Blog do Eliomar

Últimos posts

Justiça na Manhã aborda o constrangimento das “caixinhas de Natal”

55 1

Além das decorações natalinas, as caixinhas de Natal também marcam o mês de dezembro. Elas estão presentes no comércio, no condomínio e demais locais onde os funcionários esperam ganhar uma espécie de 14º salário. Mas as caixinhas de Natal podem gerar constrangimentos. Saiba como evitá-los no programa Justiça na Manhã, nesta segunda-feira (24), a partir das 8 horas (horário de Brasília).

A Rádio Justiça é sintonizada em 104,7 MHz, no Distrito Federal, pelo satélite ou pelo site www.radiojustica.jus.br.

(STJ)

Projeto cria novas regras para reajuste de professores da educação básica

83 1

Tramita na Câmara o Projeto de Lei 4375/12, do deputado Alex Canziani (PTB-PR), que determina o reajuste anual do piso salarial de professores da educação básica com base na inflação medida pelo INPC nos doze meses anteriores, acrescido de 1/3 da variação anual do Fundeb. Pelo texto, caso o 1/3 do crescimento do Fundeb seja igual ou menor que 3,5% será aplicado esse percentual mais a inflação.

Atualmente, o reajuste considera apenas o crescimento do valor aluno ano do Fundeb, que representa 22% ao ano.

Para Canziani, o modelo utilizado hoje é inadequado porque desconsidera a capacidade orçamentário-financeira de estados e municípios. Por outro lado, segundo o autor, a correção apenas pela inflação não é suficiente para recuperar o poder aquisitivo dos professores.

“A inflação no ano passado foi de 6,08% (INPC) e o orçamento de estados e municípios cresceu em média 10%. Logo, 22% (variação do Fundeb) está acima do limite da responsabilidade fiscal e orçamentária do gestor”, argumenta.

(Agência Câmara de Notícias)

Cearense tido como maior estelionatário do Brasil morre em tentativa de fuga

Durante uma tentativa de fuga do Hospital Monte Sinai, em Garanhuns, no agreste pernambucano, o cearense Hamilton Rodrigo Araújo Freitas de Andrade, 36, conhecido como o “rei do golpe”, morreu nesse sábado (22) ao pular do segundo andar do prédio.

Segundo a Polícia, o cearense estava sob custódia em um dos leitos do hospital e aproveitou o descuido de um policial para saltar sobre um colchão que estava no térreo. De acordo ainda com a Polícia, o estelionatário teria errado o alvo. O comparsa de Hamilton Rodrigo, que havia colocado o colchão, foi detido. O excesso de peso do cearense, cerca de 200 quilos, foi um agravante na queda livre.

O cearense respondia a processos nos estados do Ceará, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Goiás e Minas Gerais, todos pela prática de estelionato, diante da realização de cursos de capacitação profissional, sem as devidas licenças ou qualificações.

Em um vídeo gravado em Fortaleza, antes da sua prisão (junho de 2011), no bairro Aldeota, o estelionatário disse estar incomodado com o título de “rei dos golpes”. “Se isso fosse verdade, eu estaria rico”, alegou no vídeo, disponível no You Tube. Na mesma gravação, Hamilton Rodrigo negou que fosse estelionatário e sugeriu que a Polícia deveria centrar investigações nos políticos em Brasília.

(com agências)

Corpo do poeta Lêdo Ivo será cremado na Europa

O corpo do poeta e romancista Lêdo Ivo, que morreu na madrugada deste domingo (23) na Espanha, será cremado na Europa. Segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), suas cinzas serão trazidas para o Rio de Janeiro, provavelmente na próxima semana, e ficarão no mausoléu da ABL, no Cemitério São João Batista.

Lêdo Ivo estava em Sevilha, em companhia do filho, o artista plástico Gonçalo Ivo, quando passou mal e morreu. Assim que soube de sua morte, a presidenta da ABL, Ana Maria Machado, determinou que a bandeira da academia fosse hasteada a meio-mastro.

