Blog do Eliomar

Últimos posts

Ferrão 4 a 0 – Enfim, o campeão estreou

Após duas derrotas seguidas e ocupar a lanterna do Campeonato Cearense de Futebol, o Ferroviário, campeão brasileiro da Série D, goleou o Guarni de Juazeiro, por 4 a 0, na tarde deste domingo (13), no estádio Romeirão, no Cariri. Edson Cariús, duas vezes, e Enercino, duas vezes, marcaram os gols.

Com o resultado, o Ferrão deixou a lanterna e já ocupa a quarta colocação na tabela de classificação. Os seis primeiros colocados passam para a próxima fase e se juntam a Ceará e Fortaleza.

A primeira fase é liderada pelo Atlético (ex-Uniclinic), com seis pontos, seguido por Guarany de Sobral (5), Barbalha (4), Ferroviário (3), Floresta (3), Horizonte (2), Iguatu (1) e Guaranu de Juazeiro (0).

(Foto: Arquivo)

Deputado cearense participa de curso com “mente pensante” do governo Bolsonaro

O deputado federal Heitor Freire (PSL) participou de um curso, nos Estados Unidos, ministrado pelo professor Olavo de Carvalho, o Olavão, um dos principais representantes do conservadorismo no Brasil e ideólogo do governo Bolsonaro. O curso foi direcionado a parlamentares federais e estaduais do PSL.

Olavo de Carvalho é apontado como descobridor e denunciante do Foro de São Paulo – organização de entidades de esquerda, para a integração latino-americana. O professor também é o indicador dos ministros Ricardo Vélez Rodriguez, da Educação, e Ernesto Araujo, das Relações Exteriores.

(Foto: Divulgação)

STF vai julgar casos polêmicos a partir do próximo mês

O Supremo Tribunal Federal (STF) pretende retomar o julgamento de casos polêmicos em 2019. Foram pautados para as sessões do primeiro semestre os processos que tratam da prisão após o fim dos recursos em segunda instância da Justiça, a criminalização da homofobia e a descriminalização do porte de drogas para uso pessoal.

A decisão de voltar a julgar processos polêmicos foi tomada pelo presidente da Corte, ministro Dias Toffoli, no fim do ano passado, após o período eleitoral. Toffoli tomou posse em setembro de 2018 e sucedeu a ministra Cármen Lúcia, que deixou os assuntos polêmicos fora da pauta.

Os trabalhos na Corte serão retomados no dia 1º de fevereiro, após o período de recesso, com uma sessão solene.

O ano no Judiciário também será marcado pela decisão do presidente Jair Bolsonaro de reconduzir ou não a atual procuradora-geral da República, Raquel Dodge, ao cargo. Em setembro, Dodge terminará o mandato depois de anos no cargo.

Votação secreta

A primeira pauta polêmica que a Corte terá de enfrentar será a decisão definitiva, no dia 7 de fevereiro, sobre o sigilo das votações dos parlamentares na eleição para as mesas diretoras da Câmara dos Deputados e do Senado Federal.

No dia 9 de janeiro, Toffoli derrubou liminar proferida pelo ministro Marco Aurélio Mello. No dia 19 de dezembro, antes do início do recesso, Mello aceitou um mandado de segurança do senador Lasier Martins (PSD-RS) para determinar que a votação fosse feita de forma aberta.

Homofobia

Entre os processos que tiveram julgamento marcado, dessa vez para 13 de fevereiro, está também a ação direta de inconstitucionalidade por omissão (ADO) na qual o PPS pede ao Supremo que declare o Congresso omisso por ainda não ter votado o projeto que criminaliza a homofobia.

Numa outra ação que será analisada em conjunto, um mandado de injunção, a Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transgêneros (ABGLT), busca que o STF reconheça ser um crime específico de homofobia.

Segunda instância

Para 10 de abril, foi marcada a análise das três ações declaratórias de constitucionalidade (ADCs) que tratam do cumprimento imediato de pena após a confirmação de condenação em julgamento pela segunda instância da Justiça. O relator é o ministro Marco Aurélio, que já cobrou diversas vezes o debate em plenário.

O tema pode ter impacto sobre a situação de milhares de presos pelo país, entre eles o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde 7 de abril do ano passado, na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, após ter sua condenação por corrupção e lavagem de dinheiro confirmada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), no caso do tríplex do Guarujá (SP).

