Blog do Eliomar

Últimos posts

Para Roberto Pessoa, quem for candidato do PSB a presidente será o "rola-bosta"

86 2

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=mBx3BS_ycUE[/youtube]

O ex-prefeito de Maracanaú, Roberto Pessoa, ironizou as declarações do ex-ministro Ciro Gomes (PSB) apontando que o importante é o seu partido discutir ideias sobre o País e não se o candidato a presidente da República será “Chico, Manoel ou rola-bosta”. Roberto Pessoa não entrou no mérito da declaração, mas apregoou que a fala de Ciro ajudará, com certeza, a  marqueteiros que quiserem trabalhar contra quem for o candidato do PSB ao governo.

Sobre o PR, Roberto Pessoa, presidente de honra do partido, garante: a legenda apoiará a reeleição de Dilma Rousseff. Indagado se dá para subir num palanque ao lado de Ciro Gomes, também apoiador de Dilma, disse que o importante é que o PR apoiará Dilma.

Venda de carros no País cresceu 14% até abril

“As vendas de veículos leves (carro de passeio e utilitários, como peruas e vans) nacionais, nos primeiros quatro meses deste ano, totalizou 866,1 mil de unidades, 13,9% superior ao volume atingido no mesmo período de 2012. Os dados, divulgados hoje (7), são da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

A produção de veículos leves de janeiro a abril chegou a 1,093 milhão de unidades, 15,4% a mais em comparação a igual período do ano passado. As exportações de veículos leves no primeiro quadrimestre atingiram 157,9 mil unidades, 4,5% acima do total do mesmo período do ano passado.”

(Agência Brasil)

 

Grupo Edisca term novo espetáculo

106 1

padeia

O Grupo de Dança Edisca está com novo espetáculo. Trata-se de “Paideia, a crianção das crianças”. Nesta quarta-feira, a partir das 20 horas, haverá apresentação especial para convidados no Theatro José de Alencar.

o espetáculo reunirá no palco 162 bailarinos, de 8 a 21 anos, durante 40 minutos.

CNJ quer novas regras em concursos para magistrados

Magistrados reunidos num seminário do CNJ devem redigir, nesta tarde de terça-feira, uma proposta de resolução para modificar os concursos para o ingresso na carreira.

Um dos temas debatidos é a criação de um exame nacional para a magistratura, bem como a necessidade de maior celeridade na publicação de editais e na apreciação de recursos apresentados por candidatos.

O texto produzido nesta tarde será enviado para aprovação do plenário do CNJ. Quem coordena o seminário é o conselheiro Lúcio Munhoz.

(Coluna Radar – Veja Online)

Fernando Hugo: Ao criticar gestão RC, Luizianne Lins faz "humor tragicômico"

111 5

fernando hugo

Do deputado estadual Fernando Hugo (PSDB), sobre declaração da ex-prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT), definindo como”desastre” a gestão de Roberto Cláudio (PSB). Confira:

Caro Eliomar de Lima,

Quando digo, reiteradamente, que o mundo petista é um consórcio vivo da mentira, da corrupção e/ou do humorismo, ainda encontro alguns viúvos da finada esquerda petista que contraditam minhas palavras. Eis, porém, que se não quando LINDA LINS reaparece na cena política e insensatamente querendo mostrar vida e júbilo, afirma que a gestão de Roberto Cláudio é um “desastre”.

Ora, meus amigos, quem passou OITO anos à frente da PMF sem sequer reunir rotineiramente o secretariado, passando meses sem despachar no Paço Municipal, certa e seguramente com esta assertiva extemporânea e bestial, tente agredir o operoso e sempre presente médico–prefeito que, miraculosamente, tem conseguido pagar contas e mais contas deixadas pelo desafortunado administrar petista, que alcançou os mais baixos níveis de avaliação na educação, saúde e no social, deixando nossa capital em pandarecos.

Seria oportuníssimo que LINDA LINS, em vez de fazer humor tragicômico, visitasse o nosso prefeito para, com ele, aprender a trabalhar na vida pública com denodo e destemor ao mesmo tempo em que seria informada sobre o real significado da palavra desastre.

* Fernando Hugo,

Deputado estadual do PSDB.

