Blog do Eliomar

Últimos posts

Mar avança agora na praia da Tabuba

Barraca Camu Camu foi atingida nesfe feriadão pelo avanço do mar.

Depois do Icaraí, o mar avança agora na praia da Tabuba, também no município de Caucaia (Região Metropolitana). Moradores e frequentadores do local alertam autoridades para o problema que fez com que o Icaraí recebesse obras de contenção. Há temor de que o problema se agrave e atinja também a praia do Cumbuco.

O mar está castigando neste feriadão o local.

(Fotos – Luciano Luque)

Carro de artista cearense é alvejado com seis disparos

127 1

O carro do artista cearense Ricardo Maia, cover do cantor Tim Maia, foi alvejado com seis tiros, na madrugada desta terça-feira, 12. A ação aconteceu quando o artista trafegava pela rua Olegário Memória, no bairro Água Fria, em Fortaleza.

Ricardo Maia voltava de um show, na companhia do filho e do genro, quando o carro que dirigia foi atingido pelos disparos. Até agora, não há informações sobre a identidade do responsável pelo atentado. Ninguém ficou ferido durante a ação.

Cristãos da Paraíba pedem afastamento de Dom Aldo Pagotto

746 13

“Em nota pública, dirigida ao Vaticano e à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), um grupo de lideranças da Igreja Católica da Paraíba e de outros movimentos sociais pediu a substituição do bispo católico de João Pessoa, Dom Aldo Pagotto. O bispo é acusado de preconceito contra os pobres e de desrespeito para com lideranças comprometidas com a causa popular. Sentindo-se “agredidos por suas palavras e atos”,  as lideranças afirmam que o bispo trata “os pobres com arrogância e desprezo, enquanto trata com privilégio os ricos e poderosos e seus respectivos interesses”. Veja a íntegra da denúncia:
 
João Pessoa, 09 de setembro de 2010.

Ao Sr. Núncio Apostólico no Brasil, Dom Lorenzo Baldisseri
Ao Sr. Presidente da CNBB, Dom Geraldo Lyrio Rocha
Ao Sr. Presidente do Regional Nordeste II da CNBB, Dom Antônio Muniz Fernandes
Aos membros das instâncias colegiadas da Arquidiocese da Paraíba

Srs. Bispos, nossos Irmãos,
 
Em carta aberta, nós, Leigos, Leigas, Religiosas, Religiosos, Diáconos e Presbíteros da Arquidiocese da Paraíba, abaixo-assinados, dirigimo-nos respeitosamente aos Srs. Responsáveis pelas diferentes instâncias eclesiais, inclusive as instâncias colegiadas da CNBB, da CNBB Nordeste II e da Arquidiocese da Paraíba, para externar-lhes nossas profundas inquietações em relação à situação comprometedora de nossa Arquidiocese, tendo em vista a já longa sequência de atos deploráveis REITERADAMENTE cometidos pelo Sr. Arcebispo da Paraíba, Dom Aldo di Cillo Pagotto, desde o primeiro ano de sua chegada a essa Arquidiocese, principalmente no tocante ao seu relacionamento sistematicamente desrespeitoso e preconceituoso em relação aos pobres, à maioria das pastorais sociais (que não apenas não têm contado com seu apoio, antes têm sido por ele hostilizadas). Atos dessa natureza se sucedem, sem qualquer sinal de mudança de atitude por parte de Dom Aldo.

Entendemos chegada a hora de apelarmos a quem tem o dever de se posicionar claramente sobre tal situação, que só tende a agravar-se, caso continue prevalecendo o silenciamento ou a omissão diante da lista considerável de atitudes de desdém ou de humilhação a tudo que diga respeito, por exemplo, às CEBs, à CPT, aos leigos, leigas, religiosas ou até a padres e outros grupos pastorais comprometidos com a causa dos pobres, com igual atitude em relação aos movimentos populares, constantemente agredidos por suas palavras e atos, tratando aos pobres com arrogância e desprezo, enquanto trata com privilégio os ricos e poderosos e seus respectivos interesses. Para tanto, não hesita em apelar, quando lhe convém, e de forma unilateral, aos rigores do Código de Direito Canônico, como o fez em relação à suspensão de ordens do Pe. Luiz Couto.

