Blog do Eliomar

Últimos posts

BC projeta inflação em queda até 2012

“O Banco Central (BC) projeta inflação em queda até 2012. Neste ano, a estimativa de inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) é de 5%, segundo o relatório do terceiro trimestre divulgado hoje (30) pelo BC. O índice está 0,4 ponto percentual abaixo ao do relatório anterior, divulgado em junho. Para 2011, a expectativa dos técnicos do Banco Central é de uma inflação de 4,6% pelo mesmo índice.

O relatório informa ainda que o IPCA deverá ficar em 4,4% no final do terceiro trimestre de 2012. Ou seja, abaixo do centro da meta estabelecida para a inflação de 4,5%, com margem de 2 pontos percentuais para cima ou para baixo. Na avaliação do BC, foi adotado um cenário de referência projetado pelo mercado financeiro que pressupõe a manutenção do dólar em R$ 1,75, e a meta para a taxa básica de juros em (Selic) em 10,75% ao ano.

O relatório enfatiza ainda que do ponto de vista dos riscos domésticos diminuiu a possibilidade de um descompasso entre o crescimento da absorção doméstica e a capacidade de expansão da oferta graças à postura do Banco Central na sua política monetária.

Mesmo assim, os técnicos do BC lembram que o Comitê de Política Monetária (Copom) reconhece a existência de riscos de elevação da inflação no curto prazo. Um dos motivos é a “reversão do processo de queda dos preços dos alimentos registrado em meses recentes”.

(Agência Brasil)

No rastro de Tasso, petista José Pimentel visita o Mercado Central

O candidato a senador José Pimentel (PT), tendo ao seu lado o vice-governador Francisco Pinheiro, candidato petista a deputado estadual, e o deputado federal Eudes Xavier , que postula reeleição também pelo PT, visitam, nesta manhã de quinta-feira, o Mercado Central, em Fortaleza.

O grupo conversa com a diretoria da associação dos permissionários e deverá circular, em seguida, pelos boxes comerciais do local pedindo votos e reforçando a candidatura de Dilma Rousseff (PT) para presidente.

DETALHE – O senador tucano Tasso Jereissati, que disputa reeleição, também visitou o Mercado Central nesta semana.

Marina acusa Dilma de mudar, por votos, discurso sobre aborto

89 1

“A presidenciável Marina Silva (PV) acusou ontem a adversária Dilma Rousseff (PT) de mudar o discurso sobre a legalização do aborto para ganhar votos. Ela questionou a sinceridade da petista, que mais cedo, em Brasília, disse ser contrária ao aborto e reclamou de boataria religiosa às vésperas da eleição.

“Eu não faço discurso de conveniência. A ministra Dilma já disse que era a favor e depois mudou de posição”, criticou Marina.

“Não acho que em temas como esse se deva fazer um discurso uma hora de uma forma e outra hora de outra só para agradar o eleitor.”

A senadora reafirmou que é a favor de um plebiscito. Evangélica, ela se diz contrária ao aborto por motivos religiosos. O PV defende a liberação em seu programa.”

(Folha Online)

Criador do "Pirambu Digital" será consultor da Unesco

114 1

O professor Mauro Oliveira, que implantou o projeto “Pirambu Digital”, onde jovens aprendem a elaborar programas de computador, foi aprovado em concurso da Unesco como trabalho para consultoria. Ele passará dois anos em Paris, para onde embarca em dezembro.

Mauro Oliveira, bom lembrar, já foi diretor do antigo Cefet e fundou o Pirambu Digital no bairro do Pirambu, na periferia da Capital, hoje reconhecido nacionalmente como uma experiência ousada e que promove, na prática, inclusão social.

(Coluna Vertical, do O POVO)

Fenaj divulga nome e fala sobre golpismo da mídia

82 2

A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) divulgou nota em que fala sobre golpismo da mídia nestes tempos de campanha eleitoral. Confira:

NOTA OFICIAL DA FENAJ

O conceito de golpe midiático ganhou notoriedade nos últimos dias. O debate é público e parte da constatação de que setores da imprensa passaram a atuar de maneira a privilegiar uma candidatura em detrimento de outra. É legítimo – e desejável – que as direções das empresas jornalísticas explicitem suas opções políticas, partidárias e eleitorais. O que é inaceitável é que o façam também fora dos espaços editoriais. Distorcer, selecionar, divulgar opiniões como se fossem fatos não é exercer o jornalismo, mas, sim, manipular o noticiário cotidiano segundo interesses outros que não os de informar com veracidade.