“Poeta e ficcionista versátil, de obra variada que abarcava vários gêneros, Lêdo Ivo gozava de uma vitalidade assombrosa para seus quase 90 anos e sua saúde frágil. Falava alto, gostava de comer bem, se esmerava em contar histórias divertidas. Nos últimos tempos, essa disposição estava sendo comprovada o tempo todo, nas sucessivas viagens que se multiplicavam , fossem para participar de festivais internacionais de poesia, fossem para receber homenagens no exterior, sobretudo nos países de língua hispânica”, disse a escritora, em nota divulgada à imprensa.

“Técnico” e “Político”

70 3

Da coluna Concidadania, no O POVO deste domingo (23), pelo jornalista Valdemar Menezes:

A apresentação do secretariado que comandará a futura gestão municipal de Fortaleza tem sido saudada efusivamente pelo seu caráter “técnico”. Geralmente, usa-se o termo como sinônimo de “apolítico”. Isso seduz a classe média que vem sendo incitada a criminalizar a política.

Na ditadura, esse discurso prevaleceu. Mas, a tecnocracia não impediu que o fisiologismo tivesse largo curso.

“Técnico” também está longe de ser sinônimo de isenção, quando se trata de administração pública. Às vezes, o quadro “técnico” é o que melhor serve para mascarar os interesses reais que comandam, por trás do biombo, uma administração pública.

O significado de “eficiência” – outra palavra evocadora de “técnico” – não deixa também de levar à indagação: “eficiência a serviço de quem?” Isso ganha relevo quando se tenta casar meio ambiente com “ações urbanísticas” dentro da mesma pasta, o que vai exigir atenções redobradas da sociedade.

O capital político de Dilma e as incertezas de 2013

51 2

Da coluna Menu Político, no O POVO deste domingo (23), pelo jornalista Luiz Henrique Campos:

Os últimos números sobre a avaliação da presidente Dilma Rousseff, indicando que surfa em altíssima popularidade junto à sociedade, revelam aspectos interessantes em relação ao perfil traçado, ainda na campanha, para a gestora do País. Um ponto, e talvez o principal a ser destacado, é que grande parte dessa aceitação se deve ao bom momento da economia, com pleno emprego e, por consequência, geração de renda para as classes menos favorecidas. Outro fator é que se a então chefe da Casa Civil do ex-presidente Lula, antes tida como a gerentona que garantiria ao País a entrada em outro patamar de desenvolvimento, não conseguiu ainda dar mostras concretas dessa característica, ela agora assume papel mais voltado à área social, graças ao aprofundamento de programas voltados a esse foco.

Mas se a política e a economia se complementam no contexto geral de atendimento das demandas da sociedade, é impossível traçar um quadro para 2013 no Brasil, sem ter em perspectiva as vulnerabilidades a que o atual governo está exposto, principalmente diante às ameaças externas. Nesse sentido, as projeções econômicas apontam que a crise na Zona do Euro seja estabilizada em 2013. Mas isso não é garantia de que os países atingidos pelo mau momento na Europa voltem imediatamente à rota do crescimento econômico vigoroso em virtude dos elevados níveis de endividamento e pelos programas de ajuste fiscal em curso e, principalmente, pelo risco financeiro ainda presente nas economias mais fragilizadas como Grécia, Espanha, Irlanda, Itália e Portugal, que contemplam elevados índices de desemprego.

Como reflexo disso, no caso do Brasil, não teremos apenas desafios para 2013 e 2014, mas sim para os próximos 30 anos. Por isso mesmo, destaque-se ser de curto prazo a necessidade de retornar o mais rápido possível ao equilíbrio das contas fiscais e à realização de investimentos em áreas estratégicas. É consenso, ainda, que, para termos crescimento vigoroso e sustentável, o governo terá de melhorar a qualidade dos seus gastos correntes, criar condições para o aumento de produtividade, aprimorar os marcos regulatórios, promover uma reforma tributária, investir na educação e na qualificação de mão de obra e criar condições para a efetiva eliminação de gargalos de infraestrutura. Tudo isso, todavia, não é tarefa fácil de ser executada.