Seu mais recente ato de desrespeito e de preconceito contra os pobres e suas legítimas demandas se deu por meio da imprensa local – na qual aparece com uma freqüência pouco recomendável a um pastor de quem se espera discrição e prudência. Desta feita, numa atitude de afronta a um pleito legítimo e justo como é o Plebiscito pelo limite do tamanho da propriedade da terra, no Brasil, medida já tomada inclusive por diversos países, inclusive a Itália, bandeira amplamente consensual entre as organizações de base da sociedade brasileira (pleito assumido pela CNBB, pelo CONIC e mais de cinqüenta entidades e movimentos populares) e que tem fundamento na própria Doutrina Social da Igreja e nos Documentos da CNBB.

Eis que, sem tomar em conta sequer os documentos que fundamentam a iniciativa, Dom Aldo Pagotto vai ao Correio da Paraíba, em coluna assinada pelo mesmo, em artigo publicado a dois dias do início do referido Plebiscito, e trata de questionar – já a partir do título capcioso de seu artigo “Limite à propriedade produtiva?”- a validade do Plebiscito, tecendo insinuações injuriosas- inclusive de roubo – contra os pobres e contra os movimentos populares. Não contente com a desfeita, volta à sua coluna semanal de domingo, dia 5 de setembro, em pleno período de realização do referido Plebiscito, para reiterar sua posição.

Diante desses fatos graves, em que é o próprio pastor que se mantém intransigente em seu comportamento sistemático de semear o divisionismo em seu rebanho, vimos solicitar encarecidamente às diferentes instâncias eclesiais que os Srs. representam, a substituição do atual arcebispo, Dom Aldo Pagotto, convencidos que estamos, por fatos concretos de que ele não atende aos requisitos pastorais e pedagógicos de um pastor, no cuidado de seu rebanho.
Confiantes em sua prudência pastoral, e aguardando seu pronunciamento e as providências urgentes que o caso requer, expressamos-lhes nossas saudações fraternas.
 
Alder Júlio Ferreira Calado – Diácono
Elias Cândido do Nascimento – Leigo, Coordenador do MTC/NE-II
Genaro Ieno – Ex-Agente de Pastoral Leigo
Rolando Lazarte – Sociólogo, ex-professor da UFPB
Lívia Lima Pinheiro – Leiga, ex-Membro da Equipe Exec. Setor Juvent.
Romero Venâncio Júnior – Leigo, Professor Universitário
Genielly Ribeiro da Assunção – Leiga
José Brendan Macdonald – Leigo, Assessor na formação de jovens do meio popular
Eduardo Côrtes Aranha – Leigo
Antônio Alberto Pereira – Professor da UFPB
Ricardo Brindeiro – Animador das Pastorais Sociais
Arivaldo José Sezyshta – Coordenador do Serviço Pastoral dos Migrantes do Nordeste
Maria Angelina de Oliveira – Ex-Coordenadora da JOC (nacional e internacional)
José Gilson Silva Alves – Dirigente Sindical (SINTER – PB)
Luiz Lima de Almeida – Dirigente Sindical (SINTR – PB)
Renato Paulino Lanfranchi – Leigo, ativista de direitos humanos
Raimundo Nonato de Queiroz – Educador de Jovens Cristãos
Luciano Batista de Souza – Nós Também Somos Igreja
Luciano de Sousa Silva – Professor da UFPB
João da Cruz Fragoso – Leigo, membro do Grupo Nós Também Somos Igreja
José Marcos Batista de Moraes – Assessor da Past. Juventude/ C.G
Gilma Fernandes B. Madruga – Leiga, Educadora de Jovens Cristãos
Samantha Pollyanna M. Pimentel – Leiga, Educadora de Jovens Cristãos
Íris Charlene Lima de Abreu – Leiga, Educadora de Jovens Cristãos
Janaína Brasileiro Formiga – Leiga, Educadora de Jovens Cristãos
José Washington de Oliveira Castro Júnior – Leigo, Educador de Jovens Cristãos
Magdala Cavalcanti de Melo – Leiga, membro do Grupo Nós Também Somos Igreja
Valdênia Paulino Lanfranchi – Advogada de Direitos Humanos
Pedro Ferreira de Lima – Diretor do SINTRICOM
Luiz Muniz de Lima – Diretor do SINTRICOM
Maria José Moura Araújo – Projeto Sal da Terra
Erasmo França de Sousa – SINTRICOM
Josiana da S. Ferreira – SINDTESP
José Laurentino da Silva – SINTRICOM
Ednalva Costa da Silva – SINTRICOM
Rafaela Carneiro Cláudio – Leiga, Coord. Assembléia Popular
Adenilton Felinto da Silva – Leigo – Educador Popular
Rosa Lisboa – Leiga – Educadora Popular
Gleyson Ricardo A. de Melo – Leigo, Assembléia Popular
Dora Delfino – Leiga, Rede de Educadores do NE
João Batista da Silva – Leigo
José Santana – SINTRICOM
Eulina Pereira Ferreira – Projeto Sal Terra
Gilberto Paulino de Oliveira – CUT
Edmilson da Silva Souza – Leigo
Francisco D. H. dos Santos – Leigo
Eliana Alda de F. Calado – Leiga
Maria de Oliveira Ferreira Filha – Professora da UFPB
Nilza Ribeiro – Leiga

