Blog do Eliomar

Últimos posts

Dirceu promete "correr país", afirma Blog

106 3

 

“O ex-ministro José Dirceu (Casa Civil) recebeu a notícia de que a Procuradoria-Geral da República pediu sua prisão por envolvimento no mensalão durante viagem à Sardenha (Itália), informou ontem a colunista Hildegard Angel, do site R7.

Segundo a coluna, a namorada dele, Evanise Santos, chorou por duas horas ao saber do pedido de condenação.

Dirceu disse à coluna que vai “correr o país” para se defender. Sua assessoria informou que ele está no exterior, mas não comentou o caso.”

(Folha.com)

Alô, Prefeitura! Bom divulgar quando vai chamar os fiscais aprovados em concurso

80 1
Da leitora Fátima Beatriz, recebemos a seguinte cobrança endereçadaa á administração da prefeita Luizianne Lins (PT):
 
Caro jornalista Eliomar de Lima,
 
Acabei de ler matéria no Blog sobre a falta de fiscais do município, publicada em fevereiro de 2011. Como sou um dos aprovados no concurso, gostaria de saber se o senhor recebeu alguma resposta oficial da Prefeituta sobre o assunto.
 
Muito grata,
 
Fátima Beatriz Silva de Araújo.
 
DETALHE – Estamos publicizando sua cobrança, Fátima. Vamos aguardar resposta.

Romário tem carteira de habilitação apreendida em blitz

64 1

“O ex-jogador de futebol e deputado federal Romário (PSB-RJ) teve a carteira de habilitação apreendida por uma blitz da Operação Lei Seca, no início da madrugada de hoje. Ele se recusou a fazer o teste do bafômetro e teve que entregar o documentos aos fiscais da Secretaria de Estado de Governo que conduziam a operação.

Romário passava pela avenida Armando Lombardi, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, quando foi parado pela blitz. Como não havia irregularidades na documentação de sua Land Rover, o carro não foi apreendido. De acordo com a assessoria de imprensa do Governo do Rio, o deputado estava acompanhado de uma pessoa habilitada a dirigir e que não havia ingerido bebida alcoólica. Foi essa pessoa, que não teve a identidade revelada, que levou o carro do ex-jogador.

O parlamentar e ex-atacante do Flamengo, Vasco, Fluminense, seleção brasileira, além de times estrangeiros, vai responder a um processo administrativo no Departamento Estadual de Trânsito do Rio (Detran-RJ) e terá que pagar uma multa de R$ 957,70. Sua carteira de habilitação ficará retida por cinco dias.”

(Uol)

Senado é ocupado por quase 20% do "sem votos"

71 1
“As regras do Senado permitem que até quem não recebeu um voto na eleição vire senador e fique na vaga por até oito anos. Os suplentes, nomes indicados pelos senadores eleitos, podem assumir o mandato em caso de renúncia, licença, afastamento para exercício de outro cargo ou falecimento do titular. Em seis meses, quase 20% da Casa é composta por suplentes que já estão em exercício ou tomam posse em breve. Dos 81 senadores, 14 não foram eleitos diretamente pela população.

A quantidade mudou nesta semana já que Alfredo Nascimento (PR-AM), que pediu demissão do Ministério dos Transportes, voltou oficialmente ao cargo de senador, para o qual foi eleito em 2006. Com isso, João Pedro (PT-AM) deixou a cadeira. Dois dias após o retorno, Nascimento pediu licença de dez dias por motivo particular. Como ela não é maior de 120 dias, o suplente não será reconvocado.

Entre as últimas vagas abertas, estão as de Itamar Franco (PPS-MG), morto em 2 de julho vítima de um AVC (Acidente Vascular Cerebral), e de Gleisi Hoffmann (PT-PR), que se afastou do Legislativo para cuidar da Casa Civil, o núcleo de poder da Presidência da República.

