Blog do Eliomar

Últimos posts

No combate a facções, ninguém é de oposição

216 1

O deputado estadual eleito Soldado Noelio (PROS) está visitando os quarteis da Polícia Militar, tanto da Capital como do Interior do Ceará. Ele oferece apoio aos profissionais que estão atuando na operação de combate ao crime organizado.

O parlamentar já atuou diretamente no combate ao crime no Ceará como policial e diz saber “como este momento é delicado”. Segundo ele, um momento que requer “união dos governantes e também total apoio aos profissionais da segurança pública para que eles possam desenvolver seu papel.”

Ele segue a cartilha do deputado federal eleito e presidente do PROS do Estado, Capitão Wagner: nada de críticas, mas apoio neste momento de dificuldades a todos. “Reconhecemos que as decisões tomadas pelo governador, nos últimos dias, são de extrema importância e necessárias para que o crime organizado se enfraqueça. É preciso moralizar o Estado”, diz Noelio.

DETALHE – O vereador Julierme Sena (PROS) trabalhou, com policial civil, até o fim da manhã deste domingo nas ações de combate às facções. Circulou, inclusive, com equipe por bairros como a Bela Vista e nossa Parquelândia.

(Foto – Divulgação)

Onda de violência – 38 municípios cearenses já relataram ataques

197 2

Desde o início da onda ataques, provocada por criminosos, na madrugada da última quarta-feira (2), em Fortaleza e Região Metropolitana, 38 municípios já relataram ter sofrido algum tipo de ação criminosa, por meio das redes sociais.

Em Ibaretama, no sertão cearense, a 130 quilômetros de Fortaleza, o município perdeu todos os equipamentos que serviam à população, desde transporte escolar a carro-pipa.

Em Limoeiro do Norte, no Baixo Jaguaribe, a 190 quilômetros da Capital, a torre de uma operadora de telefonia foi danificada e 12 municípios ficaram com a comunicação comprometida.

Em Acaraú, no Noroeste do Estado, a 238 quilômetros de Fortaleza, os dois ônibus escolares foram incendiados.

Copa São Paulo – Leãozinho goleia e consegue classificação para a próxima fase

O Fortaleza goleou o Sertãozinho, por 4 a 0, na tarde deste domingo (6), pela Copa São Paulo de Futebol Junior, e assegurou classificação para a próxima fase da competição, independente do resultado do próximo jogo, quarta-feira (9), diante do Primavera, que também está classificado.

Já o Ceará empatou com a Ponte Preta, em 1 a 1, e precisa de um novo empate, na quarta-feira, diante do Andradina, para assegurar presença na próxima fase.

A situação mais delicada é a do Horizonte, que perdeu para o Francana, por 1 a 0, e agora precisa vencer o Cuiabá, na terça-feira (8), para seguir na competição.

(Foto: Reprodução)

Empresas que têm como base de sustentação o foco no cliente, geram mais receita e lucro

Em artigo sobre economia, o consultor financeiro Fabiano Mapurunga, Mestre em Administração com ênfase em Finanças e MBA em Gestão Financeira e Controladoria, aponta que quanto mais ações voltadas para melhorar a experiência do cliente com os produtos e serviços de uma companhia, maiores serão seus resultados financeiros. Confira:

Estamos iniciando o ano comercial de 2019 observando a sequência de feriados que, segundo a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomércio/ SP), podem representar uma queda de R$ 7,6 bilhões no faturamento do comércio varejista. Esse número, em termos relativos, representa 0,4% do total faturado pelo varejo em um ano. Apesar de esta estimativa apontar uma redução em relação ao realizado em 2018, quando a queda de faturamento foi na ordem de R$ 11,2 bilhões, entendemos que expressivamente se faz necessário tomar medidas para ampliar mais ainda a capacidade das empresas de aumentarem sua tendência de gerar resultados.

Sem o cliente, não há motivo de existência da empresa, pois não haverá entrada “orgânica” de capital, para suportar sua operação. Ou seja, o cliente é a tábua de salvação de qualquer negócio e a ele dever ser oferecido o que há de melhor. Logo, vejo o foco na experiência do cliente, como uma das principais ferramentas capazes de expandir a capacidade de qualquer negócio, aumentar e solidificar seus resultados financeiros.

