Blog do Eliomar

Últimos posts

Atos lembram um ano do massacre em escola de Realengo, no Rio

Um ano depois de ter ocorrido, o massacre na Escola Municipal Tasso da Silveira está sendo lembrado com uma série de atos, promovida pelos parentes das 12 pessoas que morreram na tragédia, com o apoio de movimentos sociais voltados à defesa dos direitos humanos. Nesse sábado (7), pais, irmãos e outros parentes das crianças e adolescentes mortos pelo atirador Wellington Menezes de Oliveira se reuniram aos pés do Cristo Redentor. Fizeram orações, cantaram hinos e abraçaram o monumento. Ao final da cerimônia, trocaram beijos e jogaram pétalas de rosas do alto do Corcovado.

“Um ano depois, essa dor não passou. Para mim, é como se o massacre tivesse acontecido hoje. A gente não esquece”, disse Sônia Moreira, avó da menina Larissa Atanázio, de 13 anos, que morreu na tragédia. “Sinto muita falta da minha neta, que era como uma filha, dormia comigo na mesma cama”, desabafa.

As atividades em memória do episódio que marcou profundamente a vida do bairro de Realengo, na zona oeste do Rio, e causou comoção em todo o país tiveram início na noite da sexta-feira (6), com uma vigília, seguida de um ato ecumênico, em frente à Escola Tasso da Silveira. Nesse sábado, além do abraço ao Cristo Redentor, foi realizada à tarde a Carreata pela Paz, percorrendo todas as ruas do bairro onde residiam as crianças e adolescentes que morreram no massacre. A programação termina neste domingo (8), com uma missa, às 9h30, na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, também em Realengo.

Entre as crianças sobreviventes da tragédia, o medo ainda predomina. “Quando escutam qualquer barulho pensam que é tiro, ficam assustadas quando ouvem o som de um helicóptero passando”, conta Sônia Moreira.

Na manhã do dia 7 de abril de 2011, Wellington Menezes de Oliveira, de 23 anos, ex-aluno da Escola Tasso da Silveira, invadiu o prédio, armado com dois revólveres, e cometeu o massacre, suicidando-se depois do atentado. Hoje, o colégio está completamente remodelado. As obras feitas pela prefeitura do Rio, inauguradas com a abertura do ano letivo, em fevereiro passado, duraram sete meses e custaram R$ 9 milhões.

(Agência Brasil)

“A história de Cristo é muito fantasiada pela Igreja, seja ela católica ou evangélica”, diz Odair José

Idolatrado na música brega, mas polemizado em suas idéias, Odair José continua arrancando suspiros e grunhidos, 40 anos depois, desde que apareceu como artista. Em entrevista ao Estadão, neste fim de semana, o cantor admitiu que a letra da música “O Filho de José e Maria”, de 1979, trata-se de fato de sua visão sobre a vida de Jesus.

“A história de Cristo é muito fantasiada pela Igreja, seja ela católica ou evangélica. Na verdade, aquilo deve ter sido uma dureza, vivida por ele com vários tipos de emoções terrestres. As pessoas colocam num plano lá em cima, mas eu não vejo dessa forma. O que está ali é uma visão minha das coisas que eu li sobre Jesus Cristo, mas também me colocando dentro da própria história, eu, você, qualquer outro”, comenta o cantor, durante a entrevista.

A interpretação, no entanto, resultou em excomunhão em ato de um bispo de Campo Grande (MS). “Você só pode ser excomungado se tiver sido batizado”, rebateu Odair José, de acordo com seu estilo polêmico.

Apesar da decisão da Igreja, Odair José também possui músicas que agradam a religiosos, como “Cristo, quem é você?” e “Pare de tomar a pílula”, essa última contra métodos anticoncepcionais. Além dos três sucessos, a cantos ainda se consagrou nas músicas “Eu vou tirar você desse lugar”, “As minhas coisas”, “Cadê você”, “A noite mais linda do mundo”, “Eu tenho” e “Deixe essa vergonha de lado”.

