Blog do Eliomar

Últimos posts

Arce tem novo conselheiro

A Agência Reguladora dos Serviços Públicos Delegados do Ceará (Arce) tem novo conselheiro. O governador Cid Gomes (PSB) nomeou Haroldo Rodrigues de Albuquerque Júnior, que assumirá a vaga de Lúcio Correa Lima. Haroldo Rodrigues cumprirá mandato de quatro anos, com direito a renovação.

Com essa nomeação, o trio responsável pela gestão da Arce fica completo. Além de Haroldo Rodrigues Júnior, são conselheiros os engenheiros Marfisa Aguiar e José Luís do Santos.

Ciro: de "sabido a ingênuo"

 

Do Blog de Reinaldo Azevedo, da Veja Online:

A humilhação a que a o lulo-petismo, por intermédio do PSB, submete o deputado Ciro Gomes deve ser inédita entre aliados. Ciro recebe, assim, uma dura lição numa quadra da vida em que as pessoas costumam estar se preparando para ser mestres. Quando rompeu com o PSDB, exercitando aquele seu discurso sempre estrepitoso, cheio de palavras fortes que apelam à moral, à honra, à dignidade, conquistou grande espaço na imprensa. Eram tempos em que se opor a FHC costumava tornar as pessoas maiores do que de fato eram.

Ainda recentemente, no período de indefinição da candidatura tucana, bastava a Ciro uma viagem a Minas ou uma declaração antevendo a desistência de Serra, e sua visibilidade estava garantida. Nos bastidores, ou nem tanto, costurou um acordo com Lula que previa um Plano B, concorrer ao governo de São Paulo, caso não conseguisse tornar viável o Plano A: disputar a Presidência da República. Como segurança, transferiu o domicílio eleitoral para São Paulo.

Ciro gosta de se mostrar um senhor sabido, também um estudioso da política, daí que seu discurso seja salpicado de termos e expressões oriundos da ciência política. Mas demonstrou uma espantosa ingenuidade — além de ignorar, como já escrevi aqui muitas vezes, a natureza do PT. O que ele imaginou? Garantida a transferência de domicílio, acreditou que Lula realmente o deixaria livre para tentar arregimentar alguns partidos da base aliada para emplacar a sua candidatura? Apostou, em algum momento, que ele e Dilma concorreriam no livre mercado do governismo, e Lula acabaria indicando aquele que se mostrasse mais viável?

Sei lá que diabos se passou pela sua cabeça. Um pouco de teoria política — ou de prática, que ele tem!!! — adverte que não se dá àquele com quem se negocia a vantagem que Ciro deu a Lula: tornou viável o desejo do petista (fazê-lo candidato em São Paulo) e o deixou solto pra capturar todos os partidos com os quais ele, Ciro, poderia potencialmente se aliar, de sorte que este não teria como defender a sua candidatura nem junto ao PSB, que nunca, de fato, a levou a sério.

Nesta fase de pré-disputa, Ciro viu seu patrimônio eleitoral reduzir-se de modo vexaminoso. Dos 22% que já chegou a ter das intenções de voto, caiu para algo aí entre 8% e 9%, desidratado que foi pelo próprio Lula. Na reunião de hoje com o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, também presidente do PSB, e com o vice-presidente, Roberto Amaral, foi obrigado a ouvir que a sua candidatura não emplacou, foi pro vinagre, está acabada. Por outra: Lula, o PT e o próprio PSB empurraram Ciro para a derrocada. E agora usam a sua situação ruim nas pesquisas para lhe impor a desistência.

Mas não só isso: o PSB instrumentalizou a sua eventual candidatura para arrancar vantagens do PT nos estados. Ciro foi usado como mercadoria mesmo; trocado por trinta dinheiros com uma desfaçatez como nunca vi. Tenho um aguçado senso de justiça. Mesmo Ciro sendo quem é, quase me solidarizo com ele. À sua maneira e do seu exclusivo ponto de vista, é mais uma vítima do lulo-petismo.