Um estudo da consultoria de gestão McKinsey, o qual avaliou, no período de cinco anos, os dados financeiros de 300 companhias globais listadas na bolsa, chegou à conclusão que empresas que tiveram como prioridade o foco no cliente e o monitoramento e ajuste constante de seus processos – movimento que recebeu o nome de design organizacional – tiveram um ganho real maior que as demais. Temos exemplos visíveis deste fato, como a gigante do entretenimento Disney, a qual possui processos muito bem detalhados, para garantir o encanto de cada cliente que visita seus parques temáticos. Além desta temos também o aplicativo de streaming de música Spotify e o buscador Google.

A consultoria chegou à conclusão que, quanto mais ações voltadas para melhorar a experiência do cliente com os produtos e serviços de uma companhia, maiores serão seus resultados financeiros. Ainda dentro deste âmbito da experiência do cliente, o mesmo estudo revelou que um bom arranjo das equipes é fundamental para se ampliar a produtividade do negócio. Somar profissionais com formações distintas, se reunindo para resolver algum problema específico, é uma maneira de se combater a barreira burocrática na troca de ideias, fato que se caracteriza como um problema comum de grande parte das empresas pelo mundo a fora, que possuem departamentos com estruturas engessadas.

A ideia deste artigo, foi lhes trazer mais elementos para ajudar a angariar mais resultados para seus negócios e demonstrar que ações periféricas podem ter relações diretas com seus resultados financeiros.

Fabiano Mapurunga

Consultor em Finanças e Negócios. Mestre em Administração com ênfase em Finanças. MBA em Gestão de Negócios. MBA em Gestão Financeira e Controladoria. Professor Universitário

Papa faz apelo para que migrantes à deriva sejam acolhidos

O papa Francisco fez um apelo neste domingo (6) para que governos europeus acolham migrantes à deriva no mar do Mediterrâneo.

Ao falar para fiéis na Praça de São Pedro, no Vaticano, ele se referiu aos migrantes salvos por dois navios de organizações não-governamentais que aguardam autorização para desembarcar na Europa.

O papa foi aplaudido e o seu pronunciamento tem relação direta com 49 migrantes que ainda estão a bordo dois navios, o Sea Watch e o Sea Eye.

Eles não estão alojados em nenhum ponto do Mediterrâneo e permanecem estacionados nas águas de Malta.

(Agência Brasil)

Presidente do Sindiônibus e a onda de ataques criminosos em Fortaleza

631 5

Em sua página no Facebook,  presidente do Sindiônibus, Dimas Barreira, fala sobre o cenário atual de Fortaleza, com ataques criminosos e o transporte coletivo. Confira:

Venho a público dizer que sinto muito por esta difícil situação de insegurança que Fortaleza atravessa e por todos os impactos que nossos cidadãos vêm sofrendo em decorrência disto, especialmente quanto à precariedade causada ao serviço de transporte público.
Sempre em sintonia com os órgãos públicos de segurança, temos trabalhado intensamente no Sindiônibus e empresas associadas procurando criar estratégias para manter alguma oferta de transporte. Porém, diante da intensidade e quantidade de ataques criminosos, nestes momentos a oferta possível de serviços fica muito aquém das necessidades da população fortalezense, maior prejudicada por estes ataques.

Todos os dias nossos ônibus estão preparados e nossos funcionários estão prontos na expectativa de poder atender à população. A avaliação da segurança é permanente para identificar oportunidades seguras de aumentar gradativamente a oferta de transporte até a normalidade. Desde o dia 02/01/19, já tentamos algumas vezes retomar o serviço pleno ou ampliar, porém novos ataques causam perda de controle e recuo.

Chegamos a um ponto em que precisamos contar com o apoio da polícia para embarcar policiais nos ônibus, o que limita muito nossa capacidade de ofertar serviços. Neste momento, graças ao apoio da polícia, podemos contar com com 136 ônibus em 81 linhas operando, o que é muito pouco mesmo para um domingo, que normalmente tem cerca de 700 veículos circulando.

