Blog do Eliomar

Últimos posts

Uribam Xavier – “Mariana, Brumadinho e a Lógica do Capital”

Com o título “Mariana, Brumadinho e a Lógica do Capital”, eis artigo de Uribam Xavier, do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal do Ceará. Ele aborda essas tragédias e um cenário de impunidade quo permanece neste País. Confira:

Quando ouvimos falar de globalização ou mundialização do mercado capitalista parece uma coisa boa, tem gente que vibra, parece até que todos os indivíduos do planeta serão incluídos pelas suas promessas chamadas de progresso, desenvolvimento ou qualidade de vida. Todavia, com o processo de globalização do capitalismo, a maior parte da população é excluída, são expulsas para fora do mercado e é fácil de visualizar porque são transformadas em moradores de ruas, em miseráveis, em sem tentos, em sem terra, em refugiados de guerras, em imigrantes, em desempregados. É excluído do mercado quem não pode ser mercado, ou seja, mão de obra a ser explorada. E o que é o mercado? Mercado é a necessidade com dinheiro; se você tem necessidade e não tem dinheiro, você não é mercado, você é um miserável, um excluído, um condenado da terra, como nos diz Frantz Fanon.

A maioria das pessoas do planeta está excluída dos meios de existência, ou seja, elas têm uma vida precária e ameaçada, elas não têm dinheiro porque não têm trabalho , outras são submetidas a trabalhos degradantes, ganhando muito pouco e alguns ao trabalho escravo.
Paradoxalmente, globalização ou mundialização da economia, é, no mesmo processo, produção de exclusão, produção da morte por vários meios, por isso estamos diante de tantos conflitos, guerras, racismo, violência, pobreza e cadeias cheias de jovens pobres e pretos, na sua grande maioria. E se temos pobreza, na realidade empobrecimento, é porque a produção social de riqueza se concentra em poucas mãos. A revista Forbes, é uma revista estadunidense de negócios e economia que faz um ranking das pessoas mais ricas do mundo, por meio dela ficamos sabendo que em 2018, Jeff Bezos, fundador da Amazon, tinha uma fortuna estimada em 112 bilhões de dólares. Portanto, o quadro de concentração de renda é um processo escandaloso e nada ético.

No nosso Brasil, diante das duas tragédias criminosas provocadas pela Companhia Vale do Rio Doce, uma ocorrida na Cidade de Marina, com 19 mortos, e a outra na Cidade de Brumadinho, com mais de 300 mortos, muitos pensam que a causa foi a ganância dos seus
administradores, como se as causas estivessem apenas ou, em ultima instancia, nos interesses e ações individuais dos capitalistas. Num olhar mais profundo, podemos identificar que a causa está naquilo que não aparece de imediato, nas leis do movimento do capital financeiro. São nas leis do movimento do mercado que encontramos a explicação para ganância dos seus administradores, nelas encontraremos sua contradição inerente e inseparável, ou seja, que só existe acumulação de riqueza com produção massiva de pobreza e de violência, não existe desenvolvimento sustentável. Portanto, ter uma sociedade governada pelas leis do mercado, ser normatizado pelos interesses do deus mercado, é conviver com a miséria, o empobrecimento, a guerra e a destruição da maioria da humanidade. É cair na falácia do crescimento econômico como condição de geração de emprego e qualidade de vida para todos.

É pela compreensão das leis do movimento do capital que podemos entender porque o sofrimento da humanidade se naturaliza e as pessoas e o Estado são convidados, cada vez mais, num ato individualista, a darem as costas para o sofrimento da humanidade e para
destruição do planeta. Portanto, não é por falta de Deus em seus corações. Aliás, algumas igrejas, alguns dos que falam de Deus no mundo atualmente, correm de mãos dadas com o mercado em busca de dinheiro e poder, elegem parte de seus semelhantes como inimigos,
julgam e condenam em nome de um deus que já não é amor, perdão e acolhimento de todos.

