Blog do Eliomar

Últimos posts

CPMI do Cachoeira -167 requerimentos pedem informações e quebra de sigilos fiscais e bancários

A CPI Mista do Cachoeira já acumula 167 requerimentos apresentados pelos senadores e deputados integrantes do colegiado. Isso em menos de uma semana depois de ter ido instalada oficialmente. São pedidos de documentos sigilosos, convocações de depoentes e solicitações de quebras de sigilos fiscais e bancários.

Entre os depoimentos, os parlamentares demonstraram que fazem questão de ouvir Carlinhos Cachoeira e o senador Demóstenes Torres (sem partido-GO). Também estão na lista o sócio majoritário da Delta Construções, Fernando Cavendish; o engenheiro Cláudio Abreu, ex-diretor regional da Delta; o contador Geovani Pereira da Silva, apontado como tesoureiro do esquema de Cachoeira; os governadores de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), e do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT); o procurador-geral da República, Roberto Gurgel; e até o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.

São muitos também os pedidos de quebra de sigilos bancário e fiscal. Estão no alvo dos parlamentares, além de nomes indicados pela PF com algum tipo de ligação com Cachoeira, a Delta Construções e a Alberto & Pantoja Construções e Transportes Ltda, considerada empresa de fachada para receber dinheiro “sujo” vindo da Delta.

Entre os senadores, o que apresentou o maior número de requerimentos foi Alvaro Dias (PSDB-PR), com 31. A seguir, vem Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), com quatro, e Fernando Collor (PTB-AL), com três. Todos eles também pedem informações, oitivas de testemunhas e de indiciados ou quebras de sigilos. Por enquanto, a CPI mista aprovou apenas um requerimento, em sua primeira reunião, na terça-feira, com pedido de informações ao Supremo Tribunal Federal (STF), à Procuradoria-Geral da República (PGR) e à Polícia Federal sobre as operações Vegas e Monte Carlo.”

(Com Agências)

Assembleia Legislativa lança Pacto Pelo Pecém

A Assembleia Legislativa vai lançar, na próxima sexta-feira, às 10h30, o documento “Pacto Pelo Pecém – Para Vencer e Enfrentar Desafios – Iniciando o Diálogo”. O ato contará com a presença do governador Cid Gomes (PSB), empresários, autoridades públicas e movimentos da sociedade civil. O documento foi elaborado pelo Conselho de Altos Estudos e Assuntos Estratégicos da Casa.

Segundo a deputada estadual Bethrose, o documento a ser lançado é dividido em três eixos. “Inicialmente o documento Pacto Pelo Pecém – Iniciando o Diálogo traça um diagnóstico geral do que é CIPP. Já no segundo eixo, vamos apresentar os aspectos técnicos, geográficos, econômicos, sociais, ambientais, políticos e de governança e, por último, mostraremos os desafios a ser enfrentados em cada aspecto”.

O Pacto vai identificar os principais gargalos e entraves do Complexo e determinar quais critérios são mais urgentes e relevantes para serem objetos de pactuação.

Eleições 2012 – Lula costura acordos em cinco Capitais

O ex-presidente Lula, de olho nas eleições presidenciais, tem firmado alianças municipais para conseguir apoio para 2014, segundo reportagem do jornal O Globo. O combate ao câncer de laringe não impediu o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de atuar nas articulações políticas para as eleições municipais.

Lula está bastante atento aos cenários políticos do Recife, Belo Horizonte, Cuiabá, Curitiba e São Paulo, capitais onde rachas internos ameaçam formação de alianças.

Uma das principais preocupações foi conseguir o apoio do PSB no pleito deste ano, objetivo já alcançado. A aliança pode garantir um bom ambiente com os socialistas para apoiarem a reeleição de Dilma, em 2014.

(Chage do Clayton)

DETALHE – Alguém se esquece na reportagem de incluir Fortaleza, onde o governador Cid Gomes, presidente estadual do PSB, não conversa com a prefeita Luizianne Lins, presidente estadual do PT, desde meados de 2011.

