Blog do Eliomar

Últimos posts

Fux suspende investigação sobre movimentações de Queiroz

77 1

O ministro Luiz Fux, vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu as investigações sobre movimentações financeiras suspeitas de Fabrício Queiroz, ex-assessor parlamentar e ex-policial militar, que era lotado no gabinete do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ). A decisão é temporária.

Fux, que responde pelo plantão judicial do Supremo até o início do mês que vem, suspendeu a investigação até análise do relator, ministro Marco Aurélio Mello, sobre uma reclamação protocolada no STF pela defesa do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ). O processo corre em segredo de Justiça.

Responsável pelo procedimento de investigação criminal sobre o caso, o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) disse – por meio de nota – que, “pelo fato do procedimento tramitar sob absoluto sigilo, reiterado na decisão do STF, o MPRJ não se manifestará sobre o mérito da decisão”.

Na decisão, Fux entendeu que ao assumir o mandato de senador em fevereiro, Flávio passará a ter foro privilegiado, e por isso seria melhor esperar a definição pelo STF sobre quem deve ser o responsável por conduzir as investigações.

Um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) apontou que em um mesmo ano houve a movimentação de R$ 1,2 milhão por parte de Queiroz.

O MPRJ informou que, pelo fato tramitar sob “absoluto sigilo”, não se manifestará sobre o mérito da decisão.

Esclarecimentos

O nome de Fabrício Queiroz consta em um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeira (Coaf) que aponta uma movimentação atípica de R$ 1,2 milhão em uma conta em nome do ex-assessor. O documento integrou a investigação da Operação Furna da Onça, desdobramento da Lava Jato no Rio de Janeiro, que prendeu deputados estaduais no início de novembro.

O MPRJ marcou duas vezes o depoimento de Queiroz. Ele não compareceu, justificando problemas de saúde. A mulher Márcia Oliveira de Aguiar e as filhas dele Nathália Melo de Queiroz e Evelyn Melo de Queiroz também faltaram ao depoimento, alegando que o acompanhavam em tratamento em São Paulo.

Na semana passada, o deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente da República, afirmou – por meio das redes sociais – que se comprometia a comparecer para prestar esclarecimentos em novo dia e horário. Como parlamentar, ele tem a prerrogativa legal de combinar previamente a data e horário para depor.

(Agência Brasil)

O Nordeste na pauta do governo

Editorial do O POVO desta quinta-feira (17) destaca as ações do governo Bolsonaro em enfrentar problemas mais urgentes do Nordeste. Confira:

O governo recém-instalado de Jair Bolsonaro ainda suscita algumas dúvidas em relação ao tratamento que terá o Nordeste ao longo dos próximos quatro anos. Até em função disso, parece importante perceber e dar relevância às ações oficiais que anuncia com foco na região e a perspectiva de enfrentar os seus problemas mais urgentes, caso do que aconteceu na última terça-feira, em Brasília, com a primeira reunião de um grupo interministerial, coordenado pelo chefe da Casa Civil, Ônyx Lorenzoni, formado para, exatamente, dar resposta às demandas. Uma iniciativa excelente, principalmente pelo aspecto referencial que a envolve, dentro de um momento em que os sinais revestem-se de uma importância ainda maior.

O estágio a que chegou a democracia brasileira, tanto tempo depois de reintroduzida no cenário da vida pública do País, deveria inibir com maior eficácia o estabelecimento de qualquer ideia que indique possível o tratamento discriminatório a uma região por qualquer razão que seja. No entanto, infelizmente, uma ou outra manifestação, de aliado ou de oposicionista daquele que ocupe o poder, acaba por alimentar um debate de conteúdo eminentemente político, no sentido menor do termo, como efeito retardado de um quadro de disputa eleitoral que já deveria estar superado, de maneira definitiva. Faz parte do passado de todos, inclusive de quem ganhou a disputa pela presidência da República.

No caso do que há acontecido de efetivo em 16 dias de governo Bolsonaro, diga-se, há muito mais razões para tranquilidade do que para incômodo. Inexiste qualquer traço que se possa considerar a sério de que uma orientação oficial nova ameaça os interesses nordestinos ou pode, atendendo a razões políticas, adicionar elementos extras à luta de sempre que temos travado para superar dificuldades historicamente desafiadoras para a região.

