O que está desequilibrando a conta são esses gastos com produtos. Se fosse possível isolar o gasto tipicamente com turismo, iríamos ter um equilíbrio”, explica Dino. O que motiva as compras no exterior, na avaliação do presidente da Embratur, são questões macroeconômicas ligadas à competitividade brasileira.

Até o fim do ano, os turistas estrangeiros devem deixar no país cerca de US$ 6,8 bilhões, o que equivale ao volume de faturamento de indústrias importantes como a de papel e celulose. A expectativa para o ano que vem, com a Copa do Mundo é passar de US$ 7 bilhões de arrecadação com a visita de estrangeiros.

Para que não haja queda no número de turistas depois da Copa, Dino avalia que é preciso continuar investindo em políticas de desoneração tributária e trabalhando com o setor privado para evitar práticas de preços abusivos. Ele lembra que o turismo deve ser visto não apenas como uma atividade de lazer, mas como um tipo de exportação. “Quando um turista vem ao Brasil e toma um guaraná ou come uma comida, isso equivale àquele produto ser exportado, com a vantagem de que ele não precisa sair daqui”, compara.

(Agência Brasil)

Ministro da Integração Nacional faz balanço sobre a revitalização do Rio São Francisco

168 1

O ministro da Integração Nacional, Francisco José Coelho Teixeira, participa na terça-feira (10) de audiência pública promovida pela Comissão Externa para Acompanhar os Programas de Transposição e Revitalização do Rio São Francisco. O ministro deverá apresentar aos membros do colegiado um balanço das obras de revitalização da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco.

Instalada em 2012, a comissão externa é composta de cinco senadores titulares e cinco suplentes. O seu presidente é o senador Vital do Rego (PMDB-PB) e o relator, o senador Humberto Costa (PT-PE).
Em 7 e 8 de março deste ano a delegação visitou obras da transposição no chamado eixo norte, ouvindo membros do governo federal, representantes de órgãos de controle e das empresas envolvidas na construção.

Em 19 de abril a comissão visitou o eixo leste da obra, nas cidades de Floresta e Sertânia, em Pernambuco, e Monteiro, na Paraíba – naquela região, as obras começaram em 2008, mas apresentaram vários problemas que levaram a atrasos no cronograma. Na ocasião, Humberto Costa informou em Plenário que, segundo o novo calendário previsto pelo Ministério da Integração Nacional, até setembro de 2014 deverão ser entregues 100 quilômetros de canal com água.

Em agosto, a comissão promoveu audiência pública em Serra Talhada, Pernambuco e visitaram trechos da obra no município de Custódia.

(Agência Senado)

Infraero registra mais de 300 voos com atraso

Num dia marcado por filas nos aeroportos, a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) registra mais de 300 voos com atraso em todo o país. Segundo o balanço mais recente da companhia, divulgado às 18h, 343 dos 1.707 voos previstos para esse sábado (7) partiram mais de 30 minutos depois do horário. Em termos percentuais, os atrasos representaram 20,1% dos embarques.

Os aeroportos com maior volume de atrasos são os de Cumbica (SP), com 54 casos; Brasília (44); Congonhas (SP), com 40 atrasos; Salvador (33) e de Confins (MG), com 17 registros. Houve ainda 90 casos de cancelamento em todo o país, que equivalem a 5,3% das partidas programadas.

Os atrasos são o reflexo dos temporais da noite de quinta-feira (5) que afetaram diversas partes do país, principalmente os estados do Rio de Janeiro e de São Paulo. A suspensão dos pousos e decolagens nos aeroportos da região provocou um efeito dominó que afetou diversos terminais pelo país hoje.

Os problemas concentraram-se na Gol, que sozinha respondia por 256 (74,6%) atrasos até as 18h. Em nota, a empresa informou que a suspensão dos voos na noite de quinta-feira diminuiu o número de funcionários disponíveis no sábado porque algumas tripulações tiveram a jornada de trabalho afetada. De acordo com a empresa, a companhia teve de respeitar os limites legais da carga horária da categoria.

Os atrasos fizeram a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) autuar a Gol na tarde deste sábado. A multa para a companhia poderá ir de R$ 4 mil a R$ 10 mil por desrespeitar as normas de comunicação de atrasos e cancelamentos de voos e de prestação de assistência aos passageiros em caso de atrasos muito longos.