Leia entrevista completa em http://www.estadao.com.br/noticias/arteelazer,odair-jose-contesta-as-divisoes-da-musica-popular-brasileira,858130,0.htm

Estado viola direitos de moradores de rua, avalia vice-presidenta da Comissão de Direitos Humanos da Câmara

O Poder Público no Brasil é omisso quanto às condições de vida dos moradores de rua e viola os direitos dessa população. A avaliação é da vice-presidenta da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, deputada Erika Kokay (PT-DF).

“O Estado que não se faz presente pela promoção de direitos, se faz presente diante de uma postura agressora”, disse a parlamentar em entrevista ao programa Revista Brasil, da Rádio Nacional. “Uma postura que, na realidade, revitimiza [os moradores de rua]”, considerou.

A Comissão de Direitos Humanos denunciou agressões e abusos sexuais cometidos por policiais militares contra adolescentes moradores de rua em Brasília. A denúncia foi revelada, em primeira mão, pela Agência Brasil na última segunda-feira (2).

Na opinião da deputada federal, moradores de rua de Brasília são vítimas de violência psicológica, maus-tratos, tortura e estupro; e crianças e adolescentes ficam mais sujeitas a outras violações como trabalho infantil, exploração sexual e envolvimento com tráfico de droga.

(Agência Brasil)

PTN oficializa aliança ao PT nesta 2ª feira

124 4
As executivas municipais do Partido dos Trabalhadores (PT) e do Partido Trabalhista Nacional (PTN) vão anunciar, às 11 horas desta segunda-feira, aliança política com vistas ao pleito deste ano.
Os dirigentes dos dois partidos darão entrevista coletiva na sede da Câmara Municipal, ocasião em que detalharão os compromissos dessa parceria.
O apoio do pTn é ao PT, independente do candidato que a legenda escolher para a disputa, avisam lideranças dessa legenda.
Bom lembrar que o PTN já é companheiro dos petista na administração da prefeita Luizianne Lins.

“Briga de realezas”

80 2

Da coluna Vertical, no O POVO deste sábado (7):

Pré-candidato a prefeito de Fortaleza pelo PSol, o advogado Renato Roseno se diz revoltado com a ladainha, nada santa, em que se transformou o caso da manutenção da aliança do PSB do governador Cid Gomes com o PT da prefeita Luizianne Lins.

Para ele, tudo não passa de uma “briga de realezas”, onde o principal – a discussão dos graves problemas de Fortaleza, passa ao largo. O que se vê, segundo Roseno, é uma disputa de poder, vaidades e interesses que deixam à margem a população.

Ele considera fundamental que os partidos de oposição apresentem nomes para servir de opção. Até maio, a pré-candidatura no PSol estará definida entre Roseno, João Alfredo e Soraya Tupinambá.

Presidente da Câmara Municipal mobiliza Messejana para programa “Câmara nos Bairros”

99 2

Neste domingo, a partir das 9 horas, o presodente da Câmara Municipal, Acrísio Sena (PT), e um grupo de vereadores farão uma visita à tradicional feira da Messejana. O objetivo é convidar moradores para a edição especial do programa “Câmara nos Bairros”.

O programa ocorrerá ali no próximo dia 12 de abril, na Regional VI, a partir das 15 horas, com oferta de serviços para a comunidade e apresentação de shows artísticos. Essa edição integra a festa de mais um aniversário de Fortaleza.

A visita da comitiva de vereadores terá início na pracinha da igreja de Messejana.

Guarany de Sobral vence em Juazeiro e deixa Ferrão no desespero

O Guarany de Sobral venceu o Guarani de Juazeiro, em pleno estádio Romeirão, por 1 a 0, no início da noite deste sábado (7), e deixou o Ferroviário em situação de desespero no Campeonato Cearense de Futebol. O gol do time visitante foi marcado por André Mensalão, aos 14 minutos do segundo tempo.