Se esses recursos são usados para influenciar ou determinar o resultado de uma eleição configura-se golpe com o objetivo de interferir na vontade popular. Não se trata aqui do uso da força, mas sim de técnicas de manipulação da opinião pública. Neste contexto, o uso do conceito “golpe midiático” é perfeitamente compreensível.

Este estado de coisas só acontece porque os jornalistas perderam força e importância no processo de elaboração da informação no interior das empresas. Cada vez menos jornalistas detêm o poder da informação que será fornecida à opinião pública. Ela passa por uma triagem prévia já no seu processo de edição e aqueles que descumprem a dita orientação editorial são penalizados. Também nunca conseguem atingir cargos de direção que, agora, são ocupados por executivos que atendem aos interesses de comitês, bancos associados, acionistas etc.

Esse estado de coisas não apenas abre espaço para que a mídia atenda a interesses outros que não o do cidadão, como também avilta a profissão de jornalista, precariza condições de trabalho e achata salários. A consequência mais trágica disso é a necessidade de se adaptar ao “esquema da empresa” para garantir o emprego, mesmo em detrimento dos valores mais caros.

Para avançar nessa discussão é necessário estabelecer a premissa de que informar a população sobre os desmandos do governo (qualquer deles) é dever da imprensa. Orquestrar campanhas pró ou contra candidatos é abuso de poder. A linha divisória entre esses campos é tênue e cabe ao jornalista, respeitando o profissionalismo e a ética, estabelecer o limite tendo em conta o que é de interesse público.

Não podemos incorrer no erro de instaurar na cobertura de fatos políticos os erros cometidos em outras áreas, ou seja, o pré-julgamento (que dispensa provas, pois o suspeito está condenado previamente) e o jornalismo espetáculo (que expõe situações de maneira emocional para provocar reações extremadas).

A ideia de debater e protestar contra esse estado de coisas resultou na realização do ato em defesa da democracia e contra o golpismo midiático realizado no auditório do Sindicato dos Jornalistas. A proposta surgiu em conversa entre blogueiros, foi assumida pelo Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, que procurou o Sindicato dos Jornalistas e este aceitou sediar o evento.

A sociedade sabe que o local ideal para este debate é o Sindicato dos Jornalistas. Não apenas porque os jornalistas são parte importante nesse processo, mas, principalmente, pela tradição da entidade em ser um espaço democrático aberto às diversas manifestações públicas e de interesse social.

O que está em discussão são duas concepções opostas, uma que considera a informação um bem privado, passível de uso conforme interesses pessoais, e outra que entende a informação como direito social, portanto, regulado por um “contrato social”, exatamente como acontece com a saúde ou a educação.

Ter direito de resposta, garantir espaço para que o contraditório apareça, impedir o monopólio da mídia, tornar transparente os mecanismos de outorga das empresas de rádio e TV, destinar parte da verba oficial para pequenos veículos, criar a rede pública de comunicação, regulamentar as profissões envolvidas com a mídia, não são atos de censura, são movimentos em defesa da liberdade de expressão e cidadania!

O grupo dos liberais quer, a qualquer custo, impedir que o conceito de direito social seja estendido à informação. A confusão feita entre liberdade de opinião, de imprensa, de informação, de profissão e o conceito de censura e de controle público é intencional. Essa confusão é visível na argumentação utilizada pelo Ministro Gilmar Mendes para acabar com a necessidade do diploma de jornalismo. O objetivo é impedir que as ideias por trás das palavras sejam claramente entendidas pelo cidadão e, assim, interditar qualquer reivindicação popular nesse campo.

