Blog do Eliomar

Últimos posts

Consultas de pré-natal crescem no País

waiting

“Levantamento feito pelo Ministério da Saúde às vésperas do Dia Internacional da Mulher mostra que em cinco anos o número de consultas de pré-natal aumentou 86,4% – saltou de 9,8 milhões, em 2003, para 18,2 milhões, em 2008.

Para o diretor do Departamento de Ações Programáticas Estratégicas do ministério, José Luiz Telles, a principal causa do crescimento é o aumento da cobertura do Programa Saúde da Família (PSF).

“A mulher já não precisa procurar um hospital para as consultas de acompanhamento da gravidez. Ela vai até o posto mais perto de sua casa. E, se não for, o agente de saúde vai à casa dela saber o que está acontecendo”. ”

(Agência Estado)

Irã inicia produção de míssil de curto alcance

“O Irã iniciou neste domingo a produção de mísseis de curto alcance capazes de destruir alvos de 3.000 toneladas, segundo a mídia oficial do país.

O Irã, envolvido numa crise com o Ocidente por conta do seu programa nuclear, costuma anunciar antecipadamente as suas capacidades militares numa aparente tentativa de mostrar o quão estaria pronto para reagir a um ataque.

Nem Israel e nem os Estados Unidos descartaram uma ação militar, caso a diplomacia não consiga resolver o impasse nuclear com Irã. O Ocidente teme que o programa iraniano se destine a produzir armas, mas Teerã nega.

A rádio estatal iraniana afirmou que o ministro da Defesa, Ahmad Vahidi, inaugurou a produção do míssil Nasr-1, sem dizer onde ela se dá. ”

(Agência Estado)

Presidente da Assembleia é o entrevistado da TV O POVO

doig

O presidente da Assembleia Legislativa, Domingos Filho, é peça-chave na sucessão 2010. O deputado é do PMDB, mas mantém uma relação com o governador Cid Gomes (PSB) que paira sobre os partidos.

Eis o que diz o jornalista Fábio Campos em seu twitter, ao informar que vai entrevistar o presidente da Assembleia nesta segunda-feira, a partir das 21 horas, em seu programa Jogo Político. Isso, nas tvs O POVO e Assembleia.

PSDB faz reunião nesa 2ª feira par definir rumos eleitorais

O PSDB promove nesta segunda-feira), a partir das 15 horas, na sede do diretório estadual da legenda em São Paulo, a primeira grande reunião para discutir as estratégias e o planejamento que serão adotados na campanha presidencial deste ano. Cerca de 90 pessoas foram convidadas para o encontro, entre parlamentares de todo o País, dirigentes e coordenadores regionais do Estado.

“Engana-se quem pensa que o partido está indefinido e sem rumo nessas eleições, já estamos trabalhando há te mpos com nossas bases e vamos começar a definir os rumos dessa campanha já nesta segunda-feira“, informou um dos dirigentes da legenda à Agência Estado.

Os tucanos iniciaram há mais de dois anos um trabalho com as bases da sigla, sobretudo em São Paulo, para dar sustentação ao governador do Estado, José Serra, presidenciável da legenda, e arregimentar novos militantes e colaboradores para uma campanha que está sendo avaliada como uma das mais duras dos últimos tempos. “O nosso foco vai além das discussões em torno do nome do vice na chapa majoritária, queremos vencer essas eleições e, para isso, temos de trabalhar duro“, emendou, referindo-se à polêmica em torno da resistência do governador de Minas Gerais, Aécio Neves, em integrar uma chapa encabeçada por José Serra.

O encontro desta segunda-feira vai reunir os coordenadores políticos e executivos que irão atuar nesta campanha e os 47 coordenadores regionais do Estado.

(Com Agências)

Estacionamento do Hemoce vira depósito de carro velho

hemocecarro

Veículo com pneu seco para evitar surpresas.

“Quatro veículos do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce) estão parados, ao lado da unidade, aguardando substituição. De acordo com o órgão, todos estão inutilizados e devem ser devolvidos à Secretaria da Saúde do Estado (Sesa). Um dos carros era unidade móvel para coleta de sangue.

O POVO mostrou o fato em sua edição de 21 de fevereiro último na coluna Vertical. A reportagem procurou a assessoria de imprensa do órgão e foi informada que o Governo do Estado deve promover a substituição dos veículos, “um carro novo para cada carro antigo“, mas “essa troca não aconteceu ainda“. A inutilização aconteceu porque um conserto custaria pelo menos 20% do valor de cada veículo. Tecnicamente o percentual inviabiliza o reparo.

O Hemoce deve remeter os veículos à Sesa este mês. De acordo ainda com a assessoria de imprensa, o envio será feito antes de ser anunciado o novo secretário da Saúde. O atual titular da pasta, João Ananias, promete deixar a função para concorrer à Câmara Federal. A desincompatibilização deve ser promovida até 31 de março.

A unidade móvel parada é o único veículo já substituído. O caminhão, adquirido entre 1994 e 1995, foi substituído por um ônibus rodoviário. Já duas Kombis e uma Sprinter, fabricadas entre 1995 e 1999, ainda aguardam substituição.

O Hemoce informou ainda que abriu licitação, no ano passado, para a compra de 14 veículos pequenos. O processo está em fase final. Há ainda um convênio com o Ministério da Saúde, em andamento, para a cessão de sete veículos grandes, a serem usados no transporte de doadores.