A queima de um ônibus prejudica toda a população, pois a reposição de cada um leva vários meses e isso traz sérios impactos negativos ao desempenho normal do sistema de transportes. Financeiramente o prejuízo é exclusivo das empresas, que muitas vezes nem têm condições de repor um ônibus em momento não previsto em seu planejamento financeiro, por não dispor do dinheiro ou do crédito disponível para uma operação financeira que não se encaixa na sua capacidade de pagamento.

Aproveito a oportunidade para deixar claro que não existe seguro para vandalismo em frotas de ônibus. Não há nenhum meio de amortecer o impacto financeiro causado às empresas.

Também é importante entender que outro grave prejuízo para as empresas decorre de estar impedida de exercer sua atividade, única fonte de receita para arcar com seus compromissos. Mais da metade do que arrecadamos é destinado a despesas com funcionários, que precisam receber normalmente, independente de as empresas não estarem arrecadando nestes dias.

Reitero à nossa população, especialmente a nossos clientes, que todos sentimos muito. Agradecemos sinceramente a nossos funcionários, em especial motoristas, cobradores e equipes de controle operacional, que se desdobram para fazer seu melhor e às vezes precisam enfrentar o medo para atender à população da melhor maneira possível.

Ainda, reitero minha confiança nas nossas forças de segurança para restabelecer rapidamente a normalidade no nosso estado para que nosso povo possa trabalhar em paz para reverter qualquer perda ocorrida neste triste período.

*Dimas Barreira,

Presidente do Sindiônibus/Fortaleza.

Theresa May alerta sobre riscos se Brexit for recusado

A primeira-ministra britânica, a conservadora Theresa May, advertiu hoje (6) que o Reino Unido entrará num “território desconhecido” se o parlamento recusar este mês o acordo do Brexit a que chegou com a União Europeia (UE). A saída do Reino Unido da UE é apelidada de Brexit, palavra originada na língua inglesa resultante da junção de Britain e exit.

Ela confirmou numa entrevista à BBC que tenciona submeter o acordo a uma votação durante a terceira semana de janeiro. Em dezembro, a votação tinha sido adiada por conta da falta de maioria parlamentar que o apoie.

“Se o acordo não for aprovado vamos entrar num território desconhecido. Não acredito que alguém possa dizer exatamente o que ocorreria em termos da reação que veríamos no parlamento”, disse.

May insistiu que espera nos próximos dias obter novas garantias da UE que outorguem “confiança” aos críticos do pacto de que o mecanismo de salvaguarda para evitar uma fronteira da Irlanda do Norte não se converta em permanente.

Oposição ao acordo
A preocupação em torno deste assunto é o principal ponto que levou o setor mais eurocético dos conservadores e os sócios do Partido Democrático Unionista (DUP) da Irlanda do Norte a se oporem ao acordo.

A primeira-ministra britânica insistiu que é contrária à convocatória de um segundo referendo sobre o Brexit, defendendo que seria uma “falta de respeito” face ao resultado da consulta de junho de 2016, na qual 51,9% dos votantes optaram pela saída da UE.

May também sublinhou que não há tempo para organizar um referendo antes de 29 de março, a data combinada para a ruptura, e que, por isso, essa opção obrigaria a adiar o Brexit.

À espera de novas concessões por parte de Bruxelas, que sedia a União Europeia, que facilitem a aprovação do acordo na Câmara dos Comuns, a mandatária conservadora antecipou que, nos próximos dias, anunciará novas medidas para tentar convencer os céticos.

Em primeiro lugar, prevê anunciar “medidas referentes à Irlanda do Norte”, e, em segundo lugar, deverá anunciar um plano para outorgar “um maior papel ao parlamento” nas futuras negociações sobre a relação comercial que estabelecerão Londres e Bruxelas depois da saída britânica do bloco comunitário.

(Agência Brasil)

Após duas horas de paralisação, Fortaleza terá 81 linhas com 136 ônibus disponíveis neste domingo

Fortaleza terá 136 ônibus distribuídos em 81 linhas na tarde deste domingo, 6, conforme informa o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus). Cada coletivo contará com três policiais embarcados para segurança dos passageiros. A frota estará nas ruas logo após duas horas de paralisação, entre 13h30min e 15h30min, período de troca de turno dos agentes.