Dilma manda publicar todos os contratos do governo com a Delta na internet

25 1

O presidente da Câmara dos Deputados, Marcos Maia (PT/SP), disse, neste domingo, que a presidente Dilma Rousseff determinou que todos os contratos do governo federal com a Construtora Delta fossem publicados na internet. A medida teria como objetivo dar transparência às operações da construtora com a União.

De acordo com Marcos Maia, a Dilma tem acompanhado “de longe” os trabalhos da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que analisa a rede de influências de Cachoeira.

Sobre a interferência de Dilma no processo, Maia diz que a postura do Executivo tem sido a de não se meter no processo, pois estaria em situação confortável. “Dilma tem muita gordura para queimar”, diz, referindo-se aos altos níveis de aprovação da presidente.

A Delta foi uma das maiores beneficiadas pelo esquema gerido pelo contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

(Com Agências)

Denunciação caluniosa, vingança que sai caro

Uma acusação falsa causa muita dor de cabeça… Mas enfrentar um processo por causa disso é ainda mais grave e, nesses casos, o denunciante comete o crime conhecido como “denunciação caluniosa”. O delito é tipificado no artigo 339 do Código Penal (CP) e, apesar do impacto negativo contra os indivíduos, é considerado um crime contra a administração pública e a Justiça. Ele pode ocorrer em investigações policiais e administrativas, em processos judiciais, em inquéritos civis e em ações de improbidade administrativa.

O delegado de Polícia Civil e professor de direito penal e processo penal da Fadivale, Jeferson Botelho Pereira, destaca que a jurisprudência do STJ é no sentido de que a caracterização do crime depende de prévio conhecimento da inocência do acusado. Para o professor, o combate a esse delito deve ser severo. “Ninguém pode acionar a máquina judiciária para distribuir injustiças e semear discórdias, levando em conta que o agente passivo da ação penal é inocente”, observou.

A vingança é a motivação primordial para a maioria dos casos de denunciação caluniosa. Um exemplo é o RHC 22.101, da relatoria do ministro Og Fernandes. No caso, dois servidores do Fórum de Conselheiro Pena (MG) induziram duas mulheres semianalfabetas a assinar queixas contra uma juíza e três outros servidores da secretaria judicial da comarca. Uma das mulheres não sabia sequer assinar o próprio nome e usou impressão digital para autenticar a queixa.

(STJ)

“Candidatos de última hora vão perder a eleição”, alerta marqueteiro

12 2

Carlos Manhanelli e Plácido Filho

Com 16 contratos de campanhas políticas já firmados há mais de um ano, o presidente da Associação Brasileira de Consultores Políticos (Abcop), Carlos Manhanelli, assegura que não há mais como viabilizar no Brasil campanhas de última hora. “Candidatos de última hora vão perder a eleição”, ressaltou Manhanelli, que neste fim de semana coordenou em Fortaleza o 10º Congresso Brasileiro de Estratégias Eleitorais & Marketing Político.

Para Manhanelli, outro equívoco de muitos candidatos está relacionado ao uso da internet. De acordo com o marqueteiro, a internet passa por um período de maturação e não representa novidade. “A televisão é quem vende, a internet compra. A internet é uma mão inversa da televisão e não deixou ainda nenhum outro meio de comunicação de lado”, comentou Manhanelli, que se esquivou de avaliar a sucessão municipal em Fortaleza, principalmente sobre o iminente rompimento entre o PT e o PSB.

“Creio apenas que o candidato do PT terá dificuldades em trabalhar essa questão de ‘poste’. Mas isso vai depender também de como os outros candidatos vão trabalhar isso”, limitou-se o presidente da Abcop.

Grandes nomes

O 10º Congresso Brasileiro de Estratégias Eleitorais & Marketing Político trouxe a Fortaleza grandes nomes do marketing político-eleitoral brasileiro, como o publicitário Chico Santa Rita (referendo sobre a proibição da comercialização de armas de fogo e munições, em 2005), o jinglista e empresário Lázaro do Piauí (autor de “Deixa o homem trabalhar”, na campanha à reeleição de Lula, em 2006), o radialista Luiz Henrique Romagnolli (Café com o Presidente) e do advogado com formação em marketing político-eleitoral Paulo Taques.