(Site Conversa Afiada)

Fortaleza, o paraíso das faixas de propaganda

127 2

As equipes de fiscalização da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Controle Urbano (Semam) adormeceram mesmo durante esta campanha eleitoral. A conclusão é de lideranças de associaçãoes de moradores e de leitores deste Blog diante do absurdo que continua: na maioria dos principais cruzamentos de Fortaleza, várias faixas irregulares divulgando show de todo gênero.

Bem que o titular da pasta, Deodato Ramalho, tem boa vontade e até mandou alguns casos para a área jurídica, mas falta-lhe o principal: fiscais. A Prefeitura precisa convocar gente para o trabalho e contribuir para que Fortaleza fique, de fato, bela como diz o slogan da administração. É lamentável que placas e faixas continuem poluindo, sem que haja uma reação concreta e objetiva da municipalidade. 
 

A QUEM RECLAMAR?

Flanelinhas que “pastoram” carro no entorno da casa de show Siará Hall cobram R$ 10,00. E dão até ”recibo”. Ainda aceitam
o pagamento parcelado: R$ 5,00 na chegada e R$ 5,00 na saída do veículo.

Lula diz que Dilma é redenção das mulheres

152 2

“Principal cabo eleitoral da petista Dilma Rousseff na corrida ao Palácio do Planalto, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva utilizou o primeiro comício do segundo turno, na cidade-satélite de Ceilândia, no Distrito Federal, para defender a escolha da petista como concorrente governista à presidência da República. Ele citou a luta histórica para que as mulheres pudessem ter direito a voto. Lula ainda relembrou como apontou Dilma a sua potencial sucessora e pediu que a militância se mobilize até o dia 31 de outubro e evite a aproximação de adversários, como o tucano José Serra (PSDB).

“A gente não pode achar que tem eleição ganha antes do dia da eleição, ficar em casa, guardar nossa bandeira porque daqui a pouco o povo adversário está ocupando. Se a gente começa a contar a vitória antes do tempo, acontece o que aconteceu com o Fluminense e o Corinthians antigos líderes do Campeonato Brasileiro de futebol. Não tem como eleger se a gente não transformar a eleição dele, do candidato, em uma profissão de fé. A partir de agora, não vamos tirar mais nossas camisas, bandeiras e adesivos”, disse.

“A gente vai olhar para nossa companheira mulher e não vamos dizer que gostamos dela porque ela vai lavar a panela. A gente vai lavar a panela para ela. A gente vai ser menos autoritário e mais companheiro. Queremos começar a ser a redenção das mulheres no Brasil e no mundo e, para isso, ela tem que ser eleita presidente da República”, afirmou Lula, que voltou a reconhecer que Dilma ficou “chateada” por não ter liquidado a eleição no primeiro turno.

“Você também ficou chateada: ‘por que eu não ganhei no primeiro turno’? Só pode ser o dedo de alguém lá de cima. Conheço a Dilma há muito tempo e conheço o seu adversário há muito tempo. Não tenho dúvida, é muito mais competente que seu adversário”, explicou Lula ao eleitorado do DF ao enfatizar a importância de uma mulher se tornar chefe máxima do executivo federal.