Com o resultado, o time sobralense respirou na luta contra o rebaixamento, ao chegar aos 21 pontos. O Guarany agora é o oitavo colocado na tabela de classificação, seguido por Icasa (18 pontos), Ferroviário (18), Trairense (16) e Itapipoca (7), esse último já rebaizado para a segunda divisão de 2013. Ao final de mais duas rodadas, mais dois times se juntarão ao Itapipoca no rebaixamento.

Para ainda continuar com chances de permanência na primeira divisão do próximo ano, o Ferrão terá que vencer o Fortaleza, neste domingo (8), no estádio Presidente Vargas, e ainda torcer por um mau resultado do Icasa, diante do Trairense.

Mas, se o time juazeirense vencer e o Ferroviário perder, a equipe coral praticamente estará rebaixada pela primeira vez na história do campeonato estadual.

Ator se enforca interpretando Judas

Continua grave o estado de saúde do ator Thiago Klimeck, que acidentalmente se enforcou durante uma apresentação teatral da Paixão de Cristo, nessa sexta-feira (6), na cidade paulista de Itararé.

Segundo a Polícia, o ator se confundiu com os nós na corda, ao encenar o suicídio de Judas Iscariotes. Ele ficou desacordado por quatro minutos, pois teria que se fingir de morto, conforme o seu papel. Somente depois que os demais atores e o público perceberam que algo estava errado.

(das agências)

Crise econômica é a maior ameaça à saúde no planeta, alerta presidente do Conselho Nacional de Saúde

A crise econômica internacional e a consequente diminuição de gastos públicos na saúde devem ser a principal preocupação da humanidade neste sábado (7), data que marca a passagem do Dia Mundial da Saúde. A avaliação é do presidente do Conselho Nacional de Saúde (CNS), Francisco Batista Júnior, em entrevista ao programa Revista Brasil, da Rádio Nacional.

“A maior ameaça [à saúde no mundo] é o momento político. Em função de uma crise estrutural, a saúde está cada vez mais ameaçada pela possibilidade de ser transformada única e exclusivamente em mercadoria e não tratada como direito do ser humano”, opinou Batista Júnior.

A crise econômica diminui a oferta de emprego em outros países e restringe as fontes de financiamento baseadas em descontos nos salários para custeio de seguridade social. O presidente do CNS diz que se preocupa, especialmente, com a situação dos países europeus que, em função de problemas de orçamento do Estado, estão diminuindo o alcance das políticas de bem-estar social.

Para ele, o funcionamento do Sistema Único de Saúde (SUS), em tempos de crise internacional, é um trunfo brasileiro. “A reforma sanitária que levou ao SUS foi pensada na lógica da saúde sendo um direito universal das pessoas; como direito inalienável e inquestionável e não um bem a ser vendido do mercado”, defendeu.

De acordo com o especialista, o SUS “é o maior responsável pela melhoria da qualidade de vida do Brasil”. Antes do sistema (previsto na Constituição de 1988), o país padecia com “diversas moléstias” e hoje tem uma “situação sanitária de mais qualidade” e “com acesso a tecnologias de última geração”, ressaltou.

O presidente do CNS reconhece, no entanto, que o SUS não foi implementado integralmente. “Está em desacordo com o que diz a legislação e a Constituição Federal”, disse fazendo referência ao “subfinanciamento” e às “lacunas graves na prevenção”.

(Agência Brasil)

Assalto a bancos, atentado à população

77 1

Em artigo no O POVO deste sábado (7), o consultor sênior em segurança privada e vice-presidente da Federação Nacional de Empresas de Vigilância e Transporte de Valores, Ivan Hermano Filho, comenta os assaltos a bancos no Estado. Confira:

O Ceará registrou 15 ataques a bancos somente no mês de março de 2012, sendo seis em Fortaleza. O número é cinco vezes maior que o computado em 2011, quando foram registradas três ocorrências. Existem motivos claros para este aumento. Não somente no Ceará, mas em todo o Brasil.