Ora, o machismo não foi criado pela indústria do forró eletrônico

233 2

Com o título “O forró eletrônico não inventou o machismo”, eis artigo do jornalista Robson Braga, doutorando em Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, entrando na polêmica sobre letras das bandas de forró e citando algumas músicas de Luiz Gonzaga apontando para a sensualidade da mulher. O artigo dele está no O POVO desta terça-feira. Confira:

Nos últimos dias, tem circulado pelas redes sociais um artigo “antigo”, de 2008, intitulado “Tem rapariga aí?”, sobre o forró eletrônico. Atribuído erroneamente a Ariano Suassuna e escrito de fato pelo jornalista José Telles, o texto traz argumentos que eu considero questionáveis, por adotar uma concepção elitista de arte e fazer uma crítica superficial sobre o machismo. Mas eu gostaria de me deter à discussão sobre o machismo, porque as questões estéticas me cansam profundamente.

Para começar, o artigo faz um recorte político de músicas sexistas e as define como “bem representativas” do forró eletrônico, eliminando, assim, todas as outras temáticas abordadas por esse gênero musical. Em seguida, o autor diz que essas canções são machistas (e são mesmo!). No entanto, mais adiante, ele cita Luiz Gonzaga como representante do “forró autêntico”, esquecendo, por exemplo, que mesmo as músicas do “rei do baião” eram bastante sexistas (“Cintura Fina”, “Xote das Meninas”, “Vem, Morena” etc.), associando a mulher à sensualidade.

Ora, o machismo não foi criado pela indústria do forró eletrônico, e, sim, está arraigado à cultura regional patriarcal que os tradicionalistas tanto exaltam sem fazer uma crítica cultural consistente, partindo do binarismo “tradição versus modernidade”. Eles esquecem, por exemplo, que o movimento feminista só foi possível nos moldes atuais por causa de uma cena global, resultado de processos midiáticos pós-modernos.

Para o autor, “alguma coisa está fora de ordem”, porque, nos shows, os cantores gritam “tem rapariga aí?”, e as pessoas não se espantam com isso. E eu me pergunto: fora de que ordem? A ordem machista sempre foi a ordem vigente em nossa sociedade. O forró eletrônico está apenas explicitando o machismo que sempre regeu nossas práticas e nossas artes, mesmo as de Luiz Gonzaga, “canonizadas” pelos folcloristas.

As artes são expressões da cultura. Mas é sempre mais cômodo criticar “a indústria do forró eletrônico” do que criticar a nós mesmos, seres que expressam seu machismo em suas artes. Sim. Queiramos ou não, o forró eletrônico é uma das “nossas artes”: ele fala da nossa cultura nordestina contemporânea, concordemos com ela ou não. Isso não significa, contudo, que precisamos enaltecer essa cultura. Cultura não está aí para ser exaltada, como fazem os movimentos tradicionalistas. Ela está aí para ser compreendida e, se for o caso, repensada.

* Robson Braga

robsonsilvabraga2@gmail.com

Jornalista e doutorando em Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Arapongagem – Eudes Xavier vai à Assembleia na 6ª feira

O deputado federal Eudes Xavier (PT) vai à Assembleia Legislativa falar sobre denúncia de arapongagem na política local sexa-feira próxima, às 11 horas. Ele recebeu, nesta terça-feira, oficio assinado pelo presidente da Casa, Zezinho Albuquerque (PSB) acatando data que havia sugerido.

Durante pronunciamento na Câmara Federal, no dai 4 de abril último, om petista pediu a investigação do governador Cid Gomes (PSB) e do seu irmão, Ciro Gomes, por suposta espionagem a um dos principais opositores da família no Estado, o ex-prefeito de Maracanaú, Roberto Pessoa (PR). Os dois irmãos, membros da Secretaria de Segurança Pública e o Chefe do Gabinete Civil do Estado, Arialdo Pinho, foram acusados de contratar a empresa norte-americana de espionagem, Kroll, para realizar as investigações contra o ex-prefeito. 

Em seu pronunciamento, o deputado petista pediu que as acusações fossem investigadas pelo Ministério Púbico Federal e que o conteúdo das denúncias fosse encaminhado para o Ministério da Justiça, para o procurador-geral da República, para a Receita Federal, para a Comissão de Direitos Humanos da Câmara, além de órgãos de fiscalização no Ceará

 

 

Que tal Eduardo Campos convidar Luizianne Lins para ingressar no PSB?