Confira a lista das linhas que devem operar neste domingo:

10 – Cumbuco
11 – Circular 1
15 – Conjunto Ceará/Antônio Bezerra I
23 – Corujão/Edson Queiroz/Papicu
26 – Antônio Bezerra/Messejana
29 – Parangaba/Náutico
31 – Avenida Borges de Melo I
32 – Avenida Borges de Melo II
34 – Corujão/Avenida Paranjana I
35 – Corujão/Avenida Paranjana II
36 – Corujão/Conjunto Ceará/Papicu/Montese
37 – Corujão/Conjunto Ceará/Aldeota
38 – Parangaba/Papicu
39 – Corujão/Avenida Bezerra de Menezes
44 – Parangaba/Papicu/Montese
45 – Iguape
46 – Corujão/Conjunto Ceará
48 – Corujão/Parangaba/Papicu
50 – Siqueira/Papicu/Washington Soares
53 – Messejana/Papicu/Washington Soares
54 – Corujão/Praia do Futuro/Caça e Pesca
55 – Corujão/Grande Circular I
56 – Corujão/Grande Circular II
57 – Itapebussu
58 – Corujão/Jardim Guanabara/Cj Nova Assunção II
59 – Corujão/Avenida Sargento Hermínio
62 – Corujão/Conjunto Esperança
63 – Corujão/Bom Jardim
64 – Corujão/Aeroporto/Centro/Rodoviária
65 – Corujão/Barroso/Jardim Violeta
66 – Parangaba/Papicu/Aeroporto
67 – Maranguape
69 – Lagoa/Papicu/Via Expressa
73 – Siqueira/Praia de Iracema
74 – Antônio Bezerra/Unifor
77 – Parangaba/Mucuripe
79 – Antônio Bezerra/Náutico
85 – Lagoa/Aldeota
88 – Antônio Bezerra/Albert Sabin
95 – Corujão/José Walter
101 – Beira Rio
210 – Quintino Cunha/Antônio Bezerra
211 – Vila Velha/Antônio Bezerra
212 – Jardim Guanabara/Conjunto Nova Assunção I
222 – Cascavel
326 – Jereissati/Fortaleza
327 – Conjunto Ceará/4ª Etapa
332 – Terminal Metrópole
335 – Bom Jardim I
336 – Parque Santa Cecília I
338 – Novo Maracanaú
341 – Conjunto Ceará/Centro/3ª Etapa
347 – José Walter/Parangaba/Avenida L
348 – Planalto Caucaia
350 – Novo Maracanaú II
360 – Siqueira/João Pessoa
361 – Siqueira/Osório de Paiva/Parangaba
362 – Siqueira/Vila Manoel Sátiro/Parangaba
364 – Parque Potira
373 – Maranguape
389 – Jovita Feitosa/Shopping Benfica
390 – Parangaba/João Pessoa
398 – Corujão/José Bastos/Genibaú
401 – Montese/Parangaba
405 – Parque Dois Irmãos/Expedicionários
603 – Jardim União/Centro
605 – José Walter/Br 116/Avenida I
621 – Pedras I
622 – Pedras II
629 – Conjunto Palmeiras/Perimetral
635 – Conjunto Tamandaré
650 – Messejana/Centro/Br Nova/Expresso
665 – Corujão/Messejana/Centro
676 – Conjunto Curió
680 – José Walter/Papicu/Cidade Jardim
685 – Messejana/Rodoviária
815 – Messejana/Papicu/Conjunto Tancredo Neves
841 – HGF/Papicu/Riomar
909 – Praia do Futuro/Caça Pesca/Beira Mar
1331 – Carlos Jereissati Rota 1
1332 – Carlos Jereissati Rota 2

(O POVO Online / Repórter Larissa Carvalho)

Iracema registra chuva de 126 milímetros

Choveu, neste domingo, em 33 municípios cearenses de acordo com boletim divulgado pela Funceme. A maior delas se registrou em Iracema, com 126 milímetros.

Em Fortaleza, o tempo continua de alta temperatura.

