Blog do Eliomar

Últimos posts

Pacote de medidas altera prazo de recolhimento do PIS e Cofins

“O pacote de medidas de aquecimento da economia anunciado hoje (3) pelo governo altera o prazo de recolhimento do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins). Atualmente, o recolhimento é feito no mês subsequente à venda ou ao faturamento. Com a mudança, o pagamento dos meses de abril e maio será feito em novembro e dezembro, respectivamente.

De acordo com as medidas, serão beneficiados os setores têxtil, de autopeças, confecção, calçados e móveis. O valor estimado de tributos a serem recolhidos pelos cinco setores é R$ 670 milhões em abril e R$ 727 milhões em maio.

Também fazem parte do pacote de medidas incentivos ao Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (Pronon). O objetivo é ampliar os recursos do setor privado na prevenção e combate ao câncer. Com isso, pessoas físicas e jurídicas poderão deduzir do Imposto de Renda as doações e patrocínios em favor de parte das entidades dedicadas à pesquisa e tratamento da doença.

Com a medida, o Ministério da Fazenda estima impacto fiscal de R$ 305,8 milhões em 2013 e de R$ 337 milhões em 2014.”

(Agência Brasil)

Demóstenes Torres pede desligamento do DEM

308 2

O ex-líder do DEM no Senado, Demóstenes Torres, acaba de pedir desligamento da legenda. O ofício foi encaminhado, há pouco, ao presidente do partido, José Agripino Maia. Com isso, Demóstenes permanece no Senado, só que sem partido. Assim, o processo de expulsão aberto nesta segunda, 2, no DEM deixa de existir. As informações são das assessorias de imprensa de Agripino Maia e de Demóstenes Torres.

Ele aguarda o pedido de apuração protocolado na Mesa Diretora do Senado pelo PSOL. A legenda quer que o Conselho de Ética investigue as denúncias de ligação de Demóstenes com o empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, preso por envolvimento com máquinas caça-níqueis em Goiás.

Gravações feitas pela Polícia Federal registraram solicitação de dinheiro a Cachoeira, feitas pelo senador e informações privilegiadas repassados por Demóstenes para o controlador do jogo ilegal em Goiás.

(Agência Brasil)

Chefe da Casa Civil do Governo Cid volta ao cenário das denúncias sobre consignados

273 9

Como título “Outro escândalo milionário em família, no Ceará”, eis dois tópicos da coluna do Cláudio Humberto desta terça-feira. O alvo é Arialdo Pinho e a história éa dos consignasdos. Confira:

* A revista Época confirmou revelação desta coluna sobre o escândalo no crédito consignado no Ceará. A Promus, que faz empréstimos a 150 mil servidores com exclusividade, movimentando R$ 40 milhões por mês, seria da família de Arialdo de Mello Pinho, chefe da Casa Civil do governador Cid Gomes. A comissão da Promus chega a 19%, suspeita o Ministério Público. A ABC, outra empresa do esquema, opera o cartão único para o servidor, e está registrada no endereço da Promus.

* A Promus está no nome de Zé do Gás, cunhado de Arialdo Pinho, que já foi patrão do ex-deputado Ciro Gomes no Beach Park, em 1994

Setor automotivo terá novo regime em 2013

“Dentre as medidas anunciadas hoje (3) para aquecer a economia e ajudar a indústria nacional a enfrentar a crise econômica mundial, o setor automotivo ganhou um novo regime, para substituir o atual, que perde a vigência em dezembro deste ano. O novo regime, que terá validade de 2013 a 2017, inclui novas condições de habilitação para as futuras fábricas, além de incentivos. O objetivo é atrair investimentos para a produção de novos modelos no Brasil.

Segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), haverá uma fase de transição entre os dois modelos.

De acordo com a proposta apresentada pelo ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, na solenidade em que o governo anunciou medidas para aquecer a economia e proteger a indústria nacional, a meta é aumentar o conteúdo regional, medido pelo volume de aquisições de peças e insumos estratégicos. Outro objetivo é assegurar investimentos em inovação e o volume de gastos em engenharia e tecnologia industrial básica, com eficiência energética com etiquetagem veicular e a redução da emissão de dióxido de carbono.

