Blog do Eliomar

Últimos posts

Policiais militares fazem corpo a corpo pela aprovação da PEC 300

“Policiais reclusos nos quartéis. Blitz atrás de blitz nas principais cidades do país, por meio da chamada operação padrão. Sonegação de informações a jornalistas. Campanha na internet e nas ruas contra deputados. Dez mil manifestantes na Esplanada dos Ministérios. Essas são as armas que os policiais e bombeiros militares ameaçam sacar do bolso para pressionar o Congresso a aprovar um piso salarial único para a categoria.
 
Contrariados com a sinalização de que a Câmara vai enterrar a proposta de emenda à Constituição (PEC) 300/08, que atrela o salário inicial dos policias e bombeiros militares aos vencimentos de seus colegas do Distrito Federal, os policiais prometem radicalizar no corpo a corpo com os parlamentares nos estados e explorar o assunto eleitoralmente.
 
“O clima é de revolta. Se não colocarem na pauta, vai haver radicalização. Será muito difícil segurar. Uma tropa com fome é uma tropa sem comandante. Não sei o que vai acontecer”, diz o soldado Fernando Almança, da PM do Espírito Santo, que coordena uma mobilização na internet em favor da PEC 300. A proposição aumenta para R$ 4,5 mil o salário inicial dos praças e para R$ 9 mil o dos oficiais. Atualmente, a média nacional é de R$ 1.814,96.
 
Relator da PEC 300 na comissão especial que analisou o mérito da proposta, o deputado Major Fábio (DEM-PB) diz não ter como controlar a reação dos policiais militares com a eventual derrubada da proposição. “Se a PEC 300 não for aprovada, será o caos, o Brasil vai parar”, prevê. 

A subida de tom das ameaças é uma resposta da categoria e dos deputados que apoiam a PEC 300 à orientação do presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), de engavetar a proposta e submeter ao Plenário a PEC 446/09, que cria o piso salarial para os servidores policiais e remete a definição do novo valor a uma lei federal, a ser enviada pelo governo ao Congresso no prazo máximo de um ano.
 
“Essa PEC não interessa aos policiais militares. Não define valor do piso, vai apenas empurrar o problema com a barriga”, reclama o deputado Paes de Lira (PTC-SP). Temer entende que a PEC 300 é inconstitucional por criar despesas para o Executivo sem apontar receitas e por incluir na Constituição valores do piso salarial de uma categoria.
 
Em ano eleitoral, os governadores e o governo federal têm evitado se posicionar sobre o assunto, que interessa diretamente a mais de 700 mil policiais e bombeiros militares em todo o país. Mas, nos bastidores, eles têm se movimentado para convencer seus aliados na Câmara a vetar a proposta por causa do impacto que a mudança terá sobre os cofres públicos.
 
Isso porque nem todos os estados têm condições de arcar com o novo piso. Para resolver o problema, o texto estabelece que a União terá de completar a conta por meio de um fundo próprio. Uma diferença que, segundo estimativa admitida pelos próprios militares, chegará a R$ 3,5 bilhões. ”
 
(Congresso em Foco)

CNJ julgará recurso que quer troca de terceirizados por concursados no TJ do Ceará

“O Conselho Nacional de Justiça vai julgar amanhã, durante sessão, em Brasília, recurso que diz respeito ao Poder Judiciário do Ceará. No conteúdo, pedido para que todos os terceirizados do Tribunal de Justiça sejam exonerados para que concursados sejam convocados.

O CNJ já determinou , por meio da Resolução de nº 88, tal procedimento para os tribunais do Pará, Paraíba, Goiânia, Maranhão e, por último, Pernambuco. Isso, caso haja concursado para ser convocado.

Por aqui, as entidades representativas dos servidores do Judiciário e os oficiais de justiça fazem figa, pois há aprovado nessas áreas aguardando por justiça. ”

(Coluna Vertical, do O POVO)

Dilma rebate Ciro e diz que PMDB é confiável

dilmam

“Em meio às negociações para ter o PMDB em sua chapa na corrida presidencial, a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) afirmou ontem que o partido é “absolutamente confiável”. Pré-candidata do PT ao Palácio do Planalto, Dilma disse não ver riscos no discurso peemedebista de reivindicar a paternidade de programas sociais do governo Luiz Inácio Lula da Silva nem de pedir espaço em um futuro governo petista.