110 5

eduardocampos

luiziannelinsss

Com o titulo “Eduardo Campos contra-ataca com Luizianne Lins”, eis artigo do jornalista Raymundo Costa, do valo Econômico. El aborda cenário da sucessão nacional e a possível filiação de Luizianne Lins ao PSB. Isso, num possível ccontra-ataca aos Ferreira Gomes. Confira:

A ex-prefeita de Fortaleza (CE) Luizianne Lins está com um pé no PSB, partido de Eduardo Campos, governador de Pernambuco e virtual candidato a presidente da República nas eleições de 2014. A decisão depende de conversas que Luizianne terá com o ex-presidente Lula e com o próprio Eduardo Campos. O eventual filiação de Luizianne ao PSB daria a Eduardo Campos um palanque competitivo, num colégio hoje inteiramente controlado pelos irmãos Cid (atual governador do Estado) e Ciro Gomes (ex-ministro da Integração Nacional de Lula). Os irmãos Ferreira Gomes são do PSB, como Campos, mas contrários a sua candidatura presidencial.

A ex-prefeita de Fortaleza e seu grupo político ainda estão indecisos e lamentam o afastamento de Campos do que chamam de “campo democrático”. Luizianne tem preferido não se manifestar, mas é certo que considera o racha provocado por Ciro Gomes no PSB o principal motivo para o deslocamento de Campos e a consolidação de sua candidatura a presidente.

PSB tenta palanque forte contra Dilma na terra dos Gomes.

Esse não foi o único motivo, mas cada ataque de Ciro deixou o governador de Pernambuco mais presidenciável. “O meu presidente, Eduardo Campos, não tem estrada ainda. Não conhece o Brasil”, declarou Ciro Gomes, em fevereiro, quando deixou explícito o racha do PSB.

A sucessão local, como sempre, interfere na acomodação nacional. Para os Gomes, o ideal seria uma chapa ao governo encabeçada pelo ministro Leônidas Cristino (Integração Nacional). O problema é que Eunício Oliveira (PMDB), outro integrante da aliança nacional do PT, não abre mão da própria candidatura. Luizianne e o deputado José Guimarães disputam a vaga do PT.

Para o PT nacional, a composição ideal teria os três partidos: PT, PSB e PMDB. O problema é que sobram nomes e faltam cadeiras. Somente um terço do Senado será renovado em 2014. Ou seja, uma vaga por Estado. Sem falar da incompatibilidade de Luizianne com Ciro e Cid Gomes

Luizianne Lins se elegeu prefeita de Fortaleza, contra a maioria dos prognósticos, em 2004. À época, a direção nacional do PT preferia dar a legenda ao PCdoB, mas teve de aceitar o resultado da prévia realizada entre os militantes do partido.

Luizianne se reelegeu em 2008, contribuindo para amenizar a má imagem que o PT deixou depois de governar Fortaleza pela primeira vez, no final dos anos 80. Mas não conseguiu eleger seu candidato em 2012, depois de uma acirrada disputa com Cid, padrinho político do candidato eleito.

Passadas as eleições, Luizianne voltou a dar aulas na universidade e a preparar sua dissertação de mestrado sob a orientação do sociólogo e cientista político Emir Sader. Estava um tanto quanto afastada da política, à espera do melhor momento para voltar. Quando se deu conta, o governo estadual já havia cooptado o PT local. Isolada politicamente, em janeiro ela pensou em deixar a presidência.

Luizianne, então, consultou a presidente Dilma Rousseff, o ex-presidente Lula da Silva e o presidente do PT, Rui Falcão. Individualmente. Os três, nessa ocasião, teriam argumentado que era importante sua permanência e pedido que ela não deixasse o comando da seção local do PT.

No fim de fevereiro, o PT em peso desembarcou em Fortaleza para uma reunião do diretório nacional, a primeira realizada no Estado, e para a comemoração dos dez anos do partido no governo. A ex-prefeita aproveitou o encontro para conversar demoradamente com Lula. Depois de mais de duas horas com o ex-presidente da República, ela deixou a reunião como entrou: presidente da seção cearense do PT.

Nem para os iniciados o problema de Luizianne é fácil de entender: ela ficou na presidência do PT sendo minoritária, quando é sabido que a distribuição dos cargos no partido corresponde à força de cada tendência. Ao mesmo tempo, a direção nacional petista decidiu transformar os Ferreira Gomes numa espécie de contraponto a Eduardo Campos no PSB. E os irmãos Ciro e Cid são considerados por ela um dos poucos motivos que podem levá-la a deixar o PT.