O que lhe resta? Sei lá eu! Fico a imaginá-lo, depois de uma conversa com Lula, o seu verdugo, a declarar apoio a Dilma Rousseff, o que significará, então, o endosso ao “roçado de escândalos”, segundo expressão sua, que une o PT ao PMDB… Seria uma boa forma de ele dilapidar os 8% que lhe restam de reconhecimento do eleitorado brasileiro…

Talvez, dado o andamento da coisa, acabasse lhe ficando bem a neutralidade, já que acredita que o desfecho eleitoral que aí está obedece a uma espécie de urdidura conspiratória. E qual lição pode ter aprendido? Esta: “NEM SEMPRE O INIMIGO DO MEU INIMIGO É MEU AMIGO!” No caso, pode até ser meu pior inimigo. Romper com o PSDB fez Ciro parecer maior do que era. Aliar-se ao PT o tornou menor do que efetivamente era.

Metrô do Cariri colide com carro-forte

O Metrô do Cariri (Veículo Leve sobre Trilhos – VLT) colidiu, nesta tarde de sexta-feira, com um carro-forte. O acidente ocorreu no cruzamento da rua São Pedro com avenida Carlos Cruz, no Centro de Juazeiro do Norte (Região do Cariri), e não houve vítimas. No local, não há sinalização, nem cancela.

Segundo a perícia, a sinalização precária do local foi responsável pelo acidente. A dianteira do primeiro vagão do trem ficou bastante danificada.

NOTA DO METROFOR

A assessoria de imprensa do Metrofor informou que no local existe sinalização. Trata-se de uma passagem de nível sinalizada com Cruz de Santo André (com os dizeres Pare/Olhe/Escute), sinal luminoso intermitente e redutor de velocidade. A culpa, no caso, seria do motorista do carro-forte, que desrespeitou a sinalização e avançou a linha férrea.

Depois de quatro meses da instalação, Essa é a segunda ocorrência de colisão envolvendo o Metrô do Cariri, que opera há quatro meses, com uma pequena interrupção. Nesta sexta-feira, seria encerrada a fase de testes do trem.

(Com Jangadeiroonline)

Une quer aprovar moção contra Serra

Serra presidiu a Une na época da ditadura.

Dirigentes da UNE (União Nacional do Estudantes) afirmaram na última quinta-feira, na abertura do 58º Coneg (Conselho Nacional de Entidades Gerais), no Rio de Janeiro, que os 500 delegados que participam do encontro podem aprovar uma moção “anti-Serra” durante a plenária final do evento, que termina no domingo (25). Apesar de defenderem uma posição autônoma em relação à disputa presidencial, sem a formalização de apoio a nenhum dos candidatos, dirigentes e integrantes das entidades afirmam que o ex-governador de São Paulo José Serra e o PSDB são antagônicos às propostas e plataformas defendidas pelo movimento estudantil.

Em 2006, a UNE lançou campanha similar durante a disputa do segundo turno entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e Geraldo Alckmin (PSDB). Como o tucano não assinou um documento em que formalizaria compromissos defendidos pelo movimento estudantil, a entidade lançou a campanha “Alckmin, não”. Presidente da UNE entre 1963 e 1964, Serra pode virar alvo do movimento antes mesmo de as propostas da entidade serem formalmente aprovadas. A entidade, que recebeu mais de R$ 10 milhões em convênios com o governo federal nos últimos cinco anos, não deve, no entanto, formalizar apoio à pré-candidata do PT, Dilma Rousseff.”

* Da Agência Estado, leia mais aqui.

Líder do PT na Câmara defende Lula e bate em Ciro Gomes

“O líder do PT na Câmara, Fernando Ferro (PT-PE), lamentou as críticas ao partido e ao presidente Lula feitas pelo deputado Ciro Gomes (PSB-CE) em entrevista ao iG na qual revelou que está fora da disputa pelo Palácio do Planalto. Segundo Ferro, o deputado do PSB está “magoado” por não ter conseguido viabilizar sua candidatura, mas deveria olhar mais “para os próprios erros” ao invés de culpar os petistas e o Palácio do Planalto.

