Blog do Eliomar

Últimos posts

Patrícia Saboya e o Dia Internacional da Mulher

Há exatamente 101 anos, foi instituído o Dia Internacional da Mulher em 08 de março como mais uma aquisição em busca da igualdade social digna entre os gêneros. São inegáveis os avanços obtidos pelas mulheres brasileiras ao longo dos últimos anos – desde a conquista pelo direito de votar e ser votada até a emancipação no campo dos costumes e na vida profissional. Somos mais da metade da população brasileira e 45% da força de trabalho.

Hoje, 37% das famílias do nosso País são chefiadas por mulheres. Ocupamos postos de destaque no comércio, na indústria, na agricultura, no serviço público e, é claro, também na política.

Existe, porém, um espaço enorme para avanços. Apesar das conquistas no mundo do trabalho, é ainda elevado o número de mulheres que trabalham em condições precárias. Somos maioria nos subempregos e no setor informal da economia, especialmente na categoria de empregadas domésticas.

As taxas de desemprego são maiores no universo feminino e a distância salarial entre homens e mulheres permanece, embora venha diminuindo nos últimos anos. Além disso, ainda recai sobre as mulheres a maior parte das tarefas domésticas e familiares. Precisamos mudar esse cenário. Uma das maiores dificuldades das mulheres contemporâneas é justamente a conciliação entre as múltiplas tarefas que desempenham na sociedade. É encontrar o equilíbrio entre a vida profissional e a vida pessoal.

Outro desafio é o de criar filhos no mundo de hoje, cada vez mais complicado, violento e mergulhado numa profunda crise de valores. Uma das nossas mais importantes missões é formar cidadãos e cidadãs preparados para construir uma sociedade melhor, mais justa, mais humana e mais solidária.

Porém essa luta ainda não chegou ao fim, apesar desse “tempo moderno” em que vivemos a igualdade entre os gêneros ainda é destoante. De acordo com a Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) divulgada neste mês, na região metropolitana de Fortaleza as mulheres com curso superior completo ainda ganham 57% do salário do homem, e mesmo com o crescimento feminino em áreas “intituladas” masculinas, como a construção civil, a participação delas no mercado de trabalho estagnou.

Outro dado alarmante é a violência doméstica, mesmo com o crescimento de denúncias e a Lei Maria da Penha em vigor, os números ainda preocupam. A pesquisa Mulheres Brasileiras e gêneros nos espaços públicos e privados, revela que a cada dois minutos, cinco mulheres são espancadas no Brasil, chegando a conclusão que 7,2 milhões de mulheres com mais de 15 anos já sofreram agressão. Esses estudos dão apenas uma ideia de quanto às mulheres ainda são desamparadas e desprotegidas no nosso país, principalmente nas camadas mais pobres da população, alavancando outros problemas como a exploração sexual, muitas vezes iniciada na infância.

Deixando um pouco o pessimismo de lado, porém sem esquecer a latente realidade, considero a busca feminina pela cidadania umas das lutas mais belas que a história há de contar, acreditando que os avanços da sociedade durante todos esses anos contribuíram para isso, e o importante papel das políticas públicas no Brasil que se consolidam cada dia mais no que se refere às mulheres, exaltando sua participação em diversos setores e enaltecendo seus direitos. Em uma humilde reflexão, posso até falar da minha contribuição nessa luta: batalhando por creches, pré-escola; combatendo com veemência a violência doméstica; assegurando os direitos dos seus filhos; aumentando a  licença-maternidade para seis meses, são alguns exemplos. Mas sabemos que há muito a fazer.

Entretanto, é importante destacar o momento das mulheres no nosso país: maior  presença na vida pública. Isso foi uma conquista para a democracia que ajuda a fortalecer as instituições e toda a sociedade. E acreditamos que o caminho aberto com a posse de uma presidente mulher proporcionará, em breve tempo, maior participação de mulheres em todos os setores da sociedade.

