Blog do Eliomar

Últimos posts

Cotado para Casa Civil, Paulo Bernardo avisa: vai evitar gastos do Congresso

Cotado para assumir a Casa Civil e já escolhido como um dos coordenadores da equipe de transição, o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, chamado de Paulinho pela presidente eleita, Dilma Rousseff, chegou a seu gabinete no fim da manhã desta sexta-feira, onde recebeu O GLOBO, com uma determinação taxativa do presidente Lula: o governo deve tentar impedir, a todo custo, que sejam incluídos no Orçamento de 2011 recursos extras para atender demandas pendentes no Congresso e que provocariam um impacto financeiro de mais de R$ 100 bilhões.

Lula presidiu nesta sexta-feira uma reunião da Junta Orçamentária, que reúne Fazenda, Planejamento e Casa Civil, e disse que devem ser preservados os investimentos do PAC no Orçamento, e que nenhum problema, como novos gastos, deve ser criado para Dilma.

Qual foi a orientação do presidente Lula sobre o Orçamento?

Levamos para ele as polêmicas, as dúvidas e as incertezas. Se votarmos o que estava programado (no Congresso) em junho, vamos ter que fazer um monte de ajustes. Se aprovarem metade do que está lá, será o antiajuste. O presidente foi muito firme na reunião. Disse que não podemos colaborar para nada que deixe Dilma em uma situação ruim.

Qual o tamanho do rombo?

Passa de R$ 100 bilhões. O reajuste do Judiciário é em torno de R$ 7 bilhões, mas tem o Ministério Público, o que dá quase R$ 8 bilhões. Isso é apenas a ponta do iceberg. Se isso passar, a Polícia Federal vai achar que tem que ter reajuste de 56%, e todos os grupos de carreira vão querer. Você aumenta o salário dos servidores estaduais e manda a conta para o governo federal? Cadê o dim-dim para pagar isso?

O que disse Lula sobre esses projetos?

Para nos posicionarmos contra todos esses pontos. Não pode ser desse jeito, temos que chamar os líderes e conversar. Todo o Orçamento precisa de ajustes. Este ano, fizemos dois ajustes. No Brasil sempre se faz isso: aumentam os gastos correntes em detrimento dos investimentos. A ordem é preservar os investimentos.

E como é que fica essa briga política no Congresso?

O Congresso tem, via de regra, muita abertura para discutir isso com tranquilidade. Mas tem sensibilidade também aos pleitos. Tinha um clima pré-eleitoral, onde qualquer grupo de pressão ia lá e acabava conseguindo. Eu acho que quando você põe a bola no chão e fala: vamos conversar de novo, muda de figura.

A Dilma pode entrar, se precisar, nessa negociação?

Com certeza. O que estamos programando, e na segunda-feira tem a primeira reunião, é que o governo vai fazer interlocução com o Congresso e uma interlocução permanente com a equipe de transição.

O que o senhor acha que vai ser mais difícil no período de transição, o ajuste de contas ou a composição política?

Até onde eu sei, isso sequer começou. Não pode ser gente do atual governo que vai discutir o novo governo. Senão vai parecer que a gente tem uma carteirinha para garantir lugar. Nós vamos cuidar, primeiro, de encerrar o ano, e acompanhar e interagir com o Congresso para aprovar o Orçamento.

Agora, eu aconselharia os governadores, especialmente os novos ou os reeleitos, a olharem a pauta do Congresso para verem as coisas que estão sendo debatidas lá. Seria prudente. Há assuntos que não nos dizem respeito.

A equipe econômica será anunciada primeiro para tranquilizar o mercado?

Acho que os mercados estão bem tranquilos. Nós temos aí oito anos de tranquilidade. Esse ser etéreo chamado mercado estava todo engajado na campanha do Serra. Eles fizeram a opção.

Até onde vai o teto do governo na questão do mínimo?