Conforme a proposta, empresas que quiserem incentivos terão que apresentar um um projeto de investimento em novos modelos. Durante a construção de uma fábrica, o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) recolhido sobre os importados gerará créditos tributários, que serão usados após o início da produção do novo parque fabril. O crédito será limitado a metade da capacidade prevista no projeto aprovado pelo governo. Haverá também cota de importação.

Neste ano, porém, não haverá qualquer alteração no IPI, e o incentivo para redução do imposto será condicionado ao esforço de produção e inovação a partir de 2013. A redução do IPI também será calculada com base no valor da compra de peças e materiais no Brasil. De acordo com a proposta, quanto maior a compra, maior o benefício, que será calculado em até 30 pontos percentuais do IPI.

Está prevista ainda no pacote a redução adicional de dois pontos percentuais no IPI para empresas que investirem em pesquisa, desenvolvimento e engenharia.”

(Agência Brasil)

Fortaleza terá encenação infantil da Paixão de Cristo

195 1

Cerca de 70 crianças do Bairro Ellery, em Fortaleza, vão encenar, pela décima sétima vez, a Paixão de Cristo. O espetáculo ocorrerá na próxima sexta-feira e terá início às 8 horas, com saida da Paróquia de Nossa Senhora de Lourdes. Percorrerá, segundo organizadores, as principais ruas dos bairros Ellery e Monte Castelo.

Entre as novidades deste ano da Paixão, a divulgação do tema da Campanha da Fraternidade -“Fraternidade e Saúde Pública”, como mote para reflexões. A crucificação, por exemplo, ocorrerá em frente ao Centro de Saúde Paulo Mamede  como forma de denunciar o descaso das autoridades para com a saúde.

SERVIÇO

* Mais informações – 8755 4463 (Wescley Sacramento).

Campus do Cariri com vaga para professor adjunto

Estão abertas, até o dia 2 de maio, as inscrições para concurso público de professor adjunto da Universidade Federal do Ceará, no Campus do Cariri. São duas vagas, ambas no regime de 40 horas semanais e com dedicação exclusiva. Uma é no setor de estudo Fisiologia/Bioquímica/Farmacologia e outra no de estudo Fisiologia/Biofísica/Imunologia/Biologia Molecular.

O candidato deve ter título de doutor e pode fazer a inscrição de forma presencial ou por procuração, na secretaria do Campus do Cariri (Rua Divino Salvador, 284 – Rosário – Barbalha – CE – fone (88) 3312.5000), nos dias úteis, no horário das 8 às 11 horas e das 14 às 17 horas.

SERVIÇO

A inscrição pode ser também via Sedex, desde que postada 24 horas antes da data final de inscrição e obedecendo às demais condições estabelecidas no Edital n° 130/2012, que pode ser acessado no endereço: www.srh.ufc.br.

(Site da UFC)

Governo anuncia aporte de R$ 45 bi para BNDES

“O governo anunciou o aporte de R$ 45 bilhões do Tesouro Nacional para o Banco Nacional de Desenvolvimento Social e Econômico (BNDES) destinar mais recursos ao setor produtivo, incluindo o  Programa de Sustentação do Investimento (PSI). A proposta, segundo o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, é dar forte apoio ao investimento com ênfase na inovação.

Segundo o ministro da Fazenda, Guido Mantega, esse montante irá se juntar aos R$ 100 bilhões de recursos próprios que o BNDES já tem.

Para o setor de ônibus e caminhões, com produção nacional, as taxas de juros fixas caem de 10% ao ano para 7,7% ao ano. Ainda entre as mudanças está o prazo total do financiamento que vai passar de 96 meses para até 120 meses. Os juros do Procaminhoneiro caem de 7% ao ano para 5,5%. Para os ônibus híbridos, a taxa de 5% ao ano foi mantida.

No caso dos bens de capital, a taxa de juros para grande empresa, segundo Luciano Coutinho, cai de 8,7% para 7,3% ao ano. Para a micro, pequena e média empresa, a taxa de juros cai de 6,5% para 5% ao ano. O prazo total de financiamento foi mantido em 120 meses.

As exportações também tiveram medidas de estímulo. Entre elas, a ampliação do prazo total de financiamento de 24 para 36 meses.