Queremos, pois, festejar com todas as mulheres os avanços conquistados pelas mulheres e muitas lutas que ainda estão em curso, na defesa dos interesses das mulheres- mães; das mulheres-filhas; das mulheres-vovós; das mulheres-jovens e adultas; das mulheres que trabalham e das que buscam trabalham; das mulheres que são em todo seio familiar, o coração, a alma, o sentimento, a ternura, o amor e a fortaleza do lar.

Patrícia Saboya, deputada estadual

Brasil perde posições no ranking do turismo mundial

“O Brasil perdeu posições em um ranking mundial de competitividade no setor do turismo, embora tenha obtido pontuação semelhante à de 2009. Em sua última edição, relativa a 2011, o relatório elaborado pelo Fórum Econômico Mundial coloca a sede da próxima Copa do Mundo e das Olimpíadas de 2016 na posição 52 entre 139 países avaliados. A pontuação, 4,36 em uma escala de um a sete, foi praticamente a mesma que em 2009 (4,35), quando foi elaborado o ranking anterior. Naquele ano, quando foram consideradas 133 nações, o país ficou em 45º lugar. Em 2011, o Brasil foi ultrapassado por outros países que registraram incremento mais expressivo, como México e Porto Rico.

“O Brasil ficou em sétimo lugar no ranking das Américas e 52º no ranking geral. O país é o que tem a melhor pontuação entre todos os países no que tange aos recursos naturais e 23º em recursos culturais, com muitos lugares considerados patrimônio da humanidade, uma grande proporção de área protegida e a fauna mais rica do mundo”, afirma o relatório. “Isto é reforçado por uma ênfase na sustentabilidade ambiental (posição 29 do ranking), uma área que vem melhorando ao longo dos últimos anos. A segurança também melhorou de forma impressionante desde a última avaliação”, informa o texto. Em 2009, o relatório aponta preocupação com a qualidade da rede de transporte terrestre e aéreo brasileira, bem como o nível de insegurança.

Sobre o panorama atual, o relatório avalia que “o transporte rodoviário continua subdesenvolvido, com a qualidade das rodovias, portos e ferrovias requerendo melhoras”. “O país continua a sofrer com a baixa competitividade de preços, atribuída em parte a altas taxas aeroportuárias e sobre os bilhetes aéreos, e o nível fiscal em geral”, assinala o texto. “Além disso, o ambiente de negócios não é particularmente propício para o desenvolvimento do setor, com regras restritivas para os investimentos externos, os longos prazos para abrir uma empresa e requerimentos de certa maneira restritivos à abertura de negócios no setor de turismo.”

O relatório destaca a superação da crise econômica mundial pela indústria do turismo internacional. Depois de se contrair em 2009, o setor voltou a se recuperar no ano passado, atingindo neste ano o seu nível pré-crise. Combinando atividades diretas e indiretas, o relatório estima que o setor de viagens e turismo responda hoje por 9,2% do PIB global, mesma proporção dos investimentos mundiais e 4,8% das exportações do planeta. Suíça, Alemanha e França foram considerados os países com melhor ambiente para desenvolvimento da atividade.”

(Agência Basil)

Clube Náutico realiza baile infantil ao som de marchinhas

O Clube Náutico Atlético Cearense realizou, nesta segunda-feira, seu tradicional baile infantil de Carnaval. O salão ficou lotado de crianças, adolescentes, papais e vovôs e vovós que aproveitaram a festa animada peloa banda “Brasa Seis”.

O repertório priorizou as velhas marchinhas, mas alguns hits do momento como aquele “Vou não, posso não…” foram incluídos no script para atender a pedidos. A direção do clube avaliou positivamente o resultado e prometeu novidades para o ano que vem.

Empresários, dirigentes de órgãos públicos, profissionais liberais e a Corte Momina também conferiram o baile, onde a criançada e os altinhos não dispensaram fantasias variadas: dos heróis da tevê a monstros, bailarinas e máscaras de fantasmas.

 

Este repórter do Blog, entre trabalho e lazer, e a cantora Aíla Maria.

