Blog do Eliomar

Últimos posts

Ensaio do show pirotécnico do réveillon de Fortaleza ocorre neste domingo

A empresa responsável pela queima de fogos do Réveillon de Fortaleza realiza um ensaio do show pirotécnico na noite deste domingo (30). O teste vai durar três minutos e os fogos serão lançados a partir das 19h do espigão Demócrito Dummar, que fica na altura da rua João Cordeiro.

De acordo com o Governo do Estado, a queima de fogos de Fortaleza custou R$ 500 mil, mas todo o valor foi custeado por três empresas privadas patrocinadoras do evento. Para o Réveillon da Solidariedade, em Fortaleza, serão usadas aproximadamente 20 toneladas de fogos de artifício.

O espetáculo piromusical vai durar 15 minutos, sendo o segundo maior do país, ficando atrás apenas do Rio de Janeiro. Os shows musicais incluem atrações como Aviões do Forró, Luan Santana e Zezé di Camargo e Luciano, além de humoristas e bandas locais.

(O POVO Online)

As vitórias nem sempre produzem boas lições

74 2

Da coluna Menu Político, no O POVO deste domingo (30), pelo jornalista Luiz Henrique Campos:

A trajetória política da prefeita Luizianne Lins sempre foi marcada pela ousadia e o comprometimento com as causas populares. Com a militância iniciada na década de 1990 no movimento estudantil, o caminho natural seria trilhar as fileiras do Partido dos Trabalhadores (PT), legenda com forte apelo à época na intelectualidade e entre a estudantada. Nesse efervescente ambiente político, e graças a seu talento, se fortaleceu, e já na primeira disputa ao parlamento, em 1996, foi a vereadora mais votada, com 5.336 votos. Reeleita com folga quatro anos depois, assumiu bandeiras voltadas às causas da mulher, da juventude e da criança, que solidificaram seu caminho até a Assembleia Legislativa em 2002, com a quarta maior votação, sendo a mais votada das deputadas.

O grande salto nessa trajetória, todavia, estava reservado para o ano de 2004, quando foi eleita prefeita de Fortaleza. Se até então, suas disputas eleitorais ocorreram sem atropelos e as vitórias eram mais ou menos previsíveis, a briga interna capitaneada por ela no partido, peitando o candidato Inácio Arruda, apoiado por Lula, lhe abriram a possibilidade de se firmar como liderança de expressão nacional. Não faltaram, para isso, oportunidades e incentivo para tal. Luizianne até ameaçou puxar essa liderança, questionando os métodos do PT mais ligado a São Paulo, ao cobrar atenção aos petistas no Nordeste. Em determinado momento, se chegou a ventilar sua transferência para o Psol. Tudo era uma estrada aberta para quem conseguirá derrotar o todo poderoso Lula a partir de Fortaleza.

As circunstâncias geradas pela responsabilidade de gerir a máquina pública, porém, são infinitamente maiores que as boas intenções de qualquer gestor. Luizianne sentiu isso cedo, tanto que ainda na metade de seu primeiro mandato o pregado “marxismo esotérico” proposto para a gestão foi devidamente esquecido. Já redimida dos arroubos iniciais, contou com os apoios de Lula e Cid Gomes para vencer com folga a disputa pela reeleição. Mas na vida, nem sempre das vitórias brotam os melhores conselhos. Acostumada só com vitórias na sua carreira política, a jovem prefeita se achou no direito de se cercar de alguns poucos iluminados, que a tudo apenas acenavam com a cabeça. Com isso, Luizianne deixou de aproveitar para sua vida, o melhor de uma experiência como a de ser prefeita, que é saber ouvir.

Nesses anos todos, só ouviu a quem quis, e até desses, só escutou o que queria. Não poderia ser diferente a surpresa e a reação de estranhamento quando seus índices de popularidade tornaram-se públicos. Nem por isso aceitou o óbvio. Manteve-se fechada e acreditando que, como em outras eleições, sairia vitoriosa, por cima de pau e pedra. O resultado, é que chega ao fim do mandato sangrando, falando ao vento, sem que seja ouvida por seus próprios correligionários de partido, e tendo a certeza de que o fim do atual ciclo do PT na Prefeitura de Fortaleza não é responsabilidade sua.

Congresso deixa de votar projetos importantes para o país

51 1

O Legislativo encerrou o ano sem avançar em projetos considerados fundamentais para o país. Para alguns parlamentares, a culpa foi do período eleitoral, que esvaziou o Congresso. Para outros, o insucesso de algumas matérias passa longe das eleições: tem a ver com a falta de consenso e de empenho do governo para garantir as votações.