“Ciro está magoado, e temos que entender suas declarações como frutos dessa mágoa. Mas para se construir uma candidatura à presidência é preciso de pontes e alianças. Ele perdeu a oportunidade de unir em torno de si. Inteligente que é, Ciro deveria colocar menos culpa nos outros e olhar mais para seus próprios erros”, disse.

Em entrevista ao iG, além de citar pressões do Palácio do Planalto no PSB para derrubar sua candidatura, Ciro ainda deu a entender que o tucano José Serra deve vencer a eleição presidencial. Para ele, o desafeto político é mais preparado para enfrentar crises do que a ex-ministra Dilma Rousseff.

Ferro, por sua vez, disse que as críticas sobre falta de preparo eram uma constante na vida de Luiz Inácio Lula da Silva, e que, apesar disso, a realidade teria provado que o presidente reunia as condições necessárias para governar o País.

“O próprio Ciro falava isso do Lula, mas a realidade mostrou o contrário. Pelo desempenho de Dilma à frente dos ministérios de Minas e Energia e da Casa Civil, temos certeza que não há pessoa mais preparada para qualquer missão nesse País”.

Por fim, o líder do PT disse acreditar que os ataques de Ciro não vão prejudicar a candidatura de Dilma. Para ele, as críticas “são fruto de ressentimentos e mágoas” e o PT junto de seus aliados contornará o problema. “Num caso como esses, a paciência é a melhor conselheira. Um momento de ressentimento não vai prejudicar nossa candidatura”.

(Portal IG)

PT e PSDB- Entre tapas e beijos?

O publicitário Ricardo Alcântara assina para o Blog artigo intitiulado “Com o PT e PSDB: adversários nas ruas, parceiros no poder”.Mais uma análise dele sobre a contradição entre discurso e prática dessas duas legendas. Confira:

Como não é raro que os extremos se toquem, tucanos e petistas cearenses convergem no fundamental: ambos rejeitam a idéia de formalizar uma coligação eleitoral em comum. Não aceitam amarrar as bandeiras.

Por outro lado, comungam, curiosamente, de uma mesma tolerância: aceitam, sem constrangimentos, dividir assentos em torno da mesa de trabalho do mesmo governador. É assim: nas ruas, não. Já nos gabinetes…

Isto é, não aceitam se unir pela eleição do mesmo governo, mas se mostram dispostos, pelo que se viu até agora, a compartilhar seus benefícios sem a ocorrência de maiores tensões.
 
Seria um erro supor que o paradoxo se deva somente ao histórico de suas diferenças locais, versão que, por conveniência, ambos insistem em publicizar para seus eleitores. Não. Eles já engoliram sapos maiores.
 
A sucessão presidencial, onde PT e PSDB protagonizam uma disputa que se prevê equilibrada e, portanto, muito disputada é o fator determinante de toda a conjuntura – o “bode fedido” que se recusa a abandonar o recinto.
 
Quando diz que não aceita uma coligação “formal” com os tucanos, o que diz, de fato, Luizianne Lins é que a aceita, sim, em caráter informal, o que significa boa vontade para fazer vistas grossas em duas direções:
 
1 – Tolera o apoio velado do governador Cid Gomes à reeleição do senador Tasso Jereissati, desde que possa emplacar o nome de José Pimentel na chapa oficial, mesmo sabendo que o partido deve cuidar de elegê-lo sozinho.
 
2 – Aceita a continuidade, para 2011, da ampla coalizão de governo onde seu partido divide espaços com os que nomeia – de modo impróprio, dadas as ambiguidades – como adversários “inconciliáveis”. O adjetivo é retórico.
 
Por seu lado, se o PSDB aceita apoiar apenas informalmente a reeleição do atual governador, sem receber, em contrapartida, a oportunidade de participar da coligação proporcional, o que revela?
 
Com todas as letras, confessa – se é suficiente o apoio velado do governador à reeleição de Tasso Jereissati ao senado – que, no Ceará, o PSDB existe exclusivamente para que o seu iluminado chefe brilhe.
 
O que há de promíscuo nisto é que ambos realizam a tarefa comum, e mutuamente consentida, de reafirmar, no simulacro de um conflito estéril, a consistência de suas identidades partidárias, de fato já muito danificadas.
 
