Blog do Eliomar

Últimos posts

"Ficha Limpa" – 20 já indeferidos no País

129 1

“A Lei da Ficha Limpa já foi usada como fundamento para indeferir 20 candidaturas no país. O Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais foi o que mais barrou candidatos. Até agora foram 10. A legislação aprovada neste ano estabelece que são inelegíveis os políticos condenados por órgãos colegiados do Poder Judiciário, como os  tribunais de justiça dos Estados.

O TRE do Mato Grosso negou o registro do deputado federal Pedro Henry Neto (PP). O candidato, reeleito em 2006 teve o nome envolvido nos escândalos do mensalão e da máfia das ambulâncias (sanguessugas). Segundo o tribunal, Henry não pode ser candidato porque foi condenado em 2007 por compra de votos. Os candidatos que tiveram os pedidos de registro eleitoral rejeitados pelos TREs ainda podem recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral e ao Supremo Tribunal Federal.

Veja abaixo a lista dos indeferidos até a última semana:

Ceará
Sineval Roque (a deputado estadual, PSB)

Espíriro Santo
Luiz Carlos Moreira (deputado estadual, PMDB)
Marcelino Fraga (deputado estadual, PMDB)
Roberto Valadão Almokdice (deputado estadual, PMDB)

Mato Grosso
Pedro Henry (a deputado federal, PP)

Minas Gerais
Adilson da Vale Verde (a deputado federal, PTN)
Antônio Carlos Bouzada (a deputado estadual, PC do B)
Athos Avelino Pereira (a deputado estadual, PPS)
Carlos Alberto Pereira (a deputado federal, PDT)
Eduardo Santos Porcino (a deputado estadual, PV)
Leonídio Henrique Correa Bouças (a deputado estadual, PMDB)
Maria Lúcia Soares de Mendonça (a deputado estadual, DEM)
Pedro Caminhas Pinduca (a deputado estadual, PP)
Silas Brasileiro (a deputado federal, PMDB)
Wellington Magalhães (a deputado estadual, PMN)

Pará
Roselito Soares da Silva (a deputado estadual, PR)

Paraíba
Francisco Edmilson da Silva Ribeiro (a deputado estadual, PCB)

Paraná
Erivan Passos da Silva (a deputado estadual, PRTB)

Santa Catarina
João Pizzolatti (a deputado federal, PP)

Rondônia
Jair Miotto (a deputado estadual, PPS)

(Folha.com)

DETALHE – O deputado federal tucano Manuel Salviano teve registro indeferido no último sábado, pelo TRE, por contas desaprovadas quando prefeito de Juazeiro do Norte. Ele  vai recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral.

Petista abre campanha pró-reeleição em casa de forró

142 4

A tradicional casa de forró Kukukaya (Bairro São João do Tauape) foi palco da abertura da campanha de reeleição do deputado federal Eudes Xavier (PT). O tom festivo dessa noite de sábado ficou por conta das bandeiras, balões, jingles e a vibração dos militantes e apoiadores até do Interior. Vários secretários municipais, sindicalistas, trabalhadores, profissionais liberais e estudantes conferiram o ato.

Os deputados estaduais Raquel Marques (PT) e Nelson Martins, este líder do Governo Cid Gomes na Assembleia, e os vereadores petistas Ronivaldo Maia e Acrísio Sena e Leonelzinho (PTC). “Ainda há muito o que se fazer em prol do Brasil e do Ceará. Quero esse novo mandato para ajudar a presidenta Dilma, o governador Cid Gomes e a companheira e prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins , a prosseguir com o projeto do presidente Lula de um Brasil cada vez mais forte e melhor pra todos”, disse Eudes Xavier.

(Foto – W. Sena)

Propaganda de aliados não cita Serra

203 1

“Com 25 dias de campanha, os candidatos a governador aliados de José Serra (PSDB) nos oito maiores colégios eleitorais do país ainda não incorporaram a imagem do tucano em seus santinhos, adesivos e cartazes.

Até sexta-feira, só a campanha de Antonio Anastasia, em Minas Gerais, começava, timidamente, a produzir material casado. Mesmo em São Paulo, base de Serra, ainda não há material com ele ao lado de Geraldo Alckmin -exceto painéis em encontros de sua coligação.