As agências bancárias têm limites do valor máximo que podem manter em suas tesourarias nos horários em que o banco está fechado. Estes limites são ditados por apólices de seguros.

Permanecem nas agências, fora do expediente bancário, valores em seus cofres e nos caixas eletrônicos. Nestes horários os bancos não dispõem de seguranças armados. A proteção se dá por equipamentos eletrônicos. Quadrilhas então se especializando em estourar as agências em busca destes valores.

Cresce também o número de golpistas que aplicam a “saidinha bancária”, ou seja, a quadrilha mantém nas agências pessoas que se fazem passar por clientes mas na verdade ficam de olho nos correntistas que retiraram dinheiro, e avisam os comparsas, que seguem a vítima e roubam-na com facilidade.

Percebemos que, apesar de ainda haverem quadrilhas que assaltam bancos a mão armada no horário de expediente, elas não são nem de longe a maioria. Hoje, o crime envolvendo agências bancárias mudou para formas mais lucrativas e menos arriscadas.

O que pode ser feito, então? Já existem leis estaduais no Ceará que proíbem o uso de celulares nas agências bancárias e que exigem a instalação de biombos próximos aos caixas para dificultar a visualização das vítimas por seus algozes. Porém, em muitos bancos estas determinações não são cumpridas.

Equipamentos como portas rotatórias com detecção de metais, câmeras e alarmes auxiliam a segurança e devem permanecer. Porém, existem equipamentos mais modernos de segurança eletrônica que deveriam ser utilizados. Há um sistema chamado Smoak Cloak que, ao ser acionado, em instantes enche o ambiente com uma espessa fumaça branca que impede o assaltante de enxergar a mais de dez centímetros de distância. O que não se vê não se rouba. Este equipamento é eficaz para transformar em “fumaça” os planos das quadrilhas que estouram cofres e caixas 24 horas.

Ano após ano, vemos os lucros das instituições bancárias crescerem estratosfericamente. É chegado o momento de a sociedade exigir a contrapartida em segurança deles. Presença dos vigilantes 24 horas nas agências bancárias, instalação de biombos, proibição de celulares, reforço nas portas giratórias, construção de guaritas blindadas para os seguranças nas agências. Este conjunto de ações tornará a ida ao banco algo muito mais seguro, e não na roleta russa em que vivemos hoje em dia.

Governo se prepara para lançar Embrapa Internacional até o fim do mês

53 1

Um ano e meio após a publicação da medida provisória que deu nova redação ao Artigo 1º da lei de criação da Embrapa, para permitir que a estatal exerça suas atividades também fora do Brasil, deve ser lançada no fim do mês a Embrapa Internacional. Segundo o presidente da empresa, Pedro Arraes, a intenção é fazer o lançamento no dia 26, aniversário da Embrapa, com a presença da presidenta Dilma Rousseff.

A medida provisória, do final do governo Lula, foi aprovada pelo Senado no dia 1º de março de 2011 e promulgada no mesmo dia. Enquanto a Lei 5.851, de 1972, que autorizou a criação da Embrapa como empresa pública não permitia sua atuação no exterior, a nova redação autoriza a Embrapa a “exercer qualquer das atividades integrantes de seu objeto social fora do território nacional, em conformidade com o que dispuser seu estatuto social”.

Arraes disse que um dos objetivos é ajudar outros países com a experiência adquirida ao longo dos 39 anos de existência da Embrapa, “mas também é, e talvez esse seja o principal, trazer inovações dessas relações para o nosso país”.

O novo estatuto, que autoriza a atuação internacional da Embrapa, está em fase final de aprovação, precisando passar pelos ministérios da Fazenda, do Planejamento, da Agricultura e pela Casa Civil. “É o calvário final para a gente obter o nosso estatuto”, comentou Arraes, ressaltando que as pastas já têm ciência do conteúdo e já houve acordo para a sua aprovação.