A relação de propostas legislativas importantes paradas é grande. Projetos que tratam de reforma política e tributária foram os mais citados entre os parlamentares ouvidos pela Agência Brasil.

Para o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), a não votação do Fundo de Participação dos Estados (FPE) tornou-se um problema. Em 2010, o STF julgou inconstitucional a regra de partilha do FPE entre os estados e determinou ao Congresso que aprovasse outra até 31 de dezembro de 2012. “Foi o maior mico do Congresso não cumprir o prazo determinado pelo Supremo Tribunal Federal”, criticou

O FPE é uma parcela das receitas federais repassada aos estados. Cabe à Secretaria do Tesouro Nacional efetuar as transferências, calculada pelo Tribunal de Contas da União com base na população apontada pelo IBGE. O fundo é formado por 21,5% de tudo o que o governo federal arrecada com o Imposto de Renda e com o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

“Continuamos com o sistema em que o Congresso repercute a pauta do Executivo. Não constrói uma pauta própria e fica como votador de medida provisória”, disse Randolfe.

O líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias (PR), destacou que, desde o Plano Real, não houve nenhuma reforma estrutural no país. “Não avançamos, mas o governo não tem do que se queixar, porque aprovou tudo que quis. Todos os projetos e medidas provisórias de interesse passaram”.

(Agência Brasil)

Shelda, do vôlei de praia, é secretária em Sobral

A renovação no secretariado do prefeito de Sobral, Veveu Arruda (PT), traz como novidade a ex-campeã mundial de vôlei de praia, a cearense Shelda Bedê, que ocupará a partir da próxima terça-feira (1º) a pasta do Esporte e da Juventude. Eis os demais secretários:

Chefe de Gabinete do Prefeito: Luciano Arruda; Controladoria e Ouvidoria: Luiz Fernando Simões; Procurador Geral do Município: José Menescal Andrade Júnior; Secretaria da Gestão: José Maria Rosa; Secretaria de Conservação e Serviços Públicos: Mario Cesar Lima Parente; Secretaria de Obras: José Ilo de Oliveira Santiago; Secretaria de Urbanismo: Gisela Gomes; Secretaria de Trabalho, Ação Social e Combate a Extrema Pobreza: Valdízia Ribeiro; Extrema Pobreza: Pe. João Batista Frota; Secretário da Educação: Júlio Cesar da Costa Alexandre; Secretaria da Saúde: Dr. Olivan Silva Queiroz; Secretaria da Cultura e Turismo: Eliane Maria Leite; Secretaria da Cidadania e Segurança: Dr. Pedro Aurélio Ferreira Aragão; Secretaria da Tec. e do Des. Econômico: Daniela Costa; Secretaria da Agricultura e Pecuária: Luiza Barreto; Secretaria de Adjunto de Obras: Laerti Cavalcante.

(com informações do Sobral de Prima)

Gestão precisa trabalhar a saúde como prioridade, afirma Ipece

Maior proporção no Brasil de população entre 15 a 64 anos, Fortaleza terá que se preparar na área da saúde para o seu envelhecimento populacional. Nos últimos 12 anos, o crescimento da população entre 0 a 14 anos tem diminuído.

“A leitura que temos desses dados é que a saúde precisará de um maior cuidado, pois a população de Fortaleza entrará em um processo de envelhecimento. A boa notícias é que teremos mais oferta de trabalho, o mercado não será tão pressionado pela população jovem, como nas últimas décadas”, ressaltou Flávio Ataliba, presidente do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), órgão responsável pelo estudo.

A pesquisa foi apresentada na tarde deste domingo (30) ao prefeito eleito Roberto Cláudio, ao vice-prefeito eleito Gaudêncio Lucena e aos secretários que tomarão posse de 32 pastas a partir desta terça-feira (1º).

Outro dado relevante do estudo é que Fortaleza possui a maior densidade populacional do país, com mais de 7,7 mil habitantes por quilômetro quadrado.

Roberto Cláudio diz que “há um resto a pagar” na Prefeitura

73 4

O prefeito eleito Roberto Cláudio reúne na manhã e tarde deste domingo os 32 secretários e assessores que farão parte da futura administração de Fortaleza, que tem início na próxima terça-feira (1º). O evento acontece no Gran Marquise Hotel, na avenida Beira Mar, no bairro Mucuripe, e deve se estender até as 16 horas.