Os quatro veículos estão estacionados na rua Alexandre Baraúna, uma das laterais do Hemoce, localizado bairro Rodolfo Teófilo. Todos têm logomarcas de governos passados e estão com problemas visíveis. A ex-unidade móvel, por exemplo, está comprometida por ferrugem. Os outros carros têm pneus secos. ”

(Foto – Paulo Moska)

VAMOS NÓS – Esse tipo de situação não é algo isolado. Na Guarda Municipal, por exemplo, também há carro abandonado.

FHC sugere que PT olhe para o futuro

FHC / ENTREVISTA

Acossado pelos adversários e escondido pelos aliados, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso tornou-se um franco-atirador político. Há um mês, no primeiro domingo de fevereiro, FHC levara aos jornais um artigo em que, advogado de si mesmo, defendera sua gestão.

Aceitara, de resto, o repto plebiscitário de Lula: “Se o lulismo quiser comparar, sem mentir e sem descontextualizar, a briga é boa. Nada a temer”.

Neste primeiro domingo de março, em novo artigo, FHC tenta prover à oposição um esboço de “programa”. Agora, olha pra frente. Fala de “futuro”.

* Do blog do Josias de Souza.

Unilab pode iniciar atividades em agosto

As aulas da Universidade de Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) têm nova data para começar. Anteriormente previstas para serem iniciadas em 25 de março deste ano, a nova previsão é que em agosto os 350 primeiros alunos dos oito países de língua portuguesa iniciem as atividades na instituição.

Outra novidade é que o Governo do Estado liberou cerca de R$ 3 milhões para compra de equipamentos e reforma do atual prédio da Prefeitura de Redenção, que receberá provisoriamente a estrutura da universidade – o campus definitivo, que será no município, mas ainda com local incerto, deve ser construído em 2011.

O professor Paulo Speller, presidente da comissão de implantação da universidade, estima que as obras no local devam ser iniciadas até, no máximo, o começo de abril, com entrega prevista para o fim de julho. No dia 25 de março, data que marca a libertação dos escravos no Ceará, em 1884, existe a possibilidade de realização de evento simbólico de lançamento da Universidade. “Mas isso não está confirmado“, pondera Speller.

Segundo ele, o espaço da prefeitura é suficiente para atender as necessidades da nova universidade. “Na prefeitura temos um espaço bastante grande, com seis salas de aula, anfiteatro e espaço de lazer“, acrescenta. Um bloco destinado ao Restaurante Universitário deve ser construído ao lado do atual prédio da prefeitura, de acordo com Speller. A administração de Redenção deve se mudar para outro prédio da cidade.

Aprovação próxima
O projeto de lei que cria a Unilab aguarda aprovação na Comissão de Constituição e Justiça, na Câmara dos Deputados, para ser enviado para apreciação do Senado. De acordo com o relator do projeto na Comissão, deputado Mauro Benevides (PMDB-CE), o texto deve ser votado nesta semana.

(O POVO)

VAMOS NÓS – No entorno do Benfica e em bairros como a Parquelândia, o que vemos é o surgimento de “repúblicas” lotadas de alunos oriundos de Cabo Verde, Angola e Guiné-Bissau. São pessoas educadas, ativas, mas que também adoram curtir a cidade. Aqui na nossa Parquelândia, temos um grupo desses como vizinho. Uma turma de Guiné-Bissau bem entrosada, em todos os sentidos, com a Capital.

Sei não, mas ainda duvido dessa Unilab instalada lá em Redenção. Por que a UFC não constroi uma unidade em seu Campus do Pici, que tem espaços ociosos e acomoda essa Instituição?

Tesoureiro do PT nega desvio de verbas da Bancoop

“O tesoureiro do PT e a diretoria da Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (Bancoop) negaram neste sábado (6) que hajam irregularidades nas contas da cooperativa. Em nota, a diretoria da cooperativa ligada ao PT rebateu as informações veiculadas na edição desta semana da revista Veja, segundo a qual houve um esquema de desvio de verbas para um suposto caixa dois do PT na gestão do tesoureiro do PT João Vaccari Neto.
De acordo com a matéria “A Casa caiu”, depois de três anos de investigação, o Ministério Público conseguiu encontrar documentos que comprovam irregularidades nas contas da cooperativa. Segundo a matéria, as provas revelam “que, nas mãos de dirigentes petistas, a cooperativa se transformou num manancial de dinheiro destinado a encher os bolsos de seus diretores e a abastecer campanhas eleitorais do partido”.
Na nota, o tesoureiro do PT afirma que “nunca houve nenhum tipo de acusação” contra ele e que repudia “o tipo de jornalismo antiético praticado” pela revista, que, para Vaccari, foi responsável por uma reportagem de “nítida finalidade política”. Já a Bancoop defende que o inquérito criminal para apurar irregularidades, instaurado em 2007, “continua em andamento, sem que, até o presente momento, tenha sido promovida pela Ministério Público qualquer medida judicial”.
Veja a íntegra da nota de Vaccari:
“Nota à imprensa

A respeito de matéria publicada pela revista Veja desta semana, esclareço: 

1. Presidi a Bancoop de 2005 até a semana passada, quando me desliguei da cooperativa para assumir minhas funções como Secretário de Finanças e Planejamento do PT;

2. Nunca houve nenhum tipo de acusação contra mim e não respondo a nenhum processo, civil ou criminal

3. Em relação à investigação envolvendo a Bancoop, sempre nos colocamos à disposição das autoridades, agindo com total transparência, disponibilizando documentos e fazendo os esclarecimentos necessários à Promotoria e aos cooperados.