O presidente disse que a Embrapa Internacional terá uma estrutura com capacidade de captar recursos de fontes do exterior, como Banco Mundial (Bird), o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e agências de fomento, como a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e Fundação Bill Gates. “A Fundação Bill Gates fez, recentemente, um aporte de US$ 2,5 bilhões para a Embrapa, e esse recurso, obviamente, não pode entrar na conta da Embrapa aqui no Tesouro, como arrecadação, porque eu vou ter que encaminhar para outros países”, explicou Arraes.

(Agência Brasil)

A cruz de cada pré-candidato à Prefeitura de Fortaleza (Parte IV – final)

83 5

Candidato que poderá fazer o contraponto à gestão Luizianne Lins, em relação à eficiência em obras, o secretário Ferrúccio Feitosa (PSB) possui como ponto fraco a interatividade com o chamado povão. Para tentar estreitar esse caminho do possível candidato do PSB com as classes menos favorecidas, há um estudo em andamento para um vice de grande aceitação nas classes D e E. Como forma de dar força política à chapa, o vice seria do PMDB.

TCM fiscalizará 12 municípios na próxima semana

A Assessoria de Imprensa do Tribunal de Contas dos Municípios divulgou nova lista de municípios que terá a visita de fiscais do órgão e que farão inspeção nas contas de Prefeituras e Câmaras Municipais. Confira a lista>

Acopiara – Secretaria de Educação – Auditoria Operacional

11/04/2012 a 12/04/2012

Capistrano – Secretaria de Educação – Auditoria Operacional

11/04/2012 a 12/04/2012

Icapuí – Secretaria de Educação – Auditoria Operacional

12/04/2012 a 13/04/2012

Independência – Secretaria de Educação – Auditoria Operacional

09/04/2012 a 10/04/2012

Irauçuba – Secretaria de Educação – Auditoria Operacional

10/04/2012 a 10/04/2012

Jaguaribe – Secretaria de Educação – Auditoria Operacional

12/04/2012 a 13/04/2012

Poranga – Prefeitura Municipal/ Câmara Municipal

09/04/2012 a 11/04/2012

Quixeramobim – Prefeitura Municipal/ Câmara Municipal

09/04/2012 a 13/04/2012

São Gonçalo do Amarante – Prefeitura / Câmara Municipal

09/04/2012 a 13/04/2012
Tauá – Secretaria de Educação – Auditoria Operacional

10/04/2012 a 11/04/2012

Tejuçuoca – Prefeitura Municipal/ Câmara Municipal

11/04/2012 a 13/04/2012

Tururu – Secretaria de Educação – Auditoria Operacional

09/04/2012 a 09/04/2012

Ceará e Piauí ainda disputam parte do município de Poranga

Uma área de 2.821 quilômetros quadrados continua a ser disputada entre os estados do Ceará e do Piauí, desde que os dois governos trocaram terras, em 1880. Enquanto o Ceará cedeu parte do litoral ao Piauí, atualmente Parnaíba, os piauienses deram parte da Serra da Ibiapaba, onde atualmente se localiza o município de Crateús.

De lá para cá, o Piauí alega um erro na demarcação e cobra parte de Poranga, onde vivem 29 mil pessoas.  Os próprios moradores não se assumem como cearenses ou piauienses. O Censo 2010 colocou a área como pertencente aos dois estados.

(das agências)

A cruz de cada pré-candidato à Prefeitura de Fortaleza (Parte III)

67 4

Político da extrema confiança do governador Cid Gomes (PSB), o secretário Camilo Santana (PT) é visto pelas alas radicais do partido como o candidato do Governador. Camilo não teve a sorte no momento do lançamento da sua pré-candidatura, ao ser entendida como uma reação do PSB à suposta intromissão do PT no lançamento da pré-candidatura de Eliane Novais (PSB). Sem sucesso, o secretário tenta uma aproximação com Luizianne Lins.

