Blog do Eliomar

Últimos posts

Bolsonaro ganharia até de Lula no Espírito Santo

Jair Bolsonaro lidera a corrida presidencial em todos os cenários no Espírito Santo. Com Lula na disputa, o que é improvável, ele teria 25,5% dos votos, contra 23,6% do petista. Marina Silva, Ciro Gomes e Geraldo Alckmin teriam 9,5%, 6,2% e 5,1%, respectivamente.

Sem ele, Bolsonaro sobra. 27,5% dos eleitores votariam nele. Marina seria a segunda mais votada, com 15,1%. Ciro e Alckmin teria algo em torno de 9,9% e 5,6%, respectivamente.

Michel Temer é desaprovado por 86,9% dos capixabas.

O levantamento é do Paraná Pesquisas.

(Veja Online)

Entrada de dólares supera saída em US$ 3,7 bi em junho

No mês de junho, entraram mais dólares no país do que saíram. O saldo positivo ficou em US$ 3,710 bilhões. De acordo com dados divulgados hoje (4) pelo Banco Central (BC), foi o terceiro mês seguido de entrada líquida (descontada a saída) de dólares no país. De janeiro a junho, o saldo positivo chegou a US$ 22,525 bilhões.

O fluxo financeiro (investimentos em títulos, remessas de lucros e dividendos ao exterior e investimentos estrangeiros diretos, entre outras operações) em junho ficou positivo em US$ 890 milhões. No primeiro semestre, houve mais saída que entrada, o que levou ao saldo negativo de US$ 7,241 bilhões.

Já o fluxo comercial (operações de câmbio relacionadas a exportações e importações) ficou positivo em US$ 2,820 bilhões, em junho, e em US$ 29,767 bilhões, no primeiro semestre.

(Agência Brasil)

Leônidas Cristino cobra conclusão da Ferrovia Transnordestina

321 2

O deputado federal Leônidas Cristino defendeu, durante audiência pública da Comissão de Viação e Transportes, da Câmara, a conclusão da Ferrovia Transnordestina, a Ferrovia Norte Sul e a Ferrovia de Integração Oeste Leste (FIOL). O parlamentar cobrou uma ação da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) no sentido de passar a tratar com mais rigor as empresas concessionárias de transporte ferroviário para fazer valer as disposições previstas nos contratos firmados para concluir estas obras estruturantes para o país.

“As agências reguladoras devem cobrar a finalização desses empreendimentos, dentre outros”, disse Leônidas Cristino. O deputado acrescentou que é necessária a retomada de uma visão sistêmica no planejamento e expansão do setor, assim como a garantia de tarifas módicas para os usuários desses serviços.

A audiência pública teve como o tema “Concessões de ferrovias, obras inacabadas e ramais desativados, bem como a conclusão e o efetivo funcionamento da Ferrovia Norte-Sul”. Como presidente da Comissão Mista de Engenharia, Infraestrutura e Desenvolvimento Nacional, Leônidas Cristino fez uma detalhada apresentação do papel deste sistema de transporte no mundo e comparou o modelo brasileiro com o de países com dimensões parecidas com o Brasil, mas que dele fazem melhor uso, como os EUA, Canadá, Rússia e Austrália.

“A retomada de investimentos públicos e privados em infraestrutura ferroviária é de suma importância para a economia do Brasil”. As ferrovias, segundo ele, apresentam melhor desempenho e balanço energético mais eficiente, comparadas com o transporte rodoviário, e possibilitam o barateamento dos transportes de cargas e passageiros em todo o território nacional.

O parlamentar analisou o surgimento da malha ferroviária do país, sua expansão e posterior sucateamento que se deu, principalmente, após o processo de privatização no final da década de 90. A audiência pública concluiu com a recomendação de que em breve devem ser retomados os investimentos no setor, a fim de que se finalizem as obras da Ferrovia Transnordestina e se resolvam outros gargalos que tanto oneram as empresas de cargas que operam em nossas sucateadas ferrovias.