O entendimento atual do Supremo permite a prisão após condenação em segunda instância, mesmo que ainda seja possível recorrer a instâncias superiores, mas essa compreensão foi estabelecida em 2016 de modo liminar (provisório), com apertado placar de 6 a 5. Na ocasião, foi modificada jurisprudência em contrário que vinha desde 2009.

É possível que o quadro mude, uma vez que houve a substituição de um integrante do STF – Alexandre de Moraes entrou no lugar de Teori Zavascki (morto em 2017) – e porque alguns ministros já declararam ter mudado de posição, como Gilmar Mendes.

O plenário do STF não chegou a decidir em definitivo, numa ação de controle constitucional, sobre o mérito da questão. O assunto é polêmico no meio jurídico, sendo alvo de questionamento, por exemplo, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Porte de drogas

No dia 5 de junho está marcado o julgamento da descriminalização de usuário de drogas. O processo, um recurso especial com repercussão geral para todos os casos correlatos em tramitação na Justiça, coloca em discussão a constitucionalidade do Artigo 28 da Lei das Drogas (11.343/2006), que prevê penas para quem “adquirir, guardar, tiver em depósito, transportar ou trouxer consigo” drogas ilegais para consumo pessoal.

O assunto chegou a ser discutido em plenário, mas o julgamento encontra-se interrompido há mais de dois anos devido a um pedido de vista de Zavascki, antecessor de Alexandre de Moraes, que acabou herdando o processo.

O placar atual é 3 votos a 0 a favor da descriminalização do porte de drogas para consumo pessoal. Votaram até agora pela descriminalização o relator, Gilmar Mendes, e os ministros Edson Fachin e Luís Roberto Barroso, único a propor uma quantidade máxima de 25 gramas para o porte de maconha, especificamente.

(Agência Brasil)

Roberto Cláudio faz balanço das ações da Prefeitura

159 1

O prefeito Roberto Cláudio realizou neste fim de semana um estudo e um balanço sobre as ações da Prefeitura de Fortaleza para garantir o cumprimento dos serviços públicos, como a coleta de lixo, o funcionamento do transporte público, iluminação pública e atendimento nos postos de saúde.

Com relação à coleta de lixo, o prefeito acredita que a situação estará normalizada no decorrer da semana, diante da rota normal, além de mais um trajeto diário.

Roberto Cláudio agradeceu a presença de policiais militares e de guardas municipais para a garantia dos serviços públicos.

Por que a inflação percebida no nosso bolso foi bem diferente dos 3,75% indicados pelo IBGE, como fechamento de 2018?

209 1

Em artigo sobre economia, o consultor financeiro Fabiano Mapurunga, Mestre em Administração com ênfase em Finanças e MBA em Gestão de Negócios, explica a disparidade no índice da inflação oficial e a inflação sentida no bolso do consumidor. Confira:

Nesta última semana, tivemos a informação dada pelo IBGE, que a inflação de 2018 ficou em 3,75%, ou seja, abaixo da meta estipulada pelo governo, que era de 4,5%. Bem, temos então um informação bastante positiva, do ponto de vista de análises econômicas e financeiras, mas a sensação real no bolso do brasileiro não dá motivos para tanta comemoração assim. Fui questionado por muito conhecidos, como isso pode ser verdade, se tivemos verdadeiros “tiros de canhão” no preço dos alimentos, na gasolina, na energia elétrica. Houve uma considerável perda da capacidade de compra da nossa moeda. As famílias cada vez mais perceberam seus salários, podendo comprar menos itens a cada mês que passou.

Não parece ser bom de ouvir, mas o que tenho a dizer sobre isso, é que é normal. A inflação indicada dificilmente será igual a percebida na realidade, pelas famílias. Quero aqui demonstrar que, isso não aponta nenhum erro metodológico no cálculo inflacionário, nem tão pouco, nenhuma conduta indevida dos órgãos que auditam e expõem os números.

Vamos para o entendimento do cálculo feito pelo IBGE sobre o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que é o índice que demonstra a inflação em nosso país:

A conta não se baseia em uma média aritmética simples, feita pela soma dos valores de todos os itens sendo esta, dividida pela quantidade destes mesmos itens. Na verdade se trata de uma média ponderada, a qual leva em conta não só as variações dos preços dos produtos, mas também a sua margem e contribuição no orçamento geral das famílias brasileiras. Ou seja, a cada item é atribuído um peso diferente, logo os comportamentos de suas variações de preços terão impactos diferentes sobre o índice de inflação.

