Blog do Eliomar

Últimos posts

Manifestação deste sábado parte do Anfiteatro do Parque do Cocó

91 2

Foi confirmada por eventos do Facebook a manifestação deste sábado (22) em Fortaleza. A concentração será às 15h no Anfiteatro do Parque do Cocó e a saída está marcada para 16 horas. Não foi divulgado o percurso que a manifestação irá seguir. O último protesto, realizado nessa sexta-feira (21), terminou em confronto com a polícia, mas também teve desdobramentos significativos, quando a Comissão da Prefeitura recebeu um grupo de oito manifestantes.

Além do protesto da tarde deste sábado, está também marcada uma manifestação neste domingo (23), a partir das 9 horas, partindo da Praça Verde do Dragão do Mar.

(O POVO Online)

Dinheiro de estádios não compromete Orçamento para educação e saúde, diz Dilma

110 6

O dinheiro gasto nos estádios para a Copa do Mundo não compromete os recursos para a saúde e a educação, disse há pouco a presidenta Dilma Rousseff. Em pronunciamento em cadeia nacional de rádio e TV, ela explicou que as arenas são construídas com recursos de financiamentos de bancos oficiais, como o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a empresas e a governos.

“Em relação à Copa, quero esclarecer que o dinheiro do governo federal, gasto com as arenas, é fruto de financiamento que será devidamente pago pelas empresas e pelos governos que estão explorando esses estádios”, ressaltou a presidenta. “Jamais permitiria que esses recursos saíssem do Orçamento público federal, prejudicando setores prioritários como a saúde e a educação”.

A presidenta pediu ainda que os brasileiros recebam bem os estrangeiros que virão ao Brasil para o torneio. “Precisamos dar aos nossos povos irmãos a mesma acolhida generosa que recebemos deles. Respeito, carinho e alegria. É assim que devemos tratar os nossos hóspedes”, declarou.

A presidenta destacou que o esporte deve servir para estimular a paz, não conflitos. “O futebol e o esporte são símbolos de paz e convivência pacífica entre os povos. O Brasil merece e vai fazer uma grande Copa”, concluiu.

(Agência Brasil)

Fascistas impõem violência e desrespeitam maioria democrática

61 3

A pós uma semana de manifestações massivas por todo o País, os brasileiros já começam a sair de sua perplexidade inicial sobre as causas do movimento. Os cidadãos pedem o respeito dos poderes públicos a suas justas demandas, querem participação nas decisões políticas e administrativas mas, sobretudo, querem fortalecer e ampliar a democracia, não enfraquecê-la. Mas há, estranhamente, uma articulação extremamente minoritária e obscura – simbolizada pelas próprias máscaras por trás das quais se esconde – tentando deflagrar o caos, desmoralizar o movimento das maiorias e provocar a ação repressora do Estado. Com qual propósito?

Seja qual for o propósito, este é contrário e desrespeitoso à vontade das maiorias democráticas e tem desprezo por elas. Evidentemente, dissintonias espasmódicas e o atabalhoamento inicial de manifestantes noviços na arte de protestar podem ser compreendidos e absorvidos pela sociedade brasileira, mas o que se tem verificado é uma ação deliberada de estranhos brutamontes manipulando pessoas que estão estreando na via da legítima ação política e cidadã.

O jornalista Jânio de Freitas, da Folha de S.Paulo – um dos mais experientes profissionais e testemunha dos processos políticos no Brasil, nos últimos 50 anos – já havia chamado a atenção, na última quinta-feira, para essas estranhas erupções de violência cronometricamente articuladas e que “sugerem haver uma segunda mobilização, de fonte desconhecida, com total independência de fins e de ação. E aí está um grande perigo”. Coincidentemente, elas se encaixam com “falhas” suspeitas na articulação de forças de segurança, “omissões” inexplicáveis ou irrupções súbitas de truculência de elementos que se autonomizam dentro da tropa.

