Blog do Eliomar

Últimos posts

Dilma anunciará três projetos para aquecer o setor industrial

“Dilma Rousseff prepara o lançamento de três projetos retumbantes para agosto. Ao ritmo de um anúncio por semana — no dia 12, o primeiro virá à luz,com as fanfarras de praxe — Dilma pretende dar uma lufada de otimismo no hoje desanimado empresariado.

Um dos pacotes será para a desoneração fiscal das indústrias. O que está em estudo é 30 bilhões de reais de desoneração. Como resume um auxiliar da presidente, será a “reforma tributária da Dilma”, que tem “pensado obsessivamente no custo Brasil”.

Um segundo projeto trata de concessões — de aeroportos a estradas. E, finalmente, o terceiro é o que reduzirá as tarifas de energia elétrica.”

(Coluna Radar  Veja Online)

STF começa julgar Mensalão na 5ª feira

134 5

O Supremo Tribunal Federal dará início ao julgamento do Mensalão na próxima quinta-feira. Na avaliação da Procuradoria-Geral da República, o PT organizou um esquema clandestino de financiamento político para comprar apoio parlamentar no Congresso nos anos de 2003 e 2004.

Os deputados beneficiados afirmam que o dinheiro era para pagar dívidas de campanhas eleitorais, e não um suborno para que votassem a favor do governo. Com essa estratégia, a defesa teantará provar que houve apenas crime eleitoral –o que seria mais cômodo para os réus.

Dos 38 réus do mensalão, 10 são acusados de corrupção ativa, 12 de corrupção passiva. No grupo, está o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu.

(Com Portal Uol)

Fortaleza terá programa-piloto em educação financeira dos consumidores

A partir de agosto, Fortaleza abrigará o programa-piloto da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) na educação financeira dos consumidores. A proposta é orientar consumidores mais vulneráveis (idosos, jovens e emergentes) sobre direitos e informações de custo dos créditos oferecidos por bancos, cartões de crédito e lojas em geral. O programa é uma parceria da Senacon com a Federação de Favelas de Fortaleza, entidade que contempla 112 associações de moradores de favelas.

Segundo a titular da recém-criada Senacon, Juliana Pereira, o governo e as agências reguladoras têm valorizado cada vez o papel do consumidor para questões envolvendo economia e sustentabilidade. Com nove anos de Ministério da Justiça e larga experiência na área de direito do consumidor, a secretária garante que, graças à conscientização cada vez maior dos consumidores sobre seus direitos, bons frutos já têm sido colhidos. Entre eles, a recente punição aplicada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) às empresas de telefonia móvel.

Entre as dificuldades esperadas para a nova secretaria, Juliana Pereira aponta os cartões de crédito oferecidos por lojas. “Por esses cartões não serem de instituições financeiras, acabam não sendo regulamentados pelo Banco Central. Com isso, apresentam muitas assimetrias e causam muitos problemas aos consumidores”, disse a secretária.

Outro problema é o pós-venda, principalmente de produtos eletroeletrônicos e de linha branca (eletrodomésticos). “Há lojas em tudo que é canto vendendo de tudo, mas não há serviços de atendimento ao consumidor. Faltam assistências técnica, serviços de instalação e de pós venda em geral para os casos em que os produtos apresentam problema”, explica.

(Agência Brasil)

Veja as considerações finais de cada candidato

104 1

Elmano diz que debate foi realizado com sete candidatos contra um candidato e reforça gratuidade na passagem de ônibus para desempregados, como ainda que irá dobrar o número de creches. Assegura que autoestima do fortalezense está recuperada.

Roseno assegura que não faltará a nenhum debate. Reclama da poluição sonora e da tentativa de lavagem cerebral do eleitor. Denuncia que há assédio moral do trabalhador por apoio a candidaturas.

Moroni diz que há 12 anos ouve promessas e projetos em debates, mas a cidade piorou. Moroni diz que possui valores acima da política. Moroni diz que não possui padrinhos e que está na hora do poder se diversificar.

Marcos diz que é a verdadeira oposição. Diz que o PSDB não se mistura com o PT. “Eles não fizeram os avanços para uma economia estável”. Reforça promessas na saúde, na educação, no emprego e na qualidade de vida. “Já fizemos no passado, como moradias, saneamento e asfalto”.

Valdeci diz que não tem interesse de prejudicar imagem de ninguém. Diz que é preciso pensar em uma política de sustentabilidade para Fortaleza. Lembra que registrou 28 propostas no TRE.

Heitor diz que terá a mesma garra na Prefeitura como parlamentar. Lembra que acabou com a pensão de governador, com o auxílio-paletó na Câmara Municipal, como ainda com a taxa de lixo. Lembra ainda que não possui amarras ao governador ou à prefeita. Reforça propostas na saúde e moradia.

Inácio diz que terá apoio da presidente Dilma e do governador Cid. “Ele vai apoiar”, garante. “Temos grandes relações”, completa.