Confira:

Iracema (Posto: Bastioes) : 126.0 mm

Pedra Branca (Posto: Pedra Branca) : 86.0 mm

Mombaça (Posto: Mombaca) : 52.0 mm

Quiterianópolis (Posto: Baixio) : 33.0 mm

Tauá (Posto: Vera Cruz) : 32.0 mm

Meruoca (Posto: Meruoca) : 29.0 mm

Tauá (Posto: Marruas) : 25.3 mm

Iracema (Posto: Canafistula) : 25.0 mm

Forquilha (Posto: Forquilha) : 22.0 mm

Ipueiras (Posto: America) : 20.4 mm

A crise e suas razões

375 1

Editorial do O POVO deste domingo (6) aponta que é impossível localizar as saídas para o grande problema que nos aflige sem que, antes, localizemos as razões que o fizeram nascer, crescer e atingir a dimensão que agora torna a sociedade cearense refém de uma perturbação organizada que precisa ter um fim. Confira:

É sempre importante que se busque entender as causas de situações como a que temos vivido nos últimos dias e horas no Ceará, com uma onda de ataques a ônibus, veículos, prédios e estruturas públicas, organizados, ao que se sabe, por facções criminosas que agem por ordens partidas de dentro das unidades prisionais. É preciso reconhecer que as autoridades estaduais e federais têm adotado as medidas emergenciais que parecem necessárias dentro de um quadro de caos que as ações criminosas tentam estabelecer. Com êxito em momentos determinados, é preciso admitir.

Material que está publicado nesta edição, em reportagem assinada pelos repórteres Cláudio Ribeiro, Thiago Paiva e Eduarda Talicy, cumpre este objetivo de procurar identificar as motivações de todo o cenário dramático e analisá-lo. Discute a raiz da situação, buscando ouvir especialistas e autoridades para, observando a crise a partir de suas causas possíveis, fazer um debate que enfatize as alternativas de soluções. No emergencial, não há dúvida, o caminho é o reforço do aparato estatal para o combate necessário às intervenções violentas, mas, passada a fase mais aguda, o quadro exige inteligência e a melhor leitura para uma reversão efetiva e perdurável da crise desafiadora.

Parece claro que cometeu-se erros lá atrás que nos conduziram à situação preocupante destes dias. Ao mesmo tempo, também se demonstra certo que a reação dos criminosos tem a ver com decisões governamentais acertadas, algumas adotadas antes, outras em vias de efetivação, como resultado natural de uma mudança de comando na administração do setor, o que impõe à sociedade uma certa paciência, dentro do que for possível tê-la, como gesto de apoio aos agentes públicos duramente empenhados no esforço de restabelecer a ordem.

Será impossível reencontrar a normalidade e fazê-la permanente, em termos consistentes, sem uma boa reflexão acerca do que nos trouxe à realidade que assombra a todos. De qualquer maneira, reconforta, caso este seja um termo aplicável diante do que assistimos acontecer aos nossos olhos, perceber que de alguma forma o que se vive tem a ver, também, com atitudes concretas adotadas no sentido de fazer prevalecer o Estado sobre a marginalidade, no sentido do que é interesse público, sem pactos, sem acordos e sem tréguas fabricadas.

O POVO cumpre um papel fundamental no equilíbrio do acompanhamento da situação crítica ao fazer uma análise minimizando as factualidades, sem desconsiderá-las, em nome de um mergulho mais profundo na crise. É impossível localizar as saídas para o grande problema que nos aflige sem que, antes, localizemos as razões que o fizeram nascer, crescer e atingir a dimensão que agora torna a sociedade cearense refém de uma perturbação organizada que precisa ter um fim. E, estamos certos, terá.

André Fernandes diz admirar Camilo, mas governo passou a mão na cabeça do crime organizado

449 1

O deputado estadual André Fernandes (PSL), em suas redes sociais, diz que admira o governador Camilo Santana (PT) por ter nomeado o secretário Luís Mauro, para a Administração Penitenciária. Também por ele ter solicitar as forças de segurança nacional.

Mas o parlamentar não dispensou um a crítica: Para ele o Governo passou a mão na cabeça da criminalidade.

Dois suspeitos são mortos em confronto com a Polícia na Granja Portugal

560 1

(ATUALIZAÇÃO – 13h02min)

Dois homens foram mortos na madrugada deste domingo (6), na Granja Portugal, durante confronto com a Polícia, após perseguição pelas ruas do bairro. Um outro suspeito conseguiu fugir. Ele foram encontrados pelos agentes quando estariam tentando atear fogo em posto de atendimento do Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

No veículo ocupado pelos suspeitos, a Polícia encontrou um galão de gasolina e cinco coquetéis molotov.

