Blog do Eliomar

Últimos posts

Mais um ministro vira alvo: Fernando Pimentel

68 1

“O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel (PT), faturou pelo menos R$ 2 milhões com sua empresa de consultoria, a P-21 Consultoria e Projetos Ltda., em 2009 e 2010, entre sua saída da Prefeitura de Belo Horizonte e a chegada ao governo Dilma Rousseff.

Os dois principais clientes do então ex-prefeito foram a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) e o grupo da construtora mineira Convap. A federação pagou R$ 1 milhão por nove meses de consultoria de Pimentel, em 2009, e a construtora, outros R$ 514 mil, no ano seguinte.

A consultoria de Pimentel à Fiemg foi contratada quando o presidente da entidade era Robson Andrade, atualmente à frente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), e se resumiu, de acordo com o atual presidente da Fiemg, Olavo Machado, a “consultoria econômica e em sustentabilidade”. No entanto, dirigentes da própria entidade desconhecem qualquer trabalho realizado pelo ministro.

O serviço à Convap durou de fevereiro a agosto de 2010, época em que Pimentel era um dos coordenadores da campanha de Dilma e viajava o Brasil com a candidata. Após a consultoria, a Convap assinou com a prefeitura do aliado de primeira hora de Pimentel, Márcio Lacerda (PSB), dois contratos que somam R$ 95,3 milhões.

Em maio deste ano, ao ser questionado durante viagem a Ipatinga (MG) a respeito das atividades da P-21 Consultoria e Projetos Ltda., já na condição de ministro, o petista não quis dizer quem eram os seus clientes e classificou o rendimento da empresa como “compatível com a atividade dela” e “nada extraordinário”.

A Convap contratou Pimentel por meio de outra empresa do grupo que a controla, a Vitória Engenharia, atual Mineração Vitória Ltda., cujo endereço é o mesmo da construtora, em Vespasiano, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Menos de um ano após pagar a última parcela pela consultoria do petista, a Convap foi escolhida no governo Lacerda para tocar obras viárias de implantação do sistema de BRT (Bus Rapid Transit) na Avenida Cristiano Machado, para a Copa do Mundo de 2014 (R$ 36,3 milhões), e da Via 210, na região Oeste da capital mineira (R$ 59 milhões). As duas obras são em consórcio com a construtora Constran.

Fernando Pimentel deixou a prefeitura há três anos; ainda assim seu grupo permanece no controle da Secretaria municipal de Obras e Infraestrutura no governo Lacerda. A pasta foi responsável pela contratação da Convap e continua nas mãos do engenheiro Murilo Valadares, petista que cuidava da secretaria no governo de Pimentel.

De 2000 a 2008, período em que o atual ministro foi prefeito de Belo Horizonte, não há registro de contrato do município com a Convap.

Perguntado se via conflito de interesses na assinatura de contratos de quase R$ 100 milhões com uma empresa que tinha como consultor um de seus padrinhos políticos, Valadares disse que não. Ele alegou que os contratos foram assinados por meio de licitação e que, nos dois casos, o consórcio apresentou o menor preço.

“O secretário sempre pautou suas ações pela transparência e pela ética. As licitações seguem os parâmetros legais. Diante da suspeita de quaisquer irregularidades, cabe aos órgãos competentes realizarem suas fiscalizações, bem como à imprensa republicana registrar os fatos e evitar suposições”, disse a assessoria de Valadares, por meio de nota oficial.

Procurado por e-mail e pessoalmente para dizer que tipo de consultoria Pimentel prestou à sua empresa por mais de R$ 500 mil, o diretor-presidente da Convap, Flávio de Lima Vieira, não deu entrevista. Pelo telefone, repetiu quatro vezes a frase “nada a declarar” e desligou.

Já o atual presidente da Fiemg, Olavo Machado, disse ter pago por “análise, avaliação e aconselhamento sobre aspectos da economia local e mundial”, “discussões socioeconômicas com base em experiência técnica, universitária e administrativa”, e “dimensionamento de mercados para empresas, aspectos de meio ambiente e sustentabilidade”.