Por tudo que dizem Cid, Tasso e Luizianne Lins, todos aceitam continuar integrando o mesmo governo em 2011 na forma clássica de uma coalizão partidária: com votos no parlamento e cadeiras no secretariado.

Instituto de Cultura e Artes da UFC abre concurso para professor

O Instituto de Cultura e Artes da Universidade Federal do Ceará está com inscrições abertas para concurso de professor assistente. São quatro vagas, todas na área de Dança, envolvendo os setores de estudo “Criação e Dramaturgia em Dança”, “Estudos Teórico-Filosóficos em Dança”, “Metodologia do Ensino e da Pesquisa em Dança” e “Técnicas e Práticas de Dança”. Os candidatos devem ter, no mínimo, título de mestre. Exige-se regime de trabalho de 40 horas semanais, com dedicação exclusiva. 
 
As inscrições, que se estendem até 25 de maio, devem ser feitas de forma presencial, por procuração ou via Sedex, enviando documentação para a secretaria do Instituto de Cultura e Arte – ICA. A taxa de inscrição, no valor de R$ 111,00, deverá ser paga através de Guia de Recolhimento da União (GRU).

SERVIÇO 

ICA – Avenida da Universidade, 2853 – Benfica – CEP: 60.020-181 – Fortaleza/CE – Fone/Fax: (85) 3366.7437 / 3366.7610 – e-mail: ica@ufc.br).

Mais informações podem ser obtidas no edital n° 108/2010, disponível no site www.srh.ufc.br/editais.htm.

Contas da Prefeitura – Tucano levanta suspeitas sobre atuação do TCM

“O líder do PSDB na Assembleia Legislativa, João Jaime, criticou, na sessão desta sexta-feira, a decisão do Tribunal de Contas dos Municípios do Ceará (TCM) de adiar a votação das contas da Prefeitura de Fortaleza. Ontem, após quatro horas de sessão, a análise foi interrompida por um pedido de vistas. “Parece que está virando fato corriqueiro”, afirmou, lembrando episódio similar ocorrido ano passado, quando da votação das contas referentes ao exercício de 2005.

Para João Jaime, ao agir desta forma, o TCM privilegia a Capital em detrimento de executivos do Interior. Isso porque, segundo ele, as deliberações referentes às despesas de outras cidades sempre são tomadas de forma ágil, sem protelações. O tucano afirmou ainda que, no caso de Fortaleza, os processos chegam ao plenário com pareceres desfavoráveis tanto de auditores (técnicos do órgão) quanto da própria Procuradoria da Casa.

De acordo com o parlamentar, o Tribunal parece montar articulações para encobrir imperfeições nos relatórios elaborados pelos assessores da prefeita Luizianne Lins. “Peço tratamento igual. Mas o que vejo é que ela (Luizianne) precisa ser respeitada”, ironizou Jaime, exigindo que o TCM preste contas à população. “Ali tem conselheiros sérios, que não podem se quedar a pressões políticas de quem quer que seja. Peço que não cedam. Deem o exemplo”, emendou.

(Site da AL)

CIC vai debater pobreza do Ceará

O Centro Industrial do Ceará promoverá, na próxima terça-feira, às 12h30min, no auditório da Fiec, um debate sobre o tema “Em quanto tempo será extinta a pobreza do Cear´?”

Esta pergunta é fruto de um trabalho desenvolvido pelo Laboratório de Estudos da Pobreza (LEP), vinculado ao curso de pós-graduação em Economia (CAEN), da Universidade Federal do Ceará.

Participarão do debate: Flávio Ataliba Barreto, Carlos Alberto Manso, com a colaboração de Valdemar Pinho Neto e Janaína Rodrigues Feijó.