Vamos exemplificar agora:

Tomando como base as variações de preços do tomate e dos planos de saúde, conseguimos perceber que o tomate apresentou uma alta em 2018 de 71,16%, porém tal produto tem um peso reduzido para a visão das famílias pois, em média, estas utilizam 0,18% de seu orçamento para consumir o mesmo.

Contudo, os planos de saúde tiveram uma elevação de 11,17%, por tanto, em termos relativos, bem menor do que a do tomate, porém os planos possuem um peso bem maior no índice inflacionário, pois tomam 3,9% do orçamento médio das famílias.

Agora vamos montar a ponderação para concluirmos nossa ilustração:

– O impacto da variação dos preços do tomate no IPCA foi de 0,13 ponto percentual em 2018. (71,76 x 0,18 = 0,13).

– O impacto da variação de preços dos planos de saúde foi de 0,44 ponto percentual. (11,17 x 3,9 = 0,44).

Podemos notar que durante o transcurso do ano de 2018 muitos produtos tiveram altas de preços, mas também alguns outros tiveram reduções. A exemplo dos cálculos que fizemos acima, o IBGE usa todas essas variações de preços dos produtos, com seus respectivos pesos e daí ele chegou ao valor de 3,75% anunciado como fechamento de 2018.

Importante verificar que grupos de produtos podem ter suas inflações diferenciadas e assim percebidas de forma desigual com o todo. Por exemplo, verificamos que o tomate (+71,76%), a cebola (+36,71% e a batata (+23,76), puxaram a alta do grupo alimentos, tendo um índice total de (+4,04%).

Alguns outros índices, além do IPCA (Índice padrão para determinar nossa inflação), são utilizados, como o INPC e o IGP-M. Para o cálculo do IPCA são utilizados mais de 400 itens.

Interessante observar que os produtos e seus pesos também sofrem alterações conforme a faixa de renda da população. Isso explica a existência de diferentes índices de inflação. Cada item possui uma metodologia específica e são calculados por diferentes órgão especializados como:

– IPCA – Índice de Preços ao Consumidos Amplo – calculado e divulgado pelo IBGE;

– IGP-M – Índice Geral de Preços do Mercado – calculado e divulgado pela FGV.

OBSERVAÇÃO: As diferenças básicas entre estes índices, se concentram nos dias em que são apurados, nos produtos que os compõem, bem como o peso deles na ponderação geral, assim como a faixa da população estudada.

Espero que estas explicações tenham lhes permitido compreender mais a disparidade existente entre o valor percebido (real) da inflação, e o valor calculado.

Fabiano Mapurunga

Consultor em Finanças e Negócios. Mestre em Administração com ênfase em Finanças. MBA em Gestão de Negócios. MBA em Gestão Financeira e Controladoria. Professor Universitário

Delegada tipifica como terrorismo suspeito detido com lista de possíveis locais para ataques; SSPDS rebate autuação

367 4

Homem foi detido na manhã deste domingo, 13, portando extensa lista com locais que possivelmente seriam novos alvos para ataques. A delegada que recebeu o caso pretende enquadrá-lo por crime de terrorismo. O suspeito foi pego em flagrante por equipe da Força Nacional na área do 7º Distrito Policial (DP), localizado no Pirambu.

O indivíduo foi levado ao 11º DP e encaminhado posteriormente à Delegacia de Combate às Ações Criminosas Organizadas (Draco). Para não atrapalhar as investigações, não são divulgados quantos e quais locais estavam na lista. A relação inclui locais que já foram alvos nesta onda de atentados. A identidade do homem detido também não foi informada.

A Força Nacional chegou ao suspeito por meio de denúncia anônima. Ele estava fotografando a garagem de uma empresa de ônibus. O homem portava mochila e estava com objetos por baixo da blusa. Ao perceber a chegada dos agentes de segurança, ele tentou fugir e descartou parte de seus pertences. A Polícia suspeita que, entre os objetos descartados, estivessem explosivos.