Nos sites dos candidatos nesses Estados, que representam 94 milhões de eleitores, não havia um único material de campanha casado disponível para download. Nem mesmo na apresentação das páginas havia uma foto do candidato.

A foto oficial de Serra, em alta resolução, está disponível no seu site oficial desde o início da corrida presidencial. Com ou sem Serra, o custo de imprimir um adesivo, por exemplo, é o mesmo.

O cenário é distinto do de sua adversária Dilma Rousseff (PT), cuja imagem acompanhava o material de campanha de seus aliados em 7 desses 8 Estados.”

(Folha Online)

Lúcio diz estar comemorando "adesões espontâneas"

153 4

O candidato a governador pela coligação PR/PPS, Lúcio Alcântara, dedica parte deste domingo a uma preparação com vistas ao primeiro debate entre so postulantes ao Governo. O debate terá início às 17 horas pela TV União e reunirá todos os sete candidatos.

Lúcio Alcântara se diz mais do que motivado por estar recebendo na campanha “a adesão espontânea da população”. Em, Maracanú, seu últim comproisso, realizou carreta de mais de três horas de duração, quando atravessou 10 bairros do município. Com ele, o prefeito licenciado e coordenador-geral da campanha, Roberto Pessoa, o candidato a vice Cláudio Vale, o candidato a senador pelo PPS, Alexandre Pereira, e parlamentares como a deputada federal Gorete Pereira (PR).

(Foto – Nelu Rosa)

Candidato tucano ao Governo prepara ofensivas contra Cid Gomes

118 2

 

Tasso falando, ao lado de Marcos Cals, durante o comício.

O candidato  governador Marcos Cals (PSDB) dedica todo este domingo aos preparativos para sua participação no primeiro debate desta campanha, que ocorrerá a partir das 17 horas, na TV União.  Nesta manhã, com um grupo de assessores técnicos, o candidato tratará das principais questões previstas para o programa, que terá a duração de três horas.

A ordem é ir pra cima do governador Cid Gomes (PSB), que postula reeleição e questionar dele o caso das multas cobradas pela CPRV, incluindo ainda o caso do assassinato do jovem Bruce Cristian por um policial do Rnda do Quarteirão.

Nos últimos três dias, acompanhado do senador Tasso Jereissati (PSDB) – que disputa reeleição ao Senado, Marcos Cals percorreu municípios das regiões do Litoral Leste e Inhamuns, com a realização de carreatas, reuniões políticas e comícios.

O último compromisso foi neste sábado à noite, em Crateús, quando os tucanos particioaram de um comício, que contou com a presença do deputado estadual Nenem Coelho (PSDB).

(Foto – Divulgação)

Líder da prefeita divulga agenda da campanha pró-Dilma Rousseff em Fortaleza

A coordenação da campanha Dilma 13 no Ceará, tendo à frente o vereador Acrísio Sena, na condição de coordenador-executivo, mandou par ao Blog a agenda de mobilizações em favor da postulante na Capital. A agenda foi resultado de reunião envolvendo PT, PCdoB, PSB, PMDB, PPL e PDT. Confira:

Dia 04 (quarta-feira)

8h30min – Café com os vereadores de Fortaleza – Hotel Amuarama

Dia 05 (quinta-feira)

18h30min – Atividade Cultural da Juventude no Circuladô (Avenida da
Universidade c/Domingos Olimpio)

22 horas –Telão do Debate Dilma na Band

Dia 06/08 (sexta-feira)

16 horas – Bandeiraço Dilma na Avenida da Universidade

19 horas – Inauguração do Comitê Dilma Presidente (Av. da Universidade,
2495). Presença do Presidente Nacional do PT José Eduardo Dutra

Dia 08/08 (domingo)

9 horas – Onda Vermelha na Praia do Futuro com entrega do material 13
razões para votar em Dilma Presidente

Caminhada nos Bairros:

SER I – Pirambu
SER II – Serviluz
SER III – Antonio Bezerra
SER IV – Serrinha
SER V – Bom Jardim e Conjunto Ceará
SER VI – Messejana

DETALHE – Pelo visto, que está tocando mesmo a campanha pró-Dilma é o vereador Acrísio Sena.