Ora, o País não está oprimido por uma tirania, não vive uma crise econômica incontrolável (ao contrário, vive uma expectativa otimista em relação à ascensão social que se traduziu do resgate de mais de 40 milhões da pobreza) não tendo, assim, motivos racionais para a radicalização transbordante com que se intenta revestir o movimento majoritário, pacífico e democrático. Identificar esses agentes fascistas e a quais propósitos servem – contendo-os pelo braço da lei – é tudo o que a sociedade pede neste momento.

(O POVO / Editorial)

Psicólogos e movimentos sociais protestam contra projeto da “cura gay”

104 1

Mais de mil pessoas se concentraram na Praça Roosevelt, centro paulistano, nessa sexta-feira (21), para protestar contra o projeto da “cura gay” que tramita na Câmara dos Deputados. A proposta revoga dos trechos da Resolução nº 1/99 do Conselho Federal de Psicologia (CFP), que proíbe os profissionais da área de participar de terapia para alterar a orientação sexual e de atribuir caráter patológico (de doença) à homossexualidade.

O projeto, de autoria do deputado João Campos (PSDB-GO), foi aprovado na Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) na última terça-feira (18). O texto, no entanto, ainda precisa ser votado pelas comissões de Seguridade Social e Família e de Constituição e Justiça (CCJ) antes de ir para o plenário da Casa.

Após a concentração com discursos e música, os manifestantes subiram a Rua da Consolação até a Avenida Paulista. O protesto foi organizado pelo Conselho Regional de Psicologia de São Paulo com apoio de movimentos de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros (LGBT).

“É inadmissível essa proposta de ‘cura gay’. Nós não aceitamos a homossexualidade como doença”, disse a presidenta do conselho, Maria de Fátima Nassif. “O psicólogo pode, se for procurado, tratar um homossexual tranquilamente, mas, para ajudá-lo com o sofrimento que ele possa ter advindo da sua condição ou não. Sofrimento por homofobia, por opressão ou outros da natureza humana”, acrescentou ao enfatizar que considera o projeto uma ingerência no exercício da psicologia.

A estudante de serviço social, Rita de Cássia, disse que se sente discriminada pela proposta. “Se a gente é igual perante as leis, porque não os nossos direitos?”, questionou. Enquanto o estudante de direito, Jonas Del Nobile, acredita que falta sensibilidade dos legisladores para ouvir a sociedade. “É muita arrogância, muita prepotência, muita falta de consideração que essas coisas aconteçam sem que você consulte as pessoas se isso realmente interessa para a população”, criticou.

Para a veterinária Carolina Parsekian as discussões sobre o projeto ajudaram a trazer à tona o preconceito velado contra os homossexuais. “Eu sempre fui simpatizante com o movimento gay, tenho vários amigos gays. Eu acho que o Brasil tem um preconceito velado”.

(Agência Brasil)

CAE vota na terça projeto que permite redução das tarifas de transporte público

A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) deve votar, na terça-feira (25), o projeto de lei que institui o Regime Especial de Incentivos para o Transporte Coletivo Urbano e Metropolitano de Passageiros (Reitup). A proposta (PLC 310/2009) tem como meta diminuir os preços das tarifas cobradas dos usuários por meio da redução da carga tributária incidente sobre esses serviços.

O projeto, já aprovado em duas comissões do Senado, entrou na pauta da CAE na última terça (18), após manifestações contra o aumento no preço das passagens de ônibus em diversas cidades do país. Segundo o presidente da CAE e relator da proposta, senador Lindbergh Farias (PT-RJ), o Reitup pode garantir redução de até 15% nas tarifas de transporte público.

A ideia contida no projeto é reduzir a zero, entre outras, as alíquotas do PIS/Pasep e da Cofins incidentes sobre o faturamento dos serviços e da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide-Combustíveis) na aquisição de óleo diesel.