Em 2009, a Fiemg pagou R$ 1 milhão por informações que, em linhas gerais, o ex-prefeito ofereceu de graça pelo menos 13 vezes em palestras para estudantes, políticos e comerciantes locais em viagens por Minas naquele mesmo ano, de acordo com o site “Amigos do Pimentel”.

O tema era “Perspectivas econômicas e sociais de Minas e do Brasil no atual cenário mundial”, e o ex-prefeito viajava para articular sua pré-candidatura ao governo de Minas para o ano seguinte, plano que não se concretizou. No site, há referência a um encontro promovido pela Fiemg, em agosto daquele ano.

Procurado pelo GLOBO para detalhar um pouco mais as atividades da P-21, Machado disse que Pimentel dava “orientação a técnicos e colaboradores para elaboração e desenvolvimento de conteúdos” distribuídos a empresários.

No entanto, o presidente do Conselho de Política Econômica Industrial da Fiemg, Lincoln Gonçalves Fernandes, e o gerente de Economia, Guilherme Leão, responsáveis por esse trabalho na entidade, não se lembram da participação do político.

— Pimentel? O Fernando Pimentel, hoje ministro? Não, eu desconheço. Em 2009 eu estava aqui lidando com isso. Aqui na área econômica não teve participação efetiva dele trabalhando como consultor — disse Leão.

— Nunca participei de qualquer reunião. Estou sabendo dessa consultoria por você — completou Fernandes.

Ainda segundo Olavo Machado, Pimentel também teria participado das discussões embrionárias de sustentabilidade, no contexto do que viria a ser o programa da Fiemg “Minas Sustentável”, de incentivo a práticas empresariais ambientalmente corretas.

— Não, neste programa não (teve participação), deve ter sido em outro. Participei desde a concepção até o desenho final do que ele é hoje — afirmou o coordenador do “Minas Sustentável”, o engenheiro Flávio Mayrink.”

(O Globo)

Guimarães teme que tensão em BH azede de vez relação de PSB e PT em Fortaleza

78 1

Fortaleza, Belo Horizonte e Recife são as três capitais brasileiras onde PT e PSB estão com as relações estremecidas. A situação mais tensa é a da capital mineira, depois que o prefeito Márcio Lacerda (PSB) deu um ultimato até janeiro para que os petistas se decidam sobre a manutenção ou não da aliança. O PT diz não aceitar o PSDB na aliança, enquanto o prefeito anunciou que não abrirá mão dos tucanos e já se prepara para a oposição petista nas urnas, na pessoa do atual vice Roberto Carvalho.

Para o vice-líder do Governo Dilma na Câmara Federal, José Guimarães (PT), o Partido dos Trabalhadores deve ter todo o cuidado para que a tensão em Belo Horizonte não contamine Fortaleza e Recife, capitais com igual tendência para um rompimento. Na capital pernambucana, secretário do PSB já anuncia entregar a pasta ao prefeito João da Costa (PT).

“Em algumas capitais, temos que tratar nacionalmente com o PSB, senão pode interditar alianças locais. Os presidentes do PSB e do PT, Eduardo Campos e Rui Falcão, devem se sentar para discutir. Senão, temo que o processo seja longo demais para evitar eventuais rachaduras”, alertou Guimarães, durante reunião da Executiva Nacional do PT, não descartando a intervenção na capital cearense dos presidentes nacionais dos dois partidos.

Guerra fria

Em Fortaleza, a relação entre os dois partidos é digna de uma trama de “guerra fria”, com direito a acusações de espionagem e com a promessa de um final empolgante. Enquanto integrantes do PSB acusam o PT de minar qualquer pretensão socialista de candidatura própria, diante da prematura pré-candidatura de Eliane Novais (PSB), os petistas apontam o PSB como articuladores da pré-candidatura de Camilo Santana (PT).