A disputa em torno dos royalties do petróleo é um exemplo típico do quanto a economia é influenciada pelo jogo político e de como o vento muda rápido na esfera dos interesses políticos. Prova disso é a indefinição sobre as reformas estruturais que a sociedade anseia há anos para permitir ao Brasil avançar no seu crescimento. O ano que se inicia, além disso, antecede a 2014, quando se sabe que é praticamente morto em termos de decisões. O panorama político, portanto, apesar da popularidade hoje em alta da presidente, não é garantia de um 2013 tranquilo, caso surjam turbulências na economia, reservando muito mais incertezas do que garantias para a presidente Dilma e o Brasil.

Dilma deve ir a sete países em 2013 e agenda internacional começa em janeiro

A presidenta Dilma Rousseff retoma sua agenda internacional no fim de janeiro de 2013, quando participa da Cúpula da Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac) e União Europeia, em Santiago, capital chilena. Até setembro, Dilma deve ir a, pelo menos, seis países: Chile, Guiné Equatorial, África do Sul, Índia, Rússia e Estados Unidos. A presidenta passará o Natal e o Ano-Novo no Brasil. Ela pretende ficar em Brasília no Natal e ir para a Base Naval de Aratu, na Bahia.

A agenda internacional da presidenta costuma ser alterada com frequência, pois há convites que surgem de última hora e fatores internos que acabam interferindo, como questões que ela quer acompanhar de perto. Porém, a cada fim de ano é organizada uma agenda com uma série de programações.

No Chile, durante a Cúpula Celac-União Europeia, o tema que deve prevalecer nas discussões é a questão econômica e comercial. Alguns países sul-americanos reclamam das barreiras econômicas impostas pelos europeus aos seus produtos. Porém, outros, como a Bolívia, mantêm acordos de livre comércio com a União Europeia (que reúne 27 países).

Nos dias 22 e 23 de fevereiro, a presidenta deve participar da Cúpula América do Sul-África, na cidade de Malabo, capital da Guiné Equatorial. A cúpula foi adiada algumas vezes em decorrência da instabilidade interna em alguns países da região, como o Egito, a Guiné-Bissau, Tunísia, Madagascar, o Níger e Mali. 

No fim de março, Dilma deve participar da Cúpula do Brics (grupo formado pelo Brasil, a Rússia, Índia, China e África do Sul), em Durban, na África do Sul. Em junho, será a vez de ela participar da Cúpula Ibas (Índia, Brasil e África do Sul), em Nova Délhi, na Índia.

Em setembro, a presidenta tem programadas duas viagens internacionais. Nos dias 5 e 6, deve ir a  São Petersburgo, na Rússia, para a Cúpula do G20 (grupo que reúne as 20 maiores economias do mundo) e no fim do mês, participa da abertura da Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova York, nos Estados Unidos. Tradicionalmente, ela é a primeira a discursar.

(Agência Brasil)

STJ condena sindicato dos motoristas de BH por “operação tartaruga”

174 1

Dezoito anos depois, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) condenou o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Belo Horizonte pela manobra da “operação tartaruga” nas ruas da capital mineira, em 1994, que levou o trânsito ao colapso. Em decisão unânime da Terceira Turma, os ministros seguiram o voto do relator Villas Bôas Cueva, que apontou que o sindicato responde civilmente por danos causados aos consumidores, lesados pela deflagração de paralisação “desarrazoada” do serviço público.

“A liberdade sindical relativa ao direito de greve não é absoluta, encontrando limites no sistema jurídico, em que os direitos dos cidadãos devem conviver harmonicamente”, ressaltou o relator.

A operação promovida pelo sindicato teve como estratégia a redução da velocidade dos ônibus para dez quilômetros por hora, o que na época evitou ultrapassagens, fechou cruzamentos e impediu a entrada e saída de veículos particulares de suas garagens.

A condenação se deu por pagamento de multa, mas a Associação Brasileira de Consumidores ajuizou ação civil pública contra o sindicato, pedindo indenização correspondente à soma dos valores arrecadados pelas empresas concessionárias de transporte público de Belo Horizonte (vales-transportes, tickets e passagens) durante a operação padrão.