A liberdade de imprensa é o principal instrumento do jornalista profissional. Não é propriedade dos proprietários dos meios de comunicação. O verdadeiro ato em favor da liberdade de imprensa é feito em defesa do jornalista e, por consequência, diminui o poder da empresa. O problema é que, a exemplo do que escreveu George Orwell no livro 1984 quando criou a novilíngua (que pretendia reduzir o vocabulário, eliminar sinônimos e fundir palavras para diminuir a capacidade de pensamento), o conceito de liberdade de imprensa foi virado pelo avesso e, uma vez apropriado pela empresa de comunicação, passou a diminuir o papel do jornalista obrigando-o a se submeter às engrenagens do poder empresarial. Não é por acaso que existe a frase, ao mesmo tempo trágica e engraçada, de que apenas existe “liberdade de empresa”.

Não é por acaso que o debate sobre liberdade de imprensa e democratização da mídia está presente na campanha eleitoral deste ano. Não é uma briga entre partidos ou candidatos, é uma questão bastante difundida na sociedade e que exige posicionamento público das autoridades. A Associação Nacional de Jornais – ANJ está preparando um código de autoregulamentação para a imprensa que vem, exatamente, no sentido de fazer algo para impedir que o Estado ou a sociedade organizada o faça. Lembremos das palavras do escritor Giuseppe Tomasi di Lampedusa, em O Leopardo, “mudar para continuar igual”.

O debate público precisa ser aprofundado e ele não será feito com preconceitos ideológicos, mas, sim, a partir de análise apurada da realidade e das necessidades da democracia que, entendemos, não se concretiza sem o chamado “contrato social” que regra a atividade humana, impedindo que os mais fortes destruam os mais fracos. Estamos clamando pela verdadeira liberdade de imprensa, pela ética profissional e pelo direito do cidadão de informar e ser informado!

* Federação Nacional dos Jornalistas. 

Eleições 2010 – Presidente do TRE dará coletiva

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral, desembargador Luiz Gerardo de Pontes Brígido, dará entrevista coletiva nesta quinta-feira, a partir das 15 horas, na sala de sessões do Pleno.

Na ocasião, ele falará sobre questões relativas aos diferentes aspectos que envolvem a preparação e realização do pleito, bem como a divulgação dos resultados.

SERVIÇO

Sede do TRE – Rua Jaime Benévolo, nº 21, Centro.

Morre ator Tony Curtis

AFP

Carreira marcada por altos e baixos com problemas com cocaína e alcool.

Representantes da família de Tony Curtis informaram que o ator morreu na madrugada desta quinta-feira, aos 85 anos. Curtis estava em casa, no estado de Nevada, quando sofreu um ataque cardíaco. Em julho, o ator já havia sido internado por conta de problemas respiratórios.

Um dos mais populares de Hollywood, Tony atuou em mais de 140 filmes, se tornando um ídolo adolescente da época. Ao lado de Marilyn Monroe, em 1959, protagonizou seu papel mais marcante, em Quanto Mais Quente Melhor. Também estrelou “Houdini” (1953), “Trapézio” (1956), “Acorrentados” (1958), “Anáguas à bordo” (1959), “Spartacus” (1960), “O homem que odiava as mulheres” (1968), “Os vikings” (1958) e “O Grande Impostor” (1961).

(Com Agências Internacionais)

Apagão de energia em bairros de Fortaleza foi provocado por problemas no linhão da Chesf, diz Coelce

A Coelce informou que o apagão de energia registrado em vários bairros de Fortaleza no período das 4 até 5 e meia da madrugada desta quinta-feira foi provocado por um problemas no linhão de energia da Chesf. Equipes estão fazendo reparos e ainda há bairros com falta de energia.

O apagão atingiu principalmente a área da Aldeota, Dionísio Torres e Cidade dos Funcionários. Na Aldeota, 32 semaforos foram afetados.

Patrícia e Ciro reúnem 400 pessoas em Rede de Amigos

131 3

Ciro acompanhou Patrícia também na inauguração do comitê

Com a presença do deputado federal Ciro Gomes, a candidata a deputada estadual Patrícia Saboya reuniu na noite desta quarta-feira (29), no comitê da Monsenhor Tabosa, bairro Meireles, cerca de 400 pessoas na chamada “Rede de Amigos”. O evento, que é uma das ferramentas de campanha de Patrícia (pessoas reúnem amigos e convidam Patrícia para debater um tema escolhido pelo grupo), contou com a participação de diversos segmentos da sociedade, como empresários, médicos, professores, vendedores ambulantes, operários e donas de casa.