Quem conhece e conversa com Luizianne entende que ela não quer deixar o PT, mas já esgotou as formas de convivência com a família Gomes. E o discurso de Eduardo Campos lhe soa bem. Pelo que chega a seus ouvidos, Campos somente está candidato porque Lula não é. Além disso, o governador de Pernambuco nunca se sentiu muito respeitado pela presidente da República como presidente nacional do PSB. Argumento: ela sempre tinha um Gomes para intermediar qualquer assunto.

Campos, na realidade, não tem mais ilusão nenhuma sobre a possibilidade de os Gomes apoiarem sua candidatura. E já nem tem interesse no apoio deles. Prefere agora, segundo os aliados do governador, ter um palanque com Luizianne Lins no Ceará.

A ex-prefeita ficou de conversar com Lula ainda esta semana, quando pretende anunciar sua decisão. Ela não fala sobre um eventual convite de Eduardo para ingressar no PSB, mas não hesita em desancar os Ferreira Gomes: “Partido, para eles, é só uma questão de conveniência”, diz, lembrando que Ciro Gomes já está em sua quinta legenda.

Antes esteve no PDS, PMDB, PSDB e no PPS. Agora, há conversas com o PRB, com a perspectiva do lançamento de um nome próprio para o governo estadual. No PSB, a expectativa é que Ciro e Cid não ficam mais, sobretudo se Eduardo Campos formalizar sua indicação pela sigla, na convenção de junho de 2014.

Questionada sobre a possível mudança, Luizianne Lins evita ser afirmativa. “Ainda vou falar com o Lula sobre isso. Tenho que falar também com o Rui Falcão”, diz. Um aspecto Luizianne faz questão de ressaltar: ” O único problema [para deixar o partido] é que eu sou do PT, estou filiada desde os 19 anos, a minha vida foi toda no partido. Precisa ser alguma coisa muito grave para eu sair, por exemplo: os Ferreira Gomes vão todos para o PT? Eu não tenho como conviver com eles”. Conversa de quem quer ficar.

* Raymundo Costa é repórter especial de Política, em Brasília. 

TCE prorroga prazo de inscrições de concurso de monografias

Interessados em participar do III Concurso Nacional de Monografias e Redações Prêmio Ministro Plácido Castelo, do tribunal de Contas do Estado, podem enviar material até 31 deste mês. O concurso, respaldado pela Escola de Gestão Instituto Plácido Castelo (IPC), do tribunal, tem como tema “A Nova Contabilidade Pública e sua Contribuição para o Controle Externo”. Podem participar brasileiros ou estrangeiros residentes no País, maiores de dezoito anos.

O resultado deve ser divulgado no dia 27 de junho de 2013, no site do Tribunal de Contas do Estado do Ceará (www.tce.ce.gov.br). Nesse ano, o valor do prêmio das monografias duplicou: 1º lugar – R$ 10 mil; 2º lugar – R$ 6 mil; e 3º lugar – R$ 4 mil. Já os candidatos a participar do Concurso de Redações poderão se inscrever até o dia 15 de maio. O tema escolhido para as redações é “A Educação Ambiental para a Vida em Sociedade.”

Podem participar alunos regularmente matriculados de 1º, 2º e 3º anos do ensino médio de escolas das redes públicas e privadas, maiores de quatorze anos. O candidato apresentará trabalho individual, que versará especificamente sobre o tema do concurso. Cada concorrente só poderá inscrever uma redação, com texto inédito, de 20 a 30 linhas.

SERVIÇO

As inscrições podem ser feitas na Coordenadoria Técnica do Instituto Escola Superior de Contas e Gestão Pública Ministro Plácido (IPC). Os resultados devem ser divulgados também no dia 27/06/2013. O valor do prêmio para os três primeiros classificados é: 1º lugar – R$ 2,5 mil; 2º lugar – R$ 1,5 mil; 3º lugar – R$ 1 mil.

(Site do TCE)

O Estado alimenta a marginalização dos menores?

165 1

Com o título “Menores: escudo de criminosos”, eis artigo da jornalista e professora Adísia Sá, no O POVO desta terça-feira. Ela aborda a velha polêmica envolvendo menores com o crime, impunidade e a (ir) responsabilidade do Estado para com esse contingente. Confira:

“Vem chamando e prendendo minha atenção o noticiário da imprensa sobre assaltos, assassinatos, roubos e furtos, contando com a presença de menores nesses delitos. Flagrados, há sempre menores nos bandos e gangues, sobre os quais são lançadas as “responsabilidades” dos feitos.