Foram apreendidos com ele R$ 1 mil em um envelope lacrado, duas máquinas digitais, um carregador e um cabo de dados. A delegada do 11º DP, Ana Cristina Lima e Silva, não revelou o conteúdo das fotos, mas descreveu o teor das imagens como “preocupante”.

“Eu, como autoridade policial, a princípio, o enquadraria na Lei de Segurança Nacional”, afirma a delegada. Em sua visão, o indivíduo estava nos atos preparatórios para cometer terrorismo. “A lei do terrorismo é muito recente e não tem aplicação, mas eu, diante do que eu vi aqui eu colocaria na lei nº 13.260 nos atos atentatórios ao terrorismo”, opina.

O homem ainda portava duas carteiras profissionais com profissões ainda não regulamentadas. Ponto que chamou a atenção da delegada foi o fato de ele ter 34 passagens pela Polícia como vítima. Mais informações devem ser divulgadas apenas com o andamento das investigações. “Isso é só a ponta do iceberg”, acredita Ana Cristina.

ATUALIZAÇÃO – A assessoria de imprensa da SSPDS informou que o suspeito não pode ser enquadrado no crime de terrorismo, porque não existe tipificação específica para o caso do homem preso. A SSPDS também ressaltou que as ocorrências relativas à onda de ataques das facções estão centralizadas na Delegacia de Combate às Ações Criminosas Organizadas (Draco).

(O POVO Online / Repórter Heloísa Vasconcelos)

Quase 350 pessoas foram presas ou apreendidas por série de ataques no Ceará

178 1

O Governo do Estado atualizou neste domingo (13) o número de presos pelos ataques. Confira a nota:

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informa que 347 suspeitos já foram presos ou apreendidos por participação nos atos criminosos registrados nos últimos dias no Estado.

Das 17 horas de ontem (12) até a manhã deste domingo (13) foram 11 pessoas capturadas.

As prisões e apreensões registradas na Capital, Região Metropolitana e Interior são oriundas de ações das forças de segurança cearenses, e entidades parceiras, que atuam incessantemente para garantir tranquilidade a todos os cidadãos cearenses e a normalidade no funcionamento dos serviços públicos.

(O POVO Online)

Avião do governo italiano vai para Bolívia buscar Battisti

O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, informou hoje (13) que um avião do governo italiano está a caminho da Bolívia para buscar Cesare Battisti. Segundo o premiê, o avião pousará nesta tarde.

“Um de nossos aviões está viajando para a Bolívia, onde pousará por volta das 17 horas (horário da Itália), com o objetivo de tomar Battisti e trazê-lo de volta para a Itália. Esperando por ele aqui teremos nossas cadeias para expiar as sentenças de prisão perpétua que os tribunais italianos infligiram na época com sentenças proferidas em julgamento, certamente não por causa de suas ideias políticas, mas pelos quatro crimes cometidos e pelos vários crimes relacionados à luta armada e ao terrorismo”, disse no Facebook.

O primeiro-ministro elogiou o esforço dos serviços de inteligência e as forças policiais italianas e a colaboração das autoridades brasileiras e bolivianas.

Nota

Em nota conjunta, o Ministério da Justiça e Segurança Pública e o Ministério das Relações Exteriores disseram que estão tomando todas as providências necessárias, em cooperação com o Governo da Bolívia e com o Governo da Itália, para cumprir a extradição de Battisti e entregá-lo às autoridades italianas.

Foragido

Foragido desde dezembro, Battisti foi capturado em Santa Cruz de La Sierra por volta das 17h de ontem (12). Segundo relatos, ele não tentou escapar. Questionado pelos policiais, respondeu em português. O italiano usava calça azul e camiseta, óculos escuros e barba falsa.

A extradição do italiano foi determinada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), em 13 de dezembro do ano passado.

As autoridades avaliam se a extradição para a Itália será feita diretamente da Bolívia ou se Battisti será enviado para o Brasil e, assim ser encaminhado para a Europa.

Condenação

Condenado à prisão perpétua na Itália, Battisti foi sentenciado pelo assassinato de quatro pessoas, na década de 1970, quando integrava o grupo Proletários Armados pelo Comunismo, um braço das Brigadas Vermelhas. Ele se diz inocente. Para as autoridades brasileiras, ele é considerado terrorista.

No Brasil desde 2004, o italiano foi preso três anos depois. O governo da Itália pediu sua extradição, aceita pelo STF. Contudo, no último dia de seu mandato, em dezembro de 2010, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu que Battisti deveria ficar no Brasil, e o ato foi confirmado pela Suprema Corte.