(Fotos – Paulo  MOska)

Mulheres poderão tirar de graça o CPF a partir desta 4ª feira

“A Caixa Econômica Federal vai oferecer às mulheres, a partir desta quarta-feira e até o próximo dia 11, o serviço de inscrição gratuita no Cadastro de Pessoa Física (CPF) em todas as agências do banco. O intuito da iniciativa é comemorar o Dia Internacional da Mulher (8 de março).

Segundo a Caixa, o objetivo é possibilitar o acesso das mulheres às políticas públicas do governo federal: Programa Fome Zero, Bolsa Família e o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), além de facilitar o acesso à inclusão bancária e ao microcrédito.”

(Agência Brasil)

Turista paulista morre afogada na Praia do Caça e Pesca

A paulista Jéssica Paola (18), que veio passar o Carnaval em Fortaleza, morreu afogada na manhã da última sexta-feira, 7, na Praia do Caça e Pesca. Segundo a Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops), o fato se registrou por volta das 10h30min. Com ela, estava a prima, Caroline Vieira (17), também de São Paulo, que conseguiu ser resgatada quando estava se afogando. Ao ser reanimada, Caroline informou que estava acompanhada por uma amiga – no caso, Jéssica Paola .

Os socorristas retornaram ao mar para realizar buscas, mas não encontraram o corpo de Jéssica.

Somente por volta das 14 horas, o corpo da jovem foi localizado por turistas na Praia do Futuro, próximo ao hotel Vila Galé, ou seja, a quatro quilõmeros do local do afogamento.

O corpo foi liberado pela Perícia às 16 horas e seguiu para o bairro de Messejana, onde a turista estava hospedada na casa de parentes. Segundo o Corpo de Bombeiros, salva vidas em jet ski fazem a ronda a cada 30 minutos. 

Jéssica e Caroline, sua prima, tomavam banho no rio, perto da ponte, quando a maré começou a subir e elas não conseguiram mais voltar para a margem. Jéssica, segundo o corpo de bombeiros, caiu em uma vala e foi arrastada.

(Com O POVO Online)

Pernambuco vira a locomotiva do Nordeste

89 1

“O helicóptero decola do heliponto do Centro Administrativo de Suape. A 200 metros do chão, é possível ter a dimensão da revolução econômica que a injeção de R$ 46 bilhões em investimentos públicos e privados previstos até 2014 está promovendo em Pernambuco, a nova locomotiva do Nordeste.

Não é o único canto do Estado que avança ligeiro e que tem mudado não só a vida dos 8,7 milhões de pernambucanos, mas sobretudo permitido a volta dos retirantes que um dia caíram no mundo atrás de uma vida melhor.

No interior, duas obras gigantes (a transposição do rio São Francisco e a construção da Ferrovia Transnordestina) ajudam a desenhar uma nova paisagem na vida do morador do agreste e do sertão.

LITORAL

No litoral, onde pode-se observar a síntese da nova dinâmica econômica, o complexo industrial-portuário de Suape, erguido a 40 quilômetros ao sul do Recife, brota a velocidade impressionante.

“Cento e vinte empresas já estão instaladas, outras 30 estão em construção e mais 20 irão surgir até 2014”, enumera Frederico Amâncio, vice-presidente de Suape. Do alto é possível avistar obras em todos os cantos dos 13,5 mil hectares do complexo.

Justo ali, onde há 380 anos invasores holandeses -que acharam de tomar uma fatia do Brasil colônia- indicaram como ponto mais propício à criação de um porto.

E foi nessa região, após romperem pequena porção da parede dos arrecifes que protege o litoral do Atlântico, que os holandeses criaram uma passagem para que os barcos de açúcar alcançassem os navios em alto-mar.

A visão dos invasores ganhou forma quase quatro séculos depois. Investimentos de mais de US$ 3 bilhões nos últimos dez anos criaram a infraestrutura básica para o atual ciclo de expansão do porto de Suape, e converteram a região no principal polo de atração de negócios do Nordeste brasileiro.