A iniciativa de reunir seis ministérios, fazê-los discutir ordinariamente políticas públicas com o foco no Nordeste, a partir de suas potencialidades e problemas, é uma demonstração de que o governo recém-instalado apresenta-se disposto a oferecer soluções com as peculiaridades e no tempo que a realidade que enfrentamos exige. Claro que será necessário acompanhar com acuidade maior os trabalhos do grupo, que teve apenas o seu primeiro encontro, e cobrar que os resultados concretos apareçam, pois o simbólico, embora importante, especialmente quando se tem um quadro com as características que apontamos, não basta como elemento definitivo de compromisso de um governo.

Camilo se reúne com Moro, nesta tarde, para apresentar ações de combate ao crime no Ceará

201 6

O governador Camilo Santana estará com o ministro Sérgio Moro, no início da tarde desta quinta-feira (17), em Brasília, para apresentar as ações que o Ceará tem adotado contra o crime organizado.

Nessa quarta-feira (16), Camilo esteve reunido com o ministro da Defesa, general Fernando Azevedo, e destacou a importância das forças nacionais de segurança no Ceará.

(Foto: Facebook)

Ensinou a pensar – Ciro destaca atuação de padre Osvaldo na formação da juventude sobralense

O livro “Padre Osvaldo – Coletânea de Sermões” teve lançamento na noite dessa quarta-feira (16), no Theatro São João, em Sobral, na Região do Ceará, a 222 quilômetros de Fortaleza.

O ex-governador do Estado e ex-ministro Ciro Gomes destacou a importância de padre Osvaldo na formação do jovem sobralense. “Nos ensinou Português, mas, fundamentalmente, a pensar”, ressaltou.

Além de Ciro, padre Osvaldo também foi professor de Cid Gomes, Ivo Gomes e ainda do ex-prefeito Veveu Arruda e da vice-governadora Izolda Cela.

Procuradora aposentada condenada por torturar criança é presa no Rio

Policiais civis cumpriram hoje (17) dois mandados de prisão contra a procuradora aposentada Vera Lúcia de Sant’Anna Gomes pelo crime de tortura de uma criança de dois anos de idade, em 2010. A vítima era uma menina da qual a procuradora tinha a guarda provisória e que tentava adotar.

A procuradora foi condenada pela Justiça do Rio de Janeiro e presa naquele mesmo ano. Em 2014, ela foi solta por decisão da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), mas voltou a ter sua prisão, em regime semiaberto, decretada em 2016, pela Justiça fluminense.

Desde então, ela era considerada foragida. Depois da prisão hoje, segundo a Polícia Civil, Vera Lúcia passou mal quando era encaminhada à Cidade da Polícia, na zona norte da cidade. Ela foi levada para o Hospital Copa D’Or, na zona sul da cidade, onde está sob custódia de policiais da Divisão de Capturas e Polícia Interestadual (DC-Polinter).

(Agência Brasil)

Explosão é registrada em poste ao lado do trilho do metrô na estação Couto Fernandes

Por volta das 4 horas desta quinta-feira, 17, uma bomba foi colocada em um poste próximo de estação do metrô de Fortaleza, no bairro Couto Fernandes. A explosão danificou a estrutura, mas não apresentou riscos ao funcionamento do transporte. O poste fica ao lado do trilho do metrô. De acordo com o Corpo de Bombeiros, não houve incêndio subsequente e a ocorrência foi registrada pela Polícia Militar.

Metrofor afirma que a linha está funcionando normalmente nesta manhã. Por 1 hora, os prejuízos foram avaliado por técnicos e engenheiros da empresa responsável. O transporte foi liberado às 7h15min. Os danos já estão sendo reparados.

Este já é o 16º dia da onda de violência no Ceará. Durante a madrugada, outro ataque foi registrado em ponte no bairro Bela Vista. Na noite de quarta-feira, 16, uma agência bancária foi alvo de tiros e incêndio na Aerolândia.

(O POVO Online / Repórter Kevin Alencar)

Pis/Pasep começa a ser pago hoje

Cerca de 3,4 milhões de trabalhadores começaram a receber o pagamento do sétimo lote do abono salarial dos programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) 2018-2019, ano-base 2017. Podem receber o benefício os trabalhadores da iniciativa privada nascidos em janeiro e fevereiro e os servidores públicos com final de inscrição 5. A estimativa da Secretaria do Trabalho do Ministério da Economia, é que mais de R$ 2,8 bilhões sejam pagos.