A Anac notificou a TAM pelo mesmo problema, ocorrido na sexta-feira (6) no aeroporto de Guarulhos (SP). A empresa aérea terá dez dias para provar o cumprimento das regras de fornecimento de alimentação, traslado, acomodação e hospedagem para não ser multada.

(Agência Brasil)

Após condenação, Dirceu tem direitos carcerários torpedeados

261 15

Da coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (8):

O Brasil lúcido assiste estupefato a uma despudorada campanha de linchamento de José Dirceu e de quem dele se aproximar. A ordem é torpedear qualquer iniciativa destinada a fazer valer seus direitos carcerários, sobretudo, o de trabalhar fora (de acordo com o regime semiaberto).

A perseguição é escancarada, algo só comparável à manipulação da opinião pública pelo macarthismo, nos anos 40/50, nos EUA, contra a esquerda, que atingiu artistas, intelectuais, cientistas (o casal Rosenberg foi executado), e quem com eles se solidarizava.

E ainda dizem que ele não é preso político. Nunca se viu tanto ódio, no Brasil, desde a ditadura. A cada dia tramam uma nova humilhação contra o dirigente petista, que é celebrada com brindes de champanhe, em ambientes seletos.

No entanto, não revelam, nem de longe, o mesmo zelo em relação às denúncias sobre o escândalo do propinoduto tucano em São Paulo. Esse, sim, com provas robustas apresentadas por autoridades estrangeiras.

Ex-presidentes viajam com Dilma para funeral de Nelson Mandela

A presidente Dilma Rousseff convidou os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva, Fernando Henrique Cardoso, Fernando Collor e José Sarney para acompanhá-la à África do Sul, na homenagem de despedida ao ex-mandatário daquele país e Prêmio Nobel da Paz Nelson Mandela.

Todos eles aceitaram o convite, de acordo com informação da Secretaria de Comunicação Social do Palácio do Planalto, e vão embarcar no avião presidencial nesta segunda-feira (9), no Rio de Janeiro.

Mandela morreu na última quinta-feira (6) aos 95 anos, vítima de complicações pulmonares. Com os líderes políticos brasileiros estarão também mandatários de todo o mundo.

O corpo do lutador antiapartheid estará exposto a visitação pública, na terça-feira (10), no Estádio de Soweto, cidade que foi o palco inicial da resistência ao racismo e onde Mandela morou antes de ser preso.

Nos três dias seguintes, de 11 a 13, o corpo de Mandela será velado na sede de governo de Union Buildings, onde ele desempenhou as funções de chefe de Estado, como primeiro presidente negro da África do Sul, de 1994 a 1999.

As homenagens ao Prêmio Nobel da Paz serão encerradas com funeral de estadista no povoado de Qunu, em sua província natal de Eastern Cape – a 907 quilômetros a sudeste de Pretória – no domingo (15).

(Agência Brasil)

Cartinhas para Papai Noel continuam à espera de padrinhos nos Correios

127 1

Os Correios estendem até o próximo sábado (14) o prazo para apadrinhamento e entrega de presentes da campanha Papai Noel dos Correios 2013. Já foram cadastradas mais de 6.500 cartinhas de crianças de escolas públicas municipais, de seis entidades beneficentes e cartas da sociedade. Deste total, cerca de 3 mil cartas já foram apadrinhadas.

Até o dia 14, quem ainda deseja participar da iniciativa pode ir a uma das seis agências dos Correios em Fortaleza onde as cartas estão disponíveis e apadrinhar um pedido. A data limite para a entrega do presente escolhido também é o dia 14, na mesma agência onde o padrinho recolheu a carta, para que posteriormente a entrega seja feita pela ECT.

Realizado há 24 anos, o Papai Noel dos Correios é uma das maiores campanhas sociais natalinas do Brasil, graças à participação da sociedade e ao envolvimento dos empregados dos Correios. A iniciativa tem como principal objetivo manter viva a magia do Natal, respondendo às cartas de crianças que escrevem ao Papai Noel e, sempre que possível, atender aos pedidos daquelas que se encontram em situação de vulnerabilidade social. Em 2012 foram entregues 4.800 presentes no Ceará.