Petistas e socialistas também reclamam que militantes têm promovido vaias em eventos um do outro. Nas redes sociais, o primeiro escalão das duas administrações (Cid Gomes e Luizianne Lins) inova cada vez mais os ataques.

Na mídia, o governador usa expressões como “azarão” e “arrogância” para tratar do tema sucessão em Fortaleza. Já a prefeita, como em uma prática de vodu, espeta Ciro Gomes na tentativa de atingir o principal aliado, ao devolver os comentários do governador.

Presidente do STJ é acusado de favorecer cunhada

“Um advogado de Curitiba (PR) apresentou denúncia ao CNJ (Conselho Nacional de Justiça) contra o presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça), Ari Pargendler.

O autor, Arnaldo Oliveira Júnior, encaminhou a representação à corregedora do CNJ, Eliana Calmon, que também é ministra do STJ. Caberá à corregedora decidir se acolhe ou não a denúncia.

Ele pede que Pargendler seja investigado por atuar pela escolha de sua cunhada, a desembargadora Suzana Camargo, do TRF (Tribunal Regional Federal) da 3ª Região, para uma vaga na corte.”

(Folha.com)

Consumidores rejeitam lata de Coca-Cola branca nos EUA

A Coca-Cola desistiu de uma lata branca comemorativa para as festas de fim de ano e vai voltar para sua cor tradicional, vermelha, apenas um mês após o lançamento da edição especial.

Esta foi a primeira vez que a Coca-Cola normal foi vendida em uma lata branca.

Alguns consumidores reclamaram que a embalagem comemorativa era muito parecidas às latas de Diet Coke. Outros acharam que a Coca-Cola tinha gosto diferente nas latas brancas. Houve ainda quem achasse que mexer com a cor vermelha beirava um sacrilégio.

As novas latas temáticas vermelhas vão começar a ser vendidas já na próxima semana.

(Folha)

Facebook vê crescimento rápido e contratará milhares

A rede social Facebook, que está se preparando para lançar ações em bolsa, afirmou que planeja contratar milhares de empregados no próximo ano para acompanhar seu aguardado rápido crescimento.

“Estamos crescendo rapidamente”, afirmou a diretora de operações do Facebook, Sheryl Sandberg, em uma conferência com a imprensa.

O Facebook não divulga seus resultados, mas uma fonte com conhecimento no assunto informou à Reuters em setembro que a companhia apresentou, aproximadamente, um lucro líquido de quase 500 milhões de dólares na primeira metade do ano e as receitas dobraram para 1,6 bilhão de dólares, na comparação com o ano anterior.

Sheryl esteve em Nova York nesta sexta-feira para anunciar que a companhia iria começar a contratar engenheiros na cidade, onde possui um pequeno escritório na Madison Avenue com cerca de cem funcionários.

A grande maioria dos 3.000 trabalhadores está na sede em Palo Alto, Califórnia, e em um campus em Seattle.

Ela não disse quantos engenheiros serão contratados em Nova York nem revelou quantos trabalhadores a companhia irá contratar no próximo ano.

A expectativa é de que a empresa faça seu IPO (sigla em inglês para oferta pública inicial de ações) em 2012.

(Reuters)

Flávio Venturini é atração em Fortaleza

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=IcdmbK0Jpaw[/youtube]

O mineiro Flavio Venturini fará show neste sábado, a partir das 22 horas, no BNB Clube. Com seu vasto repertório de sucessos e canções como: “Noites com Sol”, “Besame”, “Nascente”, “Princesa”, “Espanhola”, “Todo Azul do Mar”, “Clube da Esquina”, “Céu de Santo Amaro”, ele promete uma noite inesquecível.