Roberto Cláudio lembra que nasceu e que cresceu em Fortaleza. Lamenta problemas graves na cidade, como na saúde e na mobilidade urbana. Diz que quer reconstruir a confiança da população com a Prefeitura. Afirma que apoio do governador é irrestrito e que também terá o apoio da presidente Dilma.

Candidatos voltam a perguntar para candidatos

92 2

Valdeci pergunta sobre planejamento de Roberto Cláudio para o setor de serviços. Roberto diz que criará uma agência para apoio às cooperativas, diante do “fundo semente”. Roberto Cláudio lamenta a não construção de outros Cucas. “Pelo menos dois em cada regional”, idealiza.

Roberto pergunta a Moroni sobre postos de saúde. Moroni diz que a saúde é um “drama de vida ou morte. O médico escolhe quem vai viver, quem vai morrer”. Destaca o vice Lineu Jucá, que cansou das promessas de melhoria na saúde pública. Roberto diz que concorda com a descentralização da saúde, “não é preciso construir um novo hospital, mas reformular os frotinhas e reaparelhar os postos”. Moroni lembra que não há em Fortaleza um centro de fisioterapia. Diz que acredita no Hospital da Mulher, mas que é necessário um centro pediátrico.

Moroni pergunta para Marcos sobre saneamento básico. Afirma que apenas R$ 3 milhões estão destinados para o saneamento, diante de um orçamento de R$ 5 bilhões. Marcos afirma que irá ser rigoroso com a Cagece, “não vou ficar nessa briguinha, não”. Diz que parceria prejudica. “A nossa administração não será uma secretaria estadual”, assegura.

Marcos pergunta a Roseno sobre a queda no emprego de carteira assinada em Fortaleza. Roseno diz que metade da economia na cidade é informal e quer apoio às redes de economia solidária. Roseno critica últimos governos federais, inclusive o do PSDB. Marcos diz que PSDB foi governo há 10 anos e que Roseno apoiou a primeira eleição de Luizianne. Roseno diz que não há como fugir que o PSDB reforçou a macroeconomia e que o governo do PT copiou.

Roseno cobra de Elmano a transparência nos contratos dos terceirizados. Diz que Elmano havia afirmado que seriam 10 mil terceirizados, mas a informação seria número maior. Elmano fala sobre geração de emprego por concurso. Roseno reforça o apelo pela transparência, pois há uma relação promíscua entre as empresas terceirizadas e vereadores. “A população sabe disso”, acusa. Elmano ignora apelo e diz que o PT é o governo dos concursos.

Elmano fala sobre o projeto Vila do Mar e pergunta a Inácio sobre um projeto de moradia. Inácio diz que a promessa era de 40 mil moradias e Fortaleza é criticada até pela Caixa Econômica. Elmano informa que esta semana Fortaleza foi apontada como a capital nordestina com maior entrega de casas no projeto Minha Casa, Minha Vida. Inácio lamenta que obras não foram concluídas em oito anos.

Inácio pergunta a Heitor sobre o estatuto da cidade. Heitor critica a falta de planejamento. Inácio lamenta que o Instituto de Planejamento foi liquidado em 1997.

Heitor pergunta a Valdeci sobre a falta de qualidade no ensino fundamental. Valdeci que questão da educação está ligada à urbanidade. Heitor diz que diretor de escola será escolhido por concurso público.

Candidatos respondem a perguntas de internautas

Inácio responde a pergunta de moradora do Carlito Pamplona sobre combate ao tráfico. Inácio responde com clínicas de acolhimento.

Moroni responde a pergunta de internauta sobre indicação de diretores por parte da administração pública. Moroni critica o modelo, mas reconhece avanços, como a merenda escolar. Lamenta a falta de qualidade no ensino.

Valdeci responde a pergunta de internauta do Dias Macedo sobre esgotos a céu aberto. Valdeci responsabiliza a falta de planejamento, como também ocorre na saúde e na educação.

Elmano responde a pergunta de professor sobre educação. Elmano diz que dirigentes das escolas possuem qualificação e assegura que houve avanços. Afirma que ampliará programa de “um computador para cada aluno e que aumentará salário dos professores”.

Marcos responde a pergunta sobre dependência química. Marcos coloca problema na falta de oportunidades de empregos. Compara índices de Fortaleza e Recife, favoráveis à capital pernambucana.

Roberto Cláudio responde a pergunta de morador do Passaré, em relação à habitação e invasão de terrenos. Roberto fala déficit habitacional em Fortaleza. Diz que foram entregues cinco mil casas populares nos últimos anos, a maioria em parceria do Governo Federal , por meio da Caixa Econômica. Assegura que vai investir em moradias populares, com o apoio do governador Cid Gomes.

Heitor responde a pergunta de internauta sobre a falta de atendimento na saúde e pede soluções para postos de saúde sem filas e hospitais sem macas nos corredores. Heitor diz que IJF opera sequelas, não lesões. Volta a destacar proposta para a construção do IJF 2, que priorizará traumas. Afirma que atendimento à saúde será nos três turnos.

