Blog do Eliomar

Últimos posts

Projeto Vira Vida – Jair Meneghelli dará aula inaugural em Fortaleza

Com a presença do presidente do Conselho Nacional do SESI, Jair Meneghelli, será realizada nesta terça-feira, a partir das 16 horas, no Núcleo de Negócios do SESI (Bairro Parangaba), a aula inaugural de três novas turmas do Projeto ViraVida em Fortaleza.  São elas: Gastronomia (em parceria com Senac –  23 alunos); Costura Industrial em Jeans (em parceria com SENAI Parangaba – 32 alunos – modalidade Aprendizagem, com a empresa Guararapes) e Costura Industrial em Tecido Plano e Malha (também em parceria com SENAI Parangaba – 17 alunos –  modalidade Qualificação). No total, são 72 novos alunos. A solenidade contará com a presença do presidente do Conselho Nacional do SESI, Jair Meneguelli.

O ViraVida foi lançado em 2008 pelo Conselho Nacional do SESI sob o nome de Projeto de Profissionalização para o Enfrentamento da Exploração Sexual e Comercial de Adolescentes. A iniciativa é uma resposta às estatísticas de exploração sexual de crianças e adolescentes no Brasil. O projeto-piloto iniciou sua aplicação no Ceará em junho de 2008, sob a coordenação do SESI/CE. Além de receberem qualificação profissional e educação integrada, os alunos contam com uma bolsa mensal no valor de R$ 500 e intermediação para inserção no mercado de trabalho. O programa contempla ainda formação em empreendedorismo e cooperativismo,  bem como atendimento psicossocial e apoio às famílias. No Ceará, o ViraVida já formou 158 jovens.

Para Jefferson, o Serra já perdeu

158 1

“De Roberto Jefferson, o aliado (nesta eleição, de José Serra) que não tem papas na língua:

– Agora que os anéis se foram, resta salvar os dedos. Temos que guardar energias para eleger o Beto Richa, consolidar o Geraldo Alckmin e virar o Antonio Anastasia.

Mas e o Serra? Sem chance?

– Vou votar no Serra, mas não tem mais volta. Agora, só se a Dilma for apanhada com uma mala com 200 000 reais dentro.”

(Coluna Radar – Veja Online)

Polo de Lazer da Parangaba vira rampa a céu aberto

342 1

Eis a situação do Polo de Lazer da Parangaba, em Fortaleza, sempre nas segundas-feiras. É que no local funciona uma feirinha de tudo e de todos. O resultado é muito lixo espalhado por tudo que é canto até o meio-dia.

A Prefeitura, que eu saiba, prometeu num belo dia reordenar o local. Pelo visto, mais uma promessa.

(Foto –  Marcos Almeida)

Mensalão do DEM – PF conclui que Arruda era o chefe da organização

“A Polícia Federal (PF) concluiu no dia 9 de agosto o relatório final da investigação sobre o esquema de pagamento de propinas no governo do Distrito Federal, conhecido como “mensalão do DEM”. No documento, o ex-governador José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM) é apontado como chefe de uma “organização criminosa” para desviar recursos públicos por meio de empresas contratadas pelo seu governo. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Um ano depois do início da investigação, a PF conclui que Arruda e seus aliados se enquadram nos crimes de “formação de quadrilha” e “corrupção passiva” para obter “vantagens espúrias”. “José Roberto Arruda encabeçava uma organização criminosa voltada à captação de dinheiro bancado por empresas contratadas”, diz o relatório de 93 páginas. A PF aponta crimes cometidos por sete empresas, Arruda e 12 integrantes do alto escalão de seu governo e pede a abertura de investigação para cada envolvido, com o objetivo de investigar lavagem de dinheiro e ocultação de bens.

O mensalão do governo do DF, cujos vídeos foram divulgados no final do ano passado, é resultado das investigações da operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal. O esquema de desvio de recursos públicos envolvia empresas de tecnologia para o pagamento de propina a deputados da base aliada.

O ex-governador José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM) aparece em um dos vídeos recebendo maços de dinheiro. As imagens foram gravadas pelo ex-secretário de Relações Institucionais, Durval Barbosa, que, na condição de réu em 37 processos, denunciou o esquema por conta da delação premiada. Em pronunciamento oficial, Arruda afirmou que os recursos recebidos durante a campanha foram “regularmente registrados e contabilizados”.