A plateia também contou com nomes expressivos, como o publicitário Xyco Theóphilo, a deputada Mírian Sobreira (PSB) e o vereador Plácido Filho (PDT), além de assessores parlamentares, jornalistas, publicitários e advogados.

Pré-candidato a prefeito de Caucaia aposta em estratégia de campanha usada por Obama

O empresário Paulo Gurgel, pré-candidato a prefeito de Caucaia pelo PSDB, está procurando inovar na maneira de fazer política. Inspirado no projeto de Obama, ele está aplicando aquilo que os marketeiros chamam de “Grassroot Marketing”. São  ferramentas e instrumentos de marketing em grupos de determinados nichos ou comunidades com o objetivo de transformar  pessoas em evangelizadoras do projeto ou de idéias.

A diferença entre os evangelizadores e simpatizantes (ou eleitores) se dá de forma  intensa, pois enquanto um simpatizante (eleitor) apenas vota o evangelizador divulga o candidato e suas idéias. E aí está a diferença. Na sua última reunião mais de 70 jovens eles decidiram que Paulo eleito deverá criar uma “Coordenação de Juventude”, com  mais de 69.000 jovens (de 16 a 29 anos) de Caucaia.

Paulo Gurgel  aceitou a proposta e inseriu em seu plano de governo. Quem dar suporte de marketing ao Paulo é o marketólogo Augusto Coelho.


Crescimento do lixo eletrônico ameaça a saúde da população e o meio ambiente

O crescimento significativo do lixo eletrônico (e-lixo) no Brasil vem preocupando os técnicos da Secretaria Estadual do Ambiente do Rio de Janeiro (SEA). O resíduo desse tipo de material contém substâncias perigosas, que podem impactar o meio ambiente e ameaçar a saúde da população. A estimativa é que cada brasileiro descarta cerca de meio quilo de resíduos de equipamentos eletroeletrônicos por ano.

O superintendente de Resíduos Sólidos da secretaria, Jorge Pinheiro, disse à Agência Brasil que em razão das substâncias perigosas contidas nesse tipo de aparelhos, é necessário organizar uma logística reversa no estado que acompanhe as discussões dos acordos setoriais, previstos na Lei 12.305/10, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Caberá ao grupo de trabalho técnico, constituído em Brasília, definir o acordo setorial, que dará as diretrizes para implementação da logística reversa dos eletroeletrônicos, disse.

O superintendente observou, por outro lado, que os equipamentos descartados têm valor econômico, pois contém materiais valiosos e raros. O seu descarte correto é importante porque muitos elementos apresentam elevado teor de toxicidade, e também pelo fato de que, de acordo com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), o mundo produz entre 20 a 50 milhões de toneladas métricas de lixo tecnológico todos os anos.

Na fabricação de computadores e celulares, por exemplo, são usados vários metais, entre os quais ouro, prata, gálio, índio, chumbo, cádmio e mercúrio. Alguns, como o cádmio, são agentes cancerígenos. Outros, como o chumbo, prejudicam o cérebro e o sistema nervoso, lembrou Pinheiro.

(Agência Brasil)

Prefeita veta projeto de vereador aliado por temer comprometimento do uso de estádio de futebol

26 2

Adail Júnior, no estádio Antony Costa

A prefeita Luizianne Lins enviou para a Câmara Municipal de Fortaleza um ofício de veto ao projeto do vereador Adail Júnior (PV), que previa a criação de um comitê de gestão do estádio Antony Costa, no bairro Antônio Bezerra. O ofício será apresentado na sessão da próxima quarta-feira (2), a ser presidida pelo próprio vereador, na condição de presidente em exercício da Mesa Diretora.