4. Repudio o tipo de jornalismo antiético praticado por Veja, que diz ter passado seis meses “investigando” o caso e em nenhum momento procurou ouvir a mim ou a Bancoop.

João Vaccari Neto 
Secretário de Finanças e Planejamento do PT”.
 
(Congresso em Foco)

PSOL pode apostar em Padre Haroldo para deputado estadual

haroldo

O PSOL poderá apostar num nome bem conhecido para puxar votos em matéria de bancada estadual: Padre Haroldo Coelho. Há um grupo ligado a movimentos sociais querendo fazer uma corrente em favor do religioso.

Segundo o grupo, Padre Haroldo daria um toque bem mais esuerdista a uma Assembleia Legislativa hoje sob clima geral do “beija mão”, com exceção de poucos como o pedetista Heitor Férrer.

Padre Haroldo, que participa da II Caminhada Penitencial, evento da arquidiocese de Fortaleza que corta ruas até a Catedral, admitia entrar no páreo.

Governo acha dinheiro de filho de Sarney no Exterior

“O governo brasileiro obteve documentos que comprovam que o filho do presidente do Senado, José Sarney, movimentou dinheiro no exterior sem declará-lo à Receita Federal.

Autoridades da China informaram ao Ministério da Justiça que o empresário Fernando Sarney opera pessoalmente uma conta num paraíso fiscal, em nome de uma empresa “offshore” com sede no Caribe.

No começo de 2008, Fernando usou esse canal financeiro para transferir US$ 1 milhão para uma agência do banco HSBC em Qingdao, na China. A autorização da transação contém a assinatura dele.

Recursos no exterior não informados ao fisco podem ser fruto de sonegação de tributos, evasão de divisas e lavagem de dinheiro. Empresas da família Sarney, que vão de emissoras de rádio e TV a shopping center, são investigadas pela Receita e pela Polícia Federal sob acusação desses crimes.

A operação policial, que levava o nome de Boi Barrica e depois foi rebatizada de Faktor, já indiciou Fernando Sarney sob acusação de formação de quadrilha, gestão de instituição financeira irregular, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica. Ele nega as irregularidades.

A remessa para a China é alvo da Faktor. Em 2009, Fernando negou a movimentação em entrevista à Folha. Laudo enviado pelo governo chinês para o Departamento de Recuperação de Ativos do Ministério da Justiça contradiz a versão do empresário.”

(Folha Online)

Estaleiro no Titanzinho pode virar presente de grego?

O professor Dardano Nunes de Melo volta a abordar a polêmica em torno da localização do futuro estaleiro Promar. O governador Cid Gomes quer o projeto na praia do Titanzinho, enquanto a prefeita Luizianne Lins é contra. Confira o artigo:

Estaleiro – Presente de grego?

Certamente que o conflito político entre Cid Gomes e Luizianne
Lins é diferente daquele que causou a guerra entre Gregos e
Troianos(1.300 a 1.200 a.c), mas pode ter nuances parecidas. Tudo
ocorreu devido ao rapto de Helena, que era esposa do rei Meneleu(não
confundir com o secretário de planejamento de Luizianne), quando
Paris, filho do rei Priano de Tróia foi a uma reunião em Esparta e se
apaixonou pela rainha. O rei magoado, em represália, designou o
general Agamenon para atacar Tróia e trazer Helena de volta. A refrega
durou 10 anos e nesta luta morreram heróis como Heitor e Aquiles. O
fato mitológico foi real, já comprovado por sondagens arqueológicas na Turquia feitas pelo alemão Heinrich Schliemann. O filho de Aquiles,
Neptoleno presenciou a vitória dos Gregos que utilizaram a estratégia
de Odisseu, ou seja, foi construído por Epeu um grande cavalo de
madeira onde vários soldados gregos ficariam escondidos, o qual seria
entregue aos Troianos como presente e um símbolo de paz. Com o gesto os Troianos se consideraram vencedores e comemoraram até a exaustão e dormiram. Assim os gregos saíram do cavalo e abriram os portões de Tróia para que ela fosse invadida e destruída totalmente.

Sendo o estaleiro um grande presente dos empresários Valdomiro
Arantes e Paulo Haddad (PJMR) para o povo do Titanzinho, a redenção
econômica e social do lugar se faz necessário examinar com muito
cuidado o que tem por dentro deste presente (cavalo). O governador o
achou lindo (1.000 empregos diretos e 5.000 indiretos) e ainda
aumenta-o com sessenta milhões de reais.

A Prefeita de Fortaleza parece ter lido os poemas de Ilíadas e Odisséia escritos por Homero (VIII a.c) e a saga da luta, por isto alerta, como responsável maior pelos destinos de Fortaleza, para muitos pontos que podem transformar o estaleiro num cavalo de Tróia.

O planejamento da cidade não previa um estaleiro na capital, pois ao longo dos últimos anos Fortaleza viu o setor industrial migrar para a periferia metropolitana e a cidade se tornar um centro de serviços e pólo de turismo nacional e internacional. A vocação natural e mercadológica da cidade é para o turismo que gera 15% dos empregos e
28% do PIB. A importância desta atividade é tamanha no que tange a
geração de emprego e distribuição de renda que apenas um hotel 5
estrelas com mil leitos gera muito mais empregos que o Estaleiro, ou
seja, 1.500 empregos diretos(índice 1.5 de empregabilidade por leito
-OMT) e 13.500 empregos indiretos (índice 1 para 9- OMT), índices bem
superiores ao da indústria. Vale observar que os empregos indiretos da
indústria, principalmente do Estaleiro será gerado noutras regiões
fornecedoras, enquanto a cadeia produtiva do turismo é quase
totalmente local.