As investigações da Operação Caixa de Pandora apontam indícios de que Arruda, assessores, deputados e empresários podem ter cometido os crimes de formação de quadrilha, peculato, corrupção passiva e ativa, fraude em licitação, crime eleitoral e crime tributário.”

 (JB Online)

PGJ tem novo assessor de comunicação

O jornalista Pádua Martins, que era da assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça do Estado, acaba de assumir como assessor de Comunicação da Procuradoria Geral de Justiça. Helena Demes, então titular, foi deslocada para a área de Cerimonial do órgão.

Pádua, inclusive, foi companheiro nosso no O POVO onde, entre várias funções, respondeu pela chefia da então Editoria de Política, hoje Conjuntura.

Bola sorte!

TSE inicia lacre de programas da urna eletrônica

“O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) inicia, nesta terça-feira, o trabalho de lacrar programas existentes na urna eletrônica. A solenidade será às 18h30min, no auditório do tribunal, em Brasília.

Aberto ao público, o evento tem como objetivo mostrar à sociedade, aos representantes de partidos políticos, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e do Ministério Público (MP) que o processo eleitoral é seguro, especialmente porque é inviolável.

Além de receber o lacre físico, a urna eletrônica é lacrada digitalmente, após receber uma assinatura. Os trabalhos serão encerrados no dia 2 de setembro.

(Agência Brasil)

Fiec – Posse formal de Roberto Macedo será em setembro

Reeleito presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), Roberto Macedo marcou para o dia 20 de setembro a sua posse formal. O ato ocorrerá na cobetura da federação com a participação dos novos diretores. Roberto foi reeleito na última semana, após derrotar o oposicionista Orlando Siqueira

Já a posse festiva, segundo adiantou, só depois das eleições. Ele espera que Armando Monteiro, licenciado do comando da Confederação Nacional da Indústria, seja eleito senador por Pernambuco e aqui esteve, portando, em clima de festa dobrada.

PT articula um novo partido para apoiar futura gestão de Dilma Rousseff

“O PT já articula a formação de um novo partido que apoiaria Dilma Rousseff (PT) no caso de ela ganhar a eleição para a Presidência. A legenda abrigaria parlamentares do PSDB, do PPS e até do DEM dispostos a fazer uma transição lenta, gradual e segura rumo aos braços governistas. Já há conversas entabuladas.

Para que a nova agremiação tenha sucesso será preciso mudar a lei, que impede que um parlamentar eleito por um partido troque de legenda -hoje, se isso ocorre, o político perde o mandato. “Mudança na legislação eu garanto que vai ter. A ideia é amplamente majoritária no Congresso, independente de quem vença as eleições”, diz o deputado Cândido Vacarezza (PT-SP), líder do governo na Câmara.

Sem comentar a possibilidade de criação de um novo partido, ele afirma que a mudança deve permitir a abertura de uma “janela” para que deputados troquem de legenda no primeiro ano depois de eleitos.”

(Folha – Coluna Mônica Bergamo)

Petista participa de ato pró-Marina Silva em Brasília

O presidente do Sindicato dos Médicos do Ceará, José Maria Pontes, na condição de sindicalista, vai participar, nesta terça-feira, em Brasília, do lançamento de um manifesto da classe trabalhadora em favor da candidatura de Marina Silva, do Partido Verde. Pontes, ex-vereador do PT, diz que apoia a postulante do PV, por ela representar ideologicamente as bandeiras defendidas pelos petistas.

“Sou do PT, mas voto em Marina Silva. Ela reúne as qualidades que o PT sempre defendeu para administrar o País”, explica o dirigente sindical, ressalvando que sua participação no ato não é na condição de presidente do Simec.

Pontes adiantou que votará em Cid Gomes (PSB) para governador e, em matéria de Senado, respaldará José Pimentel (PT) e Polô, este ex-petista e hoje candidato pelo PV. Sobre a disputa para o Senado, ele disse não ter dúvidas de que uma das vagas já está resolvida: “Será do tucano Tasso Jereissati. É por isso que voto em Pimentel. Quero que ele ganhe a outra vaga. A briga com o Eunício Oliveira (PMDB) não é fácil, mas dá para superar as dificuldades”, complementou o petista.

