Blog do Eliomar

Últimos posts

Congresso em Foco divulga lista completa dos parlamentares federais com processo no STF

 

Vice de Dilma, o peemedebista Michel Temer está na lista.

“Eles são de 15 partidos diferentes, das 27 unidades da Federação. Nove ocupam cargos de liderança no Congresso. Um deles preside a Câmara, outro é vice-presidente do Senado. Em comum, têm o mandato que exercem no Parlamento e os processos a que respondem no Supremo Tribunal Federal (STF).  É a bancada mais numerosa do Legislativo federal, a dos parlamentares processados, composta por 21 senadores e 147 deputados, cujos nomes o Congresso em Foco revela hoje (14), em sua totalidade. Juntos, eles são alvos de 396 investigações no Supremo.

Entre esses 168 parlamentares, cinco respondem a pelo menos uma dezena de processos. O campeão nesta lista é o ex-governador de Roraima Neudo Campos (PP-RR), candidato ao governo do estado em outubro, com 21 denúncias. Depois dele, vêm os deputados Jader Barbalho (PMDB-PA), candidato a uma vaga no Senado, Abelardo Camarinha (PSB-SP), Fernando Chiarelli (PDT-SP) e Lira Maia (DEM-PA), com dez investigações em curso. No Senado, os senadores Jayme Campos (DEM-MT), com cinco, Valdir Raupp (PMDB-RO) e João Ribeiro (PR-TO), com quatro cada, são os que acumulam maior número de pendências na Corte Suprema.

Veja a lista de todos os parlamentares processados

Veja o que respondem os parlamentares da região Norte

O que dizem os parlamentares do Nordeste

As respostas dos parlamentares do Centro-Oeste

A defesa dos parlamentares da região Sudeste

As respostas dos parlamentares do Sul

O senador João Ribeiro é líder do PR. Assim como ele, outros quatro líderes no Senado também devem explicações ao Supremo: os senadores Romero Jucá (PMDB-RR), líder do governo; Renan Calheiros (AL), líder do PMDB e da maioria; Mão Santa (PI), líder do PSC, e Gim Argello (DF), líder do PTB. Na Câmara, também são alvo de investigação os líderes do PR, Sandro Mabel (GO);  do PDT, Dagoberto (MS);  do PRB, Cléber Verde (MA), e do PMN, Fábio Faria (RN). O presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), e o primeiro-vice-presidente do Senado, Marconi Perillo (PSDB-GO), também são alvos do Supremo.

O vice de Dilma

Oficializado no sábado (12), na convenção do PMDB, candidato a vice-presidente na chapa encabeçada por Dilma Rousseff (PT), Temer está indiciado no Inquérito 2747, suspeito de ter cometido crime contra o meio ambiente. Na última movimentação do inquérito registrada na página do Supremo, o ministro Joaquim Barbosa, relator do caso, cobrou explicações da Procuradoria-Geral da República sobre a “demora excessiva” da investigação.

Como mostrou a Folha de S. Paulo, o presidente da Câmara é suspeito de ter recorrido a grileiros para se apropriar de terras na reserva ecológica da Chapada dos Veadeiros, em Goiás. O deputado sempre negou as acusações. No ofício, o ministro pediu ao procurador-geral, Roberto Gurgel, que explicasse por que não haviam sido cumpridas as diligências por ele determinadas um ano antes. Não há registro de resposta da PGR desde o envio do documento, em 27 de outubro.

O vice do Senado

Candidato ao governo de Goiás, Marconi acumula três inquéritos, um por concussão (ato de exigir para si ou para outrem dinheiro ou vantagem em razão da função), corrupção passiva, prevaricação, tráfico de influência, corrupção ativa e crimes de abuso de autoridade; outro por corrupção passiva, e um terceiro cuja natureza não é informada pelo Supremo.

A relação dos parlamentares processados inclui outros personagens ilustres da política brasileira, como o ex-presidente da República Fernando Collor (PTB-AL) e o ex-governador paulista Paulo Maluf (PP-SP).
Candidato ao governo de Alagoas, Collor é réu em duas ações penais: uma por corrupção passiva, peculato, tráfico de influência, corrupção ativa e falsidade ideológica; e outra por crime contra a ordem tributária. Incluído este ano na relação de procurados pela Interpol, Maluf responde a cinco acusações no Supremo: por crimes contra a ordem tributária, contra o sistema financeiro, de responsabilidade, formação de quadrilha ou bando, e lavagem ou ocultação de bens, direitos ou valores.”

(Congresso em Foco)

Lei Maria da Penha é alvo de ação direta de inconstitucionalidade

“Com o objetivo de afastar a aplicabilidade da Lei dos Juizados Especiais (9.099/95) aos crimes cometidos no âmbito da Lei Maria da Penha (11.340/2006), bem como para determinar que o crime de lesão corporal de natureza leve cometido contra mulher seja processado mediante ação penal pública incondicionada, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, propôs Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI 4424), com pedido de medida cautelar, no Supremo Tribunal Federal. O relator é o ministro Marco Aurélio.