A característica do emprego na indústria é bem diferente do turismo. No caso da metalúrgica (Estaleiro) é de caráter pesada e altamente especializado. A formação da mão de obra exigirá qualificação superior e técnica (universidades e escolas técnicas) com pré-requisitos de formação elevados e tempo de formação de 2 a 5 anos e no caso do Titanzinho a escolaridade é baixa juntamente com o IDH. A indústria tem elevada tecnologia de automação (pouca absorção de mão de obra). A geração dos 1.000 empregos se dará na construção do
equipamento (mão de obra de baixa qualificação) e quando do
funcionamento os empregos se afunilarão.

No turismo, a indústria é leve e pouco especializada, o pré-requisito é nossa nativa hospitalidade para a maioria das funções é de alfabetização e primário, com tempo de formação de 3 a 6 meses. O turismo é uma oferta de serviço de elevada absorção de mão de obra e gera muito mais empregos no funcionamento do hotel do que na construção. Os salários médios pagos no estaleiro é de R$ 900,00(novecentos reais), o que não diferencia muito do turismo. O planejamento não é uma ciência estática e em função da dinâmica
ele pode modificar até mesmo o plano diretor, a legislação, etc.

Entretanto esta dinâmica tem que ser evolutiva e voltada para um
sentido racional de sustentabilidade econômica, social e ambiental,
tudo visando o melhor para a sociedade. No caso do estaleiro há que
aprofundar estudos que possibilitem tomadas de decisão certa.
Um dos pontos a serem definidos é a compatibilidade ou não do
Estaleiro com o turismo, principal diretriz do desenvolvimento de
Fortaleza e para onde estão acorrendo os maiores investimentos; Centro de Feiras, Aquário, Copa do Mundo, Projeto Orla, etc, representando bilhões de dólares. Será que o Estaleiro não está na contramão destes investimentos? Pelas características urbanísticas da cidade a paisagem de um estaleiro no Titanzinho, sem dúvida, não seria cartão de visita para a cidade, mas ninguém melhor do que o próprio turista poderia responder o que eles acham da localização, já que eles são os compradores do produto Fortaleza e os geradores dos empregos. Eles deveriam ser os primeiros a serem consultados.

O estaleiro vai impactar um espaço que é da população do Titanzino, assim eles também deveriam opinar e por fim auscultar também o cidadão fortalezense, já que o estaleiro será na cidade. A tendência dos tanques do porto é migrar para o Pecém, a Transnordestina vai para o Pecém, o plano diretor do Pecém prevê estaleiros, por que então não construí-lo lá? A resposta esta na economicidade da obra, no custo benefício, mas isto do lado do empresário, que esconde dentro do cavalo de Tróia (Estaleiro) suas  intenções prioritárias de lucro e não de ajudar a comunidade e sem preocupação com sustentabilidade turística, urbanística e ambiental.

Será que o estaleiro vai gerar para a cidade mais empregos e impostos
do que se deixará de ganhar com a retração do fluxo turístico que
possivelmente causará? O senhor Valdomiro Arantes afirmou:- “o estaleiro terá um faturamento, no primeiro ano, de 200 milhões de dólares, logo nos cinco anos serão hum milhão de dólares com os contratos da Transpetro”. Ora, com o pré-sal a Transpetro fará novas encomendas, a Vale esta com um pedido de 52 navios, os Árabes que tiveram seus estaleiros destruídos pelas guerras estão cheios de pedido e por ai vai (60 bilhões de dólares). Se existe mercado, a empresa é sólida, e o Ceará tem uma localização estratégica em função da eqüidistância (Europa-EUA) para receber os componentes para fabricação das embarcações, além de possuir “maritimidade”(cultura com o mar), a industria não é sazonal, porque as ações são imediatistas e meramente economicistas de curto prazo? Isto leva a entender que a PROAMAR fará somente a encomenda da Transpetro e irá virar um entulho de ferro no Titanzinho. Ela não esta acreditando no mercado e nem esta respeitando a tendência do futuro do Ceará; Tudo de Porto no Pecém, industrias no Interior e região metropolitana e em Fortaleza serviços e turismo.

O alerta da Prefeitura também refere-se à possibilidade de graves
impactos ambientais na cidade e arredores em função do grande aterro(4 hactares ), a produção de lixo mineral, o impacto na biologia
marinha, etc… Outros aspectos devem também ser levados em conta como impacto social na mudança das atividades de pesca e desporto(surf) da população, a degradação social e econômica das pessoas do bairro caso o mercado encolha e o Estaleiro feche. A ampliação das estruturas portuárias levam sempre, em todo mundo, o aumento da prostituição, fato muito negativo para o turismo saudável da cidade. A
incompatibilidade do Estaleiro com o projeto de urbanização da área.