Cid promete ampliar ISSEC no Interior

O govenador Cid Gomes (PSB) assumiu compromisso, nessa noite de segunda-feira: se reeleito, vai instalar três unidades do Instituto de Saúde dos Servidores do Estado (ISSEC) no interior do Estado no próximo governo. Essas unidades atenderão antigo desejo dos servidores que têm que se deslocar até Fortaleza para gozar dos benefícios e assistência do ISSEC, antigo IPEC.

O anúncio ocorreu durante plenária de Cid Gomes com os profissionais da área e educadores. A medida atingirá todos os servidores do Estado.

Serra: Ausência de Dilma é para não se expor"

102 1

“É difícil saber que efeito pode ter num debate que entrou pela madrugada num canal de pouca audiência. De qualquer modo, a presença na plateia da cúpula da Igreja Católica e a capacidade de irradiação que os grupos religiosos podem ter pode ter alguma consequência. Pelo menos, foi nisso que o candidato do PSDB, José Serra, apostou ao criticar a candidata do PT, Dilma Rousseff, por faltar ao debate promovido pela TV Canção Nova e Rede Aparecida sobre temas que são considerados importantes pelos católicos.

“Quero cumprimentar o Plínio e Marina, porque que vieram. Lamentável é quem prefere esconder o que pensa. A ausência da Dilma não é por agenda, é por dificuldade em se explicar, em dizer o que de fato pensa”, atacou Serra. No início do debate, foi lida uma nota da assessoria de Dilma dizendo que ela faltara por incompatibilidade de agenda. “Vocês sabem o que ela está fazendo? Está tuitando!”, atacou Plínio de Arruda Sampaio, do Psol, fazendo coro a Serra. Só Marina Silva, do PV, não atacou Dilma. Na verdade, nem mencionou seu nome.

No último bloco do debate, os candidatos responderam cada um a perguntas sobre temas diversos, sem réplicas dos demais. Marina falou de política habitacional. “Minha Casa, Minha Vida é uma boa ideia, mas tem que agregar questões ambientais e culturais”. Plínio falou de agricultura, e voltou a defender a desapropriação de todas as fazendas com mais de mil hectares. “Deve ser desapropriada, produtiva ou não produtiva”, pregou ele. E Serra rejeitou a ideia de fazer plebiscito sobre o aborto, tema que já havia sido abordado em blocos anteriores.

Todos os candidatos responderam em seguida a uma mesma pergunta: como resolveriam a questão do ensino religioso nas escolas públicas. Os três defenderam a necessidade de educação religiosa como disciplina opcional, que não reprova, mas que contenha no currículo menção a todas as formas de religião.”

(Congresso em Foco)

Justiça invalida provas da PF contra Família Sarney

“A Justiça invalidou parte das provas obtidas por interceptação de e-mails em operação realizada pela PF quando investigava negócios e movimentações financeiras do empresário Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney.

A decisão atinge, segundo advogados e juízes ouvidos pela Folha, cerca de 10 mil e-mails que possuem o domínio “@mirante”, usado tanto pela família Sarney como pelos funcionários do Grupo Mirante, empresa que reúne rádios, TVs e jornal no Estado do Maranhão.

A PF pediu, e a Justiça à época autorizou, a quebra do sigilo de e-mails registrados em nome do grupo. Agora, a Justiça entendeu que, ao fazer isso, a PF teve acesso a mensagens de todos os funcionários do grupo e não apenas dos que eram alvo de investigação.

REMOÇÃO DAS PROVAS

Os inquéritos terão que ser reescritos pela PF, segundo apurou a Folha, para que as menções às provas, agora consideradas ilícitas, sejam removidas, o que pode atrasar a conclusão do caso. A investigação começou em fevereiro de 2007, devido à movimentação atípica de R$ 2 milhões na conta de Fernando Sarney e de sua mulher, Teresa Murad Sarney. A apuração se estendeu até agosto de 2008 e apontou crimes de tráfico de influência em órgãos do governo federal, formação de quadrilha, desvio de recursos públicos e lavagem de dinheiro. Fernando nega as acusações.

Ao longo da operação, chamada de Boi Barrica e rebatizada de Faktor, foram “grampeados” 452 endereços de e-mail, o que possibilitou à Justiça ter acesso a milhares de mensagens eletrônicas trocadas entre os funcionários do grupo Mirante.

RECURSO
A decisão da Justiça que anulou os e-mails como prova foi tomada em julho a pedido de João Odilon Soares, um funcionário do grupo de comunicação dos Sarney que também aparece como sócio da factoring da família, usada, segundo a PF, para lavar dinheiro. Ele também era tesoureiro de uma ONG de Fernando suspeita de desviar dinheiro da Eletrobrás. Ambos foram indiciados por gestão financeira irregular, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e formação de quadrilha.