O pedido do procurador-geral está fundamentado na necessidade de se dar interpretação conforme a Constituição aos artigos 12, I; 16 e 41 da Lei Maria da Penha. Na ação, ele ressalta que essa norma “foi uma resposta a um quadro de impunidade de violência doméstica contra a mulher, gerado, fortemente, pela aplicação da Lei 9.099”.

Roberto Gurgel salienta que, após a edição da Lei 11.340, duas posições se formaram a respeito da forma de ação penal relativa ao “crime de lesões corporais leves praticado contra a mulher no ambiente doméstico: pública condicionada à representação da vítima ou pública incondicionada”.

O procurador-geral afirma que a única interpretação compatível com a Constituição e o fim da norma em tela é a de se utilizar ao crime cometido contra a mulher a ação penal pública incondicionada. Caso contrário, ressalta a ADI, estaria a utilizar a interpretação que importa em violação ao “princípio constitucional da dignidade da pessoa humana, aos direitos fundamentais da igualdade, à proibição de proteção deficiente dos direitos fundamentais e ao dever do Estado de coibir e prevenir a violência no âmbito das relações familiares”.

De acordo com Gurgel, a interpretação que condiciona à representação o início da ação penal relativa a crime de lesão corporal de natureza leve, praticado em ambiente doméstico, gera para as vítimas desse tipo de violência “efeitos desproporcionalmente nocivos”. Roberto Gurgel afirma que no caso de violência doméstica, tem-se, a um só tempo, grave violação a direitos humanos e expressa previsão constitucional de o Estado coibir e prevenir sua ocorrência. “A opção constitucional foi clara no sentido de não se tratar de mera questão privada”, afirma.

(Site do STF)

Copa 2010 – Judiciário muda expediente

A Justiça do Ceará muda o horário de funcionamento durante os jogos da Seleção Brasileira de Futebol na Copa do Mundo de 2010. O presidente do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), desembargador Ernani Barreira Porto, assinou portaria nº 849/2010, já publicada no Diário da Justiça Eletrônico, disciplinando o expediente de trabalho.

Nesta terça-feira, data do jogo de estreia da Seleção Brasileira, o expediente ocorrerá das 8 às 14 horas. A medida é para todas as unidades do Poder Judiciário estadual, serventias extrajudiciais, Juizados Especiais Cíveis e Criminais da Capital e do Interior, além da Creche Felisbela Benvinda Guimarães, em Fortaleza.

Para o dia 25 de junho, data da partida do Brasil contra Portugal, também pela 1ª fase da Copa do Mundo, o expediente judiciário, em todas as suas unidades, não ocorrerá. Porém, os servidores deverão compensar as horas não trabalhadas, à razão de uma hora adicional por dia, num total de seis dias.

A portaria não se aplica aos servidores que trabalham em regime de dedicação exclusiva ao Projeto de Virtualização do Judiciário. Com a medida, ficam prorrogados os prazos processuais, nos termos dos parágrafos 1º e 2º do art. 184 do Código de Processo Civil, inclusive prazos prescricionais.

VAMOS NÓS – E ninguém ali fala da greve dos servidores do Judiciário que prossegue há mais de um mês acumulando muitos processos. Até quando? – indagam os advogados.

Estaleiro – Prefeita quer resolver essa novela com o presidente Lula

A prefeita Luizianne Lins (PT) deverá estar na próxima quinta-feira, em Brasília, quando será recebida em audiência pelo governador Cid Gomes (PSB). Segundo sua asssessoria, uma conversa com dois motes: um político e outro econômico.

O mote político diz respeito ao cenário eleitoral no Ceará e as estratégias de campanha pró-Dilma Rousseff. Luizianne é a presidente regional do PT. Com Lula, ela avaliará a situação do pré-candidato ao Senado pelo partido, José Pimentel, e o quadro onde o PSDB ameaça lançar candidato próprio ao Governo, no que para os petistas não seria nada mal.

Outro assunto é a novela em torno do projeto do estaleiro do Grupo Promar. A demora já fez a direção do grupo ameaçar ir para outro Estado. Até o Governo do Maranhão entrou no circuito e se dispõe a acomodar o empreendimento. Tudo começou quando o governador Cid Gomes defeneu como localização para o estaleiro a praia do Titanzinho.

Luiziannie, como prefeita, desaprovou e, a partir daí, ficou incumbida de resolver a pendência, pois Cid Gomes acabou lavando as mãos. Ela quer conversar com Lula sobre fórmulas de abrigar o projeto, já que quando passou por aqui, na última semana, o presidente defendeu que o estaleiro fosse instalado em território cearense.