A reunião servirá para que os secretários se conheçam e sejam inteirados da situação de cada bairro de Fortaleza, de acordo com um estudo que será apresentado pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE). Roberto Cláudio passa para os titulares das pastas as prioridades dos 100 primeiros dias da nova gestão.

O prefeito eleito afirmou que somente quando assumir o cargo terá um diagnóstico da real situação financeira da Prefeitura. “Pelo que soubemos da nossa equipe de transição é que há um resto a pagar, mas ainda não sabemos do valor desse montante”, comentou Roberto Cláudio.

PDT não liga muito para votos, afirmam suplentes

206 18

Os primeiros suplentes do PDT, na Assembleia Legislativa e na Câmara Municipal de Fortaleza, Adail Carneiro e Plácido Filho, respectivamente, foram desprestigiados pelo partido nas cotas destinadas ao PDT no Governo Cid Gomes e na futura gestão Roberto Cláudio.

Com 34.406 votos em 2010, o primeiro suplente pedetista a deputado estadual Adail Carneiro viu a pasta do Trabalho e Desenvolvimento Social ir para o próximo suplente Evandro Leitão, também presidente do Ceará Sporting. O pedetista Márcio Lopes, que não foi candidato em 2010, assumiu como secretário-adjunto dos Esportes do Estado. Outros cargos relevantes no Governo do Estado, como secretarias-executivas, também foram para suplentes com votações menores.

Segundo Adail Carneiro, “compromissos firmados com o presidente regional do PDT (André Figueiredo) também não foram honrados”, principalmente em Russas.

A situação do vereador Plácido Filho é ainda pior. O parlamentar acabou vítima de uma estratégia equivocada do partido, diante da filiação de última hora do vereador eleito Didi Mangueira, que entrou na disputa com um recall de mais de oito mil votos na eleição em 2008, maior que qualquer votação do PDT nas últimas eleições à Câmara Municipal de Fortaleza.

“O partido acreditou que o Didi iria nos ajudar a conseguir uma terceira ou até quarta cadeira na Câmara Municipal. Mas a estratégia acabou foi cedendo para o Didi uma das duas cadeiras que o partido vinha mantendo nas últimas eleições. Quando me ligaram sobre a filiação do Didi, informaram que ele já tinha maioria para a sua filiação no PDT. Particularmente, eu gosto do Didi, pois é um aliado na ajuda à comunidade sofrida do Bom Jardim, mas o partido não me protegeu do desgaste de quatro anos de oposição ferrenha à gestão Luizianne Lins. Muitas das minhas denúncias e dos meus discursos foram usados por todos os candidatos a prefeito. Fui o primeiro a mostrar a fragilidade da gestão e paguei um preço alto por isso. O partido não me protegeu”, lamentou Plácido, líder da oposição por quatro anos, que também não foi contemplado pelo PDT nas cotas destinadas pela administração Roberto Cláudio.

Fechamento de shoppings em feriadões pode ser equívoco

55 3

Apesar de trabalhadores, tanto empregados quanto empregadores, merecerem repouso nos feriados, pode ter sido tomada iniciativa equivocada em Fortaleza nos dias de Natal, 25 passado, e de Ano Novo, 1º de janeiro próximo. Os principais shoppings centers foram fechados completamente na capital cearense, até salas de cinema, deixando sem alternativas parte da população que saiu de seus endereços em busca de lazer. Inclusive, depois de participar de cerimônias religiosas e cumprir visitas de confraternização a familiares e amigos. Erroneamente, alguns shoppings anunciaram na internet que salas de projeção abririam, o que deixou de acontecer. Nos shoppings localiza-se a maioria dos cinemas da cidade.

Uma eventual abertura de shoppings nos referidos feriados nem precisaria ser total. Deve-se lembrar que o tipo de centro comercial supracitado, devido atualmente a um aumento do poder aquisitivo da classe média, conquistou uma frequência mais diversificada.

Evoque-se também que, ao contrário dos dias 24 e 31 de dezembro, as datas de 25 do mesmo mês e 1º de janeiro esvaziam grande parte da capital cearense. Já houve ocasiões que uma opção era se locomover à Praça do Ferreira, por exemplo. A programação do Cine São Luiz era o principal chamamento para o público dentro e fora da sala de projeção. Com aquele cinema fechado atualmente, sem perspectivas de reabrir brevemente, além da desativação da rede hoteleira no entorno, ao contrário da época em que o Excelsior e o Savanah recebiam hóspedes, pouquíssimo se tem a fazer naquele quadrilátero em dias parados.

