Blog do Eliomar

Últimos posts

Funcap está sob comando interino

A presidência da Fundação Cearense de Apoio à Pesquisa, Ciência e Tecnologia (Funcap) continua sem titular. Tarcísio Pequeno deveria permanecer, pois houve até aprovação de lei mudando o estatuto do órgão e lhe garantindo recondução.

Não se sabe o porquê, mas Almir Bittencourt, adjunto da Secitece, ocupa a função interinamente.

Lamenta-se tal situação que envolve um órgão dos mais importantes para a educação superior do Estado.

André Figueiredo: PDT deve continuar na base do Governo Dilma, apesar da queda de Lupi

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=tVPxwMZn-jg[/youtube]

O PDT nacional vai se reunir, nesta segunda-feira, ao meio-dia, em Brasília, para avaliar a saída do ministro Carlos Lupi da pasta do Trabalho e Emprego. A informação foi dada nesta madrugada de segunda-feira em Fortalea pelo presidente nacional interino, o deputado federal André Figueiredo.

O dirigente pedetista acrescentou que vai defender a tese de que o PDT não indique ninguém para a vaga, mas continue na base de apoio do Governo Dilma.

PT tentará evitar convocação de Pimentel

78 1

“A base de apoio ao Planalto minimizou a revelação sobre os ganhos de Pimentel. Para o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), as consultorias dizem respeito à vida privada do ministro, pois ele não ocupava cargos públicos à época:

— Ele não era deputado, senador, prefeito, ministro. Não pode trabalhar? É um assunto entre ele e as empresas para as quais prestou serviços.

Vaccarezza adiantou que o governo vai trabalhar para derrubar tentativas de convocar o ministro para se explicar no Congresso. Para ele, a suspeita de tráfico de influência não faz sentido, pois, à época, Dilma não era candidata.

— Não acredito que o PSDB pedirá (a convocação). Tem de haver razoabilidade no debate político — comentou.

Um dos principais aliados do ministro em Minas Gerais, o deputado federal Reginaldo Lopes, presidente do PT-MG, garante que Pimentel vai prestar esclarecimentos nos próximos dias:

— Fernando vai falar sobre isso, é evidente. Mas adianto que quando ele foi chamado para ser ministro, paralisou suas consultorias. Não esperou nenhuma cobrança da sociedade.

Para Lopes, não há conflito de interesses na relação do ministro com construtoras que mantêm contrato com governos.

— Todas as grandes empresa que buscam consultores têm relação com diversos órgãos. Consultorias na qualidade da (mantida pelo) ex-prefeito têm relação com as maiores construtoras do Brasil — diz Reginaldo.

Já o líder da oposição na Assembleia de Minas, o deputado estadual Rogério Correia (PT) informou que as atividades da empresa de Pimentel serão discutidas na reunião da Executiva Estadual do partido, hoje.”

(O Globo)

Cearense é vice da Juventude Socialista Brasileira

O cearense Pedro Henrique da Silva foi eleito vice-presidente da Juventude Socialista Brasileira (JSB), organismo ligado ao Partido Socialista do Brasil. A indicação dele, em chapa única, ocorreu no fim de semana, em Brasília, durante o XII Congresso Nacional do PSB.

O amazonense Sérgio Cardoso é o novo presidente da Juventude Socialista Brasileira, enquanto o baiano Bruno da Mata ficou como secretário nacional do organismo.

Pedro Henrique da Silva contou com o apoio do deputado federal Domingos Neto, que foi cotado para ser secretário nacional.

Anvisa discute maior rigor no controle de produtos derivados do tabaco

“A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) promove hoje (6) duas audiências públicas para discutir a ampliação do rigor no controle de produtos derivados do tabaco.

Entre as propostas está a proibição de aromatizantes na composição de cigarros, que conferem sabor doce, mentolado ou de especiarias. O texto inclui qualquer produto – fumado, inalado ou mascado – que tenha na sua composição folhas de tabaco. Países como os Estados Unidos e o Canadá já proibiram o comércio de cigarros aromatizados.