A defesa dele é feita pelo mesmo escritório contratado pela família Sarney. Os advogados pediram ainda a nulidade das provas captadas por meio de quebra de sigilo telefônico, fiscal e bancário, mas não foram atendidos. Eles podem recorrer ao STJ (Superior Tribunal de Justiça), assim como o Ministério Público Federal também deverá recorrer para que as provas voltem a valer.

SEM COMENTÁRIOS
O advogado Eduardo Ferrão, que defende tanto Soares como Fernando Sarney, disse que nem ele nem seus clientes falarão sobre o caso, que corre em sigilo na Justiça. A PF não comentou o assunto. Entre as mensagens interceptadas pela PF com autorização judicial está a que trata da remessa ilegal pela família Sarney de US$ 1 milhão para uma suposta empresa chinesa.

No entendimento de advogados e juízes ouvidos pela Folha, a partir da decisão da Justiça, a PF terá que demonstrar que chegou à informação sobre o dinheiro no exterior por outra fonte que não apenas o e-mail. Caso contrário, a investigação sobre remessa ilegal ao exterior pode ser prejudicada. Trocada entre Ana Clara, neta do presidente do Senado, e Teresa, a mensagem trazia anexa autorização de transferência do dinheiro assinada por Fernando, que gerencia os negócios da família.”

(Folha Online)

PSDB discute ajustes da campanha e deve priorizar 4 Estados

“Preocupado com a queda do candidato José Serra nas pesquisas de opinião, o comando do PSDB já discute ajustes na campanha nacional e uma estratégia de sobrevivência da oposição em caso de derrota na corrida presidencial. O partido apostará suas fichas na eleição de governadores de quatro Estados: São Paulo, Paraná, Minas Gerais e Goiás. Além da correção de rumo para a Presidência, a cúpula tucana se reúne, amanhã em São Paulo, para discutir o futuro da campanha e o destino do partido.

Chamado a São Paulo a pretexto de gravar sua participação na propaganda de Serra, o ex-governador de Minas Aécio Neves tem encontro marcado com o presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra (PE). Segundo tucanos, está prevista ainda a participação do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso na conversa. A assessoria de FHC afirma, porém, que “até o momento, não consta nada do tipo na agenda dele”. Serra deve estar no Rio Grande do Norte amanhã, dia da reunião.

A partir de agora, o partido deverá concentrar seus esforços na manutenção do governo de Minas, onde o peemedebista Hélio Costa lidera a disputa. Apesar de remotas, há expectativa de vitórias no Pará e no Piauí. O tucanato conta ainda com a eleição de pelo menos oito senadores, entre eles Aécio e Tasso Jereissati (CE).

No plano nacional, todo o movimento será para garantir a chegada de Serra ao segundo turno -o foco deve ficar nos nove maiores colégios eleitorais do país. Nos Estados, as candidaturas nos quatro locais-chave onde o partido tem boas chances devem receber um impulso financeiro extra.

Além de Aécio, que lidera a disputa pelo Senado em Minas, todos os candidatos a governador com chance de vitória – entre eles, Beto Richa (PR) e Marconi Perillo (GO) – vão participar do programa de Serra na TV.

SEM LULA NA TV
Segundo Guerra, a imagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva não deverá ser usada novamente. Semana passada, causou tremores no PSDB a exibição de fotos de Serra ao lado de Lula.

“A presença do presidente Lula não mudou nada. Não teve nenhum impacto. Não valeu nada. E por isso não deve se repetir”, disse Guerra, após reunião com o coordenador de comunicação da campanha, Luiz Gonzalez. Tucanos esperam, a partir de hoje, um programa mais agressivo. O comando da campanha tem pronto um jingle que cita o nome do ex-ministro José Dirceu.

Guerra estará hoje em Porto Alegre e Santa Catarina ao lado do presidente nacional do DEM, Rodrigo Maia (RJ), e do ex-presidente Jorge Bornhausen. Na viagem, o trio trabalhará para aplacar abalos na aliança nos Sul. Na noite de domingo, Guerra se reuniu com coordenadores da campanha, na área de mobilização, infraestrutura e arrecadação. Apesar de o comando da campanha descartar dificuldades de arrecadação, integrantes da equipe se queixaram da carência material.