Certas igrejas, aliadas com a lógica do capital, falam de teologia da prosperidade ao mesmo tempo em que amaldiçoam os povos indígenas, os negros, as mulheres que não se submetem ao modelo patriarcal e ao machismo, são homofóbicas e defendem a heteronormatividade para combater uma certa ideologia de gênero. Tudo isso, claro, a partir de uma interpretação duvidosa e manipulatória da Bíblia, usada para camuflar os interesses reais dos lideres dessas igrejas, que cada vez mais ocupam lugar na política partidária defendendo a ideologia conservadora de extrema direita e acumulando patrimônios materiais.

A mentalidade capitalista, uma mentalidade alienada, não lhe interessa a realidade, mas o saber que ela tem sobre a realidade [representação imaginária]; não lhe interessa a religião, mas a dogmática teológica; não lhe interessa a justiça, mas a manipulação da
jurisprudência como garantia de seus interesses; não lhe interessa a natureza, mas o quanto ele pode dela explorar para alimentar o seu processo de acumulação de riqueza; não lhe interessa a paz, mas a capacidade da guerra como meio de acumular riqueza por meio da
venda de armas. Portanto, a mentalidade capitalista não é uma mentalidade moralista, embora apareça como tal, ela é uma mentalidade que objetiva a lei de movimento de acumulação do capital, ela é uma pulsão de morte, é a expressão do mercado como único
Deus, por isso se fala tanto em fim da história.

Os franceses Rousseau e Proudhon afirmaram que a propriedade é um roubo, nessa afirmação tem relativa verdade, mas o problema não é só a propriedade privada e nem o dinheiro; a propriedade privada é um modo de posse do capital e o dinheiro é uma de suas
determinações, a lógica de acumulação do capital, sim, é o grande problema. Nas tragédias de Mariana e Brumadinho é possível entender isso: quem perdeu a propriedade necessária à reprodução da vida? Quem perdeu parentes, filhos, maridos, mulheres, amigos, amores,
conhecidos? A quem foi impostos bruscamente múltiplos sofrimentos? Quem teve seus sonhos interrompidos? A quem foi imposto à condição de reiniciar a vida a partir da retirada de tudo que custou uma vida inteira para construir? A quem foi imposto à situação de ter que gastar muito tempo de vida enfrentando a burocracia da “justiça” e o desrespeito da Vale para obter algum reparo? A qual executivo ou acionista da Vale foi imposto algo semelhante? Os trabalhadores e a maioria das pessoas sofrem e perdem as suas condições de existência, o capital, quando perde algo, perde apenas parte do trabalho morto que ele expropriou da coletividade. O que perdeu a Vale? Ela perdeu a situação de ocultação de risco para vida das pessoas, para o meio ambiente e a para a existência da cidade, que propositalmente mantinha para que o processo de acumulação de riqueza fosse cada vez maior. O que ela perdeu foi percentuais, números, entre os bilhões que manipula. Seus executivos e seus grandes acionistas continuaram morados em seus luxuosos bangalôs, em suas mansões, continuarão enviando seus filhos para passear e estudar na Europa e Estados Unidos, continuarão a usar seus iates nas praias do caribe e continuaram a ter o apoio do Estado e dos governos, que são eleitos para fazer a vontade do mercado. O que os executivos da Vale vão fazer é deixar o tempo passar, esfriar a memória da população e depois subordinar o judiciário para não arcar
com as responsabilidade inerentes aos atentados criminosos provocados contra a população, o meio ambiente e as cidades de Mariana e Brumadinho. Será mais barato gastar dinheiro comprando a justiça e mantendo dinheiro em caixa dois para eleger políticos do que fazer os devidos reparos.

Enquanto a lama de rejeitos ainda se movimentava, numa espécie de avalanche destruidora, numa autentica reprodução da lógica do capital, o Ministro da Casa Civil, o deputado Onyx Lourenzon, eleito por meio da utilização de dinheiro de caixa dois do sistema de corrupção da JBS, declarava: “para além das vidas ceifadas está o importante trabalho da vale”. Já o Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Sales, condenado na justiça por improbidade administrativa, se manifestou afirmado que a tragédia indicava que era preciso acabar com a
indústria de multa aos setores do agronegócio e com a política de fiscalização e licenciamento ambiental, pois estava claro e evidente que são mecanismos que não impedem desastres ambientais. Quem não entendeu o que significa as reformas trabalhista e da previdência, o
processo de privatização de empresas publica, a contenção de gastos públicos e a lei anticrime de Sergio Moro, não percebeu que o neoliberalismo, a lógica de acumulação do capital, significa a morte disfarçada na promessa de desenvolvimento, mais emprego, combate aos privilégios , combate a corrupção e a violência. Tem gente que não consegue perceber que combater a violência, a corrupção, aos privilégios e a pobreza é combater a sua causa: a lógica de acumulação do capital, que normatiza o mercado tornando-o um Deus.