Nós temos uma política de reajuste e, até onde eu sei, ninguém quer mudá-la. No ano passado, o crescimento foi zero e não satisfez ninguém. Não dá para ter um critério que é bom, mas quando o ano é ruim, a gente muda. Temos de falar francamente com as centrais, explicar o nosso ponto de vista, sabemos que é uma questão política. Vamos resolver até o fim do ano, porque o presidente Lula vai assinar (o reajuste).

E os aposentados terão aumento real?

Com toda a sinceridade, nós temos de manter uma política que preserve o valor real das aposentadorias. Há uma reclamação de que o índice não acompanha o custo de vida dos velhinhos. Mas aumento real (acima da inflação), eu não defendo. A única forma de as aposentadorias terem o mesmo índice do salário mínimo é o mínimo ter só a inflação.

* Confira a íntegra da entrevista em  Paulo Bernardo vai evitar aumento de gastos no Congresso

Cid vai integrar comitiva de Lula que visitará Seul

276 2

Cid, no flash, com Guto Benevides (TVC).

O governador Cid Gomes vai intgrar a comitiva do presidente Lula e da presidente eleita Dilma Rousseff que, a partir de segunda-feira, estará visitando a Coreia do Sul em ritmo de reunião do G-20. Foi o único governador convidado. Antes, ele passa em Mocambique, onde tratará sobre a Universidade Internacional de Integração da Lusofonia Afro-Brasileira (UInilab).

Mas há um detalhe nisso: Cid, integrado à comitiva na segunda-feira, aproveitará estada ali, segundo sua assessoria, para estreitar relações com os grupos Dong Kuk e Posco, sócios da futura siderúrgica do Ceará. Ele deve retornar na próxima sexta-fira e, até lá, ficará respondendo pelo Governo do Estado o vice, Francisco Pinheiro.

Câmara dos Deputados lembra os 45 anos de Mudanças Confiança

Luís Carlos Correa, da cúpula do grupo.

Os 45 anos de atividades do Grupo Mudanças Confiança, do Ceará, foram lembrados nesta semana, em Brasília, pela deputada federal Gorete Pereira. Por iniciativa da parlamentar do PR, a Câmara aprovou votos de congratulações a uma das mais antigas e arrojadas empresas da área de mudanças de mobiliário e congênres do País.

“Parabéns aos fundadores e a toda a equipe da Confiança por terem atingido uma posição tão importante e distinta no Brasil. Isso só foi possível com a dedicação e o professionalismo te todos”, destacou Gorete Pereira.

Luizianne liga para Cid e diz que não entendeu o "chilique" de Ivo Gomes

315 8

“A prefeita Luizianne Lins (PT) afirmou ontem, que na tarde da última quinta-feira, conversou por telefone com o governador Cid Gomes a respeito das críticas do irmão dele, Ivo Gomes (PSB), e este teria dito que o Governo do Estado não iria interferir na disputa da Câmara.

Sobre as críticas do deputado Ivo Gomes em torno da postura da prefeita, na disputa na Câmara, tachando a política realizada por Lins como de “bodega”, Luizianne reiterou que não entendeu o porquê da manifestação. “Eu não entendi o chilique do deputado estadual Ivo Gomes. É a única coisa que posso dizer a você”, colocou.

Questionada se ela procurou Ivo para conversar sobre o assunto a prefeita disse que não sabia das motivações do parlamentar. “Não, eu não liguei, porque realmente estou impactada com o chilique. É isso, não entendi. É uma coisa que preciso entender porque há razões que não conheço”, colocou.

Em relação às motivações do parlamentar, Luizianne citou o governador. “Ontem mesmo eu conversei com o governador sobre o ocorrido, não quero esticar esse tipo de assunto, pois eu achei uma coisa, primeiro, desnecessária, e, segundo, tão histérica, que não dá para falar, é um chilique mesmo. O governador disse que queria deixar claro, que não era o sentimento dele e nem o sentimento do Governo e que o Governo não iria se meter na eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal”, colocou.”

(Diário do Nordeste)

Um serrista integra equipe de transição de Dilma

“O PMDB escalou Mangabeira Unger e mais cinco técnicos do partido para participar do grupo que integrará a equipe de transição. Mangabeira coordenará a coleta de informações que serão passadas pelo grupo para Michel Temer e Moreira Franco. Até aí, beleza.