Sob pressão, o coordenador administrativo da campanha, José Henrique Reis Lobo, disse que seria temerário gastar além do cronograma, sob pena de estourar o orçamento da campanha.
Guerra argumentou que dois programas não eram suficientes para se aferir a eficácia da propaganda. Serra está 17 pontos atrás de Dilma Rousseff (PT) no Datafolha.”

(Folha Online)

Praga de muriçocas prejudica moradores do entorno do Fórum Clóvis Beviláqua

332 2

Moradores do entorno do Fórum Clóvis Beviláqua, no bairro Edson Queiroz, em Fortaleza,  estão apelando a tudo e a todos contra praga de muriçocas que atinge a área. Segundo algumas lideranças, há um córrego próximo ao fórum e também ao Super Família que está sujo há muito tempo e nada de a Prefeitura resolver o problema.

Eles apelam por alguma providência. Prometem, inclusive, fazer ato de protesto próximo ao fórum.

TRE libera candidatura antes barrada pelo "Ficha Limpa"

“O Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE) reverteu o primeiro caso de indeferimento com base na Lei da Ficha Limpa do Estado. Durante a sessão de ontem, o pleno da Casa acolheu recurso apresentado pelo candidato à reeleição, deputado estadual, Neném Coelho (PSDB).

O deputado teve as contas desaprovadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), do período em que foi prefeito de Novo Oriente. No entanto, o TCM anulou a decisão, que havia fundamentado o indeferimento da candidatura. Também ontem, outros dois recursos apresentados por candidatos barrados em função da lei da Ficha Limpa foram rejeitados. Foram os casos dos candidatos a deputado estadual, Luiz Ximenes Filho (DEM) e José João Alves (PTN).

Ximenes, ex-prefeito de Canindé, teve as contas desaprovadas pelo TCM e pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e Alves teve as contas desaprovadas pelo TCM.

Mesmo 19 dias após a data estabelecida pela Legislação Eleitoral, 5 de agosto, o TRE-CE segue julgando os registros de candidaturas. Restam 11 casos para serem apreciados.

Ainda ontem, foram deferidas as candidaturas de Soraya Tupinambá (Psol), ao Governo, e de Alexandre Pereira (PPS), ao Senado. Até agora foram apresentados 115 recursos contra decisões da Corte.”

(O POVO)

TCM ganha prêmio por criar portal da transparência

“O Prêmio Ceará de Cidadania Eletrônica 2010, promovido pelo Governo do Estado, foi vencido mais uma vez pelo Tribunal de Contas dos Municíios (TCM) na categoria Inovação. O projeto vencedor foi o “Dados Abertos”, que tem como ponto forte uma aposta avançada na transparência pública. A partir de um serviço na internet, que pode ser encontrado no endereço www.tcm.ce.gov.br, as pessoas têm acesso direto aos dados de prestação de contas dos municípios cearenses, permitindo que o próprio interessado faça análises, tire suas próprias conclusões e crie aplicativos.

Tudo está lá, em linguagem simples e objetiva, assegurando à sociedade a oportunidade de conhecer, sem intermediários, os atos praticados pelos administradores municipais, vendo o que estão fazendo com o dinheiro de nossos impostos.”

(Coluna Vertical, do O POVO)

Duro golpe à imprensa argentina se vira contra Cristina Kirchner

“Numa nova investida contra os meios de comunicação do país, a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, apresenta nesta terça-feira um relatório de 400 páginas, revelando supostos vínculos entre os principais jornais e a ditadura (1976-1983), para compra da Papel Prensa.

A divulgação do documento provocou reações de entidades de imprensa, da oposição e dos principais jornais do país, que manifestaram preocupação com a liberdade de expressão argentina. De acordo com a denúncia do governo, cuja bandeira tem sido a defesa de direitos humanos, trata-se de mais um crime do regime militar.

Tanto os políticos da oposição, quanto os jornais “La Nación” e “Clarín”, garantem que é mais uma manobra do Estado para controlar a imprensa.

Durante o fim de semana, os diários publicaram editoriais denunciando as manobras do governo para coibir a mídia, comparando a política de Cristina com a do venezuelano Hugo Chávez.

Na segunda, os jornais receberam apoio da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) e da Associação Internacional de Radiodifusão (AIR), que manifestaram preocupação com as “ameaças à liberdade de expressão na Argentina”.