Caso Bruce – A dor de um pai

266 2

“Desde quando o soldado Yuri Silveira, do Ronda do Quarteirão, atirou um “para, para!”, domingo passado, na avenida Desembargador Moreira, a vida do técnico em manutenção de ar-condicionado Francisco das Chagas de Oliveira Sousa, 37, está suspensa.

Ele tenta explicar a Gustavo, o caçula, porque não é mais o irmão quem lhe prepara o leite de todas as noites. Ao mesmo tempo em que tenta entender como Bruce Cristian de Oliveira Sousa, 14, morreu antes dele, Francisco, envelhecer. Antes mesmo do primeiro amor surgir. Em pleno sonho de menino, ser jogador de futebol.

“O dia seguinte, a gente não aceitando ainda”, conta o cansaço, nesta entrevista feita na sala da casa por arrumar. Ele se ampara no próximo: quem lhe oferece um abraço, uma conversa. E, evangélico porque Bruce o converteu, se agarra a Deus – “o último galho”, como vai indicar, amanhã, nas Páginas Azuis do O POVO, o teólogo Leonardo Boff, em um casual e surpreendente diálogo com essa história.

Neste começo de agosto, O POVO retrata o pai e o filho pelas saudades narradas. Pelo aprendizado dos dias depois da morte. E, principalmente, pelas lições da vida.

O POVO – Como o senhor tem amanhecido, desde o último domingo (25 de julho)?

Francisco das Chagas – A primeira noite é conturbada e não se consegue dormir. O dia seguinte, a gente não aceitando ainda. A segunda noite também. Na terceira, a gente conseguiu tirar um cochilo. Acordando várias vezes, porque fica aquela saudade, angústia. Voltar às atividades normais, não voltou porque é uma coisa que abala muito. Hoje (quarta, 28), foi mais um dia de dor. A gente tá preocupado com os outros dois filhos porque estão tendo crises. O mais novo (Gustavo, 9 anos) pergunta. Tem uma coisa que o Bruce sempre fazia pra ele: toda noite, preparava o leite. Ele perguntou – porque quem tava preparando o leite era a mãe – e começou a chorar. Cada ação dos nossos filhos dá mais uma puxada na gente.

OP – E o senhor, como tem se cuidado?

Francisco – Quando você sofre um impacto desse, perde sua sensibilidade, seu tato. Não sente fome, sono, sede. Não sente dor em partes carnais, machucadas. Porque a dor maior é a da saudade. De ver seu filho morrendo e não poder fazer nada. A gente já melhorou um pouco que, graças a Deus, tem uma família que está sempre presente.

OP – O que está diferente na rotina da casa? O senhor recebe muitas visitas, solidariedade…

Francisco – Até fico emocionado porque as pessoas têm chegado pra oferecer ajuda, dar um abraço, conversar. Fico motivado com isso porque, na sociedade em que a gente vive, é difícil ter o apoio das pessoas. Deus está agindo por várias formas. 

OP – Como o senhor está convivendo com o assédio da imprensa? Está cansado?

Francisco – Não. Sei que a imprensa é um meio de comunicação e é uma defesa que tenho. Não encaro a imprensa como algo que me prejudica. Vai me ajudar a mudar um episódio que poderia ficar como muitos que foram esquecidos. É uma maneira da gente mostrar para a sociedade o que está errado. A questão é a sociedade aceitar como sendo normal, quando, na verdade, não é.

OP – E como se prepara para esse longo percurso até a justiça?

Francisco – Meu filho (Bruce) tem me dado forças. Tenho me apoiado nele e em Deus. Toda vez que penso nele, a pessoa sonhadora que era e que tinha um objetivo, me dá forças para que eu prossiga e não deixe que isso se transforme em injustiça.  

OP – Letícia, durante o velório do irmão, disse que confiava muito na “justiça de Deus”. E o senhor, em que ou em quem confia hoje?

Francisco – Primeiramente, confio em Deus. Deus é o mestre maior de todas as leis. Tenho certeza de que Ele está sempre do nosso lado. E a justiça dos homens é falha, mas, quando você tem um apoio da sociedade, da imprensa, acaba sendo a justiça que não é cega.

OP – O senhor já declarou que Bruce era “o filho que todo pai queria ter”. Na adolescência, ele não lhe dava preocupação?