Só que Mangabeira e os técnicos peemedebistas receberão apoio logístico da Fundação Ulysses Guimarães, que é presidida por Eliseu Padilha, deputado gaúcho que apoiou José Serra e não conseguiu reeleger-se.

Já tem integrante do PMDB insatisfeito com a decisão.”

(Coluna Radar – Lauro Jardim)

Prefeito de Caucaia anunciará pacote de obras no valor de R$ 60 milhões

347 10

O prefeito Washington Goes, de Caucaia (Região Metropolitana de Fortaleza), anunciará, a partri das 20 horas deste sábado, durante ato na praça da igreja matriz, investimentos da ordem de R$ 60 milhões. A partir do próximo mês serão iniciadas, complementadas ou concluídas obras de pavimentação com revestimento asfáltico e calçamentos, calçadas, praças, substituição de luminárias, redes de esgotamento sanitário e conjuntos residenciais em  bairros e localidades de diferentes áreas do município.

“No primeiro momento repensamos a administração e cuidamos de modo especial da Saúde e Educação. Construímos, reformamos e ampliamos hospitais, postos de saúde e escolas, reordenamos a coleta do lixo. Agora estamos equipando e dotando essas unidades de profissionais aprovados no último concurso público”, explica o prefeito.

As intervenções que serão realizadas em Caucaia, segundo o prefeito, facilitarão o acesso aos prédios públicos e particulares, reordenando e facilitando, com nova sinalização, os fluxos de pessoas e veículos. No decorrer da solenidade, Washington fará ainda um balanço do que foi realizado nos dois primeiros anos da atual gestão.

A parceria do município com o Governo Federal, através do programa “Minha Casa, Minha Vida”, também vai atender a demanda de mais de sete mil unidades habitacionais. As obras já foram iniciadas com a construção das primeiras 1.248 residências

Faculdade Católica lembrará o Dia Mundial do Diabetes

O Grupo de Estudos em Atividade Física e Diabetes ligado ao curso de Educação Física da Faculdade Católica do Ceará promoverá, nesta segunda-feira, às 20 horas, no Campus dessa instituição, ações que marcarão o Dia Mundial do Diabetes. Na ocasião, integrantes do grupo divulgarão noções sobre a doença e como identificá-la. Haverá teste de glicemia, que identifica o desenvolvimento da doença.

O Centro Integrado de Diabetes e Hipertensão (CIDH), órgão ligado ao Governo do Estado do Ceará e à Prefeitura de Fortaleza, apoiará a iniciativa. “O intuito é educar a população. Contribuir para que as pessoas possam compreender melhor como se dá a doença, quais os sintomas, o que ocasiona, quais hábitos podem contribuir para uma melhor qualidade de vida de quem tem diabetes”, explica a professora Sílvia Diogo, que orienta o Grupo de Estudos junto com a professora Ana Cláudia Marinho.
NO MUNDO

Hoje, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o diabetes já atinge 150 milhões de pessoas em todo o mundo e a projeção para 2025 é de que esse número suba para 300 milhões. No Brasil, já são 10 milhões de pessoas acometidas pela doença que tem fama de “silenciosa” (50% dos brasileiros não sabem que têm diabetes), por não manifestar sintomas de forma imediata. O dia 14 de novembro foi escolhido como o “Dia Mundial do Diabetes”.

SERVIÇO

– Local: Campus da Faculdade Católica do Ceará ( Av Duque de Caxias, 101 – Centro).
– Aberto ao público.

Furacão Tomas castiga o Haiti

O furacão Tomas castigou na sexta-feira os acampamentos de sobreviventes do terremoto de janeiro no Haiti e inundou localidades litorâneas do país, além de causar risco de deslizamentos. Uma pessoa morreu durante a noite ao tentar cruzar um rio na região de Grande-Anse, a sudoeste de Porto Príncipe. Enchentes localizadas foram relatadas nas cidades litorâneas de Les Cayes, Jacmel e Leogane.