Flavio Venturini, que passou pelas bandas “O Terço” e “14 Bis”, iniciou na carreira solo com o álbum “Nascente”, publicado em 1981. Ao longo dos anos 80 e 90, se consagra com um dos grandes hitmakers brasileiros em álbuns como “Andarilho de Luz” (1984), “Cidade Veloz” (1990), “Noites com Sol” (1994), “Beija-Flor” (1996) e “Trem Azul” (1998). Recentemente, Venturini lançou o DVD “Não se Apague esta Noite” (2009), gravado ao vivo no Museu das Artes da Pampulha, em Belo Horizonte. Antes o mineiro, quem sobe no palco é a cearense Fabíola Líper.

SERVIÇO

BNB Clube Sede Aldeota – Avenida Santos Dumont, 3646 – Aldeota.

Ingressos: R$ 20,00 (meia) e R$ 40,00 (inteira).

Ceará passa a ter sete representantes no Diretório Nacional do PSB

56 6

Cid vitorioso em encontro nacional do PSB

O Ceará passou a contar com sete representantes no Diretório Nacional do PSB, a partir deste sábado (3), durante a realização do Congresso Nacional do partido, em Brasília. Os representantes são o govenrador Cid Gomes, o ex-ministro Ciro Gomes, o ex-deputado federal Sérgio Novais, o deputado federal Domingos Neto, o presidente da Assembleia Legislativa, Roberto Cláudio, o presidente do Ipem, Rogério Pinheiro, e Karlo Kardozo, este o presidente municipal da legenda no lugar de Novais.

Antes, o Ceará tinha cinco integrantes.

Durante o encontro, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, foi confirmado mais uma vez à frente da presidência nacional do partido, enquanto Ariano Suassuna ficou como presidente de honra.

Cid Gomes conseguiu ainda manter Karlo Kardozo à frente do PSB de Fortaleza, diante da confirmação do afastamento de Sérgio Novais.

Sérgio Novais (3º) entre lideranças do PSB.

Há 60 anos: O professor Hermes Lima contesta falsas acusações russas ao Brasil

“Na reunião do II Comité, da Assembleia das Nações Unidas, o delegado brasileiro, professor Hermes Limas, respondendo ao delegado russo, contestou a afirmação dêste último, segundo a qual a maioria das terças do Brasil estaria em mãos de monopólis estrangeiros” (O POVO, há 60 anos).

Vamos nós – Será que os russos estavam certos, já naquela época?

Procurador orienta índios contra usina de Belo Monte

Numa série de seis vídeos gravados em aldeias da etnia Xikrin, da Terra Indígena Trincheira Bacajá, no Pará, o procurador da República Felício Pontes orienta os índios a exigir mais dinheiro da Norte Energia, empresa responsável pela construção da usina de Belo Monte.

Pontes é o procurador que mais combate o projeto. Ele participa das 13 ações contra Belo Monte que tramitam na Justiça paraense.

O vídeo, captado e produzido pela jornalista Rebecca Sommer, foi gravado entre os dias 13 e 14 de outubro, numa das aldeias da terra indígena Tricheira Bacajá, no Xingu.

O material chegou a ser disponibilizado por quatro dias (de 17 a 21 de novembro) no Youtube. A Folha apurou que o material foi sacado da web, após pedido do Ministério Público Federal do Pará.

O procurador admitiu à reportagem que pediu a retirada dos vídeos e alegou que o fez em razão de a jornalista não ter autorização para divulgação. Mesmo assim, disse que tinha conhecimento da produção do filme. A equipe de filmagem pernoitou na aldeia com o procurador.

Pontes diz em vários trechos da gravação que a Terra Indígena deve “lutar contra a barragem”, mas, caso não seja possível interromper a construção da usina, os indígenas devem se articular e exigir mais dinheiro para compensar impactos ambientais e minimizar os efeitos que o projeto terá sobre o modo de vida da etnia.

(Folha)

Brasil reabre importações de carne bovina paraguaia

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento reabriu nesta sexta-feira (2) a importação de carne bovina maturada e desossada do Paraguai, país onde foi detectado um foco de febre aftosa em setembro.