“Não há nada de inconfiável nisso. A gente incentiva que todos os integrantes do governo tomem para si as políticas sociais do governo”, afirmou.

O afago aos peemedebistas ocorreu um dia depois de o partido reeleger o deputado Michel Temer (SP) para mais um mandato como presidente.
A aliança PT-PMDB tem sido fortemente criticada pelo deputado Ciro Gomes (PSB-CE), que apoia o governo Lula e também é pré-candidato à Presidência. Para Ciro, “a moral dessa aliança é frouxa, um roçado de escândalos já semeados”.

Nessa semana, Ciro disse não estar disposto a ceder à pressão do PT para que deixe a corrida presidencial. Ao defender sua candidatura, adotou o discurso do PSDB de que “falta experiência” a Dilma. “Quantas eleições a Dilma já disputou? Lamento, e pouco importa se parece com o [que diz] Serra ou não. Às vezes, o Serra fala a verdade também”, disse ele, referindo-se ao governador de São Paulo e pré-candidato tucano à Presidência, José Serra.

Questionada ontem se sentia-se constrangida pelas observações de Ciro, Dilma disse “respeitar as palavras” do deputado. “Nenhum [constrangimento]. Acho o Ciro um dos políticos mais qualificados do nosso país, agora nem por isso eu vou deixar de acrescentar o fato de que nós temos uma aliança qualificada”, afirmou.

A ministra participou ontem do Encontro Nacional da Juventude Petista, com cerca de 500 jovens. Mas não confirmou sua pré-candidatura. “Não sou nem pré-candidata.” Dilma pediu o apoio da militância para a “vitória do projeto de Lula” na eleição deste ano. Ela foi saudada com gritos de “nossa candidata”. Os jovens petistas também reciclaram o slogan de Lula em 2002. “É só você querer, que amanhã assim será. Bote fé e diga Dilma, bote fé e diga Dilma.”

(Folha)

PT de Fortaleza fecha questão: quer manter a vice e lançar candidato ao Senado

“Na recondução do atual presidente do PT de Fortaleza, Raimundo Ângelo, ao cargo, no último sábado, a instância partidária fechou questão quanto a duas “pendências eleitorais“: manter a vaga de vice e indicar um nome para o Senado na chapa encabeçada pelo governador Cid Gomes (PSB), na busca pela reeleição. Além disso, o partido se prepara para uma série de encontros, nos quais serão discutidas estratégias de campanha.

No que depender do PT de Fortaleza, segundo Raimundo Ângelo, é certa a indicação do ministro da Previdência, José Pimentel (PT), para o Senado. “Temos a posição unânime de todas as correntes do PT, que é a eleição do nosso senador. Então, o partido tem unidade política para eleger Pimentel senador“.

O dirigente petista explicou que existe um acordo para o PT apoiar o deputado federal Eunício Oliveira (PMDB) na busca por uma vaga ao Senado. Mas o PT não abrirá mão de disputar a outra vaga em aberto. “Queremos derrotar o (senador) Tasso (Jereissati), o candidato do PSDB“.

Quanto ao nome para a vice, ainda uma incógnita, uma coisa é certa: a prefeita Luizianne Lins (PT) estará à frente do processo de negociação, segundo Raimundo Ângelo. Entre os principais nomes, Raimundo reiterou o do coordenador de Articulação Política de Fortaleza, Waldemir Catanho, e o do atual vice-governador, Francisco Pinheiro. ”

(POVO)

FHC compara Dilma a "boneco manipulado"

fhccc

“O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso comparou a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, a um boneco manipulado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Num seminário destinado a prefeitos e vereadores do PSDB, no sábado, ele recomendou que os tucanos não tenham medo da popularidade de Lula, a quem chamou de ventríloquo de Dilma.

Segundo participantes, FHC duvidou do potencial de transferência de votos de Lula para Dilma porque o eleitor “desconfia de bonecos”. “Vamos mostrar que Dilma não tem as mesmas inteligência e capacidade de Lula”, disse ele, segundo relato de participantes.

No seminário, FHC disse que seria um “tiro no pé” se o PSDB não lançasse a candidatura de Geraldo Alckmin ao governo de São Paulo. Por duas vezes, ele afirmou que sonhava com o nome do governador de Minas, Aécio Neves, como vice de José Serra, para a Presidência.