Em Porto Príncipe, centenas de milhares de sobreviventes do terremoto se encolhem sob barracas e lonas em acampamentos enlameados, nos quais moram desde o terremoto de 12 de janeiro, que matou até 300 mil pessoas.

A ONU e agências humanitárias entraram em alerta máximo para uma eventual nova catástrofe humanitária no país, o mais pobre das Américas, que atualmente enfrenta também uma epidemia de cólera.

Em princípio, porém, não há relatos de vítimas ou danos em quantidades expressivas. O Escritório de Coordenação de Assuntos Humanitários da ONU disse que o furacão poderia ter sido muito pior.

“Tivemos uma incrível sorte desta vez. A inundação ainda é séria, particularmente em Leogane, por causa da situação do cólera… (mas) pelo menos uma vez o Haiti teve sorte”, disse Imogen Wall, porta-voz da agência da ONU.”

(Globo)

Serra acusa Lula de fazer populismo de direita na economia

230 1


O ex-governador tucano José Serra acusou, nesta sexta-feira (5) o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de desindustrializar o país e fazer populismo “de direita” na economia.

As declarações foram dadas em discurso no encerramento do XI Fórum de Biarritz, no Sul da França, dedicado a analisar as relações entre América Latina e União Europeia (UE).

Serra, que disputou as eleições para a Presidência da República e perdeu no segundo turno, expôs algumas ideias que, segundo ele, “não pôde discutir como gostaria durante a campanha” eleitoral.

Declarou que o Brasil “é um país fechado ao exterior”, no qual “há um processo claro de desindustrialização”, e criticou “a fraqueza” dos investimentos do governo e a elevada carga tributária.

“É um governo populista de direita em matéria econômica”, disse, em relação ao governo Lula, a quem também acusou de exercer um “populismo cambial” e de não ter um modelo econômico.

“A democracia não é só ganhar eleições, é governar democraticamente”, disse Serra, que criticou o modelo de “orçamento participativo”, no qual o contribuinte pode decidir sobre a distribuição de parte dos impostos, adotado pelo Brasil e por outros países latino-americanos.

O tucano também acusou o governo de “se unir a ditaduras, como a do Irã”. Nesse momento, foi interrompido por um membro da Fundação Zapata, do México, que estava na plateia e gritou “por que não se cala?”, provocando um momento de alvoroço na sala.

Após Serra, tomaram a palavra outros participantes do Fórum de Biarritz, como o ex-presidente da Colômbia, Ernesto Samper, que preside o encontro.”

(Agência EFE)

Petrobras assina contrato para elaborar projetos das refinarias do Maranhão e do Ceará

“A Petrobrás assinou com a empresa americana UOP, tradicional fornecedora de tecnologia na área de refino de petróleo, contrato para fornecimento dos projetos básicos e de pré-detalhamento da Refinaria Premium I, a ser construída no Maranhão, e da Refinaria Premium II, que será instalada no Ceará. Ambas as unidades têm investimentos previstos na casa dos US$ 30 bilhões e terão sua produção de derivados destinada principalmente para a exportação.

Os projetos que serão elaborados pela UOP contemplam dois trens de refino para a Premium I e um trem de refino para a Premium II, cada um com capacidade de processamento de 300 mil barris por dia de petróleo nacional. Como os trens de refino serão iguais, isso proporcionará uma redução de custos de projeto e de instalação, além de diminuir os prazos de execução dos projetos, como informa a Petrobrás em comunicado.

Segundo a estatal, a UOP foi selecionada a partir de uma competição entre projetistas internacionais. O principal critério de escolha foi o resultado econômico global das refinarias, considerando custos de instalação, operação e receita proporcionada pelos derivados produzidos. Os principais pontos desenvolvidos pela proponente foram:

a otimização do investimento (capex), maximização de derivados médios e a melhor eficiência energética, com excelentes resultados em todas estas dimensões. Os projetos também terão como premissas fundamentais critérios de segurança, meio ambiente e saúde.