Patrícia se disse feliz, pois as pessoas entenderam o seu desejo de concorrer a uma cadeira de deputada estadual, ao invés de tentar permanecer em Brasília como deputada federal ou senadora.

 “As pessoas estão decepcionadas com a política, por culpa dos políticos. Já percorri dezenas de bairros em Fortaleza, nesses três meses de campanha, e ouvi inúmeras reclamações pela falta de professores, falta de creches, atendimento ruim em postos de saúde, transporte público que não atende à demanda da população, engarrafamentos a qualquer hora do dia, descaso para com a juventude, falta de investimentos em cultura e desemprego. As pessoas entendem que estarei atenta a esses problemas, caso eu seja eleita deputada estadual e se Deus assim permitir. Sempre defendo as causas da população com paixão, porque acredito na política como ferramenta para melhorar a vida das pessoas”, afirmou Patrícia Saboya.

O deputado Ciro Gomes destacou o nome de Patrícia como referência de dignidade, honradez e honestidade na política. “Tudo o que Patrícia faz e tudo o que Patrícia idealiza é para o bem das pessoas, por isso eu estou sempre ao lado dela em seus projetos políticos”, ressaltou Ciro.

Apagão atinge alguns bairros de Fortaleza nesta madrugada

111 1

Faltou energia em alguns bairros de Fortaleza entre 4 e 5 e meia desta madrugada de quinta-feira. Em bairros como a Aldeota, 34 semáforos chegaram a apagar. A Coelce promete dar explicações sobre o fato nas próximas horas.

O apagão atingiu bairros como Aldeota, Dionísio Torres, Cidade dos Funcionários e até o aeroporto Pinto Martins chegou a ficar sem energia por alguns minutos, o que não causou problemas para as operações.

Bate-boca – Roberto Pessoa registra BO contra Ciro Gomes

318 1

“O prefeito de Maracanaú, Roberto Pessoa (PR), registrou Boletim de Ocorrência (B.O.) contra o deputado federal Ciro Gomes (PSB), por causa de uma confusão ocorrida na madrugada de ontem, após debate entre os candidatos ao Governo do Estado promovido pela TV Verdes Mares.

Após o programa, o candidato à reeleição Cid Gomes (PSB) respondia à imprensa sobre um vídeo que mostra o governador, familiares e amigos em uma viagem de férias realizada em 2008. Nas imagens, Cid aparece em uma limusine, supostamente nas ruas de Nova Iorque, e em um jatinho, em possível volta ao Brasil.

Enquanto Cid se defendia das insinuações de adversários, alegando que a viagem foi paga com dinheiro do próprio bolso, Pessoa começou a gritar: “e os 300 milhões que pagaram o avião? Quem pagou o aviãozinho?”. A partir daí, teve início uma sessão de bate-boca que, por pouco, não acabou em socos e pontapés.

O questionamento do prefeito foi encarado como provocação pelos aliados do governador. “Cala a boca, vagabundo”, respondeu um assessor de Cid – que, durante todo o confronto, ficou sem reação, apenas com um sorriso de incômodo estampado no rosto.

Em seguida, Ciro entrou na briga e chamou Pessoa de “vagabundo” e “bandido”, tendo sido xingado pelo coordenador de Lúcio com palavras do mesmo nível. Os dois quase se agrediram fisicamente. A turma do “deixa disso” entrou em ação para evitar conflito maior.

Delegacia

Após a confusão, Pessoa registrou o B.O. porque, segundo ele, Ciro “puxou seu nariz” e o ameaçou. “Ele disse que eu ia me ver com ele”, relatou.

O prefeito negou que tenha começado a discussão, colocando a culpa na “turma” do governador e no suposto “descontrole emocional do Ciro”, conforme ele sugeriu. “Nós somos os pequenos. Eles é que são os grandes”, justificou Pessoa.