Também participaram da audiência pública Sérgio Lobo, diretor da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT); Marcus Expedito Felipe de Almeida, diretor de Operações e Participações da VALEC Engenharia, Construções e Ferrovias S.A.; Ticiano Bragatto, gerente técnico da Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários (ANTF) e José Manoel Ferreira Gonçalves, presidente da Frente Nacional pela Volta das Ferrovias (Ferrofrente).

(Foto – Agência Câmara)

Orçamento de 2019 exclui reajuste salarial para servidores

O relator da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), senador Dalírio Beber (PSDB-SC), justificou hoje (4) que elaborou um parecer mais duro para o Orçamento de 2019 devido à crise econômica e fiscal que o país vive. O parecer apresentado por Berger esta semana não admite nenhum tipo de reajuste para servidores públicos, reduz o limite de renúncias fiscais e veta a criação de novos cargos.

O senador explicou que é preciso adotar medidas “não simpáticas”  para não aumentar as despesas obrigatórias para o próximo governo. Ele reiterou que não haverá reposições no caso de vacância no serviço público, a não ser nas áreas de educação, saúde, segurança pública, defesa, assistência social. Os reajustes que já foram aprovados de forma parcelada ou escalonada também não serão afetados.

“Nós produzimos um relatório de forma muito criteriosa, conscientes do grau de dificuldade que vive o país neste momento. Nós trazemos números negativos nos últimos anos e a tendência é que estes números se agravem nos anos vindouros. Por isso, não queremos transportar pro ano de 2019 para um governo que nós ainda não sabemos quem será”, afirmou.

Questionado sobre a resistência política que a restrição aos incentivos fiscais pode enfrentar no setor produtivo, Beber explicou que o prazo de dez anos é razoável para que o governo avalie a condição de cada setor beneficiado e encontre um equilíbrio. Em seu relatório, Beber estabelece que as renúncias fiscais não ultrapassem o percentual de 2% do Produto Interno Bruto (PIB) do país.

A proposta segue recomendação do Tribunal de Contas da União (TCU), que apontou que no ano passado o país deixou de arrecadar R$ 354 bilhões com as renúncias fiscais, valor que representa 5,4% do PIB e 30,7% da receita primária. A redução do volume de incentivos fiscais poderia , segundo o TCU, reduzir o deficit previdenciário pela metade.

“Nós temos hoje uma previsão de que o montante de renúncias fiscais para 2019 alcance mais de R$ 300 milhões. Em nível de concessões de incentivos fiscais em outros países o máximo que isso pode representar é em torno de 2% do PIB. Esta é uma recomendação que estamos fazendo na LDO, nos sentido de que em 10 anos, nós também devemos no Brasil ter no máximo 2% do PIB em renúncias fiscais”, disse.

O senador comentou que a questão da reforma da Previdência também deve ser enfrentada para garantir o equilíbrio das contas públicas. Apesar de não ter incluído no relatório da LDO, o relator defendeu que o assunto seja uma das prioridades dos poderes Legislativo e do Executivo a partir do ano que vem.

Beber espera que seu relatório seja aprovado antes do recesso parlamentar, previsto para ter início no próximo dia 17 de julho. A Comissão Mista de Orçamento se reunirá nesta quarta-feira (4) para discutir o relatório.

(Agência Brasil)

Um Dia Apenas

Com o título “Um dia apenas”, eis artigo de Demétrio Andrade, jornalista e sociólogo, que aborda uma tragédia dois meses antes da Copa da Rússia com o mexicano Gilberto Martinez. Confira:

Minha mulher me passou um texto lindo, do Julio Gomes, publicado no jornal O Povo, sobre o mexicano Gilberto Martínez, que viu falecerem a esposa e os dois filhos pequenos em um acidente de carro nos EUA, dois meses antes desta Copa, com tudo já comprado para o evento. Gilberto decidiu ir à Rússia assim mesmo, com amigos, num sinal de respeito e para homenagear a família, que estaria feliz de participar daquele momento.