A Petrobrás estabeleceu que os projetos deverão seguir padrões e normas internacionais, também respeitando as normas legais brasileiras. Os projetos de pré-detalhamento (FEED – Front End Engineering Design), apesar de responsabilidade da UOP, serão executados por empresas de engenharia brasileiras, garantindo a utilização de mão-de-obra nacional.

Essa modalidade de contratação de projeto, centralizada em uma só empresa, segundo a Petrobrás poderá garantir a integração das múltiplas tecnologias e processos que envolvem uma refinaria, com alta qualidade, menores prazos e custos globais.”

(Estadão.com)

PT do Ceará se solidariza com Luizianne por causa dos ataques de Ivo Gomes

293 8

A prefeita Luizianne Lins (PT) ganhou solidariedade, nesta sexta-feira, de deputados federais e estaduais e vereadores de Fortaleza, além do senador eleito José Pimentel. O ato ocorreu nesta noite, durante reunião da executiva estadual petista, na sede da legenda, em virtude das recentes declarações do deputado estadual Ivo Gomes (PSB).

Eis a nota divulgada pelo PT do Ceara:

NOTA OFICIAL

Diante das agressivas declarações do deputado estadual Ivo Gomes sobre a sucessão da Câmara Municipal de Fortaleza (CMF), recentemente publicadas na imprensa, a executiva Estadual do Partido dos Trabalhadores declara:

a) Sua irrestrita solidariedade à Prefeita Luizianne Lins e à Administração Municipal de Fortaleza;

b) A sucessão da mesa diretora é assunto pertinente aos vereadores, portanto, não cabem interferências ou indicações de pessoas alheias ao Poder Legislativo Municipal.

Executiva – PT Ceará.

DETALHE – Ivo Gomes disse, nesta quinta-feira, que a prefeita estava interferindo no processo sucessório da mesa diretora por pura vingança. Isso, por não ter feito o presidente da Casa, mesmo com Salmito Filho (PT), ocupando o cargo. Ivo chegou a dizer que Luizianne fazia uma “política de bodega”.

Chefe de Gabinete de Cid manda prefeita trabalhar e fazer menos política

239 3

O Chefe da Casa Civil do Governo do Estado, Arialdo Pinho, entrou na polêmica que envolveu o deputado estadual Ivo Gomes (PSB) e a prefeita Luizianne lins (PT) por conta da sucessão na mesa diretora da Câmara Municipal de Fortaleza. Em sue twitter, ele aconselha a prefeita a trabalhar e deixar de lado o velho discurso, lembrando que ela só tem 25 meses pela frente. Pede menos política. Confira os posts:

– Pela prefeitura tem raz?o. Neste segundo mandato pouco foi realizado. Até o momento velho discurso de que vai fazer. Termina em 25 meses.

– Sugestão que a prefeita focada na gestão administrativa e executiva e menos politica. Quando a direita questiona o trabalho desenvolvido.

– Amigo deputado Ivo Gomes chamando atenção da ” Politica de bodega” da Prefeita de Fortaleza junto a CM.

Clima tenso: moradores protestam contra afastamento de prefeito

199 1

 O clima ficou tenso no começo desta noite de sexta-feira no município de Acaraú, litoral oeste do Estado. Um grupo de moradores fez passeata com faixas e cartazes, protestando contra o afastamento do prefeito Pedro Fonteles (PT). Na última semana, ele foi afastado por decisão da Câmara Municipal, que conta com dez vereadores dos quais seis são da oposição. A alegativa é de que há irregularidade da gestão.

Moradores cercaram a Câmara Municipal, houve ameaça de invasão, mas a Polícia Militar e mais duas viaturas do Ronda do Quarteirão conseguiram controlar a situação.

O juiz da cidade, Cesar De Barros Lima, mediou a situação e marcou para próxima segunda-feira uma reunião envolvendo a cúpula da Camapara Municipal, o vice -prefeito que assumiu na gestão e Pedro Fonteles para tentar uma solução que resolva o impasse.