No lugar de Gleisi entrou Sérgio Souza (PMDB-PR). A troca foi polêmica porque ele é alvo de denúncias de envolvimento com grupo que desviava dinheiro da Assembleia Legislativa do Paraná. O possível suplente de Itamar, Zezé Perrella (PDT-MG), também tem escândalos em sua ficha. Pesam sobre ele acusações de enriquecimento ilícito, lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

No ano passado, cinco senadores abandonaram seus postos para disputar os governos de seus respectivos Estados. São eles: Raimundo Colombo (DEM-SC), Marconi Perillo (PSDB-GO), Rosalba Ciarlini (DEM-RN), Tião Viana (PT-AC) e Joaquim Roriz (PMDB-DF).

Outros dois parlamentares, além de Gleisi e Nascimento, deixaram o posto para integrar a equipe de ministros de Dilma Rousseff. Edison Lobão assumiu a pasta de Minas e Energia e Garibaldi Alves Filho, a Previdência. No lugar de Lobão, assumiu seu filho, Lobão Filho (PMDB-MA). No de Garibaldi, tomou posse Paulo Davim (PV-RN).”

(R7.com)

Eliane Novais: Cid Gomes investe em grandes obras, mas se esquece dos servidores

145 19

Com o título “O Governo do Estado e o servidor público”, eis artigo da deputada estadual Eliane Novais (PSB). Ela comenta clima de insatisfações da categoria com o governador Cid Gomes (PSB). Ela destaca que o Governo tem investido em grandes obras, mas se esquecido do principal: apoiar o servidor público, convocando concurso e apostando na qualidade dos serviços. Confira:

No último sábado, a Avenida Universidade e a Praça do Ferreira foram palcos de uma manifestação organizada pelos trabalhadores do serviço público estadual. Intitulada a “Caminhada da Insatisfação”, o protesto foi promovido pelo Fórum Unificado das Associações e Sindicatos dos Servidores Públicos Estaduais do Ceará (Fuaspec). Para além da pauta de reivindicações apresentada pelos servidores estaduais o protesto reflete em boa medida que há de fato um sentimento de insatisfação correndo entre os trabalhadores do Estado com relação ao governo atual.
Algumas entidades sindicais têm procurado nosso mandato para expor essas preocupações e anseios dos trabalhadores. Recebemos a informação que, desde 2007, a pauta de reivindicações do Fórum Unificado com 18 itens, posta na mesa estadual de negociação permanente, não tem avançado. Há, portanto, uma dificuldade do Governo do Estado de receber os trabalhadores e negociar com justeza suas reivindicações. O resultado disso são os movimentos grevistas que estão surgindo cada vez mais. Os policiais civis e peritos e o movimento tolerância zero da polícia militar são exemplos mais recentes.
É de conhecimento de todos que o Governo Estadual tem importantes feitos, equipando o Estado com grandes e vistosas obras físicas. No entanto, nenhuma obra consegue se sustentar de pé sem o pilar humano. O Hospital Regional do Cariri, vários meses depois de inaugurado, até hoje não funciona plenamente pela ausência de profissionais de saúde. O resultado é a continuidade da superlotação do IJF que vem há anos suportando as demandas de atendimento de todo o interior do Estado.
A manifestação legítima dos servidores merece, portanto, ser acompanhada de perto pela sociedade. Neste sentido, destaco aqui alguns pontos da pauta de reivindicações apresentada ao Governo do Estado, que unificam os trabalhadores do serviço público, como a reestruturação das tabelas salariais que inclui a reposição das perdas salariais (que chegam a mais de 60% desde 2005); cumprimento da lei que fixa a jornada de trabalho semanal dos militares; aprovação do projeto de lei de combate ao assédio moral no trabalho, extensivo aos militares estaduais; fortalecimento da previdência; ampliação e melhoria da assistência à saúde e a realização de concurso público que está no topo da agenda de lutas dos servidores públicos estaduais. Este último ponto carece de uma atenção especial.
Infelizmente, em nosso País, ainda é comum vermos a prática das terceirizações invadindo a administração pública. Em sua maioria, as terceirizações representam a precarização das relações de trabalho, sendo promovidas à revelia da lei e das regras constitucionais vigentes, gerando um conflito entre o interesse público e o interesse privado. No Governo do Ceará não é diferente.
O último concurso da Cagece foi realizado há cerca de 10 anos. Uma defasagem que compromete a capacidade de atendimento da empresa em um setor primordial e estratégico. O saneamento tem forte impacto na saúde, geração de emprego e renda, meio ambiente e no turismo no Estado, sendo portanto essencial para o desenvolvimento e a erradicação da miséria no Ceará. No entanto, hoje a Cagece é a 3ª companhia do Nordeste em menor número de funcionários próprios, ao mesmo tempo que tem uma das maiores demandas de atendimento da região. A empresa possui atualmente três terceirizados para cada funcionário próprio. Há casos onde a terceirização é ainda mais ostensiva. Na Ematerce, a proporção é de 10 terceirizados para cada servidor. No Porto do Pecém, um dos grandes ícones do desenvolvimento econômico e industrial do Ceará, a Cearáportos possui apenas 34 funcionários efetivos e 200 terceirizados.  Detran, Cogerh, STDES, Nutec, o grupo administrativo e de nível superior da Seduc entre outros órgãos enfrentam o mesmo problema.
A prática da terceirização é claramente um resquício do modelo neoliberal que durante anos imperou em nosso País privilegiando os interesses do lucro e do privado em detrimento do serviço público. No Ceará, vivemos a extinção de órgãos como a Cohab, Epace, Cedap, além da privatização da Coelce e da Teleceará, a não realização de concursos e o arrocho salarial nos governos neoliberais.
Um governo socialista deve buscar romper com essas práticas, realizar concursos, recuperar as perdas salariais, valorizar os servidores e privilegiar os trabalhadores que tanto sofreram com o descaso no período mais duro do neoliberalismo. O governador Cid Gomes não deve esquecer que não foram poucos os trabalhadores sindicalizados que o apoiaram nas duas eleições.
Como servidora pública estadual, entendo que, se queremos garantir que o Estado seja presente no atendimento às reais necessidades da população – sem restrições nem privilégios – valorizar os servidores públicos é uma condição absolutamente necessária.
* Eliane Novais
Deputada estadual
DETALHE – Eliane Novais tem nome exposto no PSB como pré-candidata à Prefeitura de Fortaleza, numa posição contrária ao governador Cid Gomes, dirigente estadual do seu partido, que tem simpatias pró-petista Camilo Santana. Por sinal, seu secretário estadual das Cidades.

A violência provocada pelos "engravatados"

O advogado Irapuan Aguiar, colaborador do Blog, escreveu artigo no O POVO com o título “Exacerbação da violência”, onde ele cita várias situações dramáticas para o cidadão. Ele também lamenta a ineficiência das políticas públicas e, por último,  cita a violência provocada pelos “engravatados”. Confira:

Nos dias atuais, jornais, revistas, rádio e televisão, têm-se ocupado, quase que exclusivamente, com o noticiário sobre a exacerbação da violência e do crime e do medo deles decorrente, intranquilizando a vida de uma sociedade indefesa.

Logo cedo somos despertados com as primeiras más notícias, que nos acompanham no café matinal. O fato repete-se por ocasião do almoço e do jantar, completando o cardápio picante de nosso cotidiano.

Quando não são os assaltos, sequestros, estupros, latrocínios e outras manifestações criminosas contra a pessoa, são os desfalques, os “rombos”, os estelionatos, as fraudes, os desvios éticos e outras formas de corrupção.

A violência deixou, assim, de ser um fenômeno localizado, com causas sociológicas e psicológicas explicáveis em determinadas áreas. Sua expansão generalizada alcança hoje sítios, fazendas, cidades interioranas, enfim, locais de aglomeração social.