Os empresários de shoppings, possivelmente, decidiram pelo fechamento crendo que a maior parte da clientela permanente viajou para outras localidades. Deve ser um equívoco. Foi medida boa para empregados e empregadores, porém a cidade ficou muito mais vazia. Lanchonetes ou restaurantes com endereços fora de shoppings funcionaram. Entretanto, aquilo que a população busca nas duas datas nem sempre corresponde a alimentos e bebidas.

(O POVO / Editorial)

Sem injustiças

48 1

Da coluna Concidadania, no O POVO deste domingo (30), pelo jornalista Valdemar Menezes:

Nesta segunda feira (31), os fortalezenses e visitantes celebrarão o segundo réveillon mais destacado do País. Espera-se, também, que seja o mais democrático, em termos de acesso a todos os segmentos sociais, como vinha sendo desde sua criação.

Não se pode deixar de reconhecer o grande mérito da prefeita Luizianne Lins em que pese às dificuldades que recaíram para mantê-lo este ano. Mas, se tornou uma referência nacional e reconhecidamente imprescindível à cidade. Resta, agora, torcer para que tudo saia a contento e, no próximo ano já esteja dotado de mecanismos institucionais que prevejam a especificidade de um festejo programado por uma administração que sai e que passa às mãos da administração seguinte no mesmo ensejo de sua realização.

Certamente, o novo prefeito, Roberto Cláudio – a quem a coluna faz votos de sucesso -, estará atento e resolva a equação de uma vez por todas para que não haja no futuro o risco de solução de continuidade.

Roberto Cláudio reúne secretariado por 5 horas neste domingo e define rumos dos 100 primeiros dias da nova gestão

52 4

Roberto Cláudio com Salmito, da pasta do Turismo

O primeiro encontro do prefeito eleito Roberto Cláudio com seu secretariado deverá durar cerca de cinco horas, neste domingo (30), que começa a partir das 10 horas, no Gran Marquise Hotel, na avenida Beira Mar, no Mucuripe.

O novo secretariado será inteirado da situação de cada bairro de Fortaleza, de acordo com um estudo que será apresentado pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE).

Durante o encontro, Roberto Cláudio passará para os titulares das pastas as prioridades dos 100 primeiros dias da nova gestão.

Comissão inclui ética, cidadania e defesa do consumidor na educação básica

A Comissão de Finanças e Tributação aprovou o Projeto de Lei 3993/08, do deputado Humberto Souto (PPS-MG), que insere os conteúdos ética, cidadania e defesa do consumidor no currículo da educação básica.

Para evitar a incompatibilidade financeira da proposta, o relator, deputado João Dado (PDT-SP), apresentou emenda que transforma os temas em parte de outra disciplina já ofertada pelas escolas.

Como foi apresentada originalmente – na forma de uma disciplina isolada no currículo –, segundo Dado, a proposta acarretaria a necessidade de contratação de novos professores, com consequente criação de despesa obrigatória de caráter continuado para o erário.

Nesse caso, o autor seria obrigado a apresentar a estimativa dos gastos e a origem dos recursos para cobri-los. Como essas medidas não foram tomadas, e o relator diz considerar os assuntos importantes para os alunos, decidiu apresentar medida corretiva para aprovar o projeto.

(Agência Câmara de Notícias)

Balanço indica que 81% das obras da Copa estão concluídos ou em andamento

A um ano e meio da Copa do Mundo de 2014 e a seis meses da Copa das Confederações de 2013, os preparativos do Brasil para sediar as duas competições seguem em ritmo considerado positivo pelo Ministério do Esporte, segundo o qual 81% das obras programadas até o Mundial estão concluídos ou em andamento, totalizando 102 projetos, que envolvem estádios, portos, aeroportos e mobilidade urbana nas 12 cidades-sede da competição.   

Esses projetos constituem o primeiro ciclo de planejamento para o evento de 2014 e estão estimados em R$ 23,6 bilhões, segundo o 4º Balanço de Ações para a Copa, feito pelo ministério, no final deste mês, com base em dados de novembro passado.  Outros R$ 2,5 bilhões serão gastos nas ações do segundo ciclo com os setores de telecomunicações, turismo, segurança e defesa, energia e promoção, totalizando investimentos de R$ 26,1 bilhões.