(Agência Senado)

ProUni tem 163,6 mil inscrições no primeiro dia

No primeiro dia de inscrições, o Programa Universidade para Todos (ProUni) registrou 163,6 mil inscrições de 55,9 mil candidatos a bolsa – cada estudante pode fazer até duas opções de curso. O balanço foi divulgado pelo Ministério da Educação (MEC) e refere-se às inscrições até as 18h30min dessa sexta-feira (21). As inscrições podem ser feitas no site do ProUni até a próxima terça-feira (25).

O programa concede bolsas de estudo em instituições particulares de educação superior. Para o segundo semestre deste ano, serão ofertadas 90.010 bolsas. Do total, 55.658 serão bolsas integrais e 34.352 parciais, de 50% do valor das mensalidades das instituições particulares.

As bolsas integrais do ProUni são para estudantes com renda bruta familiar por pessoa de até um salário mínimo e meio. As bolsas parciais são para candidatos com renda bruta familiar de até três salários mínimos por pessoa.

Pode se inscrever no ProUni o estudante brasileiro que não tenha diploma de curso superior. É preciso ter participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e obtido, no mínimo, 450 pontos na média das notas. O candidato não pode ter zerado a redação e deve ter cursado todo o ensino médio na rede pública ou ter tido bolsa integral em escola particular.

(Agência Brasil)

Prefeito Roberto Cláudio recebe comissão de manifestantes na segunda-feira

Após quase duas horas de reunião entre secretários e representantes da manifestação que ocorreu em frente ao Palácio do Bispo, no Centro, na noite desta sexta-feira (21), o prefeito Roberto Cláudio definiu que receberá na segunda-feira (24) uma comissão de manifestantes.

A comissão deverá apresentar ao prefeito uma pauta de reivindicações, que será apreciada por Roberto Cláudio e secretários das áreas citadas pelos manifestantes.

Na tarde desta sexta-feira, o prefeito Roberto Cláudio, ao lado do governador Cid Gomes, esteve reunido com manifestantes que ocuparam as proximidades do Palácio da Abolição, sede do Governo do Estado, e da Assembleia Legislativa.

Em pronunciamento, Dilma diz ter a obrigação de ouvir a voz das ruas

102 2

A presidenta Dilma Rousseff fez na noite desta sexta-feira (21) um pronunciamento à nação em cadeia nacional de rádio e TV para falar sobre as manifestações e protestos que ocorrem pelo país. Na mensagem, Dilma reconheceu a legitimidade dos protestos, criticou a violência e o vandalismo de alguns e disse que o governo vai tomar medidas para levar reivindicações adiante.

Confira na íntegra o pronunciamento:

“Minhas amigas e meus amigos, todos nós, brasileiras e brasileiros, estamos acompanhando, com muita atenção, as manifestações que ocorrem no país. Elas mostram a força de nossa democracia e o desejo da juventude de fazer o Brasil avançar.

Se aproveitarmos bem o impulso desta nova energia política, poderemos fazer, melhor e mais rápido, muita coisa que o Brasil ainda não conseguiu realizar por causa de limitações políticas e econômicas. Mas se deixarmos que a violência nos faça perder o rumo, estaremos não apenas desperdiçando uma grande oportunidade histórica, como também correndo o risco de colocar muita a coisa a perder.

Como presidenta, eu tenho a obrigação tanto de ouvir a voz das ruas, como dialogar com todos os segmentos, mas tudo dentro dos primados da lei e da ordem, indispensáveis para a democracia. O Brasil lutou muito para se tornar um país democrático. E também está lutando muito para se tornar um país mais justo.

Não foi fácil chegar onde chegamos, como também não é fácil chegar onde desejam muitos dos que foram às ruas. Só tornaremos isso realidade se fortalecermos a democracia – o poder cidadão e os poderes da república.

Os manifestantes têm o direito e  a liberdade de questionar e criticar tudo. De propor e exigir mudanças. De lutar por mais qualidade de vida. De defender com paixão suas idéias e propostas. Mas precisam fazer isso de forma pacífica e ordeira.