A APOSTA PRIVADA

Agora, o PIB pernambucano demonstra vigor e o combustível é Suape. Em 2010, o PIB estadual foi de R$ 87 bilhões -expansão de 15,78% num só ano. Os velhos engenhos de cana e as usinas de açúcar e álcool pouco a pouco deixam de ser predominantes na matriz econômica de Pernambuco.

A aposta do poder público em Suape ao longo de 40 anos -desde o plano original de 1960- começou a seduzir o capital privado. O complexo industrial-portuário, um modelo inédito no Brasil, está fazendo surgir um novo Estado industrial no país.

“Não tínhamos indústria de petróleo e gás, nem indústria naval ou automobilística. Agora há uma nova perspectiva para o Estado”, diz Geraldo Júlio, presidente de Suape e secretário de Desenvolvimento Econômico.

ACIMA DO NORDESTE

A forte expansão econômica elevou a renda per capita do Estado a quase R$ 10 mil, acima da média do Nordeste, de R$ 7.488, mas ainda inferior à renda nacional, de R$ 15.990.

A criminalidade caiu 25% em quatro anos, mas ainda é de 40 homicídios por 100 mil habitantes, quatro vezes mais que no Estado de São Paulo, e superior à média nacional, de 24,5 por 100 mil.”

(Folha.com) 

VAMOS NÓS – Essa reportagem mostra, na prática, que Lula foi um bom filho para seu Estado. Mas, apresenta também um nome novo para a disputa presidencial futura: Eduardo Campos. Ou alguém pensa que a mídia sulista faz esse tipo de cobertura sem interesses outros? De qualquer forma, é prova também de que Bahia e Ceará estão precisando, e muito, de articulação política para conquistar seus grandes empreendimentos. Por aqui, há anos, só se fala em refinaria e siderúrgica e nada sai do papel e das boas intenções. Até quando?

PT concentra nomeações para 2º escalão

“O PT prevaleceu até agora sobre os demais partidos aliados na montagem do segundo escalão do governo Dilma Rousseff. Dos 447 nomeados em janeiro e fevereiro para postos de elite do Executivo federal, pelo menos 170 (38%) são ligados a partidos políticos. Desse total, 124 (73%) são do PT. O dado é resultado de cruzamento feito pela Folha das nomeações publicadas pelo “Diário Oficial da União” em janeiro e fevereiro com a lista de filiados da Justiça Eleitoral e do PT.

Petistas de carteirinha estão espalhados de forma mais ou menos uniforme nas 17 pastas controladas pela legenda, mas seis deles concentram, proporcionalmente, o maior número em relação ao total de nomeados. Desenvolvimento Agrário (83%), Direitos Humanos (72%), Política para as Mulheres (62%), Saúde (56%), Planejamento (56%) e Relações Institucionais (50%) são responsáveis por efetivações de petistas que superam em 50% os cargos de segundo escalão preenchidos nos dois primeiros meses de governo.

Com exceção de Alexandre Padilha (Saúde) e Miriam Belchior (Planejamento), os outros quatro ministros são estreantes no governo – Afonso Florence (Desenvolvimento Agrário), Maria do Rosário (Direitos Humanos), Iriny Lopes (Política para as Mulheres) e Luiz Sérgio (Relações Institucionais). Maior aliado do PT na coalizão de Dilma Rousseff, o PMDB possui seis ministérios, mais a Vice-Presidência, mas teria emplacado apenas 13 indicados, ou 8% do total daqueles que têm filiação partidária. Um pouco acima do PSB (6%), que controla Integração Nacional e Portos.

Mas pode haver pequenos ajustes nos números, já que a lista de filiados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) é alimentada pelos partidos, o que pode dar margem a desatualizações ou incorreções. Além disso, os dados não incluem quadros do governo Lula que foram mantidos por Dilma _aqueles para os quais não houve em 2011 registro de exonerações ou nomeações no “Diário Oficial”. Segundo o TSE, 10% dos eleitores têm filiação partidária 13,9 milhões. O PMDB tem o maior número 2,3 milhões (16,7% do total). O PT vem logo atrás, com 1,4 milhão (10%).”