Nos últimos dias do governo Michel Temer, no entanto, o STF decidiu pela extradição. A medida já era defendida, ainda em campanha pelo atual presidente Jair Bolsonaro.

(Agência Brasil)

Camilo sanciona leis e Diário Oficial tem edição extra neste domingo

O governador Camilo Santana divulgou neste domingo (13), por meio do Facebook, que sancionou as leis aprovadas nesse sábado (12),na Assembleia Legislativa do Ceará, em sessão extraordinária. Confira:

Sancionei, neste domingo, as novas leis de enfrentamento à violência e ao crime organizado, aprovadas ontem na Assembleia Legislativa, em sessão extraordinária. A publicação acaba de ser feita no Diário Oficial do Estado, em edição extra. As leis que passam a valer de imediato no Ceará são:

.Convocação de policiais militares e bombeiros militares que estão na reserva para que ajudem a reforçar a nossa tropa que está em operação;

.Aumento da quantidade de horas extras (de 48h para 84h mensais) que podem ser pagas a todos os policiais, civis e militares, além dos bombeiros e agentes penitenciários, de forma com que haja aumento da força de trabalho;

.Criação da Lei da Recompensa, que prevê o pagamento em dinheiro, pelo Estado, para informações que sejam prestadas pela população à Polícia e que resultem na prevenção de atos criminosos e prisão de bandidos envolvidos nas ações;

.Criação do Fundo de Segurança Pública e Defesa Social, para estruturar melhor a SSPDS;

.Criação do Banco de informações sobre veículos desmontados;

.Regras de Restrição ao uso do entorno dos presídios do Estado para prevenir fugas e garantir mais segurança;

.Autorização de Convênios e Parceria com outros Entes (União e Estados) na cessão de policiais ao Estado do Ceará.

Todos unidos por um Ceará cada vez mais seguro. A luta contra a violência é de todos nós!

(Foto: Facebook)

O zé povinho e a dança das armas

482 4

Em artigo sobre os ataques de criminosos no Ceará, o jornalista Haroldo Barbosa aponta que a população mais desassistida é a que mais sofre. Confira:

Na gíria do crime, as pessoas comuns, que não são do meio e nem ligadas ao aparelho repressivo do Estado, são conhecidas como “zé povinho”. E somos nós, os“zé povinho”, os que mais têm sofrido com o inferno dos ataques criminosos no Ceará.

As facções foram chamadas para o enfrentamento aberto através das declarações e ações do secretário de Administração Penitenciária do Estado (SAP), Luís Mauro Albuquerque, no dia 2 de janeiro. Desde então a rotina tem sido alterada por fogo, bombas e medo.

Os criminosos, que iniciaram seus ataques contra alvos tradicionais como ônibus, bancos e delegacias, passaram ao longo destes dez dias de inferno a fazer ataques indiscriminados e que não repercutem junto ao Estado e nem ao status quo, que são em boa parte responsáveis pela situação caótica em que estamos.

Queimaram o ‘Carro dos Churros”, no bairro Granja Lisboa, no Grande Bom Jardim.

Atearam fogo em um carro de uma auto escola, no Jangurussu, e o instrutor ficou com queimaduras graves.

Incendiaram o caminhão que puxava o “trenzinho da alegria”, em Maracanaú.

Tocaram fogo em uma van de transporte escolar, no Mondubim.

Depredaram uma creche mantida por uma igreja evangélica, na Sapiranga.

Como vão sobreviver estas famílias e outras que tiveram seu ganha pão transformado em cinzas?

Mas os danos não são somente patrimoniais e físicos. São psicológicos. São direitos essenciais negados, como o direito de ir e vir e de ter fornecimento de água e luz.

Tenho um amigo que ao falar sobre os ataques ou qualquer coisa relacionada aos mesmos, tem de cochichar no telefone, pois é vizinho de porta de um olheiro de facção.

Outra, não dorme mais à noite com medo que invadam o condomínio simples em que mora na periferia e a queimem viva com seus dez gatos (já houve ameaças).

Uma terceira, que se sentia relativamente segura por fazer trabalho assistencial com filhos de criminosos, agora está em pânico pois quebraram todas as lampadas do seu bairro e os faccionários mandaram os trabalhadores pararem uma obra ao lado de sua casa, sob pena de levarem bala.