Prenunciando-se como a mais grave patologia social do século XXI, as ações marginais estão, paulatinamente, impondo limites ao convívio em sociedade. As invasões e ataques a prédios públicos, a destruição do patrimônio coletivo e os sequestros-relâmpagos, são formas mascaradas do estabelecimento do “toque de recolher”, com graves consequências econômicas.

O cidadão que busca o sustento de sua família vê-se, agora, mais do que nunca, refém do próprio medo, ante a ineficácia das políticas públicas voltadas para a geração de emprego e renda no país. A população vive, pois, sob a síndrome do medo.

É a triste constatação de que o Estado brasileiro há se mostrado inerte e sem condições de enfrentar o crime organizado, que mutila, tortura e mata, à falta sem um combate eficaz que restabeleça a segurança pública.

Nesse emaranhado de delitos de toda espécie, um fato merece registro. São os personagens neles envolvidos. Não são mais, apenas, os rudes e os miseráveis os seus autores. Têm-se, nos dias atuais, a presença dos “engravatados”, intelectuais do crime, homens que envergam a bata e a batina, a toga e a farda, o diploma e o mandato.

* Irapuan Diniz de Aguiar – Advogado

irapuanaguiar@gmail.com

Secretaria Especial das Micro e Pequena Empresa ainda sem data para sair do papel

61 1

Promessa de campanha da presidente Dilma Rousseff, a criação da Secretaria das Micro e Pequenas Empresas ainda não tem data para sair do papel. O projeto de lei que trata da nova pasta, que vai ter status de ministério, está em tramitação na Câmara dos Deputados, onde chegou no final de março. Ele ainda precisa ser analisado por quatro comissões. Depois disso, segue para o Senado e, se não houver alteração no texto preparado pelos deputados, só então será encaminhado para a sanção presidencial.

Também promessa de Dilma, a Secretaria de Aviação Civil (SAC) foi criada em março por meio de uma medida provisória e já está funcionado. Funcionou provisoriamente em algumas salas do edifício anexo da Presidência da República até ganhar uma sede definitiva no início de junho,o local utilizado para abrigar, no final do ano passado, o governo de transição.

O deputado Pepe Vargas (PT-RS), presidente da Frente Parlamentar Mista da Micro e Pequena Empresa, avalia que a tramitação do projeto na Câmara está lenta. “Acho que [as comissões] estão demorando na análise do projeto de lei. E isso acaba estimulando que o governo mande medidas provisórias ao Congresso, para agilizar a tramitação.”

Ele diz, porém, que o governo agiu corretamente ao enviar o texto por meio de projeto de lei, que exige a análise pelas comissões, ao contrário do que a presidente Dilma Rousseff fez com a secretaria de aviação. “Tanto a Secretaria das Micro e Pequenas Empresas quanto a da Aviação Civil têm relevância. Mas, no caso da aviação, realmente havia urgência, até por conta da necessidade de apressar os investimentos em aeroportos”, disse Vargas.

O G1 apurou que o governo não trabalha com uma data para o início das atividades da Secretaria das Micro e Pequenas Empresas. A avaliação da equipe da presidente Dilma Rousseff é que a nova pasta vai gerar custos extras aos cofres públicos, o que compromete o esforço do governo para contenção de gastos visando o controle da inflação.”

(Portal G1)

Gestor municipal e os elogios ao Jardim Japonês

298 19

Com o título “O sentimento de pertencimento do povo de Fortaleza”, eis artigo do professor e gestor municipal Moacir Tabvares. Ele destaca o Jardim Japonês, obra da administração da prefeita Luizianne Lins (PT que virou atração turística. Confira:

Caros leitores, é com respeito e prazer que escrevo meus pensamentos e impressões nesse Blog.
O Jardim Japonês e o Novo PV inauguram um novo tempo em nossa cidade. Tempo de grandes obras. Sobretudo tempo de obras de uso comum do povo com a qualidade arquitetônica que cada cidadão-contribuinte requer e merece.