Como funciona

As cartas enviadas pelas crianças estão disponíveis para adoção em seis agências da ECT em Fortaleza: agências Aldeota, Alencarina (Oliveira Paiva), Barão de Studart, Central, Iguatemi e Parangaba. Os Correios não entregam cartas para adoção diretamente à população, em suas residências. Não é permitida a entrega direta do presente e, para assegurar a observância desse critério, o endereço da criança não é informado ao padrinho.

(ASCOM/Diretoria Regional dos Correios no Ceará)

Faculdades têm as maiores porcentagens de índices insatisfatórios nas avaliações do MEC

As faculdades tiveram as maiores porcentagem de avaliações insatisfatórias tanto no Conceito Preliminar de Curso (CPC) quanto no Índice Geral de Cursos (IGC), quando comparadas com outras instituições de ensino superior, como as universidades e os centros universitários. Com baixas avaliações, elas serão inspecionadas. Parte terá o vestibular cancelado e não poderá ampliar o número de vagas.

As duas avaliações medem a qualidade do ensino e foram divulgadas na última semana pelo Ministério da Educação (MEC). Apesar de concentrarem 28,9% das matrículas de graduação, o Censo da Educação Superior 2012 mostra que 84,6% das instituições de ensino superior no país são faculdades.

“Essas faculdades desempenham um papel importante no desenvolvimento econômico da região onde estão localizadas. Elas estão nos interiores e atendem a demandas específicas”, diz o assessor do Fórum das Entidades Representativas do Ensino Superior Particular, Sólon Caldas. “Elas serão as mais prejudicadas. No interior, muitas vezes não há condições de se cumprir as exigências do MEC, não porque não se quer, mas porque não há condições”, reforça.

Segundo os dados divulgados pelo MEC, 16,3% dessas instituições receberam conceitos 1 e 2 no CPC 2012, em uma escala que vai até 5. Entre as universidades esse índice foi de 7,2% e entre os centros universitários, 10,1%.

O CPC do ano passado avaliou 1,7 mil instituições. Foram avaliados os seguintes cursos de humanidades: administração, ciências contábeis, ciências econômicas, design, comunicação social, direito, psicologia, relações internacionais, secretariado executivo e turismo. Os cursos superiores de tecnologia das áreas de gestão comercial, gestão de recursos humanos, gestão financeira, logística, marketing e processos gerenciais também foram avaliados.

Também no IGC, que avalia as instituições, 20,1% das faculdades tiveram desempenho 1 e 2, em uma escala que também vai até 5. O índice dos centros universitários foi 3,3% e das universidades, 2,6%. Foram avaliadas 2,2 mil instituições.

O setor privado pede um indicador que contemple as especificidades das instituições. Já o MEC diz que é necessário rigor na avaliação, para que os alunos tenham uma boa formação. “A prioridade é o aluno”, enfatizou, durante a divulgação, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante.

(Agência Brasil)

Congresso realiza primeira sessão com votação aberta

Em ação conjunta da Câmara Federal com o Senado, o Congresso Nacional fará na terça-feira (10) a primeira votação aberta de vetos presidenciais. O mais polêmico deles é ao dispositivo que previa a criação de uma carreira médica específica para os participantes estrangeiros do programa Mais Médicos (Medida Provisória 621/13, transformada na Lei 12.871/13).

Segundo o Executivo, o dispositivo restringia o acesso a essa carreira ainda inexistente apenas aos médicos estrangeiros, que não têm amparo para assumir cargos, empregos e funções públicas por falta de regulamentação da Constituição.

Deputados da oposição, entretanto, criticaram o veto, acusando o governo de quebrar acordo fechado no Plenário no momento da votação da matéria. Os congressistas poderão analisar ainda 16 projetos de crédito orçamentário para o Orçamento de 2013.

(Agência Câmara Notícias)

Pela primeira vez, OMC entregou o que prometeu, diz Roberto Azevedo

O diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), o brasileiro Roberto Azevedo, disse que o organismo internacional finalmente conseguiu entregar o que estava estipulado desde a sua criação: um acordo global para derrubar as barreiras comerciais. “Pela primeira vez na história, a OMC verdadeiramente entregou o que promete”, declarou Azevedo, após a conclusão do acordo sobre o tema em reunião na Ilha de Bali, na Indonésia.

Em declarações publicadas na página da OMC na internet, Azevedo disse que os países mostraram comprometimento em relação à conclusão da Rodada Doha, cujas negociações começaram em 2001 com previsão de término em 2005, mas estavam travadas há quase dez anos. “Desafiei todos vocês, aqui em Bali, a mostrar a vontade política de que precisávamos para nos levar até a linha de chegada. Vocês fizeram isso, e eu agradeço a vocês por isso”, destacou.