O BNDES anunciou ainda medidas para estimular a inovação e aumentar a competitividade dos produtos brasileiros. O financiamento para inovação tecnológica foi mantido em 4% ao ano, mas os juros dos recursos para o Capital Inovador cairam de 5% ao ano para 4%. Os recursos para a Renovação da Produção caíram de 7% para 4%. O prazo de carência foi ampliado de 36 meses para 48 meses.

Foi anunciado ainda um subprograma, dentro do PSI, para projetos transformadores com valores disponíveis de R$ 8 bilhões. De acordo com o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, essa linha financiará novos projetos de investimentos destinados à construção de capacidade tecnológica e produtiva em setores responsáveis pela produção de bens importados que possam garantir ganhos de produtividade e qualidade. Para esses, a taxa de juros é de 5% ao ano, com prazo total de 144 meses e carência de até quatro anos.”

(Agência Brasil)

Audiência discute porte de arma pela Guarda Municipal

A Câmara Municipal de Fortaleza realiza na próxima segunda-feira,, a partir das 9h30min, no auditório Ademar Arruda, uma audiência para discutir o uso de armas pela Guarda Municipal de Fortaleza. A proposição é do presidente do Legislativo, vereador Acrísio Sena (PT), subscrita pelos 41 vereadores.

O presidente destaca que o debate foi motivado devido a mobilização dos guardas municipais, principalmente, pelos recentes episódios, e ressaltou a importância de uma discussão aprofundada com todos os organismos envolvidos.

“Precisamos de um amplo debate, até porque a Lei é federal. A discussão também deve tratar do porte de arma para um pelotão especial da Guarda Municipal, ou se será estendido para todos. A Câmara dará sua contribuição”, disse Acrísio Sena.

Para a discussão serão convidadas órgãos e instituições que atuam na área, como a Polícia Federal, Secretaria de Segurança Pública do Estado; Ministério Público; Secretaria dos Direitos Humanos do Estado e do Município; Ordem dos Advogados do Ceará (OAB); Comando da 10° Região Militar; representante da Associação dos Profissionais de Segurança Pública do Estado do Ceará (Aprospec) e Central dos trabalhadores; trabalhadoras do Brasil (CTB) e representantes da Guarda Municipal de Fortaleza.

(Câmara Municipal de Fortaleza / Foto: Genílson de Lima)

Banco Mundial apoia criação de instituição bancária de desenvolvimento do Brics

“O presidente do Banco Mundial, Robert Zoellick, disse hoje (3) que a instituição está disponível para trabalhar em conjunto com o futuro banco de desenvolvimento do Brics (grupo formado pelo Brasil, a Rússia, Índia, China e África do Sul). A decisão de criar o banco foi anunciada na semana passada, durante a quarta reunião do bloco, em Nova Delhi, na Índia.

“Trabalhamos com os bancos regionais de desenvolvimento e tenho parcerias com esses bancos”, disse Zoellick, no Fórum Boao, que debateu a integração econômica da Ásia, em Hainão, na China. “Por princípio, se os países do Brics pretendem desenvolver [o seu banco], nós trabalharemos com ele.”, acrescentou.

A ideia é que a nova instituição bancária seja uma espécie de alternativa ao Banco Mundial e ao Fundo Monetário Internacional (FMI). Na semana passada, foi anunciada a criação de um grupo de trabalho, integrado por representantes de todos os países do Brics. O grupo deve definir os termos de referência, a estrutura do organismo, como será integralizado o capital e as práticas de comércio bilateral e multilateral.

A proposta do banco do Brics é estabelecer um mecanismo que permita o financiamento de projetos exclusivamente nos países em desenvolvimento. A ideia é que a presidência da instituição seja rotativa entre os cinco integrantes do Brics. Paralelamente, os líderes presentes aos debates deverão reiterar a defesa da ampliação do FMI. Apoiaram a criação do banco a presidenta Dilma Rousseff e os presidentes Dmitri Medvedev (Rússia), Hu Jintao (China) e Jacob Zuma (África do Sul), além do primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh.”

(Agência Lusa/Brasil)

O governador e seu amigo de fé

O secretário especial da Copa, Ferrúcio Feitosa, receberá nesta terça-feira, às 19 horas, no auditório do estádio Castelão, a Medalha Boticário Ferreira. A iniciativa é do então vereador Roberto Mesquita (PV), hoje deputado estadual.