*Uribam Xavier,

Professor do Departamento de Ciências Sociais da UFC.

(Foto Reprodução de TV)

Receita Federal libera consulta a lote residual de restituição do Imposto de Renda

A Receita Federal liberou a consulta ao lote multiexercício de restituição do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física referentes aos exercícios de 2008 a 2018.

O crédito bancário das restituições residuais para 77.749 contribuintes será realizado no dia 15 de março, totalizando o valor de R$ 220 milhões. Desse total, mais de R$ 112,5 milhões são para contribuintes com preferência no recebimento: 2.709 idosos acima de 80 anos, 14.528 com idade entre 60 e 79 anos, 2.064 contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou doença grave e 4.968 cuja maior fonte de renda seja o magistério.

Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deve acessar a página da Receita na internet, ou ligar para o Receitafone 146. Na consulta à página da Receita, serviço e-CAC, é possível acessar o extrato da declaração e ver se há inconsistências de dados identificadas pelo processamento. Nesta hipótese, o contribuinte pode avaliar as inconsistências e fazer a autorregularização, mediante entrega de declaração retificadora.

A Receita disponibiliza, ainda, aplicativo para tablets e smartphones que facilita consulta às declarações do IRPF e situação cadastral no CPF. Com ele é possível consultar diretamente nas bases da Receita Federal informações sobre liberação das restituições do IRPF e a situação cadastral de uma inscrição no CPF.

A restituição ficará disponível no banco durante um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá fazer requerimento por meio da Internet, mediante o Formulário Eletrônico – Pedido de Pagamento de Restituição, ou diretamente no e-CAC, no serviço Extrato do Processamento da DIRPF.

Caso o valor não seja creditado, o contribuinte pode contatar pessoalmente qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para a Central de Atendimento por meio do telefone 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para agendar o crédito em conta-corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer banco.

(Agência Brasil)

Conselho Estadual do Meio Ambiente debaterá proposta que muda regras do licenciamento ambiental

O Conselho Estadual do Meio Ambiente (Coema) fará audiência pública, nesta quinta-feira (14), para discutir a proposta da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) de reformular as regras de licenciamento ambiental no Ceará. O documento foi elaborado por técnicos da Semace, depois de uma série de encontros técnicos com representantes dos segmentos produtivos.

A proposta simplifica os procedimentos para obter uma licença de operação, amplia prazos de vigência e a prerrogativa de renovação da licença por autodeclaração.

Agora é hora da sociedade se manifestar, defende o presidente do Coema e secretário do Meio Ambiente, Artur Bruno. Entidades ambientalistas estão convidadas.

SERVIÇO

*A proposta está disponível em https://www.semace.ce.gov.br/wp-content/uploads/sites/46/2019/02/COEMA_XX_2018_MINUTAv13.02.2019.pdf. Manifestações também podem ser enviadas ao Coema pelo e-mail coema@semace.ce.gov.br.

(Foto – Divulgação)

MEC divulga lista de espera do ProUni para as faculdades

O Ministério da Educação (MEC) divulga hoje (11) a relação dos candidatos participantes da lista de espera. A lista será disponibilizada para consulta pelas instituições de ensino superior.

Todos os candidatos participantes da lista terão de comparecer às instituições nas quais estão pleiteando uma vaga, para apresentar a documentação que comprove as informações prestadas na inscrição. O prazo para que isso seja feito é 12 a 13 de março.

A lista de espera será usada pelas próprias instituições, que irão convocar candidatos para o preenchimento das bolsas remanescentes.

Os estudantes que não garantiram uma bolsa de estudos puderam manifestar interesse em participar da lista na semana passada, até sexta-feira (8).

ProUni

Ao todo, 946.979 candidatos se inscreveram na primeira edição do ProUni deste ano, de acordo com o MEC. Como cada candidato podia escolher até duas opções de curso, o número de inscrições chegou a 1.820.446.