Alô, Prefeita! Maranhão quer o estaleiro

“O Maranhão deve abrir negociações a fim de atrair a instalação do estaleiro Promar Ceará. “Nós não só temos interesse como inevitavelmente temos que ter um estaleiro”, confirma o secretário da Indústria e do Comércio do Maranhão, José Maurício de Macedo Santos.

O próprio investidor Paulo Haddad admite que, em meio ao impasse no Ceará, está em fase de negociação com outros estados sobre o projeto.

“Estamos aqui de braços abertos”, reitera Maurício. O Maranhão quer receber um estaleiro para atender a uma demanda de seu crescimento industrial. O movimento de navios está aumentando no Estado e é necessário ter um estaleiro que ofereça serviço de manutenção para as embarcações, conforme explica o secretário.

Uma série de projetos de grande porte está indo para o Maranhão. De acordo ainda com Maurício, este fato deve fazer com que 200 navios sejam movimentados a cada mês, reforçando ainda mais a carência de um estaleiro. O secretário, porém, ressalta que o interesse do Estado não se resume à manutenção de embarcações, explicando que a expectativa é ter fabricação navios e de plataformas com o empreendimento.

Um dos investimentos que devem elevar o movimento de navios no Maranhão é uma unidade da Suzano, a maior empresa do setor de papel e celulose no Brasil. O investimento previsto é de R$ 1,8 bilhão, em Imperatriz, a 641 quilômetros da capital São Luiz. A produção deve chegar a 1,3 milhão de toneladas a cada ano.

Já em Bacabeira, a 60 quilômetros de São Luiz, o Maranhão deve receber uma refinaria da Petrobras, a Premium I, com capacidade para produzir 600 mil barris por dia. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em janeiro último, lançou a pedra fundamental, ao lado do então ministro de Minas e Energia, o maranhense Edison Lobão, a governadora Roseana Sarney (PMDB) e seu pai, o senador José Sarney (PMDB).

Condições

Maurício garantiu que o Estado tem condição técnicas para o Promar. Segundo as exigências legais, o local para o estaleiro deve ter 700 metros de frente para o mar e calado mínimo de 8 metros. Ele exemplificou que, em praticamente toda a baía de São Marcos, na região de São Luiz, há estas condições.

Na região da baía de São Marcos está situado o Porto do Itaqui, em São Luiz. Este fato faz com que outras duas exigências sejam cumpridas pelo Maranhão, uma vez que é necessário acesso portuário e, também, proximidade a um centro urbano.

O POVO procurou ouvir o empresário Paulo Haddad na tarde de ontem, por meio de seu celular, mas a reportagem não conseguiu localizá-lo até o fechamento da edição.

(O POVO)

Copa 2010 – Comércio e bancos alteram expediente

“Bancos, comércio, repartições, escolas, agências dos Correios e uma série de outros serviços vão alterar horários de funcionamento nos dias de jogos do Brasil na primeira fase da Copa do Mundo 2010. Alguns vão fechar as portas por completo durante a transmissão, e dependendo do horário da partida, podem reabrir depois.
A Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) já definiu horários para os dias de jogos. Amanhã, com o jogo marcado para às 15h30min, o expediente bancário será das 8 às 14 horas. Já na sexta-feira, dia 25, dia de Brasil e Portugal às 11 horas, os bancos funcionarão das 8 às 10h30min e das 14 às 16 horas.

O comércio, no caso das lojas de rua e do Centro, fechará às 14 horas no jogo entre Brasil e Coréia do Norte e Brasil e Costa do Marfim, no domingo. Já na sexta-feira, 25, quando o Brasil enfrenta Portugal, em partida marcada para às 11 horas, a orientação do Sindicato dos Lojistas de Fortaleza (Sindlojas) é para que as lojas fechem na hora do jogo e reabram ao final da transmissão. Nos shoppings a estratégia ficou a cargo de cada um.

Nos shoppings, lojas fecham durante a transmissão dos jogos e reabrem após o término, mas cinemas, lazer e praças de alimentação continuarão funcionando.

Escolas também vão deixar professores, funcionários e alunos ficarem livres para torcer pelo Brasil. O Sindicato das Particulares (Sinepe) recomenda que amanhã as unidades mantenham o funcionamento normal no período da manhã, e suspendam as aulas nos turnos tarde e noite. Para a sexta-feira, 25, o Sinepe orienta suspender aulas em todos os turnos.

* Agências dos Correios também terão horário de funcionamento alterado durante os jogos da seleção brasileira marcados para os dias 15 e 25. No jogo Brasil e Coréia do Norte, amanhã, funcionarão das 8h30min às 15 horas. Já no dia 25, Brasil x Portugal, às 11 horas,
as agências ficarão fechadas entre 10h30min e 13 horas.