(O Globo)

Empresário receberá Medalha Boticário Ferreira

451 1

 O empresário Mário Feitoza de Carvalho Freitas (Grupo MCF) vai receber na próxima quinta-feira, às 19h30min, na Câmara Municipal de Fortaleza, a Medalha Boticário Ferreira). A iniciativa é do vereador Carlos Mesquita (PMDB). Mário, natural de Tauá (Região dos Inhamuns).

Mário começou sua trajetória profissional pelo convênio Eletrobrás-Kellogg-OCB-Incra, onde permaneceu até 1978. No final desse mesmo ano, entrou no Banco Mercantil do Ceará (BMC), depois Banco Mercantil de Crédito. Em 1992, Mário Feitoza passou a integrar a equipe executiva do Banco Mercantil de Pernambuco, onde ficou até 1995.

O executivo criou em 1987 a marca Fomento Comercial, que depois se transformou em MCF Factoring. Atualmente, o grupo é formado por nove empresas: MCF Consultoria Empresarial, MCF Correspondente Bancário, MCF Tecnologia, MCF Promotora (Facility), Agropecuária MCF, MCF Corretora de Seguros, Telli Telecomunicações, DWI Estrutura de Negócios e Correspondente Bancário Kommo, sendo as três últimas sediadas em São Paulo.

DPVAT – Auditorias evitam desvio de R$ 17,5 milhões

“As fraudes comprovadas contra o seguro DPVAT, no ano passado, poderiam ter causado um prejuízo de R$ 17,5 milhões aos bolsos de brasileiros proprietários de carros ou outro veículo automotor de via terrestre. A soma, que equivale ao valor médio de um sena acumulada, foi calculada pelo engenheiro Ricardo de Sá Acatauassu Xavier, 52, diretor-presidente da Seguradora Líder – consórcio responsável pela liberação de indenizações para vítimas de acidentes de trânsito no Brasil.

De acordo com Ricardo Xavier, a Líder só conseguiu evitar o pagamento dos R$ 17,5 milhões graças às sindicâncias encomendadas em todo o País. Mas isso não quer dizer que o prejuízo chegaria apenas a esse valor. Nem todos os casos suspeitos são detectados a tempo. E há também despesas para o Estado quando a rede de fraudadores aciona de má-fé a Justiça.

Para tentar coibir a ação de pessoas ou quadrilhas atuantes em todo o País, Ricardo Xavier aposta na formação de um banco de dados capaz de gerar informações sobre nomes de criminosos e as práticas mais comuns aplicadas, principalmente, no interior brasileiro.

Porém, mais importante do que informações sistematizadas e realização de sindicâncias é o contribuinte se apropriar do seguro obrigatório. Pago, para quem não lembra, anualmente na mesma época do licenciamento do carro. Leia a seguir entrevista com Ricardo Xavier.

O POVO – Qual a estratégia que está sendo montada para evitar fraude contra o DPVAT?

Ricardo Xavier – Estamos criando uma estrutura de banco de dados. Todas aquelas situações suspeitas vamos armazenando e criando elementos. Por exemplo: procuramos avaliar onde há uma frequência fora do normal, procuramos avaliar elementos que não são muito consistentes. Quer dizer: há de se suspeitar da pessoa que faz uma ocorrência (boletim de ocorrência policial) com mais de um ano após o acidente.

OP – Como os casos de Santa Quitéria, revelados pelo O POVO?

Ricardo Xavier – Exato. Mas não necessariamente em casos assim você verifica ocorrência de fraude. Mas eventualmente há um dado que chama a atenção. E aí procuramos buscar mais elementos. Se a pessoa estiver de fato envolvida no acidente, ele tem como trazer. Por exemplo, se a pessoa se acidentou e ficou inválida, de um modo geral, ela passou por um atendimento médico. Pede-se elementos complementares (informações) que possam comprovar que há uma lógica no processo de formação daquela lesão.

OP – Mas o que está sendo feito para prevenir a fraude?

Ricardo Xavier – O que a gente pode fazer de prevenção é isso. É na hora de receber um pedido de indenização tentar identificar se existem indícios de fraudes. Quando há indícios, a gente procura averiguar. Se achamos elementos concretos, encaminhamos ao Ministério Público. Achamos que esse é um dever que temos como administradores do seguro DPVAT, de proteger a sociedade. Porque quando você paga indenização a um fraudador está aumentando o preço do seguro. Como consequência disso, quanto mais fraudes houver, mais vai aumentar o preço do seguro um dia. E quem vai pagar é a sociedade.