“Que diabo esse Lula com tanto macho perto dele, com tanto macho que cerca ele a vida inteira, foi escolher uma mulher para ser presidente da República? Poderia ter escolhido um deputado, um senador, um governador. Hoje, estou convencido que a minha decisão foi certa. No primeiro turno 67% do povo brasileiro falou que queria votar em uma mulher para presidente da República. Ela é a representação maior que as mulheres já tiveram na política brasileira”, disse o presidente ao combater a suposta falta de experiência política da ex-ministra da Casa Civil e, explicando que Dilma não tem “vícios” de políticos com carreira mais longa.

“Ela não tinha os vícios que muitos candidatos já tiveram. Ela tinha um vício que eu gosto, que é o vício de trabalhar, da dedicação e da competência, de ser melhor que seu adversário na disputa de 2010. Os defeitos que alguns acham que a Dilma tem, na minha opinião, são as virtudes para as quais eu e vocês já a escolhemos no primeiro turno”, completou o presidente no comício na cidade de Ceilândia, um dos maiores colégios eleitorais do Distrito Federal.

“Já começo a sentir um pouco de saudade cada vez que eu falo. Oito anos é muito longo para quem faz oposição, mas para quem está no governo não é nada. Agora que eu aprendi a governar. Vou sair do governo com uma sensação de coisa boa, essa relação que eu estabeleci com o povo brasileiro. Tenho a certeza de que nós iremos criar um outro patamar para esse país. A Dilma sabe como fazer, vai fazer mais e melhor”, afirmou.”

(JB Online)

Blitze do Detran e da PRE estão de volta

213 3

E as famosas blitze do Detran e da Polícia Rodoviária Estadual, que andavam sumida durante a campanha eleitoral, estão de volta. Neste feriadão, podem ser conferidas em vários pontos do Estado.

Na última campanha para governador do Estado, o tema blitz foi predominante em discursos da oposição, reclamando do excesso de multas e da apreensão de carros e, principalmente, motocicletas no Interior.

Serra usará telefonia para defender privatizações

“O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, deverá insistir no exemplo das telecomunicações como modelo de privatização bem sucedido no governo FHC. Na madrugada de ontem, após participar do debate da Band, Serra mostrou apreensão com a insistência da adversária Dilma Rousseff (PT) na abordagem do assunto. E consultou aliados sobre a eficácia do argumento de que, sem a privatização, não haveria tanto acesso a linhas telefônicas e o país ainda se comunicaria via orelhão.

No que depender do comando da campanha de Serra, o candidato irá recorrer ao caso das teles e da siderurgia toda vez que a candidata petista falar em privatização. Além de ser de fácil compreensão, tem apelo popular. Para os próximos debates, Serra pretende lembrar como o telefone celular facilitou a vida dos menos favorecidos. Outro argumento será o de que o PT também privatizou.”

 (Folha Online)

PV do Ceará ainda não confirma apoio a Dilma neste 2º turno

193 2

O presidente regional do Partido Verde, Marcelo Silva, participará, nesta quarta-feira, em Brasília, de encontro da executiva nacional da legenda. O objetivo é discutir qual o rumo que o PV tomará com relação à disputa de segundo turno na eleição presidencial. “Essa é uma reunião preparatória ao encontro que teremos, dia 17, em São Paulo”, explicou para o Blog o dirigente “verde.”

Marcelo disse que o PV do Ceará apoiou Dilma Rousseff (PT) no primeiro turno, mas deixou claro que, nessa nova fase da campanha, não está nada definido. “Estamos discutindo com Brasília e vamos fechar posição dai 17”, reforçou o dirigente partidário.

No encontro do dia 17, o PV deverá anunciar, por meio de Marina Silva, que disputou a presidência da República, a posição a ser adotada neste segundo turno. Nacionalmente, o partido está dividido, admite Marcelo Silva.

Santa Casa pede misericórdia

Em Brasília, o provedor da Santa Casa de Misericórdia de Fortaleza, Luís Marques, manteve contatos ontem no Ministério da Saúde. Hora de apelar por mudanças na tabela do SUS, dentro de uma estratégia nacional dos hospitais, que vivem na pindaíba por causa da defasagem nos procedimentos.