Auditores estaduais cobram do governador reestruturação da carreira

Da Associação dos Auditores da Secretaria da Controladoria e Ouvidoria Geral do Estado, este Blog recebeu nota, onde a categoria diz estar lutando, desde o ano passado, por reestruturação de carreira. Hoje o vencimento pago é pouco mais de R$ 4 mil, enquanto em outros Estados chega a R$ 8 mil. No Nordeste, segundo a entidade, o Ceará é quem paga pior e ser recebido em audiência pelo governador Cid Gomes (PSB) virou missão impossível. Confira a nota:

Ao longo dos seis anos de existência, a Secretaria da Controladoria Geral e Ouvidoria do Estado vem sofrendo constantes perdas no seu quadro de pessoal, acarretando prejuízos, como a perda de experiência, conhecimentos acumulados, descontinuidade de algumas atividades, o que compromete a estabilidade do órgão. A principal causa da evasão está diretamente ligada à remuneração,, considerada pelos técnicos, incompatível com as atribuições e responsabilidades do cargo.

Segundo a Associação dos Auditores do Estado do Ceará, é a pior do Nordeste. Por conta disso, há uma proposta de reestruturação da carreira, que foi apresentada em dezembro de 2008 ao Governo do Estado pela própria bancada governista. As negociações, no entanto, segundo a categoria, permanecem estagnadas.

Dentro dessa luta, foi instituída em 7 de outubro de 2009, pea Assembleia, a Frente Parlamentar em Defesa dos Auditores Estaduais. Formada pelos deputados Lula Morais (PCdoB), Raquel Marques ( PT), Nelson Martins (PT), Sergio Aguiar (PSB), Teo Menezes (PSDB), Heitor Ferrer (PDT), Welington Landim (PSB), Adahil Barreto (PR), Artur Bruno (PT) e Roberto Cláudio (PSB) com o intuito de tentar viabilizar uma audiência com o governador Cid Gomes. Até hoje, nada de audiência.

Eduardo Campos: Ciro vai ter que aceitar decisão

“O presidente do PSB e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, disse,  nesta sexta-feria, que o pré-candidato do partido à Presidência da República, Ciro Gomes, terá de aceitar a decisão da legenda sobre o destino da sua candidatura. Em entrevista na portaria do Palácio da Alvorada, após encontro de duas horas com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Campos relatou que Ciro já tinha aceito essa posição do partido. “A decisão que ocorre na próxima terça-feira vai ser compactuada por Ciro e por todos os companheiros, pois isso foi compactuado com ele”, disse.

Embora Campos tenha dito que o partido ainda não decidiu se a candidatura Ciro vai ser levada adiante, a maioria dos diretórios do PSB já deixou claro que quer uma aliança com a pré-candidata do PT e preferida de Lula, Dilma Rousseff.

Campos evitou comentar a entrevista de Ciro ao Portal IG em que o pré-candidato do PSB disse que Lula está “viajando na maionese” e Dilma é menos preparada que o tucano José Serra para enfrentar uma possível crise cambial no próximo governo. “Vamos fazer esse debate com tranquilidade. Essa opinião do Ciro não é a minha”, disse Campos. “Agora é a hora de ouvir a base do partido como o Ciro pediu. Cada um é livre para dar sua opinião”, completou.

Na entrevista, o governador ressaltou que Ciro já foi candidato a presidente duas vezes e que sabe que precisa ter um partido unificado. Diferentemente de Ciro, ele avaliou que o partido não corre risco de perder espaço se não apresentar candidatura própria. “Em 2006, não tivemos candidato próprio e crescemos. De lá para cá, sempre tivemos crescido”, disse.

Campos, a todo momento, procurava demonstrar uma posição de árbitro no processo interno do PSB. “Quem disser que está decidido, está mentindo, está chutando, está mal informado. O debate está aberto. Eu sempre defendi uma candidatura própria”, disse. No entanto, logo depois, Campos reconheceu que Lula é o coordenador do processo de sucessão na base aliada, que tem o PSB como um dos seus partidos. “Seria estranho, depois de participar de duas eleições do presidente, se não entendêssemos que ele é o coordenador do projeto. Ele sempre deu a direção”.

Questionado se Lula conseguiu asfixiar o PSB e impor o apoio do partido a Dilma, o governador disse apenas que era preciso levar em conta a realidade do PSB, que conta com quatro governadores (Pernambuco, Ceará, Rio Grande do Norte e Piauí) e representantes em cinco governos do PT. Ao final da entrevista, Campos evitou responder a uma pergunta se a missão dele agora era tentar acalmar Ciro Gomes.