OP – Por que há tantas portas para as fraudes contra o DPVAT?

Ricardo Xavier – O seguro DPVAT foi criado por uma lei com cunho social tão forte, que tem uma simplicidade no processo (de liberação). Completamente diferente de um seguro de vida, de acidentes pessoais, que você exige um volume enorme de documentos, o seguro DPVAT é muito fácil de ser recebido. É assim para facilitar a vida do cidadão. E ao criar facilidades para o recebimento também se permite a fragilidade. Como são poucos os documentos, são poucas as exigências, fica exposto à possibilidade de fraude. Ai, infelizmente, ao longo do tempo, vão se desenvolvendo verdadeiras indústrias em torno do seguro DPVAT . Primeiro começa através de agentes captadores. Muitas vezes o captador não é um fraudador. É uma pessoa que está simplesmente fazendo a ligação entre o interessado, a vítima e o seguro. Só que eles começam assim, daqui a pouco aumenta a comissão que ele quer, depois não está mais conseguindo vítimas e passa a fabricar vítimas. Infelizmente a escalada é assim.

OP – No banco de dados que vocês estão criando há, por exemplo, o nome do fraudador que atuou em determinado ano e depois volta a cometer a fraude anos depois?

Ricardo Xavier – Quando, por acaso, temos os nomes dos indivíduos que praticaram fraude guardamos o cadastro com o registro sim. Até porque, futuramente, se por acaso a gente encontrar algum fato concreto, vamos mandar para o Ministério Público.

OP – Quantas auditorias vocês já realizaram?

Ricardo Xavier – Na verdade, temos vários escritórios pelo País que fazem esse trabalho de juntar elementos diante do que nós apresentamos a eles. Material suficiente para oferecer uma denúncia, quando há elementos suficientes é óbvio. Não estamos querendo confundir o cidadão correto, honesto. Temos a obrigação e a missão de pagar indenização a todo mundo que for vítima de acidente de trânsito. E gostamos de pagar diretamente a vítima, não a intermediários. Por isso que, hoje, só pagamos direto por crédito em conta.

OP – O seguro DPVAT ou seguro obrigatório parece distante da população. Isso contribui para a ação de fraudadores?

Ricardo Xavier – Não tenha dúvida. Por isso estamos cada vez mais intensificando campanhas de esclarecimento. Fizemos uma campanha grande. Começou em novembro e terminou em março deste ano. Agora estamos iniciando uma nova agora nesse mês. O problema é que muitas vezes a gente coloca cartazes, por exemplo, em hospitais, IMLs, às vezes até em funerárias, mas o indivíduo que faz o papel de atravessador vai lá e arranca. Ele não tem interesse de que a população tenha acesso à informação. Por isso é importante que os meios de comunicação divulguem porque estão prestando um serviço público. Temos atuado com assembleias legislativas de alguns estados para que se estabeleça, como obrigação dos hospitais, delegacias, dos IMLs, colocar cartazes com informação sobre DPVAT.

OP – No decorrer da série de matérias do O POVO, recebemos e-mails de pessoas que apontam certa dificuldade para poder dar entrada no seguro. Nem mesmo há como saber quais seguradoras são idôneas?

Ricardo Xavier – No nosso site (www.dpvatseguro.com.br) tem todos os pontos de atendimento oficiais no País que a pessoa pode dar entrada. Se, por acaso, em alguns desses locais, tiver sendo feita alguma cobrança para dar entrada, peço, por favor, que denunciem. Avisem, precisamos saber. Como são muitos pontos de atendimento em todo o Brasil, a gente às vezes não tem o controle de saber se alguém lá dentro fazendo uma prática danosa. É muito importante, toda vez que acontecer uma situação que haja um desvio, que a gente seja informado para poder atuar.

OP – Qual o prejuízo causado por fraudes no seguro DPVAT ano passado e esse ano?

Ricardo Xavier – É muito difícil saber. Na verdade você tem a suspeita de fraude, mas comprovar é muito difícil. Eu seria leviano dizer que representa tantos milhões. Mas a questão é o seguinte: o volume de tentativas de fraude é muito grande. Muitas vezes nós constatamos e interrompemos o processo. Mas mesmo esses, se nós não comprovamos, acabamos pagando. A gente parte do princípio de que todo o mundo é honesto.