* O Governo do Estado divulgou que o expediente amanhã, 15, será das 8 às 14 horas, para todas as repartições e escolas. Exceção para órgãos que atuam em serviços de urgência/emergência. O POVO fez contato com a Prefeitura de Fortaleza, mas a informação dada foi a de que ainda não havia sido definida essa situação.”(O POVO 

Rodada de negociações começa nesta 2ª feira

“Está prometido para hoje o início das negociações do governador Cid Gomes (PSB) com os partidos aliados para tratar da chapa em torno de sua reeleição. No entanto, a agenda oficial dele ainda não indica nenhum espaço para encontros com as legendas. Pela manhã, Cid participa de evento sobre educação e logo segue para Brasília, para uma audiência sobre a refinaria da Petrobras no Estado.

O ritmo, por enquanto, não parece nada acelerado. A reunião da Executiva do PSB, prevista para este fim de semana, não ocorreu, e a tentativa de reaproximação com o PSDB ainda está em curso.

No último sábado, em seminário com a militância do PSB em Guaramiranga, o deputado federal Ciro Gomes (PSB) prometeu que vai procurar o líder tucano Tasso Jereissati para tentar reverter o rompimento e evitar o lançamento de uma candidatura própria do PSDB ao Governo.

Já do lado do PSDB, o discurso continua o mesmo. Ontem, o presidente do partido, Marco Penaforte, sustentou que a aliança tucana com Cid “se tornou muito difícil”. Entre os motivos, a diferença de palanques nacionais. Enquanto o PSB de Cid apoia a candidata do PT a presidente, Dilma Rousseff, o PSDB tem o candidato José Serra. Além disso, Penaforte afirmou que os tucanos “em nenhuma hipótese” aceitam se coligar com o PT.

Diante do “acúmulo de fatos”, acrescenta, o PSDB – que passou três anos e meio na base do Governo – “consolidou” a decisão de lançar um candidato. “Um espectro rondava o estado do Ceará, que era a possibilidade de uma candidatura única”, diz Penaforte, argumentando que o cearense vai poder escolher entre “modelos diferentes”.

No entanto, o deputado Zezinho Albuquerque (PSB), um dos principais interlocutores de Cid, disse que qualquer partido “só estará fora do jogo depois de conversar” com o governador.

PT aguarda

No PT – principal obstáculo ao PSDB na chapa de Cid -, reina a cautela. O vice-presidente do partido no Ceará, José Guimarães, disse que “esses fatos não dizem respeito ao PT”. De acordo com ele, a pré-candidatura de José Pimentel (PT) ao Senado está mantida.

O secretário de formação política do PT, Ilário Marques, endossou a tese de que o PT não deve “nem lamentar nem comemorar”.

Outro petista, que preferiu não se identificar, resumiu o motivo pelo qual os petistas preferem ficar quietos neste momento. “Amanhã o Ciro Gomes vai e bota tudo no balaio de novo e nós nos desmoralizamos”.

(O POVO)

Lula vetará reajuste de 7,72% para aposentado

“O presidente

Lula decidirá amanhã pelo veto ao reajuste de 7,72% às pensões e aposentadorias do INSS superiores ao salário mínimo, cedendo à pressão da equipe econômica.

A dúvida que persiste no governo é qual o instrumento jurídico será usado para garantir o aumento de 6,14% dos benefícios, que estão sendo pagos desde 1 de janeiro, e cumprir o acordo com as centrais sindicais e os representantes de aposentados.

“A tendência é respeitar o acordo com as centrais e fazer o veto. Essa é a tendência, mas o presidente só decidirá na terça-feira.

Vamos fazer algo que não prejudique os aposentados. Eles já estão recebendo os 6,14%” — disse o chefe de gabinete da Presidência, Gilberto Carvalho.”

(Globo)

Jorgina é libertada após cumprir pena de 13 anos

“A ex-advogada Maria Jorgina de Freitas, que causou um rombo sem precedentes no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) na década de 1990, foi solta sábado. Ela estava presa há quase 13 anos e deixou a penitenciária Oscar Stevenson, em Benfica, Zona Norte do Rio, onde cumpriu parte da pena por ter desviado cerca de R$ 400 milhões.

A liberdade, segundo o portal da Secretaria de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro (Seap), foi concedida por meio de alvará de soltura por término de pena. No final de maio, ela foi condenada a devolver R$ 200 milhões aos cofres públicos; 57 imóveis da ex-advogada irão a leilão para abater a dívida.

A decisão é da 27 Vara Federal do Rio de Janeiro, que também condenou o contador Carlos Alberto Mello e manteve o bloqueio de todos os bens dos envolvidos na fraude, para leilão. Até agora, apenas R$ 69 milhões subtraídos foram devolvidos.

O escândalo foi descoberto em março de 1991, com a divulgação de uma lista de beneficiários de milionárias indenizações, obtidas por fraudes aplicadas por advogados.