Segundo a justificativa de veto da prefeita, “o projeto de lei vertente, na formatação ora proposta, poderia comprometer o uso amplo e plural do estádio”.

O estádio é administrado pela Secretaria de Esporte e Lazer (Secel), com o apoio da Secretaria Executiva Regional 3. “Tal administração vem garantindo uma utilização democrática do referido espaço, que é utilizado pelos mais diversos setores da comunidade local”, destacou Luizianne Lins em seu ofício.

Oposição tem projeto aprovado

A prefeita Luizianne Lins aprovou projeto de lei de autoria do líder da oposição na Câmara Municipal, vereador Plácido Filho (PDT), após veto parcial.

Plácido Filho apresentou projeto de lei que determina o uso de pulseiras em menores de 12 anos de idade, com seus dados pessoais, em praças esportivas ou locais de grande concentração. De acordo com o projeto, o principal objetivo é a fácil localização dos responsáveis, em casos de crianças perdidas.  A responsabilidade das pulseiras ficaria a cargo dos promotores dos eventos, desde que ingressos sejam cobrados.

Em sua justificativa de veto parcial, a prefeita alega que o propositor da lei impõe atribuição ao Executivo Municipal, pois o vereador determina que a Semam ficaria com a responsabilidade da fiscalização, além da regulamentação.

Pela nova mensagem do projeto, a Semam ficará com a responsabilidade da fiscalização, além da regulamentação da lei. Não por determinação do Legislativo, mas sim do Executivo.

O escárnio como exemplo

Da coluna Menu Político, no O POVO deste domingo (29), pelo jornalista Luiz Henrique Campos:

A volta de Teodorico Menezes ao Tribunal de Contas do Estado (TCE), por mais legal que possa ser, trata-se de um escárnio. Como aceitar que esse senhor possa sentar naquela corte e passe a julgar as contas do Estado, se ele próprio, de acordo com os indícios surgidos no escândalo dos banheiros, o colocam como um suspeito? O mais grave é que Teodorico volta aparentemente por cima, já que os órgãos responsáveis pelas investigações não avançaram em relação as acusações existentes contra ele.

O retorno de Teodorico, todavia, não descredibiliza apenas o TCE, composto na sua maioria por pessoas de reputação ilibada. Na medida em que o Governo do Estado também mantém um secretário suspeito de tráfico de influência em seus quadros, qualquer instituição vai se achar no direito de adotar o mesmo procedimento. Ganha a impunidade por meio desses dois exemplos que acabam por jogar por terra qualquer tentativa de moralização da coisa pública no Ceará.

Mulheres tiveram ganho real de 13,5% no rendimento de trabalho e homens de 4,1%

Em 2010, o rendimento médio real de todos os trabalhos das pessoas ocupadas com rendimento de trabalho foi de R$ 1.345, contra R$ 1.275 em 2000. Enquanto o rendimento médio real de trabalho dos homens passou de R$ 1.450 para R$ 1.510, 2000 para 2010, o das mulheres foi de R$ 982 para R$ 1.115. Em termos de ganho real, a diferença foi de 5,5% para ambos os sexos, 13,5% para as mulheres e 4,1% para os homens. A mulher passou a ganhar 73,8% do rendimento médio de trabalho do homem; em 2000, esse percentual era 67,7%.

A Região Sul manteve os menores percentuais do rendimento médio de trabalho das mulheres em relação ao dos homens, passando de 63,2% para 69,0%. No outro extremo ficou a Região Norte, onde o rendimento médio de trabalho da mulher passou de 74,6% para 82,3% do recebido pelo homem. Entre os estados, em 2010, o Amapá deteve o maior percentual do rendimento médio de trabalho das mulheres em relação ao dos homens (88,6%) e Santa Catarina ficou com o menor, com as mulheres ganhando 67,4% do rendimento médio de trabalho dos homens.