Francisco – Não. Pra ele ir na esquina, pedia permissão à mãe. Essa fase é muito complexa, que a criança passa. E fica rebelde, responde, é desobediente, quer sair com os amigos pra festa. Mas o Bruce, não.

OP – E os primeiros amores, já estavam aparecendo?

Francisco – Sempre tem, das meninazinhas que são mais atiradas… Mas o Bruce queria jogar bola, ia pra igreja, participava dos grupos de jovens.

OP – O senhor foi pai com 23 anos. Estava preparado, sabia que era uma missão dolorosa também?

Francisco – Com 23 anos, já tinha minha vida bem definida. Era supervisor de produção, numa fábrica. Sempre procurei fazer cursos, me atualizar. Tinha uma cabeça boa. 

OP – Mas imaginava que ser pai era difícil?

Francisco – Não, não imaginava. Você só sabe o valor que tem um pai quando é pai.

OP – Como foi aprendendo a ser pai, do que teve que abrir mão?

Francisco – É difícil, sabe? Mas a gente consegue. Quando você ama, consegue ser pai, dar o que de melhor você tem pro filho. Abre mão de muitas coisas, não quer abrir de outras, mas ser pai é tá ali, proteger, orientar, educar.

OP – O senhor já passou muito aperreio com os meninos, alguma noite sem dormir? Geralmente, quem passa por isso é a mãe…

Francisco – Minha filha, em 99, teve começo de AVC. Tinha 2 anos. Fiquei louco. Não conseguia dormir, preocupado, ia pro trabalho, vinha ao meio-dia, olhava como ela estava. Sofri bastante. Mas a gente superou, graças a Deus. 

OP – E o que seus filhos mais lhe ensinam no cotidiano?

Francisco – Carinho. Não tem nada mais valioso. Tô triste, ele (Gustavo) passa a mão na cabeça, abraça.

OP – E o que Letícia lhe dizia no velório de Bruce? Como ela lhe consolava?

Francisco – Mais abraço, afeto. E aquilo que eu falava pra ela, ela falava pra mim: que ele estava bem, no céu.

OP – E como o senhor vai explicando a vida para eles? Há alguma lição especial?

Francisco – Meu pai sempre foi muito correto. Ele é do Interior, a gente era tratado na rédea curta. Ele não aceitava nada desonesto. Era agricultor, fazia carreira de carvão, foi pedreiro. O que eu procurava passar pros meus filhos é a honestidade. Não aceito a desonestidade, se aproveitar de coisas que não são suas. O que eu mais passava pro Bruce era ser correto.

OP – Desde que idade o Bruce lhe ajudava?

Francisco – Há pouco tempo. Ele muito pequeno, estudando, mas queria porque queria trabalhar. Fiquei levando ele. Mais final de semana, negócio mais simples. Ia porque ele queria, mas também porque a gente ficaria próximo. A gente fica muito longe e quer ficar próximo do filho.

OP – Como vocês tinham planejado aquele domingo?

Francisco – Dormi até tarde. Ficamos aqui, almoçamos e fui me deitar. Disse que duas e meia ele me acordasse que era pra gente ir, tinha marcado com uma cliente. Fazia o trabalho e, na volta, passava no campo do Ceará. Ele tava muito alegre. No sábado, já tinha me cobrado. Fomos tranquilos, fizemos o trabalho. Peguei a moto, lá na frente, a Desembargador Moreira. Aconteceu o que aconteceu (pausa).

OP – Sua esposa tem conseguido desabafar?

Francisco – Ela sempre foi muito fechada. Procuro tá conversando, sempre do lado dela, pra dar força. Durante a noite, ela chora muito, sabe? Quando acontece alguma coisa que lembra ele…

OP – A falta, a dor que ela sente é diferente da sua? O senhor percebe isso?

Francisco – (pausa) Acho até que é maior. A dor do pai dói muito, mas a dor de uma mãe não tem comparação. 

OP – E o que o senhor tem dito para si mesmo, depois da morte de Bruce?

Francisco – (pausa e respira) Tenho dito que (pausa e respira) tenho que (pausa e respira) melhorar mais, sabe? Proteger mais, amar mais meus filhos, minha esposa. Porque a gente nunca sabe o que pode acontecer amanhã, daqui a uma hora, meia hora.