O procurador do INSS Volney Ávila denunciou, no mesmo mês, a existência da quadrilha. O esquema funcionava a partir de documentos forjados para autorizar o pagamento de indenizações por acidentes de trabalho, geralmente aplicados, segundo a Justiça, em São João de Meriti, Duque de Caxias e Vassouras.”

(Globo)

Funceme ganha radar de R$ 13 milhões

Um radar meteorológico de alta potência será instalado pela Funceme na Serrinha de Santa Maria, bem no sertão do município de Quixeramobim. Esse equipamento, que custou R$ 13 milhões – parte do Governo do Estado e parte da União, é o que há de mais moderno no mundo em termos de meteorologia, segundo técnicos do órgão. Será capaz de ações incríveis. Por exemplo: se uma chuva de 100 milímetros desabar sobre a bacia hidráulica do Castanhão, o radar, que operará auxiliado por um super computador, logo calculará e informará o volume de água que aquele açude receberá, facilitando o monitoramento da vazão e evitando enchentes a jusante.

O equipamento também emitirá, automaticamente, um extrato que revelará aos agricultores a pluviosidade registrada no seu roçado e o nível de umidade do solo, orientando-o para a hora certa de plantar. Esse super radar democratizará, de acordo com a Funceme, o seu serviço, pois cobrirá, também, além de todo o Estado do Ceará, parte dos estados da Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte.

Articulações apontam Beto Studart para o Governo

“A reviravolta na política do Ceará ganhou novas dimensões. A decisão do PSDB de lançar candidato próprio ao Governo do Estado tem contornos mais nítidos. Germina uma articulação que coloca o empresário Beto Studart na cabeça de uma chapa de oposição ao governador Cid Gomes.

As conversas começaram na quarta-feira passada, um dia antes da reunião tucana que decidiu que o partido trilharia caminho próprio na disputa pelo Governo do Ceará. Foi quando Studart se reuniu com o comandante tucano, Tasso Jereissati. “Fui lá como cidadão e não como pretendente a nenhum cargo. Conversei com o senador e disse a ele que todo o seu histórico corria o risco de ir para o ralo se mantivesse o projeto do PSDB atrelado aos Ferreira Gomes”, conta Beto Studart.

O empresário argumenta que a forma como Cid Gomes estava conduzindo o processo era muito arriscada para o PSDB e para Jereissati. “Tasso estava sendo levado para o canto da parede. Não é razoável decidir uma candidatura de senador na última hora. O governador está indo pra África. Seria humilhante só ficar esperando que Cid voltasse. Fiquei com medo do Senado perder mais uma cadeira de oposição. Como empresário e cidadão, não gosto disso.”

As articulações prosseguem hoje com um café da manhã, envolvendo Beto Studart, o ex-secretário de Governo de Tasso, Assis Machado, o deputado estadual Luiz Pontes, o presidente estadual do DEM, Chiquinho Feitosa, o deputado estadual João Jaime Marinho (PSDB) e o tucano Cirilo Pimenta.

A ideia em gestação é: Beto Studart na cabeça da chapa, mas somente se um grande esforço político conseguir juntar numa mesma chapa majoritária o PSDB de Tasso, o DEM de Moroni Torgan e Chiquinho Feitosa, o PR de Lúcio Alcântara e Roberto Pessoa, o PPS de Alexandre Pereira e de um grupo oriundo do CIC e, por fim, o PTB de Arnon Bezerra. “Apenas nessas condições aceito a empreitada. Não tenho votos. Iria para ser um liderado desse bloco”, diz Studart.

A simples união desses partidos não é suficiente. Studart argumenta que só aceitará a candidatura se for fechada uma chapa majoritária com Tasso Jereissati e Lúcio Alcântara como candidatos a senador. Chiquinho Feitosa seria o suplente de Tasso e Alexandre Pereira, o de Lúcio.

 (O POVO)

TRE encerra em Fortaleza série de encontros sobre Eleições 2010

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) encerrará nesta segunda-feira, em Fortaleza, a série de encontros com  juízes, promotores e chefes dos cartórios eleitorais. Nesse encontro, o TRE apresenta o planejamento das eleições 2010, colhe sugestões para aprimorar o trabalho elaborado e esclarece dúvidas sobre a legislação eleitoral.

Em Fortaleza, o encontro começa às 9 horas, no auditório da Escola Superior da Magistratura do Estado do Ceará (Esmec), e contará com a participação de representantes de 50 zonas eleitorais, incluindo as 13 localizadas na Capital. As outras reuniões aconteceram em Juazeiro do Norte, Iguatu, Limoeiro do Norte e Sobral.

QUEM PARTICIPA?