FHC afirmou, porém, que confia na cooperação de Aécio ainda que ele não componha a chapa. Segundo ele, Aécio terá que trabalhar muito em Minas para fazer seu sucessor. Citando Tancredo Neves, avô de Aécio, FHC disse que ele precisa manter o poder no Estado. Por isso, trabalhará pelo partido.

Organizador do seminário, o secretário estadual Xico Graziano pediu que não se falasse sobre o dia a dia político no evento, destinado à modernização do discurso do partido. FHC foi obrigado a falar quando um dos participantes criticou o fato de o PSDB não ter candidato ao Planalto, enquanto Dilma está em campanha.

FHC reagiu, afirmando que Serra é o candidato, mas não pode se declarar enquanto governa São Paulo. Ainda segundo FHC, cabe a Serra ditar as diretrizes da sigla em campanha. Mas isso ainda não aconteceu. No evento, FHC fez uma crítica indireta a Serra e Alckmin. Disse que o PT tenta desconstruir seu mandato. “Infelizmente, nas duas campanhas do partido à Presidência, essa bandeira não foi defendida.”

FHC disse ainda que seria um erro do PT tentar comparar sua gestão à de Lula porque não se faz disputa “olhando para o retrovisor”. Mas apresentou números para que o partido fizesse comparações. Repetindo dados de artigo publicado ontem em “O Estado de S. Paulo” e “O Globo”, FHC disse que atendeu a 5 milhões de famílias no Bolsa Escola e que o governo Lula incluiu mais 6 milhões.

Em evento ontem com a Juventude Petista, Dilma defendeu a comparação das gestões. “Se não comparar, fica difícil. Vamos discutir quem fez o quê. E quem fará o quê.” O ministro Alexandre Padilha (Relações Institucionais) também rebateu FHC. “Toda vez que ele fala, o governo cresce na aprovação e a ministra, nas pesquisas.” No seminário, FHC disse ainda que o PT esconde o trabalho dos governos anteriores. ”

(Folha)

Preço do álcool sobe nesta 2ª feira no Ceará

O preço do álcool vai ficar 15% mais caro a partir desta segunda-feira no Ceará. Segundo o Sindicato do Comércio Varejista dos Derivados de Petróleo (Sindipostos), o aumento vem para repor perdas dos últimos meses.

De acordo com o Sindipostos, o preço do gás natural veicular também deve aumentar ainda este mês. A Cegás aguarda apenas a defiição do percentual por parte da Petrobras, mas a perspectiva é de que o metro cúbico fique mais caro seis centavos.

PCdoB apoia PT, mas não fecha com Dilma

“Em encontro nacional, o PC do B oficializou ontem, em São Paulo, a intenção do partido em apoiar o PT na próxima eleição presidencial. O documento, que prega candidatura única no campo governista e sob o patrocínio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, não cita o nome da ministra da Casa Civil e pré-candidata petista, Dilma Rousseff.

Pelo cronograma do partido, a aliança com o PT só será formalmente anunciada em abril, num segundo encontro partidário. Antes, o partido quer aguardar a definição oficial do PT.

De acordo com o documento aprovado nesse fim de semana, o objetivo do PC do B para 2010 será “lutar para garantir a vitória do empreendimento político das forças progressistas da nação, dando continuidade ao projeto político iniciado em 2002 com a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva para presidente do Brasil.”

Ainda segundo o texto, o momento exige “ampla unidade de forças políticas e sociais em torno de uma candidatura e na elaboração programática que a sustente.”

A iniciativa do PC do B em apoiar o PT enfraquece a candidatura do deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) à Presidência. O PC do B fazia parte do já desfalcado bloquinho (PSB, PDT, PC do B, PRB e PMN). O PDT já havia anunciado adesão à candidatura de Dilma.

Após o encontro de ontem, o partido defendeu a ampliação da bancada comunista na Câmara dos Deputados e no Senado Federal e o apoio à candidatura de Flávio Dino ao governo do Maranhão, sempre “considerando as circunstâncias eleitorais no âmbito nacional”.