Nesta edição são ofertadas 243.888 bolsas de estudo em 1.239 instituições particulares de ensino. Do total de bolsas, 116.813 são integrais e 127.075, parciais, de 50% do valor das mensalidades.

O ProUni concede bolsas de estudo integrais e parciais em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, em instituições privadas de educação superior. Em contrapartida, o programa oferece isenção de tributos às instituições que aderem ao programa.

Os estudantes selecionados podem pleitear Bolsa Permanência, para ajudar nos custos dos estudos, e usar o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) para garantir parte da mensalidade não coberta pela bolsa do programa.

(Agência Brasil)

Lula pode migrar para prisão domiciliar, é o que esperam seus aliados

544 2

Aliados do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva voltaram a ter esperança de que ele possa ser transferido para a prisão domiciliar. É o que informa a Folha de S.Paulo desta segunda-feira. A expectativa é a de que o Superior Tribunal de Justiça  reveja parte da pena imposta no processo do tríplex do Guarujá (SP), o que abriria brecha para mudança do regime imposto ao petista.

Na prática, Lula poderia passar para prisão domiciliar.

A Quinta Turma do STJ deve julgar ainda neste mês o recurso do ex-presidente. Ministros da corte relatam que colegas do Supremo passaram a criticá-los por adotarem posição “de chancela automática” dos atos de Curitiba.

A tese é a de que, se eles não fazem uma análise fundamentalmente técnica, a revisão sobra só para o STF.

(Foto – Reprodução do Youtuber)

Chove em 47 cidades cearenses

293 1

Choveu em 47 municípios cearenses até as 10 horas desta segunda-feira, segundo boletim divulgado pela Funceme. Em Fortaleza, o tempo chegou a ficar nublado, mas abriu um sol de temperatura amena.

Confira s 10 maiores chuvas

Barreira (Posto: Barreira) : 52.0 mm

Viçosa Do Ceará (Posto: Manhoso) : 47.0 mm

Ocara (Posto: Curupira) : 42.0 mm

Fortim (Posto: Fortim) : 38.0 mm

Santa Quitéria (Posto: Trapia) : 38.0 mm

Crateús (Posto: Aeroporto(crateus)) : 31.0 mm

Fortaleza (Posto: Fund.ma.nilva(agua Fria)) : 24.4 mm

Caucaia (Posto: Tucunduba) : 24.0 mm

Pires Ferreira (Posto: Pires Ferreira) : 21.9 mm

Redenção (Posto: Redencao) : 21.0 mm

BNB marca assembleia para adequar estatuto às exigências do Ministério da Economia

O Banco do Nordeste marcou para o dia 22 deste mês, a partir do meio-dia, em sua sede, no bairro Passaré, em Fortaleza, uma assembleia geral extraordinária. Na pauta, adequação de artigos do Estatuto Social da Instituição após a criação do Ministério da Economia.

É bem possível que, até lá, já se tenha o nome de quem ficará à frente do BNB nesta Era Bolsonaro.

Bom lembrar que o atual presidente, Romildo Rolim, é funcionário de carreira do banco e conta com a simpatia de governadores nordestinos. Ele foi uma indicação do ex-senador Eunício Oliveira.

Fundação da Lava Jato está na mira do Tribunal de Contas da União

Deltan Dallagnol coordena a força-tarefa da Lava Jato.

O acordo que destina R$ 2,5 bilhões para uma fundação a ser criada pela Lava Jato será alvo de grande ofensiva nesta semana. A informação é da Coluna Painel, da Folha de S.Paulo desta segunda-feira.

De acordo com o jornal, o Tribunal de Contas da União espera ser demandado até a sexta (15), e ministros cogitam responsabilizar pessoalmente os dirigentes da Petrobras que autorizaram o pacto, inclusive com bloqueio de bens.

Já no Congresso, o PT discute ações com outros partidos. Além de recorrer ao STF e ao STJ da criação desse fundo, a sigla vê base para questionar a atitude de procuradores no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).

Técnicos do Tribunal de Contas da União dizem que o bloqueio de bens e a cobrança de dirigentes da Petrobras segue lógica adotada em casos semelhantes. Em debates informais, ministros da corte classificam o trato como “absurdo” e lesivo à União.