Foram convocados para o encontro juízes, promotores e chefes dos cartórios eleitorais cujas sedes estejam em Fortaleza, Caucaia, São Gonçalo do Amarante, Trairi, Paracuru, Cascavel, Aracati, Pacajus, Aquiraz, Beberibe, Maranguape, Canindé, Pacatuba, Maracanaú, Baturité, Redenção, Aracoiaba, Pacoti, Mulungu, Itapiúna, Capistrano, Tauá, Independência, Boa Viagem, Parambu, Crateús, Nova Russas, Tamboril, Monsenhor Tabosa, Novo Oriente, Itapipoca, Uruburetama, Itapajé, São Luís do Curu e Pentecoste.

Delta Air Lines ameaça não mais operar em Fortaleza

Direto dos Estados Unidos, onde se encontra, o jornalista Paulo Limaverde manda uma informação:

“Caro Eliomar

Estou nos Estados Unidos.Vou aproveitar e lhe mandar uma noticia quentinha: a Delta Airlines deixará de pousar em Fortaleza definitivamente  em dezembro proximo.

O motivo: o Governo do Estado do Ceará não cumpriu nenhuma parte do que foi acordo com a companhia aérea americana.

VAMOS NÓS – Paulo Limaverde não deu mais detalhes. Ele se baseia em fontes e em conversas com o pessoal da empresa nos EUA. Faz-se necessário que a Secretaria do Turismo do Estado fique atenta e esclareça bem essa situação.

Dilma não será Lula de saia, diz cientista político

“Em entrevista ao Terra TV, o cientista político, professor da FAAP e da USP, Humberto Dantas, analisou o discurso da ex-ministra, Dilma Rousseff, realizado neste domingo, durante convenção nacional do PT, em Brasília, para oficializar sua candidatura à presidência da República. “Se o eleitor espera que vai encontrar na Dilma um Lula de saia, o PT vai ter dificuldade para alcançar isso”, alertou Dantas. Segundo ele, o desafio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva é mostrar que não existe o impossível. “Primeiro, Lula queria provar que um metalúrgico poderia ser presidente e, agora, quer colocar a primeira mulher à frente do cargo”, pontuou.

Ao longo do evento, muitos vídeos exaltando a participação feminina na história do País foram transmitidos. “A estratégia de campanha da Dilma é voltar às atenções para as mulheres, assim como o Serra está trabalhando sua imagem no Nordeste”, ressaltou Dantas. Dantas explicou que Dilma já vem sendo treinada há um bom tempo pela consultora Olga Curado, que também se responsabilizou por trabalhar o discurso de Lula em épocas de campanha. “Hoje, ela está infinitamente melhor do que era, com uma fala menos técnica e com a militância muito mais afinada”, analisou. Mas, alertou que, segundo disse o próprio presidente, “não há eleição fácil”. Sobre a participação de Lula, o cientista acredita que o fato de seu nome não estar na cédula é apenas um detalhe. “Mesmo sem estar entre os candidatos, Lula vai pautar essas eleições”.

Ao analisar os 45 minutos destinados ao discurso de Dilma, Dantas lembra que ela já havia admitido que é uma mulher dura. “Isso é muito complicado do ponto de vista do marketing político”, afirma. Para o cientista político, a candidata estava visivelmente nervosa durante o discurso proferido na convenção, o que gerou algumas consequências. “Ela mostrou, em um fala longa, que sabe muito bem o que está acontecendo no governo, mas usou termos difíceis e errou muitas vezes o português, em uma situação que, com certeza, deixa qualquer pessoa desconcertada”, explica. Dantas disse ainda que “talvez seja um situação para testar, para prepará-la para um momento mais propício e quando começarem os embates ‘o bicho vai pegar'”, concluiu, citando a frase de Lula na convenção.

Perguntado também sobre a presença do ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso na candidatura de José Serra (PSDB), Dantas afirmou que o PSDB está adotando uma estratégia perigosa ao deixá-lo ao fora da campanha. “FHC não pode ser visto como alguém que passou por aqui e não deu certo, isso não é verdade, ele inclusive deixou uma base para o governo Lula”, explicou. O cientista político disse ainda que “se o PT não está negando a presença de (José) Sarney, o PSDB não poderia deixar FHC de lado, é muito estranho o que o PSDB está fazendo”.

(Portal Terra)

"Meu nome agora é Dilma", diz Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assumiu no domingo, durante a convenção do PT, a linha de frente da blindagem da candidatura de Dilma Rousseff à Presidência da República, rebatendo as críticas da oposição ao seu governo e à ex-ministra da Casa Civil. Lembrando que seu nome não estará na cédula de votação para presidente pela primeira vez desde 1989, Lula deu um claro recado aos eleitores que querem a continuidade das políticas do seu governo: sua sucessora deve ser Dilma. “Vai haver um vazio naquela cédula. Para que o vazio seja preenchido, eu mudei de nome e vou colocar a Dilma lá”, afirmou o presidente em discurso.