O governo e sociedade não podem aceitar que uma minoria violenta e autoritária destrua o patrimônio público e privado, ataque templos, incendeie carros, apedreje ônibus e tente levar o caos aos nossos principais centros urbanos.

Essa violência, promovida por uma pequena minoria, não pode manchar um movimento pacífico e democrático. Não podemos conviver com essa violência  que envergonha o Brasil.Todas as instituições e os órgãos da Segurança Pública devem coibir, dentro dos limites da lei, toda forma de violência e vandalismo. Com equilíbrio e serenidade, porém, com firmeza, vamos continuar garantindo o direito e a liberdade de todos. Asseguro a vocês: vamos manter a ordem.

Brasileiras e brasileiros, as manifestações dessa semana trouxeram importantes lições: as tarifas baixaram e as pautas dos manifestantes ganharam prioridade nacional. Temos que aproveitar o vigor destas manifestações para produzir mais mudanças que beneficiem o conjunto da população brasileira.

A minha geração lutou muito para que a voz das ruas fosse ouvida. Muitos foram perseguidos, torturados e morreram por isso. A voz das ruas precisa ser ouvida e respeitada. E ela não pode ser confundida com o barulho e a truculência de alguns arruaceiros. Sou a presidenta de todos os brasileiros. Dos que se manifestam e dos que não se manifestam. A mensagem direta das ruas é pacífica e democrática. Ela reivindica um combate sistemático à corrupção e ao desvio de recursos públicos. Todos me conhecem. Disso eu não abro mão.

Esta mensagem exige serviços públicos de mais qualidade. Ela quer escolas de qualidade; ela quer atendimento de saúde de qualidade; ela quer um transporte público melhor e a preço justo; ela quer mais segurança. Ela quer mais. E para dar mais, as instituições e os governos devem mudar.

Irei conversar, nos próximos dias, com os chefes dos outros poderes para somarmos esforços. Vou convidar os governadores e os prefeitos das principais cidades do país para um grande pacto em torno da melhoria dos serviços públicos. O foco será: primeiro, a elaboração do Plano Nacional de Mobilidade Urbana, que priviligie o transporte coletivo. Segundo, a destinação de 100% do petróleo para a educação. Terceiro, trazer de imediato milhares de médicos do exterior para ampliar o atendimento do SUS.

Anuncio que vou receber os líderes das manifestações pacíficas, os representantes das organizações de jovens, das entidades sindicais, dos movimentos de trabalhadores, das associações populares. Precisamos de suas contribuições, reflexões e experiências. De sua energia e criatividade, de sua aposta no futuro e de sua capacidade de questionar erros do passado e do presente.

Brasileiras e brasileiros, precisamos oxigenar o nosso velho sistema político. Encontrar mecanismos que tornem nossas instituições mais transparentes, mais resistentes aos malfeitos e acima de tudo mais permeáveis à influência da sociedade. É a cidadania, e não o poder econômico,  quem deve ser ouvido em primeiro lugar.

Quero contribuir para a construção de uma ampla e profunda reforma política, que amplie a participação popular. É um equívoco achar que qualquer país possa prescindir de partidos e, sobretudo, do voto popular, base de qualquer processo democrático.

Temos de fazer um esforço para que o cidadão tenha mecanismos de controle mais abrangentes sobre os seus representantes. Precisamos muito, mas muito mesmo, de formas mais eficazes de combate à corrupção. A Lei de Acesso à Informação, sancionada no meu governo, deve ser ampliada para todos poderes da república e instâncias federativas. Ela é um poderoso instrumento do cidadão para fiscalizar o uso correto do dinheiro público. A melhor forma de combater a corrupção é com transparência e rigor.