Leia a matéria completa aqui.

Uma segunda-feira de baile infantil em Fortaleza

Duas opções de baile infantil nesta segunda-feira de Carnaval em Fortaleza: o Carnaval Bem Família, que ocorre nesta tarde no Shoping Benfica, com a criançada tendo direito a desfilar de fantasias ao som de marchinhas.

Já o Clube Náutico Atlético Cearense inicia, a partir das 17 horas, ao som da banda “Brasa Seis”, seu baile que promete também um parquinho para a criançada. No roteiro, marchinhas dos carnavais passados.

Dilma faz homenagem antecipada ao Dia da Mulher

“A presidenta Dilma Roussef fez hoje (7) uma homenagem antecipada ao Dia Internacional das Mulheres, que será comemorado amanhã (8). Em seu programa semanal Café com a Presidenta, ela comentou o aumento médio de 19,4% no benefício do Programa Bolsa Família e afirmou que sem a participação ativa das mulheres, a iniciativa não seria capaz de reduzir a pobreza no país.

Dilma destacou que dos 13 milhões de benefícios distribuídos anualmente, 93% são destinados a mães de família. “Com esse dinheiro, a mãe de família compra alimentos, compra os produtos de higiene e compra todos os produtos de primeira necessidade, inclusive material escolar. E aí gera renda também para o dono do mercadinho, da lojinha, da farmácia, fazendo então a roda da economia girar, gerando emprego e aumentando a riqueza de todos”, explicou.

De acordo com a presidenta, até o momento, os resultados proporcionados pelo programa na área de sáude incluem a queda da desnutrição infantil. Para ela, esse talvez seja o maior benefício do Bolsa Família. “Iimagino como é difícil para uma mãe ouvir um filho pedir comida e não ter para dar”, disse.

Na educação, os avanços incluem o aumento de crianças na escola, já que o abandono escolar é menor entre benefíciários. Manter os filhos na escola é uma das condicionalidades do programa para que a família receba a transferência de renda.”

(Agência Brasil)

Martinho da Vila é atração na folia de Fortaleza

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=300IW5SLmf4[/youtube] 

O cantor Martinho da Vila é a grande atração desta segunda-feira no Carnaval de Fortaleza. Ele vai se apresentar no Aterrinho da Praia de Iraceme, a partri das 22 horas. Antes, haverá atrações com o suingue do Fino Coletivo.

Já na terça-feira, Dia Internacional da Mulher, o palco é do grupo “Samba de Rainha”, com suas sete representantes da cena sambista de São Paulo; e da cantora Teresa Cristina, um dos nomes de maior projeção da retomada da efervescência do samba na Lapa carioca.

PMDB muda tática e evita confrontar Dilma

“Um mês e meio de confronto com a presidente da República por causa dos cargos nos ministérios e no segundo escalão foram suficientes para o PMDB mudar a sua forma de conviver com Dilma Rousseff. A partir de agora, a decisão dos peemedebistas é de não mais falar em cargos nas conversas com a presidente, pois é sabido que ela detesta o assunto.

Está prevista uma nova rodada de negociações em torno de nomes do PMDB depois do carnaval, quando serão definidos os postos em que deverão ser acomodados alguns dos derrotados, como o ex-ministro Geddel Vieira Lima (Integração Nacional), os ex-governadores José Maranhão (Paraíba), Iris Rezende (Goiás) e Orlando Pessutti (Paraná). Em nenhum momento, porém, a cúpula falará com a presidente. O interlocutor será o ministro da Casa Civil, Antonio Palocci.

A Dilma o PMDB tem outro tipo de mensagem, a de que se convenceu de que é governo de fato e de direito e, com ela, quem conversa é o vice, Michel Temer, presidente licenciado da legenda. Qualquer queixa que o partido tiver, no máximo será levada a Temer, que decidirá se vai encaminhá-la à presidente. São dois os motivos que levaram o PMDB a se recolher, informam dirigentes da legenda. Em primeiro lugar, o partido percebeu que Dilma não se deixa pressionar por cargos. Ela sabe que os partidos têm direito a eles, na divisão dos pedaços do bolo para a base aliada. Mas quer que as coisas ocorram no devido tempo. E nos lugares apropriados.