OP – E como o senhor tem anoitecido?

Francisco – Ontem (terça), consegui descansar. Hoje (quarta), não sei como vai ser. A ferida não vai cicatrizar assim, mas a gente tem que tocar a vida. Temos dois filhos, precisam muito da gente. O Bruce era uma pessoa excepcional, que a gente não vai ter outro igual.

OP – E sobre o time no qual Bruce queria jogar, é porque o senhor torce Ceará?

Francisco – É, torço Ceará… Ele era torcedor do Fortaleza… Eu disse: “Macho, tu é torcedor do Fortaleza e quer jogar no Ceará?”. “É porque o Ceará é melhor” (risos).

OP – Ele era bom de bola? Todo menino quer ser jogador de futebol. Mas o que o senhor pensou para ele? O senhor apoiava esse sonho?

Francisco – Era. Tinha que melhorar, como todo mundo. Eu apoiava. Fui ver ele jogar algumas vezes. Ele tinha visão de jogo, era meio campo, não pegava a bola e saía feito doido. Naquele jeito calmo dele… Isso é importante pra jogador de futebol e também pra vida, né? Ter uma visão, sabe o que quer, onde vai chegar.

OP – Ele tinha futuro, tanto no campo como na vida…

Francisco – Tinha. Não gosto nem de falar sobre isso, mas é porque não consigo entender como é que um policial desce duma viatura, com uma arma na mão, feito um doido no meio da rua… A visão desse policial é muito, muito, muito inferior à visão do meu filho.

(O POVO)

Veja traz denúncia agora contra obra do Porto do Pecém

240 11
Depois de divulgar o caso da licitação das obras de reforma do Estádio Castelão, o que virou um nó jurídico daqueles, eis que a revista Veja, em sua edição desta semana, traz novo caso relacionado à administração Cid Gomes (PSB). A matéria intiulado “O Porto dos mIlagres” levanta suspeitas de superfaturamento em obras de ampliação do Porto do Pecém, situado em São Gonçalo do Amarante (Região Metropolitana de Fortaleza).
Diz a matéria que um contrato firmado para o prolongamento do quebra-mar que protege o cais do Pecém foi reajustado com um acréscimo de 57% no preço licitado originalmente. De acordo com a revista, a mudança custará R$ 180 milhões de reais aos cofres público e excede o valor estipulado pelo Tribunal de Contas da União (a obra conta também com recursos da União), que prevê que alterações dessa magnitude só podem ser feitas mediante nova licitação.

Nesse caso, entra de novo a empreiteira Marquise, que dois anos atrás ganhou a licitação, orçada inicialmente em 314 milhões de reais, e que, conforme a matéria, teria sugerido, no ano passado, mudanças no projeto original que foram acatadas mediante aval de Gerardo dos Santos Filho, ex-funcionário da empresa que atualmente é coordenador da Secretaria de Infraestrutura do Ceará.

Em outro trecho, a revista cita que o dono da empreiteira seria “um amigão” do chefe da Casa Civil do governo, Arialdo Pinho, sugerindo que isso poderia pesar a favor da empresa. Já a Marquise, questionada sobre o assunto, garante que as alterações no projeto são legais e seguem critérios técnicos. A assessoria do Palácio Iracema não quis comentar o caso.

VAMOS NÓS – Lá vem a Veja de novo com suas matérias bombásticas. O que chama a atenção é que sempre esse tipo de denúncia só eclode em período eleitoral. Bem, mas tudo o que se é denunciado deve ser sempre esclarecido ou respondido, independente de interesse político.

Ex-vereador é assassinado em Redenção

O ex-vereador José Maia de Castro Filho (52) foi assassinado com seis tiros neste sábado, num sítio situado em Guassi, no município de Redenção (Região Metropolitana de Fortaleza). Segundo a polícia, o crime teria envolvido sete homens.

Armados, eles  invadiram o sítio em que a vítima estava com a filha, a mulher e uma neta. Ainda de acordo com a polícia, o ex-vereador teria sido levado do sítio para em seguida ser assassinado. Há suspeita de vingança.