(Folha)

Hebe volta ao ar no dia 8 de março

hebbe

Hebe e sua equipe no SBT já começaram a preparar o programa de retorno da apresentadora. A atração, segundo o diretor Jacobowitz, irá ao ar em 8 de março, data do aniversário de Hebe e Dia Internacional da Mulher.

Jacobowitz conta que o programa terá convidados especiais e amigos de Hebe. “Ela está bastante entusiasmada com a sua volta ao ar”, diz.”

(Coluna Zapping – Folha)

PR: Candidatura de Garotinho é irrevogável

“O PR reagiu ontem à possibilidade de retirada da candidatura do ex-governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho, ao Palácio Guanabara. Na semana passada, o presidente Lula autorizou petistas a negociarem com o PR a saída de Garotinho da sucessão fluminense. Seria uma forma de encontrar um palanque único para a reeleição do governador Sérgio Cabral (PMDB-RJ), aliado preferencial do Palácio do Planalto. O governador pediu encontro com Lula no fim de semana para tratar do tema, o que deve ocorrer apenas no Carnaval.

Em nota oficial, o partido chegou a afirmar que “é irrevogável o apoio da direção nacional do PR à candidatura de Garotinho ao governo do Rio em 2010”. O texto é assinado pelo presidente nacional do PR, Sérgio Tamer.

Por meio de sua assessoria, Tamer criticou duramente o governador Sérgio Cabral. Para ele, o peemedebista é o responsável por prejudicar o palanque de Dilma no Rio. “Não há problema no Rio de Janeiro da nossa parte. Quem está criando problema é o governador Sérgio Cabral, que está jogando para dividir. É melhor dois palanques do que apenas um”, disse. 

Ele também negou qualquer possibilidade de negociar com o PT a retirada da candidatura:

— Não existe negociação em que se admita um recuo da candidatura Garotinho.

Ontem, o ministro do Trabalho, Carlos Lupi (PDT), e Garotinho se reuniram no Rio, para costurar aliança. O PDT negocia candidatura ao Senado na chapa do ex-governador.”

(O Globo)

Zona Azul volta a ser cobrada

“Agora é para valer! A partir de hoje, após duas semanas de ações educativas, o sistema de estacionamento rotativo Zona Azul volta a ser cobrado pela Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e de Cidadania (AMC), que poderá autuar os motoristas flagrados sem o cartão.

O sistema, que possui 2.445 vagas localizadas no Centro, Aldeota e Monsenhor Tabosa, volta a funcionar sem alterações. Os preços, os talões, os locais de venda dos cartões e as vagas são exatamente iguais aos de antes da paralisação.

O Zona Azul retornou no dia 25 de janeiro, mas, nesses primeiros 15 dias, os agentes da AMC apenas advertiram os motoristas e distribuíram um panfleto educativo. Agora, quem não apresentar o cartão cometerá infração leve, podendo levar multa de R$ 53,00 e três pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Quem possuir boletos antigos não terá prejuízo, pois esses continuarão valendo. O valor pago pelo cartão também continuará o mesmo: R$ 1,00 por um tempo de permanência que varia de duas a cinco horas, dependendo do local.”

(Diário do Nordeste)

Passagens de ônibus da Região Metropolitana não devem ter preço reduzido

Empresários de ônibus da Região Metrtopolitana são mesmo fortes. Foram à Justiça no fim de semana e conseguiram derrubar a redução de 8,5% nas passagens determinada pela Agêncai Reguladora dos Serviços Públicos Delegados (Arce).

O preço cairia nesta segunda-feira, mas, com essa dcisão da Justiça, que ainda não chegou aos ouvidos da Arce, tudo continua na mesma tabela.

Muitos foliões que vibraram com o anúncio da redução da passagem, pois iriam curtir a festa em cidades da Região Metropolitana, vão ficar no bloco da saudade.

Quando FHC fala, Dilma cresce, diz Padilha

rd

“O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, afirmou neste domingo, durante o encontro da Juventude Petista, em Brasília, que “toda a vez que Fernando Henrique fala, nosso governo cresce em aprovação, e a minitra Dilma cresce nas pesquisas”. A afirmação do ministro foi uma resposta ao artigo publicado em vários jornais (leia mais) em que o ex-presidente Fernando Henrique compara os governos do PSDB e do PT.
“Não é a primeira vez que vamos disputar uma eleição comparando o que Lula fez com o que o ex-presidente Fernando Henrique fez. Em 2006, nós já comparamos, mas também olhamos para frente, porque o Brasil encontrou um rumo, encontrou um caminho e é caminho que nós queremos debater”, disse Padilha.