A parcela sem rendimento ou com rendimento nominal mensal domiciliar per capita até ¼ do salário mínimo abarcava 19,6% dos domicílios particulares permanentes do país em 2010. Destacaram-se o Norte (28,5%) e Nordeste (28,6%), bem distantes das demais regiões, que se situaram de 12,5% a 17,4%. Na faixa de mais de cinco salários mínimos de rendimento mensal domiciliar per capita encontravam-se 6,5% dos domicílios. Este indicador alcançou 8,3% nas Regiões Sudeste e Centro-Oeste e 7,1% na Região Sul, bem acima dos percentuais encontrados para as regiões Norte (3,6%) e Nordeste (3,2%).

Em termos de ganho real no rendimento mensal domiciliar dos domicílios particulares permanentes, de 2000 para 2010, no país, houve elevação de 15,5% (de R$ 2.297 para R$ 2.653), com aumentos registrados em todas as regiões, sendo que o menor foi o da Sudeste (11,0%, de R$ 2.812 para R$ 3.122) e, nas demais, variou de 21,5% a 25,5%. Mesmo mantendo o menor rendimento mensal domiciliar em ambos os anos, o Nordeste teve o maior ganho real (25,5%, de R$ 1.361 para R$ 1.708).

(IBGE)

Brasil participa de pesquisa mundial sobre melhor momento de iniciar tratamento contra o HIV

Sete centros de pesquisa brasileiros vão participar de um dos maiores estudos internacionais para o tratamento contra o vírus HIV. Chamado Start, o projeto tem como principal objetivo descobrir o melhor momento para começar o tratamento com drogas antirretrovirais. No Brasil, a indicação para o início da terapia anti-HIV é feita quando o CD4 (células de defesa no sangue) está abaixo de 350 células por milímetro cúbico. Acima disso, considerada imunidade normal, os médicos não recomendam o início do tratamento, já que os medicamentos podem trazer efeitos colaterais.

“O paciente, quando não está tratando o HIV, convive com um processo de atividade inflamatória. E foi se descobrindo que essa inflamação é deletéria. Conviver com o vírus com atividade inflamatória leva a danos teciduais no pulmão, no cérebro, por exemplo. O que se tem agora em evidência é que viver com o vírus HIV pode estar associado a um envelhecimento precoce”, disse o médico Luiz Carlos Pereira Junior, coordenador da pesquisa no Brasil.

De acordo com Pereira, a pesquisa pretende encontrar o melhor momento para iniciar o tratamento, nem cedo demais, quando o paciente pode sofrer com os efeitos colaterais dos medicamentos, nem tarde demais, quando a atividade inflamatória do vírus pode prejudicar algum órgão. Serão dois grupos de pacientes. Metade fará o tratamento como é executado hoje, com a imunidade baixa. A outra metade tratará o vírus com a imunidade normal.

Os resultados deverão ser apresentados em cinco anos. No total, participam 226 centros de pesquisa de 35 países, sendo sete no Brasil, coordenados pelo Instituo Emílio Ribas, em São Paulo, e pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

No Brasil, a pesquisa deverá ter a participação de cerca de 500 pacientes. Interessados em participar devem ter o diagnóstico do HIV, e imunidade normal.

(Agência Brasil)

Prefeitura retoma retiradas de placas ilegais de propaganda nesta 2ª feira, avisa secretário

34 2

O secretário municipal do Meio Ambiente e Controle Urbano, Adalberto Alencar, avisa: vai continuar, a partir desta segunda-feira, a retirada de placas e outdoors de propaganda ilegais que continuam espalhados por vários pontos de Fortaleza.

Adotará a medida porque liminar que o proibia de agir dessa forma, e que era patrocinada pelas empresas de publicidade do setor, foi derrubada pelo presidente do Tribunal de Justiça, desembargador José Arízio Lopes.

Adalberto Alencar lamenta a “judicialização” que alguns setores querem fazer com relação a esse tipo de medida, que tem respaldo no Código de Posturas do Município.

Nada, portanto, de uma segunda-feira imprensada por causa do feriado do dia do Trabalho, acrescenta o secretário.