Em relação à Copa, quero esclarecer que o dinheiro do governo federal, gasto com as arenas, é fruto de financiamento que será devidamente pago pelas empresas e governos que estão explorando estes estádios. Jamais permitiria que esses recursos saíssem do orçamento público federal, prejudicando setores prioritários como a saúde e a educação.

Na realidade, nós ampliamos bastante os gastos com saúde e educação. E vamos ampliar cada vez mais. Confio que o Congresso nacional aprovará o projeto que apresentei para que todos os royalties do petróleo sejam gastos exclusivamente com a Educação.

Não posso deixar de mencionar um tema muito importante, que tem a ver com a nossa alma e o nosso jeito de ser. O Brasil, único país que participou de todas as Copas, cinco vezes campeão mundial, sempre foi muito bem recebido em toda parte.

Precisamos dar aos nossos povos irmãos a mesma acolhida generosa que recebemos deles. Respeito, carinho e alegria. É assim que devemos tratar os nossos hóspedes. O futebol e o esporte são símbolos de paz e convivência pacifica entre os povos. O Brasil merece e vai fazer uma grande Copa.

Minhas amigas e meus amigos, eu quero repetir que o meu governo está ouvindo as vozes democráticas que pedem mudança. Eu quero dizer a vocês que foram, pacificamente, às ruas: Eu estou ouvindo vocês. E não vou transigir com a violência e a arruaça. Será sempre em paz, com liberdade e democracia que vamos continuar construindo juntos este nosso grande país”.

(Agência Brasil)

Manifestante é preso com bombas caseiras

95 1

manifestação 130621 prefeitura

Um homem foi preso na noite desta sexta-feira (21), nas proximidades do Palácio do Bispo, no Centro, após a Polícia encontrar uma mochila com várias bombas caseiras.

Desde o início da noite, cerca de 10 mil pessoas estão concentradas nas proximidades da Prefeitura de Fortaleza. Para tentar conter o vandalismo, 250 guardas municipais fazem a segurança do prédio.

Agora há pouco, cinco manifestantes chegaram à delegacia trazidos pelo BP Choque. O delegado geral da Polícia Civil, Luiz Carlos Dantas, se encontra no 34º DP.

Delegada admite que policiais estão infiltrados nas manifestações

448 8

delegada juliana pinheiro

A titular do 2º Distrito Policial (Aldeota), Juliana Pinheiro, admitiu em entrevista coletiva que policiais estão infiltrados nas manifestações em Fortaleza. Segundo a delegada, a presença de policiais disfarçados de manifestantes seria para identificar vândalos e assaltantes.

Imagens do confronto em frente ao Palácio da Abolição, nessa quinta-feira (20), no entanto, mostraram um policial tentando conduzir os manifestantes para a orla marítima, longe da sede do governo estadual. Cinquenta e cinco pessoas foram detidas, após identificadas por policiais infiltrados.

Vamos nós – A presença de policiais infiltrados é legítima, principalmente porque há bandidos infiltrados nas manifestações.

CNN exibirá neste sábado reportagens especiais sobre manifestações no Brasil

275 2

A CNN International vai exibir, neste sábado, uma reportagem especial sobre as manifestações que se espalham pelo Brasil há duas semanas. Para descobrir o que tem alimentado o descontentamento da população, os correspondentes Shasta Darlington, em São Paulo, e Matthew Chance, no Rio de Janeiro, consultaram desde moradores de favelas até pessoas de classes mais altas da sociedade. Em pauta, a pergunta: afinal, por que eles estão protestando? O resultado dessa investigação vai ao ar ao longo da programação.

Desde a primeira reação popular, a CNN International acompanha de perto todos os acontecimentos no país.