O transporte coletivo, que é serviço essencial e em grande parte integrado pela frota de ônibus, tem causado imensos problemas a usuários. O Sindiônibus manda recolher os veículos a qualquer hora, deixando a população na rua e a mercê dos bandidos. Pela manhã, muita gente chega atrasada ao trabalho e leva bronca sem ter culpa. Quando chega o fim da tarde não sabe se consegue ônibus para retornar para casa e no dia seguinte começa tudo de novo. Uma senhora cadeirante, de 44 anos, esperou um coletivo por mais de uma hora à noite no terminal do Conjunto Ceará. Ao não conseguir embarcar, ligou para o marido que veio buscá-la e voltou para o Bom Jardim empurrando sua cadeira de rodas, por ruas escuras e em um percurso que demora aproximadamente duas horas.

Em Taquara, município de Caucaia, desde o dia 8 que criminosos cortaram a fiação dos postes e as residências encontram-se sem energia elétrica. Ligações seguidas para a Enel, empresa responsável pela manutenção elétrica e que assumiu serviços após privatização do setor, se mostram inúteis. Situação se repete em outros locais de Fortaleza e Região Metropolitana. Tanto a Enel como o Sindiônibus alegam insegurança para a suspensão no fornecimento de serviços. O lixo também não foi recolhido em vários bairros.

Por toda a periferia, comércios são obrigados a fechar e o toque de recolher é imposto.

Servidores municipais trabalham com medo em postos de saúde e hospitais e a Prefeitura de Fortaleza está sendo cobrada a garantir efetivamente a segurança dos mesmos, coisa que ainda não fez.

Antes dos atuais ataques criminosos, as chacinas, a expulsão de famílias de suas casa, os assassinatos, a tortura e a crueldade se transformaram em rotina na periferia de Fortaleza e em cidades do interior.

E as facções não chegaram a essa posição de domínio sem a cumplicidade do Estado. Desde os desembargadores que venderam liminares para soltar traficantes e que foram “apenados” com aposentadoria compulsória, passando por policiais, agentes penitenciários e outros, a banda podre do Estado tem sua parcela de culpa e esta não é pequena.

O governador Camilo Santana, que hoje culpa presidentes da República por não terem dado atenção ao problema de segurança, agiu da mesma forma e praticou por um bom tempo a política da avestruz na área.

A barbárie mora ao lado e cada vez mais mostra sua cara. Não se sabe até quando os ataques continuarão. Mas para o “zé povinho”, já deu e sobrou.

Não tenho dúvidas que somente com aumento da repressão e política de encarceramento em massa a questão da criminalidade não será solucionada.

O problema da violência só se resolve com mudanças nas relações sociais, tão estruturadas pela cobiça, pelo capital e pelo poder. Nesse contexto, facilitar a posse de armas para os mais privilegiados nada mais é que anunciar uma guerra contra os mais pobres, ou bem dizer, os “zé povinho”. Em um estado e em uma cidade marcada pela gritante desigualdade social, fazer dancinha simulando apontar armas, assim como fazem os endinheirados, é um prenuncio da barbárie que está por vir

Haroldo Barbosa

Jornalista, pós-graduado em Comunicação em Mídias Digitais, filiado à Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji)

Mega-Sena volta a acumular e prêmio na terça-feira é de R$ 25 milhões

Nenhum apostador acertou os seis números da Mega-Sena, sorteados na noite desse sábado (12), em São Paulo. Segundo estimativa da Caixa Econômica Federal, o prêmio da terça-feira (15) será de R$ 25 milhões.

Os números sorteados foram: 1725303542 e 57.

Já a Quina deverá pagar nesta segunda-feira (14) um prêmio de R$ 2,2 milhões, de acordo ainda com a estimativa da Caixa, após o prêmio ficar acumulado no sorteio desse sábado. Os números sorteados foram: 26 – 44 – 51 – 61 e 74.

A política da irresponsabilidade

449 1

Da Coluna Gualter George, no O POVO deste domingo (13):

É muito ruim que caminhe para passar em branco, juridicamente falando, a confusão criada por deputados eleitos por São Paulo, à Câmara Federal e à Assembleia Legislativa daquele estado, ao se utilizarem das redes sociais para fazerem uma “denúncia” sem pé nem cabeça contra o governador cearense Camilo Santana, do PT. E, no caso, apenas por ser do PT.