A partir de hoje (17), trabalhadores da iniciativa privada podem procurar a Caixa Econômica Federal. A consulta pode ser feita pessoalmente, pela internet ou pelo telefone 0800-726 02 07. Para servidores públicos, a referência é o Banco do Brasil, que também fornece informações pessoalmente, pela internet ou pelo telefone 0800-729 00 01.

Os correntistas da Caixa Econômica Federal, instituição bancária responsável pelo pagamento do PIS (iniciativa privada), tiveram os valores depositados em suas contas nessa terça-feira (15).

Tem direito ao abono salarial ano-base 2017 quem estava inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos, trabalhou formalmente por pelo menos 30 dias em 2017, teve remuneração mensal média de até 2 salários mínimos e seus dados foram informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

O valor do benefício é proporcional ao tempo trabalhado formalmente em 2017. Assim, quem esteve empregado o ano todo recebe o valor cheio, equivalente a um salário mínimo (R$ 998). Quem trabalhou por apenas 30 dias recebe o valor mínimo, que é de R$ 84 – ou 1/12 do salário mínimo –, e assim sucessivamente.

Para os trabalhadores nascidos entre julho e dezembro, o Abono Salarial ano-base 2017 começou a ser pago em 2018. Os nascidos de janeiro a junho realizam o saque em 2019. O prazo final de recebimento para todos os trabalhadores favorecidos pelo programa é 28 de junho de 2019.

(Agência Brasil)

Brasil bate recorde de mortes violentas em 2017

81 1

O Brasil bateu recorde de mortes violentas em 2017, com 63.880 casos. No mesmo ano, as mortes cometidas por policiais em serviço e de folga cresceram 20% na comparação com 2016. A compilação destes dados faz parte da 29ª edição do Relatório Mundial de Direitos Humanos, divulgado hoje (17) pela organização não governamental Human Rights Watch (HRW), que analisa a situação de mais de 90 países.

No capítulo sobre o Brasil, o relatório chama atenção para o aumento da letalidade policial após a intervenção federal no Rio de Janeiro, entre fevereiro e dezembro de 2018. Segundo a entidade, de março a outubro de 2018, conforme dados do Instituto de Segurança Pública do Rio de Janeiro, a letalidade violenta aumentou 2% no estado, enquanto as mortes cometidas pela polícia cresceram 44%.

Entre essas mortes está a da vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes, ocorrida em 14 de março. O caso ainda não foi esclarecido pelos órgãos de investigação. Para a HRW, a demora em solucionar os casos de assassinatos contribuem para o ciclo de violência. “Um amplo estudo conduzido por criminologistas e jornalistas estima que o Ministério Público tenha apresentado denúncia em apenas dois em cada dez casos de homicídio no Brasil”, aponta o relatório.

A ONG internacional critica a lei aprovada em 2017 pelo Congresso Nacional que permite que militares das Forças Armadas, acusados de cometerem execuções extrajudiciais contra civis, sejam julgados pela Justiça Militar. De acordo com a entidade, a mesma lei transferiu o julgamento de policiais militares acusados de tortura e outros crimes para o âmbito da Justiça Militar.

“Menos de um mês após a promulgação da lei, oito pessoas foram mortas durante uma operação conjunta da Polícia Civil e do Exército na área metropolitana do Rio de Janeiro. Até o momento de elaboração deste relatório, nem os investigadores da Forças Armadas nem os procuradores da Justiça Militar haviam entrevistado testemunhas civis”, diz a entidade.

Condições carcerárias

A partir de dados do Ministério da Justiça de junho de 2016, a entidade informa que mais de 726 mil adultos estavam em estabelecimentos prisionais com capacidade máxima para metade deste total.

No final de 2018, a estimativa do governo federal era que o Brasil tinha 842 mil presos. “A superlotação e a falta de pessoal tornam impossível que as autoridades prisionais mantenham o controle de muitas prisões, deixando os presos vulneráveis à violência e ao recrutamento por facções”, analisa o documento.

Ainda sobre o sistema prisional, a HRW destaca a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que determinou que mulheres grávidas, mães de crianças de até 12 anos ou de crianças e adultos com deficiência, presas preventivamente por crimes não violentos, deveriam aguardar julgamento sob prisão domiciliar, exceto em “situações excepcionalíssimas”.