Caso Bruce – Treinamento policial em xeque

132 3

Eis o que escreve em sua coluna “Concidadania” deste domingo, o jornalista Waldemar Menezes: ainda a repercussão da morte do jovem Buce Cristian por um policial do Ronda do Quarteirão. Confira:

A morte do adolescente Bruce Cristian, por tiro disparado por um policial do programa Ronda do Quarteirão, continua a repercutir, assim como os questionamentos sobre a formação dos policiais militares. Denúncias sobre treinamento violento dos integrantes do programa (com ênfase no aspecto militar) trazem dúvidas sobre o conteúdo do que está sendo repassado à tropa. Não seriam elementos de formação adequados à função civil da atividade policial. Ora, a grande novidade do Ronda do Quarteirão estava na ideia de uma polícia comunitária, voltada para uma relação correta com os cidadãos. Seria uma transição para um novo tipo de polícia sem os vícios da formação militar. No entanto, a preparação dos seus quadros foi entregue ao comando dos que formam a velha polícia dentro de parâmetros ultrapassados. E a ênfase foi dada ao aspecto técnico e aos equipamentos modernos, como se estes não dependessem do tipo de pessoa que os iria manusear. É preciso uma reformulação radical no projeto, sob pena de assistirmos ao malogro total de uma ideia que cometeu a falha de subestimar a realidade sócio-política-cultural que a condiciona.

CNT/Sensus registra pesquisa sobre a disputa presidencial

“O Sensus registrou no Tribunal Superior Eleitoral, anteontem (29/07), pesquisa sobre avaliação do governo Lula e sucessão presidencial. A pesquisa foi contratada pela Confederação Nacional dos Transportes. Serão ouvidos 2000 eleitores entre nos dias 30/07 e 02/08.

De acordo com a legislação, os resultados poderão ser divulgados a partir de segunda-feira (2/8). Entretanto, considerando o período da coleta dos dados, o mais provável é que sua publicação aconteça a partir de terça-feira (3/8). (Nota da Arko Advice, empresa de consultoria política).”

(Com Blog do Noblat)

Lula: "Dê uma chance a sua mãe"

“Numa turnê de cabo eleitoral de Dilma Rousseff (PT) no Sul do País, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva inovou no pedido de voto a sua candidata, na Federação das Indústrias do Estado do Paraná, em Curitiba: “Vamos parar com esse negócio de não votar porque é mulher. Pare de ser besta, foi ela que lhe pariu”. E no que parece ser um slogan, cobrou: “Dê uma chance a sua mãe!”. Dilma e a plateia o aplaudiram, aos risos.

“A arte do presidente da República é saber decidir, saber a hora de tomar a decisão. Nunca conheci uma pessoa da competência da companheira Dilma para tomar decisão”, prosseguiu Lula. O evento com industriais paranaenses contou com a participação do governador Orlando Pessuti, do candidato ao governo do Estado, Osmar Dias (PDT), e dos postulantes ao Senado, Roberto Requião (PMDB) e Gleisi Hoffmann (PT), além do presidente do PT, José Eduardo Dutra. Puxando Dias para o centro do palco, Lula brincou: “Esse parto foi difícil…”, disse, mencionando a aliança fechada nas últimas horas do prazo legal.

Na declaração de apoio a Requião e Gleisi, o presidente reforçou a prioridade de eleger uma bancada forte no Congresso e atacou o senador do Piauí, Mão Santa (PSC): “Ninguém aguenta mais Mão Santa, ninguém aguenta mais senadores que tem lá!”. Lula tornou a dizer que foi preciso chegar “um metalúrgico socialista” à presidência para ensinar ao País “o que é capitalismo”.Dilma enfrenta rejeição do eleitorado do Paraná. Na pesquisa Vox Populi, José Serra (PSDB) a supera nas intenções de voto: 46% contra 33%. Amparada na popularidade do presidente Lula, ela pretende reverter a desvantagem. Os petistas admitem perder por pouco no Estado.”

(Portal Terra)

TRE cassa registro do deputado federal tucano Manuel Salviano

128 2

Por 4 votos a 2, o registro da candidatura do deputado federal tucano Manuel Salvaino foi impugnado pelo Pleno do Tribunal Regional Eleitoral na tarde dese sábado.