O acordo que pôs fim à paralisação da Rodada Doha deu mandato à OMC para preparar, nos próximos 12 meses, um programa de trabalho para a retomada das negociações. Os países desenvolvidos querem a abertura dos mercados aos produtos industrializados. Já os países em desenvolvimento e a Austrália, agrupados no G20, querem a retirada dos subsídios que prejudicam as exportações de produtos agropecuários para os países ricos.

“É muito bem-vindo que vocês nos tenham instruídos a preparar, nos próximos 12 meses, um programa de trabalho claramente definido para esse fim”, disse o diretor-geral da OMC, após cinco dias de reunião em Bali.

(Agência Brasil)

Flávio, o acrobata das ruas

193 1

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=T6Br96nQOE4&feature=c4-overview&list=UU3PLF5T6g3ddE4BpeF0EhZg[/youtube]

Ex-artista de circo, o acrobata Flávio, conhecido como “o acrobata das ruas” esteve esta semana no bairro Parquelândia, onde se apresentou para moradores. Apesar de gostar de se apresentar nas ruas, Flávio diz que também faz shows em festas de crianças e em eventos de empresas. Quem desejar contratar o artista pode ligar para o número (85) 8915 7588.

Cerca de 130 empresas concentram arrecadação extraordinária em 2013

O cumprimento das metas fiscais do governo em 2013 está nas mãos de menos de 150 grandes empresas. Responsáveis por grande parte dos recursos arrecadados nos parcelamentos especiais criados pelo governo, elas sustentaram a arrecadação extraordinária de R$ 24,4 bilhões até novembro.

De acordo com a Receita Federal, a reabertura do Refis da Crise e os parcelamentos especiais para instituições financeiras e multinacionais brasileiras atraíram 36 mil contribuintes até o fim de novembro. No entanto, segundo o próprio Fisco, 96,4% dos R$ 20,4 bilhões arrecadados até agora por meio dessas renegociações foram pagos por aproximadamente 75 instituições financeiras e 55 multinacionais brasileiras.

Somente no parcelamento do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins), as instituições financeiras pagaram R$ 12 bilhões à vista com desconto de 100% nas multas em troca de desistirem de questionar a cobrança dos tributos na Justiça. Somente essa modalidade representa 59,2% das receitas arrecadadas nas operações de renegociação.

A discussão em relação ao assunto existe porque a maioria das empresas está dispensada de pagar esses tributos sobre as receitas financeiras. O Fisco, no entanto, considera que as instituições financeiras têm de pagar 4,65% de PIS/Cofins porque a receita, nesse caso, tem origem na própria atividade dessas empresas.

As multinacionais foram responsáveis pela arrecadação de R$ 7,6 bilhões no mês passado com o refinanciamento do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) sobre lucros apurados em outros países. A maior parte desse valor, R$ 6 bilhões, refere-se apenas à primeira parcela da dívida de R$ 22,3 bilhões paga pela mineradora Vale, que terá 180 meses (15 anos) para quitar o restante do débito com abatimento nas multas e nos juros.

As receitas extraordinárias são importantes para o governo alcançar a meta de superávit primário (economia para pagar os juros da dívida pública) sem recorrer a manobras fiscais. Até outubro, o Governo Central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) tinha economizado R$ 33,4 bilhões, cerca de R$ 40 bilhões abaixo da meta ajustada de R$ 73 bilhões no ano. Somente com os parcelamentos especiais e o bônus de assinatura de R$ 15 bilhões do Campo de Libra, o governo conseguiu R$ 35,4 bilhões em novembro, reduzindo para R$ 4,6 bilhões o montante que precisará economizar nos últimos dois meses do ano com as receitas e despesas correntes (típicas).

(Agência Brasil)

A formação do professor

Da coluna Política, no O POVO deste sábado (7), pelo jornalista Érico Firmo:

Ao longo da semana passada, a coluna se debruçou sobre o debate acerca da crise do ensino médio no Ceará e no Brasil. A esse respeito escreveu André Herzog, professor do Centro de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual do Ceará (Uece) e ex-reitor da Universidade Regional do Cariri (Urca). Ele comentou especificamente um dos pontos levantados no sábado passado pelo deputado federal Artur Bruno (PT), que apontou entre as conclusões da comissão especial da Câmara dos Deputados que tratou do assunto a necessidade de reduzir a quantidade de disciplinas obrigatórias, agrupando-as em áreas maiores, relacionando e integrando assuntos. Partiu-se do princípio de que os estudantes veem conteúdos demais e aprendem pouca coisa.