(Foto – Agência Câmara)

CDL lança campanha para aquecer vendas no Mês das Mães

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza prepara uma campanha com sorteio de uma casa e diversos prêmios e que vai se restringir apenas às lojas do Centro.

A ação virá numa parceria com a Rede Card e ocorrerá durante todo o mês de maio, dentro do objetivo de incrementar as vendas do período, informa o presidente da entidade, Assis Cavalcante.

Maio, depois do Natal, é o melhor período de vendas para o comércio.

(Foto – Paulo MOska)

Um mês da morte do jornalista Ricardo Boechat

Nesta segunda-feira completa um mês da morte do jornalista Ricardo Boechat e do piloto Ronaldo Quattrucci. A novidade sobre o acidente que vitimou o profissional da Band News é veiculada hoje, com exclusividade, pelo Portal G1.

O laudo do Instituto de Criminalística (IC) de São Paulo aponta que o caminhão que colidiu com o helicóptero que levava o jornalista Ricardo Boechat e o piloto Ronaldo Quattrucci estava a aproximadamente 40 km/h no momento da batida ao sair da praça de pedágio do Rodonel em direção à Rodovia Anhanguera.

O Núcleo de Engenharia da Polícia Técnico-Científica do Instituto de Criminalística analisou o tacógrafo do caminhão conduzido pelo motorista João Adroaldo Tomackeves, que sobreviveu à colisão, saindo com ferimentos leves.

(Foto – Divulgação)

Reforma da Previdência – Força-tarefa acompanhará demandas judiciais

Uma força-tarefa, reunindo 20 profissionais, no âmbito da Advocacia-Geral da União (AGU) vai acompanhar as demandas judiciais relacionadas às discussões e aos debates da reforma da Previdência. A Portaria número 180, instituindo o grupo, está publicada no Diário Oficial da União de hoje (11), na seção 1, página 47.

O grupo terá o nome de “Força-Tarefa de Defesa da Nova Previdência Social – PEC 6/2019” e sua atuação será preventiva. De acordo com a portaria, o grupo foi criado “considerando a necessidade de um trabalho jurídico preventivo e eficiente para conferir acompanhamento especial à judicialização de temas relativos à PEC nº 06/2019.”

Coordenará a força-tarefa o representante do gabinete do advogado-Geral da União, André Mendonça. Os integrantes serão designados pelos órgãos respectivos e terão atividades específicas.

Em fevereiro, o governo encaminhou a reforma da Previdência ao Congresso. As negociações estão intensas e a primeira etapa de debates será na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) na Câmara.

Atuação

A força-tarefa será formada por representantes do gabinete do Advogado-Geral da União e dos órgãos responsáveis pelas funções de consultoria e assessoramento jurídico, de defesa judicial da União, autarquias e fundações.

No grupo estão um integrante do gabinete do advogado-geral da União, dois da Consultoria-Geral da União, dois da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, cinco da Procuradoria-Geral da União e o mesmo número da Procuradoria-Geral Federal e da Secretaria-Geral do Contencioso.

A força-tarefa vai atuar na sistematização e disponibilização de subsídios, estudos, pareceres e notas técnicas. Os profissionais vão trabalhar também na organização das teses para subsidiar as manifestações e defesas em juízo, assim como no monitoramento do ingresso de ações judiciais, acompanhado da respectiva atuação em juízo, independentemente de citação, intimação ou notificação.

De acordo com a portaria, o grupo vai atuar na coordenação e supervisão dos respectivos órgãos de execução no acompanhamento das ações judiciais e consolidação dos dados de judicialização.

(Agência Brasil)

Mais três usinas de energia solar começam a operar no Ceará

Da Coluna O POVO Economia, da jornalista neila Fontenele, no O POVO desta segunda-feira:

Três usinas integrantes do complexo de geração solar da Steelcons Energy, denominado Sol do Futuro e localizado em Aquiraz (Região Metropolitana de Fortaleza), tiveram sua operação comercial aprovada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Cada uma das usinas terá cerca de 1,1 MW de potência.