O Jardim encravado em uma encosta, antes habitada por ratos e baratas, é alvo de frenética onda de visitas dos habitantes de Fortaleza e de turistas. Os comentários dos passantes pelo espaço são eloquentes em elogios. O orgulho sereno de nós que fazemos a gestão da prefeita Luizianne Lins é recompensador.
O charmoso, histórico e agora Novo PV também desfruta de rasgados elogios de tantos quantos vão àquela praça de esportes. O badalado técnico Luis Felipe Scollari, o Felipão, fez coro às elegias.
Caros leitores o mais significativo em tudo isso é o sentimento de pertencimento que começa a brotar nos fortalezenses manifestado através do zelo com os referidos espaços. É comum no Novo PV observarmos torcedores admoestando outros torcedores ou até mesmo vendedores ambulantes que desrespeitam as regras do bom uso do local, como por exemplo, pisando nos bancos. No Jardim Japonês, tais manifestações são frequentes.
A construção desse sentimento de pertencimento, onde o espaço público é tratado como algo que pertence a mim e a todos e todas é fundante da consciência cidadã e basilar do republicanismo.
Fica assim marcado que belas obras e boas obras, como as elencadas acima, são de fato facilitadoras de um novo patamar de convivência civilizatória entre nós fortalezenses e a cidade que tanto amamos.
Assim o destino de construir um Fortaleza Bela é direito-dever de muitos e somam esforços à gestão municipal em curso.
A despeito dos algozes de plantão, a generosidade e vanguardismo de nossa população constrói dias melhores arrimadas na própria experiência. Viva o povo de Fortaleza, senhor de seu destino.

* Moacir Tavares

Professor da UFC, Doutor em Saúde Pública, gestor municipal e dirigente do PT de Fortaleza.

Empresa de Eunício Oliveira é alvo de nova denúncia. Senador nega e diz que vai à Justiça

64 3

“Uma das empresas do senador cearense e tesoureiro do PMDB, Eunício Oliveira, teria envolvimento em uma suposta nova fraude milionária de licitação, segundo reportagem publicada na noite deste sábado, 9, no jornal O Estado de S. Paulo.

De acordo com a matéria, a empresa de Eunício, Manchester Serviços Ltda, junto com a Petrobras, teria sido favorecida em uma licitação de R$ 300 milhões na bacia de Campos, região de exploração do pré-sal no Rio de Janeiro.

Conforme relata a reportagem, a fraude teria acontecido depois que a empresa do senador supostamente tomou conhecimento, com antecedência, da relação de seus concorrentes na disputa por um contrato na área de consultorias e gestão empresarial. “De posse dessas informações, procurou empresas para fazer acordo e ganhar o contrato”, denuncia a matéria.

Ainda segundo o jornal, a empresa de Eunício venceu a licitação com valor de R$ 64 milhões superior à concorrência. Sendo que, de acordo com a reportagem, a maioria das concorrentes sequer teria estrutura para a empreitada.

O Estado de S. Paulo detalha ainda que há fotos que comprovariam que o diretor comercial da empresa do senador cearense reuniu-se por pelo menos duas vezes com uma das empresas convidadas pela Petrobras para concorrer à licitação – a Seebla Engenharia.”

(Estadão e POVO Online)

Este Blog recebeu nesta manhã de domingo a seguinte nota oficial do senador Eunício Oliveira a respeito desse assunto:

N O T A    À    I M P R E N S A

A respeito de matéria publicada, nesta data, pelo jornal O Estado de São Paulo, informo que:

1)  Estou afastado, desde 1998, da gestão de todas as empresas das quais sou acionista, inclusive a Manchester, como pode ser verificado nas Juntas Comerciais.

2)  Por ter me afastado há 13 anos da gestão das empresas, não acompanho e não interfiro em quaisquer decisões administrativas, contratuais ou disputa comercial em que as empresas das quais sou acionista participem.

3)     No caso específico da Manchester, desconheço os personagens das empresas concorrentes citadas na matéria e desafio que alguém apresente prova de interferência minha em concorrências públicas.

4)  Diante das acusações a meu respeito – todas infundadas e inverídicas – buscarei na Justiça a reparação dos danos causados à minha imagem.