Estes fatos conjugados podem transformar o estaleiro num presente de
grego. Os deputados do PSDB, PMDB e alguns do PT de Cid, nas audiências pública, pareciam cruzar o mar Egeu para atacar Tróia como guerrilheiros do rei(Cid) e defendiam a qualquer custo a geração dos 1.000 empregos para a comunidade. Não raciocinavam eles que os 60 milhões da contra-partida do Estado para a construção do Estaleiro
poderiam representar 15.000 empregos diretos e 60.000 indiretos se
fossem aplicados no Titanzinho em cooperativas de economia solidária
dentro da cadeia produtiva do turismo, no contexto de um distrito
temático (o celebre navegador espanhol Vicente Ianez Pinzon-
descobrindo o Brasil no Rostro Hermoso de Fortaleza 4 meses antes de
Cabral avistar o Monte Pascoal e ou o Castelo Encantado do Mucuripe
onde Iracema a virgem dos lábios de mel ia chorar a saudade de Moreno o amado guerreiro branco de alem mar).

Qual a diferença entre Luizianne e Cid? O capitalismo liberal(neoliberalismo) tem uma mão invisível que é a força do mercado, ela impera e manda e a população obedece. Ela é a lei que todos devem curvar-se. Na social democracia participativa as políticas são orientadas pelas pessoas, onde a vontade da maioria predomina. Cid e o PSDB vem da escola de Adam Smith e por isto atropelam as políticas participativas de Luizianne e do PT. O que não combina são os estilos de condução dos processos de gestão de Cid e Luizianne. A gestão compartilhada é muito mais difícil, lenta, filosófica, pragmática, busca a decisão coletiva e descentralizada, controle menos rígido, variáveis intangíveis, valoriza mais os objetivos que as metas, o principal é o bem estar social. A gestão liberal vai na direção do mercado, é mais fácil, individual, centralizada, rápida e menos pragmática, 100% de controle, variáveis tangíveis, trabalha mais com metas do que com objetivos, o principal é fazer caixa para investimentos em infra-estrutura básica e produtiva.

Qual dos dois modelos é o melhor? O melhor seria a junção dos dois e o velho prefeito Juraci Magalhães certa vez me disse uma coisa que até hoje, como profissional do planejamento fico a pensar em como compatibilizar; o “fazejamento” e o planejamento; eu levo minha gestão fazendo e planejando, planejando e fazendo. Vendo seu estilo aprendi um pouco. Ele fazia uma participação direta ouvindo a população nos bairros( a coleta da informação era feita por ele mesmo), mas infelizmente não era bem discutida, por outro lado ele não perdia tempo e fazia, principalmente aquilo que não tinha que se discutir, era para ontem. Se os estilos de Cid e Luizianne fossem iguais, talvez não estivesse havendo esta polêmica do Estaleiro e quem sabe ele seria um presente do bem e não um presente de grego.

Dárdano Nunes de Melo
Prof. do IFCe e diretor do Sindicaturismo

Setur traz grupo de portugueses para conhecer o Ceará

Atendendo a um convite da Secretaria do Turismo do Ceará, um grupo de artistas, produtores culturais e 26 jornalistas portuguese vão conhecer as belezas naturais e equipamentos turísticos do Ceará. Isso a partir deste domingo e até 14 próximo. O objetivo, segundo o órgão, é promover o Estado no país europeu.

Dentro desse objetivo, o grupo conhecerá Fortaleza, Cumbuco, Jericoacoara, Canoa Quebrada e o Porto das Dunas. A iniciativa visa apresentar aos profissionais da área, os atrativos turísticos e culturais, gerando repercussão e impressões positivas. Portugal é o segundo maior emissor de turistas para o Ceará.

VAMOS NÓS – Esse tipo de visita também é consequência da reportagem veiculada na Playboy portuguesa, já nas bancas naquele País, que traz como principal matéria, como postamos, a Fortaleza como paraíso do turismo sexual. É hora, portanto, da Setur reagir e desfazer tal imagem.

Candidatura de Serra só alça voo em abril

serrajose

“O governador de São Paulo, José Serra, esteve em nove eventos públicos na semana passada. Foi saudado como o candidato dos tucanos, discursou como o candidato dos tucanos, posou como o candidato dos tucanos, mas não anunciou formalmente sua entrada na disputa. Ele o fará até o início de abril. Adiar o máximo possível a decisão exasperou seus aliados. Aos olhos de Serra, porém, a estratégia se justificou. Ela o poupou por mais tempo de ser alvo preferencial de ataques, com o consequente desgaste natural que isso acarreta a quem, como ele, lidera as pesquisas de intenção de voto. A candidata oficial, Dilma Rousseff, está em campanha há quase dois anos e já aparece nas pesquisas a apenas 4 pontos do governador. Mas nem mesmo isso acelerou os planos de Serra. Ele se manteve fiel ao cronograma original desenhado em sua cabeça no ano passado. Essa é a parte da estratégia tucana que parece estar sob controle.

O que claramente não está é a composição da chapa que vai disputar a eleição com Dilma Rousseff neste ano. Isso ficou evidente na principal incursão de Serra na semana passada – a tentativa de convencer o governador Aécio Neves a aceitar a candidatura à Vice-Presidência. Um bom desempenho em Minas, o segundo maior colégio eleitoral do país, com 14 milhões de votos, é fundamental para os tucanos, que pretendem compensar no Sudeste a montanha de votos que Lula provavelmente transmitirá para a candidatura da ministra Dilma. Alistar Aécio como segundo nome da chapa tucana é, como dizem os mineiros, fácil ou impossível. Governador em segundo mandato, com aprovação expressiva em Minas, Aécio tinha legítima intenção de ser o candidato do PSDB à Presidência. Desistiu oficialmente em dezembro passado.