Segundo a assessoria de imprensa do Palácio da Abolição, o governador Cid Gomes prestigiará o ato e, depois, tomará a rota de Canindé, com grupo de secretários . Cid vai peregrinar por 16 quilômetros, entre Maranguape e Canindé, inaugurando assim o projeto “Caminhos de Assis”, um conjunto de alojamentos, com infraestrura para atender aos romeiros.

(Foto – Paulo MOska)

Comunidade Católica Recado realiza “lava-pés” com moradores de rua de Fortaleza

Voluntários de todas as idades da Comunidade Católica Recado realizarão uma ação diferente durante esta Semana Santa. Nesta terça-feira, a partir das 22 horas, eles promoverão um lava-pés com ceia pascal destinada a moradores de rua. Será um gesto a mais na atividade semanal de distribuição de sopa para os que moram pelas ruas do Centro de Fortaleza, informa a organização.

A ação integra também a programação que comemora os 28 anos de fundação da Comunidade Católica Recado.

Os voluntários estarão reunidos na Rua Paula Rodrigues, 191, no bairro de Fátima, sede da Comunidade Recado, quando, a partri das 18 horas, vão começar a preparar a ceia que será distribuída após a encenação do “lava-pés”.  Cada voluntário será convidado a lavar os pés dos moradores de rua em um gesto de humildade.

SERVIÇO

Comunidade Recado – Rua Paula Rodrigues, 191 – Bairro de Fátima
Horário da preparação do alimento – Das 18 às 22 horas
Partida para o Centro e início da distribuição – 22 horas

O golpe de 1º de abril de 1964

Eis artigo do jornalista e radialista Messias Pontes. O título é “A verdade sobre o golpe de 1º de abril de 1964”. Messias tenta desmistificar a chamada Revolução de 64 e diz torcer logo pela implementação da Comissão da Verdade, que tentará elucidar crimes cometidos na época do regime militar. Confira:

Os democratas brasileiros estão empenhados na elucidação dos crimes cometidos pelos agentes do Estado – civis e militares – durante a ditadura militar (1º de abril de 1964/15 de março de 1985). Todos querem ver logo constituída a Comissão Nacional da Verdade, cuja lei foi sancionada pela presidenta Dilma Rousseff no dia 18 de novembro de 2011, em solenidade das mais concorridas no Palácio do Planalto, com a presença de ex-presos políticos e familiares de ex-presos e desaparecidos políticos.

A Comissão Nacional da Verdade vai procurar elucidar os crimes de sequestro, tortura, assassinato, ocultação de cadáveres, quem os praticou e quem ordenou. Organismos internacionais estão colocando o Brasil no banco dos réus porque ainda hoje não apurou e puniu esses covardes criminosos. Uma vergonha nacional, quando os países onde foram implantadas ditaduras militares no mesmo período já pediram perdão ao povo e puniram os torturadores e assassinos fadados.

Porém tão importante quanto esclarecer os crimes da ditadura é contar a verdadeira história do golpe militar. É preciso que se diga que o golpe não é um ato, mas um processo, e esse processo começou a ser gestado dez anos antes, ou seja, em 1954, quando tentaram derrubar o presidente Getúlio Vargas, acusando-o de corrupção e outras baboseiras mais. Porém Getúlio abortou o golpe dando um tiro no peito, causando uma grande comoção nacional, levando centenas de milhares de pessoas às ruas,  que amedrontou os golpistas e os fez recuar temporariamente.

Em 1962 e 1963, o IBAD – Instituto Brasileiro de Ação Democrática – investiu milhões de dólares financiando programas de rádio em todo o Brasil para falar mal do governo do presidente João Goulart; investiu outros milhões de dólares para eleger uma grande bancada de direita nas casas legislativas, alinhada incondicionalmente ao imperialismo norte-americano.

O embaixador dos Estados Unidos, Lincoln Gordon, mantinha estreita ligação com os setores mais reacionários, como a famigerada TFP – Tradição, Família e Propriedade -e os setores mais conservadores da igreja católica, e recentemente reconheceu que essa dinheirama toda era oriunda do Pentágono. Foram cinco milhões de dólares somente para financiar o golpe em 1964, conforme declarou.
O temor do então presidente norte-americano, John Kennedy, era que o Brasil, pela sua condição estratégica, desse uma guinada à esquerda. Ele temia principalmente a ascensão dos movimentos populares porque estes apoiavam as reformas de base propostas pelo presidente Jango, como as reformas urbana e agrária, da educação,  o voto do analfabeto, a nacionalização das refinarias de petróleo e a limitação em 10% da remessa de lucro das empresas estrangeiras.