O ministro disse ainda que os partidos devem mostrar suas propostas. “Quem tiver um programa alternativo a isso tem que demonstrar. Por enquanto, não mostraram o que qerem fazer, por isso, comparamos com o que já fizeram. Quando mostrarem o que querem fazer, nós vamos comparar com aquilo que vamos fazer”.

Dilma: vamos comparar

Ao discursar para os participantes do encontro nacional da Juventude do PT, que ocorre desde quinta-feira, em Brasília, Dilma destacou as ações do governo do presidente Lula e pediu para que os jovens ajudem a dar continuidade aos projetos.

Aa ministra mostrou estar disposta a priorizar na sua campanha ao Palácio do Planalto a comparação do governo Lula com o do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso –postura que vem sendo defendida por Lula publicamente. Mesmo afirmando que ainda não é “nem pré-candidata”, Dilma rebateu declaração do tucano de que “eleições não se ganham com o retrovisor”.

Segundo a ministra, a população brasileira saberá distinguir entre o que foi feito na gestão FHC e no governo Lula. “Comparar não é ficar olhando para o retrovisor, pelo contrário. Comparar é discutir que caminho eu vou seguir, para que lado que eu vou. O povo tem que discutir porque é importante saber se nós vamos fazer obras de saneamento ou não. Comparar é discutir o que se fazia de obras de saneamento antes de 2003. Era pouquíssimo”, afirmou.

Em artigo publicado neste domingo, Fernando Henrique criticou a disposição de Lula em incentivar a comparação entre os dois governos durante a campanha. “Eleições não se ganham com o retrovisor. O eleitor vota em quem confia e lhe abre um horizonte de esperanças. Mas se o lulismo quiser comparar sem mentir e sem descontextualizar, a briga é boa. Nada a temer”, disse FHC.

Ao participar do ato no Encontro Nacional da Juventude do PT, Dilma disse “não ter problema de comparação” entre as duas gestões. “Comparar, sim, se não comparar fica difícil. Vamos discutir quem fez o quê. E quem fará o que. Agora, nós não temos problema nenhum com comparação sabe por quê? Estamos vendo os dados.”

Dilma listou, por mais de quinze minutos durante entrevista, realizações do governo Lula que na opinião da ministra foram “ignoradas” na gestão tucana –como a política de educação superior e as obras de saneamento básico do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

No discurso aos jovens, ministra manteve as comparações com o governo Fernando Henrique. “Nos últimos 50 anos, nós do PT fomos grandes governantes pelo fato de que distribuímos renda. Essa é a diferença entre nós e outros governos.”

Estatização

A ministra sinalizou que, se for eleita, vai manter as políticas de esquerda que priorizam a estatização. “Que não haja retrocesso, que não voltemos as políticas de privatização que ameaçaram a Petrobras, que podia ter virado Petrobrax.”

Dilma classificou de “atrasados” os que insistem em afirmar que o PT tem postura de extrema esquerda na sua gestão. “O pessoal está atrasado. Nem em Davos [Fórum Econômico Mundial] a gente recebe mais essa crítica”, afirmou.

Num recado aos tucanos, a ministra disse que não é o governo do presidente Lula “quem teme acabar com os juros e acabar com o PAC”.

Antes de discursar para os jovens petistas, a ministra concedeu entrevista coletiva, na qual negou ser pré-candidata à sucessão presidencial. “É aquela história de colocar o carro à frente dos bois. Eu não sou nem pré-candidata”.

Na última semana, no entanto, o presidente Lula afirmou que Dilma Rousseff deixará sua pasta em abril, “para fazer outras tarefas”. O presidente do PT, José Eduardo Dutra, disse que a ministra participou do encontro da juventude como “militante” do partido. “É um ato interno do partido, realizado em um ambiente interno. Não é nenhum ato de pré-campanha. A ministra veio como filiada do PT. Como militante do PT que vai falar aos jovens do nosso partido”.

* Do site Vermelho, do PCdoB.