O POVO tentou conversar com Ciro logo após o confronto, mas ele preferiu não dar entrevista. Na noite de ontem, O POVO voltou a procurá-lo através de sua assessoria, que informou que o deputado não se pronunciaria sobre o assunto.”

Cartão de crédito – Pagamento mínimo será de 20% da fatura

 governo está terminando de elaborar a nova regulamentação do setor de cartões e, entre as medidas, está uma que elevará o pagamento mínimo exigido na fatura do cartão de crédito.

Hoje, o piso mínimo é de 10% e deverá ser ampliado para até 20%. O objetivo é criar uma regra prudencial para evitar que haja estouro no endividamento dos usuários, já que tem crescido muito rapidamente o número de consumidores que usam o dinheiro de plástico.

Só neste ano, segundo a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), o país terá quase 630 milhões de unidades emitidas, 11% a mais do que em 2009.

– Não queremos, no limite, criar um subprime neste mercado – afirmou ao GLOBO uma fonte próxima ao assunto, referindo-se às hipotecas de alto risco americanas (créditos concedidos a quem não tinha bom histórico de crédito) que acabaram gerando a crise financeira internacional de 2008.

Os números exatos dessa nova regra ainda não foram sacramentados, mas a ideia na mesa hoje é instituir uma escala que passaria o percentual de 10% para 15% e, finalmente, para 20%. Os intervalos para cada degrau seriam grandes, de um ano por exemplo, para que os consumidores se acostumem aos poucos com os novos pisos de pagamento.”

(Globo)

Multas entre 2002 e 2004 estão anuladas

157 1

“As multas aplicadas pela fiscalização eletrônica entre 2002 e setembro de 2004 em Fortaleza foram anuladas. A decisão do juiz substituto da 2ª Vara Federal confirma a liminar concedida em 2006. Na época, a Justiça já tinha acatado a acusação do Ministério Público Federal (MPF): os contratos entre a Autarquia Municipal de Trânsito (AMC) e a empresas proprietárias dos equipamentos eletrônicos tinham cláusulas remuneratórias, o que quer dizer que a remuneração das empresas estava relacionada ao número de multas aplicadas.

“A empresa que multava ganhava percentual sobre a multa aplicada. Quanto mais multava, mais arrecadava. O princípio educativo da penalidade foi transformado em arrecadação”, acusa o procurador do MPF Oscar Costa Filho, autor da ação civil pública movida em 2004. Dois anos antes, em 2002, a resolução nº 141 do Conselho Nacional de Trânsito (Conatran) determinou que “a cláusula que estabelece remuneração com base em percentual ou na quantidade das multas aplicadas não poderá servir para imposição de penalidade, devendo somente ser utilizada para auxiliar a gestão do trânsito.”

Com base nessa portaria, o pedido de nulidade das multas foi aceito, mas Oscar Costa Filho vai recorrer da decisão. Ele quer que todas as multas aplicadas, do início da fiscalização eletrônica em Fortaleza (1998) até 2004, sejam anuladas. “Não era pra ficar nenhuma. A nulidade não foi criada pela resolução, a resolução apenas reforçou”, defende. Na prática, quem nunca pagou as multas recebidas nesses dois anos não vai ter dificuldade na hora de licenciar ou transferir o veículo. Está livre.

Quem pagou

Para quem já pagou, o processo é mais complicado. Oscar Filho avisa que vai “executar” o Estado, cobrando a devolução do dinheiro das multas, corrigido, numa ação coletiva. Mas só vai fazer isso depois de recorrer, pedindo a nulidade de todas as multas.

Em outra sentença, a Justiça indeferiu a acusação de improbidade administrativa contra representantes da AMC e da antiga Empresa de Trânsito e Transporte Urbano (Ettusa – que funcionava antes da criação da AMC, foi desmembrada na autarquia e na Etufor), que teriam deixado de usar o valor arrecadado com as multas nas ações previstas pelo Código Brasileiro de Trânsito “Resta claro que os valores deixaram de ser aplicados, mas não há comprovação de que o montante tenha sido desviado em finalidade diversa da pública”, escreve o juiz.”