Não é fácil ler o artigo. Dá pra sentir nas entrelinhas a dor de quem viu vidas preciosas se esvaírem em apenas um dia. Em apenas um dia, perde-se tudo. Em apenas um dia, pode-se dar adeus aos seus afetos de forma trágica. Em apenas um dia, todo um passado construído com amor, suor e trabalho vira pó e lembranças.

Comparei com meu dia. Na verdade, comparei com vários outros dias vividos por mim, centenas deles mal e porcamente. Fica sempre aquela sensação – presente em qualquer texto de autoajuda piegas (desculpem o pleonasmo) – de que é necessário viver intensamente, curtir o presente, amar as pessoas como se não houvesse amanhã e outros que tais.

Evidentemente, isso não é possível. O fato é que, para se viver desta forma, precisaríamos de uma espécie de “estado de alerta permanente”. Um policiamento constante, quase desesperado, sobre nossas ações, não bastasse a frequência que nos vendem – e cobram – receitas de felicidade e sucesso imediatas e sem qualquer esforço. Ocorre que felicidade ou sucesso são conceitos relativos. Assim como dor e a frustração, elementos básicos da existência. E, o que é pior, nada há para prevenir ou aliviar uma dor desta proporção.

Não há respostas para estas questões. No máximo, perceber que é importante viver da melhor forma possível um dia de cada vez. Seja curtindo mais horas com a família, bebendo com os amigos, dedicando-se a ajudar o próximo, se realizando em mais um dia de trabalho, dormindo o dia inteiro ou pulando de bungee jump. Ou, quem sabe, tentar compensar o mau humor de ontem com uma atitude mais positiva no dia de hoje. E isso está bem longe de ser simples.

Para quem está passando por momentos difíceis, talvez soe hipócrita sugerir ser grato por mais um dia. Mas penso nos bilhões de pessoas que estão bem ou, pelo menos, não viveram um minuto sequer como aquele fatídico dia pelo qual passou Gilberto Martínez, que envergou, não quebrou e equilibrou-se por sobre a tristeza. Melhor pensar que nunca é apenas um dia. De repente, pode ser que nos falte um dia apenas.

*Demétrio Andrade

Jornalista e sociólogo

Academia Cearense de Engenharia ganha dois novos membros de peso

A Academia Cearense de Engenharia ganhou mais dois membros, em ato realizado no auditório da Reitoria da Universidade Federal do Ceará. À frente da cerimônia, o presidente da entidade, o ex-presidente do Crea/CE, Victor Frota.

Tomaram posse Jesualdo Farias, ex-secretário estadual das Cidades e ex-reitor da UFC, e Antônio Nunes de Miranda, ex-diretor do Centro de Tecnologia da UFC.

(Fotos – Divulgação)

Congresso derruba veto a projeto que federaliza rodovia estadual

O plenário do Congresso Nacional derrubou hoje (4) o veto presidencial ao projeto de lei que altera o Plano Nacional de Viação para tornar federal um trecho de 161 quilômetros da estrada estadual de ligação de rodovias federais que dão acesso aos municípios de Bom Jesus (RS) e Bom Retiro (SC).

Os deputados derrubaram o veto ontem (3) por 284 votos a 12, e os senadores confirmaram a rejeição hoje por 43 votos a 3. A matéria segue agora para promulgação do Congresso.

Segundo autor do projeto, deputado Alceu Moreira ( PMDB-RS), a rodovia faz parte da rota conhecida como Caminho das Neves e a federalização seria importante para consolidar o turismo na região, impulsionar a economia dos municípios e integrar as serras Gaúcha e Catarinense.

O projeto foi aprovado pela Câmara em 2016 e pelo Senado este ano e vetado integralmente pelo presidente Michel Temer em abril. Na mensagem publicada no Diário Oficial da União, o presidente justifica que o projeto contraria interesse público e que o Ministério dos Transportes avaliou que o trecho referido não atende às condições necessárias para ser incluído no Subsistema Rodoviário Federal.