Outro item em pauta trata da obrigatoriedade da impressão de imagens de advertências sanitárias nas embalagens de derivados do tabaco e da restrição da propaganda desses produtos em pontos de venda.

As duas audiências públicas estavam agendadas para outubro no Rio de Janeiro, mas foram suspensas por decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região em favor da ação judicial movida pelo Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco. A entidade alegou que o local escolhido para o debate era pequeno para comportar os interessados e que a data não foi informada com antecedência.

Os encontros foram remarcados para às 9h e às 15h de amanhã no Ginásio Nilson Nelson, em Brasília, com capacidade para 10 mil pessoas. A exigência judicial era que o local tivesse capacidade mínima de mil pessoas. Os avisos da nova data das audiências foram publicados no último dia 18 no Diário Oficial da União.”

(Agência Brasil)

TCM já está de olho no desmonte de Prefeituras

 

“O Tribunal de Contas dos Municípios encerrará, na próxima sexta-feira, a fiscalização projetada para 2011 cobrindo os 184 municípios. O último bloco de visitas inclui Aracoiaba, Brejo Santo, Ibicuitinga, Independência, Milagres, Penaforte, Solonópole e Tabuleiro do Norte. Durante o ano, as equipes viajaram mais de 86 mil quilômetros no Estado, contabilizando retorno a diferentes localidades.

Agora se amplia outra fase, a de produção dos relatórios, que permitirá visualizar o que foi constatado de bom e de ruim, base para as análises e julgamentos das contas. “Isso permitirá a sociedade conhecer, em todos os detalhes, como os gestores estão se comportando”, diz o presidente do TCM, Manoel Veras, que dá um aviso: 2012 é ano eleitoral e o órgão já se prepara para isso.

Promete formar equipes de ação rápida para monitorar as contas em campo, especialmente dos dirigentes que não poderão disputar reeleição, fato que, tradicionalmente, traz problemas. É a prevenção contra o desmonte.”

(Da Coluna Vertical, do O POVO)

Oposição quer Pimentel explicando sobre possível tráfico de influência

63 1

“Os partidos de oposição querem que o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, explique ao Congresso os contratos de sua empresa, a P-21 Consultorias e Projetos Ltda.

Como revelou O GLOBO ontem, o escritório de Pimentel faturou ao menos R$ 2 milhões em 2009 e 2010, período entre ele deixar a Prefeitura de Belo Horizonte e assumir o ministério, tendo atuado ainda como um dos homens-fortes da campanha da então candidata à Presidência Dilma Rousseff.

Para parlamentares, suas atividades de consultoria têm indícios de tráfico de influência, e Pimentel precisa dissipá-los.

No Palácio do Planalto, a avaliação foi que a atividade de consultor de Pimentel é de amplo conhecimento e foi empreendida quando ele não ocupava cargo público. As cifras também não foram consideradas “tão astronômicas assim”, não havendo razão para suspeitas.

Esta semana, o líder do DEM na Câmara, ACM Neto (BA), vai discutir com os demais líderes oposicionistas a apresentação de um pedido de convocação de Pimentel. O líder do PPS, Rubens Bueno (PR), disse que vai fazer um requerimento de informações ao ministro. Para ele, o caso sugere que a expectativa de nomeação de Pimentel servia como “cartão de visitas para arregimentar clientes”.

— O caso parece ter muita similitude com o do ex-ministro Palocci. Mostra que as pessoas do PT que teriam influência num eventual governo Dilma, enriqueceram e usaram dessa posição para isso — acusou ACM Neto, afastando a hipótese de investigação por improbidade administrativa, a exemplo do que ocorreu com Palocci, porque Pimentel não tinha cargo público à época das consultorias.”

(O Globo)

Acidente na CE-040 mata três jovens

“Três jovens, com idades entre 18 e 22 anos, morreram, ontem, em consequência de um grave acidente ocorrido na rodovia estadual CE-040, no limite entre os Municípios de Fortaleza e Eusébio, na região metropolitana. O veículo em que elas viajavam colidiu com um poste de iluminação pública depois que o guiador perdeu o controle da direção.