Luís Marques, que permanece em Brasília neste feriado, agendou para a quarta-feira uma outra missão. Vai conversar com parlamentares federais em busca de emendas ao Orçamento Geral da União 2011. Essas emendas viriam como complementação financeira para a Santa Casa, conforme o provedor.

E por falar em Santa Casa, o hospital pede misericórdia à Prefeitura de Fortaleza que vem atrasando repasses do SUS. “Hoje nós atendemos 100% pacientes do SUS e a Prefeitura é quem faz esse repasse, que está bem atrasado”, reclama Luis Marques.

Por Dilma – Cid e Luizianne fazem campanhas separadas

184 4

“Ninguém assume o racha, mas o fato é que o governador Cid Gomes (PSB) e a prefeita Luizianne Lins (PT) estão fazendo campanhas paralelas para a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff. Desde a semana passada, cada um segue rumo diferente, e em nenhum momento sentaram-se na mesma mesa para traçar estratégias que fortaleçam o nome da petista no 2º turno.

A mais nova ação isolada acontecerá hoje, durante reunião entre Luizianne, membros do diretório estadual, prefeitos e parlamentares.

Na semana passada, Cid – que acumula a presidência estadual do PSB – também convocou reuniões para discutir a campanha de Dilma no Ceará. Uma foi na quinta-feira, com os presidentes regionais de 15 partidos que apoiaram sua reeleição, e outra na no dia seguinte, com parlamentares recém-eleitos. Em nenhum dos encontros a prefeita esteve presente. Foi representa pelo 1º e 2º vice-presidentes do PT, deputado José Guimarães e Antônio Carlos.

Desde o 1º turno que Cid e Luizianne estão afastados politicamente. A petista não participou de nenhum evento de campanha pela reeleição do governador, assim como não foi convidada para gravar nem sequer um programa eleitoral.

Para agravar a situação, Dilma indicou Cid para ser seu coordenador de campanha no Ceará – posto que Luizianne ocupava – e seu irmão, Ciro Gomes (PSB), como coordenador nacional no Nordeste. A prefeita chegou a afirmar que poderia abandonar a campanha caso Ciro assumisse o comando. Acabou voltando atrás e encabeça agora o chamado “outubro vermelho”, uma série de atividades no Estado pró-Dilma.

Lavando as mãos

Tentando abafar a crise, José Guimarães argumenta que cada um faz campanha do jeito que quiser. “Se eles (Cid e Luizianne) não se entendem, o problema não é meu, não”, afirmou. Em seguida, deixou bem claro que não vai tentar reaproximar a prefeita e o governador. “Eu lá vou me meter numa cumbuca dessa. Me meto na campanha da Dilma”.

Já Antônio Carlos argumenta que um partido como o PT não pode abrir mão de suas simbologias, e que os atos de campanha promovidos apenas pela sigla irão garantir ainda mais votos para Dilma. “Na campanha para o Senado deu certo, e nós elegemos nossos dois candidatos”.”

(O POVO)

Ciro acompanha a sucessão na Câmara Municipal

164 4

“Ciro Gomes (PSB) está acompanhando a eleição para a nova mesa diretora da Câmara Municipal. Anda conversando com vereadores.

Já pediu até para que Eliane Novais (PSB), eleita deputada estadual, retome atividades na Casa para votar.

Em quem? Eis a dúvida.

(Coluna Vertical, do O POVO)

Greve dos bancários pode estar chegando ao fim

“A nova proposta de reajuste de 7,5% apresentada nesta segunda-feira aos representantes dos bancários pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) pode acabar com a greve da categoria, que já dura 13 dias.

Segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), pela proposta o aumento real será de 3,08% para quem ganha até R$ 5.250. Já aqueles com salários acima desse valor podem optar pelo mais vantajoso: aumento fixo de R$ 393,75, ou 4,29% a título de reposição da inflação.

Em geral, os 7,5% também serão aplicados nos benefícios, como vale-refeição e outros.

Para o piso salarial, a proposta é elevar de R$ 1.074,46 para R$ 1.250, reajuste de 16,33%.

A Participação nos Lucros e Resultados (PLR), que tem regra básica de 90% do salário mais adicional, terá 14,28% de aumento no adicional, com teto ampliado de R$ 2.100 para R$ 2.400.