Herzog destaca que há debate acumulado desde a Constituição de 1988, que envolveu Ministério da Educação, entidades de classe e universidades. O professor considera que os Parâmetros Curriculares Nacionais já definem conteúdos de forma bastante apropriada, “sem excessos e faltas, estabelecendo verdadeiramente critérios mínimos nacionais, em tese”.

Herzog aponta que a questão fundamental, para além do conteúdo, é a qualificação do professor. “Não se faz educação sem educadores, e quem educa os nossos educadores? Como estão sendo educados? Taí a greve das três universidades estaduais, novamente. São quem mais prepara para a docência no Estado, sobretudo no Interior, onde a UFC levou 50 anos para pisar”.

De minha parte, cabe destacar que, embora não tenha mencionado na coluna de sábado, Artur Bruno efetivamente apontou ideias da comissão a esse respeito. A proposta, conforme o deputado, é mexer radicalmente na formação inicial. Entre as metas, ter 100% dos professores do ensino médio com nível superior no prazo de 10 anos – atualmente são 76%. A questão passa, também, por valorização. A média de remuneração dos professores estaduais pelo Brasil é de R$ 2,6 mil. A meta proposta pela comissão especial da Câmara é que, em seis anos, equiparar os professores à média salarial dos profissionais, de todas as áreas, que possuem nível superior – atualmente, esse valor é de R$ 4 mil. De fato, esse debate é central. E é preciso ir além.

Copa com cara de velha

Em artigo no O POVO deste sábado o repórter do Núcleo de Cultura e Entretenimento do O POVO, André Bloc, avalia a trajetória da Seleção Brasileira na Copa 2014. Confira:

E Fortaleza vai receber o Brasil na Copa do Mundo de 2014! Depois do sorteio dos grupos do maior torneio de futebol do mundo – realizado nessa sexta-feira (6) –, ficou definido que a seleção sede enfrentará o México no dia 17 de junho de 2014, valendo pela segunda rodada do grupo A. Mas, peraí, eu não já vi esse jogo? Ápice dos protestos contra a Fifa em Fortaleza, o confronto entre brasileiros e mexicanos ocorreu no dia 19 de junho 2013, na mesma Arena Castelão, há seis meses.

Se o repeteco parece só um, basta olhar os outros confrontos do Brasil no grupo A para a sensação de déjà vu aumentar. A estreia, marcada para o dia 12 de junho na polêmica Arena Corinthians, será contra a seleção croata – mesmo adversário da estreia brasileira na Copa do Mundo de 2006. Para fechar o grupo, mais uma vez Camarões, repetindo o confronto na primeira fase da seleção do tetra em 1994.

Analisando o prognóstico desses confrontos, dificilmente o Brasil enfrentará muitas dificuldades na primeira fase. O Castelão viu o 2 a 0 brasileiro sobre o México. Em 2006, Kaká fez o gol da vitória canarinho sobre a seleção da Croácia. Já em 1994, o time de Romário e cia conseguiu sua maior goleada no torneio contra os camaroneses.

O problema é que, a partir das oitavas-de-final, deve vir só “pedreira”. Final da última Copa do Mundo, Espanha e Holanda disputam com os perigosos chilenos o direito de enfrentar os dois classificados do grupo do Brasil. Nas quartas, o mais provável seria um duelo com um dos três campeões mundiais do grupo D: Uruguai, Itália ou Inglaterra.

Copa do Mundo, porém, não se decide na tabela. Quem sabe a Austrália solta uma zebra história e derruba a Holanda. Ou quiçá seja a vez de o México superar a péssima fase qualificatória e deixar o Brasil para trás. Previsões podem até se confirmar, mas quem esquece que a Seleção era favoritíssima em 1982, 1998 e 2006 e ficou pelo caminho e que em 1994 e 2002, poucos eram os ufanistas a depositarem suas fichas nas chances tupiniquins? A única aposta certa é no clichê: futebol é uma caixinha de surpresas.