Conforme a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), o desastre ocorreu poucos minutos após as 14 horas, na pista no sentido sertão-capital.

De acordo com os policiais militares que foram acionados para atender à ocorrência, provavelmente, o guiador do veículo estivesse bêbado. Ele trafegava em alta velocidade, quando o carro se desgovernou, subiu o canteiro central que divide as duas pistas da rodovia e bateu violentamente contra o poste.

Mortes

O motorista, identificado como José Helder Camelo Nascimento, ficou ferido, assim como a jovem Caroline de Oliveira Lucas Martins, 18, que estava no banco do carona.

As três garotas que morreram viajavam no banco traseiro e teriam ficado presas nas ferragens do veículo, atadas pelo cinto de segurança. Até a noite passada, a PRE tinha identificado as vítimas apenas por Karine (que residia no Conjunto Esperança, nesta Capital), Ana Kelly e Érica. As duas últimas residiam na cidade de Quixadá, no Sertão Central.

O motorista foi levado do local do acidente por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para o Instituto Doutor José Frota (IJF). Já Caroline de Oliveira sofreu apenas ferimentos leves e foi medicada pelos socorristas ainda no local do desastre.

Uma equipe da Perícia Forense esteve no local fazendo levantamentos. O laudo sobre o desastre deve ficar pronto em cerca de duas semanas.”

(Diario do Nordeste)

Após encontro com Dilma, Lupi entrega cargo

67 1

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, se reuniu na tarde deste domingo (4) com a presidente Dilma Rousseff e entregou seu cargo.

A situação do ministro ficou insustentável após a Folha revelar que ele acumulou dois empregos públicos por quase cinco anos antes de entrar para o Executivo federal. Após a revelação, o Palácio do Planalto passou a esperar que o ministro se antecipasse e pedisse demissão. Do contrário, a presidente Dilma Roussef teria de fazê-lo.

Em nota publicada no blog do Ministério do Trabalho, o ex-ministro apontou a “perseguição política e pessoal da mídia” e a “condenação sumária” da Comissão de Ética da Presidência da República como os motivos para pedir demissão.

Lupi também disse que não teve o direito de se defender. Além disso, segundo ele, sua demissão é uma maneira de evitar que “o ódio das forças mais reacionárias e conservadoras deste país contra o trabalhismo não contagie outros setores do governo”.

Novo nome

O secretário-geral do PDT, Manoel Dias, disse que a Executiva do partido se reúne nesta segunda-feira (5) para discutir a substituição do ministro do Trabalho, Carlos Lupi. Com a saída de Lupi, assume o número 2 da pasta, Paulo Roberto Pinto. A reunião já estava prevista para debater a crise do ministro, mas agora o foco será a troca na pasta.

(Folha)

Políticos brasileiros aparecem em lista de 'maiores bobagens'

52 1

Declarações de três políticos brasileiros integram o “livro das maiores bobagens da história” (Book of All-Time Stupidest: Top 10 Lists) feita por dois autores americanos.

Aparecem na coletânea, lançada em outubro, os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) e João Figueiredo (1979-1985) e o ex-deputado João Alves.

As frases estão em grupos diferentes no livro dos irmãos Ross e Kathryn Petras, dividido em listas de “dez mais”.

FHC figura na parte sobre “coisas mais inacreditavelmente ditas por pessoas ricas” com um comentário de agosto de 1998, feito a moradores de uma favela no Rio.

“Não vamos prometer o que não dá para fazer. Não é para transformar todo mundo em rico. Nem sei se vale a pena, porque a vida de rico, em geral, é muito chata”, disse o tucano, em meio à campanha para se reeleger.

Na lista das “mais idiotas repetições ideológicas” está Figueiredo com a frase: “Vou fazer deste país uma democracia, e, se alguém for contra, eu prendo e arrebento”.

Essa declaração, porém, não foi dita pelo último presidente do regime militar (Figueiredo morreu em 1999).