– A proposta avançou. Tem aumento real maior, valorização do piso e melhora no adicional da PLR – destaca o presidente da Contraf-CUT, Carlos Cordeiro, lembrando que a proposta será avaliada pelos trabalhadores em assembleias em todo país nesat terça-feira.

– A expectativa é boa. Mas até lá, o movimento será mantido – afirmou o dirigente sindical, referindo-se à greve que atingiu nesta segunda-feira mais de 8 mil agências em todo o país.”

(Globo)

NO CEARÁ – Nesta quarta-feira, às 17 horas, na sede sindical, em Fortaleza, os bancários realizarão assembleia geral para avaliar a proposta. Informa para o Blog o diretor da entidade, Marcos Saraiva.

Pedro Malan e seu "Diálogo de surdos"

279 5

Eis artigo do ex-ministro da Fazenda, Pedro Malan, veiculado nesta segunda-feira no Estadão. O título é curioso – “Diálogo de surdos”. Confira:

O presidente Lula, com uma arrogância por vezes excessiva, tentou transformar em plebiscito o primeiro turno desta eleição. Como se o que estivesse em jogo fosse seu próprio terceiro mandato (ainda que por interposta pessoa), um referendo sobre seu nome, uma apoteose que consagraria seu personalismo, seu governo e sua capacidade de transferir votos. Mas cerca de 52% dos eleitores votaram em José Serra e Marina Silva, negando a Lula a tão esperada vitória plebiscitária no domingo passado.

Não é de hoje o desejo presidencial: “Lula quer uma campanha de comparação entre governos, um duelo com o tucano da vez. Se o PSDB quiser o mesmo… ganharão os eleitores e a cultura política do País.” Assim escreveu Tereza Cruvinel, sempre muito bem informada sobre assuntos da seara petista, em sua coluna de janeiro de 2006. Não acredito que a “cultura política” do País e seus eleitores tenham muito a ganhar – ao contrário – com essa obsessão por concentrar o debate eleitoral de 2010 numa batalha de marqueteiros e militantes.

Afinal, na vida de qualquer país há processos que se desdobram no tempo, complexas interações de continuidade, mudança e consolidação de avanços alcançados. O Brasil não é exceção a essa regra. Como escreveu Marcos Lisboa, um dos mais brilhantes economistas de sua geração: “Não se deve medir um governo ou uma gestão pelos resultados obtidos durante sua ocorrência e, sim, por seus impactos no longo prazo, pelos resultados que são verificados nos anos que se seguem ao seu término. Instituições importam e os impactos decorrentes da forma como são geridas ou alteradas se manifestam progressivamente…”

Ao que parece, Lula e o núcleo duro à sua volta discordam e estão resolvidos a insistir numa plebiscitária e maniqueísta “comparação com o governo anterior”. Feita por vezes, a meu ver, com desfaçatez e hipocrisia. Um discurso primário que, no fundo, procura transmitir uma ideia básica (e equivocada) ao eleitor menos informado: o que de bom está acontecendo no País – e há muita coisa – se deve a Lula e ao seu governo; o que há de mau ou por fazer – e há muita, muita coisa por fazer – representa uma herança do período pré-2003, que ainda não pôde ser resolvida porque, afinal de contas, apenas em oito anos de lulo-petismo não seria mesmo possível consertar todos os erros acumulados por “outros” governantes ao longo do período pré-2003.

Mas talvez seja possível, por meio do debate público informado, ter alguns limites para a desfaçatez e a mentira. Exemplo desta última: a sórdida, leviana e irresponsável acusação de que “o governo anterior” pretendia privatizar a Petrobrás, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal, entre outros. Algo que nunca, jamais, esteve em séria consideração. Mas a mentira, milhares de vezes repetida, teve efeito eleitoral na disputa pelo segundo turno em 2006 – por falta de resposta política à altura: antes, durante e depois.

Exemplos de desfaçatez: o governo Lula não “recebeu o País com a inflação e o câmbio fugindo do controle”, como já li, responsabilizando-se o governo anterior. A inflação estava sob controle desde que o Real foi lançado no governo Itamar Franco, com Fernando Henrique Cardoso na Fazenda, e se aumentou para 12,5% em 2002 foi porque o câmbio disparou, expressando receios quanto ao futuro. Receios não sem fundamento, à luz da herança que o PT havia construído para si próprio, até o começo de sua gradual desconstrução, apenas a partir de meados de 2002. O PT tinha e tem suas heranças.