Senador Eunício Oliveira

Obras do PAC enfrentam 10,6 mil ações

O governo federal bem que tentou blindar o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para evitar atrasos no cronograma, mas não contou com milhares de processos judiciais no meio do caminho. Desde 2007, quando foi lançado como bandeira política do governo Lula e da atual presidente Dilma Rousseff, o programa acumula 10.619 ações judiciais e administrativas, segundo a Advocacia Geral da União (AGU).

Pelos dados do último balanço, divulgado no fim do ano passado, o PAC inclui cerca de 13 mil empreendimentos em várias áreas, como transportes, energia, saneamento básico, urbanismo e habitação. Na média, isso significaria dizer que as ações representam 80% dos projetos. Mas, na prática, algumas obras mais polêmicas somam dezenas de processos enquanto outras estão livres da enxurrada de questionamentos.

A maioria das ações envolve processos de desapropriação de áreas para a construção dos empreendimentos. Até junho, a briga entre proprietários de terras e governo somava 4.493 processos judiciais.

(Agência Estado)

Julgamento do caso mensalão pode ficar para 2012 e ser o mais longo do Supremo

A partir das alegações finais da acusação apresentada pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel , o processo do mensalão deve cumprir ainda um longo caminho até o julgamento final no Supremo Tribunal Federal (STF).

Os réus terão, a partir do início de agosto, quando o Judiciário voltará do recesso, 30 dias para apresentar suas últimas defesas. Só então o relator do caso no Supremo, ministro Joaquim Barbosa, começará a elaborar seu voto, que deve ser concluído em dezembro. Na previsão dele, a sessão que selará o destino dos 36 acusados deve ocorrer no início de 2012.

A ação penal do mensalão corre no Supremo, um foro privilegiado, porque dois dos acusados são deputados – Valdemar Costa Neto (PR-SP) e João Paulo Cunha (PTSP). Recentemente, surgiram boatos de que, na reta final da ação, eles poderiam renunciar aos mandatos, o que, em tese, levaria o processo para a instância comum da Justiça, começando do zero novamente.

Diante dessas especulações, o próprio relator Joaquim Barbosa esclareceu que, caso houvesse renúncia dos deputados, ele desmembraria a ação. Os dois deputados negam que tenham essa intenção.

Outra especulação é que alguns dos crimes estariam prescrevendo, e o primeiro seria o de formação de quadrilha. Para Joaquim Barbosa, esse crime se prescreverá em oito anos a partir de agosto de 2007, data do recebimento da denúncia.

(O GLOBO)

Ministérios do Turismo e Cidades são os novos alvos de Dilma

83 1

A crise que culminou com a degola de toda a cúpula do Ministério dos Transportes na semana passada permitiu à presidente Dilma Rousseff avançar na sua estratégia para desmontar os feudos partidários no governo, especialmente no segundo escalão, onde se concentram muitos órgãos com alto e forte poder de decisão financeira e administrativa. Na mira de Dilma, outras pastas problemáticas: o Ministério do Turismo e o das Cidades.

Um ministro próximo confirma que Dilma está fazendo agora o que não conseguiu fazer na transição de governo, por pressão política de aliados e até do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

(O GLOBO)

Alckmin – Impunidade estimula crime do colarinho branco



“O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou que a impunidade é a razão que estimula o crime do colarinho branco e defendeu que o Supremo Tribunal Federal (STF) se pronuncie a respeito do processo do Mensalão. Nessa semana, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, apresentou ao STF pedido de condenação de 36 dos 38 réus do escândalo. “Eu entendo que é a impunidade que estimula o crime do colarinho branco. Então, é muito importante a justiça se pronunciar”, disse, após participar de desfile militar em homenagem aos heróis da Revolução Constitucionalista de 1932.