Até o momento, os nomes dos suspeitos não foram divulgados. Os homens estavam com coletes à prova de bala.

(Fotos: WhatsApp)

O Caminho que levou Zezinho ao secretariado

298 1

Da Coluna Gualter George, no O POVO deste domingo (6):

A intenção do governador Camilo Santana foi clara, embora os resultados do seu movimento político ainda não pareçam assim tão cristalinos. Incomodava o Palácio da Abolição a perspectiva de o comando do Poder Legislativo permanecer com Zezinho Albuquerque, do PDT, pelo quarto mandato consecutivo, coisa inédita na nossa história política. Um aliado, do qual não se tem queixas a fazer pelo comportamento adotado à frente da Assembleia, a maior parte do tempo com o petista já no cargo, mas, convenhamos, há momentos em que a mudança se torna quase que uma imposição. O sentimento é de que a coisa chegou ao seu limite, na perspectiva de todos.

Os sinais de incômodo foram chegando até Zezinho, por caminhos diversos, e acabaram captadas por ele, um político de larga experiência. Coincidência ou não, por essa época começou a tomar corpo uma resistência mais forte à ideia de entregar ao MDB a secretaria das Cidades, objeto de cobiça de muitos partidos e aliados pelo expressivo volume de recursos que deverá administrar pelos próximos anos. O que se avalia é que, no caso dos projetos vinculados à pasta, existe um maior grau de certeza quanto à execução nos próximos anos do que estava programado, independente das dúvidas naturais advindas da chegada de um novo grupo ao comando do poder federal após o histórico resultado de 2018 na disputa pela Presidência da República.

Houve, no clima da transição, em determinado momento, uma forte simpatia à ideia de oferecer ao neoaliado Eunício Oliveira, derrotado em seu projeto de reeleição ao Senado, a possibilidade de indicar alguém para uma pasta grande, expressiva, capaz de satisfazer o seu tamanho político.

Correspondente, por exemplo, a quem atualmente ocupa a presidência de uma casa do Congresso, o que não é pouca coisa. Neste ponto da conversa é que começou a surgir a opção da secretaria das Cidades, bem aceita por interlocutores quando colocada no campo da conjectura.

O cenário começou a ser redesenhado quando anunciou-se um acerto entre parlamentares das bancadas de PDT e PP para que coubesse a esta última sigla indicar o nome que iniciaria o segundo mandato de Camilo à frente da pasta. Ninguém poderá dizer que, publicamente, percebeu uma ação de Zezinho Albuquerque no sentido de alimentar este movimento, mas, podem acreditar, aconteceu. Ainda mais, lembre-se, porque o PP do Ceará é presidido pelo deputado federal eleito AJ Albuquerque, que, o sobrenome trai, é da família do presidente da Assembleia. Filho dele, para ser mais preciso.

O final da história, sabemos, é que Zezinho Albuquerque ocupa a Secretaria das Cidades (ela mesmo), enquanto o MDB de Eunício, no primeiro escalão, ficou com a Controladoria (Aluisio Carvalho) e a Sesporte (Rogério Pinheiro).

Claro que a novela terá novos capítulos, um dos quais, já com data marcada, se desenrolará no dia 1º de fevereiro com a escolha do novo presidente da Assembleia. A preço de hoje, estão colocadas pra valer as opções Tin Gomes (preferido dos deputados) e Evandro Leitão (com a simpatia de Camilo e familiares de peso), mas ninguém ficará surpreso se, ao final, um outro nome surgir, a história do tercius, como solução pacificadora da base. E, para surpresa de ninguém, todo o processo estará conduzido pelo próprio Zezinho, a pedido do governador. É aquela velha história política de que, ao final, eles acabam se entendendo.

O inimigo com rosto e a onda de atentados no Ceará

354 3

Com o título “Inimigo com rosto”, eis artigo do radialista Cláudio Teran. Ele aborda a onda de ataques criminosos no Ceará e suas possíveis origens e omissões. Confira:

O bandido conhecido como Marcola, fundador do PCC, foi preso em 2002 em solo cearense: Fortaleza. Não estava a passeio. Naquele tempo já tratava de organizar e descentralizar a atuação do crime.