Com o evento, o PT formalizou a candidatura de Dilma ao Palácio do Planalto e a aliança nacional com o PMDB, que indicou para a vaga de vice na chapa o presidente da sigla e da Câmara, deputado Michel Temer (SP). Lula usou a primeira parte de seu discurso para responder aos ataques da oposição. No sábado, durante a convenção nacional do PSDB, Serra deixou de lado o estilo conciliatório que vinha adotando e fez um duro discurso contra o presidente Lula.

O tucano apontou corrupção no Executivo federal, criticou o loteamento político de cargos e se utilizou do escândalo do mensalão do PT como argumento. Comparou ainda Lula ao rei francês Luís 14, para quem o Estado era ele próprio. “Esperamos que os nossos adversários estejam dispostos a fazer uma campanha para discutir programa e não façam jogo rasteiro para discutir dossiê todo dia”, disparou Lula, sendo aplaudido por uma plateia de militantes petistas. O presidente pediu calma a Dilma e Temer: “O bicho vai pegar… a tranquilidade de vocês é o que vai garantir que a gente ganhe as eleições.”

(Portal G1)

Alckmin: Eleição sem Lula fica melhor para PSDB

“O candidato ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou neste domingo (13), que o seu companheiro de partido, José Serra, tem plenas condições de chegar à presidência da República. Alckmin, que foi derrotado por Lula em 2006, afirma que desta vez as condições são mais favoráveis. “Eu tenho dito que esta eleição está melhor que a de 2006. O Lula não é candidato. O presidente da República não é candidato à reeleição, o que cria um desequilíbrio. E os nossos palanques estaduais estão melhor estruturados. Eu acho que temos boas condições para fazer a campanha”, diz.

Alckmin se disse satisfeito com o lançamento das candidaturas do partido e afirmou que pretende intensificar a sua campanha a partir de agora. “Estamos animados com esta arrancada das candidaturas, alto astral. Eu espero que a campanha seja de bom nível, tratando daquilo que interessa ao povo, propostas, programas, sem dossiês, sem aloprados. Com seriedade e com responsabilidade. Esse é o nosso propósito. Nós vamos trabalhar muito para o Serra”.

A convenção estadual do PSDB de São Paulo homologou neste domingo a chapa que irá concorrer no Estado nas eleições de outubro. Foram ratificados os nomes de Geraldo Alckmin para o governo, de Guilherme Afif Domingos (DEM) para vice, além de Aloysio Nunes Ferreira (PSDB) e Orestes Quércia (PMDB) para o Senado. Em São Paulo, o partido está coligado com DEM, PMDB, PPS, PSC, PHS e PMN. No PSDB, 3.860 delegados participaram da votação. A chapa para deputados estaduais será formada com o DEM e o PPS, enquanto a de deputados estaduais terá apenas a participação do DEM. No total, o PSDB pretende lançar 140 candidatos à Câmara dos deputados.”

(Portal Terra)

Dono do Bebelu morre em acidente

O empresário Dernier Pessoa Rios, sócio-proprietário do Bebelu Sanduíches, morreu na manhã deste domingo (13), em Aquiraz, após queda de ultraleve. Ele estava com um instrutor de voo, que se encontra internado no IJF. O corpo será velado no fim da tarde na Eternos (Dionísio Torres). A família não divulgou o local do sepultamento, que deverá ocorrer na manhã de segunda-feira.

Dilma promete acabar com a miséria

“Além do discurso da continuidade de mudanças, Dilma Rousseff (PT) tocou, neste domingo, em temas polêmicos. As reformas tributária e fiscal, há muito prometidas, estão na agenda da candidata. Outra promessa ousada é a de acabar coma miséria, que já foi incorporada também ao discurso de Serra.

“Vamos erradicar a miséria e tornar o nosso um país com umas das classes médias maiores e mais vigorosas do mundo. Temos uma democracia sólida e vibrante e um grande mercado interno e um parque industrial diversificado”, defendeu.

Dilma definiu como caótica a estrutura tributária brasileira e mudanças. “Se não tivermos coragem de reconhecer isso jamais faremos uma reforma tão urgente”. A petista disse que vai informatizar todo sistema de tributos para alargar a base da arrecadação e diminuir a alíquota dos impostos.

“Outra grande meta é completar a desoneração do investimento, por seu forte efeito sobre as taxas de crescimento”, acrescentou.

No rol das reformas, a candidata propôs também uma reforma política. “Quero dizer com todas as letras aos partidos políticos e ao país. Não da mais para adiar essa reforma. É uma necessidade vital para corrigir equívocos vícios e distorções, para dar transparência e credibilidade”.