Crianças e adolescentes
Nos centros socioeducativos, onde 24.345 crianças e adolescentes cumpriam medida de privação de liberdade em janeiro de 2018, foram relatados casos de tortura e morte de crianças sob custódia do Estado. Em Goiânia, 13 servidores foram indiciados por homicídio culposo por negligência pela demora em apagar um incêndio que vitimou dez crianças.

No Ceará, o Ministério Público Federal culpou as “ações e omissões” das autoridades estaduais pela morte de sete adolescentes em 2017 e 2018. Estudo do Instituto Sou da Paz indicou ainda que 90% dos internos de São Paulo afirmaram ter sido maltratados por policiais militares e 25% relataram agressões por agentes socioeducativos.

À época da divulgação do estudo, a Fundação Casa informou que apoiou a pesquisa da instituição e que “respeita os direitos humanos dos adolescentes e funcionários e não tolera qualquer tipo de prática de agressões em seus centros socioeducativos”. Disse também que eventuais abusos são investigados e punidos com demissão por justa causa.

Outros temas

O Relatório Mundial de Direitos Humanos traz, no capítulo sobre o Brasil, dados sobre violações relacionadas à liberdade de expressão, com restrição ao trabalho da imprensa, sobretudo, durante as eleições presidenciais, com a intimidação de mais de 140 repórteres.

Aborda também os mais de 1,2 milhão de casos de violência doméstica pendentes nos tribunais; a possibilidade de retorno das terapias de conversão para mudar a orientação sexual ou a identidade de gênero de um indivíduo; os mais de 1.246 casos de trabalho análogo à escravidão registrados entre janeiro e outubro de 2018; o aumento do uso de agrotóxicos no campo; e o enfrentamento dos abusos cometidos durante a ditadura militar no Brasil.

O documento destaca a chegada de migrantes venezuelanos no Brasil. Dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur), agência ligada às Nações Unidas, mostram que entre janeiro de 2014 e abril de 2018, 25.311 venezuelanos solicitaram autorização de residência no Brasil. De janeiro de 2014 a julho de 2018, 57.575 pediram refúgio.

O Brasil concedeu refúgio a 14 venezuelanos em 2016 e negou a 28. “Até novembro, mais de 3.100 venezuelanos haviam se beneficiado de um programa federal de transferência para outros estados”.

Foram relembrados também os casos de agressões ao venezuelanos em Roraima, ocorridos em março do ano passado.

(Agência Brasil)

Agência bancária é alvo de tiros e incêndio na Aerolândia

Uma agência do Banco do Brasil localizada na BR-116, no bairro Aerolândia, foi alvo de tiros e incêndio na madrugada desta quinta-feira, 17. O ataque ocorreu por volta das 00h40.

O incêndio foi confirmado pelo Corpo de Bombeiros, que controlou o fogo após ser acionado. Galão de gasolina e garrafas pet usadas pelos suspeitos foram deixadas no local.

Os vidros da agência foram quebrados por conta dos tiros. Ainda não há informações sobre a identificação dos suspeitos.

(O POVO Online)

Presença de Capitão Wagner com Collor e Eurípedes causa surpresa

308 11

 

A presença de Capitão Wagner, que até pouco tempo se dizia “não-político”, ao lado do ex-presidente Fernando Collor de Melo, cassado por corrupção, e do presidente nacional do Pros, Eurípedes Junior, que em outubro último chegou a ter mandado de prisão temporária expedido na Operação Partialis, que apurava desvios na Prefeitura de Marabá (PA), gerou desconforto entre apoiadores.

A presença de Wagner foi amplamente destacado por Eurípedes, por meio do Facebook, mas, na página do deputado federal eleito pelo Ceará, sequer uma linha.

Collor, inclusive, acena para Renan Calheiros (MDB-AL), na disputa à presidência do Senado.

(Foto: Facebook)

Baixa resposta do quadro de reserva faz PM adiar apresentação para sexta-feira

137 4

Pouco menos de 300 dos 1.200 policiais do quadro de reserva da Polícia Militar atenderam à convocação para a reintegração dos ativos da corporação, de acordo com dados até esta quarta-feira (16).

Diante da baixa resposta, o Comando Geral da PM estendeu para a sexta-feira (18) o prazo final da apresentação dos convocados, que receberão gratificação extra entre R$ 950 a R$ 1,3 mil.