Por exemplo: para as vice-presidências do Banco do Brasil e da Caixa não quer nomes de partidos, mas técnicos que entendam de assuntos financeiros. Não se importa se esses técnicos forem apadrinhados por alguma legenda. Assim, tanto Geddel quanto Iris e Maranhão, candidatos às vices dos bancos oficiais, dificilmente serão nomeados para algum cargo por lá. Palocci já avisou que outras vagas deverão ser encontradas para os candidatos.

Em segundo lugar, o PMDB decidiu ficar na moita para preservar o líder do partido na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN). Pressionado pelo deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que mandava na direção de Furnas Centrais Elétricas – e viu o comando da estatal fugir de suas mãos, por decisão da presidente -, Henrique Alves atritou-se não só com Dilma, mas também com o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão. A ponto de dizer a Lobão que não aceitava a indicação de Flávio Decat para a presidência de Furnas.

Acontece que Henrique Alves é o nome do partido para ocupar a presidência da Câmara de 2013 a 2015, no sistema de rodízio com o PT. Se continuasse se desgastando por causa da disputa por cargos dos ministérios e do segundo escalão, não teria nenhuma condição se candidatar. Numa conversa com Temer, foi aconselhado a mudar de tática. Deu certo. Henrique Alves acabou por levar o PMDB da Câmara a dar os 77 votos a favor do salário mínimo de R$ 545, voltando a cair nas graças da presidente, com quem conversou descontraidamente na quarta-feira, num papo recheado por brincadeiras.”

(Agência Estado)

Em Orós, Carnaval da criançada no dançódromo

289 2

A criançada fez desfile pelas ruas da cidade. 

Orós – Foliões de todas as partes do Ceará estão lotando o Dançódromo Beira Rio, uma das atrações do 11º Carnaval de Orós. As bandas “Axé Meu” e “Forró Lenhada” animam a folia, mas não faltam as tradicionais marchinhas de Carnaval. A Prefeitura de Orós preparou um esquema especial. Além da Polícia Civil, agentes do Pró-Cidadania trabalham para manter a segurança no evento.

Durante toda a noite, também fica de plantão no Dançódromo Beira Rio uma ambulância com equipe médica pronta para atender a qualquer eventualidade. Às margens do açude Orós, as bandas “Narauê” e “Chico Boa” fazem a animação. 

Acredite! Senado promete cortar despesas após o Carnaval

89 1

Tasso integrou comissão que apurou excessos no Senado.

“Na volta do carnaval, parlamentares que compõem a Subcomissão de Reforma Administrativa do Senado prometem retomar o trabalho interrompido pelo período eleitoral para promover uma lipoaspiração nas contas da Casa. O Senado precisou contratar duas vezes a Fundação Getulio Vargas (FGV) para chegar à conclusão de que senadores em início de mandato — como o presidente da Comissão de Constituição e Justiça, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e Ricardo Ferraço (PMDB-ES), que faz parte da subcomissão — já verificaram: o dinheiro público está indo para o ralo.

Só na coordenação de transportes existe uma média de 3,5 funcionários para cuidar de cada carro. A Casa tem 89 veículos que rodam a serviço dos 81 senadores e representantes da Mesa Diretora. Dos 310 funcionários do transporte, 232 são ligados diretamente ao Senado e 78 outros contratados por meio de empresa terceirizada a um custo de R$ 573 mil mensais. Ferraço afirma que a reforma administrativa é uma oportunidade para o Senado.

“Deu para perceber que precisamos cortar na carne. Fico com sentimento de que existe gordura a ser cortada. A ideia é que o nosso trabalho na subcomissão possa ser técnico. O senador Pedro Simon, que fez parte da antiga subcomissão, diz que tem mais gente no museu do Senado do que no Museu Nacional”, ressalta o parlamentar do Espírito Santo.