A primeira parte (“vou fazer deste país uma democracia”) data de janeiro de 1979, mas a segunda (“se alguém for contra, eu prendo e arrebento”) é de outubro de 1978, na primeira entrevista após ser declarado presidente e anunciar a abertura política.

Em “a defesa mais espantosamente plausível e horrivelmente razoável”, está o depoimento do então deputado João Alves (1919-2004) à CPI do Orçamento, em 1993.

Questionado sobre o enriquecimento, disse: “Fácil. Ganhei tudo na loteria. Ganhei 125 vezes nos últimos dois anos”. Descobriu-se que ele lavava dinheiro na loteria.

(Folha)

Governo abandona transposição do São Francisco após eleição de Dilma

92 2

Cenário de propaganda eleitoral da presidente Dilma Rousseff e responsável por parte de sua expressiva votação recebida no Nordeste, a transposição do Rio São Francisco foi abandonada por construtoras e o trabalho feito começa a se perder. O Estado percorreu alguns trechos da obra em Pernambuco na semana passada e encontrou estruturas de concreto estouradas e com rachaduras, vergalhões de aço abandonados e diversos trechos em que o concreto fica lado a lado com a terra seca do sertão nordestino.

O Ministério da Integração Nacional afirma que é de responsabilidade das empresas contratadas a conservação do que já foi feito e que caberá a elas refazer o que está se deteriorando. Informa ainda que vai promover novas licitações em 2012 para as chamadas obras complementares, trechos em que a pasta e as empreiteiras não conseguiram chegar a um acordo sobre preço. Segundo o ministério, as obras estão paralisadas em seis dos 14 lotes e em um deles o serviço ainda será licitado.

Marcada por controvérsias, a obra da transposição começou a sair do papel em 2007 e, no ano seguinte, com os canteiros em pleno funcionamento, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua então ministra-chefe da Casa Civil e mãe do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) fizeram uma vistoria pela região para fazer propaganda da ação. Os dividendos eleitorais foram colhidos no ano passado por Dilma. Em Pernambuco, Estado onde começa o desvio das águas, ela obteve mais de 75% dos votos válidos no segundo turno da eleição. Nas cidades visitadas pelo Estado, onde as obras estão agora abandonadas, o desempenho foi ainda melhor. Em Floresta, a presidente obteve 86,3%; em Cabrobó e Custódia, 90,7%; e em Betânia, 95,4%.

Prometida para o final do governo Lula, a obra tem seu prazo de entrega sucessivamente adiado. A nova previsão é concluir os 220 quilômetros do eixo leste, de Floresta a Monteiro (PB), até o fim de 2014 e terminar no ano seguinte os 402 quilômetros do eixo norte, que sai de Cabrobó para levar água ao Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte.

A obra está atualmente orçada em R$ 6,8 bilhões, 36% a mais do que a projeção inicial. Segundo o ministério, foram empenhados R$ 3,8 bilhões para a obra e pagos R$ 2,7 bilhões às construtoras.

Abandono

Durante três dias, a reportagem percorreu cerca de 100 quilômetros da extensão dos canais da obra. O abandono foi a tônica da viagem, com canteiros completamente parados. As únicas exceções foram as partes da transposição sob responsabilidade do Exército.

Em um dos trechos visitados, na divisa das cidades pernambucanas de Betânia e Custódia, cerca de 500 metros de concreto estão totalmente quebrados, com pedaços se soltando do solo. Esse trecho terá de ser refeito para a água do São Francisco passar. O padre Sebastião Gonçalves, da diocese de Floresta, foi quem encontrou o trecho destruído durante vistoria frequente que faz pelas obras. “As empresas abandonaram as obras e já começou a se perder o trabalho feito. É um desperdício inexplicável.”

A parte que aparece com as maiores avarias está no lote 10 da obra, que teve as obras iniciadas pelas construtoras Emsa e Mendes Júnior.

(Estadão)

Ceará perde e é rebaixado para a Série B

178 5

O Ceará sequer cumpriu a sua parte na matemática de resultados da última rodada do Brasileirão e acabou rebaixado para a Série B, no início da noite deste domingo (4), ao ser derrotado pelo Bahia, no estádio de Pituaçu, por 2 a 1.