A entrada da carne paraguaia, entretanto, será permitida apenas através da cidade fronteiriça de Ponta Porã (MS), onde será realizado o processo de fiscalização sanitária, informa a Agência Brasil.

A importação, além disso, só poderá ser realizada por distribuidores registrados no Serviço de Inspeção Federal brasileiro. Do lado paraguaio, somente frigoríficos habilitados poderão vender a carne com o certificado sanitário internacional do produto, que confirme que a carne provém de regiões livres de aftosa nos últimos 60 dias.

A decisão foi tomada depois do relatório apresentado por uma comissão técnica brasileira que visitou nos últimos dias várias fazendas paraguaias e se reuniu com as autoridades do país vizinho.

Em Assunção, especialistas do Centro Pan-americano de Febre Aftosa (Panaftosa) deram início nesta sexta-feira a uma missão técnica no Paraguai para promover mecanismos de erradicação da doença, detectada em setembro passado em uma fazenda do departamento de San Pedro.

A missão é integrada, além disso, por membros do Comitê Veterinário Permanente do Cone Sul (CVP), dependente do Plano de Ação Mercosul Livre de Febre Aftosa, informou o Serviço Nacional de Qualidade e Saúde Animal (Senacsa) do Paraguai.

O governo paraguaio se viu obrigado a suspender em 18 de setembro passado as exportações de carne bovina –segunda principal fonte de renda da economia paraguaia– devido ao surto da doença reportado em setembro.

O Senacsa procedeu nessa ocasião ao sacrifício de 820 cabeças de gado bovino para isolar o foco de febre aftosa detectado na fazenda Santa Helena, 300 quilômetros ao nordeste de Assunção.

Segundo estatísticas da Associação Rural do Paraguai (ARP), a carne bovina paraguaia é destinada a cerca de 64 países e gera, em condições normais, receitas mensais de US$ 75 milhões.

(EFE)

São João do Jaguaribe – Caixa eletrônico do BB é alvo de ataque

“Criminosos entraram na agência Banco do Brasil de São João do Jaguaribe, a 213 quilômetros de Fortaleza, na madrugada deste sábado, 3, e explodiram um dos caixas eletrônicos. “O que foi explodido só tinha folhas de cheque e moeda. Não levaram dinheiro”, afirma o cabo Valdenir de Lima, do destacamento policial do município.

A ocorrência foi por volta das 2 da madrugada. “A gente recebeu uma ligação informando que cerca de seis a oito homens fortemente armados tinham ido até a agência, explodido o caixa e fugido em seguida”, informa o policial. No local, não havia vigia e ninguém foi feito refém.

Segundo a Polícia, testemunhas contaram que o grupo fugiu em dois veículos: um Gol cinza e um outro carro não identificado. A PM suspeita que seja um Siena preto encontrado abandonado horas depois, em uma estrada carroçável que dá acesso ao município de Morada Nova. “Provavelmente, foi a rota de fuga deles”, acrescenta Valdenir. Até o fechamento desta edição, ninguém havia sido preso.

Em São João do Jaguaribe, ficam apenas três policiais por plantão cobrindo toda a cidade, que tem cerca de 7.900 habitantes. Ontem, as diligências contaram com apoio de destacamentos de munícios próximos, como Tabuleiro do Norte e Limoeiro do Norte.

Até o início da tarde de ontem, ainda era aguardada a chegada de servidores Perícia Forense do Ceará (Pefoce). A agência conta com circuito interno de TV. “Vamos entrar em contato com o gerente do banco para saber se realmente foi gravado”, diz o policial.”

(O POVO Online)

Arranjos eleitorais

291 1

Em artigo publicado neste sábado (3), no O POVO, o médico, antropólogo e professor universitário Antonio Mourão Cavalcante critica a forma como partidos políticos costuram suas alianças e fazem a população de marionete. Confira:

São cada vez mais evidentes as manobras de bastidores em relação à sucessão municipal. As molduras estão prontas. Falta só providenciar os retratos.