Roseno responde pergunta de professora sobre educação infantil. Roseno lamenta que número de crianças em creches não supera a 10% da necessidade. Diz que próxima gestão terá que ampliar número de creches e profissionalizar atendimento. Lembra que há uma inexplicável terceirização.

Candidatos respondem sobre proposta prioritária para Fortaleza

No primeiro bloco do debate da TV O POVO, os oito candidatos têm que responder sobre um projeto ou uma ação específica para Fortaleza.

Heitor Férrer quer construir um segundo IJF. Moroni quer resgatar a vida de jovens, diante de um plano municipal de segurança. Roberto Cláudio quer construir seis policlínicas e reestruturar os postos de saúde. Valdecir Cunha quer implantar um instituto de planejamento para recuperar a cidade. Roseno quer um pacto pela vida para a infância e para a adolescência. Inácio quer planejar a cidade, principalmente os postos de saúde. Marcos quer acompanhar os serviços da prefeitura, por meio do síndico do bairro. Elmano quer fortalecer o atendimento à saúde, em parceria com o Governo Federal.

No próximo bloco, candidato pergunta para candidato.

Candidatos já se encontram na TV O POVO

66 1

Quatro candidatos à Prefeitura de Fortaleza já se encontram nos estúdios da TV O POVO, onde a partir das 18 horas ocorrerá o primeiro debate entre os oito melhores candidatos avaliados pela pesquisa Datafolha/O POVO.

São eles: Moroni, Renato Roseno, Roberto Cláudio e Heitor Férrer. Roberto Cláudio chegou na companhia dos irmãos Ciro e Ivo Gomes.

Judoca medalha de ouro pretende montar projeto social em Teresina para revelar talentos

A judoca Sarah Menezes ainda não conseguiu dormir depois das vitórias desse sábado (28) em Londres. Aos 22 anos de idade, foi a primeira brasileira a conquistar uma medalha de ouro dessa modalidade em Jogos Olímpicos.

Além disso, quebrou um jejum de 20 anos desde a última vez que o judô nacional subiu ao lugar mais alto do pódio olímpico, o que aconteceu nas Olimpíadas de Barcelona, em 1992, com Rogério Sampaio.

A emoção que impediu o sono da grande campeã olímpica, de 1,54 metro e 48 quilos, nascida em Teresina, tem motivos além da medalha. Ela disse que falou apenas rapidamente com os pais por telefone, depois da última luta, mas prevê que o feito “vai mudar completamente” sua vida e a de sua família.

Sarah Menezes quer incentivar os mais jovens a praticar o esporte na capital piauiense. “Pretendo, depois dessa medalha, montar um projeto social para que apareçam novos talentos. Penso em ajudar as pessoas que estavam ao meu redor, no momento que mais precisei”.

A judoca também fez um agradecimento especial ao seu técnico, Expedito Falcão, um dos principais motivos para não ter deixado o Piauí pra treinar em outro centro. “Quem sempre acreditou em mim foi meu treinador, Expedito. Então, nunca saí de Teresina porque sempre foi ele quem mais acreditou nesse sonho, e eu acabei sonhando com ele”.

Ela também destacou o trabalho psicológico feito desde os Jogos Olímpicos de Pequim, quando foi derrotada na primeira luta, com apenas 17 anos de idade. “O que mais é preciso trabalhar nos atletas é a parte mental mesmo”, disse.

Para os próximos meses, a estudante de Educação Física, que teve que trancar a faculdade por conta dos treinamentos para os jogos, disse que não pensa em treinos e lutas. “Não quero saber de judô agora, não. Quero estudar, voltar pra faculdade e estudar inglês. É muito ruim viajar o mundo e não conseguir conversar”.

(Agência Brasil)

Avaliação anual de saúde poderá ser obrigatória para motoristas

Tramita na Câmara o Projeto que torna obrigatória a avaliação anual de saúde para motoristas de ônibus e de cooperativas de vans e táxis.

Os exames serão os mesmos da avaliação admissional de um novo funcionário, o que inclui entrevista com médico, medição dos batimentos cardíacos e da pressão arterial e ainda a realização de exames complementares de sangue ou do coração, por exemplo.

Conforme o texto, a avaliação será condição para participação das empresas em licitações de novas linhas, concessões ou permissões para prestação de serviços.

“Muitos dos acidentes que ocorrem nas estradas brasileiras têm como causa principal as más condições de saúde dos motoristas. Eles cumprem jornadas longas, em condições de higiene quase sempre precárias, com alimentação inadequada. São mal remunerados e não realizam exames periódicos”, afirma Francisco Floriano (PR-RJ), autor do projeto.

Ele observa que, além disso, o motorista está exposto a ruídos, gases tóxicos e trânsito intenso, que também prejudicam a saúde.

(Agência Câmara de Notícias)