O governador ressaltou que é muito importante ter “serenidade” e aguardar o resultado judicial deste caso. “Nós devemos aguardar a decisão final do STF”. Alckmin evitou se posicionar sobre a existência do mensalão, mas disse que o procurador-geral é uma pessoa de ‘alta responsabilidade’. “Quem está falando é o procurador-geral da República, que estudou o processo e verificou provas. Enfim, uma pessoa de alta responsabilidade.”

Questionado sobre as recentes baixas na equipe da presidente Dilma Rousseff (PT), o governador de São Paulo tergiversou. Segundo ele, não é a substituição de ministros que fala contra ou a favor do governo, o essencial é verificar as razões das trocas. Apesar da afirmativa, Alckmin evitou tecer comentários sobre tais razões: “Este é um tema federal, deixe que o governo federal se pronuncie.”

O desfile militar, realizado no Obelisco do Ibirapuera, onde estão sepultados os heróis da Revolução, contou também com as presenças da vice-prefeita de São Paulo, Alda Marco Antônio, de secretários da administração estadual e municipal, além de autoridades da Polícia Militar.

(Veja)

'Obrigado e adeus', diz última edição de tabloide envolvido em escândalo

A última edição do tabloide News of World deve chegar às bancas britânicas neste domingo com uma capa que diz apenas “Obrigado e adeus”.

O jornal, o mais vendido da Grã-Bretanha aos domingos, com 2,8 milhões de exemplares, deixará de circular após 168 anos, em meio a um escândalo de grampos ilegais que está causando comoção no país.

Acredita-se que a edição final bata recordes de vendas: ganhará uma tiragem de quase 5 milhões de cópias neste domingo.

O jornal é acusado de ter interceptado milhares de ligações telefônicas de celebridades, políticos, soldados britânicos e pessoas de interesse mídiático, como crianças desaparecidas.

O escândalo veio à tona pela primeira vez em 2006, mas ganhou proporção nos últimos dias, com a denúncia de que um detetive que trabalhava para o tabloide teria grampeado o telefone celular de Milly Dowler, uma menina de 13 anos que desapareceu em 2002.

O News of The World conta com uma equipe de cerca de 200 profissionais, que provavelmente perderão seus empregos.

(Uol)

Empresa norte-americana vendia sexo na Amazônia, diz Polícia Federal

Uma empresa de turismo norte-americana que organizou excursões pesqueiras na Amazônia está sendo investigada sob suspeita de explorar o turismo sexual no Brasil. A Wet-A-Line Tours é alvo de um processo no Estado da Geórgia, segundo reportagem publicada neste sábado (9) pelo jornal “The New York Times”. A agência também está sendo processada no Brasil, assim como a Santana Ecofish Safari, parceira que organizava passeios em Manaus.

Segundo investigações da Polícia Federal, ao menos 15 meninas foram vítimas de estupros e aliciamento nas viagens promovidas pelo proprietário da agência norte-americana, Richard Schair. A empresa, de acordo com a investigação, utilizava iates luxuosos, camuflados de pesca esportiva para estrangeiros.

“O pacote incluía o turismo sexual”, afirma o superintendente da Polícia Federal no Amazonas, Sérgio Fontes.

As meninas são da cidade de Autazes, a 118 quilômetros de Manaus, e eram aliciadas, segundo a Polícia, para participar dos passeios pesqueiros.

Além de Schair, são réus na ação penal José Lauro Rocha da Silva, proprietário da agência de turismo brasileira, Daniel Geraldo Lopes, Juscelino de Souza Motta e os irmãos Admilson Garcia da Silva e Adilson Garcia da Silva. O processo do caso está em segredo de Justiça no Brasil.

Em seu site, o grupo norte-americano de ativismo feminino Equality Now afirma que o processo nos EUA foi aberto em junho por quatro meninas, todas de origem indígena, que dizem ter sido forçadas a se prostituir quando tinham menos de 18 anos (a mais jovem tinha 12 anos).

A Equality Now afirma que elas alegam ter sido “vendidas como prostitutas”. “No barco, teriam recebido bebida alcoólica e drogas e forçadas a praticar atos sexuais”.