O portfólio de notícias e serviços de informações da CNN está disponível em cinco idiomas diferentes através de todas as principais plataformas de TV, internet e mobile alcançando mais de 375 milhões de domicílios ao redor do mundo.

fabiolimaa

(Foto – Fábio Lima/O POVO)

Pesquisadores – Protestos são importantes, mas não se sabe em que vão resultar

“Pesquisadores de diferentes áreas do conhecimento, reunidos hoje (21), na Universidade de São Paulo (USP), destacaram a importância das manifestações que ocorrem em todo o país para demonstrar o anseio de participação política da sociedade brasileira. Eles disseram, porém, que não sabem ao certo em que esse movimento pode resultar. “Essas pessoas estão insatisfeitas pela forma como são representadas”, afirmou o filósofo Renato Janine Ribeiro, professor de ética e filosofia política da USP, ao participar do debate O que está acontecendo?. Para ele, de alguma forma, o movimento é contra as instituições. “De tempos em tempos, a política precisa ser irrigada por uma injeção forte de vida, mesmo que essa vida não saiba como se expressa, mas para mostrar que política é um meio, e não um fim. Quando se fala em necessidade de participação política, não é aquela feita em moldes tradicionais”, explicou.

O cientista político José Álvaro Moisés, responsável pelo Núcleo de Pesquisa de Políticas Públicas da USP, apontou como pano de fundo das mobilizações “um profundo mal-estar com a democracia existente no Brasil”. Segundo Moisés, isso não nega a existência de um regime democrático, mas faz referência à qualidade da democracia brasileira. “Tivemos avanços extraordinários em termos de reconhecimento de direitos nas últimas décadas, mas, visivelmente, tem áreas em que ela [democracia] funciona mal, e provavelmente o maior déficit é o da representação.”

O historiador em literatura brasileira Alfredo Bosi, professor aposentado da USP, também destacou a necessidade de repensar o modelo de participação política no país. Para ele, as manifestações expõe um problema vital, que é “como tornar viável uma democracia participativa, que me parece o ideal, e pela qual os grande problemas da cidade possam ser tratados com alguma racionalidade.” declarou.

Já o sociólogo Bernardo Sorj, professor aposentado da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), lembrou que houve nos últimos anos uma neutralização da participação política no país, sobretudo pela chegada ao poder do PT, que exercia um forte papel de mobilização. “Houve castração da vida política no Brasil pela capacidade de cooptar boa parte dos movimentos sociais, dos sindicatos, dos grêmios universitários, da sociedade civil. Portanto, nos surpreendemos porque nos acostumamos a uma postura apolítica”, disse ele.

O papel das mobilizações como instrumento de rompimento do “tédio” foi apontado pela psicóloga Sylvia Dantas, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). “Nós estávamos tomados por um estado de melancolia, de que as coisas estão tão complexas que não há como sair disso. Convivia-se com a ideia de que a nossa juventude estava alienada e todos estavam tomados pela passividade.” Sylvia acredita que este é um momento de catarse: “as pessoas estão colocando para fora a vigência de uma dissonância cognitiva, que, na psicologia, é explicada como o fato de que a percepção da realidade não está de acordo com o que é dito”.”

(Agência Brasil)

* VEJA o comentário do jornalista Augusto Nunes. Ele diz que falta grandeza a Dilma Rousseff no momento em que o País vive a onda de protestos. AQUI.

Defensoria Pública inicia plantões nas delegacias durante fim de semana

manifestantes-nas-ruas

Já está em vigor, desde as 18 horas desta sexta-feira, o plantão da Defensoria Pública Geral do Estado no 2º Distrito Policial e na Delegacia da Criança e do Adolescente para acompanhamento das detenções decorrentes das manifestações na Capital. O objetivo da força-tarefa, segundo a assessoria de imprensa do órgão, é garantir os direitos fundamentais da população cearense durante as manifestações populares, notadamente os direitos e todas as garantias atinentes ao devido processo legal.

O atendimento dos Defensores Públicos será realizado na Unidade Móvel da Defensoria Pública, que fica estacionada no 2º Distrito Policial de sexta a domingo. Caso aconteçam apreensões de adolescentes, um defensor público será deslocado para a Delegacia da Criança do Adolescente, que fica no bairro São Gerardo.