(Foto – Arquivo)

Renan Calheiros define posicionamento quanto ao governo de Bolsonaro

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) já definiu, segundo informa a Coluna Radar, da Veja Online, seu posicionamento com relação ao governo de Jair Bolsonaro: será contraponto.

A ideia do emedebista não é trazer votos contra a gestão de Bolsonaro, mas constranger os colegas que votarem com o Governo.

Renan tentou ser presidente do Senado de novo, mas acabou desistindo na última hora de um pleito que deu vitória a Davi Alcolumbre (DEM-AP).

(Foto – Reprodução de TV)

Em Defesa da Mulher – Juazeiro do Norte criará o programa Patrulha Maria da Penha

A Prefeitura de Juazeiro do Norte (Região do Cariri) vai criar o primeiro Programa Patrulha Maria da Penha da Guarda Municipal no estado do Ceará. O projeto, da Secretaria Municipal de Segurança Pública e Cidadania, foi apresentado ao prefeito José Arnon Bezerra, pela titular da pasta, Ivoneide Antunes, durante as comemorações pelo Dia Internacional da Mulher.

O objetivo da Patrulha Maria da Penha é reduzir a reincidência das agressões, oferecendo acompanhamento periódico preventivo e garantindo proteção às mulheres em situação de violência que possuem medidas protetivas de urgência expedidas pelo Juizado da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, com base na Lei Maria da Penha .

Hoje o descumprimento de medidas protetivas leva à prisão do agressor, sem direito a fiança. A fiscalização não pode ser assegurada pela polícia, mas seria pela Guarda Civil, através do patrulhamento. Em Curitiba, no Paraná, e em várias outras cidades do país, isso já está sendo posto em prática e tem dado certo, segundo o prefeito Arnon Bezerra.

(Foto – Anderson Duarte)

Roberto Pessoa ganha apoio de Israel para projeto de dessalinização no litoral do Nordeste

Carlos Matos, Yossi Shelley e Roberto Pessoa em clima de reunião em Brasília.

O deputado federal Roberto Pessoa (PSDB) foi recebido em audiência, nesse domingo, em Brasília, pelo embaixador de Israel, Yossi Shelley. Na ocasião, eles trataram do projeto de lei do tucano que cria o Programa Nacional de Dessalinização das Águas e Segurança Hídrica. Israel é um país que tem capacidade técnica e uma larga experiência neste assunto. Nesse encontro, esteve também o ex-deputado estadual tucano Carlos Matos.

Robetto Pessoa expôs o projeto e pediu apoio ao embaixador, observando que Israel, com know how na área, pode ajudar não apenas o Ceará, mas o Nordeste que sempre é castigado pela seca.

O projeto de Pessoa prioriza a dessalinização das águas das áreas litorâneas do Nordeste para abastecimento das cidades que ficam no entorno. “Isso resolveria a questão do abastecimento nessas regiões e ainda evitaria que a água do Interior não precisasse ser dividida com essas cidades que terão o processo de dessalinização”, destaca o parlamentar.

O embaixador Yossi Shelley foi totalmente receptivo à matéria.

(Foto – Divulgação)

UFC – Começa o processo sucessório na maior universidade do Ceará

Henry Campos, atual reitor, não vai para a reeleição.

Da Coluna do Eliomar de Lima, no O POVO desta segunda-feira:

A disputa pelo cargo de reitor da Universidade Federal do Ceará, com consulta marcada para maio, já começa a entrar em processo de definição pelo menos no campo dos candidatos. Os postulantes que aparecem nesse cenário acertam a chapa.

Custodio Almeida, atual vice-reitor da Instituição, escolheu Davi Romero, diretor do campus da UFC em Quixadá. Optou, no caso, por descentralizar a chapa e buscar votos também no Interior. Cândido Albuquerque, diretor da Faculdade de Direito e que teria simpatias de Brasília, optou pelo cardiologista Glauco Lobo, nome por demais conhecido na elite cearense. Já Antônio Gomes, pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, terá como colega de chapa o professor Augusto Albuquerque, do Departamento de Engenharia Estrutural do Centro de Tecnologia.

Falta agora a Reitoria definir a comissão eleitoral de um processo que, sem sombra de dúvidas, mexerá com a maior instituição federal de ensino superior do Estado.