É inadmissível que ainda hoje nos colégios e academias militares se ensinem que houve uma “revolução democrática” em 31 de março para “salvar o Brasil” do comunismo. Tudo isso é mentira, pois o golpe foi em 1º de abril e não teve nada de democrático, mas sim uma quartelada antidemocrática e antinacional orientada e financiada pelos Estados Unidos.

As viúvas da ditadura mentem desbragadamente quando afirmam que as Forças Armadas atenderam ao apelo do povo brasileiro. Mais de dois terços dos brasileiros apoiavam o governo de João Goulart, e apenas uma minoria reacionária e elitista, formada por grandes empresários e latifundiários, levada por uma massiva campanha da velha mídia conservadora, venal e golpista, financiada pelo imperialismo norte-americano, foi às ruas contra o presidente João Goulart, eleito democraticamente com extraordinária votação.
O ranço das oligarquias e de setores reacionários da Forças Armadas contra João Goulart remonta o início dos anos 1950 quando, ministro do Trabalho de Getúlio Vargas, em 1952 decretou aumento do salário mínimo de 100%. Insatisfeitos, setores do patronato bateram às portas dos quartéis e os coronéis fizeram grande pressão até que Getúlio exonerou Jango do Ministério, mas mesmo assim manteve o aumento do salário mínimo.

Quando da renúncia do presidente Jânio Quadros, em agosto de 1961, o vice João Goulart se encontrava em visita oficial à República Popular da China. Tão logo soube da renúncia de Jânio, Jango retornou imediatamente ao Brasil, porém os militares golpistas tentaram impedir o seu desembarque em território brasileiro e, consequentemente, a sua posse.

Governador do Rio Grande do Sul, Leonel Brizola comandou uma resistência através da Cadeia da Legalidade – rede de emissoras de todo o País. Em Fortaleza, a retransmissão era feita pela Rádio Dragão do Mar do empresário e deputado federal nacionalista Moisés Pimentel. Uma manobra parlamentarista garantiu a posse de Jango. Contudo os golpistas continuaram tramando contra o governo democrático e popular até o golpe de Estado de 1º de abril de 1964. Há poucos dias do golpe uma frota naval norte-americana foi deslocada para a costa brasileira para entrar em ação se houvesse resistência dos setores militares fiéis ao governo.

Ao assumir a presidência da República, o marechal Humberto de Alencar Castelo Branco, em seu discurso de posse jurou completar o restante do mandato de Jango e convocar eleição presidencial em 1965 e empossar o eleito em janeiro de 1966. Mais uma mentira, pois Castelo foi substituído pelo general Artur da Costa e Silva que, em 13 de dezembro de 1968 instalou o terrorismo de Estado com a edição do Ato Institucional nº 5 (AI-5).

Costa e Silva foi “adoecido” e em seu lugar assumiu uma junta das três Forças – Exército, Marinha e Aeronáutica – tendo à frente o general de Exército Emílio Garrastazu Médici, o mais sanguinário de todos eles. Este foi seguido pelo general Ernesto Geisel e por fim o general João Baptista Figueiredo cumpriu o último mandato militar, sendo substituído por um presidente civil, no caso José Sarney que era vice mas assumiu com a morte do presidente eleito no Colégio Eleitoral,  Tancredo Neves. Figueiredo deixou o Palácio do Planalto pelos fundos, não passando a faixa presidencial a Sarney.

A ditadura castrou toda uma geração , dando lugar ao terrorismo de Estado com a supressão das liberdades democráticas, cassação de mandatos populares, os sequestros, a tortura e morte de milhares de democratas. Ainda hoje mais de 150 famílias esperam pelo direito de dar uma sepultura digna aos seus ente queridos brutalmente assassinados e cujos corpos foram ocultados. Uma verdadeira tragédia nacional.

Esta é apenas uma parte da verdadeira história e que deve ser ensinada em todas as instituições educacionais do País, notadamente nos colégios e academias militares.