(Com Agências)

Começa a Copa Eleitoral

Eis artigo de Marcos Coibra, presidente do Vox Populi. Par ele, agora, com as convenções nacionais realizadas, começa a Copa Eleitoral. Confira:

“De agora ao dia 11 de julho, o Brasil estará atento ao que acontece na África do Sul. Tanto mais quanto melhor for o desempenho da seleção e por um tempo tanto maior quanto mais longe ela for. Se estiver em campo no dia do enceramento, nem se fala. O país vai parar.

As especulações sobre o impacto da Copa do Mundo nas eleições, especialmente presidenciais, têm sido uma constante desde 1994, quando, pela primeira na era moderna, aconteceu de coincidirem (antes, só em 1950). Muita gente que entende de futebol e de eleições sustenta que o efeito de uma sobre a outra existe e é grande. Quase sempre, a tese é de que os candidatos que representam o governo se beneficiam da vitória, por mecanismos que não se sabe quais são, mas que funcionam.

As evidências em favor do argumento não são sólidas, no entanto. Basta recapitular o que ocorreu de lá para cá. É verdade que a série é inaugurada por um caso que o confirma: Fernando Henrique, candidato da continuidade, venceu no ano em que o Brasil chegou ao tetra. Mas ele voltou a ser bem sucedido na eleição seguinte, apesar da decepção brasileira na França meses antes.

Com Lula, o padrão se repetiu, só que ao contrário. A conquista do penta na Copa realizada na Coréia do Sul e no Japão em junho de 2002 não trouxe qualquer benefício a Serra, o candidato do governo. Quem venceu foi Lula, que voltaria a ganhar em 2006. Não custa lembrar (mesmo que não seja uma memória agradável), que a seleção brasileira havia apresentado, na Copa da Alemanha, seu pior desempenho nos últimos anos.

Não há dúvida que o eleitor brasileiro, na sua maioria, muda de astral no período em que se realiza a Copa do Mundo. Pode haver muita gente que se aproveita do interesse que as pessoas costumam ter pelo futebol, buscando promover seus produtos e suas marcas enquanto ela acontece. Pode ser que a mídia incentive certos exageros dos torcedores, apenas para faturar em cima de suas emoções.

Isso não muda, porém, o fato de que o interesse das pessoas passa a se dirigir ao futebol durante esses 30 dias. A pergunta é quanto dele se concentra na Copa, se elas lhe dedicam tanto que não há lugar para mais nada em suas preocupações.

Se olharmos para o que aconteceu com as pesquisas de intenção de voto no período de realização na Copa de 2002, podemos ter uma ideia de como os dois eventos interagem. Ela não é, nesse aspecto, diferente das eleições anteriores ou da seguinte, e é mais interessante para nós este ano, por não ter transcorrido em meio a um processo de reeleição.

Quando faltavam 15 dias para o início daquela Copa, a Vox Populi divulgou pesquisa em que Lula tinha 40%, Serra 20%, Garotinho 13% e Ciro Gomes 9%. Os indecisos eram 9%. Uma semana depois de ela começar, o Datafolha publicou outra, com Lula com 40%, Serra 21%, Garotinho 16%, Ciro 11% e 5% de indecisos. Tudo igual. Mais 15 dias e a Sensus divulgou a sua: Lula 39%, Serra 21%, Garotinho 13%, Ciro 14% e indecisos 14%. Tudo igual de novo, com uma pequena piora de Garotinho e uma discreta melhora de Ciro.

Na semana em que o Brasil comemorava a vitória, a Vox publicou: Lula 39%, Serra 17%, Garotinho 12% e Ciro 18%, com 5% de indecisos. Em meados de julho, o Ibope também mostrou a subida de Ciro, detectada no meio da Copa: Lula 33%, Serra 15%, Garotinho 10% e Ciro, em segundo lugar, com 22%. Os indecisos eram 14%.

O que esses números sugerem? Que os eleitores estavam com um olho na eleição e outro na Copa. Ela não alterou a evolução das intenções de voto, fazendo com que Serra subisse. Também não teve o efeito inverso, carreando intenções para Lula. A indecisão não aumentou, em função de um hipotético desvio da atenção para os gramados da Ásia.

Mas o mais relevante foi o que se passou com Ciro. Antes do Mundial, estava com 9%, depois, com 22%%. Por quê? Teria ele alguma relação especial com o futebol? As pessoas pensaram nele por ter o Brasil vencido?

Aconteceu que o PPS e os partidos que o apoiavam, PDT e PTB, destinaram a ele seus tempos de propaganda “partidária” na televisão, todos em junho. Ciro subiu, como seus adversários haviam subido em momentos semelhantes ao longo do primeiro semestre de 2002. Não foi por estarem as pessoas assistindo aos jogos da Copa e com a cabeça em Filipão e seus pupilos que elas deixaram de acompanhar a eleição e de reagir à comunicação política.

Enfim, vamos ver se a história se repete ou se teremos novidades este ano. O que só saberemos daqui a um mês. Por enquanto, vamos torcer.

(Correio Braziliense)