O novo cangaço, violência nas cidades brasileiras

75 2

Em artigo no O POVO deste sábado (7), o sociólogo e professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Antonio Flávio Testa, comenta sobre os ataques de quadrilhas de assaltantes no interior nordestino. Confira:

O crime organizado demonstra cada vez mais audácia em suas ações contra instituições públicas e privadas. Não respeita a vida das pessoas, nem a autoridade do Estado como demonstra o expressivo crescimento de assaltos em cidades do interior do Brasil, sobretudo contra bancos. Na prática, o chamado “novo cangaço” apresenta nível avançado de organização no que se refere ao uso de armamentos pesados, apoio logístico e acesso a informações que permitem aos criminosos planejarem suas ações e agirem com violência, levando o pânico e a insegurança a localidades normalmente pacíficas, mas desguarnecidas, tanto pelo poder público como pela segurança privada.

O Mapa da Violência no Brasil, de 2008, registrou o avanço do crime organizado pelo interior do País. Uma hipótese para justificar essa prática está no impacto causado pela repressão sobre as quadrilhas de assaltantes a bancos nas grandes cidades. Os criminosos começaram a atuar, com muita facilidade, em municípios menos protegidos, mas cujas agências bancárias detinham bom montante de dinheiro em caixa. Localidades que, geralmente, não têm aparato de segurança pública capaz de fazer frente ao terror repentino, mas bem planejado.

Uma prática que se reproduz com constância em várias regiões, revelando a fragilidade da segurança e o avanço da capacidade operacional das quadrilhas. As consequências são muito sérias porque permitem aos criminosos expandirem suas ações para outros setores, além de amplificar a sensação de insegurança da população.

Aumentar o nível de repressão policial produz resultados parciais, porque a ação ocorre depois do evento. É necessário um trabalho articulado entre a prevenção e o mapeamento dos criminosos, com avaliação detalhada da estrutura logística e das vias de acesso e identificação de todas as etapas da cadeia produtiva do crime organizado. Apenas o Estado não tem condições de vencer o crime em todas as suas etapas. Somente a partir de um sistema colaborativo entre os atores interessados é que se pode pensar em coibir essas ações.

O apoio logístico é fundamental. Os cangaceiros tinham nos “coiteiros” o apoio para suprimentos e informações. Da mesma forma, os “novos cangaceiros” dependem de acesso à informação e apoio operacional para serem bem sucedidos.

Cabe ao Estado dotar os municípios de estrutura de pessoas treinadas e com recursos suficientes para enfrentar criminosos. Bancos, empresas e Estado precisam atuar em parceria preventiva de forma a minimizar a prática criminosa. E cabe a sociedade, além de cobrar com veemência dos governantes ações para prover a segurança como direito de todos, atuar preventivamente, colaborando com o poder público. O cidadão precisa ficar mais atento para não se tornar vítima.

Chuva volta a castigar região serrana do Rio e provoca pelo menos cinco mortes

Pouco mais de um ano depois da tragédia que atingiu cidades da região serrana do estado, matando cerca de mil pessoas e deixando centenas de desaparecidos, as chuvas voltam a castigar as cidades de Nova Friburgo e Teresópolis. Neste município, pelo menos cinco pessoas morreram e cerca de mil estão desabrigadas. Elas foram deslocadas para alojamentos disponibilizados pela prefeitura.

O último dos cinco corpos, que estava soterrado, foi resgatado no final da madrugada. A vítima é uma mulher ainda não identificada, moradora do bairro de Santa Cecilia, um dos mais atingidos pelo temporal.

Segundo a Defesa Civil do estado, em pouco mais de quatro horas choveu na região serrana o que se esperava para todo o mês. Em consequência, segundo o Inea, todos os rios da região serrana estão em estágio de atenção.