Hugo Chávez: Seria nefasto se direita vencesse as eleições no Brasil

“O presidente venezuelano, Hugo Chávez, disse neste domingo que seria “nefasto” para a América Latina se a direita recuperasse o governo do Brasil nas próximas eleições presidenciais, em outubro. “Neste ano há eleições no Brasil e temos certeza de que o império americano vai apostar tudo na direita brasileira, para ter desde 1º de janeiro do ano que vem um governo subordinado às ordens americanas. Isso seria nefasto para a união da América do Sul”, disse Chávez em seu programa dominical “Alô Presidente”.

“Não nos intrometemos nos assuntos internos, mas cabe a nós saber o que acontece nos países irmãos da América Latina e do Caribe”, acrescentou o presidente venezuelano. Chávez advertiu que os setores direitistas do continente, com o amparo e a ajuda dos Estados Unidos, suscitaram uma ofensiva política para recuperar a posição que tiveram antes que surgissem as correntes progressistas que chegaram ao poder em vários países da região. “A direita imperialista e lacaia se reúne e contra-ataca, continua tentando voltar ao poder”, assinalou Chávez.

O presidente venezuelano, que diz liderar uma “revolução bolivariana” rumo ao “socialismo do século 21”, disse que essa ofensiva tenta “afastar nossos governos uns dos outros para enfraquecê-los, atacar a Unasul, a Alba”. Ele assegurou o mesmo ocorreu em relação “ao golpe de Estado de Honduras e às sete punhaladas no coração da União Sul-Americana, que são as bases estrangeiras na Colômbia”.

Chávez insistiu que “hoje a união é muito mais necessária porque o império e as burguesias lacaias trabalham para impedir a união”. Ao se referir às eleições brasileiras, o presidente disse que tinha “grande esperança que o governo de Luiz Inácio Lula da Silva, que não se subordinou às ordens do império ianque e foi nosso aliado, continue seu curso, continue seu ritmo”. Chávez afirmou que o governo Lula “é aliado dos povos da América, dos povos progressistas”. No mês passado, Chávez já dissera que a “direita continental” tentaria impedir a continuidade do governo Lula, referindo-se a obstáculos para a futura candidatura da ministra da Casa Civil.”

 (Folha Online)

Caso Arruda – Passeata pede saída do governador

“Centenas de pessoas ligadas a entidades sindicais e de estudantes, além de políticos da oposição saíram em passeata hoje (7) pelo Eixo Rodoviário Sul de Brasília. Os manifestantes pediam a saída do governador do Distrital Federal, José Roberto Arruda (sem partido).
Arruda é acusado de comandar um esquema de propina que tinha como beneficiários deputados distritais, assessores e empresários, de acordo com as investigações da Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal.

Os manifestantes percorreram cerca de 3 quilômetros, até a as quadras 209/109 Sul. Segundo a Polícia Militar, o número de participantes oscilou entre 500 e 700 pessoas. Mas, para o jornalista Paulo Miranda, ligado ao movimento sindical e que registra há mais de 20 anos as manifestações populares que ocorrem no Distrito Federal, a visão de cima do carro de som que acompanhou a multidão, mostrava que “estavam marchando cerca de 2 mil pessoas”.

Um grande número de faixas e cartazes fazia citações sobre o escândalo que envolve o governo do Distrito Federal (GDF) e deputados da Câmara Distrital. Alguns manifestantes, aproveitando o período pré-carnavalesco saíram fantasiados. O carro de som que puxava o cordão dos manifestantes tocava músicas de carnaval , com letras bem humoradas sobre a situação política no DF.

O movimento Fora Arruda, que pede o afastamento do governador do vice Paulo Otávio, aproveitou a manifestação para lançar um bloco carnavalesco com alusão ao escândalo de corrupção no GDF que vai desfilar no domingo (14) junto com o Pacotão, tradicional bloco de Brasília. A ideia do movimento com a criação do bloco, é reforçar as manifestações pela saída do governador Arruda.”

(Agência Brasil)

43º Carnaval da Saudade do Náutico: Sucesso de público e de crítica

Terminou, por volta das 4h30min da madrugada deste domingo, o  “43º Carnaval da Saudade”, a maior festa de pré-carnaval realizada por um clube social de Fortaleza. O Náutico Atlético Cearense ficou pequeno para tanta folia.