(O POVO)

TSE barra Jáder Barbalho

“O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmou, nessa noite de quarta-feira, o indeferimento da candidatura do deputado federal Jader Barbalho, que concorre ao Senado pelo PMDB do Pará, com base na Lei da Ficha Limpa. Apesar da indefinição do Supremo Tribunal Federal, o TSE reafirmou sua posição favorável à aplicação neste ano da lei que torna inelegível quem foi condenado por órgão judicial colegiado e quem renunciou a mandato eletivo para escapar de processo disciplinar.
 
Como Jader pode recorrer ao Supremo Tribunal Federal, e não se sabe o que o STF acha da aplicabilidade da lei, a decisão final sobre se valerá ou não a eventual eleição do peemedebista só será conhecida depois do pleito de domingo (3).

Na verdade, o TSE já tinha decidido pela inelegibilidade de Jader. A decisão de hoje (29) foi a partir de novos embargos e recursos movidos pela defesa de Jader. Antes de ser eleito deputado, Jader renunciou a seu mandato de senador para não ser cassado por força de denúncias de envolvimento em desvio de dinheiro da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam). Por conta da renúncia, um dos itens de inelegibilidade previstos na Lei da Ficha Limpa, a Procuradoria Eleitoral no Pará impugnou sua candidatura. O TRE do Pará, num entendimento local de que a lei não deveria valer para as eleições deste ano, liberou a candidatura de Jader.

A Procuradoria Eleitoral recorreu ao TSE, que declarou Jader inelegível e reafirmou a decisão agora. Situação semelhante deverá ocorrer com o  também deputado federal Paulo Rocha, do PT, que, segundo as pesquisas, será o segundo candidato a senador mais votado no Pará. Até o momento, o registro da candidatura dele está deferido (pelo TRE paraense), mas a questão ainda não foi examinada pelo TSE.

Diante do impasse provocado pela incapacidade do STF de chegar a uma definição, a eleição para senador no Pará se torna, portanto, uma total incógnita.”

(Congresso em Foco)

Abastecimento de milho em crise no Ceará

“A crise atinge o abastecimento de milho no Ceará, segundo o vice-presidente da Federação da Agricultura do Estado, José Flávio Saboya. Por causa da quebra de safra e porque a Conab dificulta liberação de estoques.

“Quem depende do milho – avicultura e produtores de leite, compra a saca de 60 quilos a R$ 40,00 quando seria R$ 22,14”, protesta Saboya.”

(Coluna Vertical, do O POVO)

Debate da TV Jangadeiro sem Cid acaba frio

Sem a presença do governador Cid gomes (PSB), candidato à reeleição que preferiu fazer campanha em Parambu e em primeiro nas pesquisas eleitorais, o Sistema Jangadeiro de Comunicação realizou, nessa noite de quarta-feira, o último debate entre os candidatos ao Governo do Estao antes do pleito de próximo domingo (03). Nesse embate, os candidatos Lúcio Alcântara (PR/PPS), Marcos Cals (PSDB/DEM), Marcelo Silva (PV) e Soraya Tupinambá (PSOL).

Embora ausente, Cid Gomes acabou alvo de acusações e farpas por parte dos candidatos Lúcio Alcântara e Marcos Cals, que falaram da reportagem da revista Veja relativa a um suposto esquema envolvendo o Governo com prefeituras. Lúcio aproveitou para dizer ao eleitorado que o caso é grave e que sempre pautou sua postura política pela ética.

Datafolha: Dilma, 47%; Serra, 28%; e Marina, 14%

“Pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira (30) mostra a candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, com 47% das intenções de voto. O candidato do PSDB, José Serra, aparece com 28%, e Marina Silva, do PV, tem 14%, segundo o levantamento, encomendado pela TV Globo em parceria com o jornal “Folha de S.Paulo”.

Em relação à pesquisa anterior, realizada na segunda-feira (27), Dilma oscilou um ponto para cima; Serra e Marina mantiveram os percentuais registrados anteriormente.