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, considera o balanço “um retrato positivo de que as obras, principalmente as relacionadas com a infraestrutura esportiva, estão dentro do cronograma acertado com a FIFA”. Por isso, o governo está otimista com a realização do Mundial e da Copa das Confederações no Brasil, até porque “algumas obras ficaram prontas bem antes da copa, como os estádios de Fortaleza e de Belo Horizonte e algumas intervenções em aeroportos. E as obras de mobilidade urbana e em portos estão em andamento”.

A Copa do Mundo de 2014 será a 20ª edição e terá o país como anfitrião pela segunda vez, sendo a primeira em 1950, quando o Uruguai conquistou o título e o Brasil foi vice-campeão. A competição será disputada entre 12 de junho e 13 de julho e ocorrerá pela quinta vez na América do Sul, 36 anos depois de a Argentina realizar o evento, em 1978.

As 12 capitais brasileiras que receberão os jogos são Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvado e São Paulo. Mas antes, de 15 a 30 de junho de 2013, seis delas sediarão a Copa das Confederações, que funcionará como evento-teste para 2014: Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Rio de Janeiro, Salvador e Recife.

Os estádios de Fortaleza (Castelão) e Belo Horizonte (Mineirão) já estão prontos e os outros quatro deverão ser entregues até abril de 2013, segundo o Ministério do Esporte.  Os demais deverão estar concluídos até dezembro de 2013. Os estádios receberão R$ 7,1 bilhões em investimentos, sendo R$ 3,76 bilhões em financiamento federal. O BNDES desembolsou R$ 1,9 bilhão, ou 51% do total, para oito projetos.

(Agência Brasil)

Encerramento do site oficial da Prefeitura – Fortaleza Bela – gera expectativa

286 8

A entrega dos Cucas das Regionais V e VI não deverão ser as últimas notícias do site oficial da Prefeitura de Fortaleza, na administração Luizianne Lins. A expectativa é que a ferramenta seja encerrada com um editorial da própria prefeita, que é jornalista.

Outra expectativa é se o site oficial da gestão Roberto Cláudio entrará no ar logo nesta terça-feira (1º) ou se o site da Fortaleza Bela se estenderá por mais alguns dias.

Pedra fundamental do Santuário de Fátima era lançada há 60 anos

Da coluna O POVO Há 60 Anos, no O POVO deste sábado (29):

“Constituiu outra grandiosa e significativa concentração religiosa em louvor a Nossa Senhora de Fátima a solenidade de lançamento da pedra fundamental do seu santuário, ontem realizada na rua 13 de Maio.

Moradores de todos os bairros da capital cearense para ali acorreram, ás primeiras horas da manhã, viajando em automóveis, ônibus e a pé. Generosas e espontâneas ofertas em dinheiro foram deixadas, para a construção, elevando-se tais espórtulas a perto de vinte mil cruzeiros”.

Brasil continuará com pleno emprego em 2013, diz ministro do Trabalho

112 2

O emprego continuará em alta no Brasil em 2013 com a perspectiva positiva do cenário econômico, que deverá ter crescimento no Produto Interno Bruto (PIB) maior do que o registrado em 2012. A avaliação foi feita neste sábado (29) pelo ministro do Trabalho e Emprego, Brizola Neto, que aposta na manutenção das baixas taxas de desemprego do país, cuja média de janeiro a novembro de 2012 alcançou 5,6%, segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“A perspectiva que se abre é a melhor, até porque nós tivemos um ano, do ponto de vista econômico, que não foi dos melhores, mas conseguimos manter a taxa de desemprego em níveis que nunca tínhamos visto na história do país. Nas regiões metropolitanas tivemos índices de pleno emprego, apesar da intensa crise internacional. A expectativa é que se consiga aquecer ainda mais o mercado de trabalho, atingindo o pleno emprego também no resto do país”, disse o ministro.

Brizola Neto reconheceu que a crise global afetou com mais força a indústria nacional, mas disse que informações preliminares apontam para uma retomada no crescimento. “Esses dois últimos anos foram duros para a indústria, mas os indicadores do último trimestre são alentadores, mostrando que a economia já começa a girar em torno de 3%, o que é animador para o próximo ano. O aquecimento vai demandar mão de obra e por isso é importante garantir qualificação aos trabalhadores e competitividade à economia, agregando conhecimento, tecnologia e inovação”, declarou.