(Agência Brasil)

Lotéricas não mais receberão contas da Enel

A partir do dia 5 de agosto, as lotéricas não mais receberão contas da Enel Distribuidora. O grupo decidiu rescindir o contrato com a Caixa Econômica Federal e promete receber o desembolso em seus postos de atendimento.

Segundo o diretor institucional da Enel, José Nunes, essa rede de postos de atendimento será ampliada. A rescisão contratual segue orientação da direção nacional do grupo.

(Foto – Diário de Goiás)

Voo ligando Panamá a Fortaleza aterrissa dia 18 de julho

No próximo dia 18, pousará, no Aeroporto Internacional Pinto Martins, o primeiro voo da Copa Airlines ligando o Panamá à Capital cearense. A informação é da direção nacional da Associação Brasileira da Industria de Hotéis (Abih).

O primeiro pouso está previsto para as 21h30min, com coquetel para alguns convidados. O voo CM343 será operado em um Boeing 737-800, com capacidade para 16 passageiros em classe executiva e 138 na cabine principal.

As passagens estão sendo vendidas ao preço de US$ 545 ida e volta (aproximadamente R$ 1.720). Serão duas frequências semanais. Com a inclusão do novo destino, Fortaleza passará a ter, até o fim deste ano, 43 frequências semanais internacionais para 13 cidades.

(Foto – Divulgação)

Banco do Brasil vai aplicar R$ 103 bi em crédito rural

O Banco do Brasil vai destinar R$ 103 bilhões para o financiamento da safra agrícola 2018/2019. O valor é 21% maior do que o total desembolsado na safra 2017/2018, cerca de R$ 85 bilhões. Para a safra que se inicia neste mês, os juros também serão menores do que os praticados até este momento. Em entrevista à NBr, o presidente do Banco do Brasil, Paulo Rogério Caffarelli, disse que, para a agricultura familiar, a taxa vai variar de 2,5% a 4,6% ao ano e, para os empréstimos do agronegócio, será de 6% a 7,5%. O anúncio do Plano Safra do Banco do Brasil foi feito hoje (4) em cerimônia na sede da instituição, com a participação do presidente Michel Temer.

O Banco do Brasil é o principal agente de financiamento da agricultura brasileira: responde por 60% do crédito disponível para o setor. Neste ano, o governo federal anunciou um total de R$ 194,3 bilhões para o financiamento da safra agrícola 2018/2019. “Eu considero o Banco do Brasil, que é responsável por 60% dos créditos do agronegócio, o grande parceiro da agricultura brasileira. É importante destacar, acima de tudo, a capacidade que o produtor brasileiro teve de se superar, se reinventar e fazer com que o Brasil chegasse aos números que temos hoje”, afirmou Caffarelli.

O lançamento do Plano Safra do Banco do Brasil acontece tradicionalmente na sequência do anúncio do governo federal. Os R$ 103 bilhões serão direcionados ao custeio e ao investimento da produção agrícola, bem como à comercialização dos produtos. No total, o saldo da carteira de crédito agrícola do Banco do Brasil tem R$ 185 bilhões, sendo R$ 43 bilhões para a agricultura familiar, R$ 117 bilhões para grandes empresas e R$ 24 bilhões para empresas de médio porte.

O presidente do Banco do Brasil destacou a importância do setor rural para a retomada do crescimento econômico do país. “O agronegócio talvez seja o grande instrumento que o Brasil tem hoje para a retomada do crescimento econômico. O setor teve participação ativa na superação da crise”, argumentou.

Segundo Caffarelli, a agricultura responde por 23% do Produto Interno Bruto (PIB) e por 44% do total das exportações brasileiras, o que deixa clara a vocação do país para o agronegócio. “Estamos trabalhando para dar continuidade a um trabalho que foi feito, lembrando que a safra 2016/2017 foi a maior de todos os tempos. Nós tivemos 238 milhões de toneladas. Esperamos que a safra 2017/2018 possa atingir números bastante semelhantes. Portanto, começamos uma nova safra com muita expectativa, com muita esperança de continuar esse processo de produção”, disse.