Receita libera consulta ao penúltimo lote de restituição na 3ª feira

“A Receita Federal libera na próxima terça-feira (9), a partir das 9 horas, a consulta ao sexto lote de restituições do Imposto de Renda Pessoa Física 2010. Será o penúltimo lote regular de restituições previstas para este ano.

No lote também constam declarações liberadas da malha fina referentes aos exercícios de 2008 e 2009. Os valores poderão ser sacados no dia 16 de novembro. Serão creditadas restituições para um total de 418.694 contribuintes, com correção de 5,95 por cento.

SERVIÇO

Mais informações sobre as liberações na página da Receita (www.receita.fazenda.gov.br) ou pelo telefone 146.”

(Agência Brasil)

CNI finca pé contra volta da CPMF

“A Confederação Nacional da Indústria (CNI) é “completamente contra” a recriação da CPMF, que seria repaginada de Contribuição Social da Saúde (CSS), com alíquota de 0,1%. A posição foi manifestada nesta sexta-feira (05/11) pelo presidente da entidade, Robson Braga de Andrade, após reunião da Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI), em São Paulo. “Somos completamente contra a recriação da CSS ou CPMF. Isso não resolve o problema da saúde. Acho que antes de pensar em novas receitas, temos de pensar em melhoria da gestão”, defendeu Andrade.

Para o presidente da CNI, a proposta de recriação da CPMF, extinta pelo Senado em 2007, vai na “contramão de tudo aquilo que o próprio governo do presidente Lula e a presidente eleita Dilma Rousseff têm falado sobre a redução da carga tributária”. Robson Braga de Andrade adiantou que o empresariado já está se mobilizando para contestar a intenção de lançar mais um tributo.

“Vamos mostrar que esse não é o caminho. O governo tem de explicar primeiro para a sociedade como é gasto o recurso que ele arrecada, o quanto é gasto na atividade-fim e o quanto é perdido na burocracia”, disse. Lembrou que, no setor privado, a empresa que tem problemas de competitividade busca reduzir os custos e não aumentar o preço dos produtos.

De acordo com o presidente da CNI, é contestável a informação de governadores eleitos e reeleitos, líderes do movimento de recriação da CPMF, segundo a qual o impacto do imposto nos custos seria muito pequeno, de 0,15%. “Isso não é a realidade. Dependendo da cadeia produtiva, esse valor pode chegar a 8%”, rebateu Andrade.

Agenda negativa – Os empresários presentes à reunião da MEI, programa de incentivo à inovação liderado pela CNI, foram unânimes na crítica à proposta de recriação da CPMF. Luiz Fernando Furlan, presidente do conselho de administração da Brasil Foods, disse ser surpreendente que o primeiro tema discutido no período pós-eleitoral seja a criação de um tributo.

“Onde está a agenda positiva? Seria importante discutir medidas que dessem competitividade às empresas, porque, no final, o custo com a nova CPMF vai para o preço do produto”, salientou Furlan, ex-ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (2003-2007).

Presidente da Associação Brasileira de Celulose e Papel (Bracelpa) e membro do conselho de administração da Klabin, Horácio Lafer Piva afirmou que a tentativa de se recriar a CPMF é paradoxal com tudo o que diz respeito à competitividade. “O Brasil aceitou o desafio da competição global e não pode ter mais essa carga nas costas”, enfatizou.

“Vejo de forma lamentável essa tentativa (de recriar a CPMF). Já se verificou no passado que foi totalmente descabida”, avaliou por sua vez o presidente da Siemens, Adilson Antonio Primo. “Precisamos de reformas, como a tributária e a trabalhista, e não de criar imposto adicional”, complementou. Para Primo, a sociedade brasileira e, sobretudo, o setor industrial, não agüentam mais o peso dos impostos.”