O grupo diz que é a primeira ação a usar a Lei de Proteção às Vítimas do Tráfico Humano para pedir compensação às supostas vítimas.

OUTRO LADO

O proprietário da Wet-A-Line Tours, Richard Schair, nega as acusações, segundo o jornal “The New York Times”, que publicou a reportagem sobre o caso.

Schair negou envolvimento com a prostituição infantil nos depoimentos à Polícia Federal. A Folha não conseguiu localizar o empresário.

A reportagem tentou contato com os advogados dos outros réus na ação brasileira (José Lauro Rocha da Silva, da agência Santana Ecofish Safari, Daniel Geraldo Lopes, Juscelino de Souza Motta e os irmãos Admilson Garcia da Silva e Adilson Garcia da Silva), mas não teve sucesso.

O empresário norte-americano tenta suspender temporariamente o processo que corre em seu país.

(Folha)

Camilo Santana vira curinga eleitoral do governador?

82 2

O secretário estadual das Cidades, Camilo Santana, continua suas andanças na periferia de Fortaleza, mas, mesmo assim, não se esqueceu de suas origens: o Cariri. Neste domingo, ele marcará presença na ExpoCrato, evento que, com certeza, mobilizará metade da classe política cearense. Camilo, inclusive, mandou instalar um estande para expor as obras de sua pasta que contemplam a região. Há outro detalhe no gesto: Camilo quer dar um basta em apoiadores do prefeito do Crato, Samuel Araripe (PSDB), que estão divulgando obras do Estado como se fossem da Prefeitura. A ida de Camilo ao Cariri, em evento de grande repercussão midiático, traz outra leitura: se não der para sair candidato a prefeito de Fortaleza, nada o impedirá de ser o ungido de Cid Gomes para o Governo.

FPM de julho vem menor do que repasse de junho

“Foram creditados, na última sexta-feira (8), nas contas das 5.564 prefeituras de todo país, os recursos referentes ao primeiro repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) do mês de julho. O total depositado, segundo levantamento da União Brasileira de Municípios (UBAM), foi de R$ 1.728.644.732,06, já descontado o Fundo Nacional da Educação Básica (Fundeb). Sem esse desconto o montante seria de R$ 2.160.805.915,08.

Segundo o presidente da UBAM, Leonardo Santana, esse primeiro repasse foi 23% menor, comparado ao mês passado. Isso demonstra, segundo ele, a inconstância econômica que impulsiona os municípios ao descrédito de suas possibilidades de planejamento financeiro, tendo em vista que os prefeitos nunca têm certeza se terão recursos em caixa para garantir as principais demandas das prefeituras, significando isso um retrocesso imenso que fere o pacto federativo.

Leonardo considera que a União tem o dever de manter os entes federados em condições de garantirem os serviços à população, independentemente do aumento ou diminuição da carga tributária, o que não vem acontecendo, pois, assegurou ele, o Governo Federal possui recursos num montante nunca registrado na história, com uma arrecadação recorde, inclusive com dinheiro para emprestar ao FMI, deixando de lado suas principais atribuições.

O presidente da UBAM, no entanto, reconheceu que os recursos do Fundo de Participação dos Municípios têm registrado uma pequena recuperação, se comparado a 2010, porém ele advertiu que se esses recursos chegassem a triplicar durante um ano não seria o suficiente para repor as perdas registradas nos repasses, que chegam a mais de R$ 4 bilhões de reais nos últimos três anos.

“A UBAM orienta os Prefeitos e Prefeitas para que tenham muita cautela em relação ao comprometimento das receitas, pois não esperamos aumento nos meses que se seguem. É preciso ainda administrar em estado de alerta, mantendo a máquina administrativa equilibrada e procurando outras fontes de geração de recursos, para que os Municípios possam deixar essa dependência dos recursos do FPM, até que consigamos sensibilizar o governo da União a não governar sozinho, quando o assunto em pauta é a divisão do bolo tributário”. Finalizou o Leonardo Santana.”

(UBAM)