Nos últimos 25 anos, segundo Caffarelli, a área plantada no país cresceu 65%, mas a produção aumentou 375% no mesmo período. Para se chegar a esses índices, disse Caffarelli, houve um forte investimento em tecnologia, pesquisa e desenvolvimento, bem como um estímulo ao crédito, com participação expressiva do Banco do Brasil.

(Agência Brasil/Foto – Ana Paula Paiva)

A Torcida Real

Com o título “God save the queen”, eis artigo do jornalista Cláudio Ribeiro, no O POVO desta quarta-feira. Ele mistura, de uma menira bem humorada, a Copa da Rússia com a possível gravidez da princesa Kate. Confira:

A se confirmar o que o tabloide americano Life & Style andou espalhando ontem, de que a duquesa Kate Middleton estaria com sinais de nova gravidez apenas dois meses após ter dado à luz ao menino Louis, eita que talvez a seleção inglesa nem esteja nas manchetes de hoje depois do jogo suado contra a Colômbia. Harry Kane perdeu a foto principal do The Sun? Será que o Daily Telegraph terá a charge da bisa Elizabeth reclamando de tanto menino correndo pelo palácio? Com todo o respeito, mas “valha, Kate, de novo? Respeitou nem o resguardo?” — como dizem em Londres ou na Itapipoca. Entre a Copa do 7 a 1 e esta dos rolamentos de Neymar, Buckingham aumentaria em quatro novas crias reais. Eita!

Os ingleses são loucos por futebol. Inventaram as regras do 11 contra 11, bola de couro, duas traves e gols por fazer. Hoje eles têm uma liga espetacular, bem cara, bem jogada. Passaram daquele tempo que eram só chutões pra frente, pro alto, até algum galalau alcançar o ponto mais alto do cruzamento com uma cabeçada. David Beckham batia bem na bola, chutava como poucos, era ótimo para essa estratégia, além de jogar bonito para o marketing.

Os clubes do pebol inglês juntaram bom dinheiro, atraíram investidores russos e coreanos e chineses, venderam bem o produto e as grandes contratações aportaram. Os melhores jogadores do futebol da Inglaterra não são nem da Inglaterra. Os treinadores mais caros também vieram. Os compatriotas de Beckham foram entendendo novos esquemas táticos, dribles e o jogo deles melhorou. Mas nem tanto, my lord. Triangulações, linhas aproximadas de marcação, tudo muito parecido, como a Copa da Rússia tem mostrado.

Porém, todo esse debate sobre o esporte bretão, se está melhorado, perde relevância entre os súditos se for verdadeira a notícia de que a família real ganha novo nome na sucessão. O que importa classificar por pênaltis para as quartas de final do Mundial?

Já tá 3 a 0 para William e Kate. O prenúncio de mais um gol na prole do reinado talvez deva ser nova fofoca, barrigada (ops!) do jornal americano. Harry e Meghan, recém-casados, olham tudo do banco de reservas. Que Deus salve a rainha pra tanto bisneto. A propósito, Inglaterra e Brasil podem se encontrar na final.

*Cláudio Ribeiro

Jornalista do O POVO.

O vice de Jair Bolsonaro pode ser mesmo Magno Malta

A bancada federal do PR e — muito mais importante — o “dono” do partido, Valdemar Costa Neto, já deram o aval para a aliança eleitoral com o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), informa o jornalista Lauro Jardim, colunista do O Globo. Ele adianta que o grupo topa qualquer nome do partido, o que o capitão escolher, para ter o vice-presidente da chapa.

Bolsonaro, no entanto, bateu o pé e, pelo menos até agora, só topa dar a vice para o senador Magno Malta, que está quase topando.

Há uma outra ala bolsonarista que ainda quer convencer Bolsonaro sobre a possibilidade dele optar por uma mulher como forma de diminuir a rejeição do eleitorado feminino ao seu nome.

Camilo lança na Fiec edital com projetos de inovação

Camilo e Beto Studart.