Fica evidente que, no momento, a maior importância é o nome. Qual é o “cara”. Não se faz referência alguma a programa, a princípios administrativos, as opções e prioridades que se deseja assumir. Importa o nome e a foto. Nem mesmo a sigla partidária tem valor. Vê-se interior a fora, igualmente, uma dança macabra de letras partidárias e alianças espúrias.

Isto é, no Brasil inteiro, estamos querendo construir uma democracia onde o povo funciona apenas como decoração. Somos coadjuvantes. Figurantes de uma novela sem enredo. Não vamos eleger, no sentido mais largo de escolher: estabelecer diferenças, marcar conflito e debate. Vamos simplesmente homologar o que os sábios (ou sabidos?) donos das letrinhas partidárias estão – agora – negociando entre eles.

Depois, na campanha, basta algumas tapinhas nas costas dos mais otários, dinheiro na mão de cabos eleitorais – tão ou mais cretinos quanto os próprios políticos – e pronto!

Esses candidatos de proveta ou aqueles nascidos de barganha leiloeira devem ser rejeitados. Fortaleza não pode aceitar que um grupo de oportunistas faça acordos espúrios, dividam fatias do governo – secretarias e autarquias – como os marginais repartem um assalto. Não. Fortaleza rejeita esse tipo de política. Não bate com sua história heróica e resistente.

Eu acredito exatamente no contrário. Uma campanha deveria começar com a pergunta: o que somos e o que desejamos? Como podemos melhorar a vida nessa cidade? O que nos falta? Como podemos resolver esses problemas mais urgentes?

Daí, progressivamente, nós íamos tirando diretrizes e assumindo compromissos. Dessas linhas nasceria o desejo de construir algo de novo. Uma nova cidade. Então, o candidato surge dessa discussão. Emerge de um processo de formação de liderança e compromisso.

Ninguém precisa de bonecos, postes e palhaços! Fortaleza exige respeito.

Pará perderá matéria-prima com divisão do Estado

O Pará perderá a sua produção mineral e agropecuária para Carajás e Tapajós caso a divisão do Estado seja aprovada no plebiscito a ser realizado no próximo dia 11.

A indústria extrativa mineral, uma das principais atividades econômicas do atual Pará, se concentraria no novo Estado de Carajás, que ficaria com 86% do valor produzido em todo o Pará.

Carajás também ficaria com 65% do rebanho bovino e com a maior concentração de frigoríficos com SIF (Sistema de Inspeção Federal): dez. Na pecuária leiteira, Carajás também domina, com 76% da atual produção paraense. Os dados são do Idesp (Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental).

“O novo Pará seria um Estado menos provido de recursos naturais”, diz Gilberto Rocha, professor da UFPA (Universidade Federal do Pará).

O Pará remanescente também passaria de fornecedor a comprador de energia elétrica, pois a maioria dos novos projetos de usinas hidrelétricas está em Tapajós.

Arrecadação

Com a produção, o novo Pará perderia 95% do que é arrecadado pelos seus municípios com a Cfem (Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais). Mais de 88% dos royalties ficariam com Carajás, onde está a maior mina de ferro do mundo, da Vale.

Mas isso não significa que Carajás nasce um Estado rico. Pelo contrário, ele apresentaria o maior deficit público entre os três, estimado pelo Idesp em R$ 1,9 bilhão.

O consultor do Ibram (Instituto Brasileiro de Mineração) Luciano Borges explica que, na prática, o aumento de ganho para Carajás com os royalties da mineração seria de apenas R$ 74 milhões, considerando os dados de arrecadação deste ano do DNPM (Departamento Nacional de Produção Mineral).

É o equivalente à fatia de 23% dos Estados na arrecadação da Cfem, que, no caso dos municípios pertencentes a Carajás, ficou em R$ 324 milhões até outubro.