A festa, impecável em segurança, proporcionou uma verdadeira viagem ao túnel do tempo por meio de 85 canções que marcaram vários carnavais. Tudo sob o comando da banda Brasa Seis e em ritmo de homenagem à memória da cantora Dalva de Oliveira.

ti8nchave

Tin entregou chaves da cidade para o Rei Momo.

gudescorora3

Guedes Neto coroou a Rainha do Carnaval.

Antes, porém, a coroação do Rei, André Luís, e da Rainha do Carnaval de Fortaleza, Amanda Veloso, numa solenidade presidida pelo prefeito em exercício Tin Gomes (PHS), sob olhares do presidente do clube, Guedes Neto, e de autoridades como o presidente do TCU, ministro Ubiratan Aguiar, e do ex-governador Lúcio Alcântara, além de parlamentares federais e estaduais, vereadores e lideranças empresariais. A Crônica Carnaveslesca coordenou essa parte do script da folia. 

gueddes1

Ubiratan, Guedes (e sua Georgiana) e Lúcio.

A organização do evento, que improvisou até tapumes sobre a piscina olímpica para acomodar mais foliões, além de ter aproveitado as quadras e o estacionamento, calcula ter recebido cerca de cinco mil pessoas. Blocos improvisados (Índios da Varjota” e “Os Amigos” entre alguns), deram um colorido especial à festa. Houve até escolha do casal melhor fantasiado. Os cantores Aíla (Branca de Neve) e Raimundo Arraes (Caçador) venceram a disputa. Aíla deu uma canja e entoou sucessos de Dalva de Oliveira.

folia4

Turbilhão de gente ao som do “Brasa Seis”.

DETALHE – Fomos, pela primeira vez, ao Carnaval da Saudade do Náutico e, pelo que vimos, seremos assíduos fioliões a partir de agora. Parabéns à direção do clube.

DETALHE 2 – Que no próximo ano, o clube aumente o número de garçons e as tendas de alimentação.

(Fotos – (Paulo Moska)

Ciro pode sair no Galo da Madrugada

Não só Dilma Rousseff foi convidada para o Galo da Madrugada, do Recife. O governador Eduardo Campos, presidente nacional do PSB, informou, durante baile municipal da Capital pernambucana, nesta madrugada de domingo, que o pré-candidato do seu partido Ciro Gomes, também recebeu convite. “Só falta o Ciro confirmar presença”, avisou Campos.

Ao ser indagado se estaria ao lado de Dilma na festa, o governador garantiu que sim. “No ano passado ela veio como nossa convidada. Ela continua convidada, como Ciro foi convidado. Se ela vier aqui, vai ser recepcionada por todos nós,” disse o governador.

(Com Blog da Folha)

DETALHE – José Serra, presidenciável tucano, também pode aparecer no maior bloco do mundo. A tucanada pernambucana, por meio do presidente nacional do partido, senador Sérgio Guerra, articula tudo.

Requião viaja para se lançar ao Planalto

“Com o apoio de apenas sete dos 27 diretórios estaduais do PMDB e menosprezada pela cúpula do partido, a corrente que defende a candidatura própria do PMDB à Presidência, promete continuar viajando pelo país para propagandear o nome do governador do Paraná, Roberto Requião (PMDB).

Requião já foi a Mato Grosso do Sul, Piauí, Goiás, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Minas Gerais, e diz que a base do partido está empolgada com a proposta. A agenda das próximas semanas – ainda não foi confirmada- deve priorizar Estados do Norte e do Nordeste.

Para a candidatura ganhar fôlego, os entusiastas de Requião apostam na possibilidade de Michel Temer (PMDB) não ser escolhido como vice da candidatura presidencial de Dilma Rousseff (PT), o que inflamaria as hostes peemedebistas e as traria para o seu lado.

Ao lado do governador, estão líderes insatisfeitos com a aliança com o PT, como Pedro Simon (RS) e Luiz Henrique (SC), assim como os peemedebistas interessados em desestabilizar o PMDB governista, como Orestes Quércia (SP) e André Puccinelli (MS).

Os sete diretórios que apoiam a candidatura própria garantem, no máximo, 35% dos votos na convenção do partido, que define seu posicionamento eleitoral em junho.”

(Folha Online)