Ou seja, os adultos estavam naquele momento por mera coincidência: os marginais apontados são os “menores”. Resultado: nada acontece ou, quando muito, são conduzidos às delegacias, registradas as ocorrências e ponto final.

Considero isso a “indústria da menoridade”. Os marginais atraem os menores, os conduzem às suas hostes para, flagrados em delitos, serem apontados como os “culpados”. Pelo que tenho acompanhado nos noticiários, não há aprofundamento na averiguação dos acontecimentos. Ou seja, adultos e menores liberados: os adultos, por nada terem a ver com os fatos e os menores, por inocência antecipada…

Não se analisa o comportamento desses menores, como são e vivem suas famílias, se estudam, com quem convivem. Significa que são entregues ao próprio destino, sem que o Estado, na ausência ou omissão dos pais, assuma a responsabilidade de deles cuidar. Noutras palavras: o Estado alimenta a marginalização desses menores – de ambos os sexos.

Sobre esse ponto “ambos os sexos”, é bom frisar que a marginalidade, até pouco tempo, era exclusividade do sexo masculino, o que não acontece nesses dias: garotos e garotas estão no mesmo bojo, levando uma existência promiscua e à luz do dia, como se pode dizer, ou seja, à vista de toda a sociedade.

Sei que a Vara da Infância e da Juventude tem procurado minimizar essa situação, mas, infelizmente, nem sempre dotado de recursos e condições exigidos à sua atividade, o que, diga-se, o exime ou atenua suas responsabilidades. Oportuno indagar: essas condições, esses recursos são, de fato, dados a essa Vara? Se não o são, onde o seu clamor, que não chega – com a força necessária – à sociedade, à imprensa?

Finalizo com um pedido: leitor, olhe a seu redor e me responda: estarei falseando os fatos ou a situação não é mais grave do que pinto? Silenciar é compactuar com o que aí está…

* Adísia Sá

adisiasa@gmail.com
Jornalista.

Cine São Luiz – Licitação que transformará equipamento em Cine Teatro sai neste mês

franciscopinheiro

“O secretário estadual da Cultura, Francisco Pinheiro, informa para a Vertical que, ainda neste mês, estará lançando edital de recuperação do Cine São Luiz.

“Pelo projeto, vamos transformá-lo num cine teatro. Haverá completa restauração e um outro detalhe: ganhará nova iluminação”, adianta o secretário.

Segundo Francisco Pinheiro, o custo total está orçado em R$ 12 milhões e, se não houver problemas de recursos que sempre costumam atrasar procedimentos, o Cine Teatro São Luiz será entregue ao fortalezense no começo do primeiro semestre de 2014.”

(Coluna Vertical, do O POVO)

Papa Francisco – Vaticano divulga programação da visita ao Brasil

87 1

Francisco_(20-03-2013)

O Vaticano divulgou, nesta manhã de terça-feira, a programação oficial da viagem do Papa Francisco ao Brasil. O Papa Francisco chega ao Rio para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) na tarde do dia 22 de julho. A previsão é que o avião trazendo o Papa pouse por volta das 16 horas na Base Aérea do Galeão. Ele será recebido no Galeão pela Presidente da República, Dilma Rousseff; pelo Arcebispo da Catetral São Sebastião do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta; pelo Arcebispo de Aparecida e Presidente da CNBB, Cardeal Raymundo Damasceno Assis; pelo Governador Sérgio Cabral; e pelo prefeito Eduardo Paes.

No aeroporto não serão realizadas formalidades particulares e não serão pronunciados discursos. Ele aguardará na sala presidencial do aeroporto, enquanto a comitiva prepara o cortejo papal. O Papa Francisco deixará o aeroporto de papamóvel em direção ao Palácio Guanabara, sede oficial do Governo do Estado do Rio de Janeiro, onde será realizada a cerimônia de boas-vindas. Além da execução dos hinos e honras militares, haverá discursos da presidente Dilma e do Papa; em seguida a apresentação das duas delegações, uma brasileira e outra vaticana.