Aposentadoria: Governo insiste em 6,14% de reajuste

“O ministro de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, disse nesta sexta-feira, 23, que o governo federal vai continuar defendendo o reajuste de 6,14% para os aposentados que recebem acima de um salário mínimo.

“O governo reafirma que mantém os 6,14%”, afirmou Padilha, que participou de reunião do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com ministros da área econômica para discutir essa questão.”

(Agência Estado)

Ciro afirma que José Serra tem mais chances do que Dilma

Na entrevista que concedeu ao portal IG, na noite desta quinta-feira, o deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) afirmou que, com sua saída da corrida presidencial, o candidato José Serra (PSDB) tem mais chances de vencer a eleição do que a pré-candidata petista Dilma Roussef. Confira o trecho:

“Minha sensação agora é que o Serra vai ganhar esta eleição. Dilma é melhor do que o Serra como pessoa. Mas o Serra é mais preparado, mais legítimo, mais capaz. Mais capaz inclusive de trair o conservadorismo e enfrentar a crise que conheceremos em um ou dois anos.”

As palavras reservadas por Ciro a Serra impressionam. Impressionam porque a relação entre os dois é reconhecidamente conflituosa – e se situa num grau de agressividade elevadíssimo. As ofensas mútuas publicadas na imprensa dispensam repetição e podem ser conferidas numa pesquisa rápida em sites de busca na internet.

As palavras mais pesadas partem em geral do deputado cearense. Nesta entrevista, Serra foi poupado de ataques. Ciro disse:

“Todos sabem o que sinto pelo Serra. Não preciso repetir”.

(Ig)

Comissão Brasileira de Justiça e Paz pede afastamento do superintendente da Polícia Civil

A Comissão Brasileira Justiça e Paz (CBJP), seção do Ceará, pediu, nesta sexta-feira, em ofício entregue ao secretário-geral da Procuradoria Geral de Justiça do Estado, o imediato afastamento do superintendente da Polícia Civil do Ceará, delegado Luiz Carlos Dantas, que foi acusado de envolvimento em atos de tortura.

Membros da CBJP/CE ainda pediram informações acerca de investigações e o que resultou, em termos práticas, a ação do Ministério Público Estadual. A entidade havia feito tal solicitação há quatro meses e agora cobra resposta. A procuradora-geral de Justiça, Socorro França, não estava no local quando da visita da comissão.

A nota é assinada pela secretária-executiva da CBJP, Maria Celeste Thomaz de Aquino (por sinal, desembargadora aposentada), e pelo subsecretário da entidade, Cláudio Régis.

Dona Zilda Arns ganha homenagem

“A fundadora da Pastoral da Criança, Zilda Arns, que morreu durante o terremoto do Haiti, foi homenageada hoje (23) com a apresentação de um vídeo na abertura da 33ª reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), que está sendo realizada no Itamaraty em Brasília.

Zilda Arns foi conselheira do CDES desde a sua implantação em 2003 e muito antes já trabalhava para reduzir a mortalidade infantil no país.

O ministro Alexandre Padilha, da Secretaria de Relações Institucionais, lembrou que estava reunido com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao receber a notícia da morte de Zilda Arns, segundo ele, a mulher que ficou até o fim da vida cuidando do povo.

“Trabalhei muito com os povos indígenas e tinha a Pastoral da Criança como uma parceira fundamental. Não só a pastoral, mas a figura da doutora Zilda como mobilizadora e que trazia o tema para o debate no Ministério da Saúde ao longo dos anos 90”, disse Padilha.

Dom Demétrio, que também participa do conselho, disse que a morte de Zilda Arns nas circunstâncias em que se deu acabou por redefinir a moldura adequada para “ressaltar a grandeza de propósito, a lucidez de visão que caracterizaram toda a vida dessa excepcional mulher”.

A reunião do CDES pretende elaborar um documento baseados em novos fatores da conjuntura nacional e internacional. O tema é “Agenda para o Novo Ciclo de Desenvolvimento”.