A surpresa da rodada foi o Cruzeiro, que lutava contra o rebaixamento, junto com o Ceará e com o Atlético Paranaense. O time mineiro goleou o arquirrival Atlético Mineiro, por 6 a 1. O Ceará e o Atlético Paranaense se juntaram ao América/MG e ao Avaí/SC como rebaixados.

O Corinthians garantiu o título do Brasileirão ao empatar sem gols com o Palmeiras, no Pacaembu. O Vasco, que empatou com o Flamengo, em 1 a 1, ficou como vice-campeão.

Aumenta o número de 'coaches' no país

O mercado de “coaching” disparou no país. De 2005 a 2011, o número de profissionais cresceu 207% -passou de 752 para 2.310. O levantamento foi feito pela Folha com as maiores certificadoras do país -Associação Brasileira de Coaching Executivo e Empresarial, Instituto Brasileiro de Coaching, Sociedade Brasileira de Coaching e Sociedade Latino-Americana de Coaching.

Quem custeia o serviço, em geral, é a empresa em que o executivo trabalha. A meta é fazer com que o processo de torná-lo líder seja mais rápido. “Não é mais questão de modismo”, diz o presidente da Sociedade Brasileira de Coaching, Villela da Matta.

Com a oferta, cresce a procura. “O ‘coach’ é necessário quando o profissional precisa desenvolver habilidades [como organização e liderança]”, frisa Luiz Carlos Carvalho, vice-presidente da Gutemberg Consultores.

Ao assumir a diretoria comercial e de marketing da Crivo em 2007, Rodrigo Del Claro, 34, definiu com um “coach” “lacunas que precisavam ser preenchidas” para ascender como gestor.

Em 2009, na profissionalização da empresa, o executivo foi atendido de novo. “Eu precisava ter outro posicionamento.”

O diretor de marketing da NeoGrid, de TI, Ricardo Gonçalves, 32, também teve assistência -há três anos, quando ocupava cargo de gerência: “Aceitei porque percebi a possibilidade de crescer”.

“O cliente avalia o que está fazendo e o que quer [da carreira]”, frisa Roberta Ebina, consultora da Muttare.

Para as empresas, o ganho é em agilidade. “O ‘coach’ tem de promover independência de ação. Quem faz uma vez não precisa fazer de novo.”

Outro lado

“Esse mercado virou uma panaceia. ‘Qualquer problema, procure um coach'”, critica Tania Casado, professora da FIA (Fundação Instituto de Administração).

Na Zaeli, de alimentos, os resultados são questionados. “Sinto que não somos felizes quando deixamos [o processo de ‘coaching’] 100% nas mãos de alguém de fora”, considera o diretor comercial, Paulo Geovanelli, 52.

(Folha)

PT adverte companheiros para não comentarem sobre prisão de Valério

“Um fantasma que lambe as nossas orelhas”. Assim um dirigente nacional do PT definiu o lobista Marcos Valério, considerado o operador do mensalão, preso na última sexta-feira (2), em Belo Horizonte, no mesmo dia e cidade em que o partido realizava seu encontro do Diretório Nacional. Os petistas tentaram se isolar da prisão do lobista, detido por suspeita de fraude e grilagem de terra, mas o assunto foi tema das conversas informais das dezenas de dirigentes reunidos em um hotel da capital mineira.

Antes de deixar o evento, o presidente do PT, Rui Falcão, chegou a dar bronca em dirigentes que comentaram a prisão de Valério com jornalistas. “Não sei se alguém falou sobre isso pelos cantos. No Diretório Nacional, (o caso) não foi sequer mencionado”, despistou Falcão, afirmando que soube da prisão pelos jornais e que se tratava de uma coincidência. Depois da entrevista, o petista retornou à sala de reuniões para advertir os companheiros que falaram sobre o assunto.