O Papa deixará o Palácio Guanabara em direção ao Sumaré, onde ficará durante a permanência no Rio. A terça-feira, será estritamente privada até a manhã de quarta-feira, 24 de julho. Na quarta-feira, às 8h15min, o Papa deixará o Rio, e de helicóptero irá até Aparecida, em São Paulo, onde visitará a imagem de Nossa Senhora no Santuário Nacional e celebrará uma missa. O Papa Francisco será acolhido pelo Arcebispo de Aparecida, Dom Raymundo Damasceno Assis e pelo Reitor do Santuário Padre Domingos Sávio da Silva. Ele almoçará no Seminário Bom Jesus, retornando depois ao Rio.

No fim da tarde, o Papa Francisco visitará o Hospital São Francisco de Assis, no Rio. A unidade dedica-se à recuperação dos dependentes de droga e de álcool, além de assistência médica-cirúrgica, assegurada gratuitamente aos indigentes, com cerca 500 leitos. Está previsto um discurso do Papa no local. No início da noite, Papa Francisco retornará ao Sumaré onde irá jantar de forma privada e onde pernoitará. Na quinta-feira, o Santo Padre celebrará no início da manhã uma missa em privado na residência do Sumaré.

Às 9 horas, o Papa Francisco deixará o Sumaré em direção ao Palácio da Cidade, onde receberá das mãos do Prefeito Paes, as chaves da cidade e irá abençoar as bandeiras oficiais dos Jogos Olímpicos e paraolímpicos.
Por volta das 10 horas, ele deixará o Palácio da Cidade e se dirigirá à comunidade da Varginha, em Manguinhos, para uma visita e será acolhido pelo pároco, pelo vice-pároco, pelo vigário episcopal e pela superiora das irmãs de caridade. Logo em seguida, se dirigirá para a pequena igreja dedicada a São Jerônimo Emiliano onde encontrará alguns membros da comunidade paroquial.

Na Paróquia, após um momento de oração, será abençoado o novo altar e o Papa oferecerá um presente à comunidade. O Santo Padre seguirá depois ao campo de futebol, onde estará reunida a comunidade. Ao longo do percurso de cerca de cem metros, ele visitará a casa de uma família da comunidade. O Papa Francisco retornará depois ao Sumaré para o almoço em privado. À tarde, às 17h, o Papa deixará novamente o Sumaré em direção à Praia de Copacabana, onde haverá a festa de acolhida aos jovens participantes da Jornada Mundial da Juventude (JMJ).

Na sexta-feira de manhã, haverá outra missa na residência do Sumaré. Em seguida, ele irá à Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão, onde às 10 horas irá confessar cinco jovens, representantes dos cinco continentes. Após as confissões, Papa Francisco seguirá para o Palácio São Joaquim, residência do Arcebispo do Rio, o qual acolherá o Papa na entrada principal. O Papa Francisco irá encontrar cinco jovens detentos, acompanhados de assistentes sociais. Em seguida o Papa e o arcebispo se dirigirão ao primeiro andar para visitar a capela onde encontrará as irmãs que trabalham na residência. Às 12 horas, o Santo Padre do balcão do palácio rezará a oração do Angelus. Em seguida encontrará os 20 membros do comitê organizador e os dez grandes patrocinadores JMJ. Não estão previstos discursos.

No Salão redondo no primeiro andar do arcebispado, o Papa Francisco almoçará com Dom Orani Tempesta e com jovens de várias nacionalidades. O almoço terá a duração de cerca um hora. Após o encontro, o Papa retornará ao Sumaré.
No fim da tarde, às 17 horas, retornará à Praia de Copacabana para a Via Sacra com os jovens. Depois retornará ao Sumaré onde pernoitará. No sábado de manhã, Papa Francisco irá à Catedral da cidade onde celebrará uma missa, às 9 horas, com os bispos da JMJ, sacerdotes, religiosos e seminaristas. Já no Teatro Municipal, às 11h30min, Papa Francisco encontrará a classe dirigente do Brasil; presentes políticos, diplomatas, expoentes da sociedade civil, empresários, pessoas ligadas à cultura e representantes das maiores comunidades religiosas do país. O Papa fará um discurso. Na conclusão, o Pontífice retornará ao Sumaré onde irá almoçar com os cardeais do Brasil, a presidência da CNBB, os bispos da região e a comitiva papal.