O convite formal para Aécio Neves ingressar na chapa como candidato a vice-presidente foi feito pelo governador paulista durante uma longa conversa que os dois tiveram em Brasília na quarta-feira passada, que invadiu a madrugada. Segundo aliados de Serra, no cardápio apresentado para tentar seduzir Aécio, ele ofereceu o óbvio: espaços amplos de atuação ao vice – ou seja, ministérios – num eventual governo tucano. Quais ministérios? Não se chegou a esses detalhes.

Serra disse que, uma vez presidente, sua prioridade de reforma política será acabar com a reeleição, restabelecendo o mandato único de cinco anos – a valer para o seu sucessor. Assim, Aécio poderia ser candidato à Presidência já em 2015. O governador de Minas não se rendeu aos argumentos de Serra. Repetiu ao colega paulista o que vem dizendo em público – que poderia ajudar mais ficando em Minas Gerais e pedindo votos para o PSDB e que vai arregaçar as mangas, sim, para ajudar a elegê-lo o próximo presidente. Como se vê, eles têm objetivos comuns, mas caminhos diferentes.”

(Revista Veja)

Veja faz matéria sobre o que seria a caixa-preta do Partido dos Trabalhadores

Depois de quase três anos de investigação, o Ministério Público de São Paulo finalmente conseguiu pôr as mãos na caixa-preta que promete desvendar um dos mais espantosos esquemas de desvio de dinheiro perpetrados pelo núcleo duro do Partido dos Trabalhadores: o esquema Bancoop.

Desde 2005, a sigla para Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo virou um pesadelo para milhares de associados. Criada com a promessa de entregar imóveis 40% mais baratos que os de mercado, ela deixou, no lugar dos apartamentos, um rastro de escombros.

Pelo menos 400 famílias movem processos contra a cooperativa, alegando que, mesmo tendo quitado o valor integral dos imóveis, não só deixaram de recebê-los como passaram a ver as prestações se multiplicar a ponto de levá-las à ruína. Agora, começa-se a entender por quê.

Na semana passada, chegaram às mãos do promotor José Carlos Blat mais de 8 000 páginas de registros de transações bancárias realizadas pela Bancoop entre 2001 e 2008.

O que elas revelam é que, nas mãos de dirigentes petistas, a cooperativa se transformou num manancial de dinheiro destinado a encher os bolsos de seus diretores e a abastecer campanhas eleitorais do partido.

“A Bancoop é hoje uma organização criminosa cuja função principal é captar recursos para o caixa dois do PT e que ajudou a financiar inclusive a campanha de Lula à Presidência em 2002.”

Na sexta-feira, o promotor pediu à Justiça o bloqueio das contas da Bancoop e a quebra de sigilo bancário daquele que ele considera ser o principal responsável pelo esquema de desvio de dinheiro da cooperativa, seu ex-diretor financeiro e ex-presidente João Vaccari Neto.

Vaccari acaba de ser nomeado o novo tesoureiro do PT e, como tal, deve cuidar das finanças da campanha eleitoral de Dilma Rousseff à Presidência.

Um dos dados mais estarrecedores que emergem dos extratos bancários analisados pelo MP é o milionário volume de saques em dinheiro feitos por meio de cheques emitidos pela Bancoop para ela mesma ou para seu banco: 31 milhões de reais só na pequena amostragem analisada.

O uso de cheques como esses é uma estratégia comum nos casos em que não se quer revelar o destino do dinheiro. Até agora, o MP conseguiu esquadrinhar um terço das ordens de pagamento do lote de trinta volumes recebidos.”

* Do Blog do Noblat, com reportagem completa em A casa caiu

Câmara Municipal vai comemorar o centenário do Dia Internacional da Mulher

eliane

Por iniciativa da vereadora Eliane Novais (PSB), a Câmara Municial de Fortalza realizará, na próximasegunda-feira, a partir das 14h230min, sessão espceial para comemorar o centenário do Dia Internacional da Mulher. No mesmo dia, Eliane Novais lançará a comenda “Diploma Mulher Solidária Zilda Arns” para desetacar mulheres com atuação no plano social e em defesa dos direitos da mulher, criança e da pessoa idosa.

A sessão especial contará com a presença de Marister Pereira de Oliveira Guimarães, que falará em nome de dona Zilda Arns, uma das vítimas do terremoto que atingiu o Haiti recentemente. Marister é coordenadora da Pastoral da Criança do  Ceará. Tmbém foi convidada  Fátima Dourado, presidente da Casa da Esperança.

"O Poder revela quem somos", diz pesquisador

galal

“Dizer que o poder corrompe é um antigo chavão. A novidade é que esse velho axioma acaba de ser comprovado cientificamente em um trabalho de pesquisadores da Kellogg School of Management, nos Estados Unidos. Após uma série de testes comportamentais com voluntários, eles demonstraram como o poder costuma, em geral, mudar as pessoas para pior. Em testes, os poderosos não só trapaceavam mais, como se mostravam mais hipócritas ao se desculpar por atitudes que condenavam nos outros. “Os poderosos acreditam que devem ser excluídos de certas regras”, afirma o psicólogo social Adam Galinsky, professor de ética e decisões em gerência da Kellogg School of Management e um dos autores do estudo.

O poder corrompe?