Levado para SP onde foi condenado e cumpre pena, continuou agindo. O PCC virou franquia, se espalhou pelo país, e ele manda e desmanda. De onde? De dentro da cadeia! O governo sabe, o Congresso sabe, o Judiciário. E nada acontece!

O que foi feito de lá para cá visando impedir que o crime se sindicalizasse no país até chegar a esse ponto em que nos encontramos hoje?

Da costela do PCC surgiram outras facções as quais os governos estaduais e o federal até
bem pouco negavam sua existência, enquanto eles avançavam na desordem, violencia e na intimidação.

Os comandados do crime são jovens demais. Em média têm entre 15 e 25 anos. Como foi a infância deles e o que os levou ao crime?

Tenho visto e acumulado muitas opiniões de todos os lados: situação, oposição, governos, candidatos, bancada da bala, polícia, pitaqueiros…Mas podem observar, ninguém sabe o que fazer!

Com a Força nacional nas ruas daqui, e aquela intervenção do Exército no RJ o crime continuou com sua organização, tentáculos, e bilhões, uma montanha infindável de bilhões que circulam na rede bancária formal. Sim!

Que providências o país tomou ou vai tomar para enfraquecer os caras tomando-lhes o dinheiro que move a indústria da criminalidade?

Quando é que oposição e situação finalmente se unirão para mexer nas leis garantindo o mais draconiano confinamento dos que têm a empáfia de comandar o crime de dentro da cadeia, e com a proteção legal do Estado?

Vai aparecer opiniões propondo que se mate todo mundo. Ah que ótimo! Mataremos dez e surgirão 50, 100, empoderados e encorajados pela certeza de que o crime compensa.

Falta ao Brasil enxergar que a tragédia é social e não policial. Falta compreender que a reação e a repressão têm de funcionar como complementos de uma estratégia que privilegie a prevenção, a investigação e as ações perenes que impeçam o florescimento da criminalidade.

Quando será?

*(Por Cláudio Teran, radialista).

Mega-Sena acumula e deverá pagar R$ 8 milhões na quarta-feira

Ninguém acertou os seis números da Mega-Sena, sorteados na noite desse sábado (5), em Caibi/SC. Segundo estimativa da Caixa Econômica Federal, o prêmio da quarta-feira (9) deverá ser de R$ 8 milhões.

Os números sorteados nesse sábado foram: 1739434652 e 53.

A Quina também não teve acertador e o prêmio desta segunda-feira (7) deverá ser de R$ 1,3 milhão, de acordo ainda com a estimativa da Caixa. Os números sorteados nesse sábado foram: 04 – 09 – 50 – 62 e 72.

Motoristas profissionais poderão fazer curso de reciclagem para limpar histórico de infrações

O Projeto de Lei 10551/18 permite a motoristas profissionais habilitados nas categorias A (motos) e B (carros) que acumularem 14 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) a participação em curso preventivo de reciclagem para limpar o histórico de infrações cometidas no trânsito.

A medida concede ao condutor que utiliza veículo para exercer atividade remunerada a chance de evitar punições mais severas, como a suspensão ou a perda do direito de dirigir, em razão da quantidade de pontos acumulados na CNH.

Atualmente o Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503/97) já prevê a possibilidade de participação em cursos preventivos de reciclagem para motoristas profissionais habilitados nas categorias C, D e E (ônibus e caminhões).
Autor da proposta, o deputado Hugo Leal (PSD-RJ) argumenta que o objetivo é estender a o direito ao curso preventivo também a motoristas profissionais das categorias A ou B.

“São mototaxistas, motofretistas, taxistas e motoristas de aplicativos que, considerando o maior tempo ao volante, estão mais sujeitos a autuações de trânsito”, diz Leal. “Para esses condutores, o documento de habilitação é o seu mais importante instrumento de trabalho, sem o qual eles não podem trabalhar”, disse.

O projeto será discutido e votado de forma conclusiva nas comissões de Viação e Transportes; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

(Agência Câmara Notícias)