Sindicato da Habitação promove encontro para administradores de condomínios

O Sindicato da Habitação do Ceará (SECOVI) promoverá, na próxima segunda-feira, o XXII Seminário Integrado para Síndicos. O evento reunirá administradores de condomínios em torno de discussões sobre temas como “Conselho Profissional e a Defesa da Sociedade”, “Instrução e Lei de Inspeção Predial” e “Prevenção contra Incêndios”.

O encontro do SECOVI ocorrerá no Gran Marquise Hotel, a partir das 18 horas, e contará com palestras ministradas por Luciano Guimarães, presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU), Victor Frota, presidente do CREA/CE, Thereza Neumann, presidente do Sindicato dos Engenheiros do Ceará), e Capitão Renato Luis, do Corpo de Bombeiros.

Joaquim Barbosa é o preferido dos manifestantes paulistas para o Planalto

O Datafolha fez pesquisa entre manifestantes paulistanos sobre sucessão presidencial. Foi durante ato de quinta-feira. Apesar de não figurar na lista de pré-candidatos ao Palácio do Planalto, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, aparece como o preferido para suceder Dilma Rousseff. De acordo com o instituto, Barbosa foi mencionado por 30% dos entrevistados, contra 22% da ex-senadora Marina Silva, que tenta montar a Rede Sustentabilidade para concorrer ao Planalto em 2014. Dilma (PT) aparece em terceiro na lista, com 10% das menções.

O senador Aécio Neves (PSDB-MG), com 5%, e o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), com 1%, vêm logo a seguir.

A margem de erro da pesquisa, que entrevistou 551 manifestantes, é de 4 pontos percentuais para mais ou para menos. No limite, Barbosa e Marina poderiam ter 26% das preferências, mas, segundo o Datafolha, a probabilidade de que esse cenário seja real é muito pequena.

(Folha Online)

Está faltando cabelo branco nessas manifestações?

108 4

donaloures

Em tempos de manifestações, eis dona Lourdes Albuquerque, leitora do Blog que, aos 91 anos de idade, fica cada dia mais jovem, lúcida e antenada. Tem a régua e o compasso da história na mão e na memória. Foi uma luta desigual, sofrida, grave a que travou na época da ditadura, pois teve filhos seus – Mário e Pedro Albuquerque, presos pelo regime militar.

A juventude novamente nas ruas na luta por um Brasil transformado é a sua grande recompensa moral.

(Foto – Cláudio Barata)

Justiça concede habeas corpus em favor de 22 gestores afastados em Quixadá

98 7

O Tribunal de Justiça do Estado concedeu, nesta sexta-feira, liminar, atendendo a pedido de habeas corpus interposto pelo advogado Leandro Vasques, em favor dos 22 gestores municipais da Prefeitura de Quixadá. Eles haviam sido afastados sob acusação de supostas fraudes em licitação.

A denúncia foi feita pela oposição ao Ministério Público que, por sua vez, requereu o afastamento e realização de buscas e apreensões.

O habeas corpos foi concedido pelo desembargador Paulo Timbó. Ele determinou que o grupo retorne ao exercício de suas funções, tendo como fundamento a “desnecessidade de afastamento de servidor mediante suspeitas ainda não comprovadas”.

Onda de protestos – Cerca de mil pessoas fazem passeata na rota da Beira Mar

“Após realizar parada de 40 minutos na frente do Sebrae, um grupo de cerca de mil pessoas segue, nesta sexta-feira, pela rua Antonio Augusto, no sentido da avenida Beira Mar. O movimento permanece pacífico e, até agora, não foi registrada nenhuma ação de vandalismo.

De acordo com agentes da AMC presentes no local, protesto já contabiliza pelo menos mil pessoas. A cada ameaça de vandalismos, os manifestantes param e lançam apelos por paz.

Reportagem do O POVO ainda não viu policiais acompanhando a caminhada.”

(POVO Online)