(com informações do STJ)

Uso de remédio não melhora concentração de jovens saudáveis

O desempenho da memória e da atenção de jovens saudáveis não é alterado após o consumo de Ritalina, medicamento indicado para pessoas diagnosticadas com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade. A conclusão é resultado de pesquisa do Departamento de Psicobiologia da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo.

O metilfenidato (que recebe o nome comercial de Ritalina ou Concerta), quando aplicado corretamente, tanto em crianças, quanto em adultos, melhora a atenção e os níveis de concentração. No entanto, de acordo com a pesquisa, não foram observadas diferenças nas funções cognitivas dos indivíduos sadios.

Os 36 homens participantes do teste, com idade entre 18 anos e 30 anos, foram divididos em dois grupos, e apenas um deles recebeu o medicamento verdadeiro. Após isso, todos foram submetidos a uma série de testes cognitivos, que avaliaram diferentes tipos de atenção e de memória, além de algumas funções executivas, como planejamento.

“Comparamos o desempenho entre aqueles que tomaram a medicação e os que não tomaram. Não houve diferença no desempenho. A gente chegou à conclusão de que sendo os jovens saudáveis, tendo um funcionamento cognitivo saudável, a Ritalina não tem potencial benéfico como o apresentado no caso de pessoas com transtorno de déficit de atenção”, disse a coordenadora do estudo, Silmara Batistela.

Ela alerta que a droga só pode ser comprada com receita, mas, muitas vezes, é adquirida no mercado negro e consumida indiscriminadamente. “Há muitos relatos de pessoas que conseguem fazer a compra dessa medicação até pela internet, em fórum de concurseiros”, destaca.

De acordo com Batistela, as pessoas normalmente usam a droga para passar a noite estudando para uma prova, porque a Ritalina é um estimulante do sistema nervoso central. “A pessoa vai conseguir ficar a noite inteira acordada, mas a atenção dela não estará melhor, e ela não vai lembrar mais do conteúdo no dia seguinte”.

(Agência Brasil)

Joana: “A visão dos negócios é dele”

812 1

Da coluna Vertical S/A, no O POVO deste domingo (23), pelo jornalista Jocélio Leal:

A presidente da Calila Participações, Joana Queiroz Jereissati, garante: a sede da nova empresa a surgir da fusão da Norsa, Renosa e Guararapes, integrantes do Sistema Coca-Cola Brasil, ficará mesmo em Fortaleza. Na manhã em que o contrato foi assinado, ela conversou com Vertical S/A. O faturamento combinado das três companhias é hoje de cerca de R$ 6 bilhões. Sobre o papel do pai, o ex-senador Tasso Jereissati, ela afirmou: “A visão dos negócios é dele”.

Vertical S/A – Quando a ideia da fusão começou a ser formatada?

Joana Jereissati – Demos nosso primeiro passo na direção da consolidação do Nordeste em 1998, portanto quase 15 anos atrás. Desde lá, a Calila vem trabalhando para ser este grande consolidador da região. Neste período, a Refrescos Cearenses que atuava apenas no estado do Ceará se transformou em Norsa, com atuação no Ceará, Rio Grande do Norte, Bahia e Piauí. Com este novo passo, a atuação desta nova empresa abrangerá a operação em todos os estados da região Nordeste do Brasil, assim como Mato Grosso e partes do Tocantins e de Goiás. Serão 15 mil funcionários diretos em 13 fábricas e 23 centros de distribuição

VSA – Existe a possibilidade de a sede sair do Ceará?

Joana – Em virtude da diversidade geográfica da nova empresa, vamos buscar atuar de forma descentralizada, o que resultaria em centros administrativos e operacionais em todas as principais localidades em que operamos. A sede, entretanto, ficará localizada em Fortaleza.

VSA – Qual o peso dos acionistas na nova empresa?

Joana – A nova empresa tem como acionistas controladores Grupo Renosa (família Mello) e Calila Participações (Jereissati). A Coca-Cola permanece como nossa sócia minoritária.