O notório Kim Kataguiri puxou o grupo, distribuindo pelas redes sociais vídeo no qual denunciava (este foi o termo que utilizou numa entonação especial) que o caos estabelecido no Ceará era resultado de uma engenhosa estratégia política saída da cabeça do próprio Camilo. O objetivo, no final, seria desgastar o recém empossado presidente Jair Bolsonaro (PSL) e inviabilizar a votação de qualquer reforma constitucional no Congresso porque a decretação de intervenção federal seria inevitável. Isso tudo, em meio a um forte blá-blá-blá cujos detalhes pouparei do leitor, porque já tratados em outras análises, aqui mesmo do O POVO, ou, simplesmente, porque ridículos demais para merecerem ainda alguma apreciação.

Kim, que será deputado federal pelo DEM a partir de 1º de fevereiro, viu sua tese reproduzida, quase que na totalidade, pela futura colega de Câmara, só que do PSL, Joice Hasselmann, e por uma figura chamada de Artur do Val, popular nas redes sociais pelo canal “MamãeFalei”, uma das cabeças pensantes do Movimento Brasil Livre (MBL) e que ocupará cadeira na Assembleia Legislativa de São Paulo, também na bancada do DEM. Ele é gaúcho, assim como Joice é catarinense, mas foi ao eleitor paulista que os dois encantaram, ao ponto de o cidadão de alcunha esquisita ter saído das urnas como o segundo mais votado entre todos os candidatos ao parlamento estadual.

De volta à questão inicial, chega a ser antipedagógico que inexista qualquer resposta no campo jurídico à postura das três futuras figuras públicas, no sentido da ocupação de mandatos populares, visto que notórios já o são, ignorando-se a irresponsabilidade que demonstraram na abordagem da crise que vivemos no Ceará. Uma “denúncia”, como trataram eles, sem qualquer prova, sem um lastro concreto sequer de sustentação, nenhum indício ou sinal de que havia base objetiva, mas, repito, apenas movida pelo interesse político de aproveitar o sofrimento do cearense para manter vivo o discurso que tenta responsabilizar um partido, o PT, por tudo de errado que aconteça no País. No caso específico, ironicamente, voltando-se contra um petista permanentemente submetido a pressões internas, exatamente pelo fato de adotar discurso e comportamento em desalinho frequente com as orientações de cúpula. Alvo errado, portanto.

Imaginar que a tentativa de retratação resolveu tudo, com um segundo vídeo no qual Kim Kataguiri admite que errou, diz ter sido procurado por gente do MBL cearense e por pelo menos um político, o senador eleito Luis Eduardo Girão (Pros), para mostrar-lhe que não era bem como havia dito etc, seria menosprezar o enorme estrago que a peça inicial causou. A verdade é que as palavras do jovem líder de direita têm forte penetração em setores da sociedade e sua tese viu-se espalhada de maneira grave. O recuo até atenuou, embora ande longe de reparar por completo o que a “denúncia” fomentou de incorreção acerca das causas reais da crise com a qual nos temos deparado desde os primeiros dias do novo ano.

Kataguari, Hasselmann e o tal de “MamãeFalei” estreiam muito mal na esfera pública institucional com o ato de irresponsabilidade que cometeram. Fazê-los responder por isso, inclusive, seria uma forma didática de mostrar que a nova vida na qual estão entrando oferece muito mais possibilidades do que dispunham antes, nos espaços de comunicação que ocuparam com êxito e lhes trouxe até aqui, embora não lhes garanta carta branca para injuriar as pessoas apenas porque são de partidos contrários e ideologia estranha à sua.

Aliás, se há uma coisa com a qual precisam se acostumar na vida parlamentar, a partir da posse em fevereiro, é com a convivência com o contraditório. Será parte indissociável do cotidiano novo que buscaram.

Embaixador da Itália comemora captura de Battisti

O embaixador da Itália no Brasil, Antonio Bernardini, comemorou a captura, na Bolívia, de Cesare Battisti, de 64 anos, procurado pelas autoridades brasileiras há quase um mês. Na sua conta no Twitter, o diplomata escreveu, inicialmente em italiano, depois em português. “Battisti está preso! A democracia é mais forte [do] que o terrorismo.”