O governo Lula não teve de resolver problemas graves de liquidez e solvência de parte do setor bancário brasileiro, público e privado. Resolvidos na segunda metade dos anos 90 pelo governo FHC. Ao contrário, o PT opôs-se, e veementemente, ao Proer e ao Proes e perseguiu seus responsáveis por anos no Congresso e na Justiça. Mas o governo Lula herdou um sistema financeiro sólido que não teve problemas na crise recente, como ajudou o País a rapidamente superá-la. Suprema ironia ver, na televisão, Lula oferecer a “nossa tecnologia do Proer” ao companheiro Bush em 2008.

O governo Lula não teve de reestruturar as dívidas de 25 de nossos 27 Estados e de cerca de 180 municípios que estavam, muitos, pré-insolventes, incapazes de arcar com seus compromissos com a União. Todos estão solventes há mais de 13 anos, uma herança que, juntamente com a Lei de Responsabilidade Fiscal, de maio de 2000 – antes, sim, do lulo-petismo, que a ela se opôs -, nada tem de maldita, muito pelo contrário, como sabem as pessoas de boa-fé.

As pessoas que têm memória e honestidade intelectual também sabem que as transferências diretas de renda à população mais pobre não começaram com Lula – que se manifestou contra elas em discurso feito já como presidente em abril de 2003. O governo Lula abandonou sua ideia original de distribuir cupons de alimentação e adotou, consolidou e ampliou – mérito seu – os projetos já existentes. O que Lula reconheceu no parágrafo de abertura (caput) da medida provisória que editou em setembro de 2003, consolidando os programas herdados do governo anterior.

Outros exemplos. Sobre salário mínimo: não é verdade que tenha começado a ter aumento real no governo Lula, como quer a propaganda. Sobre privatização: o discurso ideológico simplesmente ignora os resultados para o conjunto da população – e, indiretamente, para o atual governo.

O monólogo do “nunca antes” não ajuda o diálogo do País consigo mesmo. O ilustre ex-ministro Delfim Netto bem que tentou: “A eleição de 2010 não pode se fazer em torno das pobres alternativas de ou voltar ao passado ou dar continuidade a Lula. A discussão precisa incorporar os horizontes do século 21 e a superação dos problemas que certamente restarão de seu governo.” 

ECONOMISTA, FOI MINISTRO DA FAZENDA NO GOVERNO FHC

E-MAIL: MALAN@ESTADAO.COM.BR

Resgate de mineiros chilenes começa nas primeiras horas desta quarta-feira

“O resgate dos mineradores presos no norte do Chile começará à zero hora de quarta-feira (no horário de Brasília), anunciou hoje o ministro de Mineração do país, Laurence Golborne. O ministro divulgou a informação após expressar sua satisfação com os resultados dos preparativos que precedem a evacuação dos 33 trabalhadores que permanecem desde 5 de agosto presos a 700 metros de profundidade na mina San José, na região do deserto do Atacama.

A expectativa em todo o país pela lista com a ordem de saída dos 33 soterrados é grande – é como se os brasileiros estivessem esperando a lista dos 22 convocados para a seleção em véspera de Copa do Mundo.

Nos jornais e TVs locais, não falta especulação. Alguns jornais já informaram que os quatro primeiros mineiros já estariam confirmados, e que um deles seria o boliviano. Outro jornal informou que já se sabia quais seriam os quatro últimos resgatados, dando o nome do líder dos mineiros, Urzúa, certo como o último a deixar o local.

Todos os boatos foram desmentidos por Golborne em coletiva de imprensa hoje no acampamento. O ministro confirmou apenas que foi decidido que descerão quatro pessoas inicialmente para ajudar no resgate: dois enfermeiros e dois mineiros. “Nomes são mera especulação”, reafirmou. O dia de hoje também foi marcado pela saída da perfuradora T-130 da mina. A perfuradora encerrou os trabalhos e, na saída, foi saudada com gritos e aplausos.”

(Portal Uo)