VSA – O nome da nova empresa já está definido?

Joana – Ainda estamos trabalhando no nome.

VSA – Qual será a posição da nova empresa no ranking Coca-Cola?

Joana – Se aprovada – ainda estamos no aguardo do ok final do Cade (o órgão antitruste do Brasil) – essa combinação de territórios criará o segundo maior fabricante de Coca-Cola do Brasil e 10º do mundo em volume.

VSA – Haverá demissões? E mudanças no time?

Joana – A complementaridade da localização geográfica das fábricas, escritórios comerciais e centros de distribuição minimiza o risco de cortes significantes. Nossos esforços estarão concentrados em reter talentos e não em reduzir pessoal. Importante dizer que o grande driver desta nova empresa será o crescimento e não as sinergias.

VSA – Qual o seu papel e o do seu pai (o ex-senador Tasso Jereissati) nas decisões da empresa hoje?

Joana – O senador nos dá sua visão aguçada de futuro nos rumos da Calila. Nosso guia. Além disso, teve participação ativa e decisiva nesta última etapa da negociação para a fusão da Norsa e, hoje, está bastante envolvido na expansão da JCC (Jereissati Centros Comerciais, que controla os shoppings centers do grupo). Meu papel está mais próximo às operações de cada uma das empresas que compõem os investimentos atuais da Calila – JCC, Norsa, Sistema Jangadeiro, NET e IQJ (Instituto Queiroz Jereissati)- atuando junto a suas diretorias através dos Conselhos e Comitês administrativos.

Volta do bom senso

74 7

Da coluna Concidadania, no O POVO deste domingo (23), pelo jornalista Valdemar Menezes:

O país respirou aliviado com a decisão pautada, finalmente, no bom senso, do presidente do STF e relator do mensalão, Joaquim Barbosa, de negar o pedido de prisão imediata para os réus do processo, e que havia sido encaminhado pelo procurador geral Roberto Gurgel. Este aproveitou o recesso do plenário (que seria provavelmente contrário à prisão antes do esgotamento de todos os recursos) para tentar emplacar a manobra.

Se esta tivesse tido êxito, feriria a Constituição e todo o procedimento regimental da corte. E dificilmente deixaria de ser classificado como “conluio” entre procurador e relator, como bem alertou em editorial a Folha de S.Paulo. Com isso, sairia ainda mais prejudicada a imagem do STF, que já vem sendo acusado por certas correntes críticas de realizar um julgamento de “exceção”, por vir desprezando os rituais costumeiros.

Pequenas e médias empresas foram menos afetadas pela crise em 2012

A crise econômica que atingiu a indústria e afetou a arrecadação federal em 2012 não se manifestou nas empresas menores. Segundo levantamento da Receita Federal, as pequenas e médias empresas mantiveram a lucratividade este ano, praticamente sem sentirem o efeito da desaceleração da economia.

Os dados podem ser comprovados pela arrecadação do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), que refletem os rendimentos das empresas. As companhias que declaram com base no lucro real, que representam as maiores empresas, recolheram menos IRPJ e CSLL à Receita. No entanto, as pequenas e médias empresas, que declaram pelo lucro presumido, continuaram a pagar mais ao Fisco.

De acordo com a Receita Federal, a arrecadação de IRPJ e CSLL, com base no lucro presumido, cresceu 12,35% acima da inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de janeiro a novembro de 2012 em relação ao mesmo período do ano passado. Os recolhimentos passaram de R$ 33,5 bilhões para R$ 37,6 bilhões na comparação.

Em contrapartida, o pagamento dos dois tributos pelas empresas que declaram com base nas estimativas mensais de lucro (uma das modalidades de declaração pelo lucro real) teve queda de 8,87% nos 11 primeiros meses do ano, de R$ 75,6 bilhões para R$ 68,9 bilhões. Para as empresas que pagam com base no lucro trimestral (outra modalidade de pagamento pelo lucro real), a queda correspondeu a 3,96%, de R$ 11,1 bilhões para R$ 10,7 bilhões. Nos dois casos, as variações levam em conta a inflação pelo IPCA.