O Pleno alegou que o parlamentar teve contas desaprovada pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), quando ele foi prefeito de Juazeiro do Norte (Região do Cariri). Baseou-se na Lei da “Ficha Limpa”.

O parlamentar deverá recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

"Forró Safado"

552 7

Eis a capa do mais recente CD da banda “Forró Safado”, que faz shows pelo Interior nordestino difundindo o tal “forró estilizado”. Nada de moralismos, mas o que nos irrita mesmo é a música barulhenta e de péssima qualidade que essas bandas divulgam entre os jovens principalmente. Claro que é modismo, mas bem que poderíamos ter um pouco mais de composições com qualidade.

Band fará 1º debate com presidenciáveis

“Na quinta-feira 5, às 22 horas, na Rede Bandeirantes, será dada a largada para os debates entre os candidatos à Presidência. Desde o famoso confronto entre Fernando Collor e Luiz Inácio Lula da Silva, em 1989, os debates são considerados fundamentais para a definição de votos nas eleições presidenciais. Prova disso é que José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), decidiram cancelar todos os compromissos, a partir da segunda-feira, para se preparar para o confronto. Serra aposta todas as fichas no confronto de ideias, Dilma está mais preocupada com a edição do debate.

Escaldado, o staff da candidata petista fez as seguintes imposições para que ela topasse participar do evento: a emissora só pode usar nos programas pós-debate a primeira resposta, quando a pergunta é igual para todos, e as considerações finais.

“Não temos nenhuma preocupação com o debate. Dilma está preparada e tem conteúdo”, avaliou João Santana, o marqueteiro da campanha.”

(Revista IstoÉ)

Alfândega vai liberar celular, relógio e câmera compradas no Exterior

“A partir de segunda-feira (2), o viajante que comprar um telefone celular, um relógio de pulso ou uma máquina fotográfica no exterior não precisará mais declará-lo à Receita Federal ao retornar ao país. Esses objetos farão parte da cota de bens de uso pessoal, isentos de imposto.

A nova legislação, a ser publicada no “Diário Oficial da União”, também isenta de tributação roupas e acessórios, adornos pessoais e produtos de higiene e beleza.

Baterias e acessórios em quantidades compatíveis, carrinhos de bebê e equipamentos de deslocamento como cadeiras de rodas, muletas e andadores também entram na lista.

Notebooks e filmadoras estão fora da lista de bens de uso pessoal. Devem ser declarados e entram na cota já existente, limitada a US$ 500 para quem usou transporte aéreo ou marítimo e a US$ 300 para quem utilizou transporte via terrestre, fluvial ou lacustre.

CIGARROS E BEBIDAS

A nova regra também colocará limites que antes dependiam da avaliação do fiscal da alfândega para serem fixados.

O viajante poderá adquirir no exterior e trazer consigo, no máximo, 12 litros de bebidas alcoólicas, dez maços de cigarros com 20 unidades cada um, 25 unidades de charutos ou cigarrilhas e 250 gramas de fumo.

Antes de embarcar, o viajante não precisará mais fazer a Declaração de Saída Temporária de produtos estrangeiros que está levando. Hoje essa medida é considerada pela Receita como excesso de burocracia.

O órgão colocará em seu site um “perguntão da bagagem”, parecido com o “perguntão do Imposto de Renda”, que define o que é considerado bem de uso pessoal e a quantidade permitida.

Pequenos presentes e suvenires que custem menos de US$ 10 poderão ser trazidos em no máximo 20 unidades, desde que não haja mais de dez idênticas.

FALTA DE CLAREZA

O Ministério da Fazenda e a Receita identificaram falta de clareza e transparência nas regras atuais.

Por elas, um fiscal poderia entender que duas garrafas de vinho são abusivas, enquanto outro poderia considerar uma caixa de uísque um consumo razoável.

Se o viajante comprar um iPod ou um iPad no exterior e comprovar que, durante a viagem, fez uso profissional da aquisição, não precisará declará-lo. Mas sempre precisará apresentar nota fiscal.

Caso uma brasileira chegue de viagem com um brinco de diamantes valendo US$ 50 mil nas orelhas, poderá ser questionada sobre a origem dos recursos para compra do produto, embora a joia faça parte dos bens considerados de uso pessoal.”

(Folha.com)