(Com Agências)

Em breve, "Assalto ao Banco Central"

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=9wEvu21T1dE[/youtube]

O filme “Assalto ao Banco Central” marca a estreia do ator Marcos Paulo como diretor e tem previsão de lançamento para os primeiros meses de 2011. No elenco: Milhem Cortaz (Tropa de Elite), Hermila Guedes (O Céu de Suely), Lima Duarte (Eu Tu Eles), Giulia Gam (Chico Xavier), Gero Camilo (Bicho de Sete Cabeças), Cássio Gabus Mendes (Batismo de Sangue), Mílton Gonçalves (Segurança Nacional), Tonico Pereira (O Bem Amado), Vinícius de Oliveira (Central do Brasil), Eriberto Leão (Onde Andará Dulce Veiga?) e Antônio Abujamra (Quanto Vale ou é por Quilo?).

A cobertura do O POVO sobre o episódio e que foi premiada com o ESSO está entre subsídios que ajudaram na produção da película.

CPMF – Líder do PT vai conversar sobre o assunto com Temporão

“Líder do PT na Câmara Federal, o deputado Fernando Ferro e uma comissão suprapartidária de prefeitos vai discutir possível retorno da CPMF, na próxima semana, com o ministro José Gomes Temporão (Saúde). “Vamos discutir alternativas para conseguirmos mais recursos para a Saúde, que ainda é motivo de reclamação da população. A CPMF é uma das alternativas, mas podemos buscar outros caminhos”, disse Ferro.
 
Ao mesmo tempo, o petista responde às críticas enderaçadas aos governistas pelo deputado federal de oposição, Raul Jungmann (PPS), que considera uma “irresponsabilidade do Governo contar com imposto que não existe”. “Irresponsável foi a retirada desse recurso imposta pela oposição do Senado. Falou responsabilidade da oposição tirar uma forma de financiar a Saúde. Lembro que Jungmann, na época, não se manifestou”, rebateu Ferro.”

(Com Agências)

Renan cogita presidência do Senado

153 1

“Devolvido a Brasília pelos eleitores de Alagoas, Renan Calheiros cogita concorrer novamente à Presidência do Senado. Dono da maior bancada –19 senadores—, o PMDB, partido de Renan, tem o direito regimental de indicar o substituto de José Sarney.

Por ora, Renan não formalizou a pretensão. Mas, nos subterrâneos, emitiu sinais de que incluiu o comando do Senado nos seus planos. Se quisesse, Sarney poderia pleitear o posto pela quarta vez. Porém, já informou que não o fará. E foi tomado a sério.

Além de Renan, frequenta a lista de alternativas do PMDB o senador maranhense Edison Lobão, do grupo de Sarney.

Porém, se Renan evoluir da mera cogitação para uma candidatura formal, Lobão deve ser indicado pelo PMDB para o ministério de Dilma Rousseff.

Iria ao rol de “ministeriáveis” do partido, com o apoio de Renan e de Sarney, para a pasta de Minas e Energia, que já gerenciou sob Lula.

A ambição de Renan sujeita o “novo” Senado ao convívio com uma presidência que, em 2007, terminou em crise.

No comando do Senado, Renan foi alvejado por um cipoal de denúncias –do pagamento da pensão do filho por uma empreiteira à boiada sobreavaliada.

Renunciou ao cargo. Julgado pelo plenário, livrou-se da cassação numa votação espremida –40 votos pela absolvição, 35 pela degola e 6 abstenções.

A hipótese de retorno é visto por um pedaço do próprio PMDB como problema. Receia-se pela volta da atmosfera de crise em pleno alvorecer da gestão Dilma Rousseff.

O grupo de Renan parece dar de ombros para as apreensões. O partidário do senador que conversou com o blog construiu uma analogia.

Comparou o Renangate com o Caseirogate. Disse: O Antonio Palocci (PT-SP) é apontado para o ministério de Dilma e ninguém vê problema.

Perguntou: Por que o Renan não pode presidir o Senado?

Esmiuçou o raciocínio: Todo mundo diz que Palocci foi absolvido pelo STF. Ora, o Renan não foi nem acusado. Muito menos condenado.

O repórter perguntou: Mas, afinal, Renan vai disputar a presidência do Senado?

E o interlocutor: Isso é assunto para fevereiro. Se você perguntar, ele dirá que não. Mas, até lá, ele pode querer. Se quiser, tem o direito. Não há nada que impeça.”

(Blog do Josias de Souza)