Um dos motivos para que a arrecadação das pequenas e médias empresas não tenha sido prejudicada neste ano está no fato de que a crise atingiu a indústria, mas não teve impacto sobre o comércio. Conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a produção industrial brasileira caiu 2,71% de janeiro a novembro. As vendas de bens e serviços, no entanto, saltaram 8,07% no mesmo período. As indústrias representam boa parte das grandes companhias. Enquanto, entre as pequenas e médias empresas, o comércio predomina.

(Agência Brasil)

Luizianne Lins diz que Cid Gomes trabalhou o Réveillon pelas suas costas

168 23

“Eu tava sendo abordada por pessoas que estavam querendo saber de forma muito ansiosa se eu não ia fazer a festa. Pessoas, produtores que estavam interessadas em fazer a festa, como se já soubessem que ela ia ser feita. Como é que uma pessoa diz que não vai fazer a festa num dia e no outro dia os artistas estão todos contratados? Não existe isso”.

O desabafo é da prefeita Luizianne Lins, em entrevista ao O POVO e ao O POVO Online, neste sábado (22), a menos de 10 dias para deixar a Prefeitura de Fortaleza, após oito anos no poder. Para a prefeita, o governador Cid Gomes, que havia garantido não haver um “plano B” para o Réveillon em Fortaleza, trabalhou para a realização da festa pelas suas costas.

Luizianne acredita que se tivesse ocorrido um aceno do Governo do Estado para a realização da festa, a história poderia ter sido outra. Mesmo assim, a prefeita diz que não haverá desgaste para ela, diante da sua desistência para a realização do evento no Aterro da Praia de Iracema.

“Eu recebi tanto apoio das pessoas pra não fazer. Porque as pessoas sabem que uma marca negativa do Réveillon, caso acontecesse alguma coisa na festa, pode suplantar todas as outras marcas boas que deixei. É um momento delicado, eu tô saindo. As pessoas têm de entender que meu governo acabou”.

Dissimulado e enrustido

Apesar de assegurar que nunca ofendeu Cid Gomes, a prefeita Luizianne Lins diz que a imagem que tem do governador, hoje, é de uma pessoa arrogante, dissimulada e enrustida.

“Acho que ele é dissimulado. Acho que ele é enrustido, no sentido de não falar, mas na hora que ele acha que é conveniente ele vai lá e agride”, comentou a prefeita, ao afirmar que Cid Gomes foi a sua maior decepção, pois sempre confiou em sua pessoa. “Principalmente quando ele não era nada, apenas ex-prefeito de Sobral”, destacou.

Obras em 50 anos

Para Luizianne Lins, Fortaleza nunca teve tantas obras nos últimos 50 anos. Ela acredita que o grande número foi responsável pela não conclusão de “algumas”. “Foram tantas, que uma ou outra (obra) vai ficar por ser concluída. Mas o caminho foi dado e há dinheiro para que se finalize. O que é gestão, se não isso?”

Veja aponta Eunício Oliveira como o parlamentar de destaque em 2012

108 2

O senador Eunício Oliveira (PMDB/CE) foi eleito pela revista Veja como o parlamentar de maior destaque no Congresso Nacional em 2012. A revista circula em todo o país a partir deste sábado (22).

Eunício Oliveira, que é presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), ficou em primeiro lugar no ranking, o único com nota 10 entre os senadores avaliados nos nove eixos de atuação: carga tributária menor e sistema tributário mais simples, infraestrutura, qualidade da gestão pública, combate à corrupção, qualidade da educação, marcos regulatórios estáveis aplicados com transparência, diminuição da burocracia, equilíbrio entre os três poderes, leis trabalhistas justas para empregadores e empregados.

A retrospectiva 2012 da revista Veja considerou também o posicionamento de senadores em discursos, comportamento, atividade parlamentar, ética, combate a corrupção, desempenho como homem público, votações e proposições sobre temas que são prioritários para o Brasil. Para a escolha, a Veja teve apoio da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e do Núcleo de Estudos sobre o Congresso (Necon).