Segundo a PM, a dificuldade maior estaria no contato com o quadro de reserva, pois muitos estariam em sítios no interior do Estado, além de não possuírem WhatsApp ou mesmo aparelho celular.

(Foto: Reprodução)

Inep vai eliminar mais de 42 mil caixas de avaliações do Saeb e Enem

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) vai eliminar 42.429 caixas de documentos relativos ao Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) e ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2012 a 2015. A autorização foi dada pelo Arquivo Nacional e publicada hoje (16) no Diário Oficial da União.

Os documentos incluem folhas de respostas, controle de frequência, questionários socioeconômicos, cadernos de provas e formulários de controle de aplicação, que reúnem fichas de ocorrências e atas de sala, entre outras informações.

Segundo o Inep, os arquivos foram considerados sem valor para a guarda permanente pelo Arquivo Nacional. Quem quiser ter acesso aos documentos e solicitar cópias pode fazê-lo no período de 30 dias. A relação dos arquivos que serão eliminados está disponível no portal do Inep.

De acordo com a autarquia, o objetivo da eliminação é otimizar o uso do espaço físico e promover economia com a diminuição de custos operacionais. “A medida também assegura a manutenção e a preservação de conjuntos documentais relevantes”, diz em nota.

Faziam parte do Saeb nos anos considerados, a Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA), Avaliação Nacional da Educação Básica (Aneb) e a Avaliação Nacional do Rendimento Escolar (Anresc), conhecida como Prova Brasil. Em 2019, as siglas ANA, Aneb e Anresc deixarão de existir e todas as avaliações passarão a ser identificadas pelo nome Saeb. A educação infantil passará a ser também avaliada.

O Saeb é aplicado em todo o território nacional com o objetivo de medir a qualidade do ensino nas escolas brasileiras. Já o Enem é usado para o ingresso no ensino superior e é preciso inscrever-se para participar do exame.

(Agência Brasil)

Mais uma lei que ninguém pediu

112 1

Em artigo no O POVO desta quarta-feira (16), o presidente da Abrasel no Ceará, Rodolphe Trindade, critica projetos de lei que não colaboram com a economia ou no conforto do consumidor. Confira:

No último dia 2 de janeiro, o deputado estadual David Durand (PRB) apresentou uma lei que foi aprovada na Assembleia Legislativa do Ceará. Ela obriga, entre outras coisas, todas as empresas com atividade no Ceará, incluindo bares e restaurantes, a mostrarem nos cardápios, nas gôndolas e nas etiquetas de preços, os impostos de cada produto oferecido. A multa por descumprimento é pesada: R$ 127,82 por produto que não dispor a informação.

O benefício dessa lei é zero, afinal, o que ganha o consumidor em saber antecipadamente quanto o poder público encarece o produto? Qual o benefício desta lei ao cidadão? Essa nova lei que apareceu é esdrúxula!

Qual a problemática? Na hora que eu quiser comprar um produto de um pequeno artesão ou um pequeno produtor não será possível. Eles não dispõem dessas informações em seus produtos, afinal, esta lei gera uma demanda de informações em cadeia.

E se eu quiser fazer o meu cardápio do dia com produtos frescos que eu comprei no mercado na mesma manhã, será impossível! O contador terá que rastrear todos os impostos dos produtos que compõem o prato oferecido. Comida a quilo, no self-service? Uma colherada de arroz e duas de feijão têm 2% de ICMS, 4% de ISS, 8% do Simples…

Isso sem contar o tamanho do cardápio! Certos cardápios de restaurante vão virar uma “Bíblia”. A lei não traz nada de bom, só mais burocracia. Aliás, já existe a lei federal nº 12.741/12, de 8 de dezembro de 2012, que obriga a se colocar, no cupom fiscal, o cálculo de impostos.

Infelizmente, o Legislativo insiste em fazer leis sem antes dialogar com aqueles que serão afetados. Afinal, somos parte da sociedade como um todo e nós podemos, juntos, elaborar leis que sejam apresentadas como grandes avanços societários.

E outra questão é: quem vai fiscalizar? Todos nós sabemos que a fiscalização não chega à grande maioria do Estado e o poder público não tem braços para isto.

Portanto, essa é mais uma lei que ninguém pediu e só irá gerar mais custos e muito trabalho desnecessário. Ela pode acarretar, ainda, em diminuição de empregos e fechamento de empresas.