“Os royalties não são suficientes para possibilitar que o Estado tenha poder econômico”, afirma Lúcia Andrade, assessora do Idesp.

Segundo Borges, a divisão do Pará não tem impactos sobre as mineradoras no curto prazo, pois o sistema tributário continua igual, mas pode criar problemas no futuro.

“No longo prazo, afeta a capacidade do Estado de oferecer condições adequadas de infraestrutura. Inchar a máquina pública significa que investir vai ficar cada vez mais caro”, diz.

(Folha)

Movimento em aeroportos em dezembro deve crescer 13,6%

Mais de 16 milhões de passageiros deverão circular pelos aeroportos brasileiros em dezembro, número 12% superior à média deste ano e 13,6% maior do que o verificado em dezembro de 2010, estimou nesta sexta-feira (2) a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

No dia em que o ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil, Wagner Bittencourt, anunciou medidas para melhorar o tráfego aéreo no fim do ano, as obras de ampliação do aeroporto de Cumbica, um dos mais movimentados do Brasil, sofreram um revés com a queda de um forro.

Entre as medidas para ajudar a atender a demanda no fim de ano está o início das operações, ainda neste mês, do novo terminal do aeroporto de Guarulhos (SP), que terá acesso independente e capacidade para 5,5 milhões de passageiros por ano.

Na mesma obra, porém, ocorreu o acidente nesta sexta-feira, que deixou dois funcionários feridos.

Segundo a construtora Delta, uma “parte da estrutura auxiliar de sustentação dos dutos de ar-condicionado cedeu na obra do novo terminal de passageiros domésticos”. Dois operários tiveram escoriações leves e foram atendidos no local e já foram liberados.

Segundo a Delta, a situação da obra foi normalizada. De acordo com uma fonte do governo, ainda não se sabe se o cronograma será atrasado.

(Reuters)

Festival Curta Canoa promove oficinas

O Curta Canoa – Festival Latino-Americano de Cinema de Canoa Quebrada está em parceria com a Faculdade Católica do Ceará em uma série de ações que acontecerão nesta edição do festival. Segundo a assessoria de imprensa do evento, essas ações ocorrerá a partir de segunda-feira e se estenderão até o dia 10 próximo em Canoa Quebrada e na sede do município de Aracati (Litoral Leste).
Uma das parcerias está na realização das oficinas de Fotografia, com Chico Gomes, fotógrafo do Núcleo de Prdução Audiovisual da Católica; Pensamento Criativo, com o professor Cláudio Sena; e Câmera, com o professor Fernando Maia. Haverá ainda a oficina de Som de Animação, ministrada por Alexandre Jardim, do Centro Técnico Audiovisual (CTAV) do MinC.

Com foco na defesa ao meio ambiente, as oficinas estão com inscrições abertas até o dia 02 de dezembro. Os interessados devem enviar um email para producao@jalimaproducoes.com.br, com o nome, contato e indicar em qual oficina deseja se inscrever.

FESTIVAL

O Curta Canoa 2011 é uma realização da J.A.Lima Produções, com patrocínio da PETROBRAS e do BNB. Apoio Cultural: COELCE, Centro Técnico Audiovisual (CTAV), Sebrae/CE e Instituto Social de Arte e Cultura do Ceará (ISACC). Tem apoio do Goverdo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria de Cultura (Secult) / Lei Estadual Nº 13.811, e do Governo Federal, via Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet). Parceria: Associação dos Empreendedores de Canoa Quebrada (ASDECQ).

A nova classe média e a pobreza de espírito

O editor adjunto do Núcleo de Conjuntura do O POVO, Luiz Henrique Campos, observa em artigo publicado na edição deste sábado (3), no O POVO, o preconceito contra os que passaram a ter acesso as facilidades do mercado de consumo. Confira:

A situação econômica brasileira fez aumentar o contingente de famílias enquadradas no que se denomina nova classe média. Isso significa algo em torno de 97 milhões de pessoas, representando cerca de 52% da população. Entenda-se como compondo o novo contingente populacional, possuidores de renda familiar variando entre R$1.200 e R$4.000. Com base nesse rendimento, analistas de mercado sugerem que membros desse grupamento são responsáveis por fazer girar no mercado de consumo brasileiro cifras em torno de R$ 1,1 trilhão.