(Agência Estado)

Granja registra chuva de 108 milímetros

A Funceme registrou chuvas, nas últimas horas, em 94 municípios. Segundo o boletim do órgão, choveu forte em várias localidades. Granja, com 108 milímetros, foi a maior e, bom lembrar, foi o município que mais sofreu na inverno do ano passado. Ainda choveu bem em:

Meruoca – 68 mm

Alcântaras -55 mm

DETALHE – Em Fortaleza, choveu 28,8 milímetros.

A previsão para as próximas horas é de chuva na região Centro-Norte e precipitações isoladas nas outras localidades, conforme informou a meteorologista da Funceme, Zilurdes Lopes, ao Jangadeiro

Comissões de Direitos Humanos da OAB e AL debaterão crise na Polícia do Ceará

A Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil, regional do Ceará e a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa vão debater, em audiência pública conjunta, o tema “Famílias de Policiais Vítimas da Violência no Exercício do Dever Legal”.

O encontro ocorrerá dia 13 de maio, às 14 horas, na Sala de Comissões Técnicas da Assembleia e a data deverá ser acertada na próxima semana entre o presidente da comissão da OAB, Fernando Férrer, e o presidente da comissão da AL, Heitor Férrer.

Segundo Fernando Férrer, todas as entidades representativas da área policial do Estado vão ser convidadas para a audiência pública. Férrer diz para o Blog que esse encontro incluirá na agenda as reinvindicações dos policiais militares por melhores condições de trabalho e de salário.

Ciro: Lula está navegando na maionese e diz que não pedirá votos para Dilma

O deputado federal Ciro Gomes (PSB) concedeu entrevista ao portal iG sobre sua situação política e conjuntura nacional. Ele falou sobre o presidente Lula e seu desejo de ver Dilma Roussefff (Pt) presidente:

“Lula está navegando na maionese. Ele está se sentindo o Todo-Poderoso e acha que vai batizar Dilma presidente da República. Pior: ninguém chega para ele e diz ‘Presidente, tenha calma’. No primeiro mandato eu cumpria esse papel de conselheiro, a Dilma, que é uma pessoa valorosa, fazia isso, o Márcio Thomaz Bastos fazia isso. Agora ninguém faz.”

Ciro Gomes afirma que Lula tem a popularidade que merece ter, pois seu governo tem realizações. “Mas ele não é Deus”. Não poupou criticas à decisão do Palácio do Planalto de interferir no debate interno do PSB: “Tiraram de mim o direito de ser candidato. Mas quer saber? Relaxei. Eles não querem que eu seja candidato? Querem apoiar a Dilma? Que apoiem a Dilma. Estou como a Tereza Batista cansada de guerra. Acompanho o partido. Não vou confrontar o Lula. Não vou confrontar a Dilma.”

Ciro diz que vai acatar a decisão do seu partido de apoiar Dilma Rousseff, mas avisa:

“Não me peçam para ir à televisão declarar o meu voto, que eu não vou. Sei lá. Vai ver viajo, vou virar intelectual. Vou fazer outra coisa”. Ciro acredita que a eleição deste ano será marcada por baixarias, entre as quais inclui uma ação de grupos radicais abrigados no PT: “Sabe os aloprados do PT que tentaram comprar um dossiê contra os tucanos em 2006? Veremos algo assim de novo. Vai ser uma m….”

E qual será seu papel na eleição deste ano? Ciro Gomes diz: “Trata-se de uma missão estratégica, que não será desempenhada por mais ninguém”.

Ciro afirma que via uma chance de ajudar num debate que, ao seu ver, é urgente:

 “Em 2011 ou 2012, o Brasil vai enfrentar uma crise fiscal, uma crise cambial. Como estamos numa fase economica e aparentemente boa, a discussão fica escondida. Mas precisa ser feita.”

Sobre a candidatura de Dilma Rousseff, ele diz que ela tem menos chance de enfrentar o problema do jeito que ele precisa ser enfrentado:

 “Como o PT, apoiado pelo PMDB, vai conseguir enfrentar esta crise? Dilma não aguenta. Serra tem mais chances de conseguir”.