Segundo os critérios da escolha, ganharam pontos os parlamentares cuja atuação favoreceram a aprovação do Novo Código Florestal e ainda os que apoiaram a emenda que determina o voto aberto para perda de mandato de deputados e senadores. A prerrogativa para fazer parte avaliação da revista Veja é ser parlamentar Ficha Limpa.

Atual secretário questiona postura do futuro sucessor

102 7

Da coluna Política, no O POVO deste sábado (22), pelo jornalista Érico Firmo:

Secretário da Educação de Fortaleza e candidato do PT na última eleição, Elmano de Freitas procurou a coluna para questionar a postura anunciada pelo seu sucessor anunciado, Ivo Gomes (PSB). Conforme O POVO mostrou nessa sexta-feira (21), Ivo anunciou que não pretende manter “nenhuma política da atual gestão”.

“Ele vai acabar com a política de creche em tempo integral para 10 mil crianças?”, indagou Elmano. “Ele vai aproveitar o Plano de Cargos e Carreiras dos professores, que implica valorização dos professores?”, complementou o titular da pasta até 31 de dezembro. “Ele vai manter o convênio com o IFCE (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará), onde 40% das vagas são para alunos das escolas municipais, e há um curso que prepara os meninos para a prova do IFCE”? E, por fim, indagou: “Ele vai manter o POP-For, que é o curso que ajuda os meninos na preparação para o vestibular?”

E Elmano acrescentou: “Que ele discorde, que queira aperfeiçoar, tudo bem. Agora, dizer que não vai considerar nada é um absurdo do ponto de vista de quem se diz republicano”. E desabafou: “Não pode o cara chegar e dizer que não existiu nada”.

Presidente da Itália dissolve Parlamento

O presidente da Itália, Giorgio Napolitano, dissolveu neste sábado (22) o Parlamento, abrindo caminho para que uma eleição nacional antecipada possa ser convocada, possivelmente para fevereiro de 2013.  A dissolução foi anunciada um dia após o primeiro-ministro italiano, Mario Monti, ter apresentado ao presidente o seu pedido de renúncia ao cargo.

Há 13 meses no poder, Monti implementou medidas de austeridade (cortes de gastos e aumento de impostos) para tirar a Itália da grave crise econômica que atingiu o país nos últimos anos. Embora tivesse anunciado a intenção de deixar o governo no início do mês, quando o partido Povo da Liberdade, do ex-premiê Silvio Berlusconi, deixou de apoiar o governo, Monti só cumpriu a promessa após o Parlamento aprovar a Lei de Orçamento para 2013.

O presidente Giorgio Napolitano chegou a pedir a Monti que permanecesse no cargo, de forma interina, por mais algum tempo. A expectativa dos italianos e analistas políticos, agora, é saber se Monti se lançará ou não candidato.

(Agência Brasil com BBC Brasil)

Dilma diz que medidas para crescimento do país “vão amadurecer em 2013”

72 3

A presidenta Dilma Rousseff inaugurou nesse sábado (22) em Caxias do Sul (RS) a barragem do Sistema Marrecas, que faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). No evento, Dilma ressaltou que as medidas que o governo tem tomado para desenvolver o país “vão amadurecer em 2013”.

Na lista, estão as ações para a erradicação da pobreza extrema e para redução de juros e impostos. “Este é um país que precisa de todas as coisas que um país de economia avançada precisa simultaneamente desenvolver a competitividade da sua indústria, do seu setor de serviços, da sua agricultura. E isso significa que nós, junto com a redução dos juros, junto com uma taxa de câmbio mais real, junto com a redução dos impostos, que nós iremos continuar a perseguir em 2013, nós começamos a superar alguns gargalos fundamentais para que o Brasil pudesse crescer de forma sustentável”.

A presidenta também falou dos investimentos que vão ser feitos na aviação regional brasileira.Outra preocupação do governo são os investimentos em educação. “Nosso país tem de dobrar a renda per capita num prazo mais curto possível e, para isso, precisa ter educação”, disse.

(Agência Brasil)