Considerando a margem de erro da pesquisa, de dois pontos percentuais para mais ou para menos, Dilma pode ter de 45% a 49%, Serra, de 26% a 30%, e Marina, de 12% a 16%.

De acordo com a pesquisa, brancos e nulos somaram 3%, e indecisos, 6%.

Plínio de Arruda Sampaio (PSOL) obteve 1%.

Dentre os outros candidatos – Eymael (PSDC), Ivan Pinheiro (PCB), Levy Fidelix (PRTB), Rui Costa Pimenta ( PCO) e Zé Maria (PSTU) –, nenhum atingiu 1% das intenções de voto, mas juntos eles alcançaram 1%.

Considerando os votos válidos, em que se exclui os votos em branco e nulos, Dilma oscilou de 51% para 52%. Com a margem de erro, ela pode ter entre 50% e 54%.

Segundo o Datafolha, como o resultado obtido pela petista está no limite da margem de erro da pesquisa, seria impossível afirmar com certeza que a candidata seria eleita no primeiro turno, caso a eleição fosse agora. Para vencer no primeiro turno, Dilma precisa de 50% mais um dos votos válidos.

Segundo o Datafolha, a oscilação positiva de Dilma se deu por conta da evolução da petista no Sul e no Sudeste.

Nos votos válidos, Serra obtém 31%, Marina, 15%, e Plínio, 1%.

Foram realizadas 13.195 entrevistas em 480 municípios. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número 33119/2010.

Na simulação de segundo turno feita pelo Datafolha, Dilma aparece com 53% (de 51% a 55%, considerando a margem de erro), e Serra, com 39% (37% a 41%). Brancos e nulos totalizam 5%, e 3% dizem não saber em quem votar.”

(Portal G1)

Lula critica Serra que está propondo o 13º salário para o Bolsa Família

“Em comício na noite desta quarta-feira (29) em Aracaju, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu votos para a candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, evocando, mais uma vez, a figura de uma mãe para “cuidar” do país e criticou propostas apresentadas pelo candidato do PSDB, José Serra, como um 13º salário para o Bolsa Família e o aumento do salário mínimo para R$ 600. A candidata petista não participou do evento.

Sem citar o nome do tucano, Lula afirmou que, quando o programa Bolsa Família, uma das principais vitrines de seu governo, foi criado, diziam que se tratava de uma “esmola”. “Hoje, os que diziam que era esmola estão até com a maior cara de pau prometendo 13º para o Bolsa Família. Eles pensam que nós somos aqueles eleitores bobinhos de 20 anos atrás. Tem um deles que até está prometendo aumento do salário mínimo. Ora, eles governam o Brasil há 500 anos. Por que não deram aumento de salário mínimo?”, questionou, afirmando em seguida que houve aumento de 74% do salário mínimo em seu governo.

Lula voltou a dizer que é grato por ter perdido três eleições para a Presidência da República porque só venceu quando estava “mais calejado, mais maduro”. Ele relatou que, nas primeiras campanhas, ficava descontente por ser, segundo ele, alvo de preconceito por parte da população mais pobre. “Votavam contra mim porque estavam desinformados. Naquela época, eles diziam que Lula era um barbudo e, por ser barbudo, era comunista. E eles se esqueciam que Jesus era barbudo, se esqueciam que Tiradentes tinha sido barbudo”, disse.

Dona Lindu
Como tem feito durante a campanha, o presidente evocou a figura materna para pregar o voto em Dilma. “Não precisarmos ser governados. A palavra governar é elitista. Precisamos ser cuidados. Governar é um jeito burocrata que eles faziam, governar para a minoria. O que nós queremos é cuidar como uma mãe cuida dos seus filhos”, afirmou.

O presidente afirmou que foi questionado se uma mulher teria “a mesma capacidade do homem” e disse que pensou na mãe, dona Lindu. “Como é que eu poderia considerar a minha mãe mais fraca? Foi ela que me ensinou a andar, que me deu comida enquanto eu não aprendi a comer, ela que me lavava (…). Como é que alguém que tem competência de cuidar tão bem dos nossos filhos não pode cuidar de 190 milhões de brasileiros?”, disse.”
(POrtal G1)