Com a sociedade cearense bem atenta. E esperando que o certame não sofra retrocesso nesta Era Bolsonaro.

Chinesa Huawei volta ao mercado brasileiro

O retorno da empresa chinesa Huawei ao Brasil já tem data marcada: a partir de maio, celulares premium da fabricante serão encontrados nas lojas do País. “Queremos trazer as tecnologias mais inovadoras que temos”, diz Ketrina Dunagan, vice-presidente sênior de marketing da Huawei nas Américas.

É uma aposta bem diferente da que a empresa fez em 2013, quando tentou entrar pela primeira vez no País. Na época, importou aparelhos de entrada e intermediários, mas naufragou com a alta do dólar e a falta de conhecimento do consumidor local. “O Brasil é um mercado complexo pela estrutura tarifária. Não dá para vencer aqui se você não tiver fabricação local”, diz a executiva.

Os smartphones que chegarão às lojas em maio serão trazidos de fora. Até o fim do ano, a empresa pretende montar seus celulares aqui. Parceiros ainda estão sendo avaliados, bem como a formação de um time local, com áreas de logística, vendas e marketing.

(Agência Estado)

Editorial do O POVO – “O ano político está, enfim, começando”

Com o título “O ano político está, enfim, começando”, eis o Editorial do O POVO desta segunda-feira:

Há uma crença popular, que frequentemente precisamos levar muito a sério, segundo a qual no calendário real brasileiro o ano somente começa depois do Carnaval. Devemos nos valer dela para acreditar que os próximos dias marcarão a fase de começo efetivo dos trabalhos no Congresso Nacional, depois de uma inexplicável folga autoconcedida de onze dias, finalmente acordando para uma realidade que impõe urgência à discussão de uma série de temas fundamentais à busca pela retomada da normalidade no nosso cotidiano desafiador.

A pauta da reforma da Previdência, que já tem uma proposta formalizada pelo governo de Jair Bolsonaro oficialmente entregue e pronta para começar a tramitar, precisa receber do Congresso a prioridade que faz por merecer. O tema é controverso, as saídas apresentadas pela equipe econômica atual exigem um aprofundamento na discussão pelos seus impactos e efeitos, mostrando-se necessário que o debate comece o quanto antes para evitar pressa ou açodamento e para se dar tempo às manifestações, contrárias ou favoráveis. Será impossível a sociedade abraçar a ideia de que a mudança é necessária sem lhe garantir acesso a todas as informações disponíveis e necessárias.

Da parte do governo se cobra uma comunicação mais profissional e objetiva, focada no esclarecimento de cada ponto da proposta que encaminhou ao Congresso. Dos parlamentares, independente de ser governista ou oposicionista, espera-se uma postura responsável, debruçando-se sobre a matéria, apontando eventuais falhas e problemas, melhorando-a no que for possível, mas, principalmente, assumindo a responsabilidade que cabe a cada um deles no avanço do processo. O que o momento exige, de todos, é disposição para discutir o tema com a profundidade exigida.

A agenda é ampla, na verdade, e merece das autoridades responsáveis pela condução do País num momento grave, como o atual, um sentido de prioridade muito maior do que o que tem sido observado. O excesso de atenção à pauta dos costumes, por relevante que seja em muitos aspectos, precisa ser relativizado em nome de uma ação prática que encaminhe soluções urgentes para entraves que, por exemplo, restringem a capacidade da nossa economia de gerar empregos na quantidade que o cenário está a exigir. Mantemos, como realidade dos últimos três anos, pelo menos, um índice insustentável de brasileiros sem acesso ao mercado de trabalho, algo em torno de 12% da população economicamente ativa.

Superado o Carnaval, e compreendida a força cultural que a data determina ao ritmo das coisas no País, espera-se, a partir de agora, compromisso de todos com o esforço que permita que sejam acelerados os processos para que os grandes problemas nacionais sejam atacados, finalmente, no contexto de um novo governo que se instalou em janeiro. A reforma da Previdência é tema relevante e faz sentido que lidere a pauta, mas existem outras preocupações igualmente importantes à espera de uma abordagem mais séria e focada das forças políticas nacionais, no Executivo, no Legislativo e, até, no Judiciário.

(Editorial do O POVO)