No início da noite, por volta das 18h15min, o Papa deixa o Sumaré em direção do Campus Fidei de Guaratiba, na Zona Oeste, onde será realizada uma vigília de oração com os jovens. No domingo, dia 28, Papa Francisco deixará novamente o Sumaré, às 8h20min, em direção a Guaratiba. Durante o deslocamento, o helicóptero do Santo Padre sobrevoará a estátua do Cristo Redentor. Às 10 horas, terá início a missa de envio da JMJ Rio2013, com a presença da presidente Dilma Rousseff. Depois o Papa retornará ao Sumaré onde irá almoçar com a comitiva papal. Ainda no Sumaré, ele encontrará com os cerca de 45 bispos do comitê de coordenação do Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam), às 16 horas.

Na segunda-feira, dia 29, depois de se despedir da residência do Sumaré Papa Francisco se dirigirá ao Rio Centro onde encontrará cerca de 15 mil voluntários da JMJ. O Papa fará um discurso. Às 18h30min, haverá a cerimônia de despedida no aeroporto do Galeão. O Papa Francisco será acolhido no pavilhão de honra Marechal Trompowski de Almeida pela p presidente Dilma Rousseff. O retorno a Roma está prevista para as 19 horas, com chegada na Itália, às 11h30m.

Seca no Nordeste – Deputado cearense puxa audiência pública sobre dívidas rurais

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=dpEYgLILgGU[/youtube]

A Comissão da Agricultura da Câmara dos Deputados realiza audiência pública, nesta terça-feira, em Brasília. Segundo o presidente da comissão, o deputado federal cearense Raimundo Gomes de Matos (PSB), a ordem é discutir a questão das dívidas rurais e novos financiamentos com instituições financeiras como o BNB, Banco do Brasil e BNDES.

Segundo Raimundo Gomes de Matos, o encontro desta terça-feira é uma prévia de uma audiência pública conjunta da Câmara e do Senado sobre a questão da seca no Nordeste, incluindo o caso da reestruturação do DNOCS.

Saúde municipal deve pagar R$ 17 milhões para hospitais conveniados

Até o próximo dia 17, a Secretaria da Saúde de Fortaleza promete pagar R$ 17 milhões para hospitais conveniados. Essa dívida ainda é pepino deixado pela gestão passada.

Segundo o presidente da Federação Brasileira de Hospitais, alívio para o segmento. Mas ainda há outros setores da área da prestação de serviços na saúde que continuam na expectativa de receber atrasados.

Secretário acerta convênio para produzir forragem através da irrigação

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=FY5J8mGdiRk[/youtube]

O secretário do Desenvolvimento Agrário do Estado, Nelson Martins, viajou nesta madrugada de terça-feira para Brasília, onde cumprirá agenda nos ministérios do Desenvolvimento Social e Integração Nacional e na Fundação Banco do Brasil. O objetivo é fechar convênios voltados para o apoio aos agricultores atingidos pela seca.

Entre convênios que vai firmar, o secretário Nelson Martins inclui a produção de forragem para o gado e também apoio financeiro para 20 mil famílias da área rural desenvolverem projetos produtivos.

O PT cearense virou apêndice dos Ferreira Gomes?

63 1

Com o título “O desaparecimento do PT no Ceará, eis tópico da Coluna Política do O POVO desta terça-feira, assinado pelo jornalista Érico Firmo. Ele expõe o que muito petista anda comentando: o partido, no Estado, virou sigla de caciques. Alguns aliados com Cid Gomes e outros, revoltados pela derrota, buscando oposição a todo custo. Confira:

A direção nacional do PT monitora com atenção cada passo do partido no Ceará. A ordem é identificar quaisquer movimentos dos dissidentes, que fazem oposição a Cid Gomes (PSB), e chama-los para conversar. Não à toa. Hoje, o governador do Ceará é o mais útil dos aliados do Palácio do Planalto, pela insistente crítica que tem feito à pretensão presidencial do dirigente de seu próprio partido, Eduardo Campos. Não há aliado no País, petista ou não, que sirva tanto aos interesses da presidente Dilma Rousseff (PT) quanto Cid. E a reeleição no Governo Federal é prioridade máxima para a sigla. O preço disso, desde que Luizianne Lins foi desalojada da Prefeitura da Capital, tem sido a gradual anulação do PT no âmbito estadual. Desde a fundação – já se vão lá mais de 30 anos – nunca se viu a legenda tão alheia a qualquer discussão ou decisão relativa à esfera pública no Estado. Transformou-se, no Ceará, na ocupação de quatro secretarias, ainda que todas absolutamente estratégicas – com desempenhos que variam do muito bom ao pavoroso.