OP – Essas suspeitas e comprovações têm se mantido ou oscilado nos últimos anos?

Ricardo Xavier – Não diria que estão crescendo. Diria que estamos ficando mais eficientes. Estamos atuando com mais precisão. Mas os meios de comunicação, ultimamente, têm nos ajudando muito. Por que o que acontece? De um modo geral, a fraude tem uma pessoa má intencionada por trás, tem o dolo. Mas ela acaba envolvendo o agente, a pessoa comum, honesta, que não tem percepção de que o que está acontecendo ali é um crime.

OP – Que leitura o senhor faz dos números que apontam o Ceará como líder no número de fraudes no País entre 2003 e julho de 2008?

Ricardo Xavier – A leitura que faço é que não é uma questão de regionalidade. Por acaso, no Ceará, em determinado momento apareceu um grupo de pessoas que teve uma atuação mais intensa. Mas a percepção que temos infelizmente é que isso tem mobilidade. Na verdade são grupos que se organizam e descobrem uma oportunidade. É como fazer clonagem de cartões de crédito, descobrem o nicho e começam a atuar. Até o momento em que você descobre e começa a combater. E como o Brasil é muito grande eles vão se movendo ao longo do País.

OP – Qual é a grande dor de cabeça, atualmente, para o seguro DPVAT?

Ricardo Xavier – Olhe a questão da motocicleta é um problema muito sério hoje no País. É inevitável, não há como desconhecer. A facilidade com o crédito, a penetração da motocicleta em todas as camadas da sociedade estão facilitando a possibilidade de locomoção. Mas ao mesmo tempo estão gerando uma triste estatística que é a frequência muito grande de acidentes. Eles (os fraudadores) começam a aproveitar esse quadro e criam os mais variados tipos de fraude com esse veículo.

OP – Por que o senhor acha que as pessoas são tão indiferentes ao seguro DPVAT?

Ricardo Xavier – Já fizemos algumas pesquisas para tentar entender isso. Existem algumas teses que justificam isso. Primeiro: dificilmente uma pessoa tem atenção a uma coisa que ela não quer. Uma pessoa dificilmente vai se interessar por um seguro de acidente se ela não se imagina se acidentando. Então existe uma espécie de bloqueio. Acho que uma solução seria a gente colocar isso na escola. Outra coisa é que as pessoas que se aproveitam do cidadão para fraudar o seguro pegam as pessoas em um momento de dor. Por exemplo, teve uma CPI em Brasília das funerárias, que quase virou do DPVAT. Eles tinham um rádio que acessava a frequência da polícia e, na hora que sabiam de um acidente com morte, iam direto para o local com uma procuração para colher assinaturas.

E-MAIS

> Em 2010, de janeiro a junho, 80% (ou 6..781) das indenizações do DPVAT no Ceará foram para acidentes envolvendo motocicletas. Em 2009, no mesmo período, o registro é de 76% ou 4.784 pagamentos.

> No primeiro dia da série (11/8) sobre a máfia do DPVAT, O POVO mostrou que o Ceará é líder no País em números de representações criminais no período de 2003 a julho de 2008. No dia seguinte (12/8) revelou que alguns hospitais particulares de Fortaleza “furtam” pacientes do IJF e se apropriam do DPVAT.

> No terceiro dia (13/8) mostrou fraudes no município cearense de Crateús. Lá a Seguradora Líder pediu a reabertura de 141 inquéritos suspeitos. No último sábado (14/8), o jornal revelou que juízes foram afastados e advogados presos por causa de casos registrados em Arapiraca (AL), Teresina (PI) e Parnaíba (PI).

> Para fugir da fraude do DPVAT ligue: 0800.022.1204 e acesse: www.dpvatseguro.com.br

(O POVO)

Ypióca não faz só cachaça

465 1

O Grupo Ypióca investe em pesquisa na área de remédios contra o câncer. O trabalho, que dura 10 anos, é em parceria com cinco grandes hospitais de São Paulo. Entre eles, Sírio-Libanês e Albert Einstein.

Segundo o empresário Everardo Telles, os primeiros resultados serão divulgados ano que vem. Essa iniciativa faz parte da filosofia de responsabilidade social adotada pela Ypióca, uma das maiores destilarias do País, que exporta a cachaça brasileira para a América, Europa, Ásia e mais recentemente África do Sul.  

(Foto – Paulo Moska)