Rodolphe Trindade

Presidente da Abrasel no Ceará

Ministério do Meio Ambiente suspende contratos por 90 dias

Pelos próximos 90 dias, o Ministério do Meio Ambiente suspendeu todos os convênios e parcerias da pasta e autarquias com organizações não governamentais. O órgão determinou um levantamento das despesas.

A medida envolve parcerias e contratos dos distintos fundos do ministério com o terceiro setor. A ordem se estende aos convênios, acordos de cooperação, atos e projetos.

Em nota, divulgada pelo Ministério do Meio Ambiente, a assessoria informa que ocorrerá avaliação e ajustes dos contratos que “tenham condições de ter continuidade”.

“O diagnóstico permitirá a avaliação daqueles que tenham condições de ter continuidade, bem como dos que eventualmente mereçam reparos. A Medida Provisória 870, que estabelece a organização básica dos órgãos da Presidência da República e dos ministérios, também tornou necessário esse reexame.”

O texto informa também que na análise “serão examinados condições, prazos e volumes dos acordos pactuados”.

(Agência Brasil)

Polícia apreende 700 quilos de explosivo no Bom Jardim

Operação da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), realizada na manhã desta quarta-feira, 16, resultou na apreensão de aproximadamente 700 kg de explosivos, no Bom Jardim, em Fortaleza. O material provavelmente seria utilizado em novos atentados criminosos na Capital e Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

As primeiras análises da apreensão dão conta de 23 caixas de emulsão explosiva e rolos de cordel detonante. A ocorrência ainda está em andamento.

As informações foram confirmadas pelo titular da especializada, delegado Harley Filho. As investigações da Polícia Civil apontam que os explosivos agora recuperados seriam o restante da carga de 5 toneladas que foi apreendida pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), no último sábado, no bairro Jangurussu. O material havia sido roubado três semanas antes em Aquiraz.

(O POVO Online / Foto Gustavo Simão – Especial para O POVO)

Delegados se colocam à disposição do Estado contra o crime organizado

293 3

Cerca de 400 policiais, dentre eles delegados da Polícia Civil cearense, em processo de aposentadoria, se colocaram à disposição do Estado para enfrentar a onda de ataques que ocorre desde o início do ano. Diante da grave situação que amedronta os cidadãos, a Associação dos Delegados de Polícia Civil do Estado do Ceará (Adepol/CE) protocolará um ofício, ao Palácio da Abolição, a fim de formalizar a vontade das autoridades em retomar os postos nas atividades de investigação à cargo da Polícia Judiciária.

Alguns delegados estiveram reunidos na sede da Adepol, onde se prontificaram a retornar às atividades investigativas até que a paz seja restabelecida no Ceará. Segundo os delegados, apesar do reforço das forças federais e policiais militares de outros estados para intensificar o policiamento ostensivo, há necessidade de reforço dos serviços de investigação, enquanto durarem os ataques, quanto no momento posterior, de modo a que todos os infratores sejam responsabilizados criminalmente em face dos delitos praticados.

De acordo ainda com os delegados, o reforço não irá gerar despesa extra para o Estado. Asseguram ainda que estão sensíveis a uma causa maior: “o bem-estar social e a manutenção da paz no seio da família cearense”.

A Adepol destaca que a disponibilidade dos policiais equivale a um concurso público, sem gastos para o erário, quando o estado incorporaria uma força de trabalho de cerca de 400 policiais, sem a necessidade de desembolsar nenhum recurso, pois todos já são formados e plenamente capacitados para o exercício da atividade de Polícia Judiciária.

O grupo agora aguarda que o governador Camilo Santana encaminhe à Assembléia Legislativa um projeto de lei reformulando o inciso ll do art. 3o da Lei complementar 92/2011.

(Foto: Divulgação)

Quina paga R$ 3,8 milhões nesta quarta-feira

A Quina voltou a acumular e paga nesta quarta-feira (16) um prêmio de R$ 3,8 milhões, segundo estimativa da Caixa Econômica Federal. Os números sorteados na noite dessa terça-feira (15) foram: 04 – 34 – 55 – 58 e 63. As apostas podem ser feitas até as 19 horas (horário de Brasília), ao preço mínimo de R$ 1,50.

Já a Mega-Sena também acumulou e pagará R$ 27 milhões nesta quinta-feira (17), de acordo ainda com estimativa da Caixa. Os números sorteados ontem foram: 04 – 19 – 27 – 35 – 40 e 44.