O diplomata se referiu à prisão de Battisti executada nesse sábado (12), em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia. Ele teve a prisão decretada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), em dezembro, e fugiu do Brasil. A extradição foi autorizada ainda na gestão do governo Michel Temer.

Bernardini se reuniu com o presidente Jair Bolsonaro, logo após o resultado das eleições, e reiterou o pedido para a extradição de Battisti. Na Itália, ele foi condenado à prisão perpétua.

Battisti foi sentenciado pelo assassinato de quatro pessoas, na década de 1970, quando integrava a ação Proletários Armados pelo Comunismo, um braço das Brigadas Vermelhas. Ele se diz inocente. Para as autoridades brasileiras, ele é considerado terrorista.

(Agência Brasil)

Juizado Especial Criminal é atacado com explosivos no Montese

206 1

A 7ª Unidade do Juizado Especial Criminal de Fortaleza, no Montese, foi alvo de explosivos, por volta da meia noite desse sábado (12). A entrada do local ficou danificada. Há policiais e guardas municipais na segurança do local.

Logo após o ataque, helicóptero fez sobrevoo pelas imediações.

O juizado fica vizinho ao colégio Castelo Branco. No mesmo quarteirão fica o posto da 3ª Companhia do 6º Batalhão da Polícia Militar.

(O POVO Online / Foto: Jéssika Sisnando)

Deputados aprovam medidas contra o crime organizado no Ceará

Oito projetos de lei e um projetos de lei complementar foram aprovados em sessão extraordinária na Assembleia Legislativa, na noite desse sábado (12), após cerca de sete horas de debates. As propostas, de origem do Governo do Ceará, são de combate ao crime organizado, que nos últimos 12 dias provoca ataques no Estado.

Entre as medidas estão a convocação de policiais militares que estão na reserva para o retorno ao trabalho; aumento da quantidade de horas extras que possam ser pagas aos policiais civis e militares e bombeiros; a criação de lei que recompensa a população por informações que resultem na prevenção de atos criminosos e prisão de bandidos envolvidos nos crimes e a criação de Fundo de Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará (FSPDS).

(Foto: Divulgação)

Cesare Battisti é preso na Bolívia

Foragido do Brasil, desde 14 de dezembro último, quando o então presidente Michel Temer assinou o decreto de extradição para a Itália, Cesare Battisti foi preso na noite desse sábado (12), em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia. Ele é condenado à prisão perpétua, pela Justiça Italiana, acusado de quatro assassinatos nos anos 1970.

Ainda não está definido se o italiano retornará ao Brasil, onde possui mandado de prisão expedido pelo STF, ou se seguirá escoltado direto para a Itália. A decisão, no entanto, será tomada até a noite deste domingo (13).

(Foto: Reprodução)

Governo dos EUA vive mais longa paralisação da história

154 1

Em meio a um impasse entre a Casa a Branca e a oposição democrata, a atual paralisação parcial da máquina estatal americana, também chamada de shutdown, entra no 23º dia neste domingo (12), sendo a mais longa da história dos EUA. O recorde anterior havia ocorrido em 1996, no governo do ex-presidente Bill Clinton.

Os democratas se recusam a aprovar a destinação de US$ 5,7 bilhões para a construção de um muro na fronteira com o México para frear a imigração ilegal, uma das principais promessas de campanha de Donald Trump.

Em resposta, o presidente se recusou a assinar orçamentos de vários departamentos governamentais não relacionados com a disputa. Como resultado, cerca de 800 mil funcionários – de agentes do FBI a controladores do tráfego aéreo e funcionários de museus – não receberam salários nesta sexta-feira.

Trump também recuou da ameaça de declarar estado de emergência no país caso o impasse com os democratas não fosse resolvido, o que lhe daria poderes para driblar o bloqueio do Congresso.

“Não vou fazer isso tão rápido assim”, disse o presidente, nesse sábado (12). Ele afirmou que declarar estado de emergência seria a maneira mais fácil de acabar com a paralisação do governo, mas que o Congresso precisa assumir a responsabilidade de aprovar os US$ 5,7 bilhões.

Opositores afirmam que uma manobra unilateral do presidente em relação à questão da fronteira seria um abuso constitucional e estabeleceria um perigoso precedente para controversas semelhantes.

(Agência Brasil)