Para Falcão, Valério não é assunto do PT porque não é filiado ao partido, e, ao falar do lobista, o partido atrai para si o novo escândalo que envolve seu nome. Apesar da preocupação do presidente do PT, a maioria dos dirigentes seguiu à risca a orientação petista, dizendo aos jornalistas que “não sabia” da prisão ou que Valério não tinha ligação com o PT desde 2005.

Nomes citados no processo do mensalão, como o ex-deputado José Genoino, o deputado cassado José Dirceu e o deputado José Mentor (SP) estavam no encontro de sexta-feira, mas não quiseram comentar a nova prisão de Valério. Conhecido no escândalo do mensalão por causa de um assessor flagrado com dólares na cueca, o vice-líder do governo na Câmara, José Guimarães, irmão de Genoino, também evitou falar sobre o caso.

Já o deputado Virgílio Guimarães (MG), que apresentou Valério ao PT, defendeu o amigo ao dizer que “muita acusação pode ser verdadeira ou não”. E afirmou que os empréstimos nos quais haveria bens forjados não dizem respeito ao partido: “São bens que Valério colocou como garantia depois do afastamento dele do PT. Foi em ações decorrentes daquele momento, mas, quando ele colocou esses pretensos bens em garantia, já não tinha nada a ver com o PT, nem com os que tinham deixado a direção do PT”, disse o deputado, referindo-se a Genoino e ao ex-tesoureiro Delúbio Soares, já de volta ao partido.

Virgílio disse que não se arrepende de ter apresentado o lobista ao PT e negou ter sido criticado pelos companheiros após o mensalão: ”Nunca ouvi isso de ninguém. Apresentei o publicitário que tinha vários contratos com o governo federal e não conhecia ninguém do PT. Se depois alguém fez ou não o Valério de operador, isso não é comigo.”

(O Globo)

Estrangeiro dribla lei para comprar terra no país

Um ano e meio após o governo impor restrições à compra de terras por estrangeiros, investidores internacionais exploram brechas da lei para continuar adquirindo propriedades rurais no país.

Apesar do parecer da AGU (Advocacia-Geral da União), em agosto de 2010, que dificultou a aquisição de grandes extensões de terras por empresas controladas por estrangeiros, a Folha identificou três casos de fundos voltados para investimentos na comercialização de madeira, cujos acionistas são estrangeiros e que estão atuando no país após a adoção das restrições.

Esses grupos tentam contornar a legislação vigente por meio de estruturas nas quais os estrangeiros lideram os investimentos –o que pode lhes conferir peso para encabeçar decisões–, mas os brasileiros aparecem como sócios majoritários

Para especialistas, essas estruturas envolvem riscos porque não basta que os brasileiros tenham o controle no papel. É preciso que mandem, de fato, nos negócios.

(Folha)

Só cinco dos 20 congressistas do Pará apoiam a divisão

Somente cinco dos 20 parlamentares que atualmente representam o Pará no Congresso Nacional defendem abertamente a separação do Estado em três. A Folha ouviu na semana passada os 17 deputados federais e os três senadores paraenses.

No total, nove deles disseram ser contra a criação dos novos Estados, ante cinco que afirmaram ser favoráveis. Outros seis optaram por declarar neutralidade.

Os deputados que defendem a criação de Tapajós e Carajás são: Asdrúbal Bentes (PMDB), Giovanni Queiroz (PDT), Lira Maia (DEM), Wandenkolk Gonçalves (PSDB) e Zequinha Marinho (PSC).

Dos cinco, Maia e Queiroz são coordenadores das frentes pela criação do Tapajós e do Carajás, respectivamente.

(Folha)

Remuneração no Brasil chega a ser 85% maior do que em países ricos

63 3

A força da economia brasileira e a crise que vem abatendo os países ricos estão fazendo acontecer o que há alguns anos era inimaginável no país: os salários de trabalhadores em várias carreiras – de executivos e gerentes a engenheiros, consultores jurídicos e profissionais da tecnologia da informação — estão mais altos do que em nações da Europa e nos Estados Unidos. O rendimento mensal chega a ser 85% maior, mesmo convertendo esses valores para reais, considerando a cotação de euro, dólar e libra esterlina. Um engenheiro elétrico sênior, por exemplo, que ganha no mínimo R$ 14.900 no Brasil em grandes empresas, recebe R$ 8.037 na Espanha, uma diferença de 85,4%, aponta pesquisa feita pela consultoria Michael Page, a pedido de O Globo.