Dois presos fogem da cadeia pública de Morada Nova

“Dois presos fugiram da Cadeia Pública de Morada Nova, a 161 quilômetros de Fortaleza, na madrugada deste domingo, 29.

Francisco Wellington Oliveira Pinheiro, conhecido como “Magão”, 23, e José Joaquim Filho, 19, cerraram as grades da cela onde ficavam e fugiram por volta de 2h da madrugada.

Segundo informações da Polícia, os dois homens respondem por tráfico de drogas. As buscas foram iniciadas, mas os fugitivos ainda não foram encontrados.”

(POVO Online)

Segurança nas escolas públicas será discutida em audiência

15 1

A Comissão de Educação e Cultura realizará audiência pública para discutir a segurança nas escolas públicas de educação básica. A data da audiência ainda não foi definida.

O deputado Henrique Afonso (PV-AC), que sugeriu o debate, diz que é preciso propor soluções eficazes para evitar que alunos e profissionais da educação sejam vítimas de violência nas escolas. Segundo o deputado, entre as medidas que serão discutidas está a instalação de detectores de metais nas portas das escolas.

Atualmente, tramita na Câmara o Projeto de Lei 496/11, do deputado Sandro Mabel (PMDB-GO), que obriga as escolas públicas e privadas do País a instalar aparelhos de raio X para controlar a entrada de pessoas e objetos.

Serão convidados para a audiência os representantes do Ministério da Educação, do Conselho Nacional de Educação, do Conselho Nacional de Secretários de Educação, da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Ensino e da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas, além de especialistas na área da segurança.

(Agência Câmara de Notícias)

Cerca de 3,73 milhões de brasileiros ainda não entregaram a declaração do Imposto de Renda

Termina nesta segunda-feira o prazo para envio da declaração de Imposto de Renda Pessoa Física, mas, mesmo assim, 3,73 milhões de contribuintes ainda não acertaram as pendências com o Fisco. Até as 9h de hoje (29), balanço da Receita Federal mostrava a entrega de 21,27 milhões de declarações – aproximadamente 85,08% do total estimado para este ano (25 milhões).

“Faltam muitas declarações até o final do prazo que é amanhã. Quem não enviou é bom se apressar para não enfrentar surpresas de última hora, como a falta de documentos com as informações bancárias, por exemplo ”, alerta o supervisor nacional do Imposto de Renda, Joaquim Adir.

De acordo com Joaquim Adir, nesses casos, os extratos bancários para o preenchimento da declaração que não foram enviados pelos Correios pelas instituições financeiras estão disponibilizados na internet no site do banco. Para acessá-los, informou, basta o contribuinte utilizar a senha e os dados usados para verificar a conta bancária.

(Com Folha.com)

Karlo Kardoso reage a críticas de Sérgio Novais

27 10

O presidente do PSB de Fortaleza, Karlo Kardoso, reagiu a críticas do ex-presidente municipal desse partido, Sérgio Novais. Responde ao ex-dirigente, que ocupou um tópico da Coluna Política assinada pelo jornalista Érico Firmo, no O POVO, e aqui reproduzido. Confira:

Companheiros Érico Firmo e Eliomar de Lima,

Nem sempre responder à infâmia e a vileza de alguns é saudável para o debate político. Porém, para bem da verdade, da justeza dos fatos, e atendendo a reflexão da Executiva Municipal do PSB de Fortaleza, da qual me torno porta-voz, reflito em texto a seguir, sobre o tópico “SÉRGIO NOVAIS E O PAPEL DO PSB NA PREFEITURA” publicado na coluna Política / O Povo de ontem e repercutido no Blog do Eliomar.

Vamos a reflexão:

O ressentimento nunca foi bom parceiro da memória. Ele obscurece a verdade, a análise, a compreensão dos fatos.

Ressentidos costumam projetar sobre a história, visões distorcidas, sombras que surgem dos subterrâneos de seu passado, confundindo personagens, embaralhando fatos, misturando seus próprios atos como se alheios fossem.