O governador Camilo Santana lançará nesta quinta-feira, às 9 horas, no auditório da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), o edital Funcap – Inovafit Fase 2/2018, que irá destinar um total de R$ 10 milhões para projetos de desenvolvimento de produtos e processos inovadores em áreas prioritárias para o Estado. O ato contará com a presença de Beto Studart,  presidente da Fiec, da secretária de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Nágyla Drumond, e do presidente da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), Tarcisio Pequeno, além de empresários e cientistas.

O edital, destinado a pequenas e médias empresas (com receita bruta anual até R$ 10,5 milhões), será administrado pela Funcap com recursos do Fundo de Inovação Tecnológica (FIT). O repasse será feito pela modalidade da subvenção econômica, não-reembolsável e mediante a contrapartida das empresas apoiadas. O principal objetivo é estimular a colaboração entre o setor empresarial e a pesquisa científica para aumentar a produtividade das empresas do estado, beneficiando a economia local, informa a assessoria de imprensa da federação.

*As áreas prioritárias definidas para os projetos são as seguintes:

– Água;

– Energia;

– Segurança Pública;

– Saúde / Biotecnologia / Fármacos;

– Educação;

– Tecnologia de Informação e Comunicação – TIC;

– Agronegócio / Indústria Alimentar;

– Eletrometal-Mecânico / Materiais / Nanotecnologia;

– Indústria da Construção Civil e Pesada;

– Economia Criativa;

– Inovação Social;

Dentro das áreas acima descritas, serão privilegiados projetos que proponham abordagens de temas considerados estratégicos para a área de inovação, atualmente: São eles:

– Inteligência artificial;

– Indústria 4.0;

– Coleta e análise de dados (Big data);

– Internet das coisas (IOT, internet of things);

– Cidades inteligentes (Smart Cities).

(Foto – Paulo MOska)

Dólar abre com leve alta nesta quarta-feira

O dólar abriu a cotação na manhã de hoje (4) em leve alta de 0,17%, valendo R$ 3,9019 para venda. O pregão desta quarta-feira deve ser enfraquecido pelo feriado nos Estados Unidos, que comemoram o Dia da Independência.

O Banco Central também não sinalizou nenhum leilão extraordinário de swap cambial (venda futura da moeda norte-americana). A atenção dos investidores está voltada para a próxima sexta-feira (6), quando o governo norte-americano prometeu começar a taxar os produtos da China.

O índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) abriu o pregão em alta de 0,25%, com 73.852 pontos registrados às 10h09. Papéis de empresas de grande porte, as chamadas blue chip, começaram o dia em alta, como o Bradesco (subindo 4,56%), o Itau (+2,35%) e a Petrobras (+ 0,17%).

(Agência Brasil)

Camilo Santana e um festival de inaugurações

Depois do Centro de Formação Olímpica, só falta reinaugurar a Arena Castelão.

Da Coluna Política de Érico Firmo, no O POVO desta quarta-feira, eis o tópico “Polêmica das inaugurações”. Confira:

O governador Camilo Santana (PT) segue inaugurando obras que estão ainda por completar. Não é novidade nem é só ele. Ele levou mais de ano para colocar em condições de uso o Hospital Regional do Sertão Central, em Quixeramobim, “inaugurado” por Cid Gomes (PDT). A mesma coisa ocorre nos diversos níveis, de forma generalizada entre os partidos. Administração do MDB fez isso em Sergipe e do PT agiu assim na Bahia. Em São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) entregou obras incompletas antes de renunciar, em abril. A pressa é motivada pelo calendário eleitoral. Os candidatos têm até sábado para participar de inaugurações.

Não sei o que é pior: que os políticos achem esse tipo de coisa determinante para o voto ou a possibilidade de estarem certos. As pessoas sabem quem é responsável pela obra. Não consigo entender que grande diferença de mérito, aos olhos da população, de o sujeito fazer uma solenidade para dizer que o empreendimento está concluído. Ainda mais quando os trabalhos, na verdade, não terminaram por completo e o equipamento público nem usado pode ser.