Morte do pai

O ministro falou à imprensa ao chegar para o velório do pai, José Vicente Goulart Brizola, falecido nessa sexta-feira (28) aos 61 anos. Ex-deputado federal, José Vicente era filho do ex-governador Leonel Brizola. A deputada estadual do Rio Grande do Sul. Juliana Brizola (PDT), também filha de José Vicente, esteve no velório e ressaltou o lado artístico do pai, que era músico e acabou entrando na política por influência da família. “Meu pai nasceu em uma família de políticos, mas na verdade era músico. Essa era a grande paixão da vida dele”, disse Juliana.

O corpo do ex-deputado José Vicente será cremado e as cinzas levadas para o mausoléu da família Goulart, em São Borja (RS), onde também estão sepultados o ex-presidente João Goulart e o ex-governador Leonel Brizola. Entre as inúmeras coroas de flores colocadas à entrada do velório, estava uma enviada pela presidenta Dilma Rousseff.

(Agência Brasil)

Alô Governo, alô Prefeitura, alô empresários. Não descuidemos de nossos verdadeiros patrimônios

Motivo de orgulho para o cearense, diante de inúmeras conquistas internacionais, a surfista Tita Tavares é, principalmente, um exemplo de vida melhor para centenas de jovens moradores da Praia do Futuro, Vicente Pinzón, Serviluz, Castelo Encantado e Mucuripe.

Apesar das conquistas mundiais, a surfista nunca deixou as suas origens. Melhor, sempre se colocou para os jovens dessas comunidades como um modelo de vida saudável, longe da violência comum nessas áreas.

Surpreendida há algum tempo por um hipertireoidismo, a atleta tem tido dificuldades para competir. O hipertireoidismo é causado, principalmente, pelo excesso de iodo na alimentação (mineral abundante na água do mar). O sistema imunológico começa a produzir anticorpos que atacam a própria glândula tireoide. Um sintoma frequente ocorre nos olhos, que ficam parecendo maiores e mais saltados, além de nervosismo, ansiedade, irritação e mãos trêmulas.

Por causa da doença, os patrocinadores desapareceram e o dinheiro que a atleta juntou sequer é suficiente para a compra dos medicamentos. Tita é um patrimônio do Ceará e de Fortaleza. E, assim sendo, merece melhor atenção dos nossos governantes.

Saldo comercial do país deve virar o ano abaixo do de 2011, estimam especialistas

O ano de 2012 foi difícil para a balança comercial brasileira. A crise internacional e a desvalorização do câmbio afetaram as exportações e a estimativa do mercado e da Fundação Getulio Vargas (FGV) é de que o saldo comercial virará o ano em US$ 18,2 bilhões, número 38,9% inferior ao superávit de US$ 29,79 bilhões registrado em 2011.

As expectativas para 2013 não são de recuperação, apesar de medidas governamentais destinadas a aumentar a competitividade da indústria como a redução das tarifas de energia e a desoneração da folha de pagamento. A avaliação de economistas e entidades que representam empresários é que se a economia mundial não reagir, será difícil incrementar o superávit mesmo que o Brasil cresça. Eles destacam também a necessidade de tornar os produtos nacionais mais competitivos.

A pesquisadora da FGV, Lia Valls, e o vice-presidente executivo da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), Fábio Faria, estimam superávit comercial de US$ 18 bilhões para o ano de 2012. A AEB divulgou comunicado fixando em US$ 14,6 bilhões a projeção de superávit comercial para o próximo ano, 20% inferior à de 2012.

A senadora Kátia Abreu, presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), ataca o custo de produção brasileiro como entrave à maior competitividade das exportações. Segundo ela, os entraves ao comércio externo foram estimulados pela cotação barata do dólar na maior parte do ano e pelo “custo Brasil” que dificulta um preço atrativo dos produtos nacionais lá fora.

A economista Lia Valls destaca que o comércio com a Argentina teve queda expressiva em 2012, mas as exportações brasileiras encolheram de forma geral. De janeiro a novembro de 2012, as exportações para a Argentina recuaram 20%. Levando-se em conta o Mercosul como um todo o recuo foi 14%. As vendas externas para a Ásia tiveram decréscimo de 2,3% no período, sendo que houve recuo de 5% no volume exportado para a China. As exportações para a União Europeia, por fim, caíram 6,7%. A única exceção no cenário adverso foram os Estados Unidos, já que as vendas para esse parceiro comercial subiram 6,6% até novembro. De acordo com a economista, o motivo foram as compras norte-americanas de óleos brutos de petróleo e de avião.

(Agência Brasil)