Quando isolados, esquecidos no ostracismo, afogados no Lethos ao qual seus caminhos tortuosos o conduziram, tentam desesperadamente ressurgir disseminando mentiras, maquinando ardis que os tragam novamente ao mundo dos vivos.

Falamos isso porque fomos surpreendidos com a análise estapafúrdia, ressentida, cheia de projeções sombrias e ludibriosas, que esconde interesses inconfessáveis de seu autor, sobre as eleições de 2004.

A princípio, não nos interessa estimular embates deste nível, para que os miasmas que acompanham os afogados de Lethos não contaminem o debate que se faz tão necessário no processo sucessório de nossa Cidade. As clarezas dos fatos que se põem à mesa do diálogo precisam da pureza das intenções, livres dos ressentimentos e dos interesses escusos que pairam muitas vezes nessas horas, pois a Cidade clama por dias melhores. Fortaleza já não suporta grupelhos familiares que apenas buscam se locupletar das benesses dos recursos públicos.

Voltemos então ao passado recente onde os fatos citados se deram.

Em 2004, o ressentido autor da missiva vivia seus dias de interventor no diretório socialista aqui do Ceará, em decorrência de nosso apoio majoritário, “firme e coerente” à candidatura de Lula em 2002, confrontando as orientações nacionais pela candidatura de Garotinho a Presidente da República. Fato esse que nos custou a perda de companheiros valorosos. Nessa ocasião, tal missivista, oportunistamente, se fez interventor em nossa sigla partidária no Ceará, sem um voto, sequer.

Ressentido também com a perda de mandato federal, o então interventor se mostrava obsessivo em retornar ao parlamento federal, afirmando peremptoriamente que jamais voltaria a ser candidato a uma “simples cadeira de vereador”, pois se considerava um personagem de repercussão nacional.

Durante esse tempo, por aqui na capital, construíamos, democraticamente, uma chapa de candidatos à vereança, na qual nosso então presidente municipal, único vereador do partido à frente de um mandato exemplar, seria o “puxador de votos”, com grande possibilidade de ampliação da bancada socialista na Câmara Municipal.

Nessa conjuntura, se construía a candidatura da nossa atual prefeita, que, para nós socialistas, se apresentou como proposta trazida pela voz de nossa juventude, fato também distorcido pelo ressentido ex-interventor, que sempre se arvorou de defensor de primeira hora. Mentira deslavada. Foi sim opositor da ideia e só depois de ter seu apoio rejeitado por outras candidaturas progressistas, passou a vislumbrar algum ganho pessoal nessa possibilidade.

Dentro desse processo, nosso vereador levou a discussão sobre o convite que recebera, para figurar como candidato a vice da atual Prefeita, aos dirigentes partidários e à chapa de candidatos proporcionais, que deliberaram pela manutenção de sua candidatura a vereador e pela indicação de outro nome para compor a chapa majoritária, de acordo com a estratégia partidária.

Apesar de declinar do convite de ser vice da nossa vitoriosa coligação acatando deliberação partidária, o nosso vereador manteve apoio integral à candidatura da atual gestora municipal, conforme testemunhos de nossa militância, da nossa Prefeita, enfim, de toda a população de Fortaleza não ressentida.

Já esse ressentido missivista, que presta tal falso testemunho de nossa história recente, no último instante, após a convenção partidária e descumprindo compromisso assumido reiteradas vezes, inclui ardilosamente seu nome na lista de candidatos a vereador e detona um processo de implosão da chapa proporcional, desestimulando os candidatos e cooptando diversos deles para viabilizar a sua candidatura.

Finalizamos essa reflexão sugerindo ao ressentido ex-dirigente que ao invés de disseminar a falácia, busque contribuir com o partido prestando as contas que ainda permanecem abertas na contabilidade partidária, bem como com os esclarecimentos que deve à sociedade que abomina a corrupção e o nepotismo e que anseia pela Política de construção de uma sociedade menos desigual.

* Karlo Kardozo

Presidente Municipal do PSB – Fortaleza.