Em tese, deveria ser coisa que causa mais desgaste do que traz voto. O que deveria gerar apoio deveria ser o resultado daquele investimento para a população. Claro, o rito solene serve para vincular a imagem do serviço à do realizador. Porém, qual a vantagem quando o benefício ainda não chegará à população imediatamente?

Ontem, Camilo foi questionado sobre a razão de inaugurar a Uniseg do Jangurussu com obras físicas ainda incompletas. Devolveu com a pergunta: “Qual o problema?”, disse, argumentando que o importante é o aumento do efetivo policial na região, que já aconteceu, independentemente da conclusão da parte física da obra.

O problema é que a data de inauguração que constará na placa não será condizente com a realidade, a comunicação à população será inútil, pois não fará referência a um novo equipamento em uso.

As pessoas que usam e se beneficiam dos serviços sabem quando são realizados pelo prefeito, pelo governador, pelo presidente. Camilo faz jus aos méritos pelas obras que realizou, por ter feito os investimentos e pelo proveito público que delas houver. E não porque houve um ato qualquer repleto de áulicos para tirar foto.

Porém, os governos, dos diversos partidos, insistem nesse tipo de prática. Imagino que os estrategistas tenham elementos para afirmar que isso dá resultado. Suponho que não submeteriam os governantes ao constrangimento de entregar uma coisa incompleta a troco de nada.

E aí está o problema. Que coisas tão simples façam a diferença em algo tão sério quanto o voto. Mais ainda: que a “cultura do cimento” ainda seja a métrica para avaliação de uma gestão. Governante bom ainda seja aquele tido como o tocador de obras.

BNB comemora 66 anos de criação e 30 anos de FNE destacando o ex-senador Mauro Benevides

O ex-senador Mauro Benevides ganhará homenagem, nesta manhã de quarta-feira, durante atos que marcam os 66 anos de criação do Banco do Nordeste e os 30 anos do Fundo Constitucional do Nordeste (FNE).

Além de ter sido presidente da Instituição, foi de Mauro a lei que criou o FNE, hoje a principal linha de crédito para investimentos do BNB na região.

(Agência Senado)

Lava Jato – Nova fase investiga fraudes em licitações da área da saúde

A Polícia Federal deflagrou hoje (4) a Operação Ressonância com o objetivo desarticular organização criminosa acusada de formar cartéis na área de saúde. Segundo a PF, as empresas fraudavam licitações no fornecimento de equipamentos médicos e materiais hospitalares para a Secretaria Estadual de Saúde Do Rio de Janeiro e para o Instituto Nacional de Traumatologia (Into). São investigadas 37 empresas e a possibilidade de envolvimento delas em crimes de formação de cartel, corrupção, fraude em licitações, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

A ação de hoje, cujas investigações se desenvolvem conjuntamente com o Ministério Público Federal no Rio de Janeiro (MPF), ocorre a partir de elementos colhidos na Operação Fatura Exposta, deflagrada pela força-tarefa da Lava Jato no Rio em abril do ano passado.

A operação conta com a participação de cerca de 180 agentes federais, que cumprem 13 mandados de prisão preventiva; nove mandados de prisão temporária e 43 mandados de busca e apreensão em cinco unidades da Federação: Rio de Janeiro, São Paulo, Paraíba, Minas Gerais e Distrito Federal. O apartamento do ex-secretário de Saúde do Rio Sérgio Côrtes, na Lagoa (zona sul da cidade), é alvo de um dos mandados de busca e apreensão, expedidos pela 7° Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

Operação Fatura Exposta

A Fatura Exposta identificou um grande esquema de corrupção na área da saúde pública do Rio. Na ocasião, a operação levou à prisão além de Côrtes, os empresários Miguel Iskin, presidente da Oscar Iskin, e seu sócio Gustavo Estellita Cavalcanti Pessoa – e que também seriam alvos da operação de hoje.