Adam Galinsky – Sim, corrompe. Basicamente, apesar de o poder deixar as pessoas no centro das atenções, de estarmos todos olhando para as autoridades, os poderosos se sentem psicologicamente invisíveis. E, por causa dessa sensação de invisibilidade, eles se permitem agir de maneiras imorais, ao passo que outras pessoas não agiriam assim por medo de punição. É como se ficassem à vontade para preencher suas mais íntimas necessidades. Uma das comparações de que gosto de fazer é a história do Senhor dos Anéis. No momento que ele põe o anel, fica invisível e age mal. O poder é esse anel.

Como o senhor constatou isso?

Fizemos vários experimentos. Um deles foi com um jogo de dados. Dividimos os voluntários para a experiência em dois grupos: os muito poderosos e os pouco poderosos. Isolamos os grupos em um cubículo. Dissemos a cada um que eles ganhariam bilhetes para uma loteria conforme os pontos obtidos ao jogar os dados, que poderiam variar de 0 a 100. A média esperada era de 50 pontos. O grupo pouco poderoso anunciou ter obtido um resultado de 59 pontos, enquanto o grupo muito poderoso disse ter obtido 70 pontos. A conclusão é que o grupo pouco poderoso pode ter trapaceado com os dados, mas o muito poderoso trapeceou muito mais para conseguir mais bilhetes de loteria.

O senhor diria que a melhor s maneira de testar a identidade moral de um indivíduo é dar poder a ele?

Sim, porque o poder não apenas muda a pessoa, mas revela quem ela é de verdade. Podemos afirmar, a partir dessa pesquisa, que a experiência do poder provoca certas mudanças no ser humano – e a maior é torná-lo hipócrita.

A pesquisa chega a essa conclusão a partir de questões que envolvem superfaturar despesas de viagem ou ultrapassar o limite de velocidade. Quem faz isso está mais propenso a se tornar corrupto se chegar ao poder?

Em média, muitas pessoas, quando investidas de poder, tornam-se mais mesquinhas, afrouxam seus padrões éticos. Você está me fazendo uma pergunta diferente: se as pessoas que agem sem ética provavelmente se corromperiam no poder. “Provavelmente”, é a minha resposta.

Por que o senhor afirma que os poderosos, quando flagrados, mostram-se pouco arrependidos?

Por causa de um processo psicológico mostrado na pesquisa: os poderosos acreditam, de fato, que eles devem ser excluídos de certas regras e padrões aplicados aos demais. Ou então eles apresentam justificativas psicológicas para ter agido como agiram.

Executivos e políticos mostram-se incomodados quando o senhor comenta com eles esse tipo de comportamento?

Quando estão fora do poder, as pessoas dizem: “Eu nunca agiria dessa forma”. Temos a tendência de acreditar que não temos a mesma vulnerabilidade e que não corremos os mesmos riscos dos outros. Mas a verdade é que, investidos de poder, muitos mudam. Somos suscetíveis. A pesquisa mostra, sistemática e cientificamente, que não só as pessoasagem imoralmente quando podem, como elas se tornam hipócritas. Defendem padrões comportamentais mais rígidos para os outros do que para si mesmas. Foi o caso do governador de Nova York, Eliot Spitzer, que traiu a mulher com uma prostituta. Veio à tona depois que ele, como procurador-geral do Estado, combatia a prostituição. É nesse ponto que os poderosos caem do pedestal e a sociedade se revolta. Se eles apenas agissem mal, seria ruim, mas ainda por cima pregar o contrário do que fazem… A hipocrisia revolta. Vocês, por exemplo, têm um governador preso por obstruir a Justiça (José Roberto Arruda, governador afastado do Distrito Federal). Um governador é alguém que defende leis e comportamentos para a sociedade. Quando um político age assim, é mais revoltante do que executivos de empresas – porque executivos não necessariamente posam de modelo comportamental para os outros.

Nessa era de Big Brothers, em que câmeras revelam até gestos das autoridades em lugares onde elas pensam estar protegidas, não é mais difícil agir de forma hipócrita?

Não é uma questão de ser vigiado, mas de se sentir conectado à coletividade e obrigado a prestar contas aos outros. Mera vigilância nem sempre é eficaz e tende a dissipar seu efeito com o tempo, porque não é um processo que internaliza no indivíduo essa noção de que ele deve se explicar.

No Brasil existem cortes judiciais e celas especiais nos presídios para políticos, pessoas com nível universitário e autoridades. Isso reforça a crença de que os poderosos são pessoas diferentes?

Essa é uma questão mais complicada. Se as cortes especiais forem mais lenientes, daí você reforça o problema do tratamento especial. Se esses julgamentos forem mais rápidos e defender altos padrões éticos e legais para os poderosos, podem servir para reforçar que ninguém está acima da lei. É muito fácil para as pessoas que conquistaram certos postos atuar pelo bem delas mesmas, em vez de trabalhar pela coletividade, que as colocou lá. Costumo dizer em minhas aulas que é preciso criar algemas para os honestos: como podemos garantir que ninguém se sinta tentado a trapacear? Por isso eu nunca dou provas para fazer em casa. A tentação para fazer consultas é enorme.

A punição é capaz de conter essa tendência humana de agir mal?

O melhor caminho é fazer com que os poderosos tenham de prestar contas. O Congresso tem de fiscalizar seus políticos, o governo e dividir o poder com eles. Os processos decisórios têm de ser transparentes. Os políticos têm de estar na vitrine da sociedade, bem visíveis. No mundo dos negócios, os altos executivos também têm de ser monitorados pela diretoria, pelos conselhos. Se a diretoria for uma rede formada por “mais dos mesmos”, ou seja, por indivíduos poderosos com o mesmo padrão comportamental, aí ela não exerce sua função de controlar o presidente, que se sente, por isso, invisível para os demais. Isso resulta em histórias parecidas com as da Enron e da World Com (empresas que faliram em 2001 em meio a graves escândalos de corrupção). O combate à falta de ética e à imoralidade passa pela divisão de poder. O Executivo tem de precisar do Legislativo, porque aí há um equilíbrio quase natural de forças.