O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), que presidiu a última subcomissão de reforma administrativa, conta que as eleições “atropelaram” o trabalho do grupo e que, apesar do gigantismo das estruturas, havia projeto na Casa para ampliar a Polícia Legislativa para que os agentes prestassem serviço aos senadores nos estados. “Cada órgão é maior do que o outro. São gigantescos. É necessário avançar na reforma. A polícia que eles queriam fazer é uma Polícia Federal. Se eu me sentisse ameaçado em Pernambuco, ligaria e eles mandariam policiais aqui”, conta Jarbas Vasconcelos.

Ronda

Se a comparação da Polícia Legislativa do Senado com a Polícia Federal parece exagerada, os números do DF ajudam a mensurar as falhas na administração da Casa. De acordo com relatório produzido pelo ex-senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) na subcomissão extinta no fim do ano passado, 427 funcionários atuam no policiamento e segurança do Senado. O número corresponde a 20% do efetivo da Polícia Militar em atividade durante um turno da ronda ostensiva diária do DF.

Além de gastar cerca de R$ 50 milhões por ano com despesas de saúde, pagas por meio de convênios do plano da Casa com instituições médicas, o Senado mantém estrutura de 124 profissionais entre enfermeiros, médicos e dentistas para atendimentos nas dependências do Legislativo. A manutenção da estrutura de um pequeno hospital na folha de pagamento do Senado é questionada pelo relatório.

“Criado para atender a emergências, em um tempo em que Brasília carecia de infraestrutura médica, acabou por transformar-se em um pequeno hospital que presta serviços concorrentes aos do Sistema Único de Saúde. Será que os planos de Saúde disponíveis na Casa não seriam suficientes para atender adequadamente aos servidores e Senadores? Não seria lógico que o Serviço Médico voltasse a ser uma unidade de atendimento de emergências e de Medicina do Trabalho, sendo capaz de fazer o encaminhamento rápido e com segurança dos enfermos e acidentados a hospitais por eles escolhidos?”

Responsável pela impressão de um diário de quatro páginas e outras oito publicações sem periodicidade definida, a Gráfica do Senado abriga 627 funcionários, entre eles 11 responsáveis apenas pelo trabalho tipográfico, arte secular que perdeu espaço depois do advento dos computadores. Na lista das profissões improváveis que ainda figuram na folha da Casa também está a figura do artesão. Admitidos durante a década de 1980, 148 funcionários do setor de “artesanato” estão hoje distribuídos em outras funções no Senado.

Na projeção de cortes que a subcomissão indicou no fim da última legislatura estão a redução em 30% dos contratos de mão de obra terceirizada, o enxugamento de 18% nos cargos em comissões (cairiam de 1.499 para 1.219) e o fim de 856 funções comissionadas.”

(Correio Braziliense Online)

Cientistas desenvolvem exame de sangue para prever síndrome de D

“Mulheres gestantes poderão dentro em breve fazer um exame de sangue, em lugar de submeter-se a exames invasivos arriscados, para prever a probabilidade de seu bebê ter síndrome de Down, disseram cientistas no domingo.

Em um estudo publicado no periódico Nature Medicine, pesquisadores do Chipre disseram que um teste com 40 gestantes usando o exame, no qual é analisado o sangue da mãe para detectar diferenças de DNA entre a mãe e o feto, mostrou que o exame previu com precisão os fetos que tinham risco de apresentar a síndrome.

Philippos Patsalis, diretor médico do Instituto Chipre de Neurologia e Genética, que comandou o estudo, disse que os resultados são “muito instigantes” e que agora o experimento precisa ser testado em um estudo maior com cerca de mil gestações, mas que pode levar a mudanças em práticas clínicas dentro de dois anos.

“Acreditamos que poderemos modificar este exame, tornando-o muito mais fácil e simples, e então teremos algo para ser introduzido na prática clínica,” disse Patsalis à Reuters em Nicósia.

A síndrome de Down é um disturbio genético e ocorre em um de cada 700 bebês nascidos vivos em todo o mundo.”

(Globo)