Também subsidiam a operação de hoje informações e material colhidos em inquéritos anteriormente instaurados pela Polícia Federal sobre o assunto, bem como elementos colhidos em processos administrativos do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e que aponta, segundo a nota divulgada pela PF, “para o envolvimento de uma grande empresa do ramo de fornecimento de materiais e equipamentos médicos no sentido de manter sob influência a diretoria do Into”.

“O objetivo dessa atuação seria o de direcionar os vencedores e os valores a serem pagos nos contratos de fornecimento de material e equipamentos junto ao Instituto”, informa a PF. “Outras empresas interessadas em participar das licitações precisavam passar a integrar o cartel coordenado por essa grande empresa do ramo [cujo nome não foi revelado pela Polícia Federal] para ampliar as chances de sucesso”, acrescenta a nota.

(Agência Brasil)

PSB já admite que apoio a Ciro é questão de tempo

Integrantes do PSB dizem que, hoje, uma declaração de apoio a Ciro Gomes (PDT) na corrida presidencial é apenas questão de tempo, informa a Folha nesta quarta-feira. Dirigentes da sigla avaliam que, enquanto o PDT oferece apoio em todos os Estados onde o PSB disputará governos, o “PT só tira”.

Preocupado com o avanço das negociações de pessebistas com Ciro, o presidenciável do PSDB, Geraldo Alckmin, procurou aliados de seu sucessor no governo de São Paulo, Márcio França (PSB), que comanda ala importante da legenda.

Alckmin queria saber quais as chances de o PSB aprovar o apoio a Ciro. Ouviu que, hoje, os pessebistas de São Paulo quase não veem motivos para barrar uma aliança com o pedetista.

Alckmin sabe que, se o PSB embarcar na canoa de Ciro, as chances de DEM e PP fazerem o mesmo são imensas.

(Foto – Gustavo Simão)

Justiça manda Unichristus matricular aluno de Medicina pelo Fies sem aumentar valor do semestre

O juiz Cristiano Rabelo Leitão, titular da 37ª Vara Cível do Fórum Clóvis Beviláqua (FCB), determinou que o Centro Universitário Christus (Unichristus) efetue a matrícula de beneficiária do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) sem realizar aumento no valor do semestre. A decisão tem caráter liminar e o descumprimento está sujeito ao pagamento de multa por parte da instituição de ensino. A informação é da assessoria de imprensa do TJCE.

Nos autos (nº 0136632-61.2018.8.06.0001), consta que a estudante de Medicina ingressou por meio de processo seletivo e, como não tem condições financeiras de arcar com os custos, inscreveu-se no Fies, obtendo financiamento de 100% da quantia semestral (R$ 42.983,70).

Ela afirmou que, no semestre de 2018.1, os alunos receberam cobrança de R$ 1.239,10, divididos em três boletos, o que foi chamado de diferença de contrato de Fies, referente aos meses de abril, maio e junho deste ano. Argumentou ainda ter sido coagida a assinar a ata de recebimento das referidas faturas, sob pena da não liberação do aditamento.

A estudante alegou que a faculdade fez propaganda enganosa ao passar o comprometimento de financiar integralmente o curso por meio do Fies e que agiu de má-fé. Ela ingressou na Justiça pedindo a suspensão das cobranças excedentes não cobertas pelo Fies, a proibição de inscrição do nome nos cadastros de inadimplentes até a resolução do caso e indenização por danos morais (não objeto dessa decisão).
Ao analisar o caso, o magistrado afirmou que “a cobrança acrescida poderá inviabilizar a continuidade do curso superior, quanto ao semestre 2018.2, restando caracterizado o perigo de dano”. O juiz ressaltou ainda que “tem-se por caracterizados os requisitos legais, de modo que concedo liminar, em caráter precário, restrita à determinação para que o promovido Centro Universitário Christus – Unichristus efetue a matrícula da requerente [aluna] no semestre 2018.2, sem levar em conta o aumento do valor da semestralidade. Para o caso de descumprimento da ordem judicial, a ré [faculdade] sujeita-se à multa no valor de R$ 50.000,00”.