A primazia da disputa federal é questão de lógica elementar, mas a forma como o PT deliberadamente se mantém à parte das formulações e da definição de rumos da política estadual contraria sua própria natureza. O partido se coloca como se algemado estivesse – e não por coerção, mas por pragmatismo.

Um petista graduado, que pede para não ser identificado, mostra-se particularmente preocupado até com as condições com que o PT entra na própria negociação de formação da chapa para 2014. “Você não se alia com cachorro doente”, lembra. Situação que pode gerar inconveniente para o próprio aliado que tentar desfrutar do apoio petista.

Cada vez mais sem inserção, relevância e diálogo com a sociedade, o partido dificilmente entregará a mercadoria eleitoral que o candidato a governador que Cid indicar esperaria receber.

Partido some no Ceará, Líderes crescem em Brasília

Curiosamente, a cada vez menor relevância petista no âmbito estadual coincide com momento ímpar de seus principais expoentes em Brasília. Atualmente, o nome mais forte do PT cearense, o deputado federal José Guimarães, é líder da bancada na Câmara dos Deputados. E o senador José Pimentel é líder do governo Dilma no Congresso Nacional. São as posições de maior destaque já ocupadas por membros da legenda no Ceará. Até pela inserção nas questões palacianas, a questão local fica minimizada.

Fortaleza é, evidentemente, caso particular. Na Capital, os vereadores até tentam se movimentar. Mas, evidentemente, com a cautela recomendável a quem se contrapõe a administração que acaba de entra no quinto mês. Além disso, é notória a falta de treino para fazer oposição, após tanto tempo desfrutando do banquete do poder.

Luizianne chama gestão de RC de "desastre" e não poupa críticas a Ciro Gomes

192 15

luiziannelinss

“”Depois de quatro meses longe do Paço Municipal, a ex-prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT), chamou de “desastre” a gestão de seu sucessor, Roberto Cláudio (PSB), e disse que “morre de pena” da cidade. Em tom enfático e demonstrando aborrecimento, a petista ainda acusou o Executivo municipal de funcionar como “apêndice do Governo do Estado”. Embora já tivesse se manifestado sobre a atual administração, essa foi a primeira vez que Luizianne fez uma avaliação sobre o novo comando da Prefeitura.

“Eu morro de pena dessa cidade. É horrível ver tudo o que você construiu sendo desconstruído, e com uma incompetência sem precedente na história, onde você tem uma prefeitura que é uma secretaria subalterna, subordinada ao Governo do Estado, porque quem elegeu o prefeito foi o governador, que é outro desastre”, disparou Luizianne, na noite de ontem, após reunião do diretório estadual do PT.

Questionada sobre que aspectos da atual gestão são considerados “desastrosos”, a petista jogou o assunto de lado, disse que não vai “se trocar” com adversários e anunciou que só aprofundará as críticas na próxima semana, quando deverá conceder uma série de entrevistas. Apesar da aparente cautela, Luizianne não perdeu a chance de contestar recentes declarações do ex-deputado federal Ciro Gomes (PSB), irmão do governador Cid Gomes e um de seus principais opositores.

A petista disse que Ciro “falou de si mesmo” ao afirmar que não é relevante se o candidato à sucessão de Cid em 2014 for “Chico, Manoel ou ‘rola bosta’ (dizendo se referir a um tipo de besouro)”, importando mais o projeto político a ser defendido. “Isso é a cara do Ciro. Ele falou de si mesmo. É a cara dele. Essa grosseria, esse palavreado, essa mediocridade em que a política está envolvida, é um pântano de mediocridade”, afirmou Luizianne. Ao O POVO, a assessoria de imprensa de RC disse que não comentaria as declarações. A assessoria de Ciro não foi localizada na noite de ontem.”

(O POVO)

VAMOS NÓS – Já teria Roberto Cláudio tempo para cometer o desastre que Luizianne Lins expõe? Tal crítica não soa como dor de cotovelo de derrotado? O melhor não seria aguardar mais um tempo e adotar oposição não somente do discurso, mas, também, da proposta, expondo contraditórios? São reflexões que precisam constar nesse cotidiano política da Capital.