* Messias Pontes,

Jornalista e radialista.

Reitor da UFC integrará comitiva de Dilma Rousseff em visita aos EUA

O reitor da Universidade Federal do Ceará, Jesualdo Farias, vai integrar a comitiva que acompanhará a presidente Dilma Rousseff na viagem que ela iniciará, a partir do próximo sabado, aos Estados Unidos.

Jesualdo Farias atende a convite do Itamaraty, dentro de uma agenda que incluirá encontros de reitores brasileiros com instituições norte-americanas de nível superior.

A comitiva de Dilma cumprirá agenda nos EUA até o dai 11. A presidente terá encontro de negócios com o presidente Barak Obama.

Indústria brasileira registra alta de 1,3% na produção de janeiro para fevereiro

“A produção industrial brasileira cresceu 1,3% em fevereiro deste ano, em relação ao mês anterior. Em janeiro, havia sido registrada uma queda de 1,5%. Os dados foram divulgados hoje (3) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em relação a fevereiro de 2011, a produção industrial teve queda de 3,9%. Nos últimos 12 meses, o índice acumula redução de 1%. No acumulado do ano, a indústria caiu 3,4%.

(Agência Brasil)

Vivo cancela almoço

 

ATUALIZAÇÃO – ( 11h21min) – A Vivo cancelou essa coletiva. Informou, agora há pouco, para o Blog a assessoria de imprensa da empresa.

——————————————

A Vivo apresentará nesta terça-feira, durante almoço com a imprensa, no Restaurante Villa Alexandrini (Varjota), seu mais novo produto: o 3g Plus.

Trata-se de uma tecnologia intermediária para o sistema 4g, considerado um grande avanço na internet por ter alta velocidade.

Na ocasião, será apresentado o novo gerente regional da Vivo, no Ceará, Alberto Frantz.

IPECE divulga dados sobre evolução do ensino no Estado

O presidente do Instituto de Pesquisa Econômica e Estratégia do Ceará (IPECE), Flávio Ataliba, dará coletiva às 15 horas desta terça-feira, no edificio da Seplag (Cambeba), para divulgar o Informe nº 28, intitulado: Evolução da Frequência Escolar e Nível de Instrução no Ceará: Análise comparativa com os Estados Brasileiros na Década de 2000. Na coletiva, estará também a secretária de Educação do Estado, Izolda Cela.

O Informe Nº 28 faz uma breve análise dos dados censitários relativos à educação publicados recentemente pelo IBGE. Segundo Flávio Ataliba, so abordados números referentes à freqüência escolar, rede de ensino e nível de instrução.

Os dados apresentam evolução no número de pessoas acessando o ensino, com uma tendência para a universalização entre crianças e jovens entre 7 e 14 anos. Pelo estudo do Ipece, o Ceará se destaca como o terceiro estado com o maior índice de crianças na primeira infância (até 6 anos de idade) acessando a rede de ensino, ficando atrás apenas de São Paulo e Santa Catarina.

CGU vai investigar ex-assessor de Alexandre Padilha

A Controladoria Geral da União (CGU) vai investigar o ex-assessor especial do Ministério da Saúde, Edson Pereira de Oliveira, que diz ter sofrido pressão de parlamentares para intermediar a indicação de dirigentes para os hospitais federais do Rio, conforme denúncia da revista “Veja”. A informaçãó é de reportagem do O Globo, adiantando que  CGU abriu sindicância nesse sentido.

Como Edson Pereira saiu do governo em dezembro de 2011, a investigação pode transformar a exoneração em destituição, deixando o ex-assessor impedido de assumir cargos na administração federal. Edson Pereira era próximo ao ministro Alexandre Padilha, que também pediu a abertura de inquérito à Polícia Federal.

Em entrevista à “Veja”, Oliveira admitiu que recebeu R$ 200 mil, por meio de laranjas, para quitar dívidas de campanha eleitoral na Bahia. Em troca, disse ele à revista, um grupo de parlamentares fluminenses o pressionou para comandar os hospitais federais, alvos de denúncias de desvio de verba. A própria CGU contabilizou prejuízo de R$ 124 milhões, de R$ 887 milhões fiscalizados. Dezenas de contratos foram cancelados.