Mesmo diante desse quadro, o Instituto Data Popular realizou pesquisa recente indicando que sete em cada dez empresas que atuam no mercado popular, admitem nutrir preconceito ou resistência interna em suas organizações contra esse consumidor. Além disso, apenas 20% dos profissionais se dizem estar preparados para lidar com o atendimento às pessoas da nova classe média. No levantamento foram ouvidos executivos em cargos de comando, de empresas que já oferecem produtos e serviços, digamos, mais populares. Mas o preconceito em relação ao novo contingente de consumidores que chegou ao mercado não se restringe apenas às empresas.

O preconceito contra os que passaram a ter acesso as facilidades do mercado de consumo é bem mais amplo e internalizado do que se pensa. Não raro vemos pessoas, mesmo em tom de brincadeira, fazendo referência ao momento pelo qual o País está passando, se utilizando de fatos pitorescos para negar a possibilidade dos mais pobres poderem ter acesso aos bens de consumo.

Tem sido assim com as filas em cinemas, viagens aéreas, vias cheias de carro, como se todas as mazelas fossem oriundas dos que agora podem usufruir desses prazeres. Infelizmente, ainda sofremos dos resquícios de uma formação tosca, baseada no estilo casa grande e senzala, como se o conceito de riqueza fosse medido apenas pelo aspecto pecuniário.

Tão ricos, tão pobres de espírito.

Em dez anos, só uma multa é paga por vazamento de óleo

60 2

Nos últimos dez anos, o Ibama recebeu pagamento de apenas uma multa por poluição por petróleo. No total, foram 93 autos de infração lavrados entre 2001 e 2011 para vazamentos de óleo de várias dimensões. O valor total das multas cobradas é de R$ 57,3 milhões. A única multa paga foi de R$ 200 mil.

O levantamento não inclui a autuação de R$ 50 milhões aplicada à Petrobras pelo vazamento na baía da Guanabara, em 1999 –que foi paga–, nem a de R$ 50 milhões aplicada à Chevron pelo vazamento no campo de Frade, da qual a empresa fora apenas notificada até o momento da compilação dos dados.

Mas os dados dão uma indicação da baixa responsabilização do setor de petróleo e gás e da dificuldade do órgão ambiental federal em arrecadar efetivamente o que é cobrado.

Segundo o presidente do Ibama, Curt Trennepohl, isso acontece porque as empresas multadas costumam recorrer judicialmente.

“Em termos legais eu não tenho o que fazer”, afirmou Trennepohl.

Dos autos de infração lavrados e não recolhidos pelo Ibama, 84 (90%) estão em fases diversas de recurso ou no prazo regulamentar; quatro (4,3%) foram depositados em juízo, em ações que ainda correm, e outros quatro estão na Justiça.

(Folha)

Um prêmio com emoções

Freitas Cordeiro é presidente da CDL

O Grupo de Comunicação O POVO promoverá no próximo dia 12, a partir das 20 horas, no Gran Marquise Hotel, a festa de entrega do Prêmio Delmiro Gouveia. Será a 11ª edição da festa.

Além das tradicionais premiações (empresas cearenses nos setores econômico e social e dos contabilistas envolvidos no processo de elaboração das peças contábeis analisadas), o evento homenageará o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza (CDL), Freitas Cordeiro, e seu filho, André Freitas Pimenta (que morreu em julho deste ano).

Freitas receberá das mãos da presidente do grupo, jornalista Luciana Dummar, a comenda “Albanisa Sarasate”, a mais importante honraria do Grupo de Comunicação O POVO. Há anos a comenda não era concedida.

(Vertical / O POVO)