O senhor ficou surpreso com algum resultado de suas experiências?

Não, mas, se num experimento comportamental em que o poder não é uma força real acontece isso, imagine no mundo real, onde as pessoas lidam com o poder de verdade?

*Adam Galinsky é americano, 41 anos, é Ph.D. em psicologia social pela Universidade Princeton. Professor de ética e decisões em gerência da Kellogg School of Management, nos Estados Unidos. Publicou mais de 75 artigos científicos. É coautor do estudo Power increases hypocrisy (O poder aumenta a hipocrisia).

(Revista Época)

Fortaleza terá semana de poesias em homenagem às mulheres

kledda

Jornalista Leda Maria.

Será aberta às 9 horas desta segunda-feira, na Casa de Juvenal Galeno, a I Semana da Poesia. A promoção é do Grupo Chocalho e vai se estender até o dia 14.

Um café da manhã abrírá o encontro, que contará com recital de poesias e entrega do diploa “Mulhe Poesia”, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher.

Mulheres Homenageadas

01- ANA CRISTINA SOUTO;
02- CÂNDIDA MARIA SANTIAGO GALENO – IN MEMORIAM;
03- FERNANDA MARIA ROMERO QUINDERÉ;
04- GISELDA DE MEDEIROS ALBUQUERQUE;
05- HENRIQUETA GALENO – IN MEMORIAM;
06- LÊDA MARIA FEITOSA SOUTO;
07- MARIA BEATRIZ ROSÁRIO DE ALCÂNTARA;
08- MARIA CRISTINA SILVA SANTOS;
09- MARIA ZINAH OLIVEIRA ALEXANDRINO;
10- MATUSAIHLA DE SOUSA SANTIAGO;
11- NILZE COSTA E SILVA;
12- REGINE LIMAVERDE;

SERVIÇO

Programação completa no www.grupochocalho.blogspot.com

Presidente do TJ diz que tenta encontro com Cid para falar sobre PCCR do Judiciário

“Os coordenadores do Sinspojuce, Vladimir Pereira e Alex Viana, conversaram com o desembargador Ernani Barreira, após a audiência pública sobre o novo Código de Processo Civil realizada na manhã dessa sexta-feira, no auditório do Tribunal de Justiça. O presidente do TJCE foi abordado pelo Sindicato e falou sobre o Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCC).

Ernani explicou que vem tentando há vários dias uma audiência com o governador Cid Gomes, pedindo inclusive a interseção do Procurador do Estado para que o chefe do Executivo encontre uma vaga em sua agenda para recebê-lo, mas não houve nenhum retorno positivo.

O desembargador disse que a dificuldade de se marcar uma audiência com o governador o faz pensar que Cid Gomes “não está querendo conversar comigo a respeito do plano de vocês”. O magistrado disse que vai continuar tentando falar com o chefe do Executivo, para saber da disponibilidade financeira, para que, quando o projeto for para a Assembléia, ele possa ser aprovado sem problemas.

Ernani continuou batendo na tecla de que não adianta revelar o PCCR sem a certeza de que o Governo vai acatá-lo. Mais perguntas e argumentos pela revelação do projeto foram tentados pelo Sindicato, mas o presidente do TJCE continuou com evasivas e apressando sua saída do auditório.

O Sinspojuce, aproveitando a presença de autoridades na audiência, conversou também com o presidente da OAB-CE, Valdetário Monteiro, sobre o PCCR, solicitando apoio para que interceda junto ao desembarador Ernani Barreira para que o projeto seja revelado aos servidores. Valdetário disse que precisa conhecer melhor o problema, e garantiu que receberá o Sindicato em audiência para tratar do PCCR.

(Site do Sindicato dos Servidores d Judiciário-CE)

Morre ator Dener Pacheco

dener

“Morreu na madrugada deste sábado (6), no Rio de Janeiro, o ator Dener Pacheco, de 25 anos, que interpretou o personagem Renan na novela “Caras e bocas”. A informação foi confirmada pela Central Globo Comunicação (CGCom) e pela assessoria de imprensa do ator.

Pacheco estava internado havia três dias no hospital Gaffrée e Guinle, na Tijuca, na Zona Norte, onde deu entrada com fortes dores no abdômen. Ele estava com câncer de estômago e pulmões. O catarinense, que morava no Rio desde agosto de 2009, integrou o elenco da novela “Caras e Bocas” e contracenou com as atrizes Isabelle Drummont, Sophie Charlotte, entre outras. A trama ficou no ar até janeiro deste ano. 

Em sua página no Twitter, Walcyr Carrasco, autor da novela, relembrou as últimas conversas que teve com o ator. “Perguntei ao Dener se era maligno [o câncer] e na época ele não respondeu, julguei que não era. Mas hoje penso que ele ja sabia… “, conta. “Durante as gravações teve alguns problemas de saúde, mas não liguei uma coisa à outra.”

O corpo de Pacheco será enterrado em sua cidade natal, que era de Tubarão, em Santa Catarina. De acordo com a assessoria do ator, sua família está muito abalada e não quis se pronunciar.”

(Portal G1)