O levantamento — que levou em conta profissionais seniores, grandes empresas e somente o salário fixo, sem bônus ou participação nos resultados — mostrou também que um gerente comercial no Brasil chega a ganhar 79,1% a mais que nos Estados Unidos (R$ 18 mil de salário mínimo no Brasil contra R$ 10.048 nos EUA). Um consultor jurídico no Brasil ganha 24,4% a mais que na Itália (salário máximo de R$ 15 mil no Brasil contra R$ 12.055) e, um diretor comercial no Brasil ganha no mínimo R$ 28.000, 13,4% a mais que o mínimo encontrado no Reino Unido (R$ 24.674). Para Ricardo Guedes, da Michael Page, além de economia brasileira aquecida e desenvolvidos em crise, real forte e mão de obra em falta no Brasil ajudam.

— E esse fenômeno tende a continuar e talvez alcançar cada vez mais profissões. A falta de mão de obra é muito grande e, em diversos casos, é impossível encontrar um estrangeiro para o lugar, não apenas por causa da legislação restritiva do Brasil, mas porque algumas destas profissões exigem um alto domínio do português e da cultura nacional, como diretor comercial e consultor jurídico — afirma. (O Globo)

Vamos nós – Eu prefiro ganhar R$ 8 mil na Espanha ou nos Estados Unidos, que R$ 14 mil no Brasil. O levantamento, por certo, não levou em consideração a alta carga tributária no Brasil, quando o trabalhador devolve em impostos uma boa parte do suado salário. O estudo não deve ter levado em conta, também, o retorno que o cidadão tem com o pagamento de seus impostos no Primeiro Mundo. No Brasil, todo trabalhador sabe o que ocorre com grande parte do seu suado dinheirinho que vai para os cofres públicos.

Brasil vê com cautela cúpula de países latino-americanos e caribenhos

O Brasil não se perfila, no momento, como país líder e dominante da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac). Ao contrário, observa com cautela e à distância a sua formação, dando prioridade à União de Nações Sul-Americanas (Unasul), que reúne seus aliados regionais mais próximos.

Embora a presidente Dilma Rousseff tenha classificado de “muito importante” e “histórico” o lançamento da Celac, deixou Caracas na manhã deste sábado (3), não permanecendo para o segundo dia da reunião de cúpula, em que os estatutos eram aprovados. Na última sexta-feira (2), ela participou da sessão de abertura da Celac, órgão formado por 33 países das Américas, e que exclui Estados Unidos e Canadá.

O Brasil possui a economia mais importante da América Latina, e é um influente ator político da região, principalmente da Unasul, cuja criação ajudou a promover. Formada por 12 países, a Unasul reúne os principais aliados do Brasil na região, e já mostrou resultados satisfatórios na solução de conflitos, como a ruptura temporária das relações diplomáticas entre Colômbia e Venezuela em 2010.

“Temos primeiro que deixar o organismo [Celac] funcionar por algum tempo”, avaliou nesta sexta-feira, em entrevista coletiva, o subsecretário do Brasil para Assuntos da América do Sul e do Caribe, José Antônio Simões.

A Celac é um órgão herdeiro dos fóruns da Reunião de Cúpula da América Latina e do Caribe e do Grupo do Rio, e começou a ser gerada durante uma reunião de cúpula no Brasil, em 2008.

“O Brasil é o maior, mais populoso e mais rico país da América Latina, e, certamente, terá uma participação ativa no novo bloco. Mas ao contrário dos Estados Unidos, não pretende impor sua política regional através do intervencionismo”, estimou Giorgio Romano, professor de Relações Internacionais na Universidade Federal do ABC.

(France Presse)