A chuva só deu uma trégua por volta das 23h dessa sexta-feira (6), mas o dia amanheceu nublado na região, o que levou o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) a divulgar boletim colocando os municípios de Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo em estado de vigilância, assim como Macaé e todas as cidades localizadas no norte e noroeste do estado.

O secretário estadual de Defesa Civil e comandante-geral do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro, coronel Sérgio Simões, esteve na região acompanhando os trabalhos de auxílio às vítimas e de resgate das pessoas ilhadas.

Por medida de segurança, a concessionária que administra a Rio-Teresópolis fechou o trecho da serra, entre o km 89 e o km 104, por volta das 19h dessa sexta-feira, e só o reabriu às 23h30.

Na RJ-142, um deslizamento de terra na estrada que liga os distritos de Mury a Lumiar levou à interdição parcial da rodovia e os motoristas devem dirigir com a atenção redobrada.

(Agência Brasil)

A cruz de cada pré-candidato à Prefeitura de Fortaleza (Parte II)

90 2

Visto pelo eleitorado de Fortaleza como “O Poste”, Elmano de Freitas (PT) terá muitas dificuldades para mostrar que não será um prefeito manipulado pela ex-prefeita Luizianne Lins. Caso seja confirmado como o candidato do partido à sucessão municipal, Elmano de Freitas também terá que reverter índices desfavoráveis a atual gestão, como na Educação, onde ocupa a pasta como titular.

A Semana Santa de antigamente

Em artigo no O POVO deste sábado (7), o médico, antropólogo e professor universitário, Antonio Mourão Cavalcante, comenta sobre a celebração da Semana Santa, décadas atrás. Confira:

Eu venho do outro milênio. Não nasci agora. Então, minha mente anda cheia de memórias. Conheço muito o passado. Nestas horas de recolhimento, Semana Santa, desfilam todas as lembranças do tempo de antigamente, quando tudo parecia completamente diferente do agora.

Na quinta-feira, em todas as paróquias, o lava-pés. Organizava-se um grupo dos mais humildes da cidade e o vigário, abaixado, lavava os pés de todos… Esse gesto, tão profundo de generosidade, era a repetição do mesmo ritual realizado pelo Cristo. A Igreja tinha todas as imagens cobertas de panos roxos. O foco agora era a Cruz. Os outros tinham vestimenta de dor e luto.

Na Sexta-Feira Santa, vivia-se o momento maior. Os bancos eram retirados e a Igreja parecia um grande vão desolado. Pelos corredores da Igreja, a Via Sacra, com todas as estações. Ao redor da igreja, um homem musculoso dobrava a matraca. No fim da tarde, iniciava-se a Procissão do Senhor Morto. Homens e mulheres, contritos, conduziam o esquife do Senhor pelas ruas principais. Havia dor e desespero.

O silêncio tomava a cidade. Nada de festa, barulho. Tudo estava fechado. Mesmo em casa, as pessoas se comunicavam de modo calmo, falando baixo. O rádio transmitia uma espécie de novela “O Mártir do Gólgota” e, nos intervalos, apenas músicas clássicas. Não tinha TV…

Até a alimentação vinha sendo modificada ao longo da Quaresma. Nada de carne. E, o aconselhamento do jejum. Alguns pratos eram degustados apenas nessa ocasião. Mas o movimento da cozinha era silencioso. Nenhum trabalho mais árduo. A cidade parecia deserta.

Éramos depositários de uma forte herança. A Igreja trinitina. Marcada pela dor, pelo sofrimento, pela expiação. Ainda dos tempos coloniais. Então, era a parte dolorosa que se destacava.

Uma nova doutrinação, fruto provável do Concílio Vaticano II, recuperou entre nós a importância do Domingo de Páscoa. O Cristo que venceu a morte. Capaz de nos conduzir à esperança do Eterno…

Não há tristeza nessas lembranças. Nem saudades. Sei que guardo as cores, os sons